• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 9
  • 5
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 18
  • 18
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

The nutritional requirements and excretory products of axenic Ascaris lumbricoides var suis

Ellison, Theodore, January 1959 (has links)
Thesis (Ph. D.)--University of Wisconsin--Madison, 1959. / Typescript. Vita. eContent provider-neutral record in process. Description based on print version record. Includes bibliographical references (leaves 430-451).
2

Cholinesterase inhibition in Ascaris lumbricoides L. in relation to the anthelmintic action of organophosphates

Knowles, Charles Otis, January 1965 (has links)
Thesis (Ph. D.)--University of Wisconsin--Madison, 1965. / Typescript. Vita. eContent provider-neutral record in process. Description based on print version record. Includes bibliographical references.
3

Diagnóstico paleoparasitológico molecular de Ascaris lumbricoides (Linnaeus, 1758) / Paleoparasitological molecular diagnosis of Ascaris lumbricoides (Linnaeus, 1758)

Souza, Daniela Leles de January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:56Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 910.pdf: 4370041 bytes, checksum: e9c997ae4a10dd2ef138fe399a6f37b0 (MD5) Previous issue date: 2007 / O parasito humano Ascaris lumbricoides tem distribuição cosmopolita sendo o mais prevalente dos helmintos intestinais. Estudos paleoparasitológicos por microscopia ótica revelaram também que é um dos mais encontrados em material antigo. No entanto são raros os achados desse parasito na América do Sul pré-colombiana. O objetivo desse estudo foi eselecer uma metodologia de diagnóstico paleoparasitológico molecular de A. lumbricoides que possa ser aplicado diretamente a ADN antigo extraído de coprólitos provenientes de sítios arqueológicos. Inicialmente a metodologia foi padronizada em amostras fecais atuais positivas para A. lumbricoides e/ou outros helmintos e ovos isolados a fim de testar a sensibilidade e especificidade dos métodos diagnósticos. (...) As metodologias utilizadas mostram-se aptas em recuperar ADN do parasito a partir dos coprólitos experimentais. Os resultados do RFLP e sequenciamento nucleotídico mostraram que o processo de dessecação artificial não afetou as seqüências nucleotídicas. No trabalho com material arqueológico, as estratégias como PCR reconstrutiva e reamplificação foram essenciais para as amplificações. O diagnóstico paleoparasitológico molecular identificou o parasito em 5 amostras procedentes de sítios arqueológicos sul americanos datados do período pré-colombiano que o exame por microscopia ótica não havia diagnosticado. Todas as 16 seqüências nucleotídicas de cit b obtidas revelaram o nucleotídeo característico da espécie A. lumbricoides, sendo que a maioria das seqüências difere das modernas, afastando a possibilidade de contaminação. Os resultados do diagnóstico paleoparasitológico molecular mostraram uma mudança na paleodistribuição do parasito na América do sul, onde este se estende desde o nordeste de Brasil até o norte do Chile, sendo o achado mais antigo datado de 8800 AP. Pela primeira vez é feito diagnostico molecular de A. lumbricoides diretamente de coprólitos.
4

Diaspyros mollis : the ovicidal effect upon human hookworms and ascaris lumbricoides /

Smarn Tesana, Suvajra Vajrasthira, January 1979 (has links) (PDF)
Thesis (M.Sc. (Tropical Medicine))--Mahidol University, 1979.
5

Estudo comparativo, randomizado para avaliar a eficácia terapêutica da piperazina hexahidratada com extrato fluido de rhamnus purshiana no tratamento da ascaridíase / Evaluation of the therapeutical effectiveness of the piperazine hexahidratada associated with the fluid extract of Rhamus purshiana in the treatment of the worn infections

Viana, Fernando André Campos January 2007 (has links)
VIANA, Fernando André Campos. Estudo comparativo, randomizado para avaliar a eficácia terapêutica da piperazina hexahidratada com extrato fluido de rhaminus purshiana no tratamento da ascaridiáse. 2007. 158 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2007. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-03-26T15:39:46Z No. of bitstreams: 1 2007_dis_facviana.pdf: 3788167 bytes, checksum: 34c8bbadb9a03050a736228241d74956 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-03-27T15:58:40Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2007_dis_facviana.pdf: 3788167 bytes, checksum: 34c8bbadb9a03050a736228241d74956 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-27T15:58:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2007_dis_facviana.pdf: 3788167 bytes, checksum: 34c8bbadb9a03050a736228241d74956 (MD5) Previous issue date: 2007 / The efficacy and the therapeutic security of a manufactured piperazina associated with the extract fluid of Rhamnus purshiana (DM Indústria Farmacêutica) used for deworming patients in Ceará, Brazil, were tested against the product composed by piperazina without any association (DM Indústria Farmacêutica). A prospective, randomized, controlled and double blind clinical trial, comparing cure rates for Ascaris lumbricoides infections. Stool samples from 990 volunteers were collected at baseline and the prevalence of intestinal parasitic infections were viewed. 130 patients with faecal sample positive for Ascaris lumbricoides were included on the clinical trial, to assess the efficacy and therapeutic security. Socio-economic and sanitation information was obtained by an oral questionnaire. More than half of the patient showed monoparasitism (60%) and prevalence of Ascaris lumbricoides was (29%) in the study population. Intestinal helminth and protozoon infections egg positive rate was 48.38% (trichuriasis 4%, ancylostomiasis 0%, amebiasis 04%, giardiasis 10%). Cure rate for piperazine associated with the extract fluid of Rhamnus purshiana was 93.33% and piperazine without any association was 96.36%, so there was no significant difference in the cure rates (P = 0.6809). The most prevalent side effects were nausea 13.84% and vomit 11.53%. There was no significant difference in the prevalence of side effects (P = 0.2348). Socio-economic and sanitation dates showed narrow relation with Ascaris lumbricoides. Piperazine associated with the extract fluid of Rhamnus purshiana was efficient and insurance in the treatment of Ascaris lumbricoides in the studied population. / A eficácia e a segurança terapêutica de um medicamento a base de piperazina hexahidratada associada com o extrato fluido de Rhamnus purshiana (DM Indústria Farmacêutica) usada como tratamento anti-helmíntico em pacientes no Ceará, Brasil, foi testado em comparação com o produto composto de piperazina sem qualquer associação (DM Indústria Farmacêutica). Um estudo prospectivo, randomizado, controlado e duplo cego, comparando taxas de cura para infecção por Ascaris lunbricoides. Amostras coprológicas de 990 pacientes foram coletadas inicialmente e a prevalência de infecções parasitárias intestinais foi examinada. 130 pacientes com amostras fecais positivas para Ascaris lumbricoides foram incluídos nos ensaios clínicos, no intuito de ser comprovada a eficácia e a segurança terapêutica. Informações sobre dados socioeconômicos e de saneamento foram coletas a partir de questionário próprio. Mais da metade dos pacientes mostrou taxa de monoparasitismo (60%) e prevalência de Ascaris lumbricoides de 29%. Taxa positiva para helmintíase intestinal e infecções por protozoários atingiram índice de 48,38% (tricuríase 04%, ancilostomíase 0%, amebíase 04%, giardíase 10%). Taxa de cura da piperazina associada com extrato fluido de Rhamnus purshiana foi de 93,33% e para a piperazina sem associações foi de 96,36%, portanto não apresentou diferença estatisticamente significante em relação às taxas de cura dos medicamentos em estudo (P = 0,6809). Náusea (13,84%) e vômito (11,53%) foram os eventos adversos mais prevalentes. Não foi evidenciada diferença estatisticamente significante em relação à ocorrência de eventos adversos nas duas formulações (P = 0,2348). Dados socioeconômicos e de saneamento mostraram íntima relação com a ocorrência infecção por Ascaris lumbricoides. Piperazina associada com extrato fluido com Rhamnus purshiana mostrou-se eficaz e segura no tratamento da ascaridíase, na população estudada.
6

Saneamento ambiental e sua relação com a frequência de Ascaris Lumbricoides Lineu 1758, na população do município de Pindamonhangada-SP / Sanitation environmental and its relation with the frequency of Ascaris lumbricoides, Law 1758, in the inhabitants of Pindamonhanga town- São Paulo

Elizangela de Alvarenga Bissoli 12 May 2009 (has links)
O objetivo deste estudo foi verificar se a evolução do saneamento ambiental promoveu a redução na prevalência de Ascaris lumbricoides na população do município de Pindamonhangaba-SP, como também levantar a distribuição temporal e espacial da freqüência desse parasito e identificar área de risco para sua ocorrência. Para a realização do estudo foi empregado o banco de dados do Laboratório Público do Município, referente ao período de janeiro de 2004 a dezembro de 2007, considerando-se as seguintes variáveis: gênero, faixa etária, local de moradia e o resultado do exame parasitológico de cada indivíduo. Dados do saneamento ambiental foram obtidos junto à Prefeitura e à Sabesp, referentes ao período de 1990 a 2008 e in loco. Baseando-se na organização por setores do município, procedeu-se uma análise comparativa da relação entre resultados parasitológicos e da evolução do saneamento ambiental. Dos 52780 resultados de exames parasitológicos analisados, 18,06% apresentaram alguma espécie de helminto ou protozoário, sendo a freqüência de Ascaris lumbricoides de 0,93%, (média mínima de 0,14% e máxima de 1,85%). Verificou-se uma relação inversa entre a frequência do parasito e de faixa etária e, quanto ao gênero a maior freqüência ocorreu entre os homens. Concluiu-se que no município de Pindamonhangaba-SP, em alguns setores estudados, houve a diminuição da frequência de Ascaris lumbricoides, que coincidiu com o período de implantação do sistema de saneamento ambiental. Há setores, localizados na zona rural, e alguns de zona urbana, que foram identificados como sendo áreas de risco para a ocorrência de A. lumbricoides, devido à condição precária de saneamento e ambiente propício ao desenvolvimento de formas infectantes do parasito. / This study aim was to verify if the sanitation environmental evolution promoted the reduction of the prevalence Ascaris lumbricoides in the population of Pindamonhangaba town, also to raise the temporary and special distribution of the frequency parasite and identify areas of risks to the occurrence of the worn. Realizing these studies was applied the information from public municipal laboratory for the period of January 2004 up to December 2007, considering the following changeable, such as: gender, age, the place of living and the result of the parasitosis exam of each person. Data of environmental sanitation were from the obtained municipality and of Sabesp, for the period 1990 to 2008 and on the spot. Based on the organization by sectors of the municipality, was made a comparative analysis of the relationship between parasitological results and the developments of environmental sanitation. Among 52780 result of the parasitosis exam analyzed, 18,06% presented some parasitosis spicie, being the frequency of Ascaris lumbricoides 0,93% (minimum average of 0,14% and 1,85% maximum). There was an inverse relationship between the frequency of the parasite and age, regarding gender the prevalence was higher among men. Concluded that in Pindamonhangaba town- São Paulo some areas studied there was the diminish of the frequency of Ascaris lumbricoides, that coincided with the period of the establishment of the sanitation environmental. There are some areas located in the countryside and some in the town being areas of risks to the occurrence of A. lumbricoides, because of bad condition of sanitation and suitable environment to the development of the forms infecting.
7

IgE para ácaros, barata e Ascaris lumbricoides: impacto na IgE total e implicações para o desenvolvimento de alergia e asma / IgE to mites, cockroach and Ascaris lumbricoides: impact on total IgE and implications for the development of allergy and asthma

Priscila Botelho Palhas 17 May 2018 (has links)
A imunoglobulina E (IgE) tem papel central na patogênese das doenças alérgicas. É parte da resposta do tipo 2, e as citocinas IL-4 e IL-13 são essenciais para que haja produção deste isotipo de imunoglobulina. Produção de IgE é também induzida por parasitas intestinais, particularmente helmintos. O objetivo do presente estudo foi avaliar a contribuição de IgE específica para ácaros, barata, gato, cachorro e para o parasita Ascaris lumbricoides sobre os níveis de IgE total entre crianças de áreas distintas no Brasil. Anticorpos IgE para ácaros Dermatophagoides pteronyssinus e Blomia tropicalis; barata Blattella germanica; gato; cachorro; e A. lumbricoides foram medidos usando o sistema ImmunoCAP, e comparados à IgE total no soro de 150 crianças de 3-6 anos de idade vivendo na cidade de Natal, endêmica para parasitoses intestinais, e de 54 crianças de 3-6 anos de idade com asma e/ou rinite, vivendo em Ribeirão Preto. Níveis de IgE total foram significantemente mais elevados em crianças de Natal quando comparados aqueles em crianças de Ribeirão Preto (média geométrica 630,9 kU/L, faixa 19,6-63.290 kU/L; e 398,1 kU/L, faixa 35,7-4.803 kU/L, respectivamente). Entre as 150 crianças de Natal, 52(34,6%) apresentaram IgE positiva para D.pteronyssinus; 70(46,6%) para B.tropicalis; 45(30%) para barata; 19(12,6%) para gato; 17(11,3%) para cachorro; e 125(83,3%) para A.lumbricoides. Entre as 54 crianças com asma e/ou rinite de Ribeirão Preto, 41(75,9%) apresentaram IgE positiva para D.pteronyssinus; 34(62,9%) para B.tropicalis; 22(40,7%) para barata; 11(20,3%) para gato; 12(22,2%) para cachorro. Embora estas crianças fossem negativas para parasitas à inclusão no estudo, 22(40,7%) tinham IgE para A.lumbricoides. Anticorpos IgE para A. lumbricoides foram mais elevados entre crianças de Natal, quando comparados a IgE para alérgenos inalantes (p<0,01). Níveis de IgE para D. pteronyssinus entre crianças de Ribeirão Preto foram mais altos que IgE para outros inalantes e A.lumbricoides (p<0,01). Em Natal, a porcentagem de IgE para A. lumbricoides em relação à IgE total foi maior em comparação a IgE para D.pteronyssinus e B.germanica (mediana 0,41%; 0,08%; e 0,04% respectivamente, p<0,01). Em Ribeirão Preto, a porcentagem de IgE para D.pteronyssinus e para B.tropicalis em relação à IgE total foi maiorem comparação a IgE para A.lumbricoides e barata (mediana 9,8%; 0,6%; 0,3%; e 0,2%, respectivamente, p<0,05). Regressão linear revelou que a associação mais forte foi para IgE para A.lumbricoides com IgE total em Natal (R²=0,56; p<0,01); associação significante foi também observada para IgE para ácaros com IgE total em Ribeirão Preto (R2=0,35; p<0,01 para D.pteronyssinus; R2=0,33; p<0,01 para B.tropicalis, respectivamente). Nossos resultados demonstraram que anticorpos IgE para ácaros contribuem fortemente para a IgE total entre crianças com asma e/ou rinite, vivendo em uma área de baixa taxa de infecções parasitárias em nosso meio. Por outro lado, entre crianças vivendo em uma área em que parasitas são encontrados em abundância, infecções parasitárias induzem uma forte resposta IgE policlonal, e anticorpos IgE específicos para parasita, além de ácaros, barata, gato e cachorro representam uma modesta proporção da IgE total. A especificidade desta IgE, e os efeitos a longo prazo desta resposta cedo na vida, permanecem desconhecidos. / Immunoglobulin E (IgE) plays a central role in the pathogenesis of allergic diseases. It is part of the type 2 response, and the cytokines IL-4 and IL-13 are essential for the production of this immunoglobulin isotype. IgE production is also induced by intestinal parasites, particularly helminths. The aim of the present study was to evaluate the contribution of specific IgE to mites, cockroach, cat, dog and parasite Ascaris lumbricoides on total IgE levels among children living in different areas in Brazil. IgE antibodies to mites Dermatophagoides pteronyssinus and Blomia tropicalis; cockroach Blattella germanica; cat; dog; and A. lumbricoides were measured using the ImmunoCAP system and compared to total serum IgE of 150 children 3-6 year-old living in the city of Natal, endemic for intestinal parasites, and 54 children 3-6 years of age with asthma and /or rhinitis, living in Ribeirão Preto. Total IgE levels were significantly higher in children from Natal as compared to those among children in Ribeirão Preto (geometric mean 630,9 kU/L, range 19,6-63.290 kU/L; e 398,1 kU/L, range 35,7-4.803 kU/L, respectively). Among the 150 children from Natal, 52(34.6%) presented IgE positive to D.pteronyssinus; 70(46.6%) to B. tropicalis; 45(30%) to cockroach; 19 (12.6%) to cat; 17(11.3%) to dog; and 125(83.3%) to A. lumbricoides. Among the 54 children with asthma and /or rhinitis from Ribeirão Preto, 41(75.9%) had IgE positive to D.pteronyssinus; 34(62.9%) to B.tropicalis; 22(40.7%) to cockroach; 11(20.3%) to cat; 12(22.2%) to dog. Although these children were negative for parasites at inclusion in the study, 22(40.7%) had IgE to A.lumbricoides. IgE antibodies to A.lumbricoides were higher among children from Natal, as compared to IgE to inhalant allergens (p<0.01). IgE levels to D.pteronyssinus among children living in Ribeirão Preto were higher than IgE to other inhalants and A.lumbricoides (p<0.01). In Natal, the percentage of IgE to A.lumbricoides in relation to total IgE was higher in comparison to IgE to D.pteronyssinus e B.germanica (median 0.41%, 0.08%, and 0.04% respectively, p<0.01). In Ribeirão Preto, the percentage of IgE to D.pteronyssinus and to B.tropicalis in relation to total IgE was higher in comparison to IgE to A.lumbricoides and cockroach (median 9.8%, 0,6%, 0.3%, and 0.2%, respectively, p <0.05). Linear regression analysis revealed that the strongest association was for IgE to A.lumbricoides with total IgE in Natal (R²=0.56, p<0.01); significantassociation was also observed for IgE to mites with total IgE in Ribeirão Preto (R2=0.35, p<0.01 for D. pteronyssinus, R2=0.33, p<0.01 for B.tropicalis, respectively). Our results demonstrated that IgE antibodies to mites contribute strongly to total IgE among children with asthma and /or rhinitis, living in an area of low parasite infection rates in our country. On the contrary, among children living in an area where parasites are found in abundance, parasitic infections induce a strong polyclonal IgE response, and IgE antibodies specific for parasite, and also for mites, cockroaches, cat and dog represent a modest proportion of total IgE. The specificity of these IgE antibodies and the implications of this response occurring early in life remain unknown.
8

IgE para ácaros, barata e Ascaris lumbricoides: impacto na IgE total e implicações para o desenvolvimento de alergia e asma / IgE to mites, cockroach and Ascaris lumbricoides: impact on total IgE and implications for the development of allergy and asthma

Palhas, Priscila Botelho 17 May 2018 (has links)
A imunoglobulina E (IgE) tem papel central na patogênese das doenças alérgicas. É parte da resposta do tipo 2, e as citocinas IL-4 e IL-13 são essenciais para que haja produção deste isotipo de imunoglobulina. Produção de IgE é também induzida por parasitas intestinais, particularmente helmintos. O objetivo do presente estudo foi avaliar a contribuição de IgE específica para ácaros, barata, gato, cachorro e para o parasita Ascaris lumbricoides sobre os níveis de IgE total entre crianças de áreas distintas no Brasil. Anticorpos IgE para ácaros Dermatophagoides pteronyssinus e Blomia tropicalis; barata Blattella germanica; gato; cachorro; e A. lumbricoides foram medidos usando o sistema ImmunoCAP, e comparados à IgE total no soro de 150 crianças de 3-6 anos de idade vivendo na cidade de Natal, endêmica para parasitoses intestinais, e de 54 crianças de 3-6 anos de idade com asma e/ou rinite, vivendo em Ribeirão Preto. Níveis de IgE total foram significantemente mais elevados em crianças de Natal quando comparados aqueles em crianças de Ribeirão Preto (média geométrica 630,9 kU/L, faixa 19,6-63.290 kU/L; e 398,1 kU/L, faixa 35,7-4.803 kU/L, respectivamente). Entre as 150 crianças de Natal, 52(34,6%) apresentaram IgE positiva para D.pteronyssinus; 70(46,6%) para B.tropicalis; 45(30%) para barata; 19(12,6%) para gato; 17(11,3%) para cachorro; e 125(83,3%) para A.lumbricoides. Entre as 54 crianças com asma e/ou rinite de Ribeirão Preto, 41(75,9%) apresentaram IgE positiva para D.pteronyssinus; 34(62,9%) para B.tropicalis; 22(40,7%) para barata; 11(20,3%) para gato; 12(22,2%) para cachorro. Embora estas crianças fossem negativas para parasitas à inclusão no estudo, 22(40,7%) tinham IgE para A.lumbricoides. Anticorpos IgE para A. lumbricoides foram mais elevados entre crianças de Natal, quando comparados a IgE para alérgenos inalantes (p<0,01). Níveis de IgE para D. pteronyssinus entre crianças de Ribeirão Preto foram mais altos que IgE para outros inalantes e A.lumbricoides (p<0,01). Em Natal, a porcentagem de IgE para A. lumbricoides em relação à IgE total foi maior em comparação a IgE para D.pteronyssinus e B.germanica (mediana 0,41%; 0,08%; e 0,04% respectivamente, p<0,01). Em Ribeirão Preto, a porcentagem de IgE para D.pteronyssinus e para B.tropicalis em relação à IgE total foi maiorem comparação a IgE para A.lumbricoides e barata (mediana 9,8%; 0,6%; 0,3%; e 0,2%, respectivamente, p<0,05). Regressão linear revelou que a associação mais forte foi para IgE para A.lumbricoides com IgE total em Natal (R²=0,56; p<0,01); associação significante foi também observada para IgE para ácaros com IgE total em Ribeirão Preto (R2=0,35; p<0,01 para D.pteronyssinus; R2=0,33; p<0,01 para B.tropicalis, respectivamente). Nossos resultados demonstraram que anticorpos IgE para ácaros contribuem fortemente para a IgE total entre crianças com asma e/ou rinite, vivendo em uma área de baixa taxa de infecções parasitárias em nosso meio. Por outro lado, entre crianças vivendo em uma área em que parasitas são encontrados em abundância, infecções parasitárias induzem uma forte resposta IgE policlonal, e anticorpos IgE específicos para parasita, além de ácaros, barata, gato e cachorro representam uma modesta proporção da IgE total. A especificidade desta IgE, e os efeitos a longo prazo desta resposta cedo na vida, permanecem desconhecidos. / Immunoglobulin E (IgE) plays a central role in the pathogenesis of allergic diseases. It is part of the type 2 response, and the cytokines IL-4 and IL-13 are essential for the production of this immunoglobulin isotype. IgE production is also induced by intestinal parasites, particularly helminths. The aim of the present study was to evaluate the contribution of specific IgE to mites, cockroach, cat, dog and parasite Ascaris lumbricoides on total IgE levels among children living in different areas in Brazil. IgE antibodies to mites Dermatophagoides pteronyssinus and Blomia tropicalis; cockroach Blattella germanica; cat; dog; and A. lumbricoides were measured using the ImmunoCAP system and compared to total serum IgE of 150 children 3-6 year-old living in the city of Natal, endemic for intestinal parasites, and 54 children 3-6 years of age with asthma and /or rhinitis, living in Ribeirão Preto. Total IgE levels were significantly higher in children from Natal as compared to those among children in Ribeirão Preto (geometric mean 630,9 kU/L, range 19,6-63.290 kU/L; e 398,1 kU/L, range 35,7-4.803 kU/L, respectively). Among the 150 children from Natal, 52(34.6%) presented IgE positive to D.pteronyssinus; 70(46.6%) to B. tropicalis; 45(30%) to cockroach; 19 (12.6%) to cat; 17(11.3%) to dog; and 125(83.3%) to A. lumbricoides. Among the 54 children with asthma and /or rhinitis from Ribeirão Preto, 41(75.9%) had IgE positive to D.pteronyssinus; 34(62.9%) to B.tropicalis; 22(40.7%) to cockroach; 11(20.3%) to cat; 12(22.2%) to dog. Although these children were negative for parasites at inclusion in the study, 22(40.7%) had IgE to A.lumbricoides. IgE antibodies to A.lumbricoides were higher among children from Natal, as compared to IgE to inhalant allergens (p<0.01). IgE levels to D.pteronyssinus among children living in Ribeirão Preto were higher than IgE to other inhalants and A.lumbricoides (p<0.01). In Natal, the percentage of IgE to A.lumbricoides in relation to total IgE was higher in comparison to IgE to D.pteronyssinus e B.germanica (median 0.41%, 0.08%, and 0.04% respectively, p<0.01). In Ribeirão Preto, the percentage of IgE to D.pteronyssinus and to B.tropicalis in relation to total IgE was higher in comparison to IgE to A.lumbricoides and cockroach (median 9.8%, 0,6%, 0.3%, and 0.2%, respectively, p <0.05). Linear regression analysis revealed that the strongest association was for IgE to A.lumbricoides with total IgE in Natal (R²=0.56, p<0.01); significantassociation was also observed for IgE to mites with total IgE in Ribeirão Preto (R2=0.35, p<0.01 for D. pteronyssinus, R2=0.33, p<0.01 for B.tropicalis, respectively). Our results demonstrated that IgE antibodies to mites contribute strongly to total IgE among children with asthma and /or rhinitis, living in an area of low parasite infection rates in our country. On the contrary, among children living in an area where parasites are found in abundance, parasitic infections induce a strong polyclonal IgE response, and IgE antibodies specific for parasite, and also for mites, cockroaches, cat and dog represent a modest proportion of total IgE. The specificity of these IgE antibodies and the implications of this response occurring early in life remain unknown.
9

Aspects of in vitro cultivation of the parasitic intestinal nematode Ascarus lumbricoides var. suum

Kalisz, Walter R. 03 June 2011 (has links)
Ball State University LibrariesLibrary services and resources for knowledge buildingMasters ThesesThere is no abstract available for this thesis.
10

Helmintos, protozoarios e algumas ideias: novas perspectivas na paleoparasitologia

Goncalves, Marcelo Luiz Carvalho. January 2002 (has links) (PDF)
Doutor -- Escola Nacional de Saude Publica, Rio de Janeiro, 2002.

Page generated in 0.0824 seconds