• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 80
  • 1
  • Tagged with
  • 81
  • 81
  • 28
  • 26
  • 21
  • 17
  • 16
  • 15
  • 14
  • 14
  • 13
  • 13
  • 12
  • 12
  • 11
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

Aspectos clínicos, epidemiológicos e laboratoriais da Leishmaniose tegumentar americana em hospital de referência de Teresina, Piauí

Almeida Neto, Walfrido Salmito de January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-15T12:58:15Z (GMT). No. of bitstreams: 2 walfrido_neto_ioc_mest_2015.pdf: 3256765 bytes, checksum: f963b0142dbc1e15dd0c61bbc2f7e663 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 / Universidade Federal do Piauí. Teresina,PI, Brasil / INTRODUÇÃO: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença infecciosa, não contagiosa, reconhecida pela OMS no grupo das doenças negligenciadas causada por diferentes espécies de protozoários do gênero Leishmania spp., que acomete pele e mucosas. OBJETIVOS: O trabalho objetiva descrever aspectos clínicos, epidemiológicos e laboratoriais dos casos de LTA atendidos no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella (IDTNP) em Teresina, Piauí entre 2007 e 2014. A casuística apresentada corresponde a cerca de 50% de todos os casos piauienses de LTA no período de 2007 a 2014. Os demais foram notificados em outros serviços de saúde. MÉTODO: Foi realizado um estudo do tipo série de casos, sendo os dados obtidos através de formulário do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). RESULTADOS: Observou-se que o hospital atende uma média de 85 casos por ano, com registro de picos superiores a 100 casos/ano em 2007, 2011 e 2014. Entre os 676 casos, 463 (68,5%) foram autóctones do Piauí, 182 (26,9%) procedentes do Maranhão e 27 (4%) do Pará. No Piauí, os municípios que apresentaram maior casuística foram Teresina 260 (56,15%) e Altos 17 (3,67%). Em Teresina os bairros com maior número de casos foram: Santa Teresa 23 (8,8%) e Santa Maria da Codipi 11 (4,2%). Do total de atendidos no IDTNP, 240 (35,5%) eram do gênero feminino e 436 (64,5%) eram do gênero masculino. A média de idade das pessoas com LTA foi 43,9 ± 20,7 anos. A distribuição por faixa etária mostrou: 0 a 4 anos 20 (3%), 5 a 12 anos 27 (4%), 13 a 17 anos 34 (5%),18 a 30 anos 111 (16,4%), 31 a 50 anos 228 (33,7%), 51 a 65 anos 142 (21%), maior de 65 anos 114 (16,9%). A coinfecção com o HIV foi documentada em 20 (3%) dos pacientes Dentre os 676 casos, cerca de 615 (91%) foram confirmados por critérios laboratoriais e 282 (46%) tiveram apenas a intradermorreação de Montenegro positiva. O histopatológico mostrou lesões compatíveis com LTA, porém sem a visualização do parasita, sendo mais frequente nos casos da forma mucosa 63 do total de 77 (81,8%), nos casos de forma cutânea 144 dos 245 casos (58,8%). O tratamento com antimonial pentavalente foi aplicado em 511 (75,6%), 116 (17,2%) com anfotericina B e apenas 1 (0,1%) com pentamidina. Entre os casos, 570 (84,3%) tinham a forma cutânea e 106 (15,7%) tinham a forma mucosa da doença. Dos casos com comprometimento de mucosa, 24 (22,6%) apresentavam cicatrizes cutâneas. Entre os pacientes com a forma cutânea, 451 (79,1%) foram tratados com antimonial pentavalente e 79 (13,9%) com anfotericina B, entre as formas mucosas 43 (56,6%) foram tratados com antimoniais pentavalente e 27 (34,9%) com anfotericina B. O modelo multivariado demonstrou que a forma mucosa se associa a residir no Pará (OR = 5,43; IC 95% = 2,34 \2013 12,59), residir no Maranhão, (OR = 2,70; IC 95% = 1,72 \2013 4,25) e ter mais de 50 anos (OR = 1,94; IC 95% = 1,25 \2013 2,97). O gênero feminino apresentou apenas tendência a proteger do comprometimento da forma mucosa (OR = 0,64; IC 95% = 0,39 \2013 1,03). CONCLUSÕES: Conclui-se que a LTA vem sendo cada vez mais diagnosticada em Teresina e demais municípios do Piauí, em indivíduos do gênero masculino, sendo a forma mucosa identificada em níveis superiores à média nacional / The American Cutaneous Leishmaniasis (ACL) is an infectious disease, not contagious, recognized by WHO in the group of neglected diseases caused by different species of protozoa of the genus Leishmania, which affects the skin and mucous membranes. OBJECTIVES: The paper aims to describe the clinical, epidemiological and laboratory cases of ACL treated at a referral center in Teresina-Piauí between 2007 and 2014. The case presented corresponds to about 50% cases of ACL in Piaui during the period 2007 to 2014, others were reported in other health services. METHOD: A study of case series, and data obtained form the National Notifiable Diseases System (SINAN) was performed. RESULTS: It was observed that the hospital serves an average of 85 cases per year, with record peaks above 100 cases / year in 2007, 2011 and 2014. Among the 676 cases 463 (68.5%) were native of Piauí, 182 (26.9%) coming from Maranhão and 27 (4%) of Para. In Piaui, the municipalities that had larger samples were Teresina 260 (56.15%) and Altos 17 (3.67%). Teresina in the districts with the highest number of cases were: Santa Teresa 23 (8.8%) and Santa Maria da Codipi 11 (4.2%). Of the total, 240 (35.5%) were female and 436 (64.5%) were male. The average age of people with ACL was 43.9 ± 20.7 years. The age distribution showed: 0-4 years 20 (3%), 5-12 years 27 (4%), 13-17 years 34 (5%), 18-30 years 111 (16.4 %), 31-50 years 228 (33.7%), 51 to 65 142 (21%), greater than 65 114 (16.9%). Co-infection with HIV has been reported in 20 (3%) patients. Among the 676 cases, about 615 (91%) were confirmed by laboratory criteria, 282 (46%) had the only positive Montenegro's reaction Histopathological showed injuries consistent with ACL, but without viewing the parasite, most frequently in cases of mucosal form 63/77 (81.8%) than in cutaneous cases 144/245 (58.8%). The treatment with antimonial was applied in 511 (75.6%), 116 (17.2%) with amphotericin B, and only 1 (0.1%) with pentamidine. Among the cases 570 (84.3%) had the cutaneous form and 106 (15.7%) had the mucosal form of the disease. Part of cases with mucosal involvement, 24 (22.6%) had cutaneous scars. Among patients with cutaneous 451 (79.1%) were treated with antimonials, and 79 (13.9%) with amphotericin B, between the mucosal forms 56.6% were treated with antimonials and 34, 9% with amphotericin B. The multivariate model showed that the shape mucosa associated to reside in Pará (OR = 5.43; 95% CI = 2.34 to 12.59), reside in Maranhão (OR = 2, 70; 95% CI = 1.72 to 4.25) and have more than 50 years (OR = 1.94; 95% CI = 1.25 to 2.97). The females showed only tendency to protect the impaired mucosal form (OR = 0.64; 95% CI = 0.39 to 1.03). CONCLUSIONS: We conclude that the LTA has been increasingly diagnosed in Teresina and other cities of Piauí, in male subjects, the mucosal form identified at levels above the national average
12

Estudo da soroprevalência do Toxoplasma gondii Nicolle e Manceaux, 1909 em um distrito sanitário no município de Angra dos Reis, Rio de Janeiro aspectos epidemiológicos

Souza, Thais Silva de January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-05-11T12:57:47Z (GMT). No. of bitstreams: 2 thais_souza_ioc_mest_2014.pdf: 1397984 bytes, checksum: 4efc283bdf7ad7d0f355a158852d5702 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Introdução: A toxoplasmose é uma zoonose de distribuição mundial e acomete animais das mais variadas espécies, inclusive o homem. Os casos de toxoplasmose em seres humanos e animais frequentemente não são relatados. Isto pode se dá pelo fato da infecção caracterizar-se por ser assintomática em 90% dos casos humanos e quando sintomáticas estes não apresentam sintomas patognomônicos. Desta maneira, existem dificuldades na caracterização clínica desta patologia sendo necessária a confirmação laboratorial e posterior notificação. Sendo assim, este estudo teve como objetivo verificar a soroprevalência da infecção por Toxoplasma gondii numa população do Município de Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. O estudo teve início a partir de uma demanda da Secretaria Municipal de Saúde de Angra dos Reis \2013 Núcleo de Vigilância Epidemiológica, que no primeiro trimestre de 2012 havia identificado a presença de 22 casos de Toxoplasmose em um dos cinco distritos sanitários do município. Material e Métodos: Anticorpos IgM e IgG anti-Toxoplasma gondii foram pesquisados, por meio da RIFI e ELISA, em 384 indivíduos residentes do 3º distrito onde havia ocorrido a maioria dos casos. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do IOC/Fiocruz. Após serem esclarecidos sobre o projeto e assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, os participantes da pesquisa responderam a um questionário epidemiológico e em seguida foram coletadas amostras de sangue dos mesmos para a sorologia Todos os participantes foram avaliados por um médico infectologista. Resultados: Na comparação dos resultados obtidos pelos testes ELISA e RIFI, obteve-se um Kappa para IgG de 48,9%, o que indicava concordância regular. Desde modo optou-se por utilizar os resultados de ELISA por ser o mais utilizado nos laboratórios de análise clínica. Das 384 amostras analisadas por meio do ELISA, observou-se uma frequencia de 69,0% de sororreagentes na região. Destes, 22 (5,72%) foram IgM reagentes em ELISA e todos foram IgM não reagentes na RIFI. Destes 22, 7 (31,82%) apresentavam clínica sugestiva de toxoplasmose no momento da primeira coleta. Enquanto para IgG foi verificado 265 (69,0%) reagentes. O teste de Avidez de IgG, foi realizado em sete (31,82%) amostras IgM reagentes, sendo encontrada alta avidez de IgG em duas (28,57%) amostras, avidez intermediária em duas (28,57%) e baixa avidez em três (42,86%). Pela análise das respostas dos indivíduos entrevistados, não foram verificadas diferenças significativas entre as variáveis faixa etária, nível de escolaridade, conhecimento da infecção, consumo de água não tratada, hábitos e comportamentos alimentares, como ingestão de leite cru, ingestão de carne crua ou mal cozidas, embutidos crus e vegetais crus, contato com gatos, destino do lixo Foi observado significância estatística no que se refere a presença de roedores na residência, demostrando a possibilidade de ingestão de oocistos carreados por esses. Discussão/Conclusão: Foram identificados pelo menos 3 casos de toxoplasmose adquirida na fase aguda e recente da infecção, sendo que um deles não apresentava sintomatologia sugestiva da doença. Suscitando a necessidade de outros estudos do meio ambiente e dos animais da mesma região / Toxoplasmosis is a zoonosis of worldwide distribution, affecting animals of different species, including man. Human and animals cases of toxoplasmosis are often not reported. This happens because the infection is asymptomatic in almost 90% of the human cases and when it is symptomatic there are no presence of pathognomonic symptoms. Thus, there are difficulties in the clinical characterization of this pathology, laboratory confirmation and further notification is required. Therefore, this study aimed to determine the seroprevalence of Toxoplasma gondii infection in a population from Angra dos Reis municipality in the state of Rio de Janeiro. The study begins following a request made by the Municipal Health Secretary of Angra dos Reis - Center for Epidemiological Surveillance, in the first quarter of 2012, when they identified the presence of 22 cases of toxoplasmosis in one of five health districts in the county. IgM and IgG anti-Toxoplasma gondii were investigated by means of IFAT and ELISA in 384 individuals living in the 3rd district which most of the cases had occurred. The project was approved by the Ethics Committee. After being informed about the project and signed an informed consent, survey participants answered an epidemiological questionnaire and then blood samples were collected. All participants were evaluated by an infectious disease physician. Comparing the results obtained by ELISA and IFA tests, a Kappa for IgG of 48.9% was obtained, which indicated fair agreement between them. So we agree to use the results of ELISA, because this is the most common used test in clinical analysis laboratories. Of the 384 samples tested, we found a frequency of 72.39% seropositive individuals in the study region. 22 (5.72%) were IgM ELISA reagents and all were IgM non-reactive by IFAT. From these individuals, 22, 7 (31.82%) had suggestive symptoms of toxoplasmosis at the time of the first collection. While,IgG was found in 265 (69.0%) participants. The IgG avidity test was performed in ten (45.45%) IgM reactive samples, high IgG avidity was found in three (30%) of them, intermediate avidity in four (40%) and low avidity in three (30 %). Analyzing the responses of the questionnaire, no significant differences between the variables age, level of education, knowledge of infection, consumption of untreated water, eating habits and behaviors such as drinking raw milk, eating raw or undercooked meat cooked, raw sausages and raw vegetables, contact with cats and garbage disposal were verified. Statistical significance was observed with regard to the presence of the rodents in the residence, demonstrating the possibility of ingestion of oocysts. We identified at least three cases of acquired toxoplasmosis in acute and recent phase of infection, one of whom had no symptoms suggesting disease, indicating the need for further studies involving animals and their environment, in the same region. / 2100-04-26
13

Vinte anos de atividade dos vírus dengue tipo 2 no Brasil: caracterização molecular e filogenia de cepas isoladas de 1990-2010

Faria, Nieli Rodrigues da Costa January 2010 (has links)
Submitted by Anderson Silva (avargas@icict.fiocruz.br) on 2012-03-26T18:51:42Z No. of bitstreams: 1 nieli_rc_faria_ioc_mt_0004_2010.pdf: 2864802 bytes, checksum: c145add19e57c3ab4fb2c9dd01632d8e (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-26T18:51:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 nieli_rc_faria_ioc_mt_0004_2010.pdf: 2864802 bytes, checksum: c145add19e57c3ab4fb2c9dd01632d8e (MD5) Previous issue date: 2010 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz / A epidemiologia do dengue mudou dramaticamente nos últimos 50 anos, especialmente nas regiões tropicais do mundo. No Brasil, o dengue tem sido um problema de saúde pública desde a sua introdução nos anos 80. Estudos filogenéticos constituem uma ferramenta importante para monitor a introdução e a dispersão dos vírus, assim como predizer as potenciais conseqüências epidemiológicas destes eventos. Com o objetivo de realizar a caracterização molecular e análise filogenética de cepas de DENV-2 isoladas no país durante vinte anos de circulação viral, cepas isoladas de pacientes infectados e apresentando diferentes manifestações clínicas (n=34), representantes de seis estados do país (RJ, ES, BA, RN, CE e RS), do período compreendido entre 1990 e 2010 foram seqüenciadas. Em 25 cepas foi realizado o sequenciamento dos genes C/prM/M/E e em 9 foi realizado o sequenciamento completo do genoma (região codificante). A análise da similaridade entre os DENV-2 com cepas de referência identificou a formação de dois grupos epidemiologicamente distintos: um formado por cepas isoladas entre os anos de 1990 a 2003 e outro por cepas entre 2007 e 2010. Todas as cepas analisadas neste estudo possuem uma asparagina (N) em E390, previamente caracterizada como um provável determinante genético desencadeador de FHD detectado em cepas de origem asiática. Não foram observadas diferenças consistentes entre as seqüências dos genes codificantes das cepas dos diferentes casos clínicos de dengue, sugerindo que a gravidade da doença seja multifatorial e que, não se deve apenas as diferenças observadas no genoma viral. Os resultados obtidos referentes à caracterização do genoma completo dos DENV-2 de diferentes casos clínicos não apontaram diferenças consistentes que pudessem estar associadas a um quadro mais grave da doença. Sugere- se, porém, que a ocorrência de infecção secundária tenha sido um fator de risco ao desenvolvimento dos casos graves e fatais. A análise filogenética baseada no sequenciamento parcial ou completo do genoma caracterizou DENV-2 como pertencentes ao genótipo do Sudeste Asiático, porém com uma segregação em duas linhagens distintas sustentada por um “bootstrap” de 100%. A análise filogenética independente de cada gene sugeriu com um suporte de “bootstrap” de 100% que todos os genes estruturais (C, prM/M e E) e não–estruturais (NS1, NS2A, NS2B, NS3, NS4A, NS4B e NS5) podem ser utilizados para a genotipagem dos DENV-2. Contudo, a árvore filogenética baseada na análise de prM/M foi incapaz de discriminar corretamente a segregação do genótipo do Sudeste Asiático nas duas linhagens distintas. Ficou caracterizado que as cepas do período pré-emergência (1990-2003) pertencem ao genótipo do Sudeste Asiático, Linhagem I e as cepas isoladas após a re-emergência deste sorotipo em 2007, pertencem ao genótipo Sudeste Asiático, Linhagem II. O percentual de similaridade destas cepas com a cepa isolada na República Dominicana em 2001 combinado ao percentual de divergência com as cepas introduzidas no país na década de 90 sugere que estes vírus não sofreram uma evolução local, e sim uma introdução no país de uma linhagem viral distinta provavelmente importada do Caribe. / Dengue epidemiology has changed dramatically in the last 50 years, especially in the tropical regions of the world. In Brazil, dengue has been a major public health problem since its introduction in the 80`s. Phylogenetic studies constitute an valuable tool to monitor the introduction and spread of viruses as well as to predict the potential epidemiological consequences of such events. Aiming to perform the molecular characterization and phylogenetic analysis of DENV-2 during twenty years of viral activity in the country, viral strains isolated from patients presenting different disease manifestations (n=34), representing six states of the country (RJ, ES, BA, RN, CE e RS), from 1990 to 2010 were sequenced. Partial genome sequencing (genes C/prM/M/E) was performed in 25 DENV-2 strains and full-length genome sequencing (coding region) was performed in 9 strains. The percentage of similarity among the DENV-2 strains in this study and reference strains available in Genbank identified two groups epidemiologically distinct: one represented by strains isolated from 1990 to 2003 and one from strains isolated from 2007 to 2010. All DENV-2 strains analyzed in this study presented an aspargin (N) in E390, previously identified as a probable genetic marker of virulence observed in DHF strains from Asian origin. No consistent differences were observed on coding region from the different clinical manifestations analyzed, suggesting that if the disease severity has multifactorial, it is not only due to the differences observed on genome region viral. The results obtained by the DENV-2 full-length genome sequencing did not point out consistent differences related to a more severe disease either. However, it is suggested that secondary infections may be implicated as a risk factor for a more severe disease and fatal outcome. Phylogenetic analysis based on the partial or complete genome sequencing has characterized the brazilian DENV-2 from this study as belonging to the Southeast Asian genotype, however a distinction of two clades within this genotype has been identified and supported by a bootstrap of 100%. The phylogeny based on the analysis of individual genes suggested with a bootstrap of 100% that all structural (C, prM/M and E) and non- structural genes (NS1, NS2A, NS2B, NS3, NS4A, NS4B and NS5) may be used for DENV-2 genotyping. However, the phylogenetic tree generated from the analysis of the prM/M gene was unable to correctly discriminate the two clades observed for the Southeast Asian genotype. It was established that strains circulating prior DENV-2 emergence (1990-2003) belong to Southeast Asian genotype, clade I and strains isoladed after DENV-2 emergence in 2007 belong to Southeast Asiant genotype, clade II. The percentage of identity of the latter with the Dominican Republic strain isolated in 2001 combined to the percentage of divergence with the strains first introduced in the country in the 90 ́s suggests that those viruses did not evolved locally but were due to a new viral clade introduction in the country from the Caribbean.
14

Tuberculose no Complexo de Manguinhos: estudo dos casos atendidos no Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria de 2007 a 2009.

Silveira, Riany da Silva January 2011 (has links)
Submitted by Anderson Silva (avargas@icict.fiocruz.br) on 2012-03-29T17:11:23Z No. of bitstreams: 1 ryany_s_silveira_ioc_mt_0014_2011.pdf: 754334 bytes, checksum: e99ce7412c65fc9d69025635c79fb18e (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-29T17:11:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 ryany_s_silveira_ioc_mt_0014_2011.pdf: 754334 bytes, checksum: e99ce7412c65fc9d69025635c79fb18e (MD5) Previous issue date: 2011-03-15 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. / Este estudo teve como objetivo descrever dados epidemiológicos e laboratoriais relacionados aos casos de tuberculose diagnosticados no Complexo de Manguinhos no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2009. A metodologia utilizada foi a análise de dados obtidos a partir dos livros de registro e de prontuários de casos de tuberculose atendidos no Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria. Foram notificados 300 casos de tuberculose nas comunidades do Complexo de Manguinhos entre 2007 e 2009. Observou-se que 191 dos 280 casos pulmonares (67,5%; IC 95% = 61,7% - 73%) apresentaram baciloscopia positiva, sendo classificados como bacilíferos. Dos 300 casos, 153 (51,9%; IC 95% = 46% - 57,7%) foram submetidos à sorologia para o HIV e, destes, 27 (17,6%) apresentaram resultado positivo. Entre os casos pulmonares, 225 foram submetidos à cultura de escarro, sendo identificado M. tuberculosis resistente a rifampicina e isoniazida em dois pacientes (1,2%; IC 95% - 0,1% - 4,3%) caracterizando-se, portanto, a tuberculose multirresistente. Os casos notificados do sexo feminino (mediana = 27 anos; IIQ = 22 a 39 anos) foram significativamente mais jovens do que aqueles do sexo masculino (mediana = 34 anos; IIQ = 23 – 45 anos) (p = 0,003). As taxas de incidência atingiram valores de 220 a 343 casos novos / 100.000 habitantes / ano em 2008 e de 218 a 340 casos novos / 100.000 habitantes / ano em 2009. Entre os casos notificados, 280 (93,3%) tinham a forma pulmonar e um (0,3%) a forma pulmonar miliar. Quinze pacientes tinham a forma extrapulmonar, sendo sete (2,4%) com tuberculose pleural, cinco (1,7%) com tuberculose ganglionar e um com tuberculose óssea (0,3%). Com relação à cultura de escarro para identificação de micobactérias, 231 pacientes (77%) foram submetidos ao exame; a cultura foi positiva em 189 pacientes que a realizaram (81,8%). As micobactérias isoladas foram M. tuberculosis (n = 174; 94,1%), M. avium (n = 2; 1,1%), M. fortuitum (n = 1; 0,5%), M. kansasii (n = 1; 0,5%) e M. scrofulaceum (n = 1; 0,5%). O encerramento dos casos se deu por abandono do tratamento em 106 pacientes (35,8%). Observou-se que os pacientes que abandonaram o tratamento eram significativamente mais jovens e mais frequentemente do sexo masculino. A taxa de cura (comprovada ou não por baciloscopia) foi de 52%. O estudo conclui que a tuberculose representa ainda um problema prioritário no Complexo de Manguinhos, com taxas de incidência anuais 4,7 a 5,3 vezes superiores àquelas observadas no Brasil. De acordo com as metas da OMS, alguns indicadores ainda estão em patamares insatisfatórios, como a taxa de cura e a proporção de indivíduos testados para o HIV. A alta taxa de abandono de tratamento aponta para a necessidade urgente de aperfeiçoamento da estratégia de tratamento diretamente observado. A proporção de indivíduos em que se detectou tuberculose multirressistente foi semelhante àquela observada em nível nacional e apresentada no II Inquérito Nacional de Resistência aos fármacos Anti-TB. / This study aims to describe the epidemiological and laboratorial picture of tuberculosis in Complexo de Manguinhos, the urban slums surrounding Fiocruz, from 2007-2009. We carried out a descriptive study based on a tuberculosis case series through the data gathering from logbooks and patient registries. A total of 300 cases were reported; 190 (63.7%) males and 110 (36.7%) females. We observed that: i) 191 (67,5%; IC 95% = 61,7% - 73%) cases were sputum smear positive; ii) 153 cases (51,9%; IC 95% = 46% - 57,7%) were tested to HIV, 17.6% (n=27) proving positive; iii) Females were significantly younger (median = 27 years; interquartilic range = 22 - 39 years) than males (median = 34 years; interquartilic range = 23 – 45 years) (p = 0.003); iv) Among reported cases, 280 (93.3%) had pulmonary tuberculosis and one (0.3%) the miliary pulmonary form. Seven patients (2.4%) had pleural tuberculosis, five (1.7%) had lymphatic tuberculosis, and one person (0.3%) had osteoarticular disease; v) Noncompliance to the treatment was reported in 106 patients (35.8%); vi) Noncompliant patients were younger and more frequently males, vii) Drug resistance was noticed in 16.4% of tested isolated pathogens, more frequently to streptomycin (20 isolates); viii) among pulmonary cases, two (1,2%; IC 95% - 0,1% - 4,3%) were multidrug-resistant tuberculosis (resistance to, at least, isoniazid and rifampicin), ix) incidence rates reached 220-343 / 100.000 / year in 2008 and 218-340 / 100.000 / year in 2009, x) treatment success rate among sputum smear positive cases was 52% and 106 patients (35.8%) did not adhere to treatment. We concluded that: i) incidence rates in the studied area are 4.7 to 5.3 times higher than Brazilian national incidence rates, ii) tuberculosis control remains a priority in Complexo de Manguinhos, iii) many major targets stablished by the World Health Organization were not achieved, iv) the proportion of multidrug-resistant tuberculosis was similar to the rate reported by the II National Survey on TB drug resistence.
15

Estudo da diversidade genética do HIV-1 em indivíduos soropositivos do Rio de Janeiro com diferentes perfis de progressão para a Aids

Leite, Thaysse Cristina Neiva Ferreira January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2015-10-21T12:19:31Z (GMT). No. of bitstreams: 2 thaysse_leite_ioc_mest_2012.pdf: 7565112 bytes, checksum: ca76c2180dbd28697c61c22419476ef0 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015-05-21 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / A infecção pelo HIV-1 écaracterizada por um período assintomático extremamente variável entre os indivíduos, o que permitiu a descrição de diferentes perfis de progressão para aids, os quais tem sido associados a características específicas do hospedeiro e/ou do vírus, tal como o subtipo viral. Diante do exposto, como o Rio de Janeiro apresenta uma cocirculação dos subtipos B, F1, recombinantes BF1, além da variante B\201Ddo subtipo B, e háum suporte do governo quanto a realização dos exames de rotina, o que permite o monitoramento dos pacientes HIV-1 positivos, foi possível a caracterização desses quanto ao perfil de progressão para aids. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar a associação dos subtipos de HIV-1 circulantes no Rio de Janeiro com os distintos perfis de progressão e analisar em um subconjunto de pacientes a mudança do uso do correceptor de entrada utilizado pelo vírus em dois momentos distintos da infecção, antes e após a progressão. A casuística deste estudo foi composta por pacientes HIV-1 positivos que de acordo com seu acompanhamento clínico foram classificados nos distintos perfis de progressão para aids: Progressores Rápidos (PR \2013 progressão em até3 anos), Progressores Intermediários (PI - progridem a partir de 4 anos de infecção) e Não progressores de longo termo (LTNP - mais de 10 anos de infecção sem progressão). A subtipagem das amostras foi realizada a partir da região C2-V3 da gp120 do envelope viral através da análise filogenética pelo método Neighbor-Joining com modelo de substituição de Tamura-Nei, utilizando-se o programa Mega e análise de recombinação pelo método de boostcan do programa Simplot Das 486 amostras classificadas quanto ao seu perfil de progressão, 285 eram PI, 179 PR e 22 LTNP. Destas, 238 foram caracterizadas quanto ao subtipo, sendo 84,5% pertencentes ao subtipo B (destes 28,9% B\201D); 9,2% F1; 3,4% C; 1,3% D; 1,3% BF1 e 0,4% CRF01_AE, esta distribuição concorda com a descrita em estudos prévios com indivíduos do Rio de Janeiro. Dos 92 PR, 54,3% foram caracterizados como B, 22,8% B\201D, 12% F1, 4,3% C, 3,3%D, 1,1% AE e 2,2% BF1. Dos 131 PI, 64,1% pertenciam ao subtipo B, 24,4% B\201D, 7,6% F1, 3,1% C e 0,8% BF1. Dos 15 LTNP, 60% foram B, 33,3% B\201De 6,7% F1. Nossos achados apontam para uma maior porcentagem do subtipo F1 em PR, porém sem significância estatística. Contrapondo-se a outros estudos prévios, não foi verificada associação entre progressão mais lenta e a variante B\201D. As análises de predição do uso do correceptor foram realizadas para 29 indivíduos. A maior parte dos indivíduos caracterizados como subtipos B, B\201De F1 apresentou a form a viral R5 em ambos momentos estudados, no entanto uma alta proporção de vírus X4 (42,9%) foi detectada em indivíduos classificados como B\201D, fato que corrobora a ausência de associação da variante B\201Dcom a progressão mais lenta. No seu conjunto, os resultados deste trabalho reforçam a necessidade de melhor se compreender características virais que possam apontar marcadores de prognóstico para a aids / The HIV - 1 infection is characterized by an asymptomatic period highly variable among the in dividuos leading to a description of different profiles to aids progression , which have been associated with specific characteristics of the host and/or virus, such as viral subtype. Given the above, as Rio de Janeiro city has a a co - circulation of subtype s B, F1, BF1 recombinants in addition to B ” variant of subtype B, and there is a government support for routine exames allowing a good clinical follow up of the HIV - 1 infected patients, it was possible to characterize them in the distinct aids progression profiles. Therefore , this study aimed to evaluate the association between HIV - 1 subtypes circulating in Rio de Janeiro with distinct progression profiles and analyse the shift of the use of the correceptor used by virus in a subset of patients at two diff erents periods of infection, before and after progression. The subjects of this study consisted of HIV - 1 seropositives which were classified according to their profile progression: rapid progressors (RP – less than to 3 years to aids progression), intermed iate progressors (IP – progression after 4 years of infection), and long - term non - progressors (LTNP - more than 10 years of infection without progression). The samples subtyping was performed based on the C2 - V3 region of gp120 of the envelope viral by usi ng Neighbor - Joining phylogenetic inferences with Tamura - Nei substituition model, in Mega program and recombination analysis b y bootscan method i n Simplot. From 486 classified samples, 285 were as IP, 179 as RP and 22 as LTNP. From those, 238 were subtype c haracterized , being 84.5% B (28.9% B"); 9.2% F1, 3.4 % C, 1.3% A, 1.3% and 0.4% CRF01_AE BF1, this distribution goes in agreement with those reported in previous studies with individuals from Rio de Janeiro. From those 92 characterized as RP, 54.3% were cl assified as B, 22.8% B ", 12% F1, 4.3% C 3.3% D 1.1% and 2.2% AE BF1. From those 131 IP, 64.1% classified as B, 24.4% B ” , 7.6% F1, 3.1% C and 0.8% BF1. From those 15 LTNP, 60% were B, 33.3% B ” and 6.7% F1. Our findings depicted a higher percentage of sub - s ubtype F1 in RP, even thought no statistical significance was observed. Distinct to the previous studies, no association between slower progression and variant B" was verified . The coreceptor predition analisys were performed for 29 patients . Most individu als characterized as subtypes B, B ” and F1 presented R5 viral form in both periods, however, a high proportion (42,9%) of X4 virus was detected in individuals classified as B ” , fact consistent with no association among var iant B ” and slower progression. Ta ken together, our results shows the necessity of better understanding the viral characteristics that may reinforce prognostic markers for aids.
16

Análise filogenética dos genes que codificam para proteínas estruturais e não estruturais de rotavírus a detectados na região norte do Brasil, antes e após a introdução da vacina Rotarix®

Farias, Yasmin Nascimento January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2015-11-18T13:20:35Z (GMT). No. of bitstreams: 2 yasmin_farias_ioc_mest_2013.pdf: 2570192 bytes, checksum: 08f3d8b50b732ac0d3d33ed27c715211 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015-04-14 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Os rotavírus da espécie A (RVA) são os principais responsáveis pela gastroenterite aguda (GA) em diversas espécies animais. Em humanos, as crianças \2264 5 anos de idade são as mais afetadas. Cerca de 453.000 mortes infantis são causadas pela infecção por RVA, anualmente. Devido a este impacto na saúde pública algumas medidas de controle e prevenção foram estabelecidas: no Brasil, em março de 2006 foi introduzida uma vacina monovalente (G1P[8]) atenuada contra RVA, denominada Rotarix®. Segundo a Organização Mundial da Saúde, é necessário uma extensa e contínua monitorização dos genótipos circulantes de RVA, além de estudos de vigilância para que se possa avaliar os impactos da vacina, sua eficácia e o surgimento de novas variantes virais que possivelmente possam escapar do processo de imunização. Para uma melhor caracterização e entedimento da diversidade genética dos RVA, foi proposto um novo sistema de classificação baseada na análise dos 11 segmentos gênicos, no qual os genótipos de cada um dos segmentos devem ser caracterizados. Esta abordagem está fornecendo dados para apoiar a existência de três genogrupos dominantes entre humanos: Wa-like(I1-R1-C1-M1-A1-N1-T1-E1-H1), DS1-like (G2-P[4]- I2-R2-C2-M2-A2-N2-T2-E2-H2) e AU1-like ((G3-P[9]-I3-R3-C3-M3-A3-N3-T3-E3-H3), sendo este último menor e compartilhado por estirpes de origem felina/canina. No Brasil, trabalhos envolvendo a caracterização de todos os segmentos gênicos são escassos. No presente estudo foram selecionadas 40 espécimes fecais entre 1994-2012 de crianças hospitalizadas devido a GA causada por RVA G1, G2, G3, G4, G9 e G12, na região Norte do Brasil A principal finalidade do estudo foi avaliar a diversidade genética dos RVA circulantes antes e depois da introdução da vacina Rotarix®. Para tal, os genes de RVA foram amplificados, sequenciados e analisados por reconstrução filogenética. Através desta análise foi possível identificar pelo menos três alelos subgênicos distintos para cada gene, permitindo evidenciar constelações genotípicas diferentes, porém conservadas relacionadas aos três principais genogrupos: Wa-like, DS1-like e AU-like, sendo que neste último,uma amostra (PID084) se relacionou com estirpes de origem felina. Foram evidenciados mecanismos de variabilidade genética viral, como: reassortment inter-genogrupos ocorrendo em amostras de origem humana e entre humana-animal; reassortment intra-genogrupos ocorrendo em cepas G1P[8], G2P[4], G4P[8] e G9P[8] e com genes de origem animal; e ainda mutações pontuais ocorrendo na sequência de todos os genes das estirpes analisadas. O maior grau de variabilidade genética foi encontrado em cepas circulantes antes da introdução da vacina. Com relação aos genes que codificam para proteínas externas, foi possível identificar mudanças em resíduos localizados em regiões antigências de estirpes circulantes nos dois períodos, podendo refletir em modificações estruturais importantes na proteína. Os dados do presente estudo contribuem para uma melhor compreensão acerca da diversidade genética dos RVA e de seus mecanismos evolutivos, sendo um dos poucos trabalhos sobre a caracterização dos 11 segmentos gênicos de estirpes circulantes na Região Norte, contribuindo para esclarecer caracterísiticas que podem representar um desafio para o Programa Nacional de Imunização no Brasil / Specie A Rotaviruses (RVA) are responsible for acute gastroenteritis (GA) in many animal species. In humans, children under five years old are the most affected. Each year, a bout 453,000 infant deaths are caused by RV infections . Due to this public health impact, prevention and control measures were established: in March 2006, the Brazilian Health Ministry made available an monovalent att enuated vaccine, called Rotarix®. According to World Health Organization, extensive and continuous monitoring of RVA strains and surveillance studies are necessary to evaluate the impact and efficacy vaccine and to investigate appearance of new viral varia nts that could possibly escape the immunization procedure. For a better characterization and understanding of the RVA genetic diversity, proposed a new classification system encompassing all 11 RVA gene segments. This approach has facilitated the exponenti al growth of complete RVA genome data during recent years. On the basis of complete RVA genome sequence comparisons, two major genotype constellations (genogroups): I1 - R1 - C1 - M1 - A1 - N1 - T1 - E1 - H1 (Wa - like) and I2 - R2 - C2 - M2 - A2 - N2 - T2 - E2 - H2 (DS1 - like), have been shown to circulate worldwide among humans. A third (minor) human genotype constellation, referred to as AU1 - like (I3 - R3 - C3 - M3 - A3 - N3 - T3 - E3 - H3).In Brazil, studies involving the characterization of all genes segments are rare . In the current study, a total of 40 fecal specimens were selected between 1994 and 2011 from children hospitalized due to acute diarrhea caused by RVA G1, G2, G3, G4, G9 and G12 in Northern Brazil region, aiming to evaluate the RVA genetic diversity in the pre - vaccine period and post - va ccine.For this, the RVA genes were amplified, the amplicons were sequenced and analyzed for phylogenetic reconstruction. Based this analysis were identified three subgenotype alleles for each gene, allowing evidence con served genotypic constellations, thou gh related to three distinct genogroups: Wa - like, DS1 - like e AU - like. AU1 - like strain (PID084) revealed close relationship with genes feline origin. The results also show evidence some genetic variability mechanisms: inergenogroup reassortments events occ ourring between human - human and human - animal genes ; intragenogroup reassortment events in G1P[8], G2P[4], G3P[8], G4P[6], G4P[8] RVA strains between human - human and human - animal gene, newly; and still occurring point mutations in the sequences of all gene s of strains analyzed. A large degree of variability has been found in circulating strains before vaccine introduction.Regarding genes encoding foreign proteins, it was possible to identify changes in residues located in antigenic regions and may reflect s ignificant changes in structural proteins.In conclusion, the current work help to increase the knowledge on the genomic diversity of RVA, aiming detect new variants and possible antigenic changes, whose potential effect on vaccine effectiveness should be s tudied. Additionally, our findings identified close relationships between human and animal RVA, contribute to clarify characteristics that can pose a challenge for the Brazilian National Immunization Program
17

Avaliação da infecção por Hantavirus em amostras humanas e de roedores silvestres e sinantrópicos no Estado do Rio de Janeiro

Pereira, Liana Strecht January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-04T12:45:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 liana_pereira_ioc_mest_2014.pdf: 4702231 bytes, checksum: 2246716c6d5dbccb2563a99addb4684d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / A síndrome pulmonar por hantavírus (SPH) tem sido registrada no Brasil desde 1993 e a transmissão para o homem ocorre através da inalação de partículas virais presentes em aerossóis de excretas de roedores infectados. No Brasil, nove genótipos virais caracterizados a partir de roedores e/ou humanos foram descritos, sendo seis comprovadamente patogênicos. Desde os primeiros registros, mais de 1600 casos humanos foram confirmados, com ampla distribuição entre a maioria dos estados brasileiros e alta taxa de letalidade. A SPH apresenta-se como doença febril aguda caracterizada pelo grave comprometimento cardiovascular e respiratório. Os pacientes podem exibir uma ampla variedade de manifestações clínicas, onde os sinais e sintomas podem ser confundidos com os de outras doenças. Assim é necessário o diagnóstico diferencial separando casos de SPH de outros agravos com manifestações clínicas semelhantes, como é o caso da dengue. Embora não existam relatos de casos humanos no estado do Rio de Janeiro, foram encontradas evidências sorológicas em humanos e confirmação de circulação de hantavírus patogênico entre roedores silvestres, mais especificamente, na espécie Oligoryzomys nigripes, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Teresópolis Neste cenário, este estudo teve como objetivos avaliar a infecção por hantavírus em amostras humanas e em amostras de roedores silvestres e sinantrópicos provenientes de diversos municípios fluminenses. Um total de 497 amostras de soro de pacientes negativos para dengue pelos testes sorológicos, cedidas pelo LACEN/RJ, provenientes de 25 municípios, e de 235 amostras de roedores provenientes de sete municípios, foram analisadas através do ensaio imunoenzimático para detecção de anticorpos anti-hantavírus da classe IgM e IgG (ELISA IgM e IgG) e de testes moleculares. Cinco amostras de pacientes (1%) procedentes dos municípios de Valença, Vassouras e Nova Friburgo foram ELISA-IgM reativas. Um roedor (0,42%) da espécie Oligoryzomys nigripes ELISA-IgG foi reativo no município de Valença. A ausência de RNA nas amostras humanas impossibilitou a realização de testes moleculares para caracterização e identificação do vírus, porém na amostra do roedor reativo foi possível detectar a variante viral Juquitiba como responsável pela infecção deste espécime Em conclusão, a identificação do hantavírus patogênico Juquitiba em roedores silvestres e a evidência sorológica de infecção em amostras humanas neste estudo reforçam a importância e a necessidade de vigilância da SPH no estado do Rio de Janeiro / Toxoplasma gondii usually causes an asymptomatic infection, but it can present severity during pregnancy and in immunocompromised patients . Current therapies for toxoplasmosis are restricted only against tachyzoites, and have little or no effect on bradyzoites, which are kept in tissue cysts like source of the infection recrudescent. Consequently, new therapeutic alternatives have been proposed, as the use of Atovaquone that showed some effica cy against tachyzoites and bradyzoites in tissue cysts. In this work, we propose to study the effect of 3 - BrPA, a compound that is being tested against cancer cells, on the infection of LLC - MK 2 cells with tachyzoites of T. gondii (RH strain) . N o effect of 3 - BrPA on host cell proliferation and viability was observed. Evaluation of 3 - BrPA interference on in vitro growth of T. gondii showed a reduction in intracellular parasite proliferation about 55% after 24 h of treatment, and 61% after 48 h. Intracellular d evelopment of parasite, analyzed by SEM, showed morphological characteristics commonly found in tissue cysts. Incubation of cultures with DBA lectin confirmed the development of cysts and TEM showed the presence of bradyzoites. Moreover, we revealed the pr esence of degraded parasites and the influence of compound on endodyogeny. Another approach used was the treatment of infected cultures with combination of 3 - BrPA and Atovaquone. This r esulted in the reduction of intracellular parasites of 73% after 24 h o f treatment and 71% after 48 h, compared to control, besides the absence of cyst wall formation in these cultures. The refore, it is concluded that use of 3 - BrPA may pres ent as an important tool for study of: (i) in vitro c ystogenesis , (ii) the metabolism o f the parasite, requiring deeper understanding of the target of action of the compound in T. gondii , (iii) the alternatives metabolic pathways of the parasite, and (iv) the molecular / cellular triggered that led to death of the parasites mechanisms.
18

Uso e retenção de mosquiteiros impregnados e efeito de ação educativa em malária após cinco anos de uma intervenção em uma área de alta endemicidade no médio Rio Negro, Amazonas, Brasil

Sousa, Jessica de Oliveira January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-05-11T12:57:46Z (GMT). No. of bitstreams: 2 jessica_sousa_ioc_mest_2015.pdf: 4813874 bytes, checksum: 22603f64a7a8f0a10fe891cf269bcb52 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Este trabalho trata da segunda fase de um estudo de intervenção tipo ensaios de campo de nível agregado, cujo objetivo foi avaliar o uso e retenção de mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração (MILDs) e as ações de educação em saúde dentro de uma estratégia integrada para ao controle da malária implementada no ano de 2009 no rio Padauiri. Foram escolhidas uma área de intervenção (rio Padauiri) e outra área controle (Bacabal, no rio Aracá e São Sebastião, bairro de Barcelos). No estudo retrospectivo foi encontrado que todas as áreas de estudo são de alto risco epidemiológico, com uma IPA acima de 50. No município de Barcelos foi visto que há uma sazonalidade na infecção por malária, tendo um incremento no número de casos na época das chuvas e também foi observado que as crianças vêm se infectando mais que os adultos. No que diz respeito ao uso dos MILDs, foi encontrado que 80% dos domicílios no grupo de intervenção possuíam ao menos um MILD na casa, enquanto que no controle, 66% possuíam. Comparando com o estudo de linha de base realizado em 2008, antes da implementação da estratégia integrada, observou-se que o uso do mosquiteiro no grupo de intervenção aumentou em 5%, de 9,9% em 2008 para 14,9% em 2014 e o contrário foi visto no grupo controle no qual houve uma diminuição de 7% no uso do mosquiteiro (de 37,8% em 2008 para 30,8% em 2014). De 48,5% dos indivíduos do grupo de intervenção que receberam o mosquiteiro do projeto, 83,7% destes ainda o possuía Todos os indivíduos do estudo relataram já terem ouvido falar de malária e a grande maioria (>90%) teve malária pelo ao menos uma vez. Mais de 70% dos indivíduos de ambos os grupos souberam dizer como ocorre a transmissão da malária e um pouco mais da metade dos indivíduos de ambos os grupos conheciam como evitar a doença, porém ainda foram verificados conceitos errôneos, onde muitos aspectos particulares da dengue foram atribuídos à malária. Houve impacto da estratégia no ano de sua implementação (2009), mas não houve impacto no ano seguinte (2010), apesar do aumento no uso dos mosquiteiros neste ano em relação ao ano de 2008. Estes achados indicam que as ações da estratégia integrada foram parcialmente efetivas, tendo diminuído a incidência da doença no ano da implementação, mas nos anos seguintes não tendo impacto sobre esta incidência. Conclui-se pelos resultados que as estratégias de controle devem ser permanentes nessas áreas de alto risco epidemiológico, de difícil acesso geográfico onde moram pessoas com baixo nível socioeducativo e que é preciso a busca de novas estratégias para que os conhecimentos adquiridos se convertam em modificação de atitudes e comportamentos / This survey is the second phase of an interventional field-based study at the community level, whose objective was to evaluate the use and retention of long-lasting insecticidal nets (LLINs) and health education activities within an integrated strategy for the control of malaria implemented in 2009 in Padauiri river. Were chosen an Intervention area (Padauiri river) and another control area (Bacabal, in the Aracá river and São Sebastião district, in Barcelos). In the retrospective study found that all areas of study are of high epidemiological risk, with an API above 50. In the municipality of Barcelos was observed that there is a seasonality on malaria infection, with an increase in the number of cases in the rainy season and it was also noticed that children have been infecting more than adults. As regards the use of the LLINs it was found that 80% of households in the intervention group had at least one LLIN at home, while in the control, had 66%. Compared to the baseline study conducted in 2008, before the implementation of the integrated strategy, it was observed that the net use in the intervention group increased by 5%, from 9.9% in 2008 to 14.9% in 2014 and the opposite was seen in the control group there was a 7% decrease in the use of mosquito nets (37.8% in 2008 to 30.8% in 2014). Of 48.5% of individuals in the intervention group that received the project mosquito net, 83.7% of these still possessed All study individuals reported having heard of malaria and the vast majority (> 90%) had malaria at least once. More than 70% of individuals of both groups know how malaria transmission occurs and a little more than half of the individuals in both groups knew how to avoid the disease, but still were verified erroneous concepts, where many particular aspects of dengue were attributed to malaria. There was Impact of the strategy in the year of its implementation (2009), but there was no impact on the next year (2010), despite the increase in the use of mosquito nets this year compared to the year 2008. These findings indicate that the actions of the integrated strategy were partially effective, having decreased the incidence of the disease in the year of implementation, but in the following years having no impact on this incidence. The results concluded that control strategies must be permanent in these high risk areas epidemiological, geographical access is difficult where live people with low educational level and the search for new strategies so that the knowledge gained into changes in attitudes and behaviours
19

Educação em saúde na prevenção e controle da esquistossomoseavaliação de duas abordagens educativas com professores do município endêmico de Malacacheta-Minas Gerais

Murta, Felipe Leão Gomes January 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-28T12:18:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf: 2506895 bytes, checksum: a765e8bfa364a8d6c5a32fe6f7ac1e1c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2016 / Made available in DSpace on 2016-07-05T23:52:46Z (GMT). No. of bitstreams: 3 felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf.txt: 181778 bytes, checksum: bfd1ea2c9fd92c06e8ce0ebe372f6b38 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) felipe_murta_ioc_mest_2016.pdf: 2506895 bytes, checksum: a765e8bfa364a8d6c5a32fe6f7ac1e1c (MD5) Previous issue date: 2016 / Introdução: A esquistossomose mansônica é endêmica no Brasil. As crianças em idade escolar detêm as maiores prevalências e cargas parasitárias. Estudos que avaliaram os limites e possibilidades das abordagens educativas para o controle da endemia sugerem que os programas devem investir em estratégias que levem em conta a realidade local, o empoderamento e a integração dos profissionais da saúde e educação e o desenvolvimento de ações com os grupos mais vulneráveis, como os escolares. Objetivos: Este trabalho visa: (a) estimar as taxas de infecção por Schistosoma mansoni entre os profissionais de educação no município de Malacacheta, área endêmica de Minas Gerais; (b) formar professores multiplicadores do conhecimento sobre esquistossomose entre os escolares; (c) avaliar o uso, no ensino fundamental, de duas abordagens educacionais sobre prevenção e controle da esquistossomose; e (d) verificar se as abordagens educacionais contribuem para promover mudanças no nível do conhecimento que aproxime o saber popular e o científico dos professores e alunos de forma sustentável no tempo Metodologia: A positividade para S. mansoni nos profissionais da educação do município foi estimada através de inquérito parasitológico de fezes (n=522), usando o método de Kato-Katz. Dois cursos de atualização sobre a doença, com abordagens distintas, foram ministrados para professores de diferentes disciplinas do município endêmico de Malacacheta, Minas Gerais. Questionários semiestruturados foram aplicados aos professores e seus alunos, antes e após as ações educativas, para levantar os conhecimentos prévios e adquiridos. Resultados: A prevalência da esquistossomose no grupo estudado foi de 5,9% e os resultados das análises dos questionários/entrevistas apontam para mudança significativa no conhecimento sobre a doença, tanto nos professores que participaram dos cursos, quanto de seus alunos. As ações educativas contribuíram para aumentar o conhecimento sobre a doença de um modo geral, que foi multiplicado e sustentável mesmo após um ano das ações educativas / Schistosomiasis mansoni is endemic in Brazil. The highest prevalences and parasite loads are among school-age children. Studies to evaluate the limitations and potential of educational approaches to its control suggest that programmes should invest in strategies that address the local situation and the empowerment and integration of health and education personnel and provide for actions with the most vulnerable groups, such as schoolchildren. Objectives: This study aims: (a) to assess infection rates by Schistosoma mansoni among education personnel in Malacacheta, a municipality in the endemic area of Minas Gerais; (b) to train teachers as multipliers of knowledge of schistosomiasis among schoolchildren; (c) to evaluate the use, with primary and middle-school teachers, of two educational approaches on schistosomiasis prevention and control; and (d) to ascertain whether the educational approaches contributed to knowledge rearrangement that approximates the popular and scientific know-how of teachers and their pupils and whether that knowledge is sustainable in time Methodology: S. mansoni infection among education personnel in the municipality was estimated by parasitology stool test (n=522), using the Kato-Katz method. Two refresher courses using different, but complementary, educational approaches (critical pedagogy and pedagogy of creative play) to the disease were given to teachers of various different subjects. Semi-structured questionnaires were applied to teachers and their pupils, before and after the educational actions, in order to survey prior and acquired knowledge. Results: Prevalence of schistosomiasis in the study group was 5.9%, while the results of analysis of the questionnaires/interviews pointed to significant changes in knowledge of the disease among teachers who took the course and their pupils. The educational actions contributed to improve the knowledge about the disease in general, which was multiplied and sustained even after one year the educational actions
20

Avaliação de testes de captura de antígeno NS1 para o diagnóstico precoce das infecções por dengue

Lima, Monique da Rocha Queiroz January 2009 (has links)
Submitted by Anderson Silva (avargas@icict.fiocruz.br) on 2012-03-29T13:29:04Z No. of bitstreams: 1 monique_rq_lima_ioc_mt_0010_2009.pdf: 1937766 bytes, checksum: d05c52dcbcc952c1a57ff1ff206f06b1 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-29T13:29:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 monique_rq_lima_ioc_mt_0010_2009.pdf: 1937766 bytes, checksum: d05c52dcbcc952c1a57ff1ff206f06b1 (MD5) Previous issue date: 2009 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. / O diagnóstico laboratorial de dengue é muito importante para apoiar os programas Vigilância Epidemiológica considerando-se a dificuldade da confirmação dos casos em bases clínicas apenas, em especial, durante períodos inter-epidêmicos. Atualmente estão disponíveis kits comerciais para o diagnóstico sorológico do dengue, embora o seu custo ainda represente um alto encargo financeiro para países em desenvolvimento. Um diagnóstico rápido pode direcionar as medidas de controle do vetor. A proteína não-estrutural 1 (NS1) do vírus dengue por ser um marcador utilizado durante a fase aguda da doença e tem sido proposto para o diagnóstico da doença. Desta forma, a sensibilidade e especificidade de três kits comerciais para captura de antígeno NS1 disponíveis no mercado foram avaliadas com um painel de 852 amostras obtidos a partir da coleção do Laboratório de Flavivírus no Instituto Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, de epidemias ocorridas durante os anos de 1986 a 2008. O desempenho de cada kit foi avaliado individualmente e, a comparação entre os três kits foi baseada na análise de uma sub-população de 450 amostras. Dentre os três kits analisados, o kit NS1 Ag Strip (BioRad Laboratories) foi o mais sensível em confirmar casos de dengue na amostragem testada (89%, 197/220), seguido pelo Platelia NS1 (BioRad Laboratories) (84%, 184/220) .O menos sensível foi o pan -E Early ELISA (PanBio Diagnostics) com 72% (159/220) de sensibilidade. Porém, neste estudo o kit da PanBio foi o mais especifico (100%), enquanto que ambos os kits da BioRad apresentaram 99% de especificidade. Os resultados obtidos demonstraram uma maior sensibilidade de confirmação de casos de infecção primária pelos três kits, porém não houve diferença significativa em relação aos casos de infecção secundária. Os três kits foram mais sensíveis em confirmar casos positivos por isolamento viral do que em casos positivos por RT-PCR. A sensibilidade dos três kits foi maior no período compreendido entre o primeiro ao quinto dia após o inicio dos sintomas. Reações cruzadas foram raramente observadas em vacinados contra o vírus da febre amarela e casos de rubéola. Os resultados obtidos demonstraram que três kits podem ser utilizados para a detecção precoce da infecção viral por dengue. / Dengue virus diagnosis is an important tool to support Epidemiological Surveillance Programs considering the difficulties found in confirm dengue cases based only on the clinical symptoms, especially during inter-epidemic periods. Currently, there are many commercial serological kits for dengue diagnosis, however its costs poses a financial burden for many developing countries. The dengue virus non- structural protein a (NS1) can be used as a marker during the acute phase of the illness and its use has been proposed for the disease diagnosis. Therefore, here we evaluated the sensitivity and specificity of three newly available NS1 antigen capture commercial kits with a panel of 852 samples from the collection of the Flavivirus Laboratory at the Oswaldo Cruz Institute, FIOCRUZ, from epidemics occurred from 1986 to 2008. Each kit was evaluated individually and the comparison among them was based on the analysis of a sub- population of 450 samples. From the three kits analyzed, the NS1Ag Strip (Biorad Laboratories) showed the highest sensitivity (89%, 197/220) in confirming dengue cases, followed by the PlateliaTM NS1 (Biorad Laboratories). The less sensitive one was the pan-E Early ELISA (PanBio Diagnostics) with a sensitivity of 72% (159/220). However, in this study the PanBio kit was the most specific (100%) while the two kits from BioRad showed both 99% of specificity. Primary dengue cases were more frequently confirmed than secondary ones. A higher sensitivity was observed in cases positive by virus isolation, when compared to cases positive by RT-PCR. The highest NS1 antigen detection was from the first to the fifth day after the onset of the symptoms. Cross reactivity were rarely observed in yellow fever vaccinees and rubella cases. The results showed that the three kits can be used in the early diagnosis of dengue infections.

Page generated in 0.0796 seconds