• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 35
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 35
  • 35
  • 13
  • 13
  • 7
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Percepção de mulheres sobre a prevenção do câncer de colo uterino

Paula, Tamires Corrêa de. January 2016 (has links)
Orientador: Maria de Lourdes da Silva Marques Ferreira / Banca: Maria José Sanches Marin / Banca: Silvia Franco da R. Tonhom / Resumo: Introdução: O câncer de colo do útero é a terceira neoplasia maligna mais comum entre as mulheres no Brasil. Uma das formas de prevenção, assim como da detecção precoce da doença é iniciada na rede de atenção básica com a realização do exame Papanicolaou. Objetivo: Apreender a percepção de mulheres sobre a prevenção do câncer de colo uterino por meio da citologia oncótica, visando a elaboração de material educativo. Método: Trata se de um estudo com abordagem qualiquantitativo, realizada com vinte mulheres que procuraram uma Unidade Básica de Saúde de um município do interior paulista para realização do exame Papanicolaou. Para a coleta de dados foi utilizada a entrevista áudio gravada e a análise foi feito por meio do método do discurso do sujeito coletivo (DSC) e sustentado pela representação social. Resultados: Os DSCs foram construídos por meio das falas expressadas pelas participantes e agrupados em três temas, o tema um contemplou a percepção das mulheres em relação ao exame de Papanicolaou que relataram os sentimentos e a vulnerabilidade envolvida no exame, os significados, a falta de conhecimento e as dúvidas em relação ao exame. O tema dois compreendeu a participação e as experiências das mulheres na prevenção do câncer de colo de útero que narraram ter participação ativa em relação a prevenção e a periodicidade do exame. O tema três revela que a participação do serviço público na realização do exame é boa e posto como obrigatória, o desejo da consulta medica com o ginecologista e da ampliação dos dias e horários da coleta foram relatados pelas participantes. Conclusão: Observou-se que as ideias e os pensamentos das mulheres envolvidas neste estudo valorizam e se preocupam com a realização do exame, mais ainda existe falta de conhecimento e dúvidas em relação a prevenção... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Cervical cancer is the third most common malignant neoplasm among women in Brazil. One of the forms of prevention, as well as the early detection of the disease are initiated in the primary care network with the Papanicolaou examination. Purpose: To understand the perception of women about the prevention of cervical cancer through oncotic cytology, aiming at the elaboration of educational material. Method: This was a study with a qualitative approach, performed with twenty women who sought a Basic Health Unit in a city in the interior of São Paulo to perform the Pap smear test. For the data collection the recorded audio interview was used and the analysis was done through the collective subject discourse (DSC) method and sustained by social representation. Results: The CSDs were constructed using the speeches expressed by the participants and grouped into three themes, the theme one considered the perception of women in relation to the Pap smear, which reported the feelings and vulnerability involved in the examination, the meanings, the lack of Knowledge and doubts regarding the examination. Topic two comprised the participation and experiences of women in cervical cancer prevention who reported having an active participation in the prevention and periodicity of the examination. Topic three reveals that the participation of the public service in the accomplishment of the examination is good and it becomes mandatory, the desire of the medical consultation with the gynecologist and the extension of the days and times of the collection were reported by the participants. Conclusion: It was observed that the ideas and thoughts of the women involved in this study value and care about the test, but there is still a lack of knowledge and doubts regarding the prevention of cervical cancer. Product: Understanding the need for educational strategies with the... (Complete abstract electronic access below) / Mestre
32

A coinfecção do trato vaginal nas neoplasias intraepiteliais cervicais: contribuições para a enfermagem / Coinfection of the vaginal treatment in the neoplasias cervical intraepiteliais: contributions for the nursing

VIEGAS, Maria do Socorro Pascoa 04 September 2013 (has links)
Submitted by JACIARA CRISTINA ALMEIDA DO AMARAL (jaciaramaral@ufpa.br) on 2018-07-19T18:25:53Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação Maria do Socorro Pascoa Viegas PDF.pdf: 281928 bytes, checksum: ece02a77f788fc906804090e8a282ca2 (MD5) / Approved for entry into archive by JACIARA CRISTINA ALMEIDA DO AMARAL (jaciaramaral@ufpa.br) on 2018-07-19T18:26:08Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação Maria do Socorro Pascoa Viegas PDF.pdf: 281928 bytes, checksum: ece02a77f788fc906804090e8a282ca2 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-07-19T18:26:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Dissertação Maria do Socorro Pascoa Viegas PDF.pdf: 281928 bytes, checksum: ece02a77f788fc906804090e8a282ca2 (MD5) Previous issue date: 2013-09-04 / As Neoplasias intraepiteliais cervicais são manifestações pré-clínica do câncer do colo do útero. Este câncer está fortemente associado à infecção vaginal, principalmente a infecção pelo Papilomavírus humano, condição necessária, mas não o suficiente para o desenvolvimento da lesão cervical. O câncer do colo do útero na região Norte apresenta alta morbimortalidade entre as mulheres, quando comparado com outras regiões. O presente estudo teve como objetivo analisar a frequência de infecção vaginal em mulheres com diagnóstico de lesão intraepitelial cervical. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo com abordagem quantitativa. Realizado no centro de referência à saúde da mulher no município de Belém no Pará, com 1848 usuárias submetidas ao exame citopatológico de Papanicolaou no período de dezembro de 2005 a dezembro de 2010 e que apresentaram alteração citológica em seus resultados. Para análise estatística foi organizado um banco de dados no Excel versão 2007; e aplicação dos métodos descritivos como suporte computacional o software Bio Estat 5, Epi info 3.3.2. Evidenciou-se que dos exames analisados, a faixa etária de 21 a 60 anos foi a que apresentou maior frequência de alterações cervicais. A frequência relativa a exames de controle ficou em torno de 80,3%. Os diagnósticos de alteração citológica do tipo lesão intraepitelial de baixo grau e as atipias de células escamosas de significado indeterminado possivelmente não neoplásica foram as lesões mais presentes, com 50% e 43,7%, respectivamente. A coinfecção esteve presente em 42,3% dos resultados com alteração citológica e mais frequentes em lesões cervicais de baixo risco para o câncer de colo do útero. Os microorganismos vírus HPV, cocos Gram positivos, bacilos Gram negativos, tricomonas vaginalis, Gardenerella vaginalis, Cândida sp, vírus herpes, esporos e Lactobacilus, representaram uma microbiota vaginal patológica em 68% das alterações citológicas. A prevenção é uma ferramenta fundamental no programa de rastreamento do câncer de colo do útero, para que o Enfermeiro estabeleça um plano de cuidado que valorize suas queixas e os resultados microbiológicos das usuárias submetidas ao exame citopatológico de Papanicolaou anualmente. Assim como investir em estudos que melhor avaliem a associação microbiológica com a iniciação das lesões pré-clínicas do câncer de colo do útero. / The cervical intraepithelial neoplasias are cervical cancer pre-clinical manifestations. This cancer has a high Association with the vaginal infection; specially the infection by the Human Papilloma virus, a condition which is necessary but not sufficient to the cervical lesion progress. On north the cervical cancer presents a high morbidity and mortality among women, when compared to the others country regions. The study intended to analyses the vaginal infection frequency among women with cervical intraepithelial lesion. It is a descriptive and retrospective study, with a quantitative approach. Performed at the Women’s health reference center in Belém do Pará city, with 1848 users submitted to the Pap test and who presented cytological alteration in their results in the period between December, 2005 and December, 2010. To statistical analysis an Excel version 2007 data bank was organized; and descriptive application methods with the data support BioEstat 5 software Epi info 3.3.2. It was evident that the tests analyzed women were aged 31-50 years. The previous cytological test was 80,3%. The diagnoses of cytological change the type of lowgrade squamous intraepithelial lesion and atypical squamous cells of undetermined significance, possibly non-neoplastic lesions were more present. Co-infection was present in 42.3% of the results with abnormal cytology and cervical lesions more common in low-risk for cervical cancer. Microorganisms HPV virus Cocos Gram positive, Gram negative, Trichomonas vaginalis, Gardenerella vaginalis, Candida sp, herpes viruses, spores and Lactobacillus represented a pathological vaginal microbiota in 68% of the cytological alterations. Prevention is a fundamental implement in the cervical cancer tracking, in order to the Nurse establish a care plan which enhance their complaints and the microbiological results of the users submitted to the cytopathological Pap annually. Even as invest in studies which do a better evaluation in the microbiological combination with the pre-clinical cervical cancer lesions.
33

Risco de câncer utilizado como estratégia de governamentalidade no Programa de Políticas e Ações para Prevenção do Câncer no Brasil

LIMA, Adriana Pessoa January 2011 (has links)
LIMA , Adriana Pessoa. Psicologia e Sistema Único da Assistência Social - SUAS: estudo sobre a inserção dos(as) psicólogos(as) nos Centros de Referência da Assistência Social - CRAS's. 2011. 145 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2011. / Submitted by moises gomes (celtinha_malvado@hotmail.com) on 2011-11-29T19:54:49Z No. of bitstreams: 1 2011_dis_APLima.PDF: 25099336 bytes, checksum: 31e131b63596bef2131acedd0fd7dcd4 (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Josineide Góis(josineide@ufc.br) on 2011-11-30T16:43:24Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dis_APLima.PDF: 25099336 bytes, checksum: 31e131b63596bef2131acedd0fd7dcd4 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-11-30T16:43:24Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dis_APLima.PDF: 25099336 bytes, checksum: 31e131b63596bef2131acedd0fd7dcd4 (MD5) Previous issue date: 2011 / The actions taken by the government in the management of cancer in the world has constituted this disease as a risk by placing all the people on the border between health and disease in order to promote the filiation to certain modes of existence of being healthy. But official discourses aiming populations haven’t always made use of the actual discursive strategy which articulates different social actors in search of health by means of risk device. In this work, we try to understand the conditions that made it possible for the risk discourse to become a global strategy to fight the disease and be inscribed in the practices of biopolitics in contemporary West. Based on the Foucaultian, theoretical and methodological frames, this research aims to analyze the constitution of the discourse of cancer as a risk in order to discuss the historical and cultural and discursive construction and its different uses and effects when organizing, regulating and governing social life. We also aim to understand the relationship between the policy of cancer prevention in Brazil and global health policies, to the extent that the contemporary management of health is linked to a sanitary transnational project that builds a government agenda to be adopted throughout nations. Finally, to contextualize the discourses that promote and sustain cancer as a risk for everyone, we sought to analyzed the Brazilian version of the document released by the WCRF / AICR in 2009 entitled "Policies and Actions for the Prevention of Cancer in Brazil: food, nutrition and physical activity" in order to understand the power procedures that enable the control the lifestyles of the population in terms of strategies and tactics. This study highlights the development of a health agenda that aligns political interests and individual aspirations in terms of health and longevity, so that the discourse of cancer instituted works for the exercise of political power. It is therefore a technology of attention / care for life, with the effect of promoting a hygienic society. / As ações implementadas pelo governo na gestão do câncer vem constituindo esta doença como risco, posicionando todas as pessoas na fronteira entre a saúde e a doença, de forma a estimular a adesão a determinados modos de existência de ser saudável. Mas nem sempre os discursos oficiais dirigidos à população fizeram uso da estratégia discursiva atual, que articula diversos atores sociais na busca da saúde, por meio do dispositivo do risco. Neste trabalho, procuramos compreender as condições que possibilitaram esse discurso se constituir numa estratégia global de combate à doença, passando a ser inscrita nas práticas biopolíticas do Ocidente na contemporaneidade. Com base no referencial teórico-metodológico foucaultiano, essa pesquisa tem o objetivo de analisar a constituição do discurso de câncer como risco, visando discutir as particularidades históricas e culturais dessa construção discursiva e seus diferentes usos e efeitos ao organizar, regular e governar a vida social. Também buscamos entender a relação entre a política de prevenção de câncer no Brasil e as políticas globais de saúde, na medida em que a gestão contemporânea da saúde se articula com um projeto transnacional de ressignificação sanitária que constrói uma agenda governamental a ser adotada pelos países. E por fim, para contextualizar os discursos que promovem e sustentam o câncer como risco, analisamos a versão brasileira do documento lançado pelo WCRF/AICR em 2009 denominado “Políticas e Ações para Prevenção do Câncer no Brasil: alimentação, nutrição e atividade física”, de forma a entender os procedimentos do poder que possibilitam o controle dos estilos de vida da população em termos de estratégias e táticas. Esse estudo nos aponta para a elaboração de uma agenda de saúde que alinha os interesses políticos às aspirações individuais em termos de saúde e longevidade, de forma que o discurso de câncer instituído funciona para o exercício do poder político. Constitui, portanto, uma tecnologia de atenção/cuidado com a vida, tendo o efeito de fomentar uma sociedade higiênica.
34

As praticas preventivas para o cancer de mama e do colo do utero pelas mulheres de 40 anos ou mais de idade no municipio de Campinas, SP / Preventive practices for cervical and breast cancer for women 40 years old and over in the city of Campinas, SP

Amorim, Vivian Mae Schmidt Lima 08 November 2005 (has links)
Orientador: Marilisa Berti de Azevedo Barros / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-06T03:54:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Amorim_VivianMaeSchmidtLima_M.pdf: 4488126 bytes, checksum: 21881a106ebbf7f21647cafe00bfac77 (MD5) Previous issue date: 2005 / Resumo:Justificativa: O câncer de mama e do colo de útero são neoplasias com altas taxas de incidência e mortalidade no Brasil e que dispõem de métodos eficazes de rastreamento para detecção precoce, oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. Existe a necessidade de se identificar os subgrupos de mulheres que não realizam as práticas preventivas para esses agravos, como forma de se desenvolver estratégias, nas três esferas de governo, que venham minimizar as desigualdades ainda existentes em relação ao acesso aos serviços de saúde, a oferta de cuidados básicos, ao diagnóstico, tratamento e reabilitação nas questões relativas à saúde da mulher. Objetivos: Analisar as práticas de detecção precoce para o câncer de mama e do colo uterino, segundo características sociodemográficas, morbidade e comportamentos relacionados à saúde. Material e Métodos: Estudo do tipo transversal, de base populacional, tendo como população de estudo todos os indivíduos do sexo feminino com idade igual ou superior a 40 anos, não institucionalizados, residentes na área urbana de Campinas. Para a obtenção da amostra, os setores censitários do município de Campinas, foram agrupados em três estratos, segundo o percentual de chefes de família com nível universitário. Foram sorteados 10 setores censitários de cada estrato, e de cada setor censitário foram sorteados os domicílios e selecionados os indivíduos que seriam entrevistados, segundo os domínios de sexo e idade. As informações foram obtidas por meio de questionário estruturado em 19 blocos temáticos, com a maioria das questões fechadas, aplicado diretamente à pessoa sorteada.. O presente estudo incluiu 290 indivíduos pertencentes a dois domínios: mulheres de 20 a 59 anos e mulheres de 60 anos ou mais. Foram incluídos na análise dois grupos de variáveis: as independentes, compostas por variáveis sociodemográficas, comportamentos relacionados à saúde e estado da saúde e as dependentes, referentes à realização das práticas preventivas para a detecção do câncer de mama e do colo de útero. Para as análises estatísticas foi utilizado o programa STATA 7.0, que possibilitou levar em consideração as variáveis do plano de amostragem e o efeito de delineamento. As análises incluíram estimativas de prevalência, de razões de odds brutas e modelos de regressão logística múltipla. Resultados: O presente estudo possibilitou verificar que 83,3% das mulheres com 40 anos ou mais de idade, residentes em Campinas, encontram-se com a prática adequada em relação ao exame de Papanicolaou; 8,5% das mulheres entre 40 e 59 anos de idade e 11,1% das mulheres com 60 anos ou mais nunca haviam realizado o exame de Papanicolaou. Entre os principais motivos alegados pelas mulheres que nunca realizaram o exame citológico, destacam-se: achar que a realização deste exame não é necessária (43,5%), sentir vergonha (28,1%) e dificuldades relacionadas ao serviço prestador do exame (13,7%). Foram detectados, na análise univariada, os seguintes fatores associados à não-realização do exame citológico: idade, raça/cor, escolaridade, número de pessoas no domicílio, posse de bens, a não realização de exames preventivos para o câncer de mama. Os resultados da análise de regressão logística múltipla hierarquizada apontaram que não estar com a prática adequada quanto ao exame de Papanicolaou é mais freqüente nas mulheres entre 40 a 59 anos de idade, com escolaridade de até 4 anos, não brancas, e que não tiveram consulta odontológica no último ano. Verificou-se que 43,2% das mulheres que haviam feito o Papanicolaou tinham-no realizado em serviços do SUS. Em relação às práticas relativas à detecção precoce do câncer de mama, 50,8% das mulheres não fizeram mamografia nos últimos dois anos e dessas, 42,5% nunca haviam feito a mamografia e 8,3% realizaram-na há mais de 2 anos; 38,2 % não foram submetidas ao exame físico das mamas no ano que antecedeu a entrevista. Entre as mulheres com 70 anos ou mais de idade foram encontradas as maiores proporções de não realização da mamografia (67,7%) e do exame clínico das mamas (56,5%). Para a não realização do exame físico anual das mamas, nas análises univariadas, foram encontradas associações com: idade, raça/cor, situação conjugal, escolaridade, posse de bens, consumo de bebidas alcoólicas, prática de atividade física, do auto exame da mama, da mamografia e da citologia oncótica, e o uso de serviços odontológicos. Para a não realização da mamografia nos dois anos que antecederam a entrevista foram encontrados, nas análises univariadas, os seguintes fatores associados: idade, raça/cor, renda familiar per capita, posse de bens, consumo de bebidas alcoólicas, a prática do exame físico anual das mamas e da citologia oncótica. Os resultados do modelo de regressão logística múltipla mostraram que a não-realização do exame clínico das mamas foi mais freqüente entre as mulheres que vivem sem companheiro, que residem em domicílios com mais de quatro moradores, que não ingerem bebidas alcoólicas, que não realizaram o auto-exame das mamas e que não fizeram consulta odontológica no último ano. A não-realização da mamografia foi mais prevalente nas mulheres idade igual ou superior a 70 anos, não brancas, e que não ingeriam bebida alcoólica. Dos exames relatados, 28,8% das mamografias e 38,1% dos exames clínicos de mamas foram realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Conclusão: Esse estudo mostrou importantes características das mulheres que não realizam de forma adequada as práticas preventivas para o câncer de colo de útero e o de mama e que estratégias necessitam serem desenvolvidas pelos gestores da saúde, nos três níveis de governo, com o objetivo de minimizar as desigualdades de acesso, garantindo-se os princípios da equidade e da integralidade das ações pertinentes ao programa da saúde da mulher / Abstract: Background: Brazil has high incidence and mortality rates of breast and cervical cancer even though effective screening methods for early detection are provided by the Unified Health System-SUS. There is a need to identify subgroups of women who do not undergo preventive practices for these conditions, so as to develop strategies at the three levels of government in order to minimize the inequalities that still exist in terms of access to health services, offer of basic care, diagnosis, treatment and rehabilitation in issues related to women¿s health. Objectives: To analyze early detection practices for breast and cervical cancer, according to socio-demographic characteristics, morbidity and health-related behaviors. Methods: Cross-sectional, population-based study of all non-institutionalized women, 40 years old and over, and living in the urban area of Campinas. The sample was constructed by dividing the census sectors of Campinas into three strata groups according to the percentage of heads of households with college education. Ten census sectors were drawn from each stratum, and households were drawn and individuals selected for interviews from each census sector, according to gender and age. Information was derived from a questionnaire structured in 19 theme blocks, mostly with closed questions asked directly to the individual drawn. The present study included 290 individuals as follows: women, 20 to 59 years old and women 60 and over. Two groups of variables were analyzed: independent variables, encompassing socio-demographic variables, health-related behaviors and individual and family members¿ health status in terms of undergoing preventive practices to detect breast and cervical cancer. Statistical analysis was performed by using the STATA 7.0 program, which enabled taking into account the variables of the sample plan and design effect. Analyses included prevalence estimates, overall odds ratio and multiple regression logistic models. Results: The present study made it possible to verify that 83.3% of women 40 years and over, living in Campinas, have an inappropriate practice in relation to Pap smears; 8.5% of women between 40 and 59 years of age and that 11.1% of women 60 and over had never undergone a Pap smear. Among the major reasons pointed out by the women that had never had oncotic cytology, the following stand out: believing the test is not necessary (43.5%), being embarrassed (28.1%), and obstacles related to the service performing the test (13.7%). The univariate analysis detected the following factors associated with not having a cytology smear: age, race/color, schooling, number of individuals in the household, having assets, not doing preventive exams for breast cancer. The result of the hierarchy multiple regression logistic analysis pointed out that not having an appropriate practice in relation to Pap smears is more frequent in non-white women between 40 and 59 years of age, with up to 4 years of schooling and that had not had a dental appointment in the past year. The study verified that 43.2% of women that had been submitted to a Pap smear had done so in a SUS service. Regarding practices related to early detection of breast cancer, 50.8% of women had not had a mammogram in the past two years, and of these, 42.5% had never had a mammogram, and 8.3% had had one more than 2 years before; 38.2% had not been submitted to a breast examination in the year preceding the interview. The largest ratios of not having a mammogram (67.7%) and of not having a clinical breast exam (56.5%) were found among women 70 years old and over. The following associations were found in the univariate analyses for not having an annual breast exam: age, race/color, marital status, schooling, having assets, liquor consumption, exercising, breast self-examination, mammogram and cytology, and utilization of dental services. The following associated factors were found in the univariate analyses for not having a mammogram in the two years preceding the interview: age, race/color, per capita family income, having assets, liquor consumption, having had an annual breast exam and cytology. The results of the multiple regression logistic model showed that not having a clinical breast exam was more frequent among women that: live without a companion or in households with more than four residents, do not drink liquor, do not perform self breast examination and did not have a dental appointment in the past year. Not having a mammogram was more prevalent in non-white women 70 years or over, and that did not drink liquor. Of the tests mentioned, 28.8% of mammograms and 38.1% of clinical breast exams were performed by the SUS. Conclusion: The study showed the major features of women that did not have appropriate preventive practices for cervical and breast cancer, and that health managers should develop strategies at the three levels of government in order to minimize access inequalities and to guarantee the principles of equity and integrality of the actions of women¿s health programs / Mestrado / Mestre em Saude Coletiva
35

Crenças e percepções das mulheres saudáveis sobre câncer de mama: uma revisão sistemática da literatura / Beliefs and perceptions of healthy women about breast cancer: a systematic review of the literature

Porto, Gláucia Pina Guimarães 02 March 2018 (has links)
Submitted by Filipe dos Santos (fsantos@pucsp.br) on 2018-04-09T13:03:08Z No. of bitstreams: 1 Gláucia Pina Guimarães Porto.pdf: 1499688 bytes, checksum: 9b69a1bc17f6ff424722f5c5d389b4b0 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-04-09T13:03:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Gláucia Pina Guimarães Porto.pdf: 1499688 bytes, checksum: 9b69a1bc17f6ff424722f5c5d389b4b0 (MD5) Previous issue date: 2018-03-02 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Understanding breast health from needs and conditions in a socially contextualized way can be a way to develop consistent public policies for the promotion of breast and woman health as a tool for the prevention and early detection of breast cancer through institutions and organizations committed to social development in combating the disease. The overall objective of this study was to conduct a systematic review of the literature regarding the beliefs and perceptions that healthy women have about breast cancer. The research problem arose from the observation of the psychosocioeducational difficulties of women in cases of breast cancer, as well as for preventive care and early detection of the disease, for approximately two years, in a pilot project of health intervention with emphasis on the public roles of women in the fight against breast cancer, through an intervention research with a multidisciplinary character. The method was the systematic review of literature. The initial selection of articles was done through the reading of the title and abstract, and the exclusion of duplicate results was performed by the identification of the main author. As an inclusion criterion for the analysis of the results, the strength of evidence of the selected studies was summarized and the relevance of the most interesting descriptors was considered, aiming at the accomplishment of a qualitative synthesis. From 2,926 studies found, 96.24% were mastectomized women, and 2.90% were eligible studies whose study object considers behaviors of healthy women, their beliefs, perceptions and / or knowledge about prevention and early detection of the disease . The results indicate that the production of knowledge about the problem is scarce, with consequences on the limits of changing beliefs and perceptions about breast cancer. The reassignment of healthy women on breast cancer based on correct information can increase the rate of detection of the disease, which can avoid many deaths, and reduce the expenditure of public funds with treatments for advanced diagnoses. This change in attitude makes it possible for early detection not to be seen as a threat but as the best path to health / Compreender a saúde da mama a partir das necessidades e condições de forma contextualizada socialmente pode ser uma via para o desenvolvimento de políticas públicas consistentes de promoção da saúde das mamas e da mulher, como ferramenta de prevenção e detecção precoce do câncer de mama, por meio de instituições e organizações comprometidas com o desenvolvimento social em combater a doença. O objetivo geral deste estudo foi de realizar uma revisão sistemática da literatura a respeito de crenças e percepções que as mulheres saudáveis possuem sobre câncer de mama. O problema de pesquisa surgiu a partir da observação das dificuldades psicossocioeducacionais de mulheres frente aos casos de câncer de mama e também para realização dos cuidados preventivos e de detecção precoce da doença, durante aproximadamente dois anos, em um projeto piloto de intervenção em saúde, com ênfase nos papéis públicos das mulheres no combate ao câncer de mama, por meio de uma pesquisa-intervenção com caráter multidisciplinar. O método foi o da revisão sistemática de literatura. A seleção inicial dos artigos se deu por meio da leitura do título e resumo, e a exclusão dos resultados duplicados foi realizada pela identificação do autor principal. Como critério de inclusão para análise dos resultados, a força de evidência dos estudos selecionados foi sumarizada e a relevância dos descritores de maior interesse foi considerada, visando a realização de uma síntese qualitativa. Entre os 2.926 estudos encontrados 96,24% tinham como objeto de estudo mulheres mastectomizadas, e 2,90% foram estudos elegíveis cujo objeto de estudo considere comportamentos de mulheres saudáveis, suas crenças, percepções e/ou conhecimentos sobre prevenção e detecção precoce da doença. Os resultados indicam que a produção de conhecimento sobre o problema é escassa, com consequências nos limites quanto à mudança de crenças e percepções sobre câncer de mama. A ressignificação da mulher saudável sobre câncer de mama com base em informações corretas pode aumentar o índice de detecção da doença, o que pode evitar muitas mortes, além de reduzir o gasto de verbas públicas com tratamentos para diagnósticos avançados. Esta mudança de atitude possibilita que a detecção precoce não seja vista mais como ameaça, mas como o melhor caminho para a saúde

Page generated in 0.1106 seconds