• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 5905
  • 58
  • 5
  • 2
  • Tagged with
  • 6034
  • 3140
  • 1884
  • 1323
  • 1191
  • 970
  • 964
  • 784
  • 757
  • 721
  • 577
  • 576
  • 480
  • 340
  • 329
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

SaÃde do adolescente: AÃÃo educativa mediada pelo modelo de atividades de vida. Adolescent health: educational action mediated through the life activities model.

Eveline Pinheiro Beserra 21 June 2012 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de NÃvel Superior Nursing as an autonomous profession can perform different assistance care, for promotion or rehabilitation of adolescents' health based on their vulnerabilities. In this context, nurses can use nursing theories and models that focus on personal and individualized care seeking the quality of life. Based on this, we explain the thesis â The Roper, Logan and Tierney Nursing Model can be used as a group educational intervention with adolescents for health promotion in the school environment. Thus, the main objective of this study is to apply an educational strategy based on the Life Activities Model to promote adolescent health. This is a study with qualitative approach that used action-research, carried out in a municipal school in Fortaleza-CE, Brazil, with 25 adolescents in the first moment of the survey and 12 in the second. Data collection happened from April to June 2011. The instruments and procedures used were: observation, participant observation, field diary, filming, interview route and educational strategy. To structure the educational activity, we used the interview prepared with questions already recommended by the Ministry of Health for the adolescent care; however, we also included the elements of the Life Activity Model, being this the first moment of the study. The second moment was the educational intervention composed of eight workshops. Each one had a title as central theme, mediated by Dialogic Pedagogy, lasting an hour and a half once a week. To question the discussions, we used videos, such as advertising campaigns of the Ministry of Health on the topics to be discussed, and also media reports, they were characterized as important means to propose an initial reflection on the various topics discussed in the workshops. The legal and ethical aspects involving research with human beings were respected. In this study, the nursing model mediated an education practice, more systematic, characterizing it as a guide capable of adapting to the reality of adolescents in the school environment. The assumptions of the Roper, Logan and Tierney activity model supported the elaboration and implementation of this educational activity in a group approach. They provided a dialogue involving the experiences of that research group, being possible through the educational activity to discover the daily reality of each adolescent, allowing directing the guidance in both the intrinsic vulnerabilities of adolescence and for the group specific. Indeed, the implementation of workshops considered biological, psychological, sociocultural, environmental and political-economic aspects of the group and/or individual, which are influencing factors of the model. The educational approach provided the reflection since its context until the formation of "empowered" subjects. Although it is a group strategy, the concern is with the individual, consisting in an individualized care. In this context, we verify the need for creative actions on nursing practice, exploring theories and models in an attempt to gather the theory, practice and research triad. A Enfermagem como profissÃo autÃnoma pode desempenhar diferente atuaÃÃo assistencial, de promoÃÃo e de recuperaÃÃo da saÃde do adolescente a partir de suas vulnerabilidades. Nesse Ãmbito, o enfermeiro pode utilizar teorias e modelos de Enfermagem que focalizam uma atenÃÃo personalizada e individualizada em prol da qualidade de vida. Com base no exposto, à explicitada a tese - O modelo de Enfermagem de Roper, Logan e Tierney à capaz de ser utilizado como uma intervenÃÃo educativa grupal com adolescentes para promover a saÃde no contexto escolar. Logo, o objetivo geral deste estudo à aplicar uma estratÃgia educativa grupal baseada no Modelo de Atividades de Vida para promoÃÃo da saÃde do adolescente. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa que utilizou a pesquisa-aÃÃo, realizado numa escola municipal de Fortaleza-CE com 25 adolescentes no primeiro momento da pesquisa e 12 no segundo. O perÃodo de coleta de dados foi abril a junho de 2011. Instrumentos e os procedimentos utilizados: observaÃÃo, observaÃÃo participante, diÃrio de campo, filmagem, roteiro de entrevista e estratÃgia educativa. Para estruturaÃÃo da atividade educativa, utilizou-se a entrevista elaborada com questionamentos jà recomendados pelo MinistÃrio da SaÃde para a atenÃÃo ao adolescente, contudo, contemplou tambÃm os elementos do Modelo de Atividade de Vida, sendo este o primeiro momento do estudo. Jà o segundo foi a intervenÃÃo educativa composta de oito oficinas. Cada uma possuÃa um tÃtulo como tema central, mediada pela Pedagogia DialÃgica, com duraÃÃo de uma hora e meia, uma vez por semana. Para problematizar as discussÃes, foram utilizados vÃdeos como propagandas publicitÃrias do MinistÃrio da SaÃde sobre as temÃticas a serem discutidas, tambÃm reportagens divulgadas na mÃdia, caracterizaram-se como importante meio inicial de propor uma reflexÃo sobre os diferentes temas discutidos nas oficinas. Foram respeitados os aspectos legais e Ãticos que envolvem pesquisas com seres humanos. Neste estudo, o modelo de Enfermagem mediou uma pratica educativa, mais sistematizada, caracterizando como um guia passÃvel de adaptaÃÃo para a realidade dos adolescentes inseridos no Ãmbito escolar. Os pressupostos do modelo de atividade de Roper, Logan, Tierney subsidiaram a elaboraÃÃo e a execuÃÃo desta atividade educativa numa abordagem grupal. Proporcionavam um diÃlogo que envolvia as vivÃncias daquele grupo pesquisado, sendo possÃvel por meio da atividade educativa descobrir a realidade diÃria de cada adolescente, permitindo direcionar as orientaÃÃes tanto nas vulnerabilidades intrÃnsecas de sua adolescÃncia como para as especificas do grupo. Com efeito, a execuÃÃo das oficinas considerou contextualizaÃÃes biolÃgica, psicolÃgica, socioculturais, ambientais e polÃtico-econÃmicas do grupo e/ou indivÃduo que sÃo fatores influenciadores do modelo. A abordagem educativa proporcionou a reflexÃo desde seu contexto para formaÃÃo de sujeitos âempoderadosâ. Embora seja uma estratÃgia grupal, a preocupaÃÃo à com o individuo, caracterizando uma atenÃÃo individualizada. Nesse contexto, percebe-se a necessidade de aÃÃes criativas para pratica de enfermagem, explorando teorias e modelos numa tentativa de agregar a trÃade teoria, pratica e pesquisa.
2

HigienizaÃÃo da mÃo dominante e a mensuraÃÃo de atp da equipe de enfermagem na unidade de terapia intensiva. Hygienization of dominant hand and atp measurement of nursing team in the intensive care unit.

Marta Maria Costa Freitas 27 June 2012 (has links)
nÃo hà The nursing staff in the Intensive Care Unit (ICU) give a high complexity assistance to patients often severe using a device increasing the risk of acquiring and transmit Hospital Infection (HI) currently called Infection Related to Health Care (IRHC). Aimed to evaluate the presence of ATP in the dominant hand of the nursing staff in the following situations: before donning sterile gloves and immediately after removal of the sterile glove and after antisepsis of the hands after removal of the sterile glove and its interface with the intervening factors for hand hygiene of health professionals. A quantitative, descriptive-exploratory, cross study, held in adult ICU of six beds. The study included 34 members of the nursing staff, 12 nurses and 22 aides /nursing technicians In the statistical analysis, paired t test was done , to identify differences between the average ATP and chi- square (x2) test also, to determine differences between groups. The significance level was 5%. The data were processed in the program SPSS 15. The hands and nails were photographed and to diagnostic evaluation of the skin integrity, we used two forms: one for the researcher and another for the Dermatologist. The project was submitted to the Committee of Ethics in Research of the Institution in study and approved by the protocol No. 0900811. 136 swabs were carried out in four stages. The variation of ATP of the first moment ranged from 46 to 6382 RLU ; the second from 11 to 3087 RLU; the third from 234 to 3942 RLU; the fourth from 12 to 768 RLU. The evaluation of the obtained data showed that a clean hand has 419.8 RLU for ATP. The data also show reduction in the amount of ATP after hand hygiene, an increase of ATP in the dominant hand immediately after the removal of sterile glove and a new finding of reduction of ATP in the dominant hand after the performance of the antiseptic hand procedure. Concerning to participants , 13 consider their hands IH vehicle, 12 use adornment during assistance , 23 do not clean the hands properly, although all participants 100% recognizing that the hand hygiene technique should be performed to prevent bacterial growth. Complaints of dryness were frequent, seven practitioners were referred to a dermatologist and a higher average of ATP was found in the hands of those who had skin lesions. The data for the measurement of ATP in the four stages of cleaning revealed that the procedure for hand hygiene decreased contamination of the dominant hand , because there was a reduction of ATP found in the data, whereas the use of sterile gloves increased the amount of ATP and the reduction in the amount found after the hygiene procedure , proving that even after removing sterile gloves hands need to be cleaned immediately. The test for measurement of ATP did not show an reading error, no reaction in the hands of participants, consisted of a very useful tool for training on the subject, it is easy to perform, had excellent acceptance by the group, and converges with the actions to âcleaner and safer careâ. A equipe de Enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva presta assistÃncia de alta complexidade aos pacientes, geralmente graves, com uso de dispositivo elevando o risco de adquirir e transmitir InfecÃÃo Hospitalar, atualmente denominada de InfecÃÃo Relacionada à AssistÃncia à SaÃde (IRAS). Teve como objetivos: Avaliar a presenÃa de ATP na mÃo dominante da equipe de enfermagem nas seguintes situaÃÃes: antes de calÃar luvas estÃreis; imediatamente apÃs a remoÃÃo da luva estÃril e apÃs a anti-sepsia das mÃos apÃs a retirada da luva estÃril e sua interface com a condiÃÃo da pele das mÃos dos profissionais de saÃde. Estudo quantitativo, descritivo-exploratÃrio, transversal, realizado numa UTI de adultos de seis leitos. Participaram do estudo 34 membros da equipe de enfermagem, dos quais: 12 enfermeiros e 22 auxiliares / tÃcnicos de enfermagem. Na anÃlise estatÃstica foram realizados o teste T pareado para identificar diferenÃa entre a mÃdia de ATP e teste Qui-quadrado (ᵡ2) para verificar diferenÃas entre os grupos. O nÃvel de significÃncia foi de 5%. Os dados foram processados no programa SPSS 15. As mÃos e unhas foram fotografadas para avaliaÃÃo diagnÃstica da integridade da pele e utilizados dois formulÃrios: um para a pesquisadora e um para o Dermatologista. O projeto foi aprovado pelo Comità de Ãtica em Pesquisa da instituiÃÃo em estudo sob protocolo n 0900811. Foram realizados 136 swabs em quatro momentos. A variaÃÃo de ATP do primeiro momento oscilou entre: 46 a 6382 RLU; o segundo de 11 a 3087 RLU; o terceiro de 234 a 3942 RLU; o quarto de 12 a 768 RLU. A avaliaÃÃo dos dados obtidos permitiu verificar que uma mÃo limpa possui 419,8 RLU de ATP. Os dados tambÃm comprovam reduÃÃo do valor de ATP depois da higiene das mÃos; aumento de ATP na mÃo dominante imediatamente apÃs a retirada de luva estÃril; e novo achado de reduÃÃo de ATP na mÃo dominante apÃs a realizaÃÃo de procedimento anti-sÃptico nas mÃos. Quanto aos participantes, 13 consideram suas mÃos um veÃculo de IH, 12 utilizam adorno durante a assistÃncia, 23 nÃo higieniza a mÃo corretamente, embora todos os participantes reconhecessem que a tÃcnica de higiene das mÃos deve ser realizada para evitar o crescimento bacteriano. Queixas de ressecamento foram frequentes, sete profissionais foram encaminhados ao dermatologista, foram encontradas nas mÃos daqueles que apresentaram lesÃes nas mÃos maiores mÃdias de ATP. Este trabalho conclui que a mensuraÃÃo de ATP nos quatro momentos da higienizaÃÃo revelaram que o procedimento de higiene das mÃos diminuiu a contaminaÃÃo da mÃo dominante, pois houve reduÃÃo de ATP nos dados encontrados; jà a utilizaÃÃo de luvas estÃreis aumentou a quantidade de ATP e reduÃÃo na quantidade encontrada apÃs a realizaÃÃo do procedimento de higiene, comprovando que mesmo apÃs a remoÃÃo de luvas estÃreis as mÃos necessitam ser imediatamente higienizadas. O teste para mensuraÃÃo do ATP nÃo apresentou nenhum erro de leitura, nenhuma reaÃÃo adversa nos participantes, constituiu-se ferramenta Ãtil para treinamento da temÃtica, à de fÃcil realizaÃÃo, teve excelente aceitabilidade, convergindo com aÃÃes para âUma assistÃncia limpa e mais seguraâ.
3

DEPRESSIVE SYMPTOMS IN POSTPARTUM AND THEIR IMPLICATIONS IN BREASTFEEDING SELF-EFFICACY Sintomas depressivos no puerpÃrio e sua implicaÃÃo na autoeficÃcia de amamentar

Anne Fayma Lopes Chaves 19 December 2012 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior SÃo diversos os fatores que interferem no processo de decisÃo da mulher em amamentar, dentre eles os sintomas depressivos, sendo um fator preocupante para os serviÃos de saÃde que prestam assistÃncia na Ãrea materno-infantil. O objetivo deste estudo foi investigar a relaÃÃo dos sintomas depressivos no puerpÃrio com a autoeficÃcia da mÃe em amamentar. Desenvolveu-se um estudo correlacional, do tipo longitudinal, com abordagem quantitativa realizado nos Hospitais Distritais Gonzaga Mota do MunicÃpio de Fortaleza. A amostra foi composta por 184 puÃrperas. A coleta de dados ocorreu no perÃodo de abril a julho de 2012 seguindo duas etapas: a primeira ocorreu no alojamento conjunto com a aplicaÃÃo do formulÃrio com dados sociodemogrÃfico e obstÃtrico e da Breastfeeding Self-Efficacy Scale â Short Form (BSES-SF); a segunda foi realizada atravÃs de um telefonema entre 30-45 dias pÃs-parto no qual foi aplicado a Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) e o formulÃrio contendo perguntas sobre o pÃs-parto e a saÃde da crianÃa. A pesquisa foi aprovada pelo Comità de Ãtica em Pesquisa da Universidade Federal do CearÃ. Foi utilizado o programa SPSS versÃo 19 para anÃlise dos dados. As mulheres estudadas tinham idade de 21 â 30 anos, casadas ou em uniÃo estÃvel, com equivalÃncia na escolaridade entre os ensinos mÃdio completo, incompleto e o fundamental incompleto, tendo como ocupaÃÃo dona do lar, com baixa renda familiar, multigesta e multÃparas. Apesar de nÃo terem planejado a gestaÃÃo, mostraram se satisfeita, assim como o companheiro. As mulheres apresentaram elevada autoeficÃcia em amamentar e tiveram alta prevalÃncia do aleitamento materno exclusivo. Nas correlaÃÃes entre os escores da escala BSES-SF e as variÃveis sociodemogrÃficas e obstÃtricas somente o estado civil apresentou correlaÃÃo estatisticamente significante (p= 0,04). As mulheres estudadas apresentaram baixos sintomas depressivos e nÃo foi observada nenhuma associaÃÃo estatisticamente significante entre as variÃveis sociodemogrÃficas e obstÃtricas e os escores da EPDS. Entretanto, pÃde-se constatar que as puÃrperas com baixa escolaridade possuem risco maior de desenvolver sintomas depressivos (OR: 1,7; 95%), bem como mulheres que sofreram aborto (OR:1,3; 95%). O Alfa de Cronbach da EPDS na populaÃÃo estudada foi de 0,4, apesar de o valor ter sido baixo, apresentou-se significativo (p = 0,000), mostrando ser um instrumento vÃlido. NÃo houve correlaÃÃo significante entre os escores da BSES-SF e os escores da EPDS (p=0,734). Logo, podemos concluir que o enfermeiro que assiste a mulher no ciclo gravÃdico puerperal, deve enfocar aÃÃes de promoÃÃo da saÃde materna, bem como a promoÃÃo do aleitamento materno, buscando manter a confianÃa materna no ato de amamentar e prevenir os sintomas depressivos.
4

Processo de enfermagem: AplicaÃÃo em Hospitais de Fortaleza. NURSING PROCESS: APPLICATION IN HOSPITALS IN FORTALEZA-CE

Larissa Bento de AraÃjo MendonÃa 15 February 2013 (has links)
O processo de enfermagem representa um modelo tecnolÃgico que possibilita ao enfermeiro identificar, compreender, descrever e explicar as necessidades humanas para determinar o plano de cuidados. Assim, teve-se como objetivo geral: analisar a utilizaÃÃo do processo de enfermagem no contexto hospitalar na cidade de Fortaleza-CE, Brasil. Estudo descritivo, transversal, quantitativo, realizado em 47 instituiÃÃes hospitalares de Fortaleza-CE, que atenderam aos critÃrios de inclusÃo. Participaram da pesquisa 47 diretores de enfermagem de instituiÃÃes hospitalares e 89 coordenadores de enfermagem de 114 unidades de internaÃÃo dos hospitais que possuÃam o processo de enfermagem implantado. A coleta de dados ocorreu de abril a agosto de 2012, a partir de entrevista semiestruturada realizada com os diretores de enfermagem e um questionÃrio entregue aos coordenadores das unidades. Os dados foram analisados de forma descritiva, fundamentados na literatura pertinente. O projeto foi aprovado pelo Comità de Ãtica em Pesquisa, conforme protocolo 190/11. Como resultados, constatou-se que a maioria (53%) das instituiÃÃes tinha o processo de enfermagem implantado, sendo que em 60% das instituiÃÃes o mesmo havia sido implantado hà menos de cinco anos. Quanto aos significados atribuÃdos ao processo de enfermagem para os diretores dos hospitais e os coordenadores das unidades, teve-se: instrumento de sistematizaÃÃo do cuidado, promove assistÃncia de qualidade e sistematiza o trabalho. As taxonomias padrÃo mais utilizadas foram: NANDA (82,4%), NIC (17,5%) e NOC (3,5%). As seguintes etapas do processo de enfermagem foram realizadas nas instituiÃÃes que possuÃam o mÃtodo: levantamento de dados (92%), diagnÃsticos de enfermagem (64%), planejamento (12%), implementaÃÃo do plano de cuidados (92%) e avaliaÃÃo de enfermagem (96%). Como fatores positivos para implantaÃÃo do processo de enfermagem teve-se: interesse por parte dos enfermeiros, disponibilidade do gestor de enfermagem, presenÃa de incentivos pelos gestores de enfermagem e apoio da instituiÃÃo. Os fatores que limitaram a implantaÃÃo do processo de enfermagem foram: dÃficit de funcionÃrios da enfermagem (40,9%), desinteresse de enfermeiros, tÃcnicos e/ou auxiliares de enfermagem (40,9%) e pouca disponibilidade de tempo da equipe (31,8%). Dentre as instituiÃÃes que nÃo possuÃam o processo, 68,2% tentou implantar o mÃtodo e isso ocorreu pelo menos uma vez. Os hospitais de Fortaleza estÃo evoluindo quanto à implantaÃÃo e implementaÃÃo do processo de enfermagem, tendo em vista que a maioria das instituiÃÃes possui o mÃtodo implantado, mesmo que de forma fragmentada. Assim, à necessÃria sensibilizaÃÃo de gestores de unidades quanto à necessidade de prestar assistÃncia de enfermagem fundamentada em mÃtodo cientÃfico, como o processo de enfermagem. Objectives: to Analyze the use of the nursing process in hospitals in Fortaleza-CE. Methodological description: descriptive, cross-sectional, quantitative Study. Attended the 47 directors of nursing research hospitals and 89 coordinators of units. Data collection took place in April to August 2012. The data were analyzed descriptively. Project approved by CoÃtica (190/11 Protocol). Results: the majority (53%) of the institutions has the nursing process deployed, and in 60% of the institutions, it is deployed for less than five years. The most commonly used standard taxonomies were: NANDA (82.4%), NIC (17.5%) and NOC (3.5%). As positive factors for the implementation of the process have been: interest on the part of nurses, nursing Manager availability, presence of incentives by nursing managers and support of the institution. Conclusion: it is concluded that hospitals in Fortaleza are evolving as the deployment and implementation of the nursing process.
5

Health promotion mastectomized womenâs: assessment of educational strategy PromoÃÃo da saÃde da mulher mastectomizada: avaliaÃÃo de estratÃgia educativa

Mariza Silva de Oliveira 23 December 2009 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior O cÃncer mamÃrio depende de aÃÃes pontuais da promoÃÃo da saÃde, proteÃÃo especÃfica e diagnÃstico precoce. A promoÃÃo da saÃde na reabilitaÃÃo da mastectomia mediante estratÃgias educativas pode ser eficaz, pois promove conhecimentos sobre saÃde, influencia as decisÃes para adoÃÃo de hÃbitos saudÃveis, assim como motiva uma aÃÃo desejada, articulando as intervenÃÃes apreendidas na manutenÃÃo da saÃde. Objetivou-se avaliar a tecnologia educativa (manual) implementada a mulheres mastectomizadas quanto ao conhecimento adquirido sobre aspectos ligados ao cÃncer de mama e à motivaÃÃo para mudanÃa comportamental no seu autocuidado por meio do Modelo TransteÃrico (MTT). Estudo avaliativo, descritivo, transversal e quantitativo. A intervenÃÃo avaliada foi o manual educativo sobre o cÃncer de mama e a reabilitaÃÃo. A amostra foi composta por 125 mulheres de acordo com critÃrios de inclusÃo, dentre eles, tempo de cirurgia (> 15 dias) e escolaridade (> 5 ano do ensino fundamental). A coleta foi realizada de abril a agosto de 2009 numa instituiÃÃo especializada em oncologia, em trÃs fases denominadas: preparatÃria, operacional I, correspondendo à aplicaÃÃo do questionÃrio prÃ-teste e escala URICA antes da leitura do manual, e operacional II, ao pÃs-teste e escala URICA apÃs a leitura. Os dados foram extraÃdos de questionÃrios prà e pÃs-teste (avaliaÃÃo do conhecimento) e escala URICA - University of Rhode Island Change Assessment Scale (avaliaÃÃo dos estÃgios de mudanÃa comportamental). Os dados receberam tratamento descritivo, sendo calculadas mÃdias, desvio-padrÃo, freqÃÃncias e percentis. Na avaliaÃÃo e comparaÃÃo do conhecimento, os resultados foram organizados em tabelas e grÃficos, sendo feitos os testes t-Student e McNemar, considerando significantes p<0,005. Sobre as caracterÃsticas das mulheres, a idade variou de 24-84 anos (m=51,66), predominaram casadas-viÃvas (63,2%), ensino fundamental (44,8%), ocupaÃÃo fora do lar (56%), renda familiar atà um salÃrio mÃnimo (44,8%, m=2,57), a maioria submetida a mastectomia (68%). Das que fizeram tratamento (N=122), 57,4% passaram por duas modalidades. A histÃria familiar apresentou-se em 81 (64,8%), sendo 74 (91,4%) em parentes de primeiro grau. Quanto ao conhecimento, o pÃs-teste aumentou 10% de acertos. Das questÃes, a mais acertada foi o nome da cirurgia (97,60%) e a menos, a reconstruÃÃo mamÃria (58,40%). Todas as questÃes foram estatisticamente significantes, exceto a dos cuidados com o dreno (p=0,743). Ao comparar o conhecimento apÃs a leitura, as mulheres revelaram melhor desempenho, exceto sobre a reconstruÃÃo mamÃria (p=0,754), nÃo sendo estatisticamente significante. No referente à motivaÃÃo, a menor media no pÃs-teste foi na prÃ-contemplaÃÃo (m=15; Dp=2,65). Na comparaÃÃo, encontraram-se diferenÃas significativas antes e depois na prÃ-contemplaÃÃo (p=0,0001) e na manutenÃÃo (p=0,0001), nÃo sendo encontrada diferenÃa na contemplaÃÃo (p=0,211). Para aÃÃo, houve forte indicativo de maior mÃdia no pÃs-teste em relaÃÃo ao prÃ-teste (p=0,051). A avaliaÃÃo do conhecimento e a motivaÃÃo apresentaram resultados positivos com distribuiÃÃes sem disparidades entre as mÃdias antes e apÃs a intervenÃÃo. Mesmo o estudo evidenciando a possibilidade de motivaÃÃo, a cogniÃÃo à fundamental para a compreensÃo e conseqÃente adesÃo Ãs orientaÃÃes. Conclui-se que o manual educativo à um recurso favorÃvel à reabilitaÃÃo da mastectomizada, pois motiva a mulher ao autocuidado e à promoÃÃo da sua saÃde.
6

O ensino baseado em simulação e o desenvolvimento de competência clínica de estudantes de enfermagem

Bortolato-Major, Carina 2017 (has links)
Orientadora: Profª Drª Maria de Fátima Mantovani Coorientador: Prof. Dr. Jorge Vinícius Cestari Felix Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 27/10/2017 Inclui referências : f. 139-157 Resumo: O ensino baseado em simulação tem sido utilizado como método pedagógico padrão ouro na formação dos profissionais de saúde, a fim de prepará-los para um cuidado ético e seguro. O objetivo foi avaliar a contribuição do ensino baseado em simulação de alta fidelidade para o desenvolvimento de competências clínicas pelo estudante de enfermagem. Estudo de intervenção longitudinal e quantitativo que utilizou como modelo teórico o "Nursing Education Simulation Theory". Participaram 35 estudantes do curso de enfermagem da Universidade Federal do Paraná matriculados no sexto período entre julho de 2015 e junho de 2016. A proposta educacional foi dividida em três blocos de atividades: fundamentação teórica, estações de aprendizagens com simulação de alta fidelidade e debriefing. Foram realizadas cinco simulações com nível crescente de complexidade com situações versando sobre o atendimento de emergência cardiovascular, respiratório e neurológico. Os instrumentos para coleta de dados utilizados foram: avaliação do estresse, escala de autoconfiança, avaliação do debriefing associado à simulação e escala de satisfação com as experiências clínicas simuladas. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial, e foi utilizado um modelo linear de efeitos mistos. Dentre os participantes, houve o predomínio do sexo feminino (90,6%), com idade entre 22 e 24 anos (45,7%). Ao analisar o percentual de variação do estresse obtido antes e após cada uma das cinco simulações, observou-se aumento do estresse relacionado ao fator 2 - "contato com o sofrimento" após a simulação 1 (p=0,0041) e após a simulação 2 (p=0,0479); aumento do nível de estresse conferido ao fator 3 - "relação com tutores e companheiros" após a simulação 1 (p=0,0046); aumento do estresse associado ao fator 5 - "não controlar a relação com o doente" após a simulação 3 (p=0,0439); aumento do estresse ligado ao fator 6 - "envolvimento emocional" após a simulação 3 (p=0,0454); aumento do estresse relacionado ao fator 7 - "ser magoado na relação com o doente" após a simulação 1 (p=0,0304) e aumento do estresse atribuído ao fator 8 - "sobrecarga" após a simulação 3 (p=0,0282). Quanto ao percentual de estresse ao longo do tempo, observou-se diminuição do fator 1 - "falta de competência" entre a simulação 1 e 5 (p=0,0329), diminuição do fator 2 - "contato com o sofrimento" entre a simulação 1 e 3 (p=0,0279), diminuição do fator 3 - "relação com tutores e companheiros entre a simulação 1 e 3 (p=0,0135) e diminuição do fator 7 - "ser magoado na relação com o doente" entre a simulação 1 e 5 (p=0,0110). A autoconfiança aumentou entre a primeira e quinta simulação (p<0,05). O debriefing contribuiu para o desenvolvimento psicossocial (média=3,77), cognitivo (média=4,23) e afetivo (média=3,71) do estudante. Foi identificada a satisfação dos estudantes em relação a proposta pedagógica e a simulação de alta fidelidade. O resultado demonstrou que o ensino baseado em simulação promoveu o controle do estresse, a autoconfiança, o pensamento reflexivo por meio do debriefing e a satisfação dos estudantes de enfermagem com o seu aprendizado. A participação dos estudantes nesta proposta pedagógica e sua imersão na simulação de alta fidelidade contribuiu para a aquisição de autoconfiança e para o desenvolvimento cognitivo, e portanto, para o desenvolvimento de competências clínicas. Palavras-chaves: Ensino. Aprendizagem. Simulação de Paciente. Competência Clínica. Prática Profissional. Abstract: Simulation-based teaching has been used as a gold-standard pedagogical method in training health professionals in order to prepare them for ethical and safe care. The objective was to evaluate the contribution of teaching based on high fidelity simulation to the development of clinical competences by the nursing student. It is a longitudinal and quantitative intervention study that used as a theoretical model the "Nursing Education Simulation Theory". Thirty-five nursing students from the Federal University of Paraná enrolled in the sixth period between July 2015 and June 2016 participated. The educational proposal was divided into three blocks of activities: theoretical foundation, learning stations with high fidelity simulation and debriefing. Five simulations were carried out with increasing level of complexity with situations dealing with cardiovascular, respiratory and neurological emergency care. The instruments used for data collection were: stress assessment, self-confidence scale, evaluation of the debriefing associated with the simulation, and satisfaction scale with the simulated clinical experiences. The data were analyzed through descriptive and inferential statistics, and a linear model of mixed effects was used. Among the participants, the predominance was female (90.6%), aged between 22 and 24 years (45.7%). When analyzing the stress score obtained before and after each of the five simulations, there was an increase in stress related to factor 2 - "contact with suffering" after simulation 1 (p = 0.0041) and after simulation 2 ( p = 0.0479); increase in the stress level conferred to factor 3 - "relationship with tutors and partners" after simulation 1 (p = 0.0046); increased stress associated with factor 5 - "not controlling the relationship with the patient" after simulation 3 (p = 0.0439); increased stress associated with factor 6 - "emotional involvement" after simulation 3 (p = 0.0454); increased stress related to factor 7 - "being hurt in relation to the patient" after simulation 1 (p = 0.0304) and increased stress attributed to factor 8 - "overload" after simulation 3 (p = 0.0282 ). As for the stress score over time, there was a decrease of factor 1 - "lack of competence" between simulation 1 and 5 (p = 0.0329), decrease of factor 2 - "contact with suffering" between simulation 1 and 3 (p = 0.0279), decrease of factor 3 - "relationship with tutors and partners between simulation 1 and 3 (p = 0.0135) and decrease of factor 7 -" being hurt in relation to the patient" between simulation 1 and 5 (p=0,0110). Self-confidence increased between the first and fifth simulation (p <0.05). The debriefing contributed to the student's psychosocial (average = 3.77), cognitive (average = 4.23) and affective (average = 3.71) development. Student satisfaction was identified in relation to the pedagogical proposal and high fidelity simulation. The result showed that simulation-based teaching promoted stress control, self-confidence, reflective thinking through debriefing, and the satisfaction of nursing students with their learning. The participation of the students in this pedagogical proposal and their immersion in the high fidelity simulation contributed to the acquisition of self-confidence and to the cognitive development, and therefore, to the development of clinical competences. Keywords: Teaching. Learning. Patient Simulation. Clinical Competence. Teaching. Professional Practice. Resumen: Se ha utilizado la enseñanza basada en la simulación como método pedagógico estándar de oro en la formación de los profesionales de la salud a fin de prepararlos para un cuidado ético y seguro. El objetivo fue evaluar la contribución de la enseñanza basada en simulación de alta fidelidad para el desarrollo de competencias clínicas según estudiantes de enfermería. Estudio cuantitativo y de intervención longitudinal que utilizó como modelo teórico el "Nursing Education Simulation Theory". Participaron 35 estudiantes de la carrera de enfermería de la Universidad Federal do Paraná, inscriptos en el sexto período entre julio 2015 y junio 2016. La propuesta educativa fue dividida en tres bloques de actividades: fundamentación teórica, estaciones de aprendizajes con simulación de alta fidelidad y debriefing. Se realizaron cinco simulaciones con un nivel creciente de complejidad, con situaciones que versan sobre la atención de emergencia cardiovascular, respiratoria y neurológica. Los instrumentos para la recolección de datos utilizados fueron: evaluación del estrés y escala de autoconfianza con las experiencias clínicas simuladas. Los datos fueron analizados a través de estadística descriptiva e inferencial, y se utilizó un modelo lineal de efectos mixtos. Entre los participantes, hubo el predominio del sexo femenino (90,6%), con edad de 22 a 24 años (45,7%). Al analizar la puntuación de estrés obtenido antes y después de cada una de las cinco simulaciones, se observó aumento del estrés relacionado con el factor 2 - "contacto con el sufrimiento" tras la simulación 1 (p=0,0041) y la simulación 2 (p=0,0479); aumento del nivel de estrés conferido al factor 3 - "relación con tutores y compañeros" tras la simulación 1 (p=0,0046); aumento del estrés asociado as factor 5 - "no controlar la relación con el paciente" tras la simulación 3 (p=0,0439); aumento del estrés conectado al factor 6 - "implicación emocional" tras la simulación 3 (p=0,0454); aumento del estrés relacionado con el factor 7 - "ser herido en la relación con el enfermo" tras la simulación 1 (p=0,0304) y aumento del estrés atribuido al factor 8 - "sobrecarga" tras la simulación 3 (p=0,0282). En cuanto a la puntuación de estrés a lo largo del tiempo, se observó disminución del factor 1 - "falta de competencia" entre la simulación 1 y 5 (p=0,0329); disminución del factor 2 - "contacto con el sufrimiento" entre la simulación 1 y 3 (p=0,0279); disminución del factor 3 - "relación con tutores y compañeros entre la simulación 1 y 3 (0,0135) y disminución del factor 7 - "ser herido en la relación con el enfermo" entre la simulación 1 y 5 (p=0,0110). La autoconfianza aumentó entre la primera y quinta simulación (p<0,05). El debriefing contribuyó para el desarrollo psicosocial (promedio=3,77), cognitivo (promedio=4,23) y afectivo (promedio=3,71) del estudiante. Se identificó la satisfacción de los estudiantes en relación a la propuesta pedagógica y la simulación de alta fidelidad. El resultado demostró que la enseñanza basa en simulación promovió el control del estrés, la autoconfianza, el pensamiento reflexivo por medio del debriefing y la satisfacción de los estudiantes de enfermería con su aprendizaje. La participación de los estudiantes en esta propuesta pedagógica y su inmersión en la simulación de alta fidelidad contribuyó a la adquisición de autoconfianza y al desarrollo cognitivo, y por lo tanto al desarrollo de competencias clínicas. Palabras clave: Ensenãnza. Aprendizaje. Simulación de Paciente. Competencia Clínica. Práctica Profesional.
7

AplicaÃÃo e validaÃÃo da Breastfeeding Self-Efficacy Scale-Short Form (BSES-SF) Application and Validation of Breastfeeding Self-Efficacy Scale - Short Form (BSES-SF) in postnatal mothers.

Regina ClÃudia Melo Dodt 16 January 2008 (has links)
FundaÃÃo de Amparo à Pesquisa do Estado do Cearà A Breastfeeding Self-Efficacy Scale â Short Form (BSES â SF) à um instrumento que se destina avaliar as expectativas pessoais acerca da auto-eficÃcia da mulher que amamenta. Logo, este estudo teve como objetivos: aplicar a BSES-SF em mulheres assistidas no puerpÃrio imediato e verificar a confiabilidade e a validade da BSES-SF para a detecÃÃo da confianÃa das mulheres no leite materno e no seu potencial de exercer a amamentaÃÃo. No contexto brasileiro, a BSES nas duas formas (completa e abreviada) foi submetida ao processo de traduÃÃo e adaptaÃÃo cultural para a lÃngua portuguesa por Orià (2008). Assim, desenvolveu-se um estudo metodolÃgico com abordagem quantitativa realizado nas unidades de Alojamento Conjunto (AC) de uma maternidade pÃblica de grande porte, de referÃncia terciÃria na assistÃncia perinatal e neonatal, em Fortaleza. A amostra foi constituÃda por 294 puÃrperas admitidas no alojamento conjunto. A coleta de dados ocorreu no perÃodo de agosto a outubro de 2007, tendo sido utilizada alÃm da BSES-SF, um formulÃrio com informaÃÃes sociodemogrÃficas, antecedentes obstÃtricos, dados da gravidez atual, parto, puerpÃrio, condiÃÃes da mama, dados do nascimento e saÃde da crianÃa. O Alfa de Cronbach foi de 0,74, indicando alta consistÃncia interna, a qual foi ratificada pelo coeficiente de correlaÃÃo intraclasse que variou de 0,69 a 0,78. A validade de construto realizada pela anÃlise fatorial utilizando a anÃlise dos componentes principais, revelou que apesar dos itens 3,7 e 9 ficarem alocados nos dois fatores, prevaleceu o fator com maior valor da correlaÃÃo, respectivamente o item 3 (0,353) e 9 (0,536) no domÃnio intrapessoal e item 7 (0,565) no domÃnio tÃcnico, pois todos os itens tÃm cargas fatoriais acima de 0,30, o que à recomendado pelos especialistas, portanto nenhum item foi eliminado. A partir da correlaÃÃo entre a BSES-SF e as variÃveis sociodemogrÃficas, verificou-se que somente a idade das puÃrperas apresentou associaÃÃo estatÃstica significante tanto na escala total (r = 0,139; p = 0,018), como no domÃnio tÃcnico (r = 0,118; p = 0,044) e no domÃnio intrapessoal (r = 0,133; p = 0,023). Constatou-se, portanto, a relevÃncia da escala quanto a sua utilizaÃÃo pelos enfermeiros no Alojamento Conjunto, constituindo-se um instrumento confiÃvel e vÃlido para diagnosticar a confianÃa das puÃrperas no leite materno e no seu potencial de exercer a amamentaÃÃo, o que resultarà em intervenÃÃes individualizadas e em uma assistÃncia voltada para a promoÃÃo da saÃde.
8

Elderly culture and its influence to HIV/Aids risk A cultura do idoso e sua influÃncia no risco perante o HIV/Aids

Aline Rodrigues Feitoza 25 January 2008 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior The increase in the number of cases of AIDS in the elderly has been the target of investigations. Culturally we does not usually associate with AIDS in the elderly population, because unfortunately for many these are seen as people without sex. Having as general objective to investigate how the culture of the elderly person have influences in the construction of the meaning of risk to the epidemic of HIV / AIDS. We used the theoretical and methodological reference the ethnography, proposed by Madeleine Leininger through etnonursing. We used as a guide for guiding data collection and analysis of the model of observation-participation-reflection, known as O-P-R model. Data were collected in Group Life which operates within the Center for Family Development (CEDEFAM) and is bound by the Executive Secretariat Regional III (SER III) and Pro-Rectory of extension of the Federal University of Ceara (UFC). We had as general population 48 elderly and the, where we draw their social and cultural profile through search in family records, of which 11 were called key informants and participated in the three thematic workshops held in October and November 2007. As a result of thematic workshops and profile drawned, data were divided into 4 sections: 1) Who are the elderly of the Group Life?; 2) What of the elderly Group Life know about HIV / AIDS; 3)The culture of the elderly and the construction of the meaning of gender / sexuality; 4) Self risk to the HIV / Aids. The data revealed that in the cultural questions regarding to sex, sexuality, religion and emotional relationships were cast in the kind of creation that they had what may become a factor difficult to the works of education and prevention of STD / AIDS, because still wrapped in myths and chastity. Their knowledge about the HIV / AIDS is still very restricted to the use of condoms, which does not say that they accept it or use it in their sexual relations. The elderly of the Group Life does not perceive themselves within the risk of infection for HIV / AIDS and this is due to the importance that they attach to risk, which can be detected as something that can happen to other, and it is very tied to the type of sexual relationships that they have. As we can see in the course of the study the culture influences in the construction of the meaning of risk to HIV, for the elderly searched the influences of the socio-cultural context make them do not perceive as a population vulnerable to the epidemic, and as such is more exposed to AIDS, since there is still a gap too large with respect to basic knowledge of transmission and prevention of HIV / AIDS. O aumento do nÃmero de casos de Aids em idosos tem sido alvo de investigaÃÃes. Culturalmente nÃo se costuma associar a Aids a populaÃÃo idosa, pois infelizmente para muitos estes sÃo vistos como assexuados. Esse estudo tem como objetivo geral investigar como a cultura da pessoa idosa influencia na construÃÃo do significado de risco perante a epidemia do HIV/Aids. Tendo como referencial teÃrico metodolÃgico a etnografia, proposta por Madeleine Leininger atravÃs da etnoenfermagem. Utilizamos como guia norteador de coleta e anÃlise de dados o modelo da observaÃÃo-participaÃÃo-reflexÃo, conhecido como modelo O-P-R. Os dados foram colhidos no Grupo Vida que funciona dentro do Centro de Desenvolvimento Familiar (CEDEFAM) e està vinculado a Secretaria Executiva Regional III (SER III) e a PrÃ-Reitoria de ExtensÃo da Universidade Federal do Cearà (UFC). Tivemos como populaÃÃo geral 48 idosos, onde pudemos traÃar o perfil sÃcio-cultural dos mesmos atravÃs de busca em prontuÃrio familiar, dentre os quais 11 foram denominados informantes chaves e participaram das trÃs oficinas temÃticas realizadas nos meses de outubro e novembro de 2007. Como resultado das oficinas temÃticas e do perfil traÃado os dados foram divididos em 4 seÃÃes: 1) Quem sÃo os idosos do Grupo Vida?; 2) O que os idosos do Grupo Vida sabem sobre o HIV/Aids; 3) A cultura do idoso e a construÃÃo do significado de sexo/sexualidade; 4) PercepÃÃo de risco perante o HIV/Aids. Os dados nos revelaram que as questÃes culturais em relaÃÃo ao sexo, sexualidade, religiÃo e relacionamentos afetivos e sexuais foram moldados no tipo de criaÃÃo que tiveram o que pode vir a ser um fator dificultante nos trabalhos de educaÃÃo e prevenÃÃo das DST/Aids, pois ainda estÃo envoltos em mitos e pudores. O conhecimento dos mesmos com relaÃÃo ao HIV/Aids ainda està muito restrito ao uso do preservativo, o que nÃo implica afirmar que os mesmos o aceitem ou usem em suas relaÃÃes sexuais. Os idosos do Grupo Vida nÃo se percebem dentro do risco de se infectarem pelo HIV/Aids e isso se deve ao significado que os mesmos atribuem a risco, que pode ser percebido com algo que pode acontecer com o outro, e està muito atrelado ao tipo de relacionamento sexual que os mesmos possuem. Como podemos perceber no decorrer do estudo a cultura influencia na construÃÃo do significado de risco perante o HIV, para os idosos pesquisados as influÃncias do contexto sÃcio-cultural fazem com que os mesmos nÃo se percebam como uma populaÃÃo vulnerÃvel à epidemia, e como tal està mais exposta a Aids, visto que ainda hà uma defasagem muito grande com relaÃÃo a conhecimentos bÃsicos de transmissÃo e prevenÃÃo do HIV/Aids.
9

Sexually Transmissible Diseases - psychosocial analysis of deaf studentsâ representations DoenÃas sexualmente transmissÃveis - AnÃlise psicossocial das representaÃÃes de alunos surdos

JanaÃna Francisca Pinto Fernades 7 March 2008 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior This study approaches deaf peopleâs social representations in the concerning to sexually transmissible diseases, due to the difficulty deafness causes in communication and, consequently, in the acquisition of contents on STD, strengthening susceptibility to such diseases. The research was carried out in a basic education deaf school. It aimed at: learning deaf studentsâ social representations on STD; identifying representations related to information acquirement, ways of STD contamination and prevention; interpreting their own social representations face to others and to themselves. The exploratory study was carried out with stratified sample with students from 6th to 9th grades studying in the three times. To data collection, the researcher used the Word Association Test (WAT), the draw-a-story theme based test survey and reports in field diary. Population consisted of 174 students and the sample of 107. Statiscal Package for Science Program, version 13.0 organized qualitative WAT and survey data. WAT data interpretation was proceeded with correspondence analysis and survey data with content correspondence. Results show that about 50% are male or female, with average age of 21. A little more than a half of them report knowing STD topic, and two are the ways of acquiring such information: alone, through books and magazines, and through other people (friends, neighbors etc) followed by school. Family members reported as responsible for information students highlighted mother, and mother and father together. AIDS is the most known disease, followed by hepatitis B and syphilis. Furthermore, they believe that diseases like dengue, leishmaniasis and yellow fever, that are transmitted by insect bite, are also sexually transmissible. Related to contamination, they have reported genital, oral and anal sex, as well as syringe sharing with drugs use; a significant number of students reported sneezing and cough, mouth kiss and sharing cutlery can improve the risk for STD, because they involve spittle. The primary preventive method students report is condom, and they believe that using condoms is being hygienic. They show to believe that STD have a strong semantic relationship with sex, condom, penis, disease and AIDS, while STD itself is represented by the words/expressions: I donât, condom, cannot date, disease, sick, weak, penis, vagina, mouth (the three latter as both organs from body and sick organs). The expression âI donâtâ shows STD deny for themselves, so it is the otherâs sickness. The study is an evidence for the knowledge that deaf students realize STD in couples and sexual organs, that is, the very sexual act. Esta pesquisa dedica-se ao estudo das representaÃÃes sociais de surdos com relaÃÃo Ãs doenÃas sexualmente transmissÃveis, visto que a surdez ocasiona dificuldades na comunicaÃÃo e conseqÃentemente na aquisiÃÃo de conteÃdos sobre DST, favorecendo a suscetibilidade a estas doenÃas. A pesquisa foi realizada em uma escola de ensino fundamental para deficientes auditivos. Objetivou-se: apreender as representaÃÃes sociais dos alunos surdos sobre as DST, identificar as representaÃÃes quanto à obtenÃÃo de informaÃÃes, formas de contaminaÃÃo e prevenÃÃo de DST, interpretar suas representaÃÃes sociais ante o outro e a si mesmo. O estudo foi do tipo exploratÃrio, realizado com uma amostra estratificada com alunos do 6 ao 9 ano que estudam nos trÃs perÃodos.Teve como instrumentos para a coleta de dados o Teste de AssociaÃÃo Livre de Palavras (TALP), o questionÃrio o Desenho-EstÃria com Tema (DECT) e registros em diÃrio de campo. A populaÃÃo foi constituÃda por 174 alunos e a amostra igual a 107. A organizaÃÃo dos dados quantitativos do questionÃrio e TALP foi procedida pelo Programa Statiscal Package for Science, versÃo 13.0. A interpretaÃÃo dos dados do TALP foi realizada por anÃlise de correspondÃncia (ANACOR) e a dos dados qualitativos do DECT por anÃlise de conteÃdo. Com relaÃÃo aos resultados, hà aproximadamente 50% de alunos de ambos os sexos, tendo idade mÃdia de 21 anos. Pouco mais da metade informa conhecer o tema DST, tendo duas principais formas de aquisiÃÃo de informaÃÃes: sozinho por meio de livros e revistas e outras pessoas que correspondem a amigos e vizinhos, seguido da escola. Dentre os membros familiares citados como fontes de informaÃÃes, merece destaque a figura da mÃe, seguida de pai e mÃe conjuntamente. A doenÃa mais conhecida pelos surdos, como sendo de transmissÃo sexual, à a aids, seguida da hepatite B e da sÃfilis, contudo acreditam que dengue, leishimaniose e febre amarela, que sÃo patologias transmitidas por picadas de insetos, sejam tambÃm de transmissÃo sexual. Quanto Ãs formas de contaminaÃÃo, assinalaram corretamente, sexo genital, sexo oral, sexo anal e o compartilhamento de seringas no uso de drogas injetÃveis e um nÃmero significativo de alunos assinalou que espirro ou tosse, beijo na boca e compartilhar os mesmos talheres representam formas de aquisiÃÃo DST, tendo nessas formas o envolvimento da saliva, acreditando que esta tambÃm seja uma das formas de transmissÃo de DST. A principal forma de prevenÃÃo das DST, no outro, à o uso de camisinha e em si mesmo à ter higiene com o corpo. Acreditam que DST tem forte relaÃÃo semÃntica com sexo, camisinha, pÃnis, doenÃa e aids, enquanto DST em si mesmo à representada pelas palavras/expressÃes: eu nÃo, camisinha, nÃo pode namorar, doenÃa, doente, fraco, pÃnis, vagina, boca; apresentando-se os trÃs Ãltimos ora no sentido de ÃrgÃos do corpo, ora como ÃrgÃos doentes. A expressÃo âeu nÃoâ revela a negaÃÃo de DST para si mesmo, sendo, portanto, a doenÃa do outro. Por meio da anÃlise dos DECT, percebe-se que os surdos objetivam seus conhecimentos sobre DST na figura de casais e ÃrgÃos sexuais, ou seja, a relaÃÃo sexual propriamente dita.
10

Nursing comunication among nurses and the visually impaired:aspects of nursing consultation ComunicaÃÃo verbal entre a enfermeira e o cego: aspectos observados durante a consulta de enfermagem

Katia Neyla de Freitas MacÃdo 31 August 2005 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior A problemÃtica da comunicaÃÃo com o cego à observada durante a atuaÃÃo profissional do enfermeiro. Este, desde a graduaÃÃo, nÃo à preparado para as especificidades desta deficiÃncia. Apesar de existir estudos sobre a cegueira, a relaÃÃo dela com o processo comunicativo ainda tem lacunas, particularmente porque o cego possui uma barreira sensorial capaz de comprometer as informaÃÃes recebidas durante a assistÃncia de enfermagem ao paciente. Este estudo se justifica pela necessidade do enfermeiro utilizar constantemente a comunicaÃÃo verbal no procedimento de assistÃncia e, para tanto, precisar conhecer os princÃpios e conceitos referentes ao processo comunicativo. Quando essa comunicaÃÃo ocorre entre o enfermeiro e o cego, à importante ressaltar sua peculiaridade, no intuito de que o profissional desenvolva habilidades de comunicaÃÃo para efetivar uma assistÃncia de qualidade. Diante destas exigÃncias, teve-se como objetivo geral analisar a comunicaÃÃo verbal entre o enfermeiro e o cego diabÃtico à luz da teoria de Roman Jakobson e como objetivos especÃficos identificar o remetente da interaÃÃo na comunicaÃÃo entre o enfermeiro, o cego diabÃtico e o acompanhante, e traÃar o perfil do remetente segundo as funÃÃes conativa e emotiva, o referencial, o contato e o cÃdigo. à um estudo descritivo e exploratÃrio, com abordagem quantitativa, realizado em um centro especializado em diabetes e hipertensÃo da cidade de Fortaleza, CearÃ. Trata-se de instituiÃÃo de referÃncia estadual em atenÃÃo à saÃde, com atendimento especializado a diabÃticos e hipertensos. Os sujeitos do estudo foram cegos, de ambos os olhos, atendidos nesse centro especializado, alÃm dos seus acompanhantes e as enfermeiras da instituiÃÃo. A coleta de dados foi realizada durante a consulta de enfermagem a diabÃticos, presentes a pesquisadora, a enfermeira, o cego e um possÃvel acompanhante. Para registros dos dados usaram-se filmagens realizadas, nos meses de fevereiro e marÃo de 2005. Anteriormente as filmagens, a pesquisadora entrevistou o cego, e colheu dados de identificaÃÃo (nome, idade, sexo, naturalidade, tempo de tratamento para controle de diabetes, tempo de acompanhamento na instituiÃÃo) e o interrogou acerca de como e quando adquiriu a cegueira. Isso ocorreu na sala de espera, antes do paciente ser consultado. As filmagens foram feitas durante a consulta de enfermagem, cuja duraÃÃo, em mÃdia, foi de 19 minutos. Foram realizadas cinco filmagens, analisadas por trÃs juÃzes- enfermeiras. As cenas foram analisadas a cada 15 segundos, quando ocorria uma pausa no vÃdeo e registro no instrumento de anÃlise de dados. No total analisaram-se 1.131 interaÃÃes verbais entre o enfermeiro, o cego e o acompanhante. Como resultado dessas interaÃÃes, observou-se que o enfermeiro assumiu o papel de remetente da comunicaÃÃo em 57,8%, enquanto o cego em 20%. No relacionado à variÃvel vocativo, prevaleceu o indicador modo de aÃÃo em 66,2% da comunicaÃÃo. Em relaÃÃo ao conteÃdo das informaÃÃes, sobressaÃram as orientaÃÃes em 85,4%, onde o canal mais utilizado foi a audiÃÃo (53%), seguida da visÃo (40,6%). Durante as consultas, a linguagem mais utilizada foi a comum (96,1 %). Para o cego, prevaleceu a comunicaÃÃo de assuntos pessoais (42%), enquanto para a enfermeira (59,8%), prevaleceu o tratamento. As funÃÃes emotivas mais comuns nas interaÃÃes foram as de solidariedade, satisfaÃÃo, tranqÃilidade e empatia. Segundo se concluiu, o enfermeiro, nesse cenÃrio de atuaÃÃo, ainda precisa desenvolver habilidades de comunicaÃÃo. Mesmo encontrando aspectos positivos durante a comunicaÃÃo verbal, foi constatado que o cego tem necessidade de verbalizar aspectos desvalorizados pelo profissional e que a enfermeira deve conhecer e valorizar as especificidades relativas ao atendimento a essas pessoas. Sugeriu-se, ao final, a ampliaÃÃo de pesquisas voltadas para a comunicaÃÃo entre enfermeiros e pessoas cegas com o objetivo de otimizar a assistÃncia. The issue of communicating with blind patients is observed during the professional performance of the nurses, who, since their undergraduate studies on blindness, is relationship with the communication process still presents some gaps. It is acknowledged that the blind patient presents a sensorial barrier that can compromise the information received during the nursing attendance to the patient. This study is justified by the nurseâs necessity of using verbal communication at all times during the attendance procedure and, for that matter, the necessity of knowing the principles and concepts which refer to the communication process. When this communication process takes place between the nurse and the blind patient, it is important to emphasize is specificity, making the professional develop communication skills to put into effect na assistance of quality. The general aim has been to analyze the verbal communication between the nurse and the diabetic blind patient in the light of Roman Jakobsonâs theory and, the specific aims, to identify the addresser of the interaction in the communication between the nurse, the diabetic blind patient and his/her companion, and to outline the addresserâs profile according to the conative function, to the emotive function, the referential, the contact and the code. This is a descriptive and exploratory study, which has utilized a quantitative approach, carried out in a specialized center in diabetes and hypertension in the city Fortaleza, CearÃ. This institution is a State reference in health care, provinding specialized attendance to diabetic and hypertensive patients. The subjects center blind peeple presenting blindness in both eyes, who are attended at this specialized center, their companions to diabetic patients, where the researcher, the nurse, the blind patient and a possible companion werw present. The data were recorded through video recording, in February anda March of 2005. Before the video recording, the researcher interviewed the blind patient, collecting data for identification (name, age, sex, city of birth, time of treatment for the control of diabetes, times of attendance in the institution), inquiring also about how and went blind. That took place in the waiting room, before the pacientâs examination. The video recordings were performed during the nursing attendance, lasting, on average, 19 minutes. Five video recordings were performamed, analyzed by three nurse-referees. The scenes were analyzed every 15 seconds, when there was a pause on the video and entry on the data analysis instrument. A total of 1131 verbal interactions between the nurse, the blind patient and the companion were analyzed. As a result of those interactions, it was observed that the nurse took upon himself the role of addresser of the communication in 57.8%, while the blind patient did it in 20%. In what reagards the vocative variable, the mode of action prevailed in 66.2% of the communication. In what concerns the cotent of the information, guidance stood out in 85.4%, were the most utilized channel was hearing ( 53%), followed by sight (40.6%). The most employed language during the attendance was the common type ((96.1%). To the blind patient, the communication of person matters prevailed (42%), while to the nurse it was the treatment (59.8%). The most common emotive fuctions in the interactions were those of sympathy, satisfaction, tranquility and empathy. It has been concluded that the nurse, in the performance setting, still needs to develop communication skills. Even as positive aspects have been found during verbal communication, it has been ascertained that the blind patient das the necessity of verbalizing, aspects that were undervalued by the health professional, and the nurse needs to know and appreciate the specificd related to the attendance to those people. It has been suggested in the end the expansion of studies on the communication bteween the nurses and the blind patients, having as na aim to optimize the attendance.

Page generated in 0.2605 seconds