• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 4
  • Tagged with
  • 4
  • 4
  • 4
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A relação da escola com as famílias empobrecidas : a atualidade da obra A produção do fracasso escolar

Moraes, Edissônias Cordeiro 15 March 2018 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2018. / Submitted by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-09-18T19:47:58Z No. of bitstreams: 1 2018_EdissôniasCordeiroMoraes.pdf: 5002936 bytes, checksum: 0fe93106b1848daa573005c1085d22ec (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-09-19T19:18:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2018_EdissôniasCordeiroMoraes.pdf: 5002936 bytes, checksum: 0fe93106b1848daa573005c1085d22ec (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-19T19:18:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2018_EdissôniasCordeiroMoraes.pdf: 5002936 bytes, checksum: 0fe93106b1848daa573005c1085d22ec (MD5) Previous issue date: 2018-09-18 / Na década de 1980, a pesquisadora e professora Maria Helena Souza Patto denunciou os preconceitos sofridos pelos alunos de famílias pobres nas escolas. A autora mostrou como a teoria da carência cultural era amplamente usada pelos professores para aportar tais preconceitos. A presente pesquisa é um diálogo com o trabalho de Patto (1993) e parte dos seguintes questionamentos: como é atualmente a relação da escola com os alunos das camadas populares? Como ocorre hoje a exclusão escolar pelo fator socioeconômico? Quais as explicações atuais dos docentes sobre o fracasso escolar dos alunos das camadas empobrecidas? Fizemos uma revisão bibliográfica com um retorno ao trabalho de Patto (1993) e averiguamos também em artigos atuais a temática do fracasso escolar. Examinamos as políticas públicas de inclusão educacional e no referencial teórico trouxemos a teoria psicanalítica para refletirmos sobre as questões que perpassam nossos questionamentos. A pesquisa realizou-se em uma escola pública na periferia do Distrito Federal. Fizemos dois Estudos de Caso com duas famílias da comunidade escolar. Constatamos avanços sociais no campo da educação em relação à década de 80, mas não suficientes para uma inclusão efetiva dos alunos pobres, com acesso e permanência em uma escola com ensino de qualidade. Constatou-se também que os docentes permanecem ancorados em várias explicações para justificarem a ausência de responsabilidade da escola frente a essa exclusão. / In the 1980s, professor and researcher Maria Helena Souza Patto denounced the prejudice suffered by students from poor families at school. The author indicates teachers made wide use of the cultural deficit theory to explain such prejudice. The present study established a connection between Patto‟s work (1993) and the following questions: How is today‟s relationship between schools and disadvantaged students? How does school exclusion due to socio-economic factors take place today? How do today‟s teachers explain school failure for students from lower-income households? We performed a literature review, returning to Patto (1993), as well as exploring school failure from the perspective of contemporary papers. We also examined public policies on inclusive education and applied the psychoanalytic theory to approach the subject matter. The research was conducted in a public school located in the outskirts of the Federal District in Brazil, where two case studies were carried out with two families from the school community. The results imply there has been positive social change in the education field since to the 1980s, but not sufficient for an effective inclusion of poorer students, with access and continuity in a school with high quality teaching. Moreover, the results also suggest teachers remain holding to many explanations to justify schools‟ absence of responsibility towards exclusion.
2

A relação trabalho-escola na narrativa de jovens : um estudo sobre significados e posicionamentos na transição para a vida adulta

Carlucci, Ana Paula 10 October 2008 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2008. / Submitted by Rosane Cossich Furtado (rosanecossich@gmail.com) on 2010-02-18T01:51:54Z No. of bitstreams: 1 2008_AnaPaulaCarlucci.pdf: 1530188 bytes, checksum: 0b33fbe0a6956bf7c5ed9b962992c8de (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-02-20T00:01:45Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_AnaPaulaCarlucci.pdf: 1530188 bytes, checksum: 0b33fbe0a6956bf7c5ed9b962992c8de (MD5) / Made available in DSpace on 2010-02-20T00:01:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_AnaPaulaCarlucci.pdf: 1530188 bytes, checksum: 0b33fbe0a6956bf7c5ed9b962992c8de (MD5) Previous issue date: 2008-10-10 / O processo de desenvolvimento do jovem brasileiro em transição para a vida adulta estudante da EJA no período noturno é impactado pelo interjogo existente entre o trabalho-escola. Acreditamos que ambos os contextos são concebidos como espaços de aprendizagem que mediam a relação do jovem com o mundo. Nessa relação, ao mesmo tempo em que as incertezas permeiam as condições de socialização, o jovem se sujeita, se adapta e resiste. No presente trabalho, a transição é vista como um processo das relações dialéticas do jovem com o meio, marcado pelos embates de conflitos críticos entre os modelos pessoais já existentes e as novas informações presentes nos cenários nos quais o jovem participa e pela negociação, re-significação e transformação desses momentos. Nessa tensão, a produção de significados e os posicionamentos são impactados pelo o que é ideologicamente compartilhado no contexto sociocultural e pela emoção, possibilitando o direcionamento para o futuro. Nessa tensão, concebemos os conceitos de posicionamentos – eu e dos significados as eles relacionados nas narrativas e argumentações como sendo compartilhados e construídos na dialogia. O si-mesmo é interpretado como construído por vários posicionamentos que se transformam nas mudanças de tempo e espaço. Os posicionamentos são entendidos como um processo de discurso no qual o si-mesmo se localiza na relação dialógica concreta. Nesse processo, a memória autobiográfica está sujeita a uma contínua re-construção entre os membros do grupo que têm que negociar os seus aspectos memoráveis, seus significados e o futuro. Dessa forma, o processo de desenvolvimento é visto como dinâmico, complexo e sistêmico. Pelo exposto, trabalho teve como objetivo analisar a produção de significados e os posicionamentos dos jovens que trabalham durante o dia e estudam à noite no Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos, de uma escola pública do Distrito Federal, por meio dos significados construídos nas narrativas e argumentações mediadas pela escrita, oralidade e imagens fotográficas. Para tanto, participaram do trabalho quatro jovens em transição para a vida adulta. Como procedimentos, utilizamos: entrevista de história de vida semi-estruturada; entrevista episódica com mediação de objeto; entrevista de completar as frases; entrevista da linha do tempo; entrevista mediada por imagens. E a análise temática dialógica aplicada à Psicologia, onde as entrevistas foram transcritas, lidas e relidas várias vezes para a realização da análise temática, que corresponde a uma construção de um referencial de codificação, tendo as enunciações como unidade de análise. Os resultados indicaram três temas centrais que se inter-relacionam: independência; emprego bom; e vida dura. Além disso, podemos notar a tensão a todo o momento entre o si-mesmo e o coletivo na construção de significados e posicionamentos dos participantes em relação ao trabalho, à escola e à vida. No interjogo entre trabalho-escola, o momento de transição foi marcado pelos embates críticos, a negociação e a transformação entre o passado (eu - estudante, o eu – criança, eu - dependente, eu – curtição, eu - feliz), o presente (eu - trabalhador, eu - estudante, eu - responsável, eu - sofredor, eu – independente) e o futuro (eu - trabalhador, eu - independente, eu - autônomo, eu - incluído na sociedade, eu - feliz). __________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The process of development during the transition to adulthood in young adults´ studying in Adults education in the evening schools narratives is marketed by an interplay between work and school. The spaces of work and school are understood as two space learning that mediate the relationship between the young adult and his/her world. In this relationship, uncertainty marks their conditions of socializations and young adults have to subject and adapt themselves and resist to different elements of the ideology. In this essay, we are going to conceive transition as the dialectic relationship process between the young adult and his/her contexts of development, which are marked by the tension created between old patterns and new information in their processes of socialization. In this tension, meanings related to their I-position are built on the dialogical impact of ideology and emotion. In this work, self is understood as built by multiples positions throughout time and space and as a speech process is which self is construed in concrete dialogic interactions. In this process, autobiographic memory is constantly negotiated with others, the self and the culture. Therefore, the process of development is conceived as dynamic, complex and systemic. This work aimed at analyzing four young adults´, who studied in high school and worked simultaneously, meaning construction and positioning in narratives and argumentations. They participated individually in five sessions of semi-structured interviews focused on their school and job histories, the explanations they built about school and work and their future expectations. The interviews were thoroughly transcribed and data were submitted to a dialogical thematic analysis. Results indicated that three main themes were interrelated in narratives by three main meanings: personal independency; having a good job and having a hard life, which were linked by a tension between collectives and individuals to built process of making-meaning and positioning about being young, a student and worker. In the interplay between work and school, transition was market by tensions, negotiations and transformation in temporality of the past (I-student, I-child, I-dependent, I-happy), the present (I-student, I-worker, I-independent, I-responsible, I-martyr) and the future (-worker, I-independent, I-happy, I-autonomous, I-include in society).
3

Fatores de risco e proteção do uso de drogas em escolas e sua relação com o clima escolar : o que pensam os educadores do DF

Souza, Maria Lizabete Pinheiro de 10 August 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2017-11-07T15:39:21Z No. of bitstreams: 1 2017_MariaLizabetePinheirodeSouza.pdf: 2081188 bytes, checksum: b968ebe36125b6fdf02a1119c9f348e1 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-12-01T16:40:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_MariaLizabetePinheirodeSouza.pdf: 2081188 bytes, checksum: b968ebe36125b6fdf02a1119c9f348e1 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-12-01T16:40:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_MariaLizabetePinheirodeSouza.pdf: 2081188 bytes, checksum: b968ebe36125b6fdf02a1119c9f348e1 (MD5) Previous issue date: 2017-12-01 / O paradigma sistêmico da educação para a saúde embasou este estudo que teve por objetivo investigar as concepções dos educadores do Distrito Federal (Brasil), os quais participaram das 5ª e 6ª edições do Curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas sobre os fatores de risco e de proteção do uso de drogas na escola e sua relação com o clima escolar. O trabalho de pesquisa teve como fio condutor a revisão bibliográfica sobre os estudos dos últimos dez anos referentes à percepção dos educadores sobre esses dois aspectos: clima escolar e fatores de risco e proteção. A pesquisa em tela, de caráter quali-quantitativo, utilizou três estratégias de coleta de dados: estudo documental dos projetos apresentados no âmbito do Curso de Formação de Educadores; aplicação e validação da Bateria de Avaliação do Clima Escolar-BACE – versão adaptada do Staff School Climate Module – Califórnia Climate School Survey (WestEd, 2007); e realização de grupo focal com os ex-cursistas da Coordenação Regional do Gama, Distrito Federal. Os resultados destacaram os principais fatores de proteção que concorrem para um clima escolar positivo e protetor, são eles: as relações escolares pautadas na afetividade, respeito e compromisso entre os agentes educativos e a presença e a colaboração das famílias; as práticas pedagógicas diversificadas e criativas, a presença de regras e normas claras; e a existência de projetos de prevenção. Estes fatores foram associados ao fornecimento de suporte emocional e acadêmico oferecido ao professor, e deste ao aluno, destacados na BACE. Os principais fatores de risco que concorrem para um clima escolar negativo e não protetor, foram: localização da escola em lugar de extrema vulnerabilidade; a ausência das famílias na escola; e uso de drogas pelos familiares dos alunos. Embora não tenha sido tão evidente a relação entre os fatores de proteção, compilados dos projetos de prevenção, e as medidas do clima escolar fornecidas pela BACE, esta relação foi traçada a partir da análise da literatura. / The systemic paradigm of health education based this study that had the objective of investigating the conceptions of the educators of the Federal District / Brazil who participated in the 5th and 6th editions of the Curso de Prevenção do uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas about the risk factors and protection of the drug use in school and its relation to school climate. The research work was guided by the bibliographical review on the studies of the last ten years concerning the educators perception of these two aspects: school climate and risk and protection factors. The qualitative and quantitative research on the screen used three data collection strategies: a documentary study of the projects presented in the framework of the Curso de Prevenção; application and validation of the Bateria de Avaliação do Clima Escolar-BACE - adapted version of the Staff School Climate Module - California Climate School Survey (WestEd, 2007), and a focus group with educators of the Coordenação Regional de Ensino of the Gama, Distrito Federal. The results evidenced the main protection factors that contribute to a positive and protective school environment, are: a) school relations based on affection, respect and commitment between teacher and student and between the educational agents and the presence and families collaboration; b) diversified and creative pedagogical practices and the presence of clear rules and regulations and the existence of prevention projects. These factors were associated with the provision of emotional and academic support offered to the teacher and the last student, prominent in BACE. The main risk factors that contribute to a negative and protective school environment were: a) school location instead of extreme vulnerability; b) absence of families in school and use of drugs by relatives of students. Although the relationship between protection factors, compiled prevention projects and school environment measures provided by BACE is not so obvious, this relationship was drawn from the literature review. / El paradigma sistémico de la educación para la salud basó este estudio que tuvo por objetivo investigar las concepciones de los educadores del Distrito Federal / Brasil, los cuales participaron de las 5ª y 6ª ediciones del Curso de Prevención del Uso de Drogas para Educadores de Escuelas Públicas sobre los factores de riesgo y de protección del medio ambiente El uso de drogas en la escuela y su relación con el clima escolar. El trabajo de investigación tuvo como hilo conductor la revisión bibliográfica sobre los estudios de los últimos diez años referentes a la percepción de los educadores sobre estos dos aspectos: clima escolar y factores de riesgo y protección. La investigación en pantalla, de carácter cuali-cuantitativo, utilizó tres estrategias de recolección de datos: estudio documental de los proyectos presentados en el ámbito del Curso de Formación de Educadores; la aplicación y validación de la Batería de Evaluación del Clima Escolar-BACE - versión adaptada del Staff School Climate Module - California Climate School Survey (WestEd, 2007), y, realización de grupo focal con los ex-cursistas de la Coordinación Regional del Gama, Distrito Federal. Los resultados destacaron los principales factores de protección que concurren a un clima escolar positivo y protector, son: a) las relaciones escolares pautadas en la afectividad, respeto y compromiso entre los agentes educativos y la presencia y la colaboración de las familias; b) las prácticas pedagógicas diversificadas y creativas, la presencia de normas y normas claras, y, la existencia de proyectos de prevención. Estos factores se asociaron al suministro de soporte emocional y académico, ofrecido al profesor y de éste al alumno, destacados en la BACE. Los principales factores de riesgo que concurren a un clima escolar negativo y no protector, fueron: a) localización de la escuela en lugar de extrema vulnerabilidad; b) la ausencia de las familias en la escuela, y el uso de drogas por los familiares de los alumnos. Aunque no fue tan evidente la relación entre los factores de protección, compilados de los proyectos de prevención, y las medidas del clima escolar proporcionadas por la BACE, esta relación, fue trazada a partir del análisis de la literatura
4

Para uma ecologia (mais) humana do professor readaptado

Medeiros, Rosana Carneiro Ferreira 03 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2010. / Submitted by Raquel Viana (tempestade_b@hotmail.com) on 2010-12-14T16:49:54Z No. of bitstreams: 1 2010_RosanaCarneiroFMedeiros.pdf: 1379525 bytes, checksum: 9f737903f824642748b756b55dcfba40 (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2010-12-16T23:42:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_RosanaCarneiroFMedeiros.pdf: 1379525 bytes, checksum: 9f737903f824642748b756b55dcfba40 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-12-16T23:42:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_RosanaCarneiroFMedeiros.pdf: 1379525 bytes, checksum: 9f737903f824642748b756b55dcfba40 (MD5) / O presente estudo trata do tema da Readaptação Funcional de professores da rede pública de ensino do Distrito Federal abordado na perspectiva da Ecologia Humana. Considera, para tanto, o ambiente escolar enquanto espaço ecossistêmico e articula em seu desenrolar as visões dos diferentes atores sociais envolvidos na trama complexa do fenômeno da readaptação funcional. Parte da profunda implicação da autora com o tema, enquanto professora readaptada da Secretaria de Educação do Distrito federal - SEDF e se dirige aos demais sujeitos participantes da pesquisa com o objetivo primordial de analisar e compreender como professores e professoras que passaram pelo Programa de Readaptação Funcional da SEDF vivenciaram essa experiência, identificando os processos de re-adaptação e de produção de novos sentidos dentro do espaço ecossistêmico da escola pública. Foram considerados dados relativos ao marco legal e quantitativos afetos ao fenômeno, além do foco na escuta sensível dos sujeitos da pesquisa. O levantamento foi realizado junto à SEDF, Diretoria de Saúde Ocupacional – DSO/SEDF e Diretoria Regional de Ensino do Plano Piloto/Cruzeiro – DRE PP/C, onde são também lotados os professores readaptados, professores regentes e dirigentes de escolas participantes, tendo sido também escutados profissionais de saúde envolvidos no processo. A metodologia utilizada foi a etnopesquisa crítica, selecionada por possibilitar uma abordagem ampla e reflexiva do tema sob seus diversos aspectos, sendo congruente com a dimensão proposta pela ecologia humana. A constatação de vivências de sofrimento e exclusão, desequilíbrio nas relações e atuações, mas também possibilidades de construção de ações efetivas que considerem os diversos ambientes de atuação pedagógica dentro da escola, para além do espaço restrito da sala de aula, e propiciem maior equilíbrio para a ecologia humana do professor readaptado como também para o ecossistema escolar a partir do envolvimento dos diferentes atores e do comprometimento institucional com a mudança, foram os principais resultados obtidos com o trabalho. Embora sem pretensões conclusivas esta autora alimenta a expectativa de que o presente trabalho possa contribuir para a construção de políticas públicas de inclusão e resgate desse profissional, ser humano ávido de reconhecimento, dentro das possibilidades resultantes de sua limitação de atividades, imposta pelo adoecimento. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study deals with the Functional Readaptation of public school teachers living in Brazil’s Federal District. It considers, from the perspective of Human Ecology, the school environment as an ecosystemic space. It also articulates the views of different social actors involved in the plot of the complex phenomenon of functional readaptation. The study begins with the author's deep involvement with the theme, she herself a readapted teacher of the Secretariat of Education of the Federal District – SEDF. It follows with the experiences of other subjects participating in the survey, with the main purpose of analyzing and understanding how teachers who passed through the Functional Readaptation Program of the SEDF experienced it, identifying the processes of re-adaptation and the production of new meanings within the public school, considered as an ecosystemic space. We considered the legal framework and quantitative data related to the phenomenon, including a sensitive hearing of the subjects of the research. The survey was conducted in the SEDF, Department of Occupational Health - DSO / SEDF Regional Board of Education of Plan Pilot / Cruzeiro - DRE PP / C, where we could find teachers in different status: classroom teachers, readapted teachers and also school directors. In the same Regional Board we could interview as well health professionals involved in the process. The methodology applied was critical ethnoresearch, which enables a comprehensive and reflexive understanding of the theme in its various aspects, being consistent with the human ecology approach. The main results of the study was to confirm the presence of life experiences of suffering and exclusion, with an imbalance in the human relationships and professional performances. Nevertheless it also showed that it is possible to implement effective actions taking in account the various environments of educational activities within the school, beyond the limited classroom space. These actions can also encourage a greater human ecological balance of the readapted teacher, as well as the school’s ecosystem, counting with the involvement of different actors and the institutional commitment to change. Though it doesn’t claim to be conclusive, the author expects this work to contribute to the building of inclusive public policies and to restore the place of the readapted teacher as a professional. This human being eager for recognition, though affected to some extent, by the limitations imposed by illness to its activities.

Page generated in 0.081 seconds