• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 70
  • 4
  • Tagged with
  • 74
  • 74
  • 20
  • 18
  • 12
  • 11
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo comparativo do comportamento parasitologico e imunologico das linhagens mineira e paulista do schistosoma Mansoni Sambon, 1907

Lemos Neto, Raimundo Carlos 15 July 2018 (has links)
Orientador : Luiz Augusto Magalhães / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-15T10:31:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LemosNeto_RaimundoCarlos_M.pdf: 3639565 bytes, checksum: 8f81ce0d639a3c7cb9ae15b69d7a34b6 (MD5) Previous issue date: 1975 / Resumo: Para estudos de alguns aspectos do comportamento das linhagens mineira (BH) e paulista (SJ) do S. monsoni, mantivemos o ciclo biológico do trematódeo em laboratório, utilizando como hospedeiro definitivo Mus musculus. Calculamos o poder de penetração das cercarias e verificamos que as cercarias da linhagem de Belo Horizonte possuem maior poder de penetração. Sessenta dias após a infecção dos camundongos, contamos os vermes adultos e os granulomas hepáticos obtidos pela perfusão dos roedores. Verificamos que houve maior produção de granulomas por verme, na linhagem mineira. Com os vermes adultos, preparamos quatro antígenos para posterior inoculação em coelhos: BHM (linhagem mineira, vermes machos) BHF (linhagem mineira, vermes fêmeas) SJM (linhagem paulista vermes machos) SJF (linhagem paulista vermes fêmeas).Determinamos os índices de mortalidade dos animais infectados, não tendo sido observada diferença significativa entre os dois grupos.Foi feita a determinação do teor protéico dos extratos dos vermes pelo método de LOWRY (1951). Evidenciamos estreita relação entre os valores de teor protéico em ambas as linhagens. Verificamos, ainda, que vermes de mesmo sexo e de linhagens distintas apresentaram teor protéico semelhantes, sendo sempre maior nos vermes fêmeas. Efetuamos análises em 'ring test' e em dupla difusão em gel de Agar ( técnica de OUCHTERLONY ) ...Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Mestrado / Mestre em Ciências Biológicas
2

Aspectos Epidemiológicos e Distribuição Espacial dos Portadores de Esquistossomose Atendidos no Hospital das Clínicas – Pernambuco no Período de 2010 a 2012

CAMPOS, Julyana Viegas 30 January 2014 (has links)
Submitted by Etelvina Domingos (etelvina.domingos@ufpe.br) on 2015-04-10T19:06:39Z No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO Julyana Viegas Campos.pdf: 1797440 bytes, checksum: 217cd28d216ff83272ae0a43d314c7c8 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-10T19:06:39Z (GMT). No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO Julyana Viegas Campos.pdf: 1797440 bytes, checksum: 217cd28d216ff83272ae0a43d314c7c8 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2014-01-30 / REUNI / No Estado de Pernambuco, a esquistossomose é historicamente endêmica na região rural, porém vem ocorrendo contínua expansão da doença para áreas litorâneas e no agreste do estado. Esta expansão territorial vem acarretando também uma mudança no perfil clínicoepidemiológico. Em áreas rurais, a esquistossomose se apresenta predominantemente sob a forma crônica, enquanto no litoral, a doença é representada por casos agudos. Apesar do quadro de morbidade da Esquistossomose mansônica no Brasil apresentar um decréscimo, ainda permanece a dúvida sobre a situação das formas graves da doença, diante deste fato, o presente estudo busca conhecer a atual expressão das formas clínicas da Esquistossomose, bem como sua expansão territorial. Realizou-se um estudo epidemiológico descritivo e exploratório com os registros de pacientes atendidos no Hospital das Clínicas nos anos de 2010 a 2012. Para a análise dos dados foram utilizadas medidas de tendência central e de variabilidade, os casos foram distribuídos espacialmente no TerraView 4.2. Foram identificados 436 pacientes no período estudado, 58,1% eram do sexo feminino, com média de idade de 53 anos, variando de 12 a 96 anos (desvio-padrão =13,9), 81,4% dos casos apresentavam a forma Hepatoesplênica da esquistossomose, considerada grave, seguida da Esquistossomose Pulmonar, Esquistossomose Intestinal ou Hepatointestinal e nenhum registro de Formas Acessórias da doença. O grau de fibrose hepática foi também categorizado, 32 encontravam-se sem fibrose hepática, 134 estavam com o grau I de fibrose, 244 com o grau II e apenas 26 pacientes foram categorizados com o grau III. Quanto à procedência, os municípios de Recife, Jaboatão dos Guararapes e Vitória de Santo Antão apresentaram maior quantitativo de casos. As evidências desse estudo alertam sobre o aumento da forma grave da esquistossomose em Pernambuco e distribuição dos casos principalmente pelas regiões da zona da mata e agreste.
3

Interação entre celulas conjuntivas hepaticas e mastocitos

Brito Neto, Jose Marques 19 July 2018 (has links)
Orientador: Radovan Borojevic / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-19T13:39:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 BritoNeto_JoseMarques_M.pdf: 2590243 bytes, checksum: ae5da90113b75839a3721392c7aceeef (MD5) Previous issue date: 1994 / Resumo: Na esquistossomose, parte dos ovos liberados pelo S. mansoni são embolizados no figado. Inicia-se então um processo inflamatório que evolui em um granuloma periovular. As células inflamatórias, principalmente macrófagos, são as primeiras a formarem o granuloma. Posteriormente há o crescimento de células conjuntivas hepáticas, que passam a ser um dos principais constituintes do granuloma e também há grande deposição de matriz extracelular. Os fatores envolvidos neste processo ainda não estão esclarecidos. Nesta etapa foi descrita a proliferação localizada de células mielóides e monomacrofágicas. As células conjuntivas derivadas do granuloma (GR) periovular mostraram-se capazes de sustentar in vitro a proliferação de células mielóides FDC-P1 e AD-3. O objetivo deste trabalho foi identificar qual ou quais fatores estariam sendo secretados pelas células GR. Em nosso estudo usamos mastócitos como modelo para identificar estes fatores. Eles são dependentes de interleucina-3, Interleucina-4 e/ou "Stem Cell Factor". As células GR sustentaram a viabilidade e proliferação de mastócitos peritoneais murinos, os quais mantiveram a síntese de heparina por cinco semanas em cocultura com células GR. Também sustentaram a proliferação de mastócitos humanos (dependentes de "Stem Cell Factor") por nove dias de cocultura. Demonstramos que células GR podem ser induzidas por mastócitos a expressar mensagem para "Stem Cell Factor", além de apresentarem o fator associado a membrana. Pois estromas de células GR fixadas que tiveram contato prévio com mastócitos sustentaram a viabilidade de novos mastócitos plaqueados até terceiro dia de cultura. Acreditamos que o "Stem Cell Factor" seja o fator responsável pela proliferação dos mastócitos, como também participe in vivo no processo granulomatoso / Abstract: In the schistosomal infection, a part of S.mansoni eggs are brought into the liver here they embolize. Granulomas are initially composed of inflammatory cells, mong which macrophages are predominant. The hepatic connective tissue cells grow and the associeted extracelular matrix becomes a important element of granulomas. The actors involved in these event are still unknown. In the later phase of periovular infection myeloid and monomacrophagic cells were able to proliferate. In vitro, granuloma-derived connective tissue cells (GR) have been shown to induce proliferation of myeloide cells FDC-P1 and AD-3. Our interest was to identify which factors are produced by GR cells. In this work, we have used mast-cells as a model to describe these factors, because mast cells are dependent of Interleukine-3, Interleukine-4 and/or Stem Cell Factor. The GR cells have supported the survival and proliferation of peritoneal murine mast cells, which have mantained their heparin synthesis for tive weeks in coculture with GR cells. Human mast cells (Stem Cell Factor-dependent) proliferated in six days in coculture with GR cells. We have shown that mast cells can induce GR cells to express message for Stem Cell Factor and the stroma-associated form of the factor. We believe that the Stem Cell Factor could be responsable for the mast cells proliferation and participate in the granulomatous process in vivo / Mestrado / Mestre em Farmacologia
4

Avaliação da suscetibilidade da linhagem Ouh (Ourinhos, Vale do Paranapanema-SP) de Schistosoma mansoni ao oxamniquine e praziquantel

Sabadini, Patricia Ivana Pires Bonesso 08 August 1995 (has links)
Orientador: Luiz Candido de Souza Dias / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-20T16:57:02Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Sabadini_PatriciaIvanaPiresBonesso_M.pdf: 3554392 bytes, checksum: 4ae0967a5e3d52c5745ad2f9ec216209 (MD5) Previous issue date: 1995 / Resumo: É bem conhecida a existência de linhagens de S. mansoni com resistência e/ou tolerância a drogas esquistossomicidas como hycanthone e oxamniquine. Devido a constatação de linhagens do verme isolado do campo com tolerância ao oxamniquine e praziquantel, impôs-se estudo de suscetibilidade a esses medicamentos para determinação de doses efetivas (DEs) e juntamente ao acompanhamento de oviposição dos animais tratados. Pesquisou-se, in vivo, o comportamento da linhagem Ouh, isolada de 3 portadores autóctones, não tratados, do município de Ourinhos, SP. Foram infectados 10 grupos de 13 camundongos, que receberam, oralmente, tratamento após 50 dias; 5 grupos foram medicados com oxamniquine nas dosagens de O, 100, 200, 300 e 400 mg/kg (dose única) e os restantes praziquantel a O, 100, 150,200 e 250 mg/kg (por 5 dias). Para cada grupo haviam 2 subgrupos: A) perfusão - formados por 8 animais perfundidos após 15 dias do término do tratamento e B) seguimento - com 5 camundongos acompanhados, quinzenalmente, com exames de fezes, método de Kato-Katz e eclosão de miracídios. Os valores de DEs foram determinados através de análise de probitos (procedimento específico do SAS) a partir dos resultados da perfusão. A eficácia para as dosagens de 100 mglkg de oxamniquine e de praziquantel foi de 66,0% e 90,1%, respectivamente, e a percentagens de vermes sobreviventes foi de 34,0% para a primeira droga e 9,9% para a segunda, sendo encontrados vermes machos, fêmeas e casais. Houve sobrevivência de vermes no grupo com 150 mg/kg/5 dias de praziquantel (2,4%), com vermes de ambos' os sexos e casais; porém para as outras doses constatou-se apenas sobrevivência de fêmeas, isso ocorrendo para as outras dosagens de oxamniquine e praziquantel. Nos exames quinzenais dos grupos de seguimento observou-se recuperação de oviposição após 60 dias do término do tratamento com 100 (em um camundongo) e 150 (em um animal) mglkg de praziquantel e após 75 dias com 100 (em um camundongos)e 200 mglkg de oxamniquine (em dois animais), indicando a presença de vermes vivos de ambos os sexos e interrompimento temporário da postura de ovos, certificando o não comprometimento do aparelho reprodutor da fêmea. Nas análises de doses efetivas determinou-se a dosagem necessária para matar 99% dos vermes machos (DE99) que foi de 129,2 e 159,4 mglkg de praziquantel e oxamniquine, respectivamente. Assim, é necessário rever as posologias de ambas as drogas no homem, com finalidade de proporcionar maiores percentagem de cura parasitológica, evitando seleção de linhagens do verme resistentes e/ou tolerantes no campo. Frente a estes resultados a linhagem Ouh foi considerada tolerante ao oxamniquine e praziquantel na dosagem de 1oO mglkg, por apresentar alterações de sensibilidade a ambas as drogas e por não cessar irreversivelmente sua oviposição após o tratamento / Abstract: The existence of resistant and/or tolerant Schistosoma mansoni strains to schistosomicides drugs as hycanthone and oxamniquine is well known. Secause of strains isolated from the field having tolerance to oxamniquine and praziquantel, the main foccus of this study was to determine the suscetibility to medicaments in order to find the effective doses (EDs). In addition, the treated animais were monitored to verify the oviposition pattern of worms. The Ouh strain was isolated, in vivo, from 3 autochthonous non-treated patient, from Ourinhos city, São Paulo state. Ten groups of 13 mice each were infected and received "per os" treatment after 50 days. Five groups were medicated with oxamniquine in doses of O, 100,200,300 and 400 mg/kg in a single dose, and five with praziquantel in daily doses of O, 100, 150,200 and 250 mg/kg for five days. For each group there were 2 subgroups: A) perfusion - formed by 8 animais perfused 15 days after the treatment; S) follow-up - formed by 5 mice that were followed with faeces exams, Kato-Katz method, and miracidia eclosion tests every 15 days. The EDs values from the perfusion res_lts were determined through the probit analysis (procedure of SAS). The efficacies of the dosage of 1oO mg/kg of oxamniquine and praziquantel were 66,0% and 90,1%, respectively, and the percentages of surviving worms were of 34,0% for the first drug and 9,9% for the latter. Live males, females and couples were found. The was 2,4% worms survival in the group treated with 150 mglkg/5 days of praziquantel and both sexes and couples were also found alive. However, for the other doses of praziquantel and oxamniquine only females survived. During the follow-up group some egg recovering was observed 60 days after the treatment, with 100 mg/kg of praziquantel (one animal) and 150 mg/kg of praziquantel (one animal); and after 75 days with 100 mg/kg of oxamniquine (one animal) and 200 mglkg of oxamniquine (two animais) indicating the presence of living worms of both sexes and temporary interruption of oviposition, indicating that the reproductive system of female was not affected. The 99% effective dilling doses for male worms (EDgg) were 129,2 and 159,4 mg/kg for praziquantel and oxamniquine, respectively. Hence, it is necessary to review the posology in humans for both drugs, with the purpose to achieve higher percentages of parasitological cure, thus preventing the selection of resistant and/or tolerant worm strains. In face to these results, the Ouh strain was considered tolerant to oxamniquine and praziquantel in dosage of 1OO mg/kg, for it showed sensibility changes to both drugs, and by not­stopping irreversibly oviposition afer treatment / Mestrado / Parasitologia / Mestre em Ciências Biológicas
5

Impacto do controle da esquistossomose mansonica sobre o hospedeiro humano em area de baixa endemicidade (Pedro de Toledo, São Paulo, 1980-1992)

Marçal Junior, Oswaldo 12 June 1995 (has links)
Orientador: Luiz Candido de Souza Dias / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituo de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-20T21:56:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 MarcalJunior_Oswaldo_D.pdf: 5003910 bytes, checksum: 9cb3f735753943aa819e07454bb85771 (MD5) Previous issue date: 1995 / Resumo: O programa de controle da esquistossomose mansônica no município de Pedro de Toledo (São Paulo, Brasil) foi implantado em 1980. No presente estudo foram avaliados diferentes aspectos do impacto das medidas de controle deste programa, no período 1980-1992, a partir da integração dos enfoques epidemiológico (quantitativo) e social (qualitativo). A pesquisa epidemiológica incluiu a análise de coeficientes de prevalência e incidência, intensidade de infecção e outros parâmetros de verificação da transmissão/controle. A pesquisa social envolveu a aplicação de questionários numa amostra das famílias locais e entrevistas não-estruturadas, realizadas com lideranças da comunidade. Casos autóctones representaram a maioria absoluta dos portadores de Schistosoma mansoni em Pedro de Toledo. Apesar de se verificar uma acentuada diminuição das taxas de cobertura, particularmente na zona urbana, todos os indicadores de impacto avaliados evidenciaram a diminuição dos níveis de transmissão da esquistossomose. A prevalência geral caiu de 23% em 1980 para 1,9% em 1992 e a incidência geral de 5,2% no período 1981/82 para 1,7% em 1990/91. Os coeficientes de incidência e prevalência foram maiores entre os homens e na zona rural, em quase todo o período pesquisado. Análises de Regressão Linear indicaram reduções estatisticamente significativas (p < 0,05) da prevalência e da incidência, com exceção da incidência nos grupos etários 0-4, 30-39 e >=40 anos. A média geométrica de ovos por grama de fezes na população foi de 58,5 em 1980. Esta intensidade de infecção caiu para 34, I em 1987 e 28,7 em 1991, entre os casos autóctones. Cerca de 95% dos casos registrados pelo programa foram tratados. A esquistossomose foi consideraóa um problema de saúde pela comunidade e a maioria das famílias reconheceu a importância do Programa de Controle. Contudo, grande parte dos entrevistados (45,8%) não se considerou participante do programa. De acordo com as lideranças ouvidas, a "ignorância das pessoas" e a falta de participação comunitária na definição das políticas de saúde seriam os principais problemas associados com o controle da esquistossomose no município. Concluímos que o programa produziu um forte impacto sobre a endemia, mas novos ajustes deverão ser promovidos no modelo; que a participação da comunidade nas atividades de controle está aquém das potencialidades da comunidade; e que a horizontalização do programa deve ser incluída entre as principais mudanças na estratégia de controle / Abstract: A Schistosomiasis Control Program has been developed in the municipality of Pedro de Toledo, São Paulo, Brasil, since 1980. In this area the unique snail host is Biomphalaria tenagophila. The present work was undertaken to evaluate the impact of the control measures from 1980 to 1992, using epidemiological (quantitative) and social (qualitative) approaches. The epidemiological research included analysis of prevalence and incidence rates, and intensity of infection. The assessment of social aspects was done through questionnaires, wich were applied to the sample of local families and deep interviews, wich were performed with community leaders. Autochthonous cases represented the majority of the Schistosoma mansoni carriers. Despite the drop in the coverage rates, all parasitological indicators evidenced a strong reduction in the schistosomiasis transmission. The overall prevalence rate decreased from 23.0% in 1980 to 1.9% in 1992 and the overall incidence dropped from 5.2% in the period 1981/82 to 1,7% in the period 1990/91. The incidence and prevalence rates were higher in males and rural zone. Regression Analysis showed significative decrease in all prevalence and incidence rates during the program, except for the incidence in 0-4, 30-39 and >=40 age groups. The geometric mean of S. mansoni was 58,5 eggs per gramme of fasces (epg) in 1980. This parasitic burden decreased to 34,1 epg in 1987 and 28,7 epg in 1991, amongst autochthonous cases. Near 95.0% of the infected individuals were submited to specific treatment with oxaminiquine. Schistosomiasis was pointed out as health problem for the community and the majority of the families recognized the importance of the control program Although, 45.8% of the interviewed denied their participation in the control activities. According to the community leaders the inwardness oi people" and the low level of community participation in the design of the health policies are the main problems related with schistosomiasis controI. We conc1uded that: the schistosomiasis program produced a vigorous impact on enemy, but new agreements will be promoted in the model; the community participation in the schistosomiasis control is below its possibilities and changes, involving a more horizontal approach, will be done in the control strategy / Doutorado / Doutor em Ciências Biológicas
6

Desenvolvimento dos esporocitos de Schistosoma mansoni (Sambon, 1907) em Biomphalaria glabrata (Say, 1818) e Biomphalaria tenagophila (D'Orbigny, 1835)

Guaraldo, Ana Maria Aparecida, 1951-2015 14 July 2018 (has links)
Orientador : Luiz Augusto Magalhães / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T19:31:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Guaraldo_AnaMariaAparecida_M.pdf: 3066816 bytes, checksum: 37221e4d884f18f401c32c0063fa09ac (MD5) Previous issue date: 1979 / Resumo: Conhecendo-se as diferenças de suscebilidade entre B. glabrata de Belo Horizonte (MG) e B. tenagophila da região o Vale do Rio Paraíba do Sul (SP), com relação às linhagens simpátricas (BH eSJ) de S. mansoni, entendemos ser oportuno o estudo do desenvolvimento dos esporocistos nos tecidos de moluscos. A evolução dos esporocitos primários e secundários foi avaliada mediante observações de cortes histológicos de moluscos sacrificados em diferentes estágios da infecção. Desta maneira as preparações, examinadas em microscopia óptica comum foram obtidas a intervalos semanais até a oitava semana após o contato de cada planorbídeo com 100 miracídios. Os resultados referentes á primeira semana de infecção revelam que: B. glabrata foi portadora de maior número de esporocistos primários viáveis. Em B. tenagophila predominaram esporocistos primários degenerados, envolvidos por infiltrados amebocitários. No 39 dia de infecção, B galbata apresentou 70,5% dos esporócitos primários íntegros, enquanto que em B. tenagophila apenas 1,6% dos esporocistos primários presentes nos tecidos apresentaram-se em condições de pregredir no processo evolutivo no hospedeiro intermediário. Os miracídios da linhagem BH apresentam maior capacidade de penetração que os da linhagem SJ. Não hove diferença entre as linhagens, quanto a distribuição dos esporocistos primários nos tecidos. A região podal mostrou maior número de esporocistos primários, seguindo-se cabeça, tentáculos, colar do manto, manto e outros órgãos ...Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Mestrado / Mestre em Ciências Biológicas
7

Metodo para o estudo quantitativo do fenomeno parasitario : sobre o comportamento de duas linhagens de Schistosoma mansoni

Magalhães, Luiz Augusto, 1932-2017 15 July 2018 (has links)
Tese (livre-docencia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-15T11:41:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Magalhaes_LuizAugusto_LD.pdf: 1922904 bytes, checksum: 73cdfd4a7f76f64d04dc5041f9d769b2 (MD5) Previous issue date: 1970 / Resumo: Não informado / Abstract: Not informed. / Tese (livre-docencia) - Univer / Livre-Docente
8

Contribuições ao estudo imunopatologico da esquistossomose mansonica, determinadas em Holochilus brasiliensis manus, Thomas 1897

Turri, Rosimary de Jesus Gomes 16 July 2018 (has links)
Orientadores : Humberto de Araujo Rangel , Othom de Carvalho Bastos / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-16T12:36:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Turri_RosimarydeJesusGomes_M.pdf: 5055145 bytes, checksum: 8900176dcbad3be833639bc3c42b5e04 (MD5) Previous issue date: 1989 / Resumo: Não informado / Abstract: Not informed. / Mestrado / Imunologia / Mestre em Ciências Biológicas
9

Avaliação da resposta imune a infecção por schistosoma mansoni em camundongos C3H/HeJ submetidos a dietas hipoproteica e normoproteica

Guaraldo, Ana Maria Aparecida, 1951-2015 30 November 1987 (has links)
Orientador : Luiz Augusto Magalhães / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-17T03:03:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Guaraldo_AnaMariaAparecida_D.pdf: 5530168 bytes, checksum: 0d6fcd0446e9628e1d5e35421d80eb91 (MD5) Previous issue date: 1987 / Resumo: É escasso o conhecimento sobre a interação da esquistossomose com a subnutrição e a resposta imunológica. Decidimos avaliar alguns parâmetros desta interação no campo experimental, utilizando camundongos convencionais da raça C3H/HeJ infectados com 100 cercárias de linhagem BH do Schistosoma mansani. Os grupos experimentais receberam a dieta ad libitum e ficaram assim constituídos: animais tratados com dieta normoprotéica (20%) sem infecção; animais tratados com dieta normoprotéica (20%) infectados; animais tratados com dieta hipoprotéica (4%) sem infecção; animais tratados com dieta hipoprotéica (4%) infectados. Fundamentados nos diferentes tempos de infecção ou na idade dos camundongos, constituímos grupos de animais sensibilizados com hemácias de carneiro ou sensibilizados com 2-4-dinitroclorobenzeno (DNCB). Foram constituídos também grupos controles compatíveis. Os parâmetros selecionados para estudo foram: penetração de cercárias; comprimento dos esquistossomos na oitava semana de infecção; número de vermes machos, fêmeos e esquistossômulos recuperados do plexo portahepático; sobrevivência dos esquistossomos; número e tamanho de granulomas hepáticos; Distribuição de granulomas por área de corte histológico hepático; hepato-esplenomegalia; mortalidade do hospedeiro; quantificação de células do baço; capacidade funcional de células esplênicas formarem rosetas na resposta primária a hemácias de carneiro; capacidade funcional da células esplênicas formarem placas hemolíticas (lgM) na resposta primária a hemácias de carneiro; reposta de hipersensibilidade retardada frente a DNCB. Os resultados obtidos foram estatisticamente analisados pelo modelo linear multiplicativo (GLM) e os cálculos executados em computador VAX 11/780 com o "Statistical Analysis System" - SAS... Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Doutorado / Doutor em Parasitologia
10

Potencial terapêutico de novos fármacos na avaliação da atividade esquistossomicida

Lauro da Silva, Anekécia 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:52:14Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo2837_1.pdf: 1405772 bytes, checksum: 8a21e64147b68c42d5165aa316ae16c1 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / Faculdade de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco / A esquistossomose mansoni, considerada um grave problema de saúde pública, é causada por vermes tremátodas da espécie Schistosoma mansoni. A forma de tratamento dessa parasitose baseia-se principalmente na quimioterapia, onde o fármaco de escolha utilizado atualmente é o praziquantel que se destaca dentre os outros agentes esquistossomicidas por ser eficaz contra todas as espécies de Schistosoma. No entanto, a utilização exclusiva do praziquantel no tratamento da esquistossomose mansoni tem ocasionado a base do desenvolvimento de uma possível resistência dos vermes do S. mansoni a esse fármaco, surgindo à necessidade da busca de novos fármacos esquistossomicidas que sirvam como alternativa para o tratamento da parasitose. Neste contexto, estudos vêm destacando os derivados tiazolidínicos como potenciais esquistossomicidas através da citotoxicidade e da avaliação da susceptibilidade de vermes adultos do S. mansoni mantidos in vitro e in vivo. Neste trabalho, testamos a atividade esquistossomicida dos derivados tiazolidínicos LPSF/SF-03, LPSF/SF-05, LPSF/SF-20 e LPSF/SF-22 e LPSF/SF-25 em diferentes concentrações (100&#956;g/mL, 80&#956;g/mL, 60&#956;g/mL e 40&#956;g/mL). O praziquantel foi utilizado como o fármaco controle. Observamos que os compostos LPSF/SF-22 e o LPSF/SF-25 apresentaram melhor atividade in vitro frente aos vermes adultos do Schistosoma mansoni na dose de 80&#956;g/mL com uma taxa de mortalidade de 70% e 86%, respectivamente. Nos ensaios de citotoxicidade, o derivado tiazolidínico LPSF/SF-25 apresentou uma melhor concentração atóxica quando comparados aos outros derivados tiazolidínicos testados. Visto aos resultados obtidos in vitro com o composto LPSF/SF-25, este derivado foi testado in vivo, apresentando uma redução de 28% do número de vermes adultos do S. mansoni e alterações nos estádios evolutivos dos ovos dos parasitos. Dessa forma, sugere-se que o derivado tiazolidínico LPSF/SF-25 pode ser considerado um potencial candidato a fármaco esquistossomicida

Page generated in 0.0569 seconds