• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 9
  • Tagged with
  • 9
  • 9
  • 8
  • 7
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Complicações em estomas intestinais e urinários revisão integrativa /

Lima, Stella Godoy Silva e January 2017 (has links)
Orientador: Magda Cristina Queiroz Dell’Acqua / Resumo: Introdução: Estoma é qualquer abertura cirúrgica de uma víscera oca para o meio externo e as derivações delimitadas para o estudo serão as de drenagem intestinal e urinária. Pela localização destes estomas eles podem ser ileostomia, colostomia e urostomia. A confecção de um estoma pode gerar muitas dificuldades na vida da pessoa, e as complicações precoces, tardias ou cutâneas comprometerão a qualidade de vida. De 21% a 70% dos pacientes estomizados desenvolvem algum tipo de complicação, embora do total exista um percentual significativo que poderia conviver com o estoma sem as complicações, caso algumas condutas após avaliação pudessem ser implementadas. Objetivo Geral: Sintetizar o conhecimento produzido e publicado na literatura nacional e internacional sobre as complicações em estomas intestinais e urinários. Método: Estudo metodológico, por meio de revisão integrativa de literatura, baseada nas seis etapas de Ganong: seleção da hipótese ou questão para a revisão; estabelecimento dos critérios para amostragem; categorização dos estudos; análise dos estudos; interpretação dos resultados e apresentação da revisão. Para a seleção da hipótese ou questão para a revisão, utilizou-se a estratégia PICOT (Paciente, Intervenção, Controle, Outcomes/Resultados e Tempo), para os critérios de amostragem. Os critérios de inclusão foram artigos científicos, teses, dissertações e livros; publicações entre 2006 e 2015 acerca das complicações em estomas e publicações nos i... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Mestre
2

A pessoa estomizada e o processo de inclusão no trabalho: contribuição para a enfermagem / The person with stoma and the inclusion process at work: contribution to nursing

Vanessa Cristina Mauricio 01 March 2011 (has links)
Estudo cujo objeto tratou da inclusão do cliente estomizado no mundo do trabalho. Os objetivos foram: identificar as dificuldades e facilidades dos clientes estomizados para inclusão no mundo do trabalho; analisar as possibilidades de inclusão no mundo do trabalho; discutir, a partir do ponto de vista do cliente estomizado, as orientações fornecidas pelos enfermeiros com vistas à inclusão no mundo do trabalho. O referencial teórico baseou-se no campo da Saúde do Trabalhador, enfocando a reabilitação profissional e o capítulo de bases conceituais abordou o conhecimento da estomaterapia, do mundo do trabalho, da deficiência física e aspectos legais que envolvem a reabilitação do estomizado no mundo laboral. O desenho metodológico foi de uma pesquisa descritiva, exploratória, de natureza qualitativa, realizada com 20 clientes estomizados definitivos, aos quais se aplicou uma entrevista semiestruturada. O método de análise dos dados foi a Análise Temática de Conteúdo, a qual fez emergir quatro categorias: a) Sentidos do Trabalho para o Ser Estomizado; b) O Estomizado e Sua Problemática Biopsicossocial; c) Contexto Social e Aspectos Legais Envolvendo a Inclusão do Estomizado no Mundo Laboral; d) O Enfermeiro e Sua Participação na Reabilitação do Cliente Estomizado. Os resultados revelaram que a maioria dos sujeitos trabalhava informalmente e recebia ao mesmo tempo algum auxílio governamental. Ressalta-se que eles reconheciam a ilegalidade desta situação, porém, julgavam-na necessária devido aos baixos valores dos benefícios, enfatizando-se a sensação de utilidade causada pelo fato de trabalharem. Referiram que o retorno ao trabalho era prejudicado devido a empecilhos encontrados nas dimensões psíquica, física e social, as quais estavam articuladas intimamente. Enfatizaram grande dificuldade em encontrarem empregos adequados às suas especificidades, e que não prejudicassem sua condição de saúde, pois há necessidade de banheiros adaptados, de não exposição ao calor na região do estoma e nem a esforços físicos severos, sem contar com a necessidade de um emprego que lhes permita flexibilidade para irem às consultas da equipe multiprofissional. Os maiores empecilhos sociais referiram-se ao desconhecimento e descaso social e governamental a respeito do que é ser estomizado, pois esta problemática não é divulgada, e nem conhecida pela maioria da população. Em relação aos enfermeiros, os sujeitos foram quase unânimes em referirem falta de orientação por parte desses profissionais, acerca de esclarecerem sobre sua inclusão no mundo do trabalho. Este fato caracterizou-se como preocupante, pois os enfermeiros são educadores por excelência e a orientação está intimamente ligada ao processo de reabilitação. Concluiu-se que o retorno ao trabalho foi considerado essencial, mas existem inúmeras dificuldades para que este retorno e manutenção no universo laboral. Estes empecilhos os levam a adquirirem aposentadorias precoces ou auxílios-doença. Há de se rever o processo de reabilitação da pessoa com estoma, especialmente no que se refere a sua inclusão no mundo do trabalho, no sentido de melhor prepará-la para suas potencialidades e limitações, destacando-se que ela não é incapaz e que existem atividades formais em que elas podem ser produtivas e felizes. / This is a study which considered the inclusion of the colostomy clients into the labor world. The objectives were: to identify the difficulties and also the facilities of these clients for the inclusion in job field; to analyze such possibilities of inclusion, to discuss, from the point of view of the client the orientation provided by the nurses who aim to inclusion their clients into the job world. The theoretical reference was based on the field of Employee Health, focusing o the professional rehabilitation and the chapter for supporting the theory has approached the knowledge of colostomy , job- or employment world, physical handicap and the legal aspects which involve the rehabilitation of colostomyzed client in labor world. The methodology drawing was a qualitative descriptive, exploratory survey accomplished with 20 definitive colostomyzed clients, to whom were prepared semi-structured interviews. The data analysis method was the Thematic Content Analysis, which emerged four categories: a)Meanings of the Work for the Colostomyzed Being; b) The Colostomy patient and his/her Biopsychosocial problem; c) Social Context and Legal Aspects Involving his/her the Inclusion in Labor World; d) The Nurse and the Participation in the Rehabilitation of Such Client. The results have shown that most subjects worked informally and at the same time they had been receiving some type of government aid. It is also important to highlight that they recognized such illegal situation, however, they considered it important due to the poor payment of the aid, emphasizing the sensation of usefulness emerging from job opportunities. They have referred to the return to work as an impaired opportunity due to the obstacles set in psychic, physical and social dimensions which were close articulated. They have emphasized great difficulty in finding jobs that would fit their specific needs and that would not cause troubles to their health conditions, because there has to be an adapted bathroom, non exposure to heat in the stoma area neither severe physical efforts. In addition to this, they need a job that allows them the flexibility to leave work in order to see the multiprofessional staff. The greatest obstacles referred to the lack of knowledge and social as well as government disregard in relation to the concept of what is, in fact a colostomy patient, once this problem is not spread neither known from most part of the population. In relation to the nurses, the subjects were almost unanimous referring to the lack of orientation from the part of these professionals about the explanation on how to inclusion this group of client in the labor world. This fact had been characterized as a worry, because nurses are educators and orientation is closely linked to the rehabilitation process. It was concluded that the return to job was essential, but there are several difficulties related to such return and the maintenance in labor word. These obstacles lead them to early retirement or sickness aids. It is important to analyze once again such inclusion in order to prepare the client to his limitations and potentials, highlighting he is not an incapable person and that there are many formal activities and they can be productive and happy.
3

Estomias gastrointestinais em crianças e adolescentes: experiência da família

Zacarin, Clara Ferraz Lazarini 18 June 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T19:48:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 6090.pdf: 2352634 bytes, checksum: 8bc21eecdcdeb9c51a7b309812718f92 (MD5) Previous issue date: 2014-06-18 / Financiadora de Estudos e Projetos / Gastrointestinal stoma are openings in the skin that enable the extracorporeal communication of the stomach or intestine to gain access to the body when there is need to divert traffic from the normal supply or disposal. The ostomy of the gastrointestinal tract in children are part of malignancies, benign, inflammatory, congenital or traumatic treatments. Having a stoma in childhood and/or adolescence makes physical and psychological changes, because of organic immaturity, and affects the body integrity, social interaction and quality of life. Caring for a child with ostomy brings impacts to the family and generates hard demand of permanent and specific care. This study aimed to understand the experience of families with children and adolescents who have gastrointestinal stomas. Qualitative approach was used, in light of Symbolic Interactionism as a theoretical framework and the methodological framework of Narrative Analysis. For data collection, were used conducted interviews by guiding questions and during the same interviews were made the construction of the genogram and ecomap to characterize the family . Interviews were conducted with 16 families, 12 with children and 4 with adolescents with gastrointestinal stoma using outpatient nutritional or ostomy services. In six families the children had intestinal stomas and ten had gastrostomy. The analysis process has resulted in 6 themes and categories: 1. Impact of unexpected illness (Facing the stoma as a consequence / Senso undergone a many procedures); 2 Acceptation of the ostomy (having difficulty accepting the stoma / Leaving reach the limit); 3 - Changes in family life (Adapting to the managements of the devices / Leaving aside the social life); 4 - Helplessness on the walk (having superficial support / Living with prejudice); 5 - Benefits of ostomy; 6 - Search the social reintegration (Seeing the power social interaction / Waiting for reversal). The results of this study allowed us to understand that the family of the child or adolescent with gastrointestinal stoma goes through a process of progressive experience and acceptance of the condition of the child, which starts with the impact of the diagnosis of unexpected illness. Feelings like fear and insecurity are evidenced by distancing and denial of the need to make the stoma. After the acceptance and learning period, the family notice the clinical and health improves of the child, but goes through prejudice situations and alienation of the extended family, difficulties in maintaining employment, and maternal burden in the care of the ostomy´s son. The support network is reduced and there is only strengthened ties among members of the nuclear family. Even before the difficulties the family has a positive view of the stoma, but crave reenter the child/adolescente in society through the stoma reversal in the case of intestinal and through oral feeding, at the gastrostomy, even when it is permanent. The results of this study make it possible to broaden our understanding of the experience, which in turn improves the care of these families, Being a breakthrough for the field of nursing. / Estomas gastrointestinais são aberturas na pele que possibilitam a comunicação do estomago ou intestino com o meio externo para se ter acesso ao órgão quando há necessidade de desviar o trânsito normal da alimentação ou eliminação. As estomias do trato gastrointestinal em crianças fazem parte de tratamentos de doenças malignas, benignas, inflamatórias, congênitas ou traumáticas. Ter um estoma na infância e/ou adolescência gera alterações físicas e psicológicas, principalmente devido à imaturidade orgânica, e afeta a integridade corporal, o convívio social e a qualidade de vida. Cuidar de um filho estomizado provoca impactos na família e gera grande demanda de cuidados permanentes e específicos. Este estudo teve como objetivo compreender a experiência da família de crianças e adolescentes que tem estomias gastrointestinais. Foi utilizada abordagem qualitativa, sob a luz do Interacionismo Simbólico como referencial teórico e como referencial metodológico a Análise de Narrativa. Para a coleta de dados utilizou-se entrevistas conduzidas por questões norteadoras e durante as mesmas realizou-se a construção do genograma e ecomapa, para a caracterização familiar. Foram entrevistadas 16 famílias, sendo 12 com crianças e 04 com adolescentes com estomas gastrointestinais que utilizam um serviço ambulatorial de nutrição ou de ostomizados. Em seis famílias os filhos tinham estomias intestinais e dez tinham gastrostomias. O processo de análise resultou em 6 temas principais, e suas categorias: 1- Impacto da enfermidade inesperada (Encarando o estoma como consequência/ Senso submetido a muitos procedimentos); 2- Aceitação da estomia (Tendo dificuldade em aceitar o estoma/ Deixando chegar no limite); 3- Mudanças na vida familiar (Adaptando-se aos manejos dos dispositivos/ Deixando a vida social de lado); 4- Desamparo na caminhada (Tendo apoio superficial / Convivendo com o preconceito); 5- Benefícios da estomia; 6- Busca da integração social (Vendo na alimentação a interação social/ Esperando pela reversão). Com os resultados deste estudo foi possível compreender que a família da criança ou adolescente com estoma gastrointestinal passa por um processo de vivência e aceitação progressiva da condição do filho, que inicia com o impacto do diagnóstico da enfermidade inesperada. Sentimentos como medo e insegurança são evidenciados pelo distanciamento e negação da necessidade de fazer a estomia. Após o período de aceitação e aprendizados de como lidar, a família percebe a melhora clínica e de saúde do filho, mas passa por situações de preconceito e afastamento da família extensa, por dificuldades em manter o emprego, além da sobrecarga materna no cuidado ao filho estomizado. A rede de apoio é reduzida e só há laços fortalecidos entre os integrantes da família nuclear. Mesmo diante das dificuldades a família tem uma visão positiva da estomia, porém almeja reinserção da criança/adolescente na sociedade através da reversão da estomia, no caso das intestinais, e por meio da alimentação via oral, nas gastrostomias, mesmo quando é definitiva. Os resultados deste estudo possibilitam ampliar o entendimento da vivencia desta experiência, que por sua vez permite melhorar o atendimento a essas famílias, sendo este um avanço para a área da enfermagem.
4

A pessoa estomizada e o processo de inclusão no trabalho: contribuição para a enfermagem / The person with stoma and the inclusion process at work: contribution to nursing

Vanessa Cristina Mauricio 01 March 2011 (has links)
Estudo cujo objeto tratou da inclusão do cliente estomizado no mundo do trabalho. Os objetivos foram: identificar as dificuldades e facilidades dos clientes estomizados para inclusão no mundo do trabalho; analisar as possibilidades de inclusão no mundo do trabalho; discutir, a partir do ponto de vista do cliente estomizado, as orientações fornecidas pelos enfermeiros com vistas à inclusão no mundo do trabalho. O referencial teórico baseou-se no campo da Saúde do Trabalhador, enfocando a reabilitação profissional e o capítulo de bases conceituais abordou o conhecimento da estomaterapia, do mundo do trabalho, da deficiência física e aspectos legais que envolvem a reabilitação do estomizado no mundo laboral. O desenho metodológico foi de uma pesquisa descritiva, exploratória, de natureza qualitativa, realizada com 20 clientes estomizados definitivos, aos quais se aplicou uma entrevista semiestruturada. O método de análise dos dados foi a Análise Temática de Conteúdo, a qual fez emergir quatro categorias: a) Sentidos do Trabalho para o Ser Estomizado; b) O Estomizado e Sua Problemática Biopsicossocial; c) Contexto Social e Aspectos Legais Envolvendo a Inclusão do Estomizado no Mundo Laboral; d) O Enfermeiro e Sua Participação na Reabilitação do Cliente Estomizado. Os resultados revelaram que a maioria dos sujeitos trabalhava informalmente e recebia ao mesmo tempo algum auxílio governamental. Ressalta-se que eles reconheciam a ilegalidade desta situação, porém, julgavam-na necessária devido aos baixos valores dos benefícios, enfatizando-se a sensação de utilidade causada pelo fato de trabalharem. Referiram que o retorno ao trabalho era prejudicado devido a empecilhos encontrados nas dimensões psíquica, física e social, as quais estavam articuladas intimamente. Enfatizaram grande dificuldade em encontrarem empregos adequados às suas especificidades, e que não prejudicassem sua condição de saúde, pois há necessidade de banheiros adaptados, de não exposição ao calor na região do estoma e nem a esforços físicos severos, sem contar com a necessidade de um emprego que lhes permita flexibilidade para irem às consultas da equipe multiprofissional. Os maiores empecilhos sociais referiram-se ao desconhecimento e descaso social e governamental a respeito do que é ser estomizado, pois esta problemática não é divulgada, e nem conhecida pela maioria da população. Em relação aos enfermeiros, os sujeitos foram quase unânimes em referirem falta de orientação por parte desses profissionais, acerca de esclarecerem sobre sua inclusão no mundo do trabalho. Este fato caracterizou-se como preocupante, pois os enfermeiros são educadores por excelência e a orientação está intimamente ligada ao processo de reabilitação. Concluiu-se que o retorno ao trabalho foi considerado essencial, mas existem inúmeras dificuldades para que este retorno e manutenção no universo laboral. Estes empecilhos os levam a adquirirem aposentadorias precoces ou auxílios-doença. Há de se rever o processo de reabilitação da pessoa com estoma, especialmente no que se refere a sua inclusão no mundo do trabalho, no sentido de melhor prepará-la para suas potencialidades e limitações, destacando-se que ela não é incapaz e que existem atividades formais em que elas podem ser produtivas e felizes. / This is a study which considered the inclusion of the colostomy clients into the labor world. The objectives were: to identify the difficulties and also the facilities of these clients for the inclusion in job field; to analyze such possibilities of inclusion, to discuss, from the point of view of the client the orientation provided by the nurses who aim to inclusion their clients into the job world. The theoretical reference was based on the field of Employee Health, focusing o the professional rehabilitation and the chapter for supporting the theory has approached the knowledge of colostomy , job- or employment world, physical handicap and the legal aspects which involve the rehabilitation of colostomyzed client in labor world. The methodology drawing was a qualitative descriptive, exploratory survey accomplished with 20 definitive colostomyzed clients, to whom were prepared semi-structured interviews. The data analysis method was the Thematic Content Analysis, which emerged four categories: a)Meanings of the Work for the Colostomyzed Being; b) The Colostomy patient and his/her Biopsychosocial problem; c) Social Context and Legal Aspects Involving his/her the Inclusion in Labor World; d) The Nurse and the Participation in the Rehabilitation of Such Client. The results have shown that most subjects worked informally and at the same time they had been receiving some type of government aid. It is also important to highlight that they recognized such illegal situation, however, they considered it important due to the poor payment of the aid, emphasizing the sensation of usefulness emerging from job opportunities. They have referred to the return to work as an impaired opportunity due to the obstacles set in psychic, physical and social dimensions which were close articulated. They have emphasized great difficulty in finding jobs that would fit their specific needs and that would not cause troubles to their health conditions, because there has to be an adapted bathroom, non exposure to heat in the stoma area neither severe physical efforts. In addition to this, they need a job that allows them the flexibility to leave work in order to see the multiprofessional staff. The greatest obstacles referred to the lack of knowledge and social as well as government disregard in relation to the concept of what is, in fact a colostomy patient, once this problem is not spread neither known from most part of the population. In relation to the nurses, the subjects were almost unanimous referring to the lack of orientation from the part of these professionals about the explanation on how to inclusion this group of client in the labor world. This fact had been characterized as a worry, because nurses are educators and orientation is closely linked to the rehabilitation process. It was concluded that the return to job was essential, but there are several difficulties related to such return and the maintenance in labor word. These obstacles lead them to early retirement or sickness aids. It is important to analyze once again such inclusion in order to prepare the client to his limitations and potentials, highlighting he is not an incapable person and that there are many formal activities and they can be productive and happy.
5

Saúde sexual de mulheres com estomia na perspectiva da teoria de Nola Pender / Sexual health of women with ostomy in theory pespective of Nola Pender

Vilma Villar Martins 25 February 2013 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The object of this study consists of repercussion of the intestinal stoma by cancer in promoting women's sexual health. The investigation about promoting sexual health of women with stoma becomes challenging due to the condition imposed by surgery, in interface with the social, historical and cultural constructs related to the social roles that may influence the way women promote their sexual health. This research had the following objectives: to know the biological, psychological and sociocultural aspects before and after performing the definitive intestinal stoma in women; to analyze the repercussions of the stoma in promoting women's sexual health, and to propose nursing care strategies to women with stoma to self-promote sexual health, considering the Nola Penders Health Promotion Theory. It is a qualitative approach research, whose subjects are fourteen women with definitive intestinal stoma, after they were affected by cancer. The theoretical-methodological reference used was Nola Penders Health Promotion which, from the identification of the biopsychosocial and behavioral factors, seeks to stimulate healthy attitudes, with a view to well-being as proposal for health promotion. The setting was the Municipal Rehabilitation Center Oscar Clark, located in the municipality of Rio de Janeiro. For data production, the semi-structured interview technique was carried out using a pre-established script, based on Nola Pender diagram. The content analysis of the accounts obtained allowed the classification in three categories: a) sociocultural, psychobiological and behavioral profile of women with stoma: a pre- and post-surgery characterization; b) knowledge, influences and feelings of the woman with stoma on promoting sexual health after the surgery; c) result of behavior for the promotion of sexual health after the stoma: a process in progress. The factors to determine the behavior to promote sexual health involved the biological conditions, especially as a consequence of the side effects of the radiation therapy, in addition to a complex process surrounded by social factors, including the stigma, the gender inequalities, and the power relationships, among other values to guide the human behavior. The changes experienced required women to develop strategies to face the new situation with the need for behavioral adaptations to life and promotion of sexual health. Such adaptations reflected an occasional learning, at experienced persons level, which went through lack of guidance on health issues and sociocultural issues. Therefore, the experience of sexuality was considered the main obstacle for the promotion of sexual health. In turn, the behaviors towards the prevention of chronic conditions to sexual health were noticed as actions that offer most benefits. In this scenario, the nursing appointment becomes a relevant instrument in clinical and educational assistance. This study contributes for a deeper knowledge on the sexual health promotion for women with stoma and indicates proposals for the participation of the nurse in the assistance to these persons. / O objeto deste estudo são as repercussões do estoma intestinal por Câncer na promoção da saúde sexual de mulheres. A investigação sobre a promoção da saúde sexual da mulher com estoma torna-se instigante frente à condição imposta pela cirurgia, em interface com os constructos sócio-histórico-culturais relacionados aos papéis sociais, os quais podem influenciar na forma como as mulheres promovem sua saúde sexual. Esta pesquisa teve por objetivos: conhecer os aspectos biológicos, psicológicos e socioculturais anteriores e posteriores à confecção do estoma intestinal definitivo em mulheres; analisar as repercussões do estoma na promoção da saúde sexual de mulheres; e propor estratégias de cuidar de enfermagem às mulheres com estoma para autopromoção da saúde sexual, considerando a Teoria de Promoção da Saúde de Nola Pender. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, tendo como sujeitos 14 mulheres com estomia intestinal definitiva, após terem sido acometidas por Câncer. O referencial teórico-metodológico utilizado foi a Promoção da Saúde de Nola Pender, o qual, a partir da identificação dos fatores biopsicossociais e comportamentais, busca incentivar atitudes saudáveis, visando ao bem-estar como proposta de promoção da saúde. O cenário foi o Centro Municipal de Reabilitação Oscar Clark, localizado no município do Rio de Janeiro. Para a produção dos dados foi realizada a técnica de entrevista semiestruturada, utilizando um roteiro pré-elaborado, com base no diagrama de Nola Pender. A análise de conteúdo dos discursos obtidos permitiu criar três categorias: a) perfil sociocultural, psicobiológico e comportamental de mulheres com estoma: uma caracterização antes e após a cirurgia; b) conhecimentos, influências e sentimentos da mulher com estoma sobre a promoção da saúde sexual após a cirurgia; c) resultado do comportamento para promoção da saúde sexual após o estoma: um processo em construção. Os fatores determinantes do comportamento para a promoção da saúde sexual envolveram as condições biológicas, especialmente em decorrência dos efeitos colaterais da radioterapia, além de um processo complexo permeado por fatores sociais, incluindo o estigma, as desigualdades de gênero, as relações de poder, dentre outros valores que norteiam o comportamento humano. As mudanças experienciadas requereram das mulheres o desenvolvimento de estratégias de enfrentamento à nova situação, com a necessidade de adaptações comportamentais para a vivência e promoção da saúde sexual. Tais adaptações refletiram em um aprendizado pontual, da ordem do vivido, o qual perpassou pela falta de orientação em saúde e pelas questões socioculturais. Com isso, a vivência da sexualidade foi considerada a principal barreira para a promoção da saúde sexual. Já os comportamentos direcionados à prevenção de agravos à saúde sexual foram percebidos como as ações que mais proporcionam benefícios. Neste cenário, a consulta de enfermagem apresenta-se como um instrumento relevante na assistência clínica-educativa. Este estudo contribui para um aprofundamento do conhecimento acerca da promoção da saúde sexual de mulheres com estoma e sinaliza propostas para a atuação do enfermeiro na assistência a essas pessoas.
6

Saúde sexual de mulheres com estomia na perspectiva da teoria de Nola Pender / Sexual health of women with ostomy in theory pespective of Nola Pender

Vilma Villar Martins 25 February 2013 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The object of this study consists of repercussion of the intestinal stoma by cancer in promoting women's sexual health. The investigation about promoting sexual health of women with stoma becomes challenging due to the condition imposed by surgery, in interface with the social, historical and cultural constructs related to the social roles that may influence the way women promote their sexual health. This research had the following objectives: to know the biological, psychological and sociocultural aspects before and after performing the definitive intestinal stoma in women; to analyze the repercussions of the stoma in promoting women's sexual health, and to propose nursing care strategies to women with stoma to self-promote sexual health, considering the Nola Penders Health Promotion Theory. It is a qualitative approach research, whose subjects are fourteen women with definitive intestinal stoma, after they were affected by cancer. The theoretical-methodological reference used was Nola Penders Health Promotion which, from the identification of the biopsychosocial and behavioral factors, seeks to stimulate healthy attitudes, with a view to well-being as proposal for health promotion. The setting was the Municipal Rehabilitation Center Oscar Clark, located in the municipality of Rio de Janeiro. For data production, the semi-structured interview technique was carried out using a pre-established script, based on Nola Pender diagram. The content analysis of the accounts obtained allowed the classification in three categories: a) sociocultural, psychobiological and behavioral profile of women with stoma: a pre- and post-surgery characterization; b) knowledge, influences and feelings of the woman with stoma on promoting sexual health after the surgery; c) result of behavior for the promotion of sexual health after the stoma: a process in progress. The factors to determine the behavior to promote sexual health involved the biological conditions, especially as a consequence of the side effects of the radiation therapy, in addition to a complex process surrounded by social factors, including the stigma, the gender inequalities, and the power relationships, among other values to guide the human behavior. The changes experienced required women to develop strategies to face the new situation with the need for behavioral adaptations to life and promotion of sexual health. Such adaptations reflected an occasional learning, at experienced persons level, which went through lack of guidance on health issues and sociocultural issues. Therefore, the experience of sexuality was considered the main obstacle for the promotion of sexual health. In turn, the behaviors towards the prevention of chronic conditions to sexual health were noticed as actions that offer most benefits. In this scenario, the nursing appointment becomes a relevant instrument in clinical and educational assistance. This study contributes for a deeper knowledge on the sexual health promotion for women with stoma and indicates proposals for the participation of the nurse in the assistance to these persons. / O objeto deste estudo são as repercussões do estoma intestinal por Câncer na promoção da saúde sexual de mulheres. A investigação sobre a promoção da saúde sexual da mulher com estoma torna-se instigante frente à condição imposta pela cirurgia, em interface com os constructos sócio-histórico-culturais relacionados aos papéis sociais, os quais podem influenciar na forma como as mulheres promovem sua saúde sexual. Esta pesquisa teve por objetivos: conhecer os aspectos biológicos, psicológicos e socioculturais anteriores e posteriores à confecção do estoma intestinal definitivo em mulheres; analisar as repercussões do estoma na promoção da saúde sexual de mulheres; e propor estratégias de cuidar de enfermagem às mulheres com estoma para autopromoção da saúde sexual, considerando a Teoria de Promoção da Saúde de Nola Pender. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, tendo como sujeitos 14 mulheres com estomia intestinal definitiva, após terem sido acometidas por Câncer. O referencial teórico-metodológico utilizado foi a Promoção da Saúde de Nola Pender, o qual, a partir da identificação dos fatores biopsicossociais e comportamentais, busca incentivar atitudes saudáveis, visando ao bem-estar como proposta de promoção da saúde. O cenário foi o Centro Municipal de Reabilitação Oscar Clark, localizado no município do Rio de Janeiro. Para a produção dos dados foi realizada a técnica de entrevista semiestruturada, utilizando um roteiro pré-elaborado, com base no diagrama de Nola Pender. A análise de conteúdo dos discursos obtidos permitiu criar três categorias: a) perfil sociocultural, psicobiológico e comportamental de mulheres com estoma: uma caracterização antes e após a cirurgia; b) conhecimentos, influências e sentimentos da mulher com estoma sobre a promoção da saúde sexual após a cirurgia; c) resultado do comportamento para promoção da saúde sexual após o estoma: um processo em construção. Os fatores determinantes do comportamento para a promoção da saúde sexual envolveram as condições biológicas, especialmente em decorrência dos efeitos colaterais da radioterapia, além de um processo complexo permeado por fatores sociais, incluindo o estigma, as desigualdades de gênero, as relações de poder, dentre outros valores que norteiam o comportamento humano. As mudanças experienciadas requereram das mulheres o desenvolvimento de estratégias de enfrentamento à nova situação, com a necessidade de adaptações comportamentais para a vivência e promoção da saúde sexual. Tais adaptações refletiram em um aprendizado pontual, da ordem do vivido, o qual perpassou pela falta de orientação em saúde e pelas questões socioculturais. Com isso, a vivência da sexualidade foi considerada a principal barreira para a promoção da saúde sexual. Já os comportamentos direcionados à prevenção de agravos à saúde sexual foram percebidos como as ações que mais proporcionam benefícios. Neste cenário, a consulta de enfermagem apresenta-se como um instrumento relevante na assistência clínica-educativa. Este estudo contribui para um aprofundamento do conhecimento acerca da promoção da saúde sexual de mulheres com estoma e sinaliza propostas para a atuação do enfermeiro na assistência a essas pessoas.
7

Educação para o autocuidado de estomizados intestinais no domicílio: do planejamento à avaliação de resultados / Education for self-care of the intestinal ostomy patient at home: from planning to evaluation results

Janaina da Silva 06 September 2013 (has links)
Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, que teve como objetivos descrever as características socioculturais, familiares, domiciliares e capacidade para o autocuidado de estomizados cadastrados na Secretaria de Saúde de uma cidade do interior paulista; avaliar a condição clínica do estomizado em relação à estomia e os equipamentos utilizados; e planejar, implementar e avaliar a educação em saúde sobre o autocuidado de estomizados intestinais, com a estratégia do Método do Arco, fundamentado na Pedagogia da Problematização. Utilizou-se o referencial teórico da Pedagogia da Problematização e o método etnográfico para o desenvolvimento do estudo com pacientes cadastrados na Secretaria de Saúde para aquisição de equipamentos coletores para estomia intestinal e urinária, em uma cidade paulista, com participação em três etapas distintas do estudo. Na primeira etapa do estudo foi realizada a avaliação domiciliária, o uso de equipamentos coletores e a capacidade para o autocuidado, cujos dados foram coletados no domicílio com instrumento de avaliação do domicílio e observação participante, com participação de 52 pessoas com estomia intestinal e urinária, durante os meses de setembro e outubro de 2012. Nesta etapa, a média de idade foi de 37 anos, houve predomínio da casa própria, com saneamento básico, uso do convênio de saúde público, a maioria realiza o autocuidado com estomia e equipamentos, mudanças na alimentação e vestuário. Na segunda etapa participaram 19 estomizados intestinais e urinários, que foram avaliados com utilização de um instrumento de avaliação clínica contemplando dados sociodemográficos, clínicos e terapêuticos; curativo e ferida cirúrgica, autocuidado com a estomia e equipamentos; e capacidade para o autocuidado e com a observação participante das pesquisadoras, no período de 30 de outubro a 01 de novembro de 2012. Nesta etapa, participaram 10 homens e 9 mulheres, com média de idade de 54 anos, predominando aposentados, até oito anos de estudos, renda até dois salários mínimos, responsáveis pela manutenção financeira da família. Na terceira etapa, foi desenvolvida a atividade educativa com 10 estomizados intestinais no domicílio, com a estratégia do Método do Arco para o ensino do autocuidado com estomia intestinal e equipamentos, observação participante, diário de campo e gravação em áudio das entrevistas semiestruturadas com os participantes sobre o aprendizado alcançado por cada um destes, no período de novembro de 1012 a fevereiro de 2013. A atividade educativa foi com duas visitas domiciliares para sete participantes e de quatro a nove visitas para os outros participantes, todos passaram a realizar o autocuidado da estomia e do equipamento coletor e foram unânimes em relação aos benefícios desta aprendizagem na melhoria da autoestima e autonomia, com retomada das atividades cotidianas. Acreditamos que os resultados deste estudo contribuirão na melhoria do ensino de autocuidado de estomizados intestinais / This is a qualitative study that aimed to describe the socio-cultural characteristics, family, household and capacity for self-care of ostomy patients registered at the Secretariat of Health of a city in the state of São Paulo; assess the clinical condition of the ostomy patients in relation to the ostomy and the equipment used, and plan, implement and evaluate health education on self-care of intestinal ostomy patientes, with the strategy of the Arc Method, based on problem-solving pedagogy. The theoretical framework of the Curriculum and Pedagogy ethnographic method were used for the development of the study of patients enrolled in the Health Department to purchase equipment for collectors and urinary ostomy in a city in the satate of São Paulo, with participation in three distinct stages of the study. In the first stage of the study the home care was evaluated, the use of collection equipment and the ability for the self-care, data were collected at home with the resident assessment instrument and participant observation, with the participation of 52 people with urinary and intestinal ostomy during the months of September and October 2012. At this stage, the average age of the patients was 37 years old, there was a predominance of home ownership, with sanitation, use of public health plan, the majority performs self-care with ostomy equipment and reported changes in food and clothing. In the second stage 19 intestinal and urinary ostomy patients were involved, they were evaluated with the use of a clinical assessment instrument covering socio- demographic, clinical and therapeutic, curative and surgical wound, ostomy and self- care with the equipment, and capacity for self-care and observation participant of the researchers in the period from October 30 to November 1, 2012. At this stage, 10 men and 9 women were attended, with the average age of 54 years old, especially retired patients, to eight years of study, receiving up to two minimum wages, responsible for the maintenance of the family. In the third stage, the educational activity was developed with 10 intestinal ostomy patients at home, with the strategy of the Arc Method to teach the self-care and ostomy equipment, participant observation, field diary and audio recording of the semi-structured interviews about the learning achieved by each one of them, from November 2012 to February 2013. Educational activity was done with two visits to seven patients and four to nine visits to other patients, all of them began to perform self-care and ostomy equipment collector and were unanimous regarding the benefits of this learning to improve self- esteem and autonomy, with resumption of daily activities. We believe that the results of this study will contribute to the improvement of the teaching self-care of intestinal ostomy
8

Educação para o autocuidado de estomizados intestinais no domicílio: do planejamento à avaliação de resultados / Education for self-care of the intestinal ostomy patient at home: from planning to evaluation results

Silva, Janaina da 06 September 2013 (has links)
Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, que teve como objetivos descrever as características socioculturais, familiares, domiciliares e capacidade para o autocuidado de estomizados cadastrados na Secretaria de Saúde de uma cidade do interior paulista; avaliar a condição clínica do estomizado em relação à estomia e os equipamentos utilizados; e planejar, implementar e avaliar a educação em saúde sobre o autocuidado de estomizados intestinais, com a estratégia do Método do Arco, fundamentado na Pedagogia da Problematização. Utilizou-se o referencial teórico da Pedagogia da Problematização e o método etnográfico para o desenvolvimento do estudo com pacientes cadastrados na Secretaria de Saúde para aquisição de equipamentos coletores para estomia intestinal e urinária, em uma cidade paulista, com participação em três etapas distintas do estudo. Na primeira etapa do estudo foi realizada a avaliação domiciliária, o uso de equipamentos coletores e a capacidade para o autocuidado, cujos dados foram coletados no domicílio com instrumento de avaliação do domicílio e observação participante, com participação de 52 pessoas com estomia intestinal e urinária, durante os meses de setembro e outubro de 2012. Nesta etapa, a média de idade foi de 37 anos, houve predomínio da casa própria, com saneamento básico, uso do convênio de saúde público, a maioria realiza o autocuidado com estomia e equipamentos, mudanças na alimentação e vestuário. Na segunda etapa participaram 19 estomizados intestinais e urinários, que foram avaliados com utilização de um instrumento de avaliação clínica contemplando dados sociodemográficos, clínicos e terapêuticos; curativo e ferida cirúrgica, autocuidado com a estomia e equipamentos; e capacidade para o autocuidado e com a observação participante das pesquisadoras, no período de 30 de outubro a 01 de novembro de 2012. Nesta etapa, participaram 10 homens e 9 mulheres, com média de idade de 54 anos, predominando aposentados, até oito anos de estudos, renda até dois salários mínimos, responsáveis pela manutenção financeira da família. Na terceira etapa, foi desenvolvida a atividade educativa com 10 estomizados intestinais no domicílio, com a estratégia do Método do Arco para o ensino do autocuidado com estomia intestinal e equipamentos, observação participante, diário de campo e gravação em áudio das entrevistas semiestruturadas com os participantes sobre o aprendizado alcançado por cada um destes, no período de novembro de 1012 a fevereiro de 2013. A atividade educativa foi com duas visitas domiciliares para sete participantes e de quatro a nove visitas para os outros participantes, todos passaram a realizar o autocuidado da estomia e do equipamento coletor e foram unânimes em relação aos benefícios desta aprendizagem na melhoria da autoestima e autonomia, com retomada das atividades cotidianas. Acreditamos que os resultados deste estudo contribuirão na melhoria do ensino de autocuidado de estomizados intestinais / This is a qualitative study that aimed to describe the socio-cultural characteristics, family, household and capacity for self-care of ostomy patients registered at the Secretariat of Health of a city in the state of São Paulo; assess the clinical condition of the ostomy patients in relation to the ostomy and the equipment used, and plan, implement and evaluate health education on self-care of intestinal ostomy patientes, with the strategy of the Arc Method, based on problem-solving pedagogy. The theoretical framework of the Curriculum and Pedagogy ethnographic method were used for the development of the study of patients enrolled in the Health Department to purchase equipment for collectors and urinary ostomy in a city in the satate of São Paulo, with participation in three distinct stages of the study. In the first stage of the study the home care was evaluated, the use of collection equipment and the ability for the self-care, data were collected at home with the resident assessment instrument and participant observation, with the participation of 52 people with urinary and intestinal ostomy during the months of September and October 2012. At this stage, the average age of the patients was 37 years old, there was a predominance of home ownership, with sanitation, use of public health plan, the majority performs self-care with ostomy equipment and reported changes in food and clothing. In the second stage 19 intestinal and urinary ostomy patients were involved, they were evaluated with the use of a clinical assessment instrument covering socio- demographic, clinical and therapeutic, curative and surgical wound, ostomy and self- care with the equipment, and capacity for self-care and observation participant of the researchers in the period from October 30 to November 1, 2012. At this stage, 10 men and 9 women were attended, with the average age of 54 years old, especially retired patients, to eight years of study, receiving up to two minimum wages, responsible for the maintenance of the family. In the third stage, the educational activity was developed with 10 intestinal ostomy patients at home, with the strategy of the Arc Method to teach the self-care and ostomy equipment, participant observation, field diary and audio recording of the semi-structured interviews about the learning achieved by each one of them, from November 2012 to February 2013. Educational activity was done with two visits to seven patients and four to nine visits to other patients, all of them began to perform self-care and ostomy equipment collector and were unanimous regarding the benefits of this learning to improve self- esteem and autonomy, with resumption of daily activities. We believe that the results of this study will contribute to the improvement of the teaching self-care of intestinal ostomy
9

Perfil de uma população estomizada intestinal provisória e motivos de não reconstrução de trânsito intestinal.

Aguiar, Janderson Cleiton 01 February 2017 (has links)
Submitted by Fabíola Silva (fabiola.silva@famerp.br) on 2017-12-15T12:55:14Z No. of bitstreams: 1 jandersoncleitonaguiar_dissert.pdf: 1129840 bytes, checksum: 9af5fc29da524f1412a397e4e0ed185c (MD5) / Made available in DSpace on 2017-12-15T12:55:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 jandersoncleitonaguiar_dissert.pdf: 1129840 bytes, checksum: 9af5fc29da524f1412a397e4e0ed185c (MD5) Previous issue date: 2017-02-01 / Introduction: The creation of intestinal stomas is a well-defined therapy for intestinal diseases. Objective: To describe sociodemographic and clinical aspects of people with a temporary intestinal ostomy and to identify the factors contributing to the lack of bowel transit reconstruction in those with a temporary intestinal ostomy. Method: This is a quantitative, descriptive-analytical study, with 117 people with a provisional stoma. Data were collected from September to November 2015 through medical chart review and structured interviewing in a Type II Ostomy Care Service. An instrument was used to collect sociodemographic and clinical aspects and the reason for the lack of bowel transit reconstruction after provisional stoma up to the moment of data collection. Results: All enrolled individuals with a temporary stoma participated in the study. Of those, 64 (54.7%) were males, with a mean age of 62.9 years (minimum 23, maximum 95), married (70-59.8%), catholic (87-74.4%), with up to eight years of education (83 - 70.9%). The majority (62 - 52.9%) had a paid work, of which 60 (51.3%) had stopped working, and 52 (44.4%) did not return, with a retirement pension. Of the 57 (48.7%) who had not interrupted their work activities, 39 (33.3%) were retired, 16 (13.6%) were unpaid and two (1.7%) were self-employed without the right to a leave. The majority had a family income up to two minimum wages (79 - 67.5%). Neoplasia prevailed as a cause of stoma production (56 - 47.9%), followed by acute abdomen (37 - 31.6%). Colostomies were the most frequent ostomies (88 - 75.2%), the mean duration of stoma implantation was 5.3 years (median 3 years, minimum 6 months and maximum 25 years). The main reasons for delay in reconstructing bowel traffic were the persistence of the preoperative cause, the presence of comorbidities, postsurgical complications and difficulty accessing exams, appointments and surgery. Age influenced both the pathology (p<0,001)and the reason for delayed reconstruction(p<0,001).Conclusion: Age influences both the cause of stoma construction and the lack of bowel traffic reconstruction. The presence of comorbidities and the persistence of the preoperative cause also have a significant influence on the lack of bowel traffic reconstruction. Neoplasia was the main pathology requiring construction of a stoma, most surgical interventions being urgent. Preventive actions regarding intestinal neoplasias, structuring of network care, with involvement and integration of all services can contribute to the identification of obstacles, and search for solutions, improving the quality of life and reducing costs. / Introducción: La utilización de estomas intestinales es bien definida como medida terapeutica en enfermedades intestinales. Objetivo: Describir los aspectos sociodemográficos y clínicos de personas con estomas intestinales provisionales e identificar los factores que contribuyen para la no reconstrucción de tránsito. Metodología: Es un estudio descriptivo - analítico de carácter cuantitativo, con 117 personas con estoma provisional, la recogida de los datos ocurrió entre septiembre y noviembre de 2015, por medio de revisión de prontuario y entrevista estructurada, en un Servicio de Atención al Ostomizado Tipo II, se utilizó de un instrumento abordando aspectos sociodemográficos, clínicos y motivo de la no reconstrucción del estoma provisional hasta el momento de la recogida de datos. Resultados: 64 (54,7%) era del sexo masculino, con edad mediana de 62,9 años (mínima 23, máxima 95), casados (70 – 59,8%), católicos (87 – 74,4%), con hasta ocho años de estudio (83 – 70,9%). La mayoría (62 – 52,9 %) ejercía actividad laboral remunerada, destes 60 (51,3%) interrumpieron sus actividades laborales y 52 (44,4%) no volvieron, con alejamiento por plan de pensión. De los 57 (48,7%) que no interrumpieron las actividades laborales 39 (33,3%) eran jubilados, 16 (13,6%) ejercía actividad no remunerada y 02 (1,7%) eran trabajadores autónomos sin derechos a alejamiento con pensión. con renta familiar hasta 2 sueldos mínimos (79 – 67,5%). Neoplasia predominó como causa de confeccíon del estoma (56 – 47,9%), seguida pelo abdome agudo (37 – 31,6%). Las colostomías fueron más frecuentes (88 – 75,2%), la permanencia del estoma fue en media de 5,3 años (mediana 3 años, tiempo mínimo 6 meses y máximo 25 años). Los principales motivos de demora para reconstrucción de tránsito fueron la persistencia de la causa pre-quirúrgica, la presencia de comorbilidades, complicaciones pos-quirúrgicas y dificultad de acceso a exámenes, consultas y plaza de quirurgía. La edad influenció en la patología(p<0,001) y en el motivo de la demora en la reconstrucción(p<0,001). Conclusión: La edad influye en la causa de construcción del estoma y en su no reconstrucción. La presencia de comorbilidades y la persistencia de la causa pre- quirúrgica tambien influêncian significativamente para la no reconstrucción de tránsito. La neoplasía fue la patología que más desencadenó la necesidad de estoma, con la mayoría de las intervenciones quirúrgicas de urgencia. Acciones preventivas en cuanto a neoplasías intestinales, estructuración del cuidado en red, con involucramiento e integración de todos los servicios pueden contribuir para identificación de obstáculos y búsqueda de solucciones, mejorando la calidad de vida, reduciendo costes. / Introdução: A utilização de estomas intestinais é bem definida como medida terapêutica em doenças intestinais. Objetivo: Descrever os aspectos sociodemográficos e clínicos de pessoas com estomas intestinais provisórios e identificar os fatores que contribuem para a não reconstrução de trânsito em pessoas com estoma intestinal provisório. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo - analítico de caráter quantitativo, com 117 pessoas com estoma provisório, a coleta dos dados ocorreu no período entre setembro e novembro de 2015, por meio de análise de prontuário e entrevista estruturada, em um Serviço de Atenção ao Estomizado, utilizou-se de instrumento abordando aspectos sociodemográficos, clínicos e motivo da não reconstrução do estoma provisório até o momento da coleta dos dados. Resultados: Todas as pessoas com estoma provisório cadastradas participaram do estudo. Destes 64 (54,7%) eram do sexo masculino, com média de idade 62,9 anos (mínima 23, máxima 95), casados (70 – 59,8%), católicos (87 – 74.4%), com até oito anos de estudo (83 – 70,9%). A maioria (62 – 52,9 %) exercia atividade laboral remunerada, destes 60 (51,3%) interromperam suas atividades laborais, e 52 (44,4%) não retornaram, com afastamento pela previdência. Dos 57 (48,7%) que não interromperam as atividades laborais 39 (33,3%) eram aposentados, 16 (13,6%) exerciam atividade não remunerada e 02 (1,7%) eram autônomos sem direito a afastamento. e renda familiar até dois salários mínimos (79 – 67,5%). A neoplasia predominou como causa de confecção do estoma (56 – 47,9%), seguida pelo abdome agudo (37 – 31,6%). As colostomias foram mais frequentes (88 – 75,2%), a permanência do estoma foi em média de 5,3 anos (mediana 3 anos, tempo mínimo 6 meses e máximo 25 anos).Os principais motivos de demora para reconstrução de trânsito foram a persistência da causa pré cirúrgica, a presença de comorbidades, complicações pós cirúrgicas e dificuldade de acesso a exames, consultas e vaga de cirurgia. A idade exerceu influência tanto na patologia(p<0,001),como no motivo da demora na reconstrução(p<0,001). Conclusão: A idade influênciou tanto na causa de construção do estoma como na reconstrução. A presença de comorbidades e a persistência da causa pré cirúrgica também exerceram influência significativa para a não reconstrução de trânsito. A neoplasia foi à patologia que mais desencadeou a necessidade de estoma, com a maioria das intervenções cirúrgicas de urgência. Ações preventivas quanto a neoplasias intestinais, estruturação do cuidado em rede, com envolvimento e integração de todos os serviços podem contribuir para identificação de obstáculos, e busca de soluções, melhorando a qualidade de vida, reduzindo custos.

Page generated in 0.098 seconds