• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 157
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 172
  • 172
  • 172
  • 48
  • 41
  • 40
  • 40
  • 35
  • 32
  • 23
  • 21
  • 20
  • 17
  • 15
  • 15
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Estudo da histopatologia das glandulas salivares maiores de 32 pacientes aideticos autopsiados / Autopsy findings in the major sallvary glands of 32 Brazilian patients with aids

Vargas, Pablo Agustin, 1973- 17 April 1998 (has links)
Orientador: Oslei Paes de Almeida / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba / Made available in DSpace on 2018-07-23T14:13:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vargas_PabloAgustin_M.pdf: 6507911 bytes, checksum: 90dfb46fb14f48379fefb67aeec0d821 (MD5) Previous issue date: 1998 / Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar as alterações anatomopatológicas das glândulas salivares maiores de 32 pacientes aidéticos autopsiados e de 13 que morreram por outras causas. As autópsias foram realizadas no SVOC (Serviço de Verificação de Óbitos da Capital) -FMUSP(Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) em 1996 e 1997, seguindo os preceitos éticos e técnicos do local. As glândulas salivares maiores foram dissecadas, cortadas em seis fragmentos e os cortes histológicos corados em H/E, Grocott e ZiehlNielsen. No grupo HIV negativo observou-se em três casos sialadenite discreta crônica na parótida. Nas parótidas do grupo aidético observou-se seis casos de tuberculose, um de criptococose e um de citomegalovirose. Sialadenite esteve presente em 18 casos na parótida, 17 na submandibular e 15 na sublingual. Não foram encontradas lesões císticas ou neoplásicas. Os linfonodos intraparotídeos do grupo aidético apresentaram: depleção de linfócitos em 07 casos; granulomas com bacilos de Koch em 06 e inclusão de tecido glandular nos linfonodos em 07casos. Em 92% dos casos o nível de linfócitos CD4 no sangue dos indivíduos aidéticos esteve abaixo de 200 cels/ 'mu'l. A etiologia da sialadenite crônica em pacientes aidéticos ainda precisa ser melhor determinada. Tuberculose, criptococose e citomegalovirose, ocorreram apenas na parótida. Estas doenças não estavam localizadas na parótida exclusivamente, envolvendo também outros órgãos. Um maior número de casos está sendo avaliado, para melhor determinar a incidência de doenças nas glândulas salivares de pacientes aidéticos / Abstract: This study describes the alterations found in the major salivary glands of 32 patients who died of AIDS and of 13 who died for other reasons. Sialadenitis occurred in the parotid of 23% cases of the control group, and in 54%, 51 % and 45% cases of the parotid, submandibular and sublingual glands respectively, of the patients with human immunodeficiency virus infection. Six cases of tuberculosis, one of cryptococosis, one citomegalovirus infection were found in the parotid of the HIV positive patients. Intraparotid lymph nodes showed depletion of lymphocytes in 7 and inclusion of glandular tissue in 7 cases of immunodeficient patients. Tuberculosis in the salivary glands is well documented in the literature, but in HIV positive it is rarely described. It is also important to consider that the alterations of the major salivary glands here described had not been diagnosed clinically / Mestrado / Biologia e Patologia Buco-Dental / Mestre em Odontologia
42

Assimetria de anticorpos contra os grupos sanguíneos A e B Galα1-3Gal desfavorece o grupo sanguíneo B contra infecção por HIV

Onsten, Tor Gunnar Hugo January 2010 (has links)
A principal hipótese para explicar o polimorfismo do sistema dos grupos sanguíneos ABH humana é a co-evolução com patógenos. Através de modelagem matemática já foi demonstrado que patógenos bacterianos que utilizam os glicanos ABH de superfície como receptores de adesão favorecem os fenótipos A e B enquanto os patógenos virais revestidos por estes glicanos favorecem o fenótipo nulo O que possui anticorpos naturais anti-A e anti-B. Limitações práticas têm impedido demonstrar até o presente momento como a co-evolução entre patógenos e hospedeiro atua sobre os anticorpos naturais contra os glicanos ABH. O presente trabalho demonstra pela primeira vez em uma grande população de doadores de sangue (N: 271.410) que a assimetria dos grupos sanguíneos do sistema ABO e seus respectivos anticorpos associados à reação cruzada do anti- Galα1-3Gal pode explicar a freqüência significativamente maior de infecção por HIV em doadores de sangue do grupo sanguíneo B. A reação cruzada anti-B causada pela maior capacidade de imuno-reconhecimento do anticorpo anti- Galα1-3Gal presente nos grupos sanguíneos A e O comparada ao encontrado no grupo B pode também justificar o predomínio do alelo A sobre o alelo B na maioria das populações humanas. / Co evolution with pathogens is the principal hypothesis to explain the polymorphism of the ABO blood group system. Mathematic models demonstrate that bacterial pathogens exploring ABH surface glycans as attachment receptors impose selective pressure in favour of A and B phenotypes while glycan covered viruses favor act in favour of the O phenotype who’s serum contains natural occurring anti-A and anti-B antibodies. Natural antibodies against ABH glycans acting in co evolution between hosts and pathogens has by practical limitations not been demonstrated until present. The present study demonstrated for the first time in a great population of blood donors (N: 271.410) that the asymmetry of ABO blood group system antigens and antibodies in associated with cross reacting anti- Galα1-3Gal antibodies can explain the higher frequency of HIV infection in blood donors of group B and also the higher frequency of the A allele compared to the B allele in most human populations.
43

Diagnóstico etiológico das meningites e encefalites linfocitárias pela amplificação do DNA patogênico em pacientes com infecção pelo HV

Chesky, Marisa January 2004 (has links)
Resumo não disponível
44

A depressão e a adesão ao tratamento da infecção pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana) / The depression and the adherence to the treatment of the infection of HIV (human immunodeficiency virus)

José Renato da Silva 29 June 2005 (has links)
A epidemia da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids) já atingiu aproximadamente 40 milhões de indivíduos em todo o mundo. O controle adequado da infecção pelo HIV através do tratamento anti-retroviral proporciona menor resistência viral, níveis mais baixos de carga viral, diminuindo, assim, a probabilidade da transmissão do HIV. A adesão ao tratamento anti-retroviral é importante para o sucesso do tratamento. A depressão é um transtorno psiquiátrico com prevalência elevada na população geral e nos portadores do HIV/Aids. Sabe-se que a depressão é um fator limitante para boa adesão. Neste trabalho, estudou-se a associação entre a adesão e a depressão em 164 pacientes portadores do HIV/Aids, em acompanhamento médico num serviço especializado, no período de outubro de 2002 a outubro de 2003. Foram aplicados os seguintes instrumentos: SCID/DSM-IV (Strutured Clinical Interview/Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), HAM-D (Hamilton Rating for Depression), MMSE (MiniMental State Examination - Miniexame do Estado Mental), questionário sócio-demográfico, laboratorial, da doença e tratamento e questionário de adesão. A média de idade foi 39 anos, e 72% da amostra eram do sexo masculino. Mais de 85% dos pacientes se infectaram com o HIV através de relações sexuais. Apenas 7,9% eram usuários de drogas injetáveis. A média de CD4 foi 404,8 e carga viral 3,55 (log). A prevalência de depressão atual foi 17,7%, com diferença estatisticamente significante entre os mais jovens. Setenta e cinco pacientes (45,73%) apresentaram episódio depressivo passado. Dos 164 pacientes, 137 faziam uso de anti-retrovirais. Pacientes que tomavam 95% dos anti-retrovirais foram considerados pacientes que aderiram ao tratamento. A adesão foi avaliada através de questionário e 79,56% dos pacientes aderiram ao tratamento. A adesão foi maior entre os homens e os mais velhos. A carga viral também apresentou associação com a adesão e com antecedente pessoal de depressão. A adesão não mostrou associação com depressão / Approximately 40 million individuals are infected by HIV/acquired immunodeficiency syndrome (AIDS) in the word. The control of the HIV infection by the antiretroviral treatment provides lower viral resistance; lower viral load levels and diminishes the probability of the transmission of the HIV. The adherence to antiretroviral treatment is important for the success of the treatment. Depression is a psychiatric disorder with high prevalence in general population and in HIV/AIDS infected patients. Depression seems to be a limitation for good adherence. In this study, the association between adherence and depression was assessed in 164 HIV/AIDS infected patients in a specialized service, in the period of October of 2002 and October of 2003. The following instruments were applied: SCID/DSM-IV (Structured Clinical Interview/Diagnostic and Manual Statistical of Mental Disorders), HAM-D (Hamilton Rating for Depression), MMSE (MiniMental State Examination), sociodemographic, laboratorial, disease and adherence questionnaires. The mean age was 39 years-old and 72% of the sample were men. More than 85% of the patients were infected by sexual contact and 7.9% were injecting drug users. The mean of CD4 was 404.8 and viral load 3.55 (log). The prevalence of current depression was 17.7%, with higher prevalence among youngest. Seventy five patients (45.73%) had a lifetime depressive episode. Of the 164 patients, 137 were treated with antiretroviral. Patients who took at least 95% of the antiretroviral medications had been considered adhered to treatment. The adherence was evaluated through questionnaire and was presented in 79.56% of the patients. The adherence was higher among men and oldest. The viral load also showed association with adherence and lifetime depression. The adherence was not associated to depression
45

A depressão e a adesão ao tratamento da infecção pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana) / The depression and the adherence to the treatment of the infection of HIV (human immunodeficiency virus)

Silva, José Renato da 29 June 2005 (has links)
A epidemia da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids) já atingiu aproximadamente 40 milhões de indivíduos em todo o mundo. O controle adequado da infecção pelo HIV através do tratamento anti-retroviral proporciona menor resistência viral, níveis mais baixos de carga viral, diminuindo, assim, a probabilidade da transmissão do HIV. A adesão ao tratamento anti-retroviral é importante para o sucesso do tratamento. A depressão é um transtorno psiquiátrico com prevalência elevada na população geral e nos portadores do HIV/Aids. Sabe-se que a depressão é um fator limitante para boa adesão. Neste trabalho, estudou-se a associação entre a adesão e a depressão em 164 pacientes portadores do HIV/Aids, em acompanhamento médico num serviço especializado, no período de outubro de 2002 a outubro de 2003. Foram aplicados os seguintes instrumentos: SCID/DSM-IV (Strutured Clinical Interview/Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), HAM-D (Hamilton Rating for Depression), MMSE (MiniMental State Examination - Miniexame do Estado Mental), questionário sócio-demográfico, laboratorial, da doença e tratamento e questionário de adesão. A média de idade foi 39 anos, e 72% da amostra eram do sexo masculino. Mais de 85% dos pacientes se infectaram com o HIV através de relações sexuais. Apenas 7,9% eram usuários de drogas injetáveis. A média de CD4 foi 404,8 e carga viral 3,55 (log). A prevalência de depressão atual foi 17,7%, com diferença estatisticamente significante entre os mais jovens. Setenta e cinco pacientes (45,73%) apresentaram episódio depressivo passado. Dos 164 pacientes, 137 faziam uso de anti-retrovirais. Pacientes que tomavam 95% dos anti-retrovirais foram considerados pacientes que aderiram ao tratamento. A adesão foi avaliada através de questionário e 79,56% dos pacientes aderiram ao tratamento. A adesão foi maior entre os homens e os mais velhos. A carga viral também apresentou associação com a adesão e com antecedente pessoal de depressão. A adesão não mostrou associação com depressão / Approximately 40 million individuals are infected by HIV/acquired immunodeficiency syndrome (AIDS) in the word. The control of the HIV infection by the antiretroviral treatment provides lower viral resistance; lower viral load levels and diminishes the probability of the transmission of the HIV. The adherence to antiretroviral treatment is important for the success of the treatment. Depression is a psychiatric disorder with high prevalence in general population and in HIV/AIDS infected patients. Depression seems to be a limitation for good adherence. In this study, the association between adherence and depression was assessed in 164 HIV/AIDS infected patients in a specialized service, in the period of October of 2002 and October of 2003. The following instruments were applied: SCID/DSM-IV (Structured Clinical Interview/Diagnostic and Manual Statistical of Mental Disorders), HAM-D (Hamilton Rating for Depression), MMSE (MiniMental State Examination), sociodemographic, laboratorial, disease and adherence questionnaires. The mean age was 39 years-old and 72% of the sample were men. More than 85% of the patients were infected by sexual contact and 7.9% were injecting drug users. The mean of CD4 was 404.8 and viral load 3.55 (log). The prevalence of current depression was 17.7%, with higher prevalence among youngest. Seventy five patients (45.73%) had a lifetime depressive episode. Of the 164 patients, 137 were treated with antiretroviral. Patients who took at least 95% of the antiretroviral medications had been considered adhered to treatment. The adherence was evaluated through questionnaire and was presented in 79.56% of the patients. The adherence was higher among men and oldest. The viral load also showed association with adherence and lifetime depression. The adherence was not associated to depression
46

Percepção da qualidade de vida e do desempenho do sistema de saúde entre pacientes em terapia antiretroviral no Brasil / Perception of quality of life and performance of the health system among patients on antiretroviral therapy in Brazil

Souza Junior, Paulo Roberto Borges de January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2011-05-04T12:42:05Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009 / O presente estudo tem como objetivo quantificar e caracterizar as pessoas infectadas pelo HIV que iniciam tardiamente o tratamento com anti-retrovirais (ARV), bem como avaliar a qualidade de vida e a resposta do sistema de saúde aos pacientes deHIV/aids em terapia ARV. Os resultados são apresentados sob forma de três artigos científicos. No primeiro, foram utilizados os dados do Sistema de Controle de Exames Laboratoriais (SISCEL) para investigar o retardo no início da terapia ARV. Foram considerados todos os indivíduos infectados pelo HIV, com 15 anos ou mais de idade, que realizam o primeiro exame de contagem de linfócitos CD4+ para avaliação de indicação de tratamento, no período 2003-06. Para 41 por cento dos pacientes, havia indicação de início imediato da terapia ARV (CD4+< 200 cel/mm3 e/ou presença de sintomas relacionados a aids), sendo esta proporção maior entre os homens (47 por cento), entre os pacientes com 50 anos ou mais (53 por cento) e entre os residentes nas regiões Norte e Nordeste do país (50 por cento e 47 por cento, respectivamente).Na segunda parte do trabalho, foi desenvolvido um inquérito com pacientes em terapia ARV, em âmbito nacional. Responderam ao questionário, 1245 pacientes com 18 anos ou mais, distribuídos em 42 unidades dispensadoras de medicamentos selecionadas probabilisticamente. Os pacientes, na sua maioria, tinham entre 18 e 49 anos (79 por cento), eram homens (59 por cento), tinham completado o ensino fundamental (56 por cento) e relataram algum efeito colateral ou adverso ao tratamento ARV (62 por cento). No segundo artigo, investigou-se a auto-avaliação de saúde entre os indivíduos em terapia ARV. Ao todo, 65 por cento dos pacientes auto-avaliaram sua saúde como excelente ou boa e 81 por cento relataram pouca ou nenhuma dificuldade para seguir o tratamento. Porém, 34 por cento dos homens e 47 por cento das mulheres disseram ter sentido um grau intenso ou muito intenso de ansiedade ou depressão nos últimos 30 dias anteriores à pesquisa.Grau de escolaridade, situação de trabalho, presença de efeitos colaterais e sintomas relacionados à aids foram os principais fatores associados à auto-avaliação de saúde boa para ambos os sexos. O terceiro artigo enfocou a qualidade de vida e a resposta do sistema de saúde do ponto de vista dos pacientes. A qualidade de vida foi avaliada como excelente ou boa por 59 por cento dos pacientes. Contudo, 65 por cento não está muito satisfeito com sua vida sexual e 22,5 por cento relatou um grau intenso ou muito intenso de sentimento de solidão. Para avaliação do sistema de saúde, utilizando uma escala de 0 a 100, o grau médio desatisfação com o sistema de saúde de uma forma geral (considerando aspectos relacionados ao atendimento médico, aos serviços de saúde e ao Sistma Único de Saúde como um todo) foi de 73,8. Os itens tempo de espera pelo atendimento e tempo de deslocamento até o serviço de saúde receberam as piores avaliações. O grau de satisfação com o desempenho do sistema de saúde mostrou-se associado à qualidade devida. Os resultados do primeiro artigo apontam para a necessidade de desenvolver estratégias para detecção precoce do HIV para o controle mais efetivo da epidemia e o aumento do impacto da terapia ARV. Os resultados do inquérito mostram, por sua vez,que a melhoria da assistência prestada em determinados aspectos (capacitação dos profissionais de saúde, melhora do acesso geográfico e oferta de terapias complementares), o maior suporte social, e intervenções para diminuir as perdas relacionadas ao trabalho e aos bens materiais, são fatores que podem contribuir a melhorar a qualidade de vida dos pacientes vivendo com HIV/aids no país. / The current study has the objectives of characterizing the population of HIV infected Brazilian individuals with late introduction of antiretroviral therapy (ART) as well as to evaluate the quality of life and health system responsiveness among patients undergoing ART. The results are presented in three scientific papers. In the first one, the delay in introducing ART was analyzed using data from the Laboratory Exam Control Information System. All HIV infected individuals aged 15 years or over with an initial CD4+ lymphocyte count requested in the period 2003-06 were considered for analysis. When combined with the number of symptomatic individuals, 41% of the total group was in need of immediate ART. This proportion was higher among men (47%), among patients aged 50 or over (53%), and among residents of the North (50%) and of the Northeast (47%). In the second stage of the study, a national survey was applied to a probabilistically selected sample of patients undergoing ART, in 2008. We surveyed 1245 patients aged 18 years or over, distributed among 42 ARV drug dispensing units. Most of the patients were between 18 and 49 years of age (79%); 59% were males; 56% have fundamental school or higher, 56% started ARVT before 2003 and 62% reported side effects. The purpose of the second paper was to investigate self-rated health among individuals on ARV therapy in Brazil. Results showed that 65% self-rated health state as good or excellent, 81% do have no or slight difficulty in following treatment, but 34% men and 47% women reported intense or extreme degree of anxiety/worry feelings. Educational level, work situation, presence of side effects and AIDS-related symptoms were the main predictors of good self-perception of health for both sexes.
47

"Avaliação da reconstituição do sistema imune em pacientes infectados pelo HIV-1 em uso de terapia anti-retroviral combinada" / Evaluation of the cardiac anatomical alterations secondary to the pulmonary emphysema: experimental study in rats

Rosangela Rodrigues 06 October 2004 (has links)
Estudo observacional em uma coorte 148 indivíduos infectados pelo HIV-1, em uso de terapia anti-retroviral, avaliando padrões de resposta imunológica, clínica e virológica em um período de 251 semanas, estratificados em três grupos de resposta virológica: Avirêmicos, Virêmicos e Virêmicos Atenuados. Este estudo observou melhor progressão clínica e imunológica foi observada no grupo Avirêmico, porém um significante ganho de linfócitos TCD4 (p < 0.013) e menor número de casos com evolução para Aids (p < 0.001) foi observado grupo Virêmico Atenuado comparado ao grupo Virêmico. / Observacional study in cohort of 148 HIV-1 infected patients under highly active antiretroviral therapy, analysed by different patterns of immunological reconstitution, clinical outcome and viral suppression in 251 weeks of follow up, estratified in Aviremic, Viremic and Virec Attenuated groups. This study observed better clinical and immunological response in Aviremic group, but Viremic Attenuated group shows a significant TCD4+ cells gain (p < 0.013) and less number of cases progressing to AIDS (p < 0.001) compared to Viremic group.
48

Influência da infecção pelo HIV e do uso da terapia antirretroviral nas concentrações de selênio, selenometionina e proteção antioxidante /

Watanabe, Lígia Moriguchi. January 2015 (has links)
Orientador: Anderson Marliere Navarro / Banca: Fernando Barbosa Junior / Banca: Thaís Borges César / Resumo: As deficiências nos compostos antioxidantes podem acelerar a progressão da doença por HIV influenciando no aumento do estresse oxidativo, que tem sido relacionado tanto com o uso da terapia antirretroviral (TARV) quanto com a própria infecção pelo HIV. O selênio tem um papel importante na infecção pelo HIV, sobretudo devido ao seu envolvimento na regulação do estresse oxidativo. Seus efeitos são dependentes da sua forma química e concentração, destacando-se a importância da especiação química. O presente estudo buscou avaliar se a infecção pelo HIV e o tempo de uso da TARV estão associados com maior dano oxidativo, baixas concentrações de selênio e seus metabólitos e uma menor proteção antioxidante da glutationa e da glutationa peroxidase. Trata-se de um estudo transversal, constituído por 120 indivíduos de ambos os sexos agrupados em: Grupo Controle (GC), HIV negativo, n=40; Grupo 1 (G1) HIV positivos em uso de TARV há mais de 5 anos, n=40; e Grupo 2 (G2), HIV positivos em uso de TARV há menos de 5 anos, n=40. Foram avaliados o selênio plasmático, selênio eritrocitário e a selenometionina. Os parâmetros antioxidantes foram a concentração da glutationa e a atividade da glutationa peroxidase. O estresse oxidativo foi medido por meio do malondialdeído. Avaliou-se ainda a ingestão alimentar e antropometria. A análise atual indicou que os indivíduos do presente estudo possuem a ingestão de selênio adequada e que a ausência de deficiência de selênio plasmático está associada ao uso da TARV. Foi observado que a infecção pelo HIV e o uso da TARV influenciam no estresse oxidativo, que por sua vez promove um aumento na expressão das defesas antioxidantes, medidas pela glutationa e glutationa peroxidase. Em relação a selenometionina, é possível que o aumento na sua concentração esteja relacionado à forma química... / Abstract: The antioxidant components deficiencies may hasten the progression of HIV disease increasing the oxidative stress, which has been associated with both use of antiretroviral therapy (ART) and HIV infection. Selenium has an important role in HIV infection mainly due to its involvement in oxidative stress regulation. Its beneficial effects are dependent on their chemical form and concentration, highlighting the importance of selenium speciation. The present study aimed to evaluate whether HIV infection and ART time of use are associated with increased oxidative damage, low concentrations of selenium and its metabolites, and reduced antioxidant protection of glutathione and glutathione peroxidase. This is a cross-sectional study consisted of 120 individuals that were classified as: Control Group (GC), HIV negatives, n=40; Group 1 (G1), HIV positives under ART for more than 5 years, n=40; and Group 2 (G2), HIV positives under ART for less than 5 years, n=40. Plasma selenium, erythrocyte selenium and selemethionine were evaluated. The antioxidant parameters were glutathione concentration and glutathione peroxidase activity. Oxidative stress was measured by malondialdehyde. In addition, we evaluated the dietary intake and anthropometry. The current analysis indicated that the subjects in this study had adequate selenium ingestion and the absence of plasma selenium deficiency was associated with the use of ART. We observed that HIV infection and use of ART influence oxidative stress, which in turn promotes an increase of the expression of antioxidant defenses, measured by glutathione and glutathione peroxidase. About selenomethionine, it is possible that its concentration increase is related to the chemical form of the ingested selenium and that the use of ART contributes to its decrease. However, further studies are necessary to understand the influence of ... / Mestre
49

Influência da infecção pelo HIV e do uso da terapia antirretroviral nas concentrações de selênio, selenometionina e proteção antioxidante

Watanabe, Lígia Moriguchi [UNESP] 13 November 2015 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2016-06-07T17:12:26Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2015-11-13. Added 1 bitstream(s) on 2016-06-07T17:17:09Z : No. of bitstreams: 1 000865794.pdf: 288082 bytes, checksum: 4caa937ffe33b2b4487a6a35ea700ffd (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / As deficiências nos compostos antioxidantes podem acelerar a progressão da doença por HIV influenciando no aumento do estresse oxidativo, que tem sido relacionado tanto com o uso da terapia antirretroviral (TARV) quanto com a própria infecção pelo HIV. O selênio tem um papel importante na infecção pelo HIV, sobretudo devido ao seu envolvimento na regulação do estresse oxidativo. Seus efeitos são dependentes da sua forma química e concentração, destacando-se a importância da especiação química. O presente estudo buscou avaliar se a infecção pelo HIV e o tempo de uso da TARV estão associados com maior dano oxidativo, baixas concentrações de selênio e seus metabólitos e uma menor proteção antioxidante da glutationa e da glutationa peroxidase. Trata-se de um estudo transversal, constituído por 120 indivíduos de ambos os sexos agrupados em: Grupo Controle (GC), HIV negativo, n=40; Grupo 1 (G1) HIV positivos em uso de TARV há mais de 5 anos, n=40; e Grupo 2 (G2), HIV positivos em uso de TARV há menos de 5 anos, n=40. Foram avaliados o selênio plasmático, selênio eritrocitário e a selenometionina. Os parâmetros antioxidantes foram a concentração da glutationa e a atividade da glutationa peroxidase. O estresse oxidativo foi medido por meio do malondialdeído. Avaliou-se ainda a ingestão alimentar e antropometria. A análise atual indicou que os indivíduos do presente estudo possuem a ingestão de selênio adequada e que a ausência de deficiência de selênio plasmático está associada ao uso da TARV. Foi observado que a infecção pelo HIV e o uso da TARV influenciam no estresse oxidativo, que por sua vez promove um aumento na expressão das defesas antioxidantes, medidas pela glutationa e glutationa peroxidase. Em relação a selenometionina, é possível que o aumento na sua concentração esteja relacionado à forma química... / The antioxidant components deficiencies may hasten the progression of HIV disease increasing the oxidative stress, which has been associated with both use of antiretroviral therapy (ART) and HIV infection. Selenium has an important role in HIV infection mainly due to its involvement in oxidative stress regulation. Its beneficial effects are dependent on their chemical form and concentration, highlighting the importance of selenium speciation. The present study aimed to evaluate whether HIV infection and ART time of use are associated with increased oxidative damage, low concentrations of selenium and its metabolites, and reduced antioxidant protection of glutathione and glutathione peroxidase. This is a cross-sectional study consisted of 120 individuals that were classified as: Control Group (GC), HIV negatives, n=40; Group 1 (G1), HIV positives under ART for more than 5 years, n=40; and Group 2 (G2), HIV positives under ART for less than 5 years, n=40. Plasma selenium, erythrocyte selenium and selemethionine were evaluated. The antioxidant parameters were glutathione concentration and glutathione peroxidase activity. Oxidative stress was measured by malondialdehyde. In addition, we evaluated the dietary intake and anthropometry. The current analysis indicated that the subjects in this study had adequate selenium ingestion and the absence of plasma selenium deficiency was associated with the use of ART. We observed that HIV infection and use of ART influence oxidative stress, which in turn promotes an increase of the expression of antioxidant defenses, measured by glutathione and glutathione peroxidase. About selenomethionine, it is possible that its concentration increase is related to the chemical form of the ingested selenium and that the use of ART contributes to its decrease. However, further studies are necessary to understand the influence of ...
50

Antifúngicos naturais e sintéticos: estudo dos mecanismos de ação em sistema de infecção in vitro empregando cepas de Cryptococcus

Gullo, Fernanda Patricia [UNESP] 14 February 2012 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:19Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-02-14Bitstream added on 2014-06-13T20:35:39Z : No. of bitstreams: 1 gullo_fp_me_arafcf.pdf: 1209208 bytes, checksum: eb8202940f1c96815dc70f8524aa0063 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Universidade Estadual Paulista (UNESP) / A criptococose é uma micose sistêmica e oportunista causada principalmente pelas leveduras Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii. Entre as principais manifestações clínicas estão o desenvolvimento de meningite, encefalite, meningoencefalite e infecções pulmonares. Estima-se que mais de um milhão dos casos de criptococose ocorrem por ano em indivíduos HIV positivos, o que classifica esta doença como a terceira mais importante entre as infecções fúngicas sistêmicas. A ecologia deste gênero está diretamente relacionada ao meio ambiente, sendo a espécie C. neoformans, comumente encontrada em excretas secas de pombos (Columbia livia) e a espécie C. gattii é encontrada, principalmente, em plantas, como espécies de Eucalyptos. O tratamento da criptococose é realizado com os fármacos antifúngicos, anfotericina B e fluconazol, sendo este último de ação fungistática utilizado para tratamento de longo prazo, que apesar de eficiente, pode causar uma série de reações adversas e ainda desenvolvimento de resistência. Tendo em vista o difícil controle da levedura e o tratamento, este trabalho tem como objetivo principal, a pesquisa de substâncias naturais com alto potencial antifúngico com finalidade saneante e medicamentosa, combatendo a levedura em seu nicho ecológico natural e também atuando no combate à infecção no hospedeiro. Uma forma de diminuir os casos desta infecção é através do processo de desinfecção ambiental com produtos saneantes, os quais apresentam capacidade fungicida. Por meio do projeto Biota/FAPESP, foram selecionados dois triterpenóides quinonamétideos extraídos de Maytenus ilicifolia, a maitenina e a pristimerina, as quais apresentaram potentes CIMs anti-Cryptococcus, mais de 90 % de eficiência na desinfecção e baixa toxicidade, o que revela que... / Cryptococcosis is a systemic mycosis caused mainly by opportunistic yeast Cryptococcus neoformans and Cryptococcus gattii. Among the main clinical manifestations are the development of encephalitis, meningoencephalitis and pulmonar infections. It is estimated that more than one million cases of cryptococcosis occur per year in HIV positive individuals, which classifies the disease as the third among the most importante systemic fungal infections. The ecology of this genus is directly related to the environment. Specie C. neoformans is commonly found in dried excremento of pigeons (Columbia livia) and the species C. gattii is found primarily in plants such as Eucalyptus species. Cryptococcosis treatment is performed with the antifungal drugs amphotericin B and fluoconazole, the later being of a fungistatic used to treat long-term, while effective, may cause a number of adverse reactions and also the development of resistence. Given the difficult control of the yeast and treatment, this work has as main objective, the research of natural substances with high potential antifungal drug with purpose and saneante, fighting yeast in their natural ecological niche and also acting in fighting infection in the host. One way to reduce the cases of infection is through the capacity fungicide. Through the Project BIOTA / FAPESP, we selected two quinonametides triterpenids extracted from Maytenus ilicifolia, the maitenin and pristimerin, which showed potente anti-Cryptococcus MICs, more than 90 % of the disinfection efficiency and low toxicity... (Complete abstract click electronic access below)

Page generated in 0.0683 seconds