• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 21
  • 3
  • Tagged with
  • 24
  • 10
  • 10
  • 9
  • 8
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

Capricho, farsa ou imitação da realidade: discursos do direito em acórdãos de retificação de registro civil de travestis e transexuais / Caprice, farce or imitation of reality: speeches in the law on rectification of civil registry of transvestites and transsexuals

Rocha, Rachel Macedo 11 September 2017 (has links)
Historicamente somos identificados a partir do corpo, mais especificamente da genitália que nos classifica no padrão binário de gênero, masculino e feminino. Ao longo da história da humanidade, esta regra padroniza as formas de ser e viver e prescreve a constituição dos sujeitos, das identidades, do sexo e da sexualidade, adquirindo estatuto de verdade. Uma das grandes questões a orientar a identidade civil é o sexo. Travestis e transexuais que transitam ou atravessam as fronteiras definidas pelas normativas de sexo e gênero, caso queiram mudar de nome, têm como exigência a autorização judicial. Realizei uma pesquisa qualitativa, com o objetivo de analisar os discursos jurídicos em acórdãos de retificação de registro civil de transexuais e travestis no Tribunal de Justiça de São Paulo. O referencial teórico utilizado foram os estudos de gênero, ferramentas conceituais de Michel Foucault e aportes do campo do direito. Analisei 45 acórdãos do órgão superior do judiciário paulista do período de 2000 a 2015. Para analisar o material, tomei como inspiração Spink, ao construir de mapas temáticos. Os resultados sinalizam que as decisões, tanto para acolher, como para negar os pedidos, utilizam os saberes jurídicos e especialmente saberes médicos, pautados em um modelo biomédico de concepção da transexualidade e travestilidade. Como consequência desta fundamentação, observamos que, no campo do Direito, cristaliza-se uma concepção que moraliza e transforma as identidades de gênero não hegemônicas em patologias, como a de travestis e transexuais / Historically we are identified by our bodies, more specifically by our genitalia that classifies us in the binary gender pattern, male and female. In the course of mankinds history, this rule standardizes the ways to see and live and prescribes the constitution of subjects, identities, gender and sexuality, acquiring status of truth. On of the great questions to orient civil identity is gender. Tranvestites and transsexuals that walk by or trespass the boundaries defined by the norms of sex and gender, in case they want to change their names, have, as a demand the judiciary authorization. We conducted a qualitative research, with the intent of analyzing the judiciary speeches in judgement of retification of civil records of transsexuals and tranvestites on the São Paulo Court of Law. The theoretical referential utilized were the studies of gender, conceptual tools os Michel Foucault and contribution of the Law field. I have analyzed 45 judgements of São Paulos superior court, between 2000 and 2015. In order to analyze the material, we took as inspiration the methodology proposed by Spink, when constructing thematic maps. The results signal that the decisions, both to accomodate and to deny the requests, utilize judicial, and especially medical, knowledge, lined in a biomedical modelo f the conception of transsexuality and travesty. As a consequence of this fundamentation, we observe that, in Law, there is a crystalization that moralizes and transforms the gender identities not hegemonics in pathologies, like the ones of the tranvestites and transsexuals
12

Gerações travestis : Corpo, subjetividade e geracionalidade entre travestis do interior de São Paulo

Miguel, Luiz Henrique 10 December 2015 (has links)
Submitted by Livia Mello (liviacmello@yahoo.com.br) on 2016-09-23T20:22:22Z No. of bitstreams: 1 DissLHM.pdf: 1249007 bytes, checksum: b2b20a9438b8804010142443d4f1485e (MD5) / Approved for entry into archive by Marina Freitas (marinapf@ufscar.br) on 2016-09-26T20:33:20Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DissLHM.pdf: 1249007 bytes, checksum: b2b20a9438b8804010142443d4f1485e (MD5) / Approved for entry into archive by Marina Freitas (marinapf@ufscar.br) on 2016-09-26T20:33:26Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DissLHM.pdf: 1249007 bytes, checksum: b2b20a9438b8804010142443d4f1485e (MD5) / Made available in DSpace on 2016-09-26T20:33:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DissLHM.pdf: 1249007 bytes, checksum: b2b20a9438b8804010142443d4f1485e (MD5) Previous issue date: 2015-12-10 / Não recebi financiamento / This research seeks understanding how different transvestite's generations that prostitutes themselves in the countryside of São Paulo built their bodies and subjectivities. I seek to understand the existence of the pressure between this identity project and the creation of two categories, the older and younger, observing the detachment and existent approximation between different generation of transvestites, just like specific valuations of some bodies and behaviors from each one of them. The study realized in Sao Carlos and Ribeirao Preto undertook ethnography at the prostitution areas and the transvestites homes, combined with online contacts through social media like Facebook©. Based on Queer theory, the Brazilian studies about the travestite‟s and the the idea of "generationality" and aging, I seek the creation of particular idea of being young and aging as travestite for the ones that prostitute themselves. Seeing that for this group aging is not only related with the age but with a specific relationship with the body, the job market and the social relationships that develops and keep the environment where they live. / Esta pesquisa busca compreender de que forma as diferentes gerações de travestis que se prostituem no interior de São Paulo construíram seus corpos e subjetividades. Procuro compreender a existência de tensões entre estes projetos identitários e a construção de duas categorias, a das mais velhas e a das mais novas, observando os distanciamentos e aproximações existentes entre as diferentes gerações de travestis, bem como as valorações específicas de determinados corpos e comportamentos por cada uma destas. O estudo realizado nas cidades de São Carlos e Ribeirão Preto, empreendeu etnografia nos locais de prostituição e nas casas onde vivem essas travestis, unido a contatos online por plataformas de relacionamento como o Facebook©. Tomando como base a Teoria Queer, os estudos brasileiros sobre travestilidade e as noções de geracionalidade e envelhecimento, busco a construção de uma noção particular sobre “ser nova” e “envelhecer travesti” para as que se prostituem. Visto que o envelhecimento para este grupo não está associado meramente a questão da idade, mas sim a uma relação específica com o corpo, o mercado de trabalho e as relações sociais que desenvolvem e mantém com o ambiente em que vivem.
13

“O amor ainda está aqui”: processos de subjetivação, microterritórios e corpos em narrativas de sexualidades em Campina Grande –PB.

AZEVÊDO, Ciro Linhares de. 19 July 2018 (has links)
Submitted by Emanuel Varela Cardoso (emanuel.varela@ufcg.edu.br) on 2018-07-19T00:16:55Z No. of bitstreams: 1 CIRO LINHARES DE AZEVÊDO – DISSERTAÇÃO (PPGH) 2015.pdf: 2941770 bytes, checksum: e6c07faa9da002d2c72b426ad0814ad4 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-07-19T00:16:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CIRO LINHARES DE AZEVÊDO – DISSERTAÇÃO (PPGH) 2015.pdf: 2941770 bytes, checksum: e6c07faa9da002d2c72b426ad0814ad4 (MD5) Previous issue date: 2015-04-27 / O estudo tem como tema as narrativas de sexualidades no entrelaçamento de saberes e experiências de duas protagonistas da cena urbana atual de Campina Grande-PB, a travesti Valquíria Montini e Maria de Calú, proprietária do pioneiro bar gay da cidade. Escolhi trabalhar com entrevistas, a partir destas analisar as narrativas - que estão em temporalidades que se atravessam entre as décadas de 1940 ao tempo presente - pelas experiências de sexualidade, espaços praticados e as transformações estéticas dos corpos. Discuti as práticas de subjetivação que emerge das performances de si pela fluidez das noções identitárias, os sujeitos da trama traçada foram vistos pela sua contingência e historicidade. Também foram analisadas as elaborações de si, afetividades e modos de vida que se dão nas interações dos sujeitos que se dão em diversos espaços em Campina Grande e outras cidades. Por fim, problematizei as narrativas sobre os corpos, as noções de travestilidade e a multiplicidade das experiências que permitem a subve rsão das identidades como fixas e naturalizadas. Para tecer novos olhares acerca destas interações, usamos os diálogos teóricos fornecidos principalmente por Judith Butler, Michel de Foucault, Michel de Certeau e Gilles Deleuze. / This study is about sexualities narratives in the intertwining of knowledge and experiences of two protagonists in contemporary urban scene of Campina GrandePB, the transvestite Valquíria Montini and Maria de Calú, owner of the first gay bar in this city. I chose to work with interviews, analyze these narratives - that are in temporalities that crisscross between the 1940s to the present time - the sexuality studied on aspects of experience, spaces and aesthetic transformations of bodies. We also analyzed the elaborations of themselves, the affections and ways of life that occur in the interactions of the subjects that take place in different spaces in Campina Grande and other cities. Finally, we analyze the narratives of their own bodies, the notions of being a transvestite and the multiplicity of experiences that allow subversion of identities as fixed and naturalized. To weave new perspectives about these interactions, we use the theoretical dialogues by Judith Butler, Michel Foucault, Michel de Certeau and Gilles Deleuze.
14

Transexualidade(s) e travestilidade(s) no jornalismo: uma análise discursiva das notícias produzidas em Pernambuco pelo Aqui PE e Jornal do Commercio

CAEIRO, Rui Miguel Pereira 29 February 2016 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2016-08-26T13:34:53Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO VERSÃO DIGITAL FINAL.pdf: 1801824 bytes, checksum: fa9f05a820a2698b9f22a84423419651 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-26T13:34:53Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO VERSÃO DIGITAL FINAL.pdf: 1801824 bytes, checksum: fa9f05a820a2698b9f22a84423419651 (MD5) Previous issue date: 2016-02-29 / CAPEs / A presente investigação é instigada por dois pressupostos: 1) compreendendo a grande mídia como instituição integrada, e originada, no sistema capitalista, ela é foco de complexas lutas de/pelo poder para/de influenciar a produção de significados e representações sociais – ou seja, é espaço privilegiado no (re)conhecimento da (in)existência e (in)visibilização de vozes, temas e mundos, assim colaborando na (re)construção social da realidade; 2) na sociedade brasileira, pessoas trans constituem um dos grupos político-identitários que maior marginalização sofre diariamente – de ordem estrutural, muitas das violências transfóbicas/ cissexistas que enfrentam são resultado, e resultam, do/no apagamento de suas vozes, historicamente patologizadas/ criminalizadas pelos saberes ‘oficiais’ (principalmente os construídos pela medicina e ciências psi, reproduzidos nos mais variados espaços públicos e privados). Nossa hipótese é que a mídia é, também, espaço de (re)produção de violências e exclusão de pessoas trans – hipótese essa que ao final afirmamos, e justificamos, como verdadeira. Desta forma, o trabalho tem três objetivos centrais: 1) analisar os discursos produzidos (jan.2014 – jan.2015) por Aqui PE e Jornal de Commercio (versões impressas) acerca de transexualidade(s) e travestilidade(s); 2) através de entrevistas semi-estruturadas com alguns dos sujeitos envolvidos na produção noticiosa (editoras/es dos cadernos analisados), lançar pistas sobre algumas das concepções acerca de transexualidade e travestilidade que circulam nas redações dos jornais, bem como sobre outras variáveis que condicionem a construção noticiosa dos temas; 3) alinhavando teorizações provenientes, principalmente, das Teorias do Jornalismo, Estudos Críticos do Discurso e Estudos Queer, refletir sobre as possibilidades de mudança discursiva, portanto social, acerca da(s) transexualidade(s), travestilidade(s) e, necessária-simultaneamente, cisgeneridade(s). / The investigation is instigated by two assumptions: 1) understanding the mainstream media as an institution integrated, and originated, in the capitalist system, it is the focus of complex struggles of/for power to influence the production of meanings and social representations – i.e., its a privileged space for the recognition of (in)existence and (in)visibility of voices, themes and worlds, thus collaborating in the reconstruction of reality; 2) in Brazilian society, transgender people are one of the political/identity groups that, on daily bases, experience social marginalization – structural, many of the transphobic/ cissexists violence they face are the result, and result, from / in the deletion of their voices, historically pathologized/ criminalized by 'official' knowledge (mostly built by medicine and psychological sciences, reproduced in various public and private spaces). Our hypothesis is that the media is, also, space of (re)production of violence and exclusion of transgender people - a hypothesis that at the end we found to be true. Thus, the work has three main objectives: 1) to analyze the discourses produced (jan.2014 - jan.2015) on Aqui PE and Jornal do Commercio (printed versions) about transsexuality(s); 2) through semi-structured interviews with some of those involved in news production (publishers of the analyzed books), provide clues about some of the conceptions of transsexuality circulating in newsroom and newspapers, as well as other variables that condition the construction of news topics; 3) tacking theories derived mainly from Journalism Theories, Critical Discourse Studies and Queer Studies, reflect on the possibilities of discursive change, therefore social changes, about transgenderity and, necessary- simultaneously, cisgenderity.
15

O desafio da masculinidade subalterna na travestilidade: a dor da beleza / The challenge of the transvestility in subaltern masculinity: the pain of beauty

Rosa, Mariléia Catarina 09 November 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-28T20:38:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Marileia Catarina Rosa.pdf: 886852 bytes, checksum: 575d47addfda0799455593cc2e2d388c (MD5) Previous issue date: 2012-11-09 / This paper discusses the constitution of subjectivity in transvestility from the subversion of the body adjusting it to a gender identity. It is a theoretical study, a literature review. Therefore, the construction of this work involved two steps: the first step was the literature review on the subject concerning the period of the last twelve years from the key descriptors found in online data basis (Web of Science, LILACS, MedLine, Bireme Portal.periodicos.Capes, PubMed, Scielo Brazil), and the second step was the participation of the researcher in events, on visits to institutions and in dialogues with experts in the field of transvestility. The research was guided by the theoretical framework of socio-historical Psychology. This perspective believes that the way we assume ourselves is related to our subjectivity, which is historically constructed by the subject in its historical, social and emotional relations, being the human psyche a flexible and malleable category, involving the dimensions of consciousness, activity and identity in which the phenomena of transvestility is understood. It is noticed that transvestility expresses a social and individual subjectivity that is constructed in a dialectical relationship, and that shows the complexity of historical, social, family and personal experiences. It expresses both a transformation of a genetically male body and the transformation of a gender identity opposite to the biological sex, which subverts the gender through sophisticated programming techniques such as hormone therapy, implantation of silicone and use of female clothing and accessories. It concludes that the transformation of the body in transvestility into a feminine image is perceived as a second skin which shows all its performance according to the beauty standards of hegemonic idealized feminine gender identity. The process of constitution of subjectivity is expressed by strangeness and by the complexity of changes in relation to the genetic body, by the construction of a gender identity according to the chosen gender, and consequently by using clothes and expressions of the body, consistent with this gender identity. This means that the constitution of subjectivity in transvestility cannot be described by an anatomical detail, but by a set of experiences that turn the transvestites into beings in a changing process, ranging from the destruction to the construction of a new body, with the challenges of the pain of beauty that is marked by moments and motivations of an individual socio-historical role, and that specifies the challenges in the constant transformation of the body, since the truth of gender is not written in the biological body, but in the many ways of constructing new meanings for genders / O presente trabalho pretende discutir a constituição da subjetividade na travestilidade a partir da subversão do corpo, adequando-o a identidade de gênero. É um estudo teórico, uma revisão da literatura. Para tanto, a construção do trabalho envolveu duas etapas: a primeira etapa foi sobre o levantamento bibliográfico referente ao tema, no período dos últimos doze anos a partir dos descritores-chaves nas bases de dados online (Web of Science, LILACS, MedLine, Bireme, Periódicos Capes, PubMed, Scielo Brasil), e a segunda a participação em eventos, visitas às instituições com diálogos em campo com especialistas que atendem o grupo das travestis. A pesquisa foi norteada pelo referencial teórico da Psicologia Sócio-histórica. Esta perspectiva entende que a maneira como nos assumimos diz respeito a nossa subjetividade, que é construída historicamente pelo sujeito nas suas relações históricas, sociais e afetivas, sendo o psiquismo humano uma categoria flexível e maleável, envolvendo as dimensões da consciência, atividade e identidade na qual os fenômenos da travestilidade são compreendidos. Percebe-se que a travestilidade expressa uma subjetividade individual e social construída numa relação dialética, e mostra sua complexidade das vivências históricas, sociais, familiares e pessoais. Expressa uma transformação do corpo genético masculino e da identidade de gênero oposta ao sexo biológico, que subverte o gênero através de sofisticadas técnicas de programação como hormonioterapia, implantação de silicone e uso de roupas e acessórios do gênero feminino. Conclui-se que a transformação do corpo na travestilidade em imagem feminina é percebida como uma segunda pele a qual mostra toda sua performance de acordo com os padrões de beleza hegemônica da identidade de gênero feminino idealizada. O processo de constituição da subjetividade se expressa pelo estranhamento e por uma complexidade de transformações em relação ao corpo genético, pela construção de identidade de gênero do sexo de escolha, e, consequentemente, pela utilização de roupas e expressões corporais condizentes com esta identidade de gênero. Isto significa que a constituição da subjetividade na travestilidade não pode ser designada por um detalhe anatômico e sim por um conjunto de experiências que fazem das travestis seres em mutação, que vão da destruição à construção de um novo corpo, com os desafios da dor da beleza, que é marcada por momentos e motivações diversas de um papel sócio-histórico individual, e especifica os desafios na transformação incessante do corpo, uma vez que a verdade do gênero não está escrita no corpo biológico, mas sim nas múltiplas possibilidades de construir novos significados para os gêneros
16

Seis passeios pelas praias de uma ficção: notas sobre algumas movimentações de drag queens na cidade do Rio de Janeiro / Six walks in a fictional beaches: notes on some drives of drag queens in the city of Rio de Janeiro

Aureliano Lopes da Silva Junior 10 June 2011 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / O presente trabalho tem por objetivo traçar breves notas sobre algumas movimentações de drag queens e outras artistas da travestilidade que tiveram lugar na cidade do Rio de Janeiro, nos anos de 2009 e 2010. Através de um trabalho de observação participante, foram selecionados alguns locais e espetáculos que poderiam ser representativos desta categoria artística, não se pretendendo um levantamento extenso sobre quem são e onde estão tais artistas. Nomeio como artistas da travestilidade aqueles corpos que têm o ato de travestir-se como central em sua construção artístico-cultural, principalmente construindo corporalidades baseadas em um gênero diferente daquele identificado socialmente no nascimento, como drag queens, atores transformistas, travestis e transexuais artistas. Apoiando-me em pressupostos dos métodos cartográfico e etnográfico assumi, nesta dissertação, o posicionamento de um pesquisador-espectador, objetivando o contato com aquilo que drag queens e outras artistas da travestilidade desejam tornar público, ou seja, seus shows e espetáculos. Acompanhei diversas apresentações deste tipo em teatros, boates, bares e clubes de bairro, bem como em outros locais nos quais se fizeram presentes, como na Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro e em alguns blocos do carnaval carioca. Tendo ainda como campo de diálogo alguns postulados da Esquizoanálise vertente teórica fundamentada principalmente nas contribuições de Gilles Deleuze e Félix Guattari , pretendi situar e afirmar as drag queens e a arte da travestilidade dentro dos estudos de gênero e sexualidade, principalmente aqueles mais diretamente relacionados às manifestações de uma subcultura camp e cultura gay e/ou homossexual. / This paper aims to draw some brief notes on the contemporary drag queens' and other female impersonators artists movements, following what took place in the city of Rio de Janeiro during the years 2009 and 2010. Through a study of participant observation, I selected some sites and shows that could be representative of this art category, not intending to make an extensive survey of where they are or who these artists are. I name female impersonators artists those bodies which have the act of transvestiting themselves as central to their artistic and cultural construction/constitution, particularly building up corporalities based on a gender which is distinct from the birth-socially-identified one, e.g. drag queens, crossdresser actors, transvestites and transgender artists. Based on cartographic and ethnographic methods, I took the position of a spectator, that is, of a researcher-spectator, aiming at a connection with what drag queens and impersonators artists wish to make public, i.e., their concerts and shows. I followed various performances of this kind in theaters, nightclubs, bars and neighborhood clubs, as well as in other places in which they were present, as in Rio de Janeiro's LGBT Pride Parade and in some groups of Rio's carnival. Having also as a field of dialogue some postulates of Schizoanalysis - the theoretical model based mainly on contributions from Gilles Deleuze and Felix Guattari -, I meant to situate and affirm the drag queens and the female impersonation art within the studies of gender and sexuality, especially within those more closely related to manifestations of a camp subculture and gay or homosexual culture.
17

Sujeitos Queer em cartaz: uma análise discursiva do corpo em (trans)formação

Nóbrega Filho, Emanoel Raiff Gomes da 04 March 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2015-05-14T12:42:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 arquivototal.pdf: 1786747 bytes, checksum: d0ae23df1048e8a68dbd501df2d409fe (MD5) Previous issue date: 2011-03-04 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / In all societies, if the body is understood such as a language, it is to be able to produce sense. Investing in the French Discourse Analysis as a semantic theory specifically by the considerations from Michel Pêcheux (2008), for whom the discourse is the relationship between the language and the history we will say that the body is constructed by discursive practices performed by individuals in the creation of identities and the subjectivation process. Our objective is to analyze some imagetical enunciated that show the body of the transvestite, and how it, by discursive practices, transforms and conceive itself as Subject, creating an identity, reiterating it (or not) by the discursive memories established for gender and sex. As a corpus, we have some snippet of enunciated (verbals and non-verbals) compounds, mostly by posters of events to the public transgender where it can see the exhibition of the body. So we ask: why this body and not another, when the gender standard is normatively binary? For Queer Theory (BENTO, 2006), the transvestite destabilizes such standard, runs through cracks and invents its way of life: Transvestity. Thus, it is in the excavation of speeches - where we weaving around the Transvestite memories - which we are led, as readers, to recognize the signs that show us the transvestite, establishing an indiciary paradigm (GINZBURG, 2009) and noting, by intericonicity (COURTINE, 2006), as the repetition of iconic utterances in the transvestite's body causes that abnormal individual (FOUCAULT, 2008) is recognized and interpreted as having this way of being and this identity. / Em todas as sociedades, se o corpo é tomado de linguagem, é por ser capaz de produzir sentidos. Investindo na Análise do Discurso francesa como uma teoria semântica especificamente, pelas considerações de Pêcheux (2008), para quem o discurso é a relação entre a Língua e a História , diremos que o corpo é construído linguisticamente por práticas discursivas executadas por indivíduos na criação de uma identidade e no processo de subjetivação. Nosso objetivo é analisar enunciados imagéticos que mostram o corpo do travesti, e como ele, por práticas discursivas, transforma-o, subjetivando-se, criando uma identidade, reiterando-a (ou repelindo) pelas memórias discursivas tecidas em torno do gênero e do sexo. Como corpus, temos um recorte de enunciados (verbais e não-verbais) que, em sua maioria, trazem cartazes de eventos para o público transgênero em que se vê a exibição do corpo. Assim, questionamos: por que esse corpo e não outro, quando o padrão de gênero é normativamente binário? Para a Teoria Queer (BENTO, 2006), o travesti desestabiliza tal padrão, escorre pelas fissuras e inventa seu modo de vida: a travestilidade. Desse modo, é na escavação de discursos tecendo memórias em torno da travestilidade , que somos levados, enquanto leitores, a reconhecer nos enunciados, os indícios que nos apontem o travesti, estabelecendo um paradigma indiciário (GINZBURG, 2009), e observando, pela intericonicidade (COURTINE, 2006), como a repetição icônica do corpo do travesti nos enunciados faz com que esse indivíduo anormal (FOUCAULT, 2008) seja reconhecido e interpretado como tendo este modo de ser e esta identidade.
18

Seis passeios pelas praias de uma ficção: notas sobre algumas movimentações de drag queens na cidade do Rio de Janeiro / Six walks in a fictional beaches: notes on some drives of drag queens in the city of Rio de Janeiro

Aureliano Lopes da Silva Junior 10 June 2011 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / O presente trabalho tem por objetivo traçar breves notas sobre algumas movimentações de drag queens e outras artistas da travestilidade que tiveram lugar na cidade do Rio de Janeiro, nos anos de 2009 e 2010. Através de um trabalho de observação participante, foram selecionados alguns locais e espetáculos que poderiam ser representativos desta categoria artística, não se pretendendo um levantamento extenso sobre quem são e onde estão tais artistas. Nomeio como artistas da travestilidade aqueles corpos que têm o ato de travestir-se como central em sua construção artístico-cultural, principalmente construindo corporalidades baseadas em um gênero diferente daquele identificado socialmente no nascimento, como drag queens, atores transformistas, travestis e transexuais artistas. Apoiando-me em pressupostos dos métodos cartográfico e etnográfico assumi, nesta dissertação, o posicionamento de um pesquisador-espectador, objetivando o contato com aquilo que drag queens e outras artistas da travestilidade desejam tornar público, ou seja, seus shows e espetáculos. Acompanhei diversas apresentações deste tipo em teatros, boates, bares e clubes de bairro, bem como em outros locais nos quais se fizeram presentes, como na Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro e em alguns blocos do carnaval carioca. Tendo ainda como campo de diálogo alguns postulados da Esquizoanálise vertente teórica fundamentada principalmente nas contribuições de Gilles Deleuze e Félix Guattari , pretendi situar e afirmar as drag queens e a arte da travestilidade dentro dos estudos de gênero e sexualidade, principalmente aqueles mais diretamente relacionados às manifestações de uma subcultura camp e cultura gay e/ou homossexual. / This paper aims to draw some brief notes on the contemporary drag queens' and other female impersonators artists movements, following what took place in the city of Rio de Janeiro during the years 2009 and 2010. Through a study of participant observation, I selected some sites and shows that could be representative of this art category, not intending to make an extensive survey of where they are or who these artists are. I name female impersonators artists those bodies which have the act of transvestiting themselves as central to their artistic and cultural construction/constitution, particularly building up corporalities based on a gender which is distinct from the birth-socially-identified one, e.g. drag queens, crossdresser actors, transvestites and transgender artists. Based on cartographic and ethnographic methods, I took the position of a spectator, that is, of a researcher-spectator, aiming at a connection with what drag queens and impersonators artists wish to make public, i.e., their concerts and shows. I followed various performances of this kind in theaters, nightclubs, bars and neighborhood clubs, as well as in other places in which they were present, as in Rio de Janeiro's LGBT Pride Parade and in some groups of Rio's carnival. Having also as a field of dialogue some postulates of Schizoanalysis - the theoretical model based mainly on contributions from Gilles Deleuze and Felix Guattari -, I meant to situate and affirm the drag queens and the female impersonation art within the studies of gender and sexuality, especially within those more closely related to manifestations of a camp subculture and gay or homosexual culture.
19

O vivido de transexuais e travestis nos atendimentos à saúde: compreender para melhor assistir

Oliveira, Guilherme Sacheto 24 August 2018 (has links)
Submitted by Renata Lopes (renatasil82@gmail.com) on 2018-09-27T15:03:21Z No. of bitstreams: 1 guilhermesachetooliveira.pdf: 2872997 bytes, checksum: 17db3f17b7b1249161cdcf3acb41600e (MD5) / Approved for entry into archive by Adriana Oliveira (adriana.oliveira@ufjf.edu.br) on 2018-10-16T12:12:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 guilhermesachetooliveira.pdf: 2872997 bytes, checksum: 17db3f17b7b1249161cdcf3acb41600e (MD5) / Made available in DSpace on 2018-10-16T12:12:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 guilhermesachetooliveira.pdf: 2872997 bytes, checksum: 17db3f17b7b1249161cdcf3acb41600e (MD5) Previous issue date: 2018-08-24 / Objetivou-se desvelar os sentidos do ser pessoa trans que se constrói no feminino frente aos atendimentos realizados por profissionais de saúde do SUS. Estudo de abordagem qualitativa, fundamentada na Fenomenologia de Martin Heidegger, realizado em um município da Zona da Mata Mineira. Através da utilização do método bola de neve, dez participantes que se autodeclararam transexual ou travesti e que utilizam pelo menos um serviço de saúde oferecido no SUS foram incluídas neste estudo. Os encontros fenomenológicos foram guiados pela utilização de entrevista aberta. Da análise destes depoimentos emergiram então as estruturas essenciais constituindo quatro Unidades de Significação. A compreensão vaga e mediana dos significados permitiu a construção do fio condutor, que conduziu a Hermenêutica. O vivido de transexuais e travestis foi desvelado ao externarem aspectos que amparam a construção e a manutenção do feminino frente a padrões socialmente impostos, a importância da utilização e aceitação do nome social por profissionais de saúde, suas experiências cotidianas ao usarem os serviços de saúde com a vivência da transfobia e ainda ao deporem sobre a importância de suas redes sociais para o processo de transformação para o corpo desejado e o despreparo dos profissionais de saúde no amparo a esse anseio. O vivido de transexuais e travestis é permeado por negação de direitos, omissão de cuidados, estigmatizações e constrangimentos, além de diversas formas de violências. Torna-se recomendável que a formação em gênero e sexualidade seja abordada durante a formação profissional, oferecendo a oportunidade que os egressos possam suprir as necessidades dessa população muitas vezes invisível. / The aim was to unveil the senses of the transsexual and transvestite being in front of the care given by SUS professionals. Study of a qualitative approach, based on the Phenomenology of Martin Heidegger, carried out in a municipality of the Zona da Mata Mineira. Through the use of the snowball sampling, ten participants who declared themselves transsexual or transvestite and who use at least one health service offered in the SUS were included in this study. Phenomenological meetings were guided by the use of an open interview. Essential structures emerged, constituting four Units of Significance. A vague and meditative understanding of meanings allowed the construction of the guiding thread, which led to Hermeneutics. The experience of transsexuals and transvestites was unveiled when they expressed aspects that supported the construction and maintenance of the feminine in face of socially imposed standards, the importance of the use and acceptance of the social name by health professionals, their daily experiences when using health services with the experience of transphobia and also by stressing the importance of their social networks for the process of transformation to the body desired and the unpreparedness of health professionals in support of this desire. The lives of transsexuals and transvestites are permeated by denial of rights, omission of care, stigmatizations and constraints, as well as various forms of violence. It is recommended that training in gender and sexuality be addressed during vocational training, offering the opportunity for graduates to meet the needs of this often invisible population.
20

O NOME QUE EU (NÃO) SOU: retificação de nome e sexo de pessoas transexuais e travestis no registro civil. / THE NAME THAT I (NOT) AM: rectification of name and sex of transsexual people and transvestites in the civil registry.

SOUSA, Tuanny Soeiro 30 March 2015 (has links)
Submitted by Maria Aparecida (cidazen@gmail.com) on 2017-09-25T12:30:39Z No. of bitstreams: 1 Tuanny.pdf: 67993195 bytes, checksum: 95028e53f0c6cf1e7ec70311b44782f8 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-09-25T12:30:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tuanny.pdf: 67993195 bytes, checksum: 95028e53f0c6cf1e7ec70311b44782f8 (MD5) Previous issue date: 2015-03-30 / This paper analyzes the answers given by the Judiciary to the cases of name rectification and legal gender in the civil registry of transsexual people and travestis. The necessity of this study arises from the fact that the Brazilian legal system does not provide exceptions to situations where gender contrast with the information on identification documents, which is an experience that these individuals go through. On the opposite of what they are required to be, the transsexual people and the travestis live gender differently from the rules created in the context of heterosexism, which demand coherence and continuity among sex, gender and sexuality. The main objective consists of questioning the discourses produced in the juridical field by the magistrates responsible for the trial and consequently the ruling of these cases. To achieve that, this paper studies, through the analysis of documents and bibliographic reviews, some rulings that deal with the modification of data in the civil registry of transgenders. In the first chapter, the concepts of “discourse”, “power”, and “truth” are analyzed from the French Discourse Analysis point of view of Michel Foucault, presenting the ideas of Michel Miaille and Clemerson Merlin Clève with the purpose of understanding the discourse aspects of Law. In the second chapter, statements such as sex, gender, sexuality and transsexuality, are examined mainly through Judith Butler. In the third chapter, some rules that deal with the right to have a name, as well as the possibilities and the ways of modifying information from the civil registry are investigated. In addition, some Brazilian rulings related to this subject are analyzed through bibliographic review. In the end, the rulings given in the state of Maranhão are examined. The results of the research demonstrate that the state of Maranhão, contrasting with the national reality, has been partially given positive answers to the cases involving transsexual individuals, mainly through the recognition of the importance of the rectification to the travesties and the transsexual men and women who have not undergone the sex reassignment surgery. / O trabalho aborda as respostas dadas pelo Poder Judiciário para as demandas de retificação de nome e sexo jurídico no registro civil de sujeitos transexuais e travestis, uma vez que o ordenamento jurídico brasileiro não prevê exceções quando as expressões de gênero contrastarem com os atributos presentes nos documentos de identidade, experiência pela qual passam esses indivíduos. Ao contrário do que são interpelados a ser, as mulheres e homens transexuais e travestis vivenciam o gênero diferentemente das normas criadas no contexto do heterossexismo que exigem a coerência e continuidade entre sexo, gênero e sexualidade. A problemática consiste em indagar os discursos produzidos, no âmbito do campo jurídico, pelos magistrados responsáveis pelo julgamento desses casos. Abordamos os conceitos de “discurso”, “poder” e “verdade” a partir da Análise do Discurso de linha francesa, de base foucaultiana, dialogando com autores como Michel Miaille e Clémerson Merlin Clève com o objetivo de compreender os aspectos discursivos do Direito. A seguir, tratamos de enunciados como “sexo”, “gênero”, “sexualidade” e “transexualidade”, principalmente através de Judith Butler. Depois, examinamos algumas normativas acerca do direito ao nome, bem como as possibilidades e meios de alteração de dados do registro civil. Ao final, avaliamos, através de análise documental e revisão bibliográfica, algumas sentenças proferidas no estado do Maranhão. Os resultados da pesquisa demonstram que o estado do Maranhão, em parte, tem dado respostas positivas aos processos envolvendo sujeitos trans, principalmente pelo reconhecimento da importância da retificação para as travestis e para sujeitos transexuais não operados, contrastando com o contexto nacional.

Page generated in 0.1259 seconds