• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1677
  • 134
  • 60
  • 33
  • 7
  • 7
  • 7
  • 5
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1902
  • 1093
  • 1088
  • 901
  • 339
  • 293
  • 251
  • 237
  • 234
  • 216
  • 210
  • 190
  • 183
  • 175
  • 155
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Ocorrência e dieta da lontra neotropical, Lontra longicaudis (Olfers, 1818), em dois rios do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange, Serra da Prata, Paraná

Navarro, Marcos André January 2015 (has links)
Orientadora : Profª. Drª. Juliana Quadros / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 26/02/2015 / Inclui referências / Area de concentração: Zoologia / Resumo: A Lontra Neotropical, Lontra longicaudis, é um mustelídeo semiaquático que no passado foi alvo de caça devido a sua pele. Hoje em dia, outros fatores de origem antrópica afetam a conservação desta espécie cuja população atualmente está em declínio. Estudos com impacto de desastres naturais sobre a fauna são muito raros na literatura científica. Considerando as lontras, informações publicadas não foram encontradas. Então, o presente estudo objetivou determinar se os deslizamentos de terra ocorridos em março de 2011 em parte das montanhas da Serra da Prata (Estado do Paraná, Brasil) afetaram de alguma forma a ocorrência e a dieta da Lontra Neotropical. Com esse propósito, a área estudada compreendeu um rio afetado (Rio Santa Cruz - RSC) da face leste dessa serra que foi comparado com outro não afetado (Rio das Pombas - RP), localizado na mesma face e com características semelhantes às originais do RSC. A área de estudo está situada no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL). Foram realizadas sete campanhas a partir do limite altitudinal do PNSHL (60m s.n.m) para montante e uma no sentido oposto em direção à planície costeira entre 2012 e 2013, totalizando oito campanhas. Estas consistiram de busca ativa por vestígios (fezes, pegadas, arranhados) e tocas de lontras ao longo de 3 km de margens e leito. Registros de outros mamíferos também foram observados. Cada evidência foi anotada em caderneta de campo, fotografada e georreferenciada. As tocas foram monitoradas ao longo das campanhas e as fezes foram coletadas e devidamente armazenadas. Esforço adicional foi feito para coletar potenciais espécies-presa nos rios estudados. No laboratório, as fezes foram triadas e os itens alimentares identificados. A Frequência de Ocorrência e a Porcentagem de Ocorrência dos itens ou de grupos de itens foram calculadas. Considerando as lontras, foram registrados 113 vestígios (11 arranhados, 19 pegadas e 83 fezes) e 17 tocas no rio não afetado (RP); e o rio afetado (RSC) apresentou apenas quatro vestígios (três pegadas, uma amostra fecal) e uma possível toca. Registros de outros mamíferos denotaram a presença de 9 táxons no RP e 14 táxons no RSC. A diferença conspícua entre a quantidade de vestígios da presença das lontras mostra que o desastre natural afetou severamente a população da espécie do RSC em comparação com o RP, e mesmo dois anos após os desastres as lontras retornaram apenas discretamente ao rio afetado. Por outro lado, outras espécies de mamíferos como Cuniculus paca, reocuparam as margens abundantemente. Para análise da dieta foram utilizadas 67 fezes do rio não afetado (RP) o que resultou na identificação de 147 itens alimentares pertencentes a 25 táxons consumidos. Peixes e crustáceos foram os grupos mais consumidos (FO=82,1% e 71,6% respectivamente). Entre os peixes destacou-se a família Loricariidae (FO=55,2%) e dentre os crustáceos, o caranguejo Trichodactylus sp. (FO=70,1%). Pelo menos quatro espécies encontradas nos rios não foram identificadas na dieta. Adicionalmente, com intuito de auxiliar na identificação de itens alimentares em futuros estudos sobre dieta, foram descritas e ilustradas 32 estruturas diagnósticas referentes a 14 táxons encontrados nas fezes. Palavras-chave: Deslizamentos de Terra. Floresta Atlântica. Habitat. Lutrinae. Mamífero. / Abstract: The Neotropical Otter, Lontra longicaudis, is a semiaquatic mustelid that in the past was targeted by hunting because of its fur. Nowadays, other anthropogenic factors affect the conservation of this species which population is currently declining. Studies with natural disasters impact on fauna are very rare in the scientific literature. Concerning the otters published data could not be found. Thus, this study aimed to determine whether the landslides occurred in March 2011 in part of the slopes of Serra da Prata (Paraná State, Brazil) affected the occurrence and diet of the Neotropical Otter. With this purpose, the study area comprehended an affected river (Rio Santa Cruz - RSC), on the east face of those mountains that was compared to another one, on the same face and with similar original features, but not affected by the natural disaster (Rio das Pombas - RP). The study area is located within the boundaries of the Saint-Hilaire/ Lange National Park (PNSHL). Seven field campaigns from the altitudinal limit of PNSHL (60 m a.s.l.) towards upstream and one in the opposite direction, towards the coastal plain, were conducted between 2012 and 2013, summing up eight field campaigns. The campaigns consisted of an active search for vestiges (scats, footprints, scratches) and otter dens along 3 km of river banks and bed. Other mammal records were also registered. Each evidence was noted down on a field book, photographed and georeferenced. Dens were monitored along field campaigns and scats were collected and properly stored. An effort to collect potential prey species was also performed. In the laboratory, scats were searched for food items that were identified. The Frequency of Occurrence (FO) and Occurrence Percentage (PO) of items or groups of items were calculated. Concerning the otters, 113 vestiges (11 scratches, 19 footprints and 83 scats) and 17 dens were recorded in the not affected river (RP); and the affected river (RSC) presented only four vestiges (three footprints, one scat) and one possible den. Other mammal records denoted the presence of 14 taxa in RSC and nine in RP. The conspicuous differences in the amount of evidences of otter presence show that the natural disaster severely affected the species population in RSC river in comparison with RP river, and that even more than two years later the otters had only discreetly come back. On the other hand, other mammal species, such as Cuniculus paca, reoccupied the river banks abundantly. For diet analysis 67 otter scats from the not affected river (RP) were considered which resulted in 147 identified food items belonging to 25 consumed taxa. Fish and crustaceans were the most consumed groups (FO=82,1% and 71,6% respectively). Among fish, the most important was the family Loricariidae (FO=55,2%) and among crustaceans, the water crab Trichodactylus sp. (FO=70,1%). At least four prey species found in the river could not be found in the diet. Additionally, aiming to help feeding items identification in future diet studies, 32 diagnostic structures of 14 taxa found within the scats were described and illustrated. Keywords: Landslides. Atlantic Forest. Habitat. Lutrinae. Mammal.
2

Pequenos mamíferos não voadores do Parque Estadual Rio da Onça (Matinhos, PR) : diversidade e morfologia

Almeida, Fernanda Gatto de January 2015 (has links)
Orientadora : Profª. Drª. Juliana Quadros / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 25/02/2015 / Inclui referências : fls. 72-84 / Area de concentração: Zoologia / Resumo: A Mata Atlântica é considerada um hotspot mundial por ser uma das áreas mais ricas em biodiversidade e ao mesmo tempo uma das mais ameaçadas. Hoje, após um longo histórico de devastação, restam menos de 8% da cobertura vegetal original, que se encontra fragmentada. Quanto à fauna, somente Rodentia, Didelphimorphia e Primates somam 84% dos endemismos observados para mamíferos nesse bioma. Pequenos mamíferos não voadores desempenham importantes papéis ecológicos na natureza, ao ocupar uma posição intermediária na cadeia trófica, funcionando tanto como predador quanto como presa e juntos representam 42,6% da fauna de mamíferos brasileiros. Tamanha riqueza, aliada à sua sensibilidade aos distúrbios ambientais, fazem deste grupo um interessante alvo de estudos. O presente trabalho objetivou identificar as espécies de marsupiais e roedores do Parque Estadual Rio da Onça e caracterizar a morfologia dos pelos-guarda e do conjunto cromossômico das mesmas? verificar a composição de pequenos mamíferos não voadores em diferentes ambientes e estratos vegetais, e sob influencia do antigo depósito de lixo do município de Matinhos, situado dentro do parque. Foram realizadas nove campanhas de campo, durante as quais três áreas foram amostradas três vezes cada. Como esforço adicional, foram instaladas três linhas de armadilhas de queda. O esforço amostral total foi de 5.210 armadilhas.noite e 1.181 baldes.noite distribuídos ao longo de 54 noites de amostragem, que resultaram em 149 capturas de 119 indivíduos. Foram registradas sete espécies da Ordem Rodentia: Akodon montensis, Delomys sublineatus, Euryoryzomys russatus, Juliomys pictipes, Nectomys squamipes, Oligoryzomys nigripes e Thaptomys nigrita, além de quatro espécies de marsupiais da Ordem Didelphimorphia: Didelphis aurita, Metachirus nudicaudatus, Marmosa paraguayana e Monodelphis iheringi. Os resultados tricológicos e citogenéticos foram condizentes com os disponíveis na literatura. Quanto à estratificação vertical, embora os esforços no solo e o sub-bosque tenham sido semelhantes, somente sete capturas foram feitas em árvore: quatro da espécie Marmosa paraguayana, duas de Didelphis aurita e uma de Akodon montensis. Portanto, para o ambiente de Terras Baixas da área de estudo, a amostragem do sub-bosque não contribuiu para o incremento da lista de espécies. Na comparação entre as áreas amostradas, a riqueza se mostrou diferente entre os três locais. A área do antigo depósito de lixo (1) foi a que apresentou a menor delas com seis espécies no total, a área com uma antiga trilha de acesso ao depósito de lixo (2) apresentou sete e a área localizada no centro das trilhas do parque (3), oito. Houve também significativo menor número de indivíduos capturados na área 1 e 2 em relação a área 3. Palavras Chave? Citogenética; Floresta Atlântica; Planície Costeira? Pelos-guarda; Riqueza / Abstract: The Atlantic Forest is considered a global hotspot for being one of the richest areas in biodiversity and at the same time one of the most threatened. Today, after a long history of devastation, less than 8% of the original cover remains, and is fragmented. About the fauna, Rodentia, Didelphimorphia and Primates comprise 84% of the endemic mammals observed in this biome. Small non-flying mammals play important ecological roles in nature, occupying an intermediate position in the food chain, functioning both as predator or prey and together represent 42,6% of the Brazilian mammal fauna. Such wealth, combined with its sensitivity to environmental disturbances, make this an interesting target group studies. This study aimed to identify the species of marsupials and rodents present in Rio da Onça State Park and to characterize the morphology of guard hairs and chromosomal set thereof? verify the composition of small non-flying mammals in different environments and vegetation strata, and under the influence of the former garbage dump of Matinhos city, located within the park. Nine field campaigns were conducted sampling three areas, three times each. As an additional effort, three lines of pitfall traps were installed. The total sampling effort was 5.210 traps.night and 1.181 buckets.night spread over 54 nights of sampling, which resulted in 149 captures of 119 individuals. Seven species of Rodentia Order were recorded: Akodon montensis, Delomys sublineatus, Euryoryzomys russatus, Juliomys pictipes, Nectomys squamipes,Oligoryzomys nigripes and Thaptomys nigrita and four species of marsupials (Didelphimorphia Order): Didelphis aurita, Metachirus nudicaudatus, Marmosa paraguayana and Monodelphis iheringi. Trichological and cytogenetic results were consistent with those available in the literature. Regarding the vertical stratification, although efforts on the ground and undercanopy have been very similar, only seven captures were made in trees. Four of the species Marmosa paraguayana, two Didelphis aurita, and one Akodon montensis. Therefore, in the environment of the lowlands of the study area, sampling the understory did not contribute to the increase of the species list. Comparing the sampled areas, species richness is different between the three sites. The area of the old garbage dump (1) was the one with the lowest richness (six species in total)? the area with an old trail (2) access to the dump presented seven and the area located in the center of the park trails (3), eight. There was also significant lower number of individuals captured in Area 1 and 2 than in area 3. Key Words? Atlantic Forest, Citogenetic; Coastal Plain; Guard Hairs? Species Richness
3

Estruturação de assembleias de girinos sujeitas ao hidroperíodo : uma abordagem em diferentes escalas

Oliveira, Adriele Karlokoski Cunha de January 2015 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Carlos Eduardo Conte / Co-orientadora : Drª. Denise C. Rossa-Feres / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 23/02/2015 / Inclui referências / Area de concentração / Resumo: Girinos atuam como importantes componentes dos ecossistemas aquáticos e a estruturação das assembleias tem sido atribuída a diversos fatores bióticos e abióticos, com destaque especial ao regime de hidroperíodo, predação e dieta. Estudos demonstram que a instabilidade do ambiente aquático, a presença de predadores e a complexidade do hábitat são fatores de grande influência primeiramente na escolha dos sítios de oviposição pelos parentais e posteriormente na segregação dos girinos entre microambientes. Visto que a predação é um mecanismo de grande importância na estruturação de assembleias, influenciando a distribuição e o desenvolvimento de suas presas, o primeiro passo para entender como essas dinâmicas ocorrem é reconhecer e analisar as interações entre ambos. Uma maneira mais detalhada de se avaliar a interação entre as assembleias é através da análise das teias alimentares. A fim de investigar os mecanismos estruturadores em poças, nós avaliamos no presente estudo as relações das assembleias de girinos em ambientes sujeitos a diferentes hidroperíodos, verificamos as relações entre presas (i.e. girinos) e predadores aquáticos (i.e. insetos e peixes) e descrevemos a dieta de girinos e as teias alimentares de poças com hidroperíodos distintos, com o objetivo de responder as seguintes questões: i) se o hidroperíodo afeta a ocupação por girinos nos ambientes aquáticos; ii) se a estruturação das assembleias de presas e predadores possui variação relacionada ao hidroperíodo; iii) se a distribuição das presas é influenciada pela presença de predadores aquáticos; iv) se a dieta e as teias alimentares são influenciadas pelo hidroperíodo. Nos quatro capítulos desenvolvidos verificamos a influência do hidroperíodo sobre as assembleias de várias formas. No primeiro capítulo, o hidroperíodo gerou padrões aninhados das assembleias que foram variáveis de acordo com a resolução taxonômica analisada. No segundo capítulo, analisando assembleias de girinos de poças desprovidas de cobertura de dossel, isolamos os componentes relacionados à estrutura do hábitat e à disposição espacial das poças. A composição e a abundância das espécies dos ambientes estudados foram influenciadas principalmente pela variação do hidroperíodo e pela heterogeneidade do interior das poças. No terceiro capítulo, tanto a estruturação das assembleias de presas e de predadores, assim como os padrões de aninhamento, foram influenciados diretamente pelo hidroperíodo e consequentemente por fatores ambientais associados à heterogeneidade ambiental. No último capítulo, detectamos maior variedade dos itens alimentares dos girinos e maior número de interações nas teias alimentares na poça permanente. Nosso estudo ressalta a importância das poças como locais de reprodução, alimentação e estabelecimento de diversos grupos e o estudo das assembleias que ocupam esses ambientes pode auxiliar no entendimento de diversas relações ecológicas. Palavras-chave: hidrologia, ambientes lênticos, insetos aquáticos, heterogeneidade ambiental, poças, dieta, ecologia trófica. / Abstract: Tadpoles assemblages are important components of aquatic ecosystems and their structuring have been attributed to biotic and abiotic factors, with special emphasis on hydroperiod variation and predation pressure. Studies have shown that the instability of the aquatic environment and the presence of predators are the most important factors in the first choice of oviposition sites by parents, and later in segregation of tadpoles among microenvironments, as well as developing strategies to mitigate the effect of environmental desiccation. Predation is a mechanism of great importance in structuring assemblages, influencing the distribution and the development of their prey. The first step to understand how these dynamics occur is recognize and food chains analysis can evaluate these relationships. In order to investigate mechanisms that structure assemblages of ponds, we evaluated in this study the relationships of tadpoles on environments with different hydroperiods, we verified the relationship between prey (i.e. tadpoles) and aquatic predators (i.e. insects and fish) and describe the diet tadpoles and food webs of ponds with different hydroperiods, to answer the following questions: i) if the hydroperiod affects the occupation for tadpoles in aquatic environments; ii) if the structuring of prey and predators assemblages show variation related to hydroperiod; iii) if the distribution of prey is influenced by the presence of aquatic predators; iv) if the diet and food webs are influenced by hydroperiod. In the first chapter, assemblages were nested according hydroperiod, and our results show variations regarding taxonomic resolution. In the second chapter, we analyzed components related to habitat structure and spatial distribution of ponds. The composition and abundance of species of were mainly influenced by the variation of hydroperiod and environmental heterogeneity. In the third chapter, both the structure of prey and predators assemblages, as well as the nestedness patterns were influenced directly by hydroperiod, and consequently by factors associated with environmental heterogeneity. In the last chapter, we observed greater variety of food items of tadpoles and more interactions in food webs on permanent pond. Our study emphasizes the importance of ponds as breeding sites, food resources and establishment of various groups and so, the study of assemblies that occupy these habitats may help in understanding ecological relationships. Keywords: hydrology, lentic habitat, aquatic insects, environmental heterogeneity, ponds, diet, trophic ecology.
4

Avaliação da contaminação por hidrocarbonetos em distintos níveis de organização biológica

Sandrini Neto, Leonardo January 2015 (has links)
Orientador : Dr. Paulo da Cunha Lana / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 25/02/2015 / Inclui referências / Area de concentração / Resumo: Avaliar os impactos da poluição marinha é uma tarefa complexa que demanda a aplicação de abordagens capazes de distinguir a perturbação antrópica da variabilidade espaço-temporal intrínseca aos ambientes costeiros e oceânicos. Distúrbios antropogênicos provocam respostas em distintos níveis de organização biológica, desde alterações bioquímicas até mudanças na estrutura de comunidades, em múltiplas escalas espaciais e temporais. Os efeitos deletérios de contaminantes têm sido historicamente investigados através de testes toxicológicos. Estes ensaios são conduzidos em condições laboratoriais controladas, que limitam o seu potencial preditivo e a sua capacidade de generalização. Avanços recentes na ecologia experimental de campo, com o desenvolvimento de delineamentos experimentais robustos e procedimentos analíticos associados, aumentaram a habilidade de detectar impactos decorrentes de distúrbios induzidos pelas atividades humanas. Neste sentido, abordagens de laboratório e de campo devem ser vistas como necessariamente complementares para a avaliação da poluição marinha. Atividades humanas desenvolvidas nas regiões costeiras têm aumentado a intensidade e frequência de eventos de exposição discreta ou aguda a contaminantes, tais como derrames acidentais de óleo. No entanto, a aplicação de experimentos manipulativos de campo para testar seus efeitos ainda é incipiente. Esta tese teve o objetivo geral de examinar como os efeitos da exposição a hidrocarbonetos de petróleo condicionam respostas biológicas em diversos níveis de organização, por meio de experimentos manipulativos de campo e de laboratório. Para tal, uma ampla variedade de técnicas e abordagens metodológicas considerando diferentes espéciesalvo foi adotada. A tese está estruturada em quatro capítulos que avaliaram: (i) os efeitos de um derrame experimental in situ de óleo diesel sobre associações de nematoides marinhos de vida livre utilizando um delineamento MBACI (Multiple Before-After-Control- Impact); (ii) os efeitos de repetidos derrames experimentais de óleo diesel sobre a estrutura das associações macrofaunais através da comparação de três frequências de derrames (a cada 2, 4 e 8 semanas) com duas dosagens de diesel (2,5 e 5 L m-2) em um experimento fatorial com controles assimétricos; (iii) os efeitos de repetidos derrames experimentais de óleo diesel na resposta de biomarcadores de estresse oxidativo no bivalve Anomalocardia brasiliana, no gastrópode Neritina virginea e no poliqueta Laeonereis culveri através da comparação de três frequências de derrames (a cada 1, 2 e 4 dias) com duas dosagens de diesel (1 e 2 L m-2) em um experimento fatorial com controles assimétricos; e (iv) os efeitos da dispersão mecânica (agitação) e química (uso de dispersantes) do óleo cru na resposta de diferentes biomarcadores e nas taxas de crescimento de juvenis do peixe-lobo Anarhichas denticulatus após exposição experimental em laboratório por 48 h. Não foram observadas diferenças significativas na diversidade, densidade total e estrutura das associações de nematoides entre os tratamentos controle e impacto, antes e depois do derrame experimental. Embora sejam frequentemente considerados animais sensíveis, nematoides marinhos de vida livre mostraram-se resilientes à contaminação por hidrocarbonetos de petróleo. Repetidos eventos de exposição ao óleo diesel, por sua vez, afetaram drasticamente a estrutura das associações macrofaunais e reduziram a densidade total e densidade dos táxons dominantes. Geralmente, derrames frequentes de baixa dosagem foram mais deletérios do que derrames menos frequentes de alta dosagem. Aumentos significativos na densidade populacional de espécies oportunistas foram observados em resposta a derrames pouco frequentes. Repetidos eventos de exposição ao óleo diesel também foram responsáveis pela indução das enzimas superóxido dismutase (SOD) e glutationa S-transferase (GST), incremento nos níveis de peroxidação lipídica (LPO) e depleção na concentração de glutationa reduzida (GSH) em A. flexuosa e L. culveri. O gastrópode N. virginea exibiu apenas uma depleção significativa nos níveis de GSH em derrames frequentes de alta dosagem. O sistema de defesa enzimático contra espécies reativas de oxigênio não foi ativado em N. virginea e dano oxidativo em termos de LPO não foi observado. De maneira geral, atividades enzimáticas e dano oxidativo em A. flexuosa e L. culveri foram induzidos por derrames frequentes de baixa dosagem quando comparados com derrames menos frequentes de alta dosagem. Contudo, um padrão inverso foi observado nas respostas antioxidantes de N. virginea. Estes resultados enfatizam a importância de diferentes regimes de exposição na determinação da magnitude dos impactos por óleo. O bivalve A. flexuosa e o poliqueta L. culveri foram considerados sentinelas adequados para monitoramento da poluição por hidrocarbonetos de petróleo em áreas costeiras. Finalmente, a concentração relativa de metabólitos biliares de HPA e a atividade da etoxiresorufina-O-deetilase (EROD) do peixe-lobo A. denticulatus experimentalmente exposta a óleo disperso (tanto mecanicamente como quimicamente) foram significativamente maiores que no tratamento controle. Foi também observada uma inibição da atividade de acetilcolinesterase (AChE) em peixes expostos a óleo disperso. Além disso, o crescimento do peixe-lobo, tanto em biomassa quanto em comprimento, foi significativamente superior no controle que nos tratamentos de exposição. No entanto, a resposta de diferentes biomarcadores enzimáticos juntamente com estimativas de crescimento do peixe-lobo A. denticulatus indicaram uma toxicidade semelhante entre a dispersão química e mecânica do óleo cru. A detecção de respostas no nível suborganísmico (biomarcadores) juntamente com reduções no crescimento de juvenis do peixe-lobo alertam para potenciais efeitos tardios em populações afetadas por derrames de óleo. A demonstração destas respostas subletais em animais expostos destacam a toxicidade muitas vezes não aparente de derrames agudos, que podem afetar populações a médio e longo prazo, mesmo na ausência de mortalidade massiva. Palavras-chave: experimento de campo; hidrocarbonetos de petróleo; biomarcadores; nematoides; macrofauna; peixe-lobo / Abstract: The assessment of contaminant impacts is a complex task that demands a wide range of approaches to distinguish the anthropogenic disturbances from the inherent spatiotemporal variability of costal environments. In this thesis, the effects of exposure to petroleum hydrocarbons were assessed at multiple levels of biological organization, from biochemical alterations to changes in community structure. To achieve this goal, a variety of research approaches including laboratory-based experiments and manipulative field experiments with different target-species were used. The thesis is composed by four chapters that assessed: (i) the effects of a diesel oil spill on the structure of free-living marine nematode assemblages through a multiple before-after-control-impact (MBACI) design; (ii) the effects of the frequency (every 2, 4 and 8 weeks) and dosage (2.5 and 5 L m-2) of experimental diesel spills on the structure of intertidal macrofaunal assemblages in a factorial experiment with asymmetrical controls; (iii) the effects of the frequency (every 1, 2 and 4 days) and dosage (1 and 2 L m-2) of experimental diesel spills on oxidative stress biomarkers in the bivalve Anomalocardia flexuosa, the gastropod Neritina virginea and the polychaete Laeonereis culveri in a factorial experiment with asymmetrical controls; and (iv) the effects of mechanically dispersed and chemically dispersed oil on biomarkers response and growth of the wolfish Anarhichas denticulatus after 48 h laboratory exposure. No significant differences were observed in nematode total density, number of taxa and the overall assemblage structure between the control and impact treatments from before to after the experimental spill. Despite being considered good indicators of environmental impacts, free-living marine nematodes were considered resilient to contamination by petroleum hydrocarbons. Repeated oil spills dramatically altered the overall structure of assemblages and reduced the total density of macrofauna and densities of dominant taxa. Increasing the frequency of oil spills negatively affected macrofauna. In general, frequent low-dosage oil spills were more deleterious than infrequent high-dosage ones. The main direct effect of frequent diesel spills on the bivalve A. flexuosa and the polychaete L. culveri was the induction of superoxide dismutase (SOD) and glutathione S-Transferase (GST) activities, a significant increase in lipid peroxide levels (LPO) and a decrease in reduced glutathione (GSH) concentration. The gastropod N. virginea only exhibited a significant GSH depletion when exposed to frequent high-dosage spills. N. virginea did not activate enzymatic defense system against ROS and oxidative damage to lipids was not observed. Overall, enzymatic activities and oxidative damage in A. flexuosa and L. culveri were induced by frequent low-dosage spills compared to infrequent high-dosage spills, although the opposite pattern was observed for N. virginea antioxidant responses. These results highlight the importance of different exposure regimes in determining the extent of oil impacts. The bivalve A. flexuosa and the polychaete L. culveri were considered suitable sentinels for petroleum pollution monitoring in nearshore environments. At last, the relative concentration of biliary PAH metabolites and the activity ethoxyresorufin-O-deethylase (EROD) in A. denticulatus were significantly higher in dispersed oil (both mechanically and chemically) compared to control. Also, a significant inhibition of acetylcholinesterase (AChE) activity was detected in exposure treatments. Growth rate was significantly higher in control compared to mechanically and chemically dispersed oil. The lack of differences between chemically and mechanically dispersed oil in biomarkers response and growth suggests that dispersant application is no more toxic than the natural oil dispersion. These results indicate the potential for population-level effects resulting from exposure to oil. Keywords: field experiment; petroleum hydrocarbons; biomarkers; nematodes; macrofauna; wolfish
5

Biologia e dinâmica populacional de Aegla leptodactyla Buckup & Rossi, 1977 (Crustacea, Anomura, Aeglidae)

Noro, Clarissa Köhler January 2002 (has links)
O presente trabalho teve por objetivo avaliar alguns aspectos relacionados à zoogeografia e ecologia dos ostracodes da plataforma interna norte do Rio de Janeiro, próximo à cidade de Cabo Frio. O material de estudo resultou da análise de 43 amostras sedimentológicas coletadas durante a expedição GEOCOSTA RIO II. Este estudo permitiu o reconhecimento de 16 famílias, 49 gêneros, 66 espécies e dois gêneros que permaneceram em nomenclatura indeterminada. A descrição de uma nova espécie, Actinocythereis brasiliensis sp. n., também foi realizada no âmbito do presente trabalho. As famílias mais representativas quanto à abundância e o número de espécies foram Thaerocytheridae e Cytheruridae, respectivamente. A espécie mais constante na área foi Caudites ohmerti e, dentre as com maior dominância estão, Caudites ohmerti, Meridionalicythere? dubia, Callistocythere litoralensis, Paracytheridea bulbosa, Urocythereis dimorphica, Henryhowella inflata, Oculocytheropteron delicatum, Xestoleberis umbonata, Henryhowella macrocicatricosa e Brasilicythere reticulispinosa. As preferências sedimentológicas e batimétricas das espécies são também discutidas neste trabalho. É sugerido que se estenda a distribuição zoogeográfica, um pouco mais ao norte, para sete espécies: Cushmanidea variopunctata, Neocytherideis impudicus, Hemingwayella advena, Hemingwayella sp., Urocythereis dimorphica, Munseyella cornuta e Basslerites costata. A grande maioria das espécies são características da plataforma continental sul, sendo que destas o maior percentual pertence à Subprovíncia Sul-Brasileira. De acordo com a fauna registrada, predominantemente de águas frias, chegamos a conclusão que a sua presença se deve, em grande parte, à influência da ressurgência marinha na área de estudo A proporção sexual foi de 1,19 machos para 1 fêmea. Fêmeas ovígeras encontradas entre abril e setembro e o ingresso de juvenis na população (recrutamento) foi observado em novembro e dezembro de 2000.
6

Comunidade de moluscos bentônicos na área de abrangência da Usina Hidrelétrica de Dona Francisca, Rio Jacuí, Rio Grande do Sul, Brasil : fase de pré e pós-enchimento do reservatório

Simões, Raquel Ilha January 2002 (has links)
A malacofauna límnica exerce importante papel como constituinte da comunidade bentônica e alterações em sua estrutura podem tornar-se prejudiciais para a vida nesses ecossistemas. Com o objetivo de avaliar quali-quantitativamente a malacofauna límnica na área de abrangência da Usina Hidrelétrica de Dona Francisca (UHEDF) (29°26’50’’S e 53°16’50’’W), Agudo, Rio Grande do Sul, Brasil, tomadas as amostras nas fases de pré-enchimento do reservatório em oito estações de coleta em áreas localizadas à montante (E3B, E4B, E5B), à jusante (E1) e na calha central do futuro lago da barragem (E2, E3, E4, E5) e pós-enchimento nas estações E1, E3B e E4B. No período de junho a outubro de 2000 (fase de pré-enchimento) e de junho a outubro de 2001 (fase de pós-enchimento) foram realizadas amostragens mensais, consistindo de três réplicas por estação de coleta (margens-centro), através do uso do amostrador de Surber modificado com área de 60 cm² e 15 cm de altura, delimitando o tamanho amostral. A fauna foi retirada manualmente dos clastos maiores sendo o sedimento de granulometria mais fina, passada através de peneira com malha de 1mm. Em laboratório foi realizada a identificação específica dos moluscos e da fauna acompanhante de macroinvertebrados , quando possível até família. Os organismos foram fixados em álcool 70%. Foram identificadas 10 famílias de Mollusca com quinze espécies. Para Gastropoda foram registradas seis famílias com nove espécies: Ampullariidae – Pomacea canaliculata (Lamarck, 1801); Hydrobiidae – Potamolithus aff. catharinae Pilsbry, 1911, Potamolithus ribeirensis Pilsbry, 1911, Potamolithus sp.1 e Heleobia sp.; Chilinidae – Chilina parva Martens, 1868; Lymnaeidae – Lymnaea columella Say, 1817; Ancylidae – Gundlachia concentrica (Orbigny, 1835); e Physidae – Stenophysa marmorata (Guilding, 1938). Para Bivalvia: Corbiculidae – Corbicula fluminea (Müller, 1774); Mycetopodidae – Anodontites iheringi (Clessin, 1882), Anodontites lucidus (Orbigny, 1835); Hyriidae – Diplodon charruanus (Orbigny, 1835); Sphaeriidae – Pisidium punctiferum (Guppy, 1817) e Pisidium sp. Na fase de pré-enchimento do reservatório, a correlação de Pearson apontou correlação positiva entre a granulometria e a densidade de moluscos (r=0,15) e correlação negativa entre os fatores físico-químicos e a densidade de moluscos bentônicos (r=-0,28). A análise de agrupamento das espécies de moluscos na fase de pré-enchimento evidenciou a formação de dois grupos distintos: o primeiro formado por espécies acidentais, segundo o cálculo da Constância, e o segundo formado por espécies constantes, xviii acessórias e uma acidental (Potamolithus sp.1) que no entanto foi abundante em E1 e E2. O resultado da freqüência relativa em relação à fase de pré-enchimento do reservatório mostrou a família Hydrobiidae, com quatro espécies, com maior abundância e riqueza de espécies, seguida por Chilinidae, representada por C. parva. Ambas as famílias representaram um total de 93,9% em relação à comunidade de moluscos amostrados. Tais resultados refletem o tipo de ambiente da área: leito formado por matacões e calhaus, favoráveis à instalação e manutenção daqueles moluscos. Na fase de pós-enchimento do reservatório foram registrados o aumento na riqueza e diversidade de espécies nas três estações de coleta amostradas (exceto em E3B – com menor diversidade no pós-enchimento) e diminuição significativa nas densidades mensais e totais de moluscos bentônicos. Os testes de aleatorização, entretanto, não revelaram diferenças significativas entre as duas fases e em relação ao funcionamento da UHEDF. Os fatores físico-químicos apontaram correlação positiva com a densidade de moluscos (r=0,19), ressaltando as diferenças significativas nos valores de pH, oxigênio dissolvido, oxigênio saturado nesta fase. Em E1 mais atingida pelo funcionamento da UHEDF, registrou-se uma acentuada diminuição nas densidades mensais e totais de moluscos bentônicos, não obstante, a riqueza e diversidade apresentaram maiores valores nesta fase. As espécies mantiveram-se as mesmas em ambas as fases.
7

Biologia alimentar da taxocenose de peixes do Rio Silveira (cabeceira do Rio Pelotas), São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul, Brasil

Bastos, José Roberto Henrique January 2002 (has links)
A região de São José dos Ausentes (planalto sul-riograndense), onde se situa o rio Silveira pertencente a cabeceira do rio Pelotas (bacia do rio Uruguai), caracteriza-se por uma ictiofauna composta de espécies endêmicas e várias espécies novas ainda não descritas. O conhecimento referente a estrutura trófica da ictiofauna desta região ainda é inexistente, motivo pelo qual este trabalho teve com objetivo caracterizar a biologia alimentar das espécies de peixes encontradas no rio Silveira. O período de amostragem iniciou em julho de 2000 e concluiu-se em julho 2001. Os indivíduos foram capturados mensalmente através de redes de espera (malhas 1,5 cm entrenós) e puçás, em ambientes de corredeiras e remansos. Foram encontradas seis espécies de peixes neste trecho do rio Silveira: Astyanax sp. n. 4 (Characidae), Eurycheilichthys pantherinus (Loricariidae), Hemipsilichthys sp. n. I (Loricariidae), Cichlasoma facetum (Cichlidae), Rhamdia sp. (Pimelodidae) e Bryconamericus sp. n. 1 (Characidae). O conteúdo estomacal foi identificado para cada uma destas espécies, sendo somente analisado através do método de freqüência de ocorrência, composição percentual e pelo cálculo do índice de importância alimentar para as três espécies mais freqüentes e abundantes. Dentre os itens encontrados destacam-se para Astyanax sp. n. 4 matéria vegetal e Ephemeroptera; para Eurycheilichthys pantherinus larvas de Diptera Simulidae e Ephemeroptera; e em Hemipsilichthys sp. n. I detritos, onde se verificou a presença de diatomáceas e clorofítas. O cálculo do coeficiente de sobreposição alimentar não apresentou valor significativo para estas três espécies. As demais espécies apresentaram os seguintes itens em sua dieta, Cichlasoma facetum larvas de Tricoptera, Ephemeroptera, Gastropoda e insetos alóctones; Rhamdia sp. escamas, Gastropoda, larvas de Lepidoptera, Tricoptera, Ephemeroptera, sementes, matéria vegetal, sedimento; e Bryconamericus sp. n. 1 larvas de Diptera (Simulidae, Psychodidae, Chironomidae), larvas de Tricoptera, Ephemeroptera, Diatomáceas, Clorofítas, Diptera adulto, Hymenoptera, Coleoptera. Esta dieta sugere os seguintes hábitos alimentares para Astyanax sp. n. 4 onívoro, Eurycheilichthys pantherinus insetívoro, Hemipsilichthys sp. n. I detritívoro, Cichlasoma facetum insetívoro, Rhamdia sp. onívoro, e Bryconamericus sp. n. 1 insetívoro.
8

Biologia e dinâmica populacional de Aegla leptodactyla Buckup & Rossi, 1977 (Crustacea, Anomura, Aeglidae)

Noro, Clarissa Köhler January 2002 (has links)
O presente trabalho teve por objetivo avaliar alguns aspectos relacionados à zoogeografia e ecologia dos ostracodes da plataforma interna norte do Rio de Janeiro, próximo à cidade de Cabo Frio. O material de estudo resultou da análise de 43 amostras sedimentológicas coletadas durante a expedição GEOCOSTA RIO II. Este estudo permitiu o reconhecimento de 16 famílias, 49 gêneros, 66 espécies e dois gêneros que permaneceram em nomenclatura indeterminada. A descrição de uma nova espécie, Actinocythereis brasiliensis sp. n., também foi realizada no âmbito do presente trabalho. As famílias mais representativas quanto à abundância e o número de espécies foram Thaerocytheridae e Cytheruridae, respectivamente. A espécie mais constante na área foi Caudites ohmerti e, dentre as com maior dominância estão, Caudites ohmerti, Meridionalicythere? dubia, Callistocythere litoralensis, Paracytheridea bulbosa, Urocythereis dimorphica, Henryhowella inflata, Oculocytheropteron delicatum, Xestoleberis umbonata, Henryhowella macrocicatricosa e Brasilicythere reticulispinosa. As preferências sedimentológicas e batimétricas das espécies são também discutidas neste trabalho. É sugerido que se estenda a distribuição zoogeográfica, um pouco mais ao norte, para sete espécies: Cushmanidea variopunctata, Neocytherideis impudicus, Hemingwayella advena, Hemingwayella sp., Urocythereis dimorphica, Munseyella cornuta e Basslerites costata. A grande maioria das espécies são características da plataforma continental sul, sendo que destas o maior percentual pertence à Subprovíncia Sul-Brasileira. De acordo com a fauna registrada, predominantemente de águas frias, chegamos a conclusão que a sua presença se deve, em grande parte, à influência da ressurgência marinha na área de estudo A proporção sexual foi de 1,19 machos para 1 fêmea. Fêmeas ovígeras encontradas entre abril e setembro e o ingresso de juvenis na população (recrutamento) foi observado em novembro e dezembro de 2000.
9

Comunidade de moluscos bentônicos na área de abrangência da Usina Hidrelétrica de Dona Francisca, Rio Jacuí, Rio Grande do Sul, Brasil : fase de pré e pós-enchimento do reservatório

Simões, Raquel Ilha January 2002 (has links)
A malacofauna límnica exerce importante papel como constituinte da comunidade bentônica e alterações em sua estrutura podem tornar-se prejudiciais para a vida nesses ecossistemas. Com o objetivo de avaliar quali-quantitativamente a malacofauna límnica na área de abrangência da Usina Hidrelétrica de Dona Francisca (UHEDF) (29°26’50’’S e 53°16’50’’W), Agudo, Rio Grande do Sul, Brasil, tomadas as amostras nas fases de pré-enchimento do reservatório em oito estações de coleta em áreas localizadas à montante (E3B, E4B, E5B), à jusante (E1) e na calha central do futuro lago da barragem (E2, E3, E4, E5) e pós-enchimento nas estações E1, E3B e E4B. No período de junho a outubro de 2000 (fase de pré-enchimento) e de junho a outubro de 2001 (fase de pós-enchimento) foram realizadas amostragens mensais, consistindo de três réplicas por estação de coleta (margens-centro), através do uso do amostrador de Surber modificado com área de 60 cm² e 15 cm de altura, delimitando o tamanho amostral. A fauna foi retirada manualmente dos clastos maiores sendo o sedimento de granulometria mais fina, passada através de peneira com malha de 1mm. Em laboratório foi realizada a identificação específica dos moluscos e da fauna acompanhante de macroinvertebrados , quando possível até família. Os organismos foram fixados em álcool 70%. Foram identificadas 10 famílias de Mollusca com quinze espécies. Para Gastropoda foram registradas seis famílias com nove espécies: Ampullariidae – Pomacea canaliculata (Lamarck, 1801); Hydrobiidae – Potamolithus aff. catharinae Pilsbry, 1911, Potamolithus ribeirensis Pilsbry, 1911, Potamolithus sp.1 e Heleobia sp.; Chilinidae – Chilina parva Martens, 1868; Lymnaeidae – Lymnaea columella Say, 1817; Ancylidae – Gundlachia concentrica (Orbigny, 1835); e Physidae – Stenophysa marmorata (Guilding, 1938). Para Bivalvia: Corbiculidae – Corbicula fluminea (Müller, 1774); Mycetopodidae – Anodontites iheringi (Clessin, 1882), Anodontites lucidus (Orbigny, 1835); Hyriidae – Diplodon charruanus (Orbigny, 1835); Sphaeriidae – Pisidium punctiferum (Guppy, 1817) e Pisidium sp. Na fase de pré-enchimento do reservatório, a correlação de Pearson apontou correlação positiva entre a granulometria e a densidade de moluscos (r=0,15) e correlação negativa entre os fatores físico-químicos e a densidade de moluscos bentônicos (r=-0,28). A análise de agrupamento das espécies de moluscos na fase de pré-enchimento evidenciou a formação de dois grupos distintos: o primeiro formado por espécies acidentais, segundo o cálculo da Constância, e o segundo formado por espécies constantes, xviii acessórias e uma acidental (Potamolithus sp.1) que no entanto foi abundante em E1 e E2. O resultado da freqüência relativa em relação à fase de pré-enchimento do reservatório mostrou a família Hydrobiidae, com quatro espécies, com maior abundância e riqueza de espécies, seguida por Chilinidae, representada por C. parva. Ambas as famílias representaram um total de 93,9% em relação à comunidade de moluscos amostrados. Tais resultados refletem o tipo de ambiente da área: leito formado por matacões e calhaus, favoráveis à instalação e manutenção daqueles moluscos. Na fase de pós-enchimento do reservatório foram registrados o aumento na riqueza e diversidade de espécies nas três estações de coleta amostradas (exceto em E3B – com menor diversidade no pós-enchimento) e diminuição significativa nas densidades mensais e totais de moluscos bentônicos. Os testes de aleatorização, entretanto, não revelaram diferenças significativas entre as duas fases e em relação ao funcionamento da UHEDF. Os fatores físico-químicos apontaram correlação positiva com a densidade de moluscos (r=0,19), ressaltando as diferenças significativas nos valores de pH, oxigênio dissolvido, oxigênio saturado nesta fase. Em E1 mais atingida pelo funcionamento da UHEDF, registrou-se uma acentuada diminuição nas densidades mensais e totais de moluscos bentônicos, não obstante, a riqueza e diversidade apresentaram maiores valores nesta fase. As espécies mantiveram-se as mesmas em ambas as fases.
10

Biologia alimentar da taxocenose de peixes do Rio Silveira (cabeceira do Rio Pelotas), São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul, Brasil

Bastos, José Roberto Henrique January 2002 (has links)
A região de São José dos Ausentes (planalto sul-riograndense), onde se situa o rio Silveira pertencente a cabeceira do rio Pelotas (bacia do rio Uruguai), caracteriza-se por uma ictiofauna composta de espécies endêmicas e várias espécies novas ainda não descritas. O conhecimento referente a estrutura trófica da ictiofauna desta região ainda é inexistente, motivo pelo qual este trabalho teve com objetivo caracterizar a biologia alimentar das espécies de peixes encontradas no rio Silveira. O período de amostragem iniciou em julho de 2000 e concluiu-se em julho 2001. Os indivíduos foram capturados mensalmente através de redes de espera (malhas 1,5 cm entrenós) e puçás, em ambientes de corredeiras e remansos. Foram encontradas seis espécies de peixes neste trecho do rio Silveira: Astyanax sp. n. 4 (Characidae), Eurycheilichthys pantherinus (Loricariidae), Hemipsilichthys sp. n. I (Loricariidae), Cichlasoma facetum (Cichlidae), Rhamdia sp. (Pimelodidae) e Bryconamericus sp. n. 1 (Characidae). O conteúdo estomacal foi identificado para cada uma destas espécies, sendo somente analisado através do método de freqüência de ocorrência, composição percentual e pelo cálculo do índice de importância alimentar para as três espécies mais freqüentes e abundantes. Dentre os itens encontrados destacam-se para Astyanax sp. n. 4 matéria vegetal e Ephemeroptera; para Eurycheilichthys pantherinus larvas de Diptera Simulidae e Ephemeroptera; e em Hemipsilichthys sp. n. I detritos, onde se verificou a presença de diatomáceas e clorofítas. O cálculo do coeficiente de sobreposição alimentar não apresentou valor significativo para estas três espécies. As demais espécies apresentaram os seguintes itens em sua dieta, Cichlasoma facetum larvas de Tricoptera, Ephemeroptera, Gastropoda e insetos alóctones; Rhamdia sp. escamas, Gastropoda, larvas de Lepidoptera, Tricoptera, Ephemeroptera, sementes, matéria vegetal, sedimento; e Bryconamericus sp. n. 1 larvas de Diptera (Simulidae, Psychodidae, Chironomidae), larvas de Tricoptera, Ephemeroptera, Diatomáceas, Clorofítas, Diptera adulto, Hymenoptera, Coleoptera. Esta dieta sugere os seguintes hábitos alimentares para Astyanax sp. n. 4 onívoro, Eurycheilichthys pantherinus insetívoro, Hemipsilichthys sp. n. I detritívoro, Cichlasoma facetum insetívoro, Rhamdia sp. onívoro, e Bryconamericus sp. n. 1 insetívoro.

Page generated in 0.0289 seconds