Return to search

O autor segundo ele mesmo: a escrita de si em Cadernos de Lanzarote, de José Saramago

The dissertation analyzes the thematic and formal transgressions undertaken by Portuguese writer José Saramago, in the works Cadernos de Lanzarote (1998a) and Cadernos de Lanzarote II (1999), in relation to the diary, especially in its inauthentic mode, featured by a less spontaneous construction, because of the publication - disclosure to many readers completely different from the diarist - that changes it formal and thematically, and in reference to the dialogue with the audience. The first chapter is about the genealogy of the diary. The second is devoted to critical appreciation of Cadernos de Lanzarote. Generic transgressions, the authorship voices are considered in the third chapter. The purpose of this paper is to discuss how, as opposed to traditional journals, the self-referential work of Portuguese writer is public, not private, with particular characteristics regarding gender paradigms. To achieve this purpose, the dissertation seeks to provide a more detailed theoretical presentation of the diary, contemplating it from its origin - there were about 3,000 BC, concomitantly with the invention of writing - until nowadays, when it occurs the revolution brought by Web 2.0 I the self-referential writing

A dissertação analisa as transgressões temático-formais empreendidas pelo escritor português José Saramago, nas obras Cadernos de Lanzarote (1998a) e Cadernos de Lanzarote II (1999), em relação ao diário, sobretudo em sua modalidade inautêntica, caracterizada por uma construção menos espontânea, em razão da publicação - divulgação a leitores diversos do diarista-, que a modifica formal e tematicamente, bem como em referência ao diálogo com o público. O primeiro capítulo tem como centro a genealogia do diário. O segundo é dedicado à apreciação crítica de Cadernos de Lanzarote. As transgressões genéricas e as vozes autorais são consideradas no terceiro capítulo. O propósito desta dissertação é discutir como, em oposição aos diários tradicionais, a obra autorreferencial do escritor português é pública, e não privativa, apresentando características particulares quanto aos paradigmas do gênero. Para alcançar tal propósito, a dissertação procura fornecer uma apresentação teórica mais detalhada do diário, contemplando-o desde sua origem - há aproximadamente 3.000 a.C., concomitantemente à invenção da escrita - até a contemporaneidade, ocasião em que se verifica a revolução promovida pela web 2.0 na escritura autorreferencial

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:agregador.ibict.br.RI_UNESP:oai:repositorio.unesp.br:11449/124461
Date2 February 2015
CreatorsFernandes, Fernanda Buzzon [UNESP]
ContributorsFerreira, Sandra Aparecida [UNESP]
PublisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
Typeinfo:eu-repo/semantics/masterThesis, info:eu-repo/semantics/publishedVersion
Format137 f.
SourceAleph, FERNANDES, Fernanda Buzzon. O autor segundo ele mesmo: a escrita de si em Cadernos de Lanzarote, de José Saramago. 2015. 137 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2015., reponame:RI, instname:UNESP
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0022 seconds