Return to search

A criatividade sob a ótica da psicologia histórico-cultural : uma tentativa de superação de suas múltiplas concepções

Orientador: Prof. Dr. João Henrique Rossler / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Defesa: Curitiba, 12/05/2017 / Inclui referências : f. 101-106 / Resumo: A sociedade contemporânea tem considerado a criatividade uma das características humanas mais importantes. Entretanto, a definição desse conceito é bastante diversa, pois varia de acordo com os pilares conceituais da abordagem teórica da psicologia que a descreve. É possível identificar que a maioria dessas teorias define a criatividade sob tendências ambientalistas, inatistas ou metafísicas. Definida dessas formas, a atividade criativa é dissociada das relações sociais e da organização histórica de determinada sociedade, aspectos inseparáveis da formação e desenvolvimento do psiquismo humano. Considera-se que a Psicologia Histórico- Cultural pode contribuir para a compreensão dos processos criativos e superação das conceituações hegemônicas atuais, de caráter pragmático e positivista. O presente estudo tem como objetivo definir a criatividade sob a ótica da Psicologia Histórico- Cultural, e justifica-se pela escassez de publicações sobre o tema, nessa abordagem teórica da psicologia. Trata-se de uma pesquisa teórico-conceitual, na qual as elaborações de L. S. Vigotski sobre o desenvolvimento do psiquismo humano, assim como as categorias centrais do materialismo histórico-dialético, são os principais norteadores do percurso. Em um primeiro momento, efetua-se uma revisão de teses, dissertações e publicações periódicas, entre os anos de 2012 a 2016, em três bases de dados eletrônicas distintas. Em seguida selecionam-se as publicações nacionais que apresentam uma conceituação de criatividade, a partir de alguma abordagem teórica da psicologia. Os resultados foram então agrupados e sistematizados em certas categorias. No momento seguinte, passa-se a fundamentar os processos criativos a partir da Psicologia Histórico-Cultural. A criatividade compreendida através dessa perspectiva se constitui na relação histórico-social entre as apropriações do indivíduo particular e as objetivações genéricas humanas. Percebe-se, assim, que o processo criativo tem sua gênese no trabalho, já que essa é uma atividade que transforma a natureza e o próprio homem. Porém, tendo em vista o caráter social e coletivo do trabalho e dos processos psicológicos, a atividade criadora também é dependente das condições materiais e culturais do contexto histórico. Se, por um lado, quanto mais o indivíduo se apropriar das potencialidades máximas alcançadas pelo gênero humano, objetivadas na cultura, mais rico será o desenvolvimento do seu psiquismo e suas capacidades criativas, por outro, em uma sociedade capitalista, pautada por relações sociais de dominação e pela generalização da lógica de reprodução do capital, o acesso a essas potencialidades genéricas é severamente afetado e limitado. Assim, uma das conclusões para a qual o estudo aponta indica que os processos de alienação, que consistem numa ruptura entre a evolução da humanidade e a evolução do indivíduo e em um distanciamento do indivíduo em relação ao gênero humano, também podem influenciar o desenvolvimento das funções psíquicas superiores, assim como contribuir para a atrofia das capacidades criativas humanas. Palavras-chave: criatividade; psicologia histórico-cultural; Vigotski; alienação. / Abstract: The contemporary society has considered creativity one of the most important human characteristics. However, the concept's definition is still quite inaccurate, for it varies according to the conceptual pillars of theoretical approach of psychology that tries to describes it. It is possible to identify that most of these theories defines creativity under environmental tendencies, metaphysical tendencies, or as an innate aspect. Defined in these ways, the creative activity is decoupled from social relations and historic organization of society, inseparable aspects of human emergence and its development. The Historical-Cultural Psychology can contribute to the understanding of creative processes, overcoming the current hegemonic concepts, with pragmatic and positivist character. The purpose of this research is to define creativity under the perspective of Historical-Cultural Psychology, and is justified by the shortage of publications on the topic, in this approach of psychology. It is a theoretical and conceptual research, in which the elaborations of L. S. Vigotski about development of the human psyche, as well as central categories of dialectical-historical materialism, are the main references. In a first moment, a review of theses, dissertations and papers, published between the years 2012 and 2016, was made in three different databases. Then, the national publications that presented a concept of creativity, from any theoretical approach of psychology, were selected. The results were then grouped and organized in certain categories. As next step, the creative processes were defined, under Historical-Cultural Psychology perspective. Creativity, as understood through this perspective, is a social-historical relationship between an individual appropriation and the generic objectifications. One of the finds was that the creative process has its beginning at work, since this is an activity that transforms nature and man himself. However, considering the social and collective characteristics of work and psychological processes, the creative activity is also dependent on material and cultural conditions of historical context. If, on the one hand, the more the particular individual appropriates from the maximum potential reached by mankind, objectified into the culture, richer will be the development of your psyche and creative abilities, on the other, in a capitalist society, marked by social relationships of domination and generalization of playback logic of capital, the access to these generic capabilities is severely affected and limited. So, one of the conclusions to which the study points, indicates that alienation processes, which consist of a rupture between evolution of mankind and the development of individual and in a distance of the singular person in relation to the human gender, can also influence the development of higher psychological functions, as well as contribute to the atrophy of human creative abilities. Keywords: creativity; historical-cultural psychology; Vigotski; alienation.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:dspace.c3sl.ufpr.br:1884/48228
Date January 2017
CreatorsJones, Roberto Herbert
ContributorsUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Rossler, João Henrique
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Format106 f., application/pdf
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFPR, instname:Universidade Federal do Paraná, instacron:UFPR
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess
RelationDisponível em formato digital

Page generated in 0.003 seconds