Return to search

Avaliação das instabilidades cromossômicas em displasias epiteliais e carcinomas de células escamosas orais

Made available in DSpace on 2019-03-30T00:26:38Z (GMT). No. of bitstreams: 0
Previous issue date: 2018-04-13 / Cancer, today, is one of the biggest public health problems in the world. Oral squamous
cell carcinoma (OSCC) is the most common type of oral cancer, accounting for 90% of
the cases, preceded by changes known as potentially malignant oral disorders
(POMD). Several studies have sought to identify molecular markers capable of
predicting the malignant transformation potential of POMDs, however, to date no
markers have been reported that are capable of predicting the progression of normal
mucosa or POMDs to invasive cancer. For the development of a malignant neoplasm,
several molecular events are necessary in a cellular environment. Chromosomal
instability (CIN) describes a condition in which cells often acquire cytogenetic changes
and do not accurately segregate their chromosomes. These defects result in lack of
segregation of chromatids during anaphase, generating aneuploid daughter cells and
indirect defects of segregation can be caused by structural chromosome
rearrangements generated before mitosis. The present study aimed to verify the
existence of numerical alterations in chromosome 17 and deletions on chromosome 1
in oral squamous cell carcinoma (OSCC), comparing with oral epithelial dysplasia
(OED). It was used FISH-fluorescence in situ hybridization, in a population of 120
cases, 57 of ODE and 63 of OSCC (ploidy status of chromosome 17 and chromosome
1 deletions in 1p36, 1q25 and 1pTEL). The results showed a man: woman ratio for the
OSCCs of 1.3: 1, and anatomic sites more frequent was the tongue (33.3%), mouth
floor (25.4%) and lower lip (15.9%). Aneuploidies of chromosome 17 are more frequent
in OSCCs, with greater evidence in trisomies and polysomies. The combination of the
histopathological and clinical data of ODEs and OSCCs demonstrated that 1pTEL
deletion is a possible biological marker of malignant progression for oral epithelial
dysplasias, as well as a demonstration of the aggressiveness presented by OSCCs.
The three deletions studied, 1p36, 1q25 1pTEL, were found in trisomies and
polysomies of OSCCs, showing a correlation of deletions in aneuploidies in cases of
advanced OSCCs. Although there is a clear difference between OEDs and OSCCs in
relation to CINs, no statistical differences were found between the gradations proposed
for both conditions. / O câncer, atualmente, é um dos maiores problemas de saúde pública em todo o mundo. O carcinoma de células escamosas oral (CCEO) é o tipo mais comum de câncer de boca, correspondendo a 90% dos casos, sendo precedidos por alterações conhecidas como desordens orais potencialmente malignas (DOPM). Vários estudos buscam identificar marcadores moleculares capazes de predizer o potencial de transformação maligna das DOPMs, contudo, até o momento não foram relatados marcadores que sejam capazes de prever a progressão da mucosa normal ou das DOPMs para um câncer invasivo. Para que haja o desenvolvimento de uma neoplasia maligna são necessários vários eventos moleculares em ambiente celular. A instabilidade cromossômica (CIN) descreve uma condição em que as células frequentemente adquirem alterações citogenéticas e não segregam com precisão
seus cromossomos. Esses defeitos resultam em falta de segregação de cromátides
durante a anáfase, gerando células filhas aneuplóides e defeitos indiretos de
segregação podem ser causados por rearranjos cromossômicos estruturais gerados
antes da mitose. O presente estudo teve como objetivo verificar a existência de
alterações numéricas no cromossomo 17 e deleções no cromossomo 1 no carcinoma
de células escamosas oral (CCEO), comparando com a displasia epitelial oral (DEO).
Fez uso da FISH ¿ fluorescence in situ hybridization, (status de ploidia do cromossomo
17 e deleções do cromossomo 1 em 1p36, 1q25 e 1pTEL), em uma população de 120
casos, sendo 57 de DEO e 63 de CCEO. Os resultados demonstraram uma proporção
homem:mulher para os CCEOs de 1,3:1, e sítios anatômicos mais frequentes a língua
(33,3%), assoalho bucal (25,4%) e lábio inferior (15,9%). As aneuploidias do
cromossomo 17 mostraram-se mais frequentes nos CCEOs, com maior evidência nas
trissomias e polissomias. A combinação dos dados histopatológicos e clínicos das
DEOs e dos CCEOs demonstraram que a deleção de 1pTEL é um possível marcador
biológico de progressão maligna para as displasias epiteliais orais, como também um
demonstrativo da agressividade apresentada pelos CCEOs. As três deleções
estudadas, 1p36, 1q25 1pTEL, foram encontradas nas trissomias e polissomias dos
CCEOs, mostrando uma correlação das deleções nas aneuploidias nos casos de
CCEOs avançados. Muito embora haja diferença evidente entre as DEOs e os CCEOs
em relação às CIN, não foram encontradas diferenças estatísticas entre as gradações
propostas para ambas as condições. Descritores: Câncer Oral, Carcinoma de Células Escamosas, Instabilidade Cromossômica, Aneuploidia, Deleção Cromossômica, Hibridização In Situ Fluorescente.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:dspace.unifor.br:tede/105560
Date13 April 2018
CreatorsRodrigues, Andre Montezuma Sales
ContributorsCavalcante, Roberta Barroso, Turatti, Eveline, Rabenhorst, Silvia Helena Barem, Cavalcante, Roberta Barroso
PublisherUniversidade de Fortaleza, Mestrado Profissional Em Odontologia, UNIFOR, Brasil, Centro de Ciências da Saúde
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Sourcereponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UNIFOR, instname:Universidade de Fortaleza, instacron:UNIFOR
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess
Relation-331371113890194874, 500, 500, 292441653440865123

Page generated in 0.0144 seconds