Return to search

Da chimica europeia à química no Brasil

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2017.

Made available in DSpace on 2018-01-23T03:15:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 349678.pdf: 2086564 bytes, checksum: 002495081956ea54d86db1ff64ef6c85 (MD5) Previous issue date: 2017

Este estudo apresenta elementos sobre a constituição histórica da Química como disciplina escolar. Parte de componentes oriundos da Química europeia, com foco em Portugal, até a inclusão dessa disciplina no Brasil, em um período de 1750 até 1890. Em 1750, Dom José I nomeia o Marquês de Pombal, que empreende reformas educacionais, gerando uma reorganização na educação portuguesa e de suas colônias. Já o ano de 1890 é relacionado a diversas reformas educacionais no Brasil: a Reforma Couto Ferraz (1854), a Reforma Leôncio de Carvalho (1879) e a Reforma Benjamin Constant (1890). A pesquisa apresenta os seguintes objetivos: Caracterizar aspectos históricos que constituem uma trajetória de institucionalização da disciplina de Química no Brasil, notadamente para a escola secundária; Discutir elementos didático-pedagógicos, curriculares e de docência da disciplina de Química. A metodologia está embasada em uma pesquisa bibliográfica e documental e apresenta as seguintes fontes: Compêndio Histórico da Universidade de Coimbra (1771), Estatuto da Faculdade de Filosofia de Coimbra (1772), A Instrução e o Império - Subsídios para História da Educação no Brasil (1823-1853) (MOACYR, 1936), Elementos de Chimica (TELLES, 1788) e Relatórios de Presidência de Província de Santa Catarina. A análise das fontes foi realizada através da Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977) e mediante referenciais do campo da História da Educação que caracterizam práticas pedagógicas relacionadas à disciplina de Química. Os resultados evidenciam uma origem da disciplina na segunda metade do século XVIII, institucionalizada nos Estudos Superiores de Portugal, voltada aos estudos da Medicina e da Filosofia na Universidade de Coimbra, caracterizados por aulas expositivas e atividades experimentais. No Brasil, no século XIX, a disciplina de Química é inserida primeiramente em instituições de ensino superior, estando vinculada a interesses econômicos de desenvolvimento, como a mineralogia e a medicina. No ensino secundário a disciplina é ratificada nos programas de ensino do Colégio de Pedro II, apresentando um conteúdo que se iniciava com definições básicas da Química até a Química Orgânica. Os livros utilizados para o ensino da Química eram de origem francesa, indicando a reprodução do modelo curricular francês que incorporou conteúdos científicos. Na Província de Santa Catarina constata-se a inserção da disciplina de Química em dois momentos: no projeto curricular do Colégio de Bellas Letras, em 1850; no currículo do Liceu Provincial e ainda num pedido de materiais para montagem de um laboratório, ambos datados de 1859. Conclui-se que a disciplina de Química, em sua vertente portuguesa produzida no século XVIII, chegou ao Brasil durante o século seguinte, sendo introduzida inicialmente em instituições de nível superior e, posteriormente, no ensino secundário, neste caso sob influência de modelos curriculares franceses. A trajetória histórica de constituição da Química como disciplina escolar foi, depois disso, nutrida pela sua presença na escola secundária como conteúdo necessário para o acesso ao ensino superior.

Abstract : This study presents elements that constitute a historical basis about the constitution of Chemistry as a subject. Starting from historical components from European chemistry, focusing in Portugal, until the inclusion of this matter in Brazil, in a period since 1750 until 1890. In 1750, Dom José I took over the Portuguese throne, appointing the Marquês de Pombal, whom endeavor reforms in the education questions, which generates reorganization in the Portuguese education and of its colonies. Yet the year of 1890 is related several educational reforms in Brazil: the Couto Ferraz Reform (1854), the Leôncio de Carvalho Reform (1879), and the Benjamin Constant Reform (1890). The research presents the following objectives: To characterize historical aspects that constitute a trajectory of Chemistry subject institutionalization in Brazil, especially for secondary school; to discuss didactic-pedagogical, curricular and teaching elements of Chemistry matter. The methodology is based on bibliographical and documentary researches and presents the following sources: the Historical Compendious of the Coimbra University (1771), the Coimbra Philosophy Faculty Statute (1772), Education and the Empire - Subsidies for History of Education in Brazil (1823-1853) (MOACYR, 1936), Chimica Elements (TELLES, 1788) and Province Presidency Reports from Santa Catarina. The analysis of the sources were carried out through Content Analysis (BARDIN, 1977) and through references in the History Education domain which characterize didactic-pedagogical practice of Chemistry subject. The results emphasizes, as the origin of the subject in the second half of XVIII century, the Chemistry subject institutionalization in the Portugal Higher Studies, focused on the Medicine and Philosophy studies at the Coimbra University, characterized by expository lesson complemented with experimental activities. In Brazil, in the nineteenth century, the Chemistry subject is inserted first in institutions of Higher Education, tied to economic development interests, such as mineralogy and medicine. In secondary school the subject is ratified in Pedro II School, presenting content that began with Chemistry basic definitions until Organic Chemistry. The books used for the teaching of Chemistry were French originating, ratifying the French model reproduction of secondary education and the scientific contents presence in the curriculum. In Santa Catarina Province, to evidences highlight the insertion in only two moments: in the Bellas Letras School curriculum project in 1850; and the Provincial Liceu curriculum and in the materials request to set up a Chemistry laboratory, both in 1859. As a conclusion, it is indicated that the Chemistry subject, in its Portuguese side produced in the XVIII century, come to Brazil and initially was installed in higher level institutions, posteriorly, in secondary education, following French models. The historical trajectory of the Chemistry constitution as a school subject was, after that, nurtured by its presence in secondary school as necessary content for the access to higher education.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.ufsc.br:123456789/182788
Date2017
CreatorsCustódio, Renato da Silva
ContributorsUniversidade Federal de Santa Catarina, Santos, Ademir Valdir dos, Paim, Elison Antonio
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Format210 p.| il.
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFSC, instname:Universidade Federal de Santa Catarina, instacron:UFSC
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0031 seconds