Return to search

Comunicação médico-paciente em onco-hematologia pediátrica : efeito de um procedimento de intervenção psicológica

Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2013. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2014-04-08T14:58:12Z
No. of bitstreams: 1
2013_SilviaMariaGoncalvesCoutinho.pdf: 2377558 bytes, checksum: 1507a6fbd2e3dbc0e100ef8e06853ec2 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-04-11T12:49:00Z (GMT) No. of bitstreams: 1
2013_SilviaMariaGoncalvesCoutinho.pdf: 2377558 bytes, checksum: 1507a6fbd2e3dbc0e100ef8e06853ec2 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-04-11T12:49:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1
2013_SilviaMariaGoncalvesCoutinho.pdf: 2377558 bytes, checksum: 1507a6fbd2e3dbc0e100ef8e06853ec2 (MD5) / A comunicação entre médico e paciente constitui um aspecto fundamental da assistência à saúde, podendo interferir sobre os processos de enfrentamento e adesão. No contexto da oncologia e hematologia pediátrica, o médico enfrenta dificuldades de comunicação advindas
da falta de formação orientada para esse processo e do alto nível de estresse associado aos significados sociais das doenças, à invasibilidade e imprevisibilidade dos tratamentos e ao
ambiente sócio-cultural de cuidados. Este estudo teve por objetivo analisar os efeitos de um protocolo de intervenção psicológica sobre os comportamentos de comunicação do médico com paciente e familiar acompanhante, no contexto de tratamento ambulatorial da oncologia
e hematologia pediátrica. Participaram dois médicos onco-hematologistas pediátricos e os pacientes e familiares acompanhantes atendidos por eles, em díades paciente-familiar. Para coleta dos dados, foi utilizada metodologia de observação sistemática de comportamentos e delineamento de sujeito como próprio controle, com manipulação da variável intervenção psicológica sobre os comportamentos de comunicação dos médicos, em consultas com a participação do psicólogo, denominadas consultas psicopediátricas. O estudo teve seis fases:
(a) Linha de Base 1, sem intervenção; (b) Intervenção 1, com introdução das consultas psicopediátricas como instrumento de intervenção do psicólogo sobre os comportamentos de comunicação do médico; (c) Linha de Base 2, com verificação de mudanças no padrão comportamental do médico; (d) Intervenção 2, com modificação do esquema de intervenção do psicólogo de acordo com os resultados da Linha de Base 2; (e) Linha de Base 3; e (f) Linha de Base 4, para verificação dos comportamentos dos médicos após um mês de consultas sem intervenção. Para análise dos dados, foram descritas seis categorias episódicas de comunicação: perda de oportunidade para comunicação, aproveitamento espontâneo, intervenção, aproveitamento pós intervenção, ausência de resposta pós intervenção e
tentativa bem sucedida de interação. Os dados mostram redução da frequência de ocorrência
da categoria perda de oportunidade, para os dois médicos da Linha de Base 1 para Linha de
Base 4 e da Intervenção 1 para Intervenção 2. Da mesma forma e para o mesmo período, mostram aumento da frequência de ocorrência das categorias aproveitamento espontâneo e tentativa bem sucedida de interação. A análise dos registros sequenciais de ocorrência das
categorias permitiu verificar, ainda, efeitos da intervenção psicológica, com modificação dos comportamentos de comunicação dos dois médicos quanto a: (a) aumento da percepção de sinais verbais e não verbais das reações emocionais expressas por pacientes e acompanhantes; (b) aumento de incentivos às estratégias de enfrentamento e adesão ao tratamento; (c) habilidade de inclusão do paciente pediátrico nas consultas; e (d) aumento de intervenções conjuntas, médico-psicólogo, ao longo das consultas psicopediátricas. A partir dos dados obtidos, destaca-se o uso das consultas psicopediátricas como instrumento válido na capacitação de médicos e residentes processos de comunicação. Sugere-se o desenvolvimento
de estudos sistemáticos que permitam definir estratégias de adoção desse procedimento como
protocolos para trabalho em equipes multi e interdisciplinares, que acompanham o tratamento de crianças e adolescentes em onco-hematologia. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / The communication between physician and patient constitutes a fundamental aspect of health assistance, which may interfere in the processes of coping and adherence to treatment. In the context of pediatric oncology and hematology, physician faces communication difficulties arising from the lack of targeted training to this process and the high level of stress associated
with the social meanings of the diseases, the invasiveness and unpredictability of the treatments and the socio-cultural care environment. This study aimed to analyze the effects of a protocol of psychological intervention on the behaviors of communication of the physician ith patient and caregivers, in the context of clinical treatment of pediatric oncology and hematology. The study included two onco-hemtology physicians and the patients and aregiver assisted by them, in patient-family dyads. For data collection the methodology used
was the systematic observation of behavior and single subject design, with manipulation of the variable psychological intervention on the communication behaviors of physicians, in consultations with the participation of psychologists, named psychopediatric consultations.
The study had six phases: (a) Baseline 1, without intervention; (b) Intervention 1, with the introduction of psychopediatric consultations as a tool of psychologist intervention in the
physician communication behaviors; (c) Baseline 2, with assess changes in the behavioral pattern of the physician; (d) Intervention 2, with schema modification of psychologist intervention in accordance with the results of Baseline 2; (e) Baseline 3; and (f) Baseline 4, to check the behavior of physicians after a month of consultations without intervention. For data analysis, six episodic categories of communication were described: loss of opportunity for
communication, spontaneous improvement, intervention, post-intervention improvement, no response after intervention and well succeeded interaction trial. The data shows a reduction in the frequency of occurrence of category loss of opportunity, for both physicians of the Baseline 1 to Baseline 4 and Intervention 1 to Intervention 2. In the same way and for the same period, shows an increasein the frequency of occurrence of the categories spontaneous improvement and well succeeded interaction trial. The analysis of the sequential record of occurrence of the categories has also shown effects of psychological intervention, with
modification of communication behaviors of the two physicians as: (a) increase in the perception of verbal and non-verbal cues of emotional responses expressed by patients and caregivers; (b) increased of incentives to coping strategies and treatment adherence; (c) ability
to include the pediatric patients in consultations; and (d) increased of the joint interventions, physician and psychologist, during the psychopediatric consultations. Based on the data obtained, we highlight the use of psychopediatric consultations as a valid tool in the training of physicians and residents in the communication processes. We suggest the development of systematic studies that allow the definition of strategies for adopting this procedure as protocols to work in multidisciplinary and interdisciplinary teams, which accompany the treatment of children and adolescents in onco-hematology.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.unb.br:10482/15434
Date22 November 2013
CreatorsCoutinho, Sílvia Maria Gonçalves
ContributorsCosta Júnior, Áderson Luiz
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
Sourcereponame:Repositório Institucional da UnB, instname:Universidade de Brasília, instacron:UNB
RightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data., info:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0036 seconds