Return to search

Desvelando a vivência transexual: gênero, criação e constituição de si-mesmo / Unveiling transexual living: gender, creation and self-consitution

Submitted by JOÃO PAULO ZERBINATI null (joaopaulozerbinati@hotmail.com) on 2018-01-16T12:23:36Z
No. of bitstreams: 1
Desvelando a vivência transexual - gênero, criação e constituição de si-mesmo (Zerbinati, 2017).pdf: 1240212 bytes, checksum: 240626eec61bef9dcbef403a20264f9f (MD5) / Approved for entry into archive by Aline Aparecida Matias null (alinematias@fclar.unesp.br) on 2018-01-16T16:04:02Z (GMT) No. of bitstreams: 1
zerbinati_jp_me_arafcl.pdf: 1240212 bytes, checksum: 240626eec61bef9dcbef403a20264f9f (MD5) / Made available in DSpace on 2018-01-16T16:04:02Z (GMT). No. of bitstreams: 1
zerbinati_jp_me_arafcl.pdf: 1240212 bytes, checksum: 240626eec61bef9dcbef403a20264f9f (MD5)
Previous issue date: 2017-12-04 / A transexualidade é um aspecto da sexualidade que intima e instiga o avanço compreensivo da própria sexualidade para além da naturalização dos modelos binários para o sexo e gênero. Nessa perspectiva, o objetivo deste estudo foi compreender a vivência do primeiro transexual operado no Brasil, João W. Nery, de modo crítico aos determinismos psicopatológicos que partem de lógicas cisheteronormativas. Trata-se de um estudo documental, realizado por intermédio da análise da trajetória de vida de João, disponível em sua mais recente autobiografia intitulada “Viagem Solitária: memórias de um transexual trinta anos depois” e artigo publicado em revista científica: “João W. Nery – A trajetória de um trans homem no Brasil: do escritor ao ativista”. Foi utilizado o método psicanalítico na atitude de desvelar a vivência transexual, assim como buscar eleger categorias para organizar a análise, que foram: (1) “Tons de rosa: infância e tempo de desencontros”, (2) “Tons de azul: puberdade e tempo de inseguranças, sofrimentos e a descoberta de novos matizes”, (3) “Tons de transgressão: adultez” e (4) “O abraço do tempo em cores do arco-íris: tons de amadurecimento”. A análise foi mediada teoricamente pela escola britânica de psicanálise, sobretudo de paradigma winnicottiano, em diálogo com a teoria queer. Foi possível compreender a expressão do gênero não binário, não rígido, enquanto aspecto original e criativo, um caminho para a constituição e reconhecimento de si-mesmo, a expressão genuína de um verdadeiro self. É na impossibilidade de integrar tais aspectos, assim como o acolhimento de sua originalidade para o sexo e gênero, que o sofrimento e a expressão de um falso self se manifestam. Compreender a vivência transexual sem compará-la aos modelos normativos ao sexo e ao gênero é desafio contemporâneo e necessário para tornar menos rígidos os saberes da psicologia, psiquiatria e principalmente da psicanálise, assim como demais áreas da saúde e educação cuja práxis emerge ao contato com aspectos da pluralidade afetiva e sexual humana. Cabe à psicanálise, a partir das novas demandas e possibilidades de um si-mesmo contemporâneo, se movimentar e avançar enquanto campo do saber humano, de vida e pensamento, potente a compreender, despatologizar, cuidar, reconhecer, desvelar a vivência transexual e os seus caminhos para a constituição de si-mesmo. / Transsexuality is an aspect of sexuality that intimates and instigates the comprehensive advancement of own sexuality beyond the naturalization of binary models for sex and gender. In this perspective, the objective of this study was to understand the experience of the first transsexual operated in Brazil, João W. Nery, in a critical way to the psychopathological determinisms that depart from logics cis-heteronormativity. A documentary study, was performed through the analysis of João life trajectory, available in his most recent autobiography entitled "Viagem Solitária: memórias de um transexual trinta anos depois" and an article published in a scientific journal: "João W. Nery – A trajetória de um trans homem no Brasil: do escritor ao ativista". The psychoanalytic method was used with the purpose of unveiling the transsexual experience and to select categories to organize the analysis, which were: (1) "Tones of rose: childhood and time of mismatch", (2) "Tones of blue: puberty and time of insecurities, sufferings and the discovery of new shades", (3) "Tones of transgression: adulthood" and (4) "The embrace of time in rainbow colors: ripening tones‖. The analysis was mediated theoretically by the British School of Psychoanalysis, mainly of Winnicottian paradigm, in dialogue with queer theory. It was possible to understand the expression of the non-binary, non-rigid genre as an original and creative aspect, a path to the constitution and recognition of self, the genuine expression of a true self. It is impossible to integrate such aspects, as well as the reception of their originality for sex and gender, that the suffering and the expression of a false self are manifested. Understanding the transsexual experience without comparing it to normative models to sex and gender is a contemporary and necessary challenge to improve the knowledge of psychology and psychiatry, and especially of psychoanalysis. And also for other areas of health and education, whose praxis emerges from contact with such aspects of human affective and sexual plurality. It is up to psychoanalysis, based on the new demands and possibilities of a contemporary self, advance as a field of human knowledge, life and thought, powerful enough to understand, depathologize, care, recognize, unveil the transsexual experience and its ways for the constitution of self

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.unesp.br:11449/152491
Date04 December 2017
CreatorsZerbinati, João Paulo [UNESP]
ContributorsUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Bruns, Maria Alves de Toledo [UNESP]
PublisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Sourcereponame:Repositório Institucional da UNESP, instname:Universidade Estadual Paulista, instacron:UNESP
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0207 seconds