Return to search

Alergias, infecções respiratorias precoces e outros danos pulmonares são fatores mais associados a pacientes com sindrome do lactente chiador, matriculados no ambulatorio de lactente chiador da pediatria da Universidade Estadual de Campinas, região sud

Orientadores: Antonio Condino Neto, Jose Dirceu Ribeiro / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-07T04:59:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1
Pereira_MariaAngelicaChiarinelliNucci_M.pdf: 1053285 bytes, checksum: c14d06aa40c95f096f1c7bc606c8166c (MD5)
Previous issue date: 2003 / Resumo: A Síndrome do Lactente Chiador vem ganhando interesse na literatura ao longo dos anos devido a sua alta prevalência, sendo responsável por uma parte significativa das internações e consultas pediátricas. Para que as abordagens diagnósticas, terapêuticas e profiláticas sejam eficazes é necessário que sejam conhecidas as características epidemiológicas e aquelas referentes à morbidade da população com a qual se trabalha. Este foi um estudo prospectivo e observacional realizado no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, durante 12 meses. Foram incluídos 159 lactentes chiadores, sendo 66% do sexo masculino. Os casos foram classificados como leves (9,8%, episódios de chiado a cada dois meses), moderados (48%, episódios de chiado mensais) e graves (42,2%, chiado diário). Os antecedentes neonatais encontrados foram (% dos casos): baixo peso de nascimento (33,5), pré-termo (28,4), diagnóstico de broncodisplasia (7,8), síndrome da angustia respiratória (11,1), pneumonia (21,7) e necessidade de ventilação pulmonar mecânica (25). Os fatores descritos como desencadeantes do chiado foram (% dos casos): alteração climática (82,5), infecções respiratórias de vias aéreas altas (78,1) ou baixas (70,3) e inalantes (44,9). Doenças referidas, associadas ao quadro foram (% dos casos): rinite alérgica (64,4), dermatite atópica (77,3), infecções recorrentes de vias respiratórias altas (41) e baixas (60,3), refluxo gastro esofágico (33,9) e bronquiolite (32, sendo que 82,2% necessitaram de hospitalização e 25,4% de ventilação pulmonar mecânica). Os dados familiares revelam antecedente de (% dos casos): asma (39,8), tuberculose (14,9) e tabagismo (62,7). Em relação ao ambiente houve relato de (% dos casos): umidade na casa (44,5), zona urbana de moradia (18,5), média de 2 crianças em cada família (65,6% possuíam pelo menos um irmão mais velho). Houve associação significativa entre os casos moderados e graves com introdução de leite de vaca antes dos 4 meses de vida (p=0,03), com início do quadro antes dos dois meses de vida (p=0,03) e com diagnóstico confirmado de bronquiolite obliterante (p=0,008). Concluiu-se que principalmente a alergia e as infecções respiratórias precoces, mas também outros danos pulmonares relacionados a fatores ambientais, alimentares e patológicos são os fatores associados à Síndrome do Lactente Chiador neste grupo estudado, que corresponde em muitos aspectos à população da Região Sudeste do Brasil / Abstract: The wheezing infant syndrome (WIS) is a frequent and high morbidity-associated condition. Its appropriate diagnostic and therapeutic approaches depend not only on the application of the current literature concepts, but also on the knowledge of specific epidemiological characteristics of the underlying population. This was a prospective and observational study of a series of cases performed during 12 months at the university hospital. The cohort included 159 WIS patients (66% males) less than two years of age. They were classified in mild (9.6%, wheezing episode each 2 months), moderate (48%, monthly whezzing episode ) and severe (42.2%, daily whezing) WIS. The following neonatal conditions were associated (% cases): low weight (33.5), pre-term (28.4), bronchodisplasia (7.8), respiratory distress (11.1), mechanic ventilation (25), pneumonia (21,7). The median time of exclusive breast feeding was 3 months. The median time of the first whezzing episode was 3 months. The most important wheezing triggers were (% cases): weather change (82.5), upper respiratory infections (78,1), pulmonary infections (70,3) and house dust (44.9). Associated diseases were (% cases): allergic rhinitis (64.4), a topic dermatitis (77.3), recurrent pneumonias (60.3), recurrent upper respiratory infections (41), gastro-esophageal reflux (33.9), bronchiolitis (32%, need for hospitalization in 86.2 % of the cases and mechanical ventilation assistance in 25.4% of the cases). Positive family history for (% cases): asthma 39.8, tuberculosis in 14.9, smoking 62.7. Environmental conductions (% cases): humid house 44.5, industries in the neighborhood 18.5, mean of two children in each family (65,6 of the WIS patients had at least one siblings). Significant associations to severe WIS patients were: cow milk introduction before 4 months of age (p=0.007), first wheezing episode before age two months (p=0.03), and bronchiolitis obliterans (p=0.008). We conclude that early lung damage, allergy, and bronchial hyperreactivity are major associated conditions in southeast Brazilian WIS / Mestrado / Pediatria / Mestre em Saude da Criança e do Adolescente

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.unicamp.br:REPOSIP/308296
Date08 August 2003
CreatorsPereira, Maria Angelica Chiarinelli Nucci
ContributorsUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS, Ribeiro, José Dirceu, 1952-, Condino Neto, Antonio, 1961-, Arruda, Luisa Karla Paula, Pinto, Elizete Aparecida Lomazi da Costa
Publisher[s.n.], Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Format144p. : il., application/pdf
Sourcereponame:Repositório Institucional da Unicamp, instname:Universidade Estadual de Campinas, instacron:UNICAMP
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0169 seconds