Return to search

Hospitais gerais filantropicos em cidades de pequeno e medio porte : novo espaço para a internação psiquiatrica

Orientador: Neury Jose Botega

Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas

Made available in DSpace on 2018-08-03T21:35:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LarroblaMendez_Cristina_D.pdf: 11537242 bytes, checksum: 20655c3b1c4bc3ac1487615f7e5fdd22 (MD5) Previous issue date: 2004

Resumo: O presente trabalho teve como objetivo descrever o processo que levou a algumas Santas Casas e hospitais gerais filantrópicos dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina a instalar enfermarias ou reservar leitos para pacientes psiquiátricos e conhecer a situação atual dessa assistência. Para atingir esse alvo, foi realizada uma leitura crítica e abrangente da literatura afim e específica sobre os referidos temas, além de terem sido selecionadas e visitadas dez instituições onde foi aplicado um formulário descritivo. Na primeira parte do trabalho, foram levados em consideração fatores que enriquecem as discussões no campo da saúde mental no Brasil, tanto na arena científica e política quanto em alguns setores da sociedade civil. Esses fatores, as concepções culturais vinculadas à filantropia, à caridade e às políticas de controle social estiveram e estão ainda hoje, em nosso juízo, na base da história do desenvolvimento do referido setor. Foram tratadas também algumas mudanças que ocorreram na assistência médica geral e psiquiátrica em particular, tanto no nível internacional quanto no Brasil e que determinaram transformações importantes, incidindo diretamente sobre o fenômeno abordado no presente trabalho. Entre elas, destacou-se a descentralização do hospital psiquiátrico do foco da assistência e a criação de novas estruturas como as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (upHGs). Foram escolhidas 10 instituições com base nos dados de um censo realizado no Brasil e nos do DATASUS - 4 em MG (Araguari, Carangola, Formiga e Pouso Alegre), 4 em SC (Curitibanos, Joinville, Lages e São Francisco do Sul) e 2 em SP (Ibitinga e Lençóis Paulista) e foram realizadas 43 entrevistas a pessoas ligadas direta e indiretamente à área da psiquiatria. Cabe observarque 5 instituições contam com enfermaria psiquiátrica (2 em MG e 3 em SC) e que 5 reservam leitos para pacientes psiquiátricos (2 em MG, 1 em se e 2 em SP). Todas as enfermarias trabalham com admissões involuntárias e o número de leitos oscila entre 13 e 32. Apenas em 3 das clinicas médicas são permitidas admissões involuntárias, reservando, todas, 5 leitos para psiquiatria. O espaço disponível não é suficiente; no caso das enfermarias, também não há espaço suficiente para os objetos pessoais dos pacientes. O suprimento de medicamentos tanto básicos quanto psiquiátricos é parcialmente adequado; em alguns casos, a medicação psiquiátrica está desatualizada. Mais da metade dos hospitais visitados apenas contam com recursos farmacológicos como terapêutica e suas equipes de trabalho estão conformadas por Psiquiatra e Enfermeiros, destacando-se a carência na formação dos recursos humanos para trabalhar com pacientes psiquiátricos. Os diagnósticos mais freqüentemente hospitalizados são esquizoftenias, alcoolismo e psicoses agudas, sendo a média de internação utilizada de 17 dias. O trabalho combina um conjunto de informações e apresenta, por primeira vez, a análise de novas tendências que começaram a ser praticadas nos últimos anos em alguns Estados do Brasil. Destarte, nosso estudo visa ampliar o conhecimentoda situação atual da área e fàcilitar, assim, futuras mudanças na melhora da qualidade da assistência psiquiátrica.Fomenta-se, dessa forma, um maior intercâmbio de experiências e dados, expectativa que foi explicitada por parte de todas as fontes de informação

Abstract: The present work has the objective to describe the process that make some "Santas Casas" and philanthropist general hospitals from the States of Sao Paulo, Minas Gerais and Santa Catarina, to install infirmaries and reserve beds for psychic patients, and to know the real situation of this assistance. For this purpose a critical and wide reading was done about the specific topics and ten institutions were selected and visited where the descriptive form was applied. The first part of this work takes into consideration factors, which enrich the discussion within the mental health field in Brazil, in the scientific and political area as well as some areas of civil society. These factors, the cultural conceptions connected to the philanthropy, the charity and the policies of social control have been and they still are, in our opinion, in the base of the historical development of the mentioned sector. Some changes, which happen in the general and mainly in the psychiatrist medical assistance were treated in reference to the international leveI as they determined important transformations in Brazil and influenced the phenomenon faced in this work. Among these ones, we underlined the discentralization of the psychiatrist hospital from the focus of assistance and the creation of new structures such as the Psychiatric Units in General HospitaIs (upHGs). Ten institutions were chosen based on data collected in a census done in Brazil by DATASUS - 4 in MG (Araguari, Carangola, Formiga and Poso Alegre), 4 in SC (Curitibanos, Joinville, Lages and São Francisco do Sul) and 2 in SP (Ibitinga and Lençóis Paulista). Besides, 43 interviews were done to peopIe directly or indirectly connected to the psychiatric area. It was observed that five institutions have psychiatric infirmaries (2 in MG and 3 in SC) and five reserve beds for psychic patients (2 in MG, 1 in SC and 2 in SP). All the infirmaries work with invoIuntary admissions and the number of beds varies from 13 to 32. Only three medical centres allow invoIuntary admissions and all of them reserve 5 beds for psychiatry. The place available is not enough, not only for the nurses but also for the patients' personal objects. The suppIy of the basic and psychiatric medicine is partially adequate; in some cases the psychiatric medicine is not update.However, half of the visited hospitaIs hardly count with the pharmacological resources as a therapy and their work teams are formed by psychiatrists, nurses, emphasising the lack of training in human relation to work with psychic patients. The more frequent diagnostics taken to hospital are esquizoftenias, alcoholism and deep psychosis. The average used to be at hospital is 17 days. This work structures a group of information and presents for the first time the analysis of new tendencies which were taken into practice in the Iast years in some states of Brazil. In this way, the project to widen the knowledge about the actual situation in the area as well as to facilitate future changes in reference to the improvement in the quality of the psychiatric assistance. In this way, it fosters a greater interchange of experiences and data, an expectation that was explicit by all the resources of information

Doutorado

Ciencias Biomedicas

Doutor em Ciências Médicas

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.unicamp.br:REPOSIP/311450
Date2004
CreatorsLarrobla Mendez, Cristina
ContributorsUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS, Botega, Neury José, 1958-, Botega, Neury José
Publisher[s.n.], Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/doctoralThesis
Format225 p., application/pdf
Sourcereponame:Repositório Institucional da Unicamp, instname:Universidade Estadual de Campinas, instacron:UNICAMP
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0033 seconds