Return to search

Reposição hormonal na prostata ventral de ratos castrados : recuperação glandular, reorganização estremal e atividade de metaloproteinases de matriz

Orientador: Sergio Luis Felisbino / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-04T04:10:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1
JustulinJunior_LuisAntonio_M.pdf: 10236686 bytes, checksum: 4ad6350b1b5ac9de674a75c18e876eef (MD5)
Previous issue date: 2005 / Resumo: A próstata (Pvl e a vesícu1a seminal (VS) são glândulas andrógeno-dependentes que sofrem atrofia e recuperação após privação e reposição androgênica, respectivamente. Em ambos eventos são observadas alterações tanto no compartimento epitelial quanto no estromal. Os aspectos relacionados às alterações epitelias provocadas pela reposição hormonal na próstata de ratos castrados estão bem descritos na literatura. Entretanto as alterações estromais e a atividade de metaloproteinases de matriz (MMPs) não estão descritas, tão pouco um estudo comparativo da resposta proliferativa entre a PV e a VS. Desta forma, este trabalho teve por objetivos: a) comparar a resposta da PV e da VS de ratos castrados submetidos ao processo de recuperação glandular por reposição hormonal; b) caracterizar o processo de reorganização estromal da próstata ventral de ratos castrados submetidos à reposição hormonal; c) avaliar a atividade das MMPs-2 e 9 durante a castração e reposição hormonal. Para tanto, ratos Wistar adultos machos (3 meses de idade) foram divididos em 3 grupos experimentais: controle, castrado (remoção dos testículos), e castrado tratado com testosterona. Os animais do grupo castrado foram sacrificados após 3, 5, 7, 21, 24, 26, 28, e 31 dias após a castração, enquanto os do grupo castrado tratado receberam, após 21 dias de castração, doses diárias de propionato de testosterona (4mg/kg/dia) e foram sacrificados após 3, 5, 7 e 10 dias de reposição. Finalmente, os animais do grupo controle foram sacrificados ao 3°., 7°., 21°. e 31° dias após o início do experimento. Os animais foram pesados e mortos. As próstatas ventrais (PV) e as vesículas seminais (VS) foram pesadas e processadas para análises histoquímicas, imunohistoquímicas, morfométricas, estereológicas, ultra-estruturais e análises bioquímicas por zimografia. Os resultados foram avaliados estatisticamente. Com a castração tanto a PV quanto a VS sotteram o característico processo de involução, com perda de peso, redução de área epitelial e luminal, e aumento da área estromal. Esses eventos foram revertidos progressivamente com a reposição hormonal. Entretanto, ao final do tratamento, a VS respondeu mais intensamente à reposição com testosterona do que a PV, superando significativamente o peso das glândulas dos grupos controle, enquanto o peso da PV não atingiu o peso das glândulas dos grupos controle. Esta diferença entre as duas glândulas também foi observada no índice de proliferação (IP) celular obtido pela marcação imunohistoquímica para PCNA. As células epitelias da VS apresentaram um IP aproximadamente três vezes superior às da VP. Embora a castração promova um aparente aumento da área estromal, nossos resultados de peso absoluto do estroma revelaram que ocorre na verdade uma diminuição no conteúdo estromal, com uma possível degradação da matriz extracelular. Embora, as fibras colágenas, reticulares e elásticas, condensadas durante a castração, tenham sido progressivamente distendidas e dispersadas ao redor dos duetos durante a reposição hormonal, ocorreu um aumento progressivo no volume absoluto do estroma, sugerindo a síntese destes componentes durante o tratamento. Este resultado confirma as observações ultra-estruturais de fibroblastos e células musculares lisas com citoplasmas repletos de organelas envolvidas na síntese protéica (Cisternas dilatadas de reticulo endoplasmático rugoso e Complexo de Golgi). Na degradação dos componentes da matriz extracelular do estroma durante a castração certamente ocorre com a participação das metaloproteinases de matriz (MMPs) 2 e 9, as quais exibiram aumento de atividade gelatinolítica de suas forma latentes e principalmente de suas formas ativas. A MMP-9 apresentou maior atividade durante a fase fmal da involução glandular, enquanto a MMP-2 apresentou aumento de atividade tanto na involução, quanto na recuperação glandular. Esses resultados demonstram que hormônios androgênicos modulam a fisiologia da próstata, influenciando o conteúdo e a organização da matriz extracelular do estroma através das células musculares lisas e, principalmente, dos fibroblastos / Abstract:The ventral prostate (VP) and the seminal vesic1e (SV) are both androgen dependents, in which undergoe atrophy and regrowth processes afier androgen deprivation and reposition. In both events, it was observed alterations in the epithelium as well as in the stromal compartiments. The aspects related to the prostate epithelium induced by testosterone replacement in castrated rats are very well discribed, however the estromal modifications and matrix metalloproteinases (MMPs) activity are not, even not a comparative study of proliferative responsiveness between VP and SV to testosterone replacement. In this sense, the aim of this work was: a) to compare the responsiveness to androgen reposition of the VP and SV involuted; b) to describe the process of stromal reorganization of castrated ventral prostate submited to testosterone replacemnt; c) to analyse the gelatinolitic activity of MMP-2 and MMP-9 in the ventral prostate during castration and androngen reposition; For this, male adult Wistar rats (3 months-old) were divided into 3 experimental groups: control, castrated (testis excision), and castrated plus testosterone replacement. The animals from castrated group were sacrificed at 3,5, 7, 21, 24, 26, 28 and 31 days after castration, while those from testosterone replacement, afier 21 days of castration, started to receive daily doses of testosterone propionate (4mg/kg/day) and were sacrificed at 3, 5, 7 and 10 days afier testosterone replacement. Finally, the animals from control group were sacrificed at 3, 7, 21 and 31 days afier beginning the experimento The animals were killed and weighted. The VPs and SVs were weighted and processed for histochemistry, immunohistochemistry, morphometric-stereological, ultra-structural and zymography analyses. The results were analysed statistically. Castration induced the characteristic process of involution. This process was progressively reverted by the testosterone replacement. However, at the end of the treatment, the more responsiveness of SV was demonstrated. The SV from TESTO group overcome the control value, while the VP did not reach the control value. This difference between two glands was also observed in the proliferation index (PI) obtained by the immunoreaction for PCNA. The epithelial cells from involuted SV presented a PI value about 3 times higher than that from VP. In despite castration promote an increase in the stromal area, our results from stromal absolute volume showed a reduction in the estromal compartiment, with a probably degradation of extracellular matrix. Moreover, the condensed colagen, reticular and elastic fibers have been distended and dispersed during testosterone replacement. In fact occured a progressive increase in the stromal absolute volume, suggesting synthesis of this components. These results confnm the ultrastructural observations of fibroblasts and smooth musc1e cell with enlarged rough endoplamatic reticulum cistems and Golgi complex evident. In the degradation of extracellular matrix components from stroma during castration, certainly the participation of MMPs is present. MMP-2 and -9 exhibited increased gelatinolytic activity of latent and mainly of active forms. The MMP-9 presented higher activity during the late phase of glandular involution, while the MMP-2 presented increased activity in both castration and testosterone replacement processes. These results shown that androgen modulate the prostate physiology and influence the composition and organization of stromal extracellular matrix through smooth muscle cells and mainly fibroblasts / Mestrado / Biologia Celular / Mestre em Biologia Celular e Estrutural

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.unicamp.br:REPOSIP/317951
Date03 November 2005
CreatorsJustulin Junior, Luis Antonio
ContributorsUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS, Felisbino, Sérgio Luis, Pereira, Oduvaldo Camara Marques, Taboga, Sebastião Roberto, Carvalho, Hernandes Faustino de
Publisher[s.n.], Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Estrutural
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Format91f. : il., application/pdf
Sourcereponame:Repositório Institucional da Unicamp, instname:Universidade Estadual de Campinas, instacron:UNICAMP
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0019 seconds