Return to search

A política científica e tecnológica de Santa Catarina : análise a partir do modelo de coalizões de defesa

Made available in DSpace on 2016-12-01T19:18:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1
112865.pdf: 1622718 bytes, checksum: 933955037591ec8ef1f2bc95ec5704fd (MD5)
Previous issue date: 2013-04-30 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Este trabalho tem como objetivo analisar se a comunidade científica catarinense foi prevalente na formulação da Política Científica e Tecnológica Catarinense, no período de 1989 a 2009. Esta pesquisa adotou como objeto de análise a Política Científica e Tecnológica (PCT) do estado a partir da identificação de uma lacuna de estudos que abordem a temática a partir do recorte subnacional, e para realizar a analise adotou-se o modelo de coalizões de defesa (Advocacy Coalition Framework - ACF) de Sabatier e Jenkins-Smith (1993). A pesquisa adotou como fonte de dados e informações primários entrevistas realizadas com 10 atores chave do processo. Os atores entrevistados foram classificados de acordo com as quatro categorias: 1) comunidade científica; 2) burocratas; 3) designados politicamente e 4) empresários, que foram considerados os atores principais no processo da política científica e tecnológica catarinense. A análise a partir do modelo demandou o levantamento de informações para entender a conformação das coalizões, a identificação de conexões entre os atores, suas convicções, estratégias, recursos e constrangimentos. Esta pesquisa concluiu que a comunidade científica exerce um papel de destaque na formulação da política científica e tecnológica catarinense, sendo prevalente na formulação da PCT em todo o período analisado. Em relação aos empresários, políticos e burocratas, não se identificou uma atuação destacada e contínua destes atores. Entretanto, os designados politicamente, que na maioria das vezes são recrutados no seio da comunidade científica, exerceram papel importante na formulação e na reafirmação do sistema de convicções da comunidade científica. Em relação às principais trajetórias que ajudam a explicar as mudanças da PCT catarinense no período analisado, a trajetória ¿aprendizagem orientada pela política pública¿ destaca-se perante as demais. Em relação às principais características da PCT no período, conclui-se que a mesma era uma emulação das políticas nacionais vigentes no período, principalmente no que diz respeito às ações de fomento.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:tede.udesc.br #179.97.105.11:handle/102
Date30 April 2013
CreatorsSouza, Luiz Ricardo de
ContributorsSecchi, Leonardo
PublisherUniversidade do Estado de Santa Catarina, Mestrado em Administração - Profissionalizante, UDESC, BR, Administração
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Formatapplication/pdf
Sourcereponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UDESC, instname:Universidade do Estado de Santa Catarina, instacron:UDESC
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.005 seconds