Return to search

Instantes líricos de revelação : a narrativa poética em A paixão segundo G. H.

Orientador: Guacira Marcondes Machado Leite

Banca: Wilma Patrícia Marzari Dinardo Maas

Banca: Ana Maria Domingues de Oliveira

Resumo: A Modernidade foi palco da presença do "eu" do narrador realizada inicialmente pelo Romantismo e pelo Simbolismo. Ao contrário do realismo dos narradores do século XIX, a ficção moderna é caracterizada pelo emprego cada vez mais freqüente do foco narrativo em primeira pessoa. A narrativa A Paixão Segundo G.H., de Clarice Lispector enquadra-se perfeitamente nesta perspectiva. A crítica tem apontado esta obra como a narrativa que sintetiza os procedimentos enunciativos modernos e o trabalho artístico com a palavra. O procedimento de Clarice Lispector nesta obra ressalta a necessidade de se recorrer ao conceito de narrativa poética, uma vez que a autora funde a técnica da prosa e da poesia para relatar, em primeira pessoa, a viagem mítica da personagem G.H. pelo espaço labiríntico de seu apartamento. O poético apresenta-se em todos os níveis, desde a linguagem, marcada por um traço sumamente polissêmico, até as referências de tempo e espaço, na medida em que ganham a multiplicidade de sentidos. A narrativa gravita em torno dos passos que a personagem G.H. dá em seu apartamento, metáfora da peregrinação de ordem interior, a partir da decisão rotineira de arrumá-lo. No quarto da empregada, último cômodo de sua casa e primeiro a ser "arrumado", a personagem defronta-se com uma barata, ser que estabelece o ponto de partida para uma longa introspecção. Para demonstrar os momentos líricos de revelação tomados pela protagonista em seu apartamento, Clarice Lispector opta pela linguagem e estrutura poéticas, favorecendo, desta maneira, a análise e descrição da obra baseada na teoria da narrativa poética, postulada por Jean-Yves Tadié e Ralph Freedman.

Abstract: The modernity was stage for the presence of the "I" from the narrator, already played before by Romanticism and Symbolism. Different of the narrators' realism from the XIX century, the modern fiction is characterized by the use always more often of the narrative focus in the first person. The narrative The passion according to G.H., by Clarice Lispector, makes part perfectly of this perspective. The criticism has pointed this act as the narrative which synthesizes the modern enunciative procedures and the artistic work with the word. Clarice Lispector's procedure in this act highlights the necessity of refer to the lyrical novel concept, once the narrator mixes techniques from prose and poetry to show, in the first person, the mythic trip of the character G.H. around the labyrinthine space of its apartment. The poetical presents in all the levels, since the language marked by a line a little polysemic, until to the references of time and space as they get multiplicity of sense. The narrative gravitates beyond the steps that the character G.H. gives in its apartment, metaphor of peregrination of low order from the daily decision in setting it. Gets surprised in the maid's room, the last room of its house and the first that gets cleaned up, the character faces a cockroach, which sets a starting point for a long introspection. Joining the lyrics moments of revelation gotten by the protagonist in its apartment, Clarice Lispector chooses the language and the poetic structures, promoting in this way, the analyze and description of the work based in the theory of the lyrical novel, postulated by Jean-Yves Tadié and Ralph Freedman.

Mestre

Identiferoai:union.ndltd.org:UNESP/oai:www.athena.biblioteca.unesp.br:UEP01-000491714
Date2007
CreatorsAlonso, Mariângela.
ContributorsUniversidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara).
PublisherAraraquara : [s.n.]
Source SetsSao Paulo State University, Sao Paulo - Brazil.
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
Typetext
Format108 f.
Coveragex0x9
RelationSistema requerido: Adobe Acrobat Reader

Page generated in 0.0026 seconds