Return to search

Padrões de estocagem de esperma e variações cíclicas ovidutais em serpentes Xenodontinae / Sperm storage patterns and oviductal cyclical variation in Xenodontinae snakes

Os padrões de estocagem de esperma e as variações morfológicas cíclicas do trato reprodutivo feminino constituem táticas reprodutivas muito pouco estudadas em serpentes neotropicais, se comparadas às serpentes de regiões temperadas. Assim, o presente estudo teve por objetivo caracterizar e compreender as estratégias reprodutivas empregadas por fêmeas de quatro espécies de serpentes brasileiras da subfamília Xenodontinae. Amostras de gônadas e vias genitais foram coletadas em diferentes estações do ano e relacionadas aos estágios reprodutivos da fêmea. Os resultados indicaram que as serpentes estudadas possuem dois locais de estocagem de esperma distribuídos no infundíbulo posterior e na junção útero-vaginal. Liophis miliaris, Oxyrhopus guibei e Philodryas patagoniensis apresentaram estocagem por meio de glândulas túbulo-alveolares ramificadas e glândulas tubulares ciliadas no infundíbulo posterior. Das quatro espécies estudadas, apenas Tomodon dorsatus e P. patagoniensis apresentaram grupos de espermatozóides armazenados nos sulcos da junção útero-vaginal. No entanto, unicamente P. patagoniensis parece ter a capacidade de produzir várias ninhadas com esperma estocado proveniente dessa região. Em ambos os locais de estocagem as células secretoras aumentaram a produção de carboidratos neutros na presença de esperma, o que sugere um processo de nutrição. Em fêmeas vitelogênicas o aumento da atividade secretora do epitélio ovidutal com produção de vacúolos eletrodensos parece estar sobre controle hormonal. Durante o ciclo reprodutivo as glândulas uterinas de espécies ovíparas e vivíparas também mostraram um aumento da secreção em fêmeas vitelogênicas. No entanto, as glândulas uterinas das espécies ovíparas apresentaram uma maior atividade do retículo endoplasmático rugoso, o que indicou produção de proteínas para formação da membrana da casca. O ciclo reprodutivo e a época de acasalamento variaram entre as populações das diferentes espécies. Em L. miliaris, O. guibei e P. patagoniensis essas variações estiveram ligadas a mudanças na temperatura e pluviosidade, já T. dorsatus não apresentou variações no ciclo reprodutivo, provavelmente influenciada pela inércia filogenética. / Sperm storage patterns and cyclic morphological variations in the female reproductive tract are poorly studied reproductive tactics in Neotropical snakes if a comparison to snakes from temperate regions is established. Therefore, the aim of this study is to characterize and understand the female reproductive strategies of four species of Xenodontinae snakes from Brazil. Samples of the gonads and genital ducts were collected during the different seasons of the year and a correlation with female reproductive stages was established. Results show that these snakes have two sperm storage sites in the posterior infundibulum and uterovaginal junction. Liophis miliaris, Oxyrhopus guibei and Philodryas patagoniensis store sperm by means of branched tubuloalveolar glands and tubular ciliated glands in the posterior infundibulum. Only Tomodon dorsatus and P. patagoniensis showed sperm stored in the furrows of the uterovaginal junction. Anyway, only P. patagoniensis seems to be capable of producing multiple clutches using sperm stored in this portion. Secretory cells increased the production of neutral carbohydrates in the presence of sperm in both sperm storage sites, which suggests the existence of a nutrition process. In vitellogenic females, the increase of the secretory activity in the oviductal epithelium with production of eletrodense vacuoles seems to be under hormonal control. During the reproductive cycle, uterine glands of oviparous and viviparous species also showed an increase in secretion in vitellogenic females. However, uterine glands of oviparous species showed more intense activity of the rough endoplasmic reticulum, which indicates the production of proteins for the formation of the egg shell. Reproductive cycles and timing of mating varied between different populations. In L. miliaris, O. guibei and P. patagoniensis, these variations were linked to the changes in temperature and rainfall patterns, but T. dorsatus did not show any variation in the reproductive cycles between populations, probably influenced by phylogenetic inertia.

Identiferoai:union.ndltd.org:usp.br/oai:teses.usp.br:tde-10122013-112759
Date15 August 2013
CreatorsRojas, Claudio Augusto
ContributorsSantos, Selma Maria de Almeida
PublisherBiblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Source SetsUniversidade de São Paulo
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
TypeTese de Doutorado
Formatapplication/pdf
RightsLiberar o conteúdo para acesso público.

Page generated in 0.0301 seconds