Return to search

Análise do processo de formação de estratégias internacionais da fruticultura brasileira : o caso do Grupo Fruitfort

Made available in DSpace on 2014-06-12T15:05:29Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1152_1.pdf: 1305829 bytes, checksum: 8fbe9fe82fee0cc737d01ba44b7c750d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007

Faculdade de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco

A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar as características do processo de formação de estratégias internacionais do Grupo Fruitfort, no período de 1982 a 2006, sob a ótica das teorias de Uppsala, dos Determinantes da Vantagem Competitiva Nacional e da Resource-Based View of the firm (RBV). Descrevem-se as estratégias internacionais adotadas pela empresa ao longo do tempo e analisa-se sua convergência com os conceitos apregoados pelos modelos teóricos. Seguindo a orientação de Pettigrew (1987) quanto às dimensões de conteúdo, contexto e processo das mudanças, o aporte teórico foi constituído de questões relacionadas à estratégia competitiva, ao processo de formação de estratégias, às estratégias internacionais e aos modelos de internacionalização, com foco naqueles supracitados. A pesquisa caracteriza-se como qualitativa, do tipo exploratória e analítica, de cunho retrospectivo. A estratégia adotada é a de estudo de caso e a unidade de análise constituída pelo Grupo Fruitfort. A amostra é composta por 15 (quinze) respondentes, sendo 4 (quatro) de instituições correlatas à fruticultura do semi-árido e 11 (onze) executivos responsáveis pela administração estratégica da referida empresa. O principal método de coleta de dados é a realização de entrevistas semi-estruturadas com esses sujeitos, complementadas com a pesquisa documental e a observação não-participante, na perspectiva da triangulação dos dados. A análise e discussão dos resultados compreende a descrição e a interpretação do fenômeno investigado, sob diferentes perspectivas. Primeiramente, ocorre a contextualização histórica da exportação de frutas no pólo Petrolina PE e Juazeiro BA e sua influência nas atividades do Grupo Fruitfort. Destacam-se os projetos de irrigação promovidos pela CODEVASF como cruciais para o início e continuidade das operações do Grupo. Em seguida, são identificados os eventos marcantes que constituíram quatro fases na trajetória da empresa ao longo do período delineado para esta pesquisa. Evidenciam-se indícios da associação concomitante entre os modelos de internacionalização, a partir do momento em que nenhum isoladamente foi capaz de explicar como o processo de formação de estratégias internacionais foi desenvolvido na empresa. Tais estratégias foram orientadas pela perspectiva deliberadamente emergente e seus momentos de mudança imbuídos do caráter evolucionista e gradual. Constata-se que as dimensões mais relevantes dentre aquelas apregoadas pela Escola de Uppsala foram a aprendizagem, as networks pessoais e o gradualismo. Os vértices condições dos fatores, indústrias correlatas e rivalidade entre as empresas foram decisivos para que o Grupo Fruitfort apresentasse padrões de estratégia bem sucedidos. A liderança empreendedora, associada à cultura organizacional, apresenta-se como o seu recurso competitivo de maior expressão. Assume-se, portanto, que o processo investigado enquadrase nas três abordagens teóricas tidas como base para a análise, variando apenas o grau de convergência dos seus conceitos principais

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.ufpe.br:123456789/791
Date2007
CreatorsRenata Bezerra de oliveira, Brigitte
ContributorsFernando Araújo de Moraes, Walter
PublisherUniversidade Federal de Pernambuco
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFPE, instname:Universidade Federal de Pernambuco, instacron:UFPE
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0029 seconds