• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 21
  • Tagged with
  • 21
  • 21
  • 21
  • 9
  • 9
  • 9
  • 9
  • 9
  • 9
  • 9
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estabilização das escórias de aciaria elétrica com vistas a sua utilização como substituição ao cimento

Masuero, Angela Borges January 2001 (has links)
A reciclagem de resíduos tem sido considerada uma alternativa bastante adeqüada na busca da conservação ambiental e do desenvolvimento sustentável. Isto porque, entre outros benefícios, tem-se a substituição de matérias-primas não renováveis, possibilidade de diminuição do elevado consumo energético e do dióxido de carbono gerado na fabricação de materiais tradicionais. Escórias de aciaria elétrica são resíduos da fabricação do aço geradas em grande quantidade e que, na sua maioria, são dispostas em áreas abertas sem um destino final. A pavimentação de rodovias é um dos poucos usos dado a esta escória, isto porque a mesma apresenta um caráter expansivo, que pode vir a comprometer a durabilidade dos materiais que a incorporar. Este trabalho tem como objetivo propor um método para a estabilização quanto à expansibilidade das escórias de aciaria elétrica e estudar o desempenho mecânico e de durabilidade desta escória tratada em argamassas O método de estabilização proposto foi o de resfriamento brusco, o qual proporcionou a transformação da estrutura cristalina da escória para amorfa, que em conjunto com a sua composição química, favoreceu o aparecimento de propriedades hidráulicas. Foram estudadas argamassas de traços 1: 1 ,5, 1 :3,0 e 1: 4,5 com substituição de O, 1 O, 30, 50 % de cimento por escória de aciaria resfriada bruscamente (ACIGRAN). Do ponto de vista de resistência à compressão, o desempenho apresentado pelas argamassas com a ACIGRAN foi o mesmo que as sem, independente do teor utilizado. Quanto aos aspectos de durabilidade, as escórias foram avaliadas nos mesmos traços e teores de ACIGRAN descritos acima , do ponto de vista de absorção de água, resistência ao ataque de íons cloretos, carbonatação e resistência ao ataque por sulfato. Com exceção da carbonatação, a incorporação da escória ACIGRAN apresentou desempenho igual ou superior quando comparada a argamassas sem escória, sendo que o teor ótimo variou de acordo com a propriedade analisada. / Electric steel slag is a residue generated in large amount during steel production process, being dumped in open areas without a productive use. The expansive characteristics of the slag can be dangerous to any material that uses it as an admixture, and it use is almost restricted to non confined pavement bases in roads. This work proposes a method for expansion stabilization of electric steel slag and studies the mechanical and durability performance of the resulting slag in mortars. The stabilization method proposed is the fast cooling of the slag when it is carried out from the electric are furnace, transforming its crystalline structure into amorphous, which, together with its chemical composition, lead to hydraulic properties. The mortar proportions studied were 1 :1,5, 1:3,0 and 1:4,5 with substitution of O, 10, 30 and 50% of cement for fast cooled electric steel slag (ACIGRAN). The compression test results of these mortars were identical to that of specimens without ACIGRAN admixtures. Except for carbonation test, ali other durability tests (water absorption, chloride ions attack, sulfur attack) presented the same or better results when compared to specimens without slag.
2

Avaliação do teor de cal livre em escória de aciaria elétrica

Graffitti, Daniela Fernandes January 2002 (has links)
A escória de aciaria elétrica é um resíduo gerado no processo de fabricação de aço, que apresenta propriedades físicas adequadas quando aplicada em alguns materiais da área de construção civil. Entretanto, possui algumas limitações causadas pela presença de compostos que sofrem reações expansivas quando exposta ao ambiente (óxidos de cálcio e magnésio livres, óxidos de ferro e silicatos de cálcio), provocando rupturas e desintegração dos materiais onde é aplicada. Além disso, quando usada como base e sub-base na construção de estradas, pode ocorrer a formação de tufa (calcário precipitado) causando entupimento de drenos das rodovias. O presente trabalho tem como objetivo avaliar o teor de cal livre em escória de aciaria elétrica utilizando a combinação de um método titulométrico com análise térmica, pois é um dos compostos mais citados pela literatura como responsável pela expansão da escória. Dois métodos titulométricos foram selecionados para determinar o teor de cal livre, onde o primeiro foi desenvolvido para análise em cimento (Método do etilenoglicol) e o segundo foi adaptado para escória de aço (Método de Franke) Os resultados mostraram que o método de Franke, extraído da norma européia EN 1744:1998, foi o mais adequado para determinar cal livre em escórias de aciaria elétrica. A quantidade de cal livre encontrada não permitiu avaliar sua variação ao longo do tempo de exposição, somente considerando os métodos titulométricos. Entretanto, utilizando o método de análise térmica, observou-se um decréscimo no número de reações do primeiro mês de exposição com relação aos meses seguintes, sugerindo uma estabilização das escórias ao longo do tempo. Também, os resultados para cal original (em torno de 1%) sugerem uma potencialidade de formação de tufa. Finalmente, esse estudo mostrou que é fundamental a associação dos métodos titulométrico e de análise térmica para uma adequada avaliação de cal livre em escórias de aciaria elétrica.
3

Estabilização das escórias de aciaria elétrica com vistas a sua utilização como substituição ao cimento

Masuero, Angela Borges January 2001 (has links)
A reciclagem de resíduos tem sido considerada uma alternativa bastante adeqüada na busca da conservação ambiental e do desenvolvimento sustentável. Isto porque, entre outros benefícios, tem-se a substituição de matérias-primas não renováveis, possibilidade de diminuição do elevado consumo energético e do dióxido de carbono gerado na fabricação de materiais tradicionais. Escórias de aciaria elétrica são resíduos da fabricação do aço geradas em grande quantidade e que, na sua maioria, são dispostas em áreas abertas sem um destino final. A pavimentação de rodovias é um dos poucos usos dado a esta escória, isto porque a mesma apresenta um caráter expansivo, que pode vir a comprometer a durabilidade dos materiais que a incorporar. Este trabalho tem como objetivo propor um método para a estabilização quanto à expansibilidade das escórias de aciaria elétrica e estudar o desempenho mecânico e de durabilidade desta escória tratada em argamassas O método de estabilização proposto foi o de resfriamento brusco, o qual proporcionou a transformação da estrutura cristalina da escória para amorfa, que em conjunto com a sua composição química, favoreceu o aparecimento de propriedades hidráulicas. Foram estudadas argamassas de traços 1: 1 ,5, 1 :3,0 e 1: 4,5 com substituição de O, 1 O, 30, 50 % de cimento por escória de aciaria resfriada bruscamente (ACIGRAN). Do ponto de vista de resistência à compressão, o desempenho apresentado pelas argamassas com a ACIGRAN foi o mesmo que as sem, independente do teor utilizado. Quanto aos aspectos de durabilidade, as escórias foram avaliadas nos mesmos traços e teores de ACIGRAN descritos acima , do ponto de vista de absorção de água, resistência ao ataque de íons cloretos, carbonatação e resistência ao ataque por sulfato. Com exceção da carbonatação, a incorporação da escória ACIGRAN apresentou desempenho igual ou superior quando comparada a argamassas sem escória, sendo que o teor ótimo variou de acordo com a propriedade analisada. / Electric steel slag is a residue generated in large amount during steel production process, being dumped in open areas without a productive use. The expansive characteristics of the slag can be dangerous to any material that uses it as an admixture, and it use is almost restricted to non confined pavement bases in roads. This work proposes a method for expansion stabilization of electric steel slag and studies the mechanical and durability performance of the resulting slag in mortars. The stabilization method proposed is the fast cooling of the slag when it is carried out from the electric are furnace, transforming its crystalline structure into amorphous, which, together with its chemical composition, lead to hydraulic properties. The mortar proportions studied were 1 :1,5, 1:3,0 and 1:4,5 with substitution of O, 10, 30 and 50% of cement for fast cooled electric steel slag (ACIGRAN). The compression test results of these mortars were identical to that of specimens without ACIGRAN admixtures. Except for carbonation test, ali other durability tests (water absorption, chloride ions attack, sulfur attack) presented the same or better results when compared to specimens without slag.
4

Avaliação do teor de cal livre em escória de aciaria elétrica

Graffitti, Daniela Fernandes January 2002 (has links)
A escória de aciaria elétrica é um resíduo gerado no processo de fabricação de aço, que apresenta propriedades físicas adequadas quando aplicada em alguns materiais da área de construção civil. Entretanto, possui algumas limitações causadas pela presença de compostos que sofrem reações expansivas quando exposta ao ambiente (óxidos de cálcio e magnésio livres, óxidos de ferro e silicatos de cálcio), provocando rupturas e desintegração dos materiais onde é aplicada. Além disso, quando usada como base e sub-base na construção de estradas, pode ocorrer a formação de tufa (calcário precipitado) causando entupimento de drenos das rodovias. O presente trabalho tem como objetivo avaliar o teor de cal livre em escória de aciaria elétrica utilizando a combinação de um método titulométrico com análise térmica, pois é um dos compostos mais citados pela literatura como responsável pela expansão da escória. Dois métodos titulométricos foram selecionados para determinar o teor de cal livre, onde o primeiro foi desenvolvido para análise em cimento (Método do etilenoglicol) e o segundo foi adaptado para escória de aço (Método de Franke) Os resultados mostraram que o método de Franke, extraído da norma européia EN 1744:1998, foi o mais adequado para determinar cal livre em escórias de aciaria elétrica. A quantidade de cal livre encontrada não permitiu avaliar sua variação ao longo do tempo de exposição, somente considerando os métodos titulométricos. Entretanto, utilizando o método de análise térmica, observou-se um decréscimo no número de reações do primeiro mês de exposição com relação aos meses seguintes, sugerindo uma estabilização das escórias ao longo do tempo. Também, os resultados para cal original (em torno de 1%) sugerem uma potencialidade de formação de tufa. Finalmente, esse estudo mostrou que é fundamental a associação dos métodos titulométrico e de análise térmica para uma adequada avaliação de cal livre em escórias de aciaria elétrica.
5

Estabilização das escórias de aciaria elétrica com vistas a sua utilização como substituição ao cimento

Masuero, Angela Borges January 2001 (has links)
A reciclagem de resíduos tem sido considerada uma alternativa bastante adeqüada na busca da conservação ambiental e do desenvolvimento sustentável. Isto porque, entre outros benefícios, tem-se a substituição de matérias-primas não renováveis, possibilidade de diminuição do elevado consumo energético e do dióxido de carbono gerado na fabricação de materiais tradicionais. Escórias de aciaria elétrica são resíduos da fabricação do aço geradas em grande quantidade e que, na sua maioria, são dispostas em áreas abertas sem um destino final. A pavimentação de rodovias é um dos poucos usos dado a esta escória, isto porque a mesma apresenta um caráter expansivo, que pode vir a comprometer a durabilidade dos materiais que a incorporar. Este trabalho tem como objetivo propor um método para a estabilização quanto à expansibilidade das escórias de aciaria elétrica e estudar o desempenho mecânico e de durabilidade desta escória tratada em argamassas O método de estabilização proposto foi o de resfriamento brusco, o qual proporcionou a transformação da estrutura cristalina da escória para amorfa, que em conjunto com a sua composição química, favoreceu o aparecimento de propriedades hidráulicas. Foram estudadas argamassas de traços 1: 1 ,5, 1 :3,0 e 1: 4,5 com substituição de O, 1 O, 30, 50 % de cimento por escória de aciaria resfriada bruscamente (ACIGRAN). Do ponto de vista de resistência à compressão, o desempenho apresentado pelas argamassas com a ACIGRAN foi o mesmo que as sem, independente do teor utilizado. Quanto aos aspectos de durabilidade, as escórias foram avaliadas nos mesmos traços e teores de ACIGRAN descritos acima , do ponto de vista de absorção de água, resistência ao ataque de íons cloretos, carbonatação e resistência ao ataque por sulfato. Com exceção da carbonatação, a incorporação da escória ACIGRAN apresentou desempenho igual ou superior quando comparada a argamassas sem escória, sendo que o teor ótimo variou de acordo com a propriedade analisada. / Electric steel slag is a residue generated in large amount during steel production process, being dumped in open areas without a productive use. The expansive characteristics of the slag can be dangerous to any material that uses it as an admixture, and it use is almost restricted to non confined pavement bases in roads. This work proposes a method for expansion stabilization of electric steel slag and studies the mechanical and durability performance of the resulting slag in mortars. The stabilization method proposed is the fast cooling of the slag when it is carried out from the electric are furnace, transforming its crystalline structure into amorphous, which, together with its chemical composition, lead to hydraulic properties. The mortar proportions studied were 1 :1,5, 1:3,0 and 1:4,5 with substitution of O, 10, 30 and 50% of cement for fast cooled electric steel slag (ACIGRAN). The compression test results of these mortars were identical to that of specimens without ACIGRAN admixtures. Except for carbonation test, ali other durability tests (water absorption, chloride ions attack, sulfur attack) presented the same or better results when compared to specimens without slag.
6

Avaliação do teor de cal livre em escória de aciaria elétrica

Graffitti, Daniela Fernandes January 2002 (has links)
A escória de aciaria elétrica é um resíduo gerado no processo de fabricação de aço, que apresenta propriedades físicas adequadas quando aplicada em alguns materiais da área de construção civil. Entretanto, possui algumas limitações causadas pela presença de compostos que sofrem reações expansivas quando exposta ao ambiente (óxidos de cálcio e magnésio livres, óxidos de ferro e silicatos de cálcio), provocando rupturas e desintegração dos materiais onde é aplicada. Além disso, quando usada como base e sub-base na construção de estradas, pode ocorrer a formação de tufa (calcário precipitado) causando entupimento de drenos das rodovias. O presente trabalho tem como objetivo avaliar o teor de cal livre em escória de aciaria elétrica utilizando a combinação de um método titulométrico com análise térmica, pois é um dos compostos mais citados pela literatura como responsável pela expansão da escória. Dois métodos titulométricos foram selecionados para determinar o teor de cal livre, onde o primeiro foi desenvolvido para análise em cimento (Método do etilenoglicol) e o segundo foi adaptado para escória de aço (Método de Franke) Os resultados mostraram que o método de Franke, extraído da norma européia EN 1744:1998, foi o mais adequado para determinar cal livre em escórias de aciaria elétrica. A quantidade de cal livre encontrada não permitiu avaliar sua variação ao longo do tempo de exposição, somente considerando os métodos titulométricos. Entretanto, utilizando o método de análise térmica, observou-se um decréscimo no número de reações do primeiro mês de exposição com relação aos meses seguintes, sugerindo uma estabilização das escórias ao longo do tempo. Também, os resultados para cal original (em torno de 1%) sugerem uma potencialidade de formação de tufa. Finalmente, esse estudo mostrou que é fundamental a associação dos métodos titulométrico e de análise térmica para uma adequada avaliação de cal livre em escórias de aciaria elétrica.
7

Estudo da viabilidade técnica da utilização de escória de aciaria elétrica micronizada como material cimentício

Polisseni, Antonio Eduardo January 2005 (has links)
A compatibilização do desenvolvimento tecnológico com desenvolvimento sustentável é um dos desafios para o meio técnico-científico nos dias atuais. Dentro deste contexto, a reciclagem de resíduos, tal como a escória de aciaria elétrica, oriunda da indústria siderúrgica e que poderá ser reciclada pela indústria cimenteira, é vista como uma oportunidade de preservação de recursos naturais e do meio ambiente, uma vez que ao substituir o cimento Portland por escória micronizada, ocorrerá, principalmente, a economia de jazidas de pedra calcária, menos poluição de gás carbônico para a atmosfera, além de se evitar a estocagem em bota-foras de pilhas de escória na siderúrgica, o que pode causar, em função de um inadequado manejo ambiental, contaminação ao meio ambiente. Porém, um dos desafios tecnológicos da utilização da escória de aciaria elétrica como material cimentício é a sua expansibilidade. Esta pesquisa tem como objetivo estudar a viabilidade técnica da utilização da escória de aciaria elétrica micronizada como material cimentício, obtido através do processo de moagem por micronização, visando garantir a estabilização da escória em relação ao fenômeno de expansão, bem como melhorias nas características do resíduo Principalmente através dos ensaios de granulometria a laser e de avaliação de expansão, ficou evidenciado que a moagem da escória de aciaria elétrica pelo processo de micronização garantiu a sua estabilidade. Foram estudadas argamassas de traços 1 : 1,5, 1 : 3,0 e 1 : 4,5 com substituição de 0%, 10% e 34% de cimento Portland por escória de aciaria elétrica micronizada. Em relação à resistência mecânica à compressão, o desempenho apresentado pelas argamassas que utilizaram a escória de aciaria elétrica micronizada foram inferiores às argamassas de referência, porém os resultados encontrados nos ensaios são satisfatórios para atender às exigências de um cimento Portland Em relação aos aspectos de durabilidade, foram avaliados o desempenho em relação à absorção de água e à penetração de íons cloretos. Para a propriedade de absorção de água, a substituição nos mesmos traços de argamassas e teores de escória de aciaria elétrica micronizada mencionadas anteriormente, os resultados obtidos apresentaram desempenho superior às argamassas de referência. Do ponto de vista de penetração íons cloretos (ASTM C 1202, 1997), verifica-se que para os traços mais pobres (1 : 3,0 e 1 : 4,5) e que requerem respectivamente maiores relações água/aglomerantes, a adição de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS nos teores de 10% e 34%, respectivamente, é o principal fator que contribui para o aumento da carga passante das argamassas e consequentemente a redução da capacidade de resistir à penetração de íons cloretos. Já para o traço mais rico (1 : 1,5) que requer menor relação água/aglomerante, a adição de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, no teor de 10%, é o principal fator que contribuiu para a diminuição da carga passante, em relação à argamassa referência, consequentemente aumentando a capacidade da argamassa de resistir à penetração de íons cloretos. Para o teor de substituição de 34% de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, houve aumento da carga passante de 16,72% em relação à argamassa referência. De acordo com os critérios da ASTM C 1202, a substituição de 10% e 34% de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, classificou o traço 1 : 1,5 e os traços 1 : 3,0 e 1 : 4,5, respectivamente, como sendo de moderada e de elevada penetração de íons cloretos.
8

Caracterização para o beneficiamento gravimétrico de escória de aço inoxidável com a utilização de concentrador Mozley laboratorial

Silva, Fabrício Gehrke da January 2004 (has links)
A formação de escória representa uma das maiores fontes de geração de resíduos na produção de aços inoxidáveis. Ao contrário da escória oriunda de alto-forno, as quais são amplamente estudadas e reutilizadas, a escória de aço inoxidável oriunda do processo FEA (forno elétrico a arco) é objeto de poucos estudos visando a recuperação dos materiais de valor presentes neste resíduo. Este resíduo é normalmente disposto, em grandes áreas, sem tratamento prévio. Esta prática pode representar um perigo à saúde humana devido aos materiais constituintes da escória, como metais tóxicos como, por exemplo, o cromo. Apesar disto, poucas tentativas de eliminar estes contaminantes têm sido feitas. Porém, é possível tratar este resíduo de forma a extrair os metais de valor agregado, como no caso do cromo. Sob um aspecto econômico, processos gravimétricos podem ser aplicáveis a estes tipos de resíduos. Sendo este o objetivo deste trabalho, é mostrado que, com a utilização de um separador mineral laboratorial Mozley, foi possível obter um concentrado contendo cromo, o qual pode ser tratado adequadamente para ser reutilizado, por exemplo, no processo de fabricação de aço.
9

Estudo da viabilidade técnica da utilização de escória de aciaria elétrica micronizada como material cimentício

Polisseni, Antonio Eduardo January 2005 (has links)
A compatibilização do desenvolvimento tecnológico com desenvolvimento sustentável é um dos desafios para o meio técnico-científico nos dias atuais. Dentro deste contexto, a reciclagem de resíduos, tal como a escória de aciaria elétrica, oriunda da indústria siderúrgica e que poderá ser reciclada pela indústria cimenteira, é vista como uma oportunidade de preservação de recursos naturais e do meio ambiente, uma vez que ao substituir o cimento Portland por escória micronizada, ocorrerá, principalmente, a economia de jazidas de pedra calcária, menos poluição de gás carbônico para a atmosfera, além de se evitar a estocagem em bota-foras de pilhas de escória na siderúrgica, o que pode causar, em função de um inadequado manejo ambiental, contaminação ao meio ambiente. Porém, um dos desafios tecnológicos da utilização da escória de aciaria elétrica como material cimentício é a sua expansibilidade. Esta pesquisa tem como objetivo estudar a viabilidade técnica da utilização da escória de aciaria elétrica micronizada como material cimentício, obtido através do processo de moagem por micronização, visando garantir a estabilização da escória em relação ao fenômeno de expansão, bem como melhorias nas características do resíduo Principalmente através dos ensaios de granulometria a laser e de avaliação de expansão, ficou evidenciado que a moagem da escória de aciaria elétrica pelo processo de micronização garantiu a sua estabilidade. Foram estudadas argamassas de traços 1 : 1,5, 1 : 3,0 e 1 : 4,5 com substituição de 0%, 10% e 34% de cimento Portland por escória de aciaria elétrica micronizada. Em relação à resistência mecânica à compressão, o desempenho apresentado pelas argamassas que utilizaram a escória de aciaria elétrica micronizada foram inferiores às argamassas de referência, porém os resultados encontrados nos ensaios são satisfatórios para atender às exigências de um cimento Portland Em relação aos aspectos de durabilidade, foram avaliados o desempenho em relação à absorção de água e à penetração de íons cloretos. Para a propriedade de absorção de água, a substituição nos mesmos traços de argamassas e teores de escória de aciaria elétrica micronizada mencionadas anteriormente, os resultados obtidos apresentaram desempenho superior às argamassas de referência. Do ponto de vista de penetração íons cloretos (ASTM C 1202, 1997), verifica-se que para os traços mais pobres (1 : 3,0 e 1 : 4,5) e que requerem respectivamente maiores relações água/aglomerantes, a adição de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS nos teores de 10% e 34%, respectivamente, é o principal fator que contribui para o aumento da carga passante das argamassas e consequentemente a redução da capacidade de resistir à penetração de íons cloretos. Já para o traço mais rico (1 : 1,5) que requer menor relação água/aglomerante, a adição de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, no teor de 10%, é o principal fator que contribuiu para a diminuição da carga passante, em relação à argamassa referência, consequentemente aumentando a capacidade da argamassa de resistir à penetração de íons cloretos. Para o teor de substituição de 34% de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, houve aumento da carga passante de 16,72% em relação à argamassa referência. De acordo com os critérios da ASTM C 1202, a substituição de 10% e 34% de escória de aciaria elétrica micronizada ao CPV ARI RS, classificou o traço 1 : 1,5 e os traços 1 : 3,0 e 1 : 4,5, respectivamente, como sendo de moderada e de elevada penetração de íons cloretos.
10

Caracterização para o beneficiamento gravimétrico de escória de aço inoxidável com a utilização de concentrador Mozley laboratorial

Silva, Fabrício Gehrke da January 2004 (has links)
A formação de escória representa uma das maiores fontes de geração de resíduos na produção de aços inoxidáveis. Ao contrário da escória oriunda de alto-forno, as quais são amplamente estudadas e reutilizadas, a escória de aço inoxidável oriunda do processo FEA (forno elétrico a arco) é objeto de poucos estudos visando a recuperação dos materiais de valor presentes neste resíduo. Este resíduo é normalmente disposto, em grandes áreas, sem tratamento prévio. Esta prática pode representar um perigo à saúde humana devido aos materiais constituintes da escória, como metais tóxicos como, por exemplo, o cromo. Apesar disto, poucas tentativas de eliminar estes contaminantes têm sido feitas. Porém, é possível tratar este resíduo de forma a extrair os metais de valor agregado, como no caso do cromo. Sob um aspecto econômico, processos gravimétricos podem ser aplicáveis a estes tipos de resíduos. Sendo este o objetivo deste trabalho, é mostrado que, com a utilização de um separador mineral laboratorial Mozley, foi possível obter um concentrado contendo cromo, o qual pode ser tratado adequadamente para ser reutilizado, por exemplo, no processo de fabricação de aço.

Page generated in 0.1106 seconds