• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 665
  • 120
  • 62
  • 38
  • 12
  • 12
  • 12
  • 11
  • 9
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 891
  • 243
  • 238
  • 232
  • 225
  • 217
  • 207
  • 206
  • 180
  • 130
  • 130
  • 110
  • 103
  • 99
  • 94
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Pré-seleção de sítios astronômicos por imagens de satélites meteorológicos

Mallmith, Décio de Moura January 2004 (has links)
A Astronomia, como origem e, talvez, como fim de todas as Ciências, sempre esteve voltada à observação dos astros e à busca de novas técnicas e instrumentos que permitissem ampliar os limites e a qualidade destas observações. Dessa busca resultou o desenvolvimento do telescópio óptico, em 1608, por Galileu Galilei. Com o passar dos anos, esse instrumento foi sofrendo incontáveis aperfeiçoamentos, chegando aos nossos dias como um aparelho preciso e de sofisticada tecnologia. Apesar das fronteiras observacionais terem avançado para além do espectro visível, o telescópio óptico ainda é indispensável à Astronomia. O Brasil, embora não apresente condições meteorológicas ideais para observações astronômicas, possui observatórios ópticos de razoável qualidade, como o Laboratório Nacional de Astrofísica, LNA, em Minas Gerais, entre outros. Em seu extremo sul, no entanto, o País carece de bons instrumentos ópticos, destacando-se unicamente o telescópio da UFRGS instalado no Observatório do Morro Santana, em Porto Alegre. O aumento da iluminação artificial na Região Metropolitana de Porto Alegre e, conseqüentemente, da claridade do céu noturno tem praticamente inviabilizado a operação do Observatório. Assim, a escolha de novos locais para a futura instalação de telescópios ópticos no Estado é imprescindível. Acrescenta-se a isto o fato do ciclo climático desta região diferenciarse daquele das demais regiões do País, fato relevante, dado que um dos fatores determinantes na escolha de novos sítios para telescópios ópticos é a taxa de nebulosidade. Levantamentos in situ de nebulosidade são longos e custosos. Como alternativa, neste trabalho foi realizado um estudo estatístico do Estado, a partir da montagem de um banco de 472 imagens noturnas dos satélites GOES e MeteoSat. A combinação das imagens, por processo de superposição e cálculo de valores médios de contagens (brilho), à escala de pixel, forneceu informações em nível de préseleção, ou indicativo, de locais com altas taxas de noites claras. Foram cobertos os períodos de 1994-1995 e 1998-1999, com focalização nas áreas em torno de Bom Jesus, Vacaria e Caçapava do Sul. Como controle, foi também monitorada a área em torno do LNA em Minas Gerais. Ademais da demonstração metodológica, os dados orbitais indicaram que, na média destes anos, estas áreas são adequadas à instalação de observatórios astronômicos, pela conjugação dos fatores de nebulosidade e altitude.
2

Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha / Budburst prediction models to the grapevine in the gaúcha mountain range

Felippeto, João January 2008 (has links)
As fruteiras de clima temperado caracterizam-se pela queda de folhas em conseqüência da redução das suas atividades metabólicas em resposta aos efeitos climáticos da entrada no inverno, entrando em dormência no final do ciclo. Para iniciarem um novo ciclo vegetativo na primavera, é necessária a sua exposição a um período frio, para a superação da endodormência. Nos anos em que isto não ocorre é necessário o emprego de tratamentos químicos, os quais são tóxicos (Classe I). Portanto, o desenvolvimento de tecnologias que subsidiem o conhecimento antecipado dos eventos fenológicos, como é o caso dos modelos agrometeorológicos, podem dar suporte ao planejamento agrícola e à gestão dos recursos da propriedade. O objetivo deste trabalho foi o estudo de diferentes modelos matemáticos, para caracterizar as disponibilidades térmicas no período hibernal e prever a data inicial da brotação de duas cultivares de videira Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon e Chardonnay) e de uma cultivar Vitis labrusca (Concord). O trabalho foi realizado a partir de uma série histórica (1984-1993) de dados climáticos e de dados fenológicos do Banco Ativo de Germoplasma, ambos da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves-RS. Os acúmulos de frio foram quantificados através de 12 diferentes metodologias: horas de frio iguais ou inferiores a 7,2 e 10°C; modelo Dinâmico; modelos Utah e Carolina do Norte originais, além das modificações propostas por Ebert (1986), Raseira (1982) e de outras quatro derivações destes métodos. Com base nas informações de modelagem, foram feitas correlações com os períodos de brotação da série histórica, buscando uma validação para estes modelos nos ciclos 2006 e 2007, a partir de dados fenológicos obtidos nos campos experimentais da Embrapa Uva e Vinho. As estimativas mais adequadas para a previsão do início da brotação foram observadas na ‘Cabernet Sauvignon’. Os modelos de melhor desempenho no estudo da série histórica foram Utah e Carolina do Norte modificados para a Serra Gaúcha. No ciclo 2007, o modelo Dinâmico e, no ciclo 2006, em função da heterogeneidade dos resultados, não houve um modelo mais adequado. / The fruit trees of mild climate are characterized by the drop of the leaves due to the reduction of their metabolic activities in reply to the climatic effects in the beginning of winter, starting the dormancy at the end of the cycle. For these plants start a new vegetative cycle in spring, it is necessary their exposition to a certain period of low temperatures to break the endodormancy. During the years when it does not occur, it is needed the use of chemical treatments which are toxic (Level I). Therefore, the development of technologies that subsidize previous knowledge of phenological events, like agro meteorological models, can support the agricultural planning and the management of the resources in the property. The purpose of this work was the study of different mathematical models in order to define thermal availabilities in the hibernal period and predict the budburst beginning of two grapevine cultivars Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon and Chardonnay) and one cultivar Vitis Labrusca (Concord). The work was carried out based on a historical series (1984 – 1993) of climatic data, supplied by the meteorological station and phenological data from Grape Germplasm Repository, both from Embrapa Uva e Vinho, in Bento Gonçalves - RS. The chilling accumulations were quantified through twelve different methodologies: chilling hours equal or below 7,2ºC and 10°C; Dynamic Model, Utah and North Caroline original models, apart from modifications proposed by Ebert (1986), Raseira (1982) and other four derivations of these methods, proposed in this work. Based on the modelings information, correlations were done with the budburst periods of the historical series to validate these methods in the cycles 2006 and 2007, based on phenological data obtained in the experimental fields of Embrapa. The most appropriate estimates to predict the budburst beginning have been perceived in the “Cabernet Sauvignon”. The models of best performance in the historical series were Utah and North Caroline, modified to the Gaúcha Mountain Range. In the cycles 2007 and 2006, due to the heterogeneity of the results, there was not a best fit model.
3

Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha / Budburst prediction models to the grapevine in the gaúcha mountain range

Felippeto, João January 2008 (has links)
As fruteiras de clima temperado caracterizam-se pela queda de folhas em conseqüência da redução das suas atividades metabólicas em resposta aos efeitos climáticos da entrada no inverno, entrando em dormência no final do ciclo. Para iniciarem um novo ciclo vegetativo na primavera, é necessária a sua exposição a um período frio, para a superação da endodormência. Nos anos em que isto não ocorre é necessário o emprego de tratamentos químicos, os quais são tóxicos (Classe I). Portanto, o desenvolvimento de tecnologias que subsidiem o conhecimento antecipado dos eventos fenológicos, como é o caso dos modelos agrometeorológicos, podem dar suporte ao planejamento agrícola e à gestão dos recursos da propriedade. O objetivo deste trabalho foi o estudo de diferentes modelos matemáticos, para caracterizar as disponibilidades térmicas no período hibernal e prever a data inicial da brotação de duas cultivares de videira Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon e Chardonnay) e de uma cultivar Vitis labrusca (Concord). O trabalho foi realizado a partir de uma série histórica (1984-1993) de dados climáticos e de dados fenológicos do Banco Ativo de Germoplasma, ambos da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves-RS. Os acúmulos de frio foram quantificados através de 12 diferentes metodologias: horas de frio iguais ou inferiores a 7,2 e 10°C; modelo Dinâmico; modelos Utah e Carolina do Norte originais, além das modificações propostas por Ebert (1986), Raseira (1982) e de outras quatro derivações destes métodos. Com base nas informações de modelagem, foram feitas correlações com os períodos de brotação da série histórica, buscando uma validação para estes modelos nos ciclos 2006 e 2007, a partir de dados fenológicos obtidos nos campos experimentais da Embrapa Uva e Vinho. As estimativas mais adequadas para a previsão do início da brotação foram observadas na ‘Cabernet Sauvignon’. Os modelos de melhor desempenho no estudo da série histórica foram Utah e Carolina do Norte modificados para a Serra Gaúcha. No ciclo 2007, o modelo Dinâmico e, no ciclo 2006, em função da heterogeneidade dos resultados, não houve um modelo mais adequado. / The fruit trees of mild climate are characterized by the drop of the leaves due to the reduction of their metabolic activities in reply to the climatic effects in the beginning of winter, starting the dormancy at the end of the cycle. For these plants start a new vegetative cycle in spring, it is necessary their exposition to a certain period of low temperatures to break the endodormancy. During the years when it does not occur, it is needed the use of chemical treatments which are toxic (Level I). Therefore, the development of technologies that subsidize previous knowledge of phenological events, like agro meteorological models, can support the agricultural planning and the management of the resources in the property. The purpose of this work was the study of different mathematical models in order to define thermal availabilities in the hibernal period and predict the budburst beginning of two grapevine cultivars Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon and Chardonnay) and one cultivar Vitis Labrusca (Concord). The work was carried out based on a historical series (1984 – 1993) of climatic data, supplied by the meteorological station and phenological data from Grape Germplasm Repository, both from Embrapa Uva e Vinho, in Bento Gonçalves - RS. The chilling accumulations were quantified through twelve different methodologies: chilling hours equal or below 7,2ºC and 10°C; Dynamic Model, Utah and North Caroline original models, apart from modifications proposed by Ebert (1986), Raseira (1982) and other four derivations of these methods, proposed in this work. Based on the modelings information, correlations were done with the budburst periods of the historical series to validate these methods in the cycles 2006 and 2007, based on phenological data obtained in the experimental fields of Embrapa. The most appropriate estimates to predict the budburst beginning have been perceived in the “Cabernet Sauvignon”. The models of best performance in the historical series were Utah and North Caroline, modified to the Gaúcha Mountain Range. In the cycles 2007 and 2006, due to the heterogeneity of the results, there was not a best fit model.
4

Pré-seleção de sítios astronômicos por imagens de satélites meteorológicos

Mallmith, Décio de Moura January 2004 (has links)
A Astronomia, como origem e, talvez, como fim de todas as Ciências, sempre esteve voltada à observação dos astros e à busca de novas técnicas e instrumentos que permitissem ampliar os limites e a qualidade destas observações. Dessa busca resultou o desenvolvimento do telescópio óptico, em 1608, por Galileu Galilei. Com o passar dos anos, esse instrumento foi sofrendo incontáveis aperfeiçoamentos, chegando aos nossos dias como um aparelho preciso e de sofisticada tecnologia. Apesar das fronteiras observacionais terem avançado para além do espectro visível, o telescópio óptico ainda é indispensável à Astronomia. O Brasil, embora não apresente condições meteorológicas ideais para observações astronômicas, possui observatórios ópticos de razoável qualidade, como o Laboratório Nacional de Astrofísica, LNA, em Minas Gerais, entre outros. Em seu extremo sul, no entanto, o País carece de bons instrumentos ópticos, destacando-se unicamente o telescópio da UFRGS instalado no Observatório do Morro Santana, em Porto Alegre. O aumento da iluminação artificial na Região Metropolitana de Porto Alegre e, conseqüentemente, da claridade do céu noturno tem praticamente inviabilizado a operação do Observatório. Assim, a escolha de novos locais para a futura instalação de telescópios ópticos no Estado é imprescindível. Acrescenta-se a isto o fato do ciclo climático desta região diferenciarse daquele das demais regiões do País, fato relevante, dado que um dos fatores determinantes na escolha de novos sítios para telescópios ópticos é a taxa de nebulosidade. Levantamentos in situ de nebulosidade são longos e custosos. Como alternativa, neste trabalho foi realizado um estudo estatístico do Estado, a partir da montagem de um banco de 472 imagens noturnas dos satélites GOES e MeteoSat. A combinação das imagens, por processo de superposição e cálculo de valores médios de contagens (brilho), à escala de pixel, forneceu informações em nível de préseleção, ou indicativo, de locais com altas taxas de noites claras. Foram cobertos os períodos de 1994-1995 e 1998-1999, com focalização nas áreas em torno de Bom Jesus, Vacaria e Caçapava do Sul. Como controle, foi também monitorada a área em torno do LNA em Minas Gerais. Ademais da demonstração metodológica, os dados orbitais indicaram que, na média destes anos, estas áreas são adequadas à instalação de observatórios astronômicos, pela conjugação dos fatores de nebulosidade e altitude.
5

Modelos de previsão da brotação para videira na Serra Gaúcha / Budburst prediction models to the grapevine in the gaúcha mountain range

Felippeto, João January 2008 (has links)
As fruteiras de clima temperado caracterizam-se pela queda de folhas em conseqüência da redução das suas atividades metabólicas em resposta aos efeitos climáticos da entrada no inverno, entrando em dormência no final do ciclo. Para iniciarem um novo ciclo vegetativo na primavera, é necessária a sua exposição a um período frio, para a superação da endodormência. Nos anos em que isto não ocorre é necessário o emprego de tratamentos químicos, os quais são tóxicos (Classe I). Portanto, o desenvolvimento de tecnologias que subsidiem o conhecimento antecipado dos eventos fenológicos, como é o caso dos modelos agrometeorológicos, podem dar suporte ao planejamento agrícola e à gestão dos recursos da propriedade. O objetivo deste trabalho foi o estudo de diferentes modelos matemáticos, para caracterizar as disponibilidades térmicas no período hibernal e prever a data inicial da brotação de duas cultivares de videira Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon e Chardonnay) e de uma cultivar Vitis labrusca (Concord). O trabalho foi realizado a partir de uma série histórica (1984-1993) de dados climáticos e de dados fenológicos do Banco Ativo de Germoplasma, ambos da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves-RS. Os acúmulos de frio foram quantificados através de 12 diferentes metodologias: horas de frio iguais ou inferiores a 7,2 e 10°C; modelo Dinâmico; modelos Utah e Carolina do Norte originais, além das modificações propostas por Ebert (1986), Raseira (1982) e de outras quatro derivações destes métodos. Com base nas informações de modelagem, foram feitas correlações com os períodos de brotação da série histórica, buscando uma validação para estes modelos nos ciclos 2006 e 2007, a partir de dados fenológicos obtidos nos campos experimentais da Embrapa Uva e Vinho. As estimativas mais adequadas para a previsão do início da brotação foram observadas na ‘Cabernet Sauvignon’. Os modelos de melhor desempenho no estudo da série histórica foram Utah e Carolina do Norte modificados para a Serra Gaúcha. No ciclo 2007, o modelo Dinâmico e, no ciclo 2006, em função da heterogeneidade dos resultados, não houve um modelo mais adequado. / The fruit trees of mild climate are characterized by the drop of the leaves due to the reduction of their metabolic activities in reply to the climatic effects in the beginning of winter, starting the dormancy at the end of the cycle. For these plants start a new vegetative cycle in spring, it is necessary their exposition to a certain period of low temperatures to break the endodormancy. During the years when it does not occur, it is needed the use of chemical treatments which are toxic (Level I). Therefore, the development of technologies that subsidize previous knowledge of phenological events, like agro meteorological models, can support the agricultural planning and the management of the resources in the property. The purpose of this work was the study of different mathematical models in order to define thermal availabilities in the hibernal period and predict the budburst beginning of two grapevine cultivars Vitis vinifera (Cabernet Sauvignon and Chardonnay) and one cultivar Vitis Labrusca (Concord). The work was carried out based on a historical series (1984 – 1993) of climatic data, supplied by the meteorological station and phenological data from Grape Germplasm Repository, both from Embrapa Uva e Vinho, in Bento Gonçalves - RS. The chilling accumulations were quantified through twelve different methodologies: chilling hours equal or below 7,2ºC and 10°C; Dynamic Model, Utah and North Caroline original models, apart from modifications proposed by Ebert (1986), Raseira (1982) and other four derivations of these methods, proposed in this work. Based on the modelings information, correlations were done with the budburst periods of the historical series to validate these methods in the cycles 2006 and 2007, based on phenological data obtained in the experimental fields of Embrapa. The most appropriate estimates to predict the budburst beginning have been perceived in the “Cabernet Sauvignon”. The models of best performance in the historical series were Utah and North Caroline, modified to the Gaúcha Mountain Range. In the cycles 2007 and 2006, due to the heterogeneity of the results, there was not a best fit model.
6

Pré-seleção de sítios astronômicos por imagens de satélites meteorológicos

Mallmith, Décio de Moura January 2004 (has links)
A Astronomia, como origem e, talvez, como fim de todas as Ciências, sempre esteve voltada à observação dos astros e à busca de novas técnicas e instrumentos que permitissem ampliar os limites e a qualidade destas observações. Dessa busca resultou o desenvolvimento do telescópio óptico, em 1608, por Galileu Galilei. Com o passar dos anos, esse instrumento foi sofrendo incontáveis aperfeiçoamentos, chegando aos nossos dias como um aparelho preciso e de sofisticada tecnologia. Apesar das fronteiras observacionais terem avançado para além do espectro visível, o telescópio óptico ainda é indispensável à Astronomia. O Brasil, embora não apresente condições meteorológicas ideais para observações astronômicas, possui observatórios ópticos de razoável qualidade, como o Laboratório Nacional de Astrofísica, LNA, em Minas Gerais, entre outros. Em seu extremo sul, no entanto, o País carece de bons instrumentos ópticos, destacando-se unicamente o telescópio da UFRGS instalado no Observatório do Morro Santana, em Porto Alegre. O aumento da iluminação artificial na Região Metropolitana de Porto Alegre e, conseqüentemente, da claridade do céu noturno tem praticamente inviabilizado a operação do Observatório. Assim, a escolha de novos locais para a futura instalação de telescópios ópticos no Estado é imprescindível. Acrescenta-se a isto o fato do ciclo climático desta região diferenciarse daquele das demais regiões do País, fato relevante, dado que um dos fatores determinantes na escolha de novos sítios para telescópios ópticos é a taxa de nebulosidade. Levantamentos in situ de nebulosidade são longos e custosos. Como alternativa, neste trabalho foi realizado um estudo estatístico do Estado, a partir da montagem de um banco de 472 imagens noturnas dos satélites GOES e MeteoSat. A combinação das imagens, por processo de superposição e cálculo de valores médios de contagens (brilho), à escala de pixel, forneceu informações em nível de préseleção, ou indicativo, de locais com altas taxas de noites claras. Foram cobertos os períodos de 1994-1995 e 1998-1999, com focalização nas áreas em torno de Bom Jesus, Vacaria e Caçapava do Sul. Como controle, foi também monitorada a área em torno do LNA em Minas Gerais. Ademais da demonstração metodológica, os dados orbitais indicaram que, na média destes anos, estas áreas são adequadas à instalação de observatórios astronômicos, pela conjugação dos fatores de nebulosidade e altitude.
7

SADAM : um sistema para aquisição de dados meteorologicos

Centoducatte, Paulo Cesar, 1957- 08 July 1992 (has links)
Orientador: Nelson Castro Machado / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Matematica, Estatistica e Ciencia da Computação / Made available in DSpace on 2018-07-15T20:37:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Centoducatte_PauloCesar_M.pdf: 2056798 bytes, checksum: a703ced264ddeb7d5a0c92470d695aff (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: o presente trabalho descreve o projeto e implementação do hardware e do monitor de um sistema para aquisição de dados meteorológicos. O sistema consiste de uma estação base e de uma estação de campo. Na estação base o meteorologista utiliza um microcomputador convencional e dispõe de uma linguagem apropriada para programar seus experimentos. A estação de campo é um sistema dedicado à coleta de dados através de 16 portas para sensores analógicos e/ou digitais. A interface entre as estações base e de campo é realizada por meio de um cartucho de memória RAM CMOS com sistema de "back-up" de bateria, constituindo um sistema não volátil. Inicialmente o cartucho contém o programa do experimento, gravado na estação base. O cartucho é então levado à estação de campo que possui um interpretador e um monitor capazes de executar o experimento programado na estação base, gravando os dados coletados no próprio, cartucho. Após encerrada a coleta dos dados o cartucho é novamente levado à estação base onde os dados são processados e são emitidos relatórios / Abstract: The present work describes the project and implementation of the hardware and monitor for a Meteorological Data Acquisition System. The system consists of a base station and a remote station. In the base station, the meteorologist uses a conventional personal computer with a special purpose language to program his experiments. The remote station is a system dedicated to data collection through 16 ports for analogical and for digital sensors. The interface between the base station and the remote station is accomplished with a RAM CMOS cartridge with a battery back-up system, which constitutes a non-volatile system. Initially the cartridge contains the experiment's program, written at the base station. The cartridge is then brought to the remote station, which has an interpreter and a monitor, able to carry out the experiment programmed in the base station, and to record the collected data in the same cartridge. At the end of the data collection, the cartridge is brought back to the base station, where the data are, processed and reports are generated / Mestrado / Mestre em Ciência da Computação
8

Modelo agroclimático para a estimativa da produtividade do milho (Zea mays L.) na Região Lagunera – México

Garcia Herrera, Gabriel 03 July 1991 (has links)
Submitted by Marco Antônio de Ramos Chagas (mchagas@ufv.br) on 2016-06-23T11:02:00Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 4219054 bytes, checksum: 40b03d0bd67d08694a2c7b8e86f6e2ec (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-23T11:02:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 4219054 bytes, checksum: 40b03d0bd67d08694a2c7b8e86f6e2ec (MD5) Previous issue date: 1991-07-03 / Foram estudados modelos agroclimáticos de estimativa de produtividade do milho para a Região Lagunera do México, tais como: a) 0 modelo proposto por Camargo, que considera a redução da produtividade da cultura pelos fatores térmico e hídricos (deficiências e excedentes); e b) 0 modelo que considera a tendência tecnologica e a influência dos parâmetros agroclimáticos. Pelo modelo agroclimático de Camargo, identificou-se a necessidade de incluir o componente irrigação que representou, em grande parte, a tendência tecnológica para a estimativa da produtividade do milho na Região Lagunera. Por meio dos modelos agroclimáticos gerados para o período de 1967 a 1980, com base nos parâmetros agroclimáticos de Frére e Popov, assim como os de Camargo, ambos incluindo a tendência tecnológica, explicaram-se 83 e 87% da variação total da produtividade do milho. respectivamente. Para o período de 1980 a 1988, as modelos agroclimáticos de Camargo e de Frére e Popov permitiram explicar 82 e 99% da variação total da produtividade do milho, respectivamente. Considerou-se necessária a verificação da consistência dos nodelos agroclimáticos avaliados, com informações de Produtividade e dados climáticos para um Período maior de anos. / Dissertação antiga, resumo somente em português, sem Lattes
9

Cenários futuros de mudanças climáticas e impactos do conforto térmico humano em áreas urbanizadas / Future scenarios of climate change and impacts of human thermal comfort in urbanized areas

Costa, Rafaela Lisboa 26 May 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Pós-Graduação em Geociências Aplicadas, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2017-08-10T17:33:07Z No. of bitstreams: 1 2017_RafaelaLisboaCosta.pdf: 17490961 bytes, checksum: 6048f42e68ba4ba3b51041e5ac2f25bc (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-09-20T16:32:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_RafaelaLisboaCosta.pdf: 17490961 bytes, checksum: 6048f42e68ba4ba3b51041e5ac2f25bc (MD5) / Made available in DSpace on 2017-09-20T16:32:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_RafaelaLisboaCosta.pdf: 17490961 bytes, checksum: 6048f42e68ba4ba3b51041e5ac2f25bc (MD5) Previous issue date: 2017-09-20 / O objetivo deste estudo foi avaliar os impactos das mudanças climáticas no grau de conforto e/ou desconforto térmico, sentido pela população de áreas urbanas da Região Nordeste do Brasil. Para a realização deste estudo, foram utilizados dados das 96 estações meteorológicas convencionais do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), distribuída por toda região de estudo. Inicialmente, procurou-se mostrar o comportamento das variáveis meteorológicas temperatura e precipitação, desde o ano de 1961 ao ano de 2014, por meio índices que avaliam tendências de ocorrência de extremos climáticos, Os impactos das mudanças climáticas foi investigado com base na média dos resultados de quatro modelos climáticos globais, ECHAM5-OM, HADGEM2-ES, BCM2 e o CNRMCM3, para dois cenários de emissões de gases de efeito estufa, A1B e A2 que tiveram suas projeções futuras regionalizadas para o período 2021-2080 com o emprego da técnica de downscaling estatístico. Para avaliar o conforto/desconforto térmico, utilizouse o Índice de Desconforto de Kawamura (IDK), onde foi possível fazer uma avaliação das consequências das mudanças climáticas, no grau de conforto/desconforto térmico na região Nordeste, por meio de uma análise futura para esse índice. Por fim, por meio do uso da técnica de sensoriamento remoto, tentou-se identificar ilhas de calor em áreas urbanas pré-selecionadas, assim como, avaliar se houve expansão da mancha urbana e o comportamento do conforto térmico humano nessas áreas. Os resultados encontrados permitiram concluir que: (i) Por meio do uso de índices que avaliam tendências de extremos, durante os anos de 1961 a 2014, houve uma diminuição significativas das chuvas em toda a região e, também, aumento das temperaturas, tanto máximas como mínimas; (ii) Poderá haver redução da precipitação nos respectivos períodos chuvosos das sub-regiões do Nordeste, aumento das temperaturas máximas no primeiro semestre e diminuição em extensas áreas do setor norte do Nordeste em meses do segundo semestre, principalmente para o cenário A2. Para as temperaturas mínimas os resultados apontam para tendência de aumento em todo o ano com destaque para os meses de inverno, em toda a região; (iii) As análises dos cenários do IDK apontam para um aumento de dias com desconforto pelo calor entre 2021 e 2080. A principal tendência de aumento se dá na segunda metade desse período, entre 2051 e 2080. Na porção norte do Nordeste deve predominar dias com desconforto pelo calor já entre 2021 e 2050. Na porção leste a prevalência de dias com desconforto pelo calor se dá no período de 2051 a 2080, e na parte centro-oeste da região, que no período de referência, registrou menos de 1% dos dias com desconforto pelo calor, deve entre 2021 a 2050 ter 7% dos seus dias nessa classificação, atingindo 48% dos dias desconfortáveis pelo calor; (iv) Por meio do uso dos satélites Landsat 5 e 8, na banda termal, foi possível identificar ilhas de calor na áreas pré-selecionadas, por meio da obtenção da temperatura de superfície. Para o IDK, apesar desse índice, de forma geral, apresentar a situação de conforto, para algumas áreas foram observados situações de desconforto e estresse térmico devido ao calor, principalmente, no ano de 2016. O uso de dados observados fez-se necessário com o intuito em corroborar com as informações dos satélites. / The objective of this study was to evaluate the impacts of climate change on the degree of comfort and/or thermal discomfort felt by the population of urban areas of the Northeast Region of Brazil. For this study, data from the 96 meteorological stations of the National Institute of Meteorology (INMET), distributed throughout the study region, were used. Initially, it was tried to show the behavior of the meteorological variables temperature and precipitation, from the year of 1961 to the year 2014, through indices that evaluate trends of occurrence of climatic extremes. The impacts of climate change were investigated based on the average of the results of four global climate models, ECHAM5-OM, HADGEM2-ES, BCM2 and CNRM-CM3, for two scenarios of greenhouse gas emissions, A1B and A2, which had their future projections regionalized for the period 2021-2080 with employment Statistical downscaling technique. In order to evaluate thermal comfort/discomfort, the Kawamura Discomfort Index (IDK) was used, where it was possible to evaluate the consequences of climatic changes in the degree of thermal comfort/discomfort in the Northeast region, through a future analysis For this index. Finally, through the use of the remote sensing technique, it was tried to identify heat islands in pre-selected urban areas, as well as to evaluate if there was an expansion of the urban spot and the behavior of the human thermal comfort in these areas. The results showed that: (i) Through the use of indices that evaluate extreme trends, during the years 1961 to 2014, there was a significant decrease in rainfall throughout the region, as well as an increase in both maximum temperatures As minimums; (ii) There may be a reduction in precipitation in the respective rainy periods of the northeastern subregions, an increase in maximum temperatures in the first semester, and a decrease in large areas of the northern Northeast sector in the second half of the year, mainly in scenario A2. For the minimum temperatures, the results show a tendency to increase throughout the year, with emphasis on the winter months, throughout the region; (iii) Analyzes of the IDK scenarios point to an increase in days with heat discomfort between 2021 and 2080. The main trend of increase is in the second half of this period, between 2051 and 2080. In the northern part of the Northeast, With discomfort from the heat already between 2021 and 2050. In the eastern part the prevalence of days with heat discomfort occurs in the period from 2051 to 2080, and in the central-western part of the region, which in the reference period, recorded less than 1% Of the days with heat discomfort, should between 2021 and 2050 have 7% of their days in this classification, reaching 48% of the days uncomfortable by the heat; (iv) Using the Landsat 5 and 8 satellites in the thermal band, it was possible to identify heat islands in the pre-selected areas by obtaining the surface temperature. For IDK, in spite of this index, in general, to present the comfort situation, for some areas were observed situations of discomfort and heat stress due to heat, mainly in the year 2016. The use of observed data was necessary with the intention to corroborate with the information of the satellites.
10

Precipitação e evapotranspiração de referência estimadas com metodologia alternativa, voltadas à realização do balanço hídrico diário

Schäfer, Rossana Ferrari 16 May 2012 (has links)
Resumo: O balanço hídrico constitui-se em uma ferramenta fundamental para a agricultura e mesmo os métodos mais simplificados necessitam da entrada de algumas variáveis climáticas que requerem cálculos complexos ou equipamentos de alto custo. O objetivo deste trabalho foi identificar e analisar métodos alternativos para estimativa de duas variáveis de entrada (precipitação e evapotranspiração) em um balanço hídrico diário, em comparação com a metodologia padrão, visando disponibilizar aos profissionais da área ferramentas metodológicas e instrumentais de baixo custo, fácil aquisição ou construção, uso e cálculo, que apresentem precisão aceitável quando comparados aos métodos e instrumentos considerados padrão pela comunidade científica. O trabalho foi realizado no Setor de Ciências Agrárias da UFPR, em Curitiba/PR, entre julho de 2008 e janeiro de 2009. Para medição da precipitação utilizou-se oito modelos de pluviômetros alternativos, nos quais os valores de precipitação foram comparados aos medidos em um pluviômetro tipo Ville de Paris, considerado como padrão. Para comparação dos resultados analisou-se os seguintes parâmetros: altura, área de captação, processo de leitura e proteção contra evaporação. A evapotranspiração de referência diária (ETo) padrão foi estimada com o método de Penman- Monteith (FAO) e cinco modelos alternativos, propostos por: Thornthwaite, Camargo, Hargreaves e Samani, Budyko e Linacre, a partir dos dados climáticos fornecidos pelo SIMEPAR, para Curitiba-PR, no período de 1997 a 2007. Os valores de precipitação e evapotranspiração foram analisados estatisticamente por meio de análises de regressão linear e seu respectivo coeficiente de correlação (R), índices “d” de concordância de Willmott e índices “c” de confiança propostos por Camargo e Sentelhas. Cenários para verificar o desempenho dos balanços hídricos calculados com os métodos alternativos que apresentaram melhor resultado, em relação aos calculados com a metodologia padronizada, foram realizados considerando capacidades de água disponível (CAD) de 30 mm, 60 mm, 90 mm e x 120 mm, kc = 1,0 e p = 0,5. Nas análises realizadas verificou-se que: (a) As estimativas diárias de precipitação realizadas com os pluviômetros Alternativos 1 a 8 apresentaram “ótimo” desempenho com as medidas diárias de precipitação realizadas no pluviômetro Ville de Paris. Com base nos índices de desempenho obtidos e nas características funcionais, os pluviômetros Alternativos 2 e 4 a 7, são os mais recomendados por apresentarem facilidades construtivas e operacionais (manuseio); (b) As estimativas diárias da evapotranspiração de referência (ETo) realizadas com os métodos de Thornthwaite e Camargo mostraram desempenho (índice “c”) “muito bom” e “ótimo”, respectivamente, para as análises anuais, quando comparados com o método de Penman-Monteith (Padrão FAO). Considerando as estações do ano, as estimativas diárias mostraram desempenho predominantemente “mediano”, tendo maior exatidão (0,78 índice “d” 0,88) do que associação (0,71 R 0,80). Os métodos de Hargreaves e Samani, Budyko e Linacre são inadequados para estimar a ETo na região analisada; (c) O desempenho do balanço hídrico realizado com a metodologia alternativa, em comparação com a metodologia padrão, depende da água disponível no solo (AD) e da combinação do grau de acerto (associação e exatidão) com que os métodos alternativos estimam a ETo e a precipitação dentro do período analisado; (d) Para um desempenho “ótimo” na estimativa da precipitação (pluviômetro Alternativo 4) e “mediano” na estimativa da ETo (método de Camargo), as componentes do balanço hídrico alternativo em relação ao padrão (ER, ARM, DEF) têm maiores desvios para períodos quentes e ocorrência de precipitação pluviométrica insuficiente para manter o armazenamento da água no solo próximo de sua zona úmida (CAD ·(1– p) < ARM CAD).

Page generated in 0.0417 seconds