• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 5029
  • 266
  • 187
  • 186
  • 185
  • 185
  • 157
  • 157
  • 101
  • 96
  • 54
  • 29
  • 28
  • 9
  • 7
  • Tagged with
  • 5401
  • 1954
  • 1942
  • 1564
  • 771
  • 621
  • 604
  • 528
  • 522
  • 478
  • 467
  • 400
  • 342
  • 336
  • 313
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo radiográfico da prevalência da infra-oclusão em escolares do município de Florianópolis, na faixa etária de 06 a 13 anos

Andrada, Romualdo Caldeira de January 1976 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Florianópolis, 1976. / Made available in DSpace on 2016-01-08T13:13:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 326686.pdf: 2218924 bytes, checksum: 876484e1967b3b6ff27015b47f112fe3 (MD5) Previous issue date: 1976
2

Prevalência de desordens temporomandibulares em acadêmicos de odontologia em Araguaína - Tocantins

Senna, Carlos Emílio de 02 December 2011 (has links)
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2010. / Submitted by Washington da Silva Chagas (washington@bce.unb.br) on 2011-05-19T00:37:18Z No. of bitstreams: 1 2010_CalosEmiliodeSenna.pdf: 1800200 bytes, checksum: 5334dcc2453fe2cc5c90e4c0757f572c (MD5) / Rejected by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br), reason: Inserir abstract. o Resumo repetiu. on 2011-05-25T23:34:13Z (GMT) / Submitted by Washington da Silva Chagas (washington@bce.unb.br) on 2011-06-02T20:45:54Z No. of bitstreams: 1 2010_CalosEmiliodeSenna.pdf: 1800200 bytes, checksum: 5334dcc2453fe2cc5c90e4c0757f572c (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-07-08T16:48:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_CalosEmiliodeSenna.pdf: 1800200 bytes, checksum: 5334dcc2453fe2cc5c90e4c0757f572c (MD5) / Made available in DSpace on 2011-07-08T16:48:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_CalosEmiliodeSenna.pdf: 1800200 bytes, checksum: 5334dcc2453fe2cc5c90e4c0757f572c (MD5) / O presente trabalho busca avaliar a presença de disfunção temporomandibular e a prevalência dos seguintes sinais a ela associados: Limitação de abertura bucal, Estalido articular, Crepitação articular, Sensibilidade à palpação da ATM, Sensibilidade à palpação do músculo temporal, Sensibilidade à palpação do músculo masseter superficial, Sensibilidade à palpação do músculo masseter profundo, Sensibilidade à palpação do ventre posterior do músculo digástrico, Sensibilidade à palpação do músculo esternocleidomastoideo, Sensibilidade à palpação do músculo trapézio superior, em uma população específica, composta por 135 universitários voluntários (média de 21,8 anos de idade) do curso de graduação em Odontologia de Faculdade de Odontologia do Instituto Tocantinense Presidente Antonio Carlos - ITPAC de Araguaína no Estado de Tocantins. Os voluntários responderam a um formulário e foram classificados em relação a presença e intensidade de DTM em não portadores de DTM, portadores de DTM leve, portadores de DTM moderada e portadores de DTM severa através do índice anamnésico de Fonseca (1992) e foram submetidos a exame clínico para detecção dos sinais de DTM pesquisados. A prevalência de disfunção temporomandibular na amostra avaliada foi de (65,19%). Deste total de portadores de DTM 48,89% apresentaram DTM leve, 11,11 % DTM moderada e 5,19% DTM severa. Os sinais clínicos avaliados foram encontrados entre os portadores de desordem temporomandibular na seguinte ordem de intensidade e na seguinte proporção: sensibilidade dolorosa à palpação nos músculos: esternocleidomastoideo (46,66%), trapézio superior (45,92%), temporal (37,24%), masseter superficial (31,85%), sensibilidade à palpação do ventre posterior do músculo digástrico (28,90%), sensibilidade à palpação da ATM bilateralmente (28,15%), sensibilidade à palpação do músculo masseter profundo (24,64%), crepitação articular (17,77%), sensibilidade à palpação da ATM unilateralmente (17,77%), estalidos articulares (4,44%), limitação de abertura bucal (2,22%). _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / O presente trabalho busca avaliar a presença de disfunção temporomandibular e a prevalência dos seguintes sinais a ela associados: Limitação de abertura bucal, Estalido articular, Crepitação articular, Sensibilidade à palpação da ATM, Sensibilidade à palpação do músculo temporal, Sensibilidade à palpação do músculo masseter superficial, Sensibilidade à palpação do músculo masseter profundo, Sensibilidade à palpação do ventre posterior do músculo digástrico, Sensibilidade à palpação do músculo esternocleidomastoideo, Sensibilidade à palpação do músculo trapézio superior, em uma população específica, composta por 135 universitários voluntários (média de 21,8 anos de idade) do curso de graduação em Odontologia de Faculdade de Odontologia do Instituto Tocantinense Presidente Antonio Carlos - ITPAC de Araguaína no Estado de Tocantins. Os voluntários responderam a um formulário e foram classificados em relação a presença e intensidade de DTM em não portadores de DTM, portadores de DTM leve, portadores de DTM moderada e portadores de DTM severa através do índice anamnésico de Fonseca (1992) e foram submetidos a exame clínico para detecção dos sinais de DTM pesquisados. A prevalência de disfunção temporomandibular na amostra avaliada foi de (65,19%). Deste total de portadores de DTM 48,89% apresentaram DTM leve, 11,11 % DTM moderada e 5,19% DTM severa. Os sinais clínicos avaliados foram encontrados entre os portadores de desordem temporomandibular na seguinte ordem de intensidade e na seguinte proporção: sensibilidade dolorosa à palpação nos músculos: esternocleidomastoideo (46,66%), trapézio superior (45,92%), temporal (37,24%), masseter superficial (31,85%), sensibilidade à palpação do ventre posterior do músculo digástrico (28,90%), sensibilidade à palpação da ATM bilateralmente (28,15%), sensibilidade à palpação do músculo masseter profundo (24,64%), crepitação articular (17,77%), sensibilidade à palpação da ATM unilateralmente (17,77%), estalidos articulares (4,44%), limitação de abertura bucal (2,22%).
3

Contribuição para o estudo de diferentes ligas do sistema cobre-alumínio, alterações dimensionais, percentagem de contração de fundição em diferentes proporções de liga nova e refundida

Araujo, Elito 05 December 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1985. / Made available in DSpace on 2013-12-05T19:53:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 322229.pdf: 15793913 bytes, checksum: 73be68b16af780dee439d9c4ac5a8925 (MD5)
4

AvaliaÃÃo de fluxo, pH e glicose salivares e experiÃncia de cÃrie em crianÃas com e sem diabetes mellitus tipo 1: estudo longitudinal / Evaluation of salivary flow, pH and glucose and caries experience in children with and without diabetes mellitus type 1: longitudinal study

Renata Asfor Rocha Carvalho Martins 17 February 2017 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / Diabetes Mellitus type 1 (DM1) corresponds to diabetes associated with almost complete destruction of pancreatic beta cells, which results in an absolute insulin deficiency. The incidence of DM1 has increased mainly among preschool children, with increase of 5.4% in groups of 0 to 4 years old. The oral cavity is affected by some clinical manifestations caused by DM1 and caries can be highlighted. The aim of the present study, which is unprecedent, is to evaluate pH, salivary flow and glucose and caries experience in children with and without diabetes mellitus type 1. Thitry-nine children, both gender, aged 2 to 10 years with DM1 were selected and 56 children matched for gender and age to compose the control group. The volunteers were selected at two reference centers for the treatment of diabetes and at Dentistry college of Federal University of CearÃ. Data were collected in 3 pre-determined periods: initial consultation (T0), after 6 (T6) and 12 months (T12) of the initial consultation. Initially, anamnesis was performed. Then, through the International System of Evaluation and Detection of Caries (ICDAS), the clinical examination was performed. The ICDAS allows the inclusion of new risk assessment tools that can help in making better decisions in clinical practice, as well as serving clinical and epidemiological research. Non-stimulated saliva was collected, then centrifuged and the supernatant lyophilized. The results showed significant differences in the treatment of the two groups in T0 and T6. The concentration of glucose in the saliva was higher, there was no group of diabetics in all periods, with the same result, and T6 and T12 did not have significant expressions. In the comparison of pH between the periods, a statistically significant correlation was found. Diabetic patients presented higher caries severity when compared to the group without diabetes. In conclusion, the results of the present study are particularly important for the successful use of the saliva for studies with patients with type 1 diabetes mellitus, although other studies are needed so to evaluate the possibility of relationship between variables and their applicability, with regard the early diagnosis and prognosis of Diabetes. / O Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1) corresponde ao diabetes associado à destruiÃÃo, quase total, das cÃlulas beta pancreÃticas, que resulta em uma deficiÃncia absoluta de insulina. A incidÃncia do DM1 tem aumentado principalmente entre crianÃas prÃ-escolares, tendo um crescimento de 5,4% em grupos de 0 a 4 anos. A cavidade oral à acometida por algumas manifestaÃÃes clÃnicas causadas pelo DM1 e a cÃrie pode ser destacada. O objetivo do presente estudo, que à inÃdito, foi avaliar pH, fluxo e glicose salivares e experiÃncia de cÃrie em crianÃas com e sem Diabetes Mellitus tipo 1. Foram selecionadas 39 crianÃas, de ambos os sexos, com idade de 2 a 10 anos com DM1 e 56 crianÃas pareadas quanto a sexo e idade para compor o grupo controle. Os voluntÃrios foram selecionados em dois centros de referÃncia para o tratamento de diabetes e no curso de Odontologia da Universidade Federal do CearÃ. A coleta de dados ocorreu em 3 perÃodos prÃ-determinados: consulta inicial (T0), apÃs 6 (T6) e 12 meses (T12) da consulta inicial. Inicialmente, foi realizada anamnese. Em seguida, atravÃs do Sistema Internacional de AvaliaÃÃo e DetecÃÃo de CÃries (ICDAS), foi realizado o exame clÃnico. O ICDAS permite a inclusÃo de novas ferramentas de avaliaÃÃo de cÃrie que podem ajudar na tomada mais acertada de decisÃes na prÃtica clÃnica, bem como servir para investigaÃÃo clÃnica e epidemiolÃgica. Foi coletada saliva nÃo estimulada, posteriormente centrifugada e o sobrenadante liofilizado. Os resultados mostraram diferenÃas significativas ao comparar o fluxo salivar dos dois grupos em T0 e T6. A concentraÃÃo de glicose na saliva foi mais alta no grupo dos diabÃticos em todos os perÃodos, contudo, ao comparar T0 e T6, e T6 e T12, nÃo foram expressas diferenÃas significantes. Na comparaÃÃo de pH entre os perÃodos, uma correlaÃÃo estatisticamente significante foi encontrada. Pacientes diabÃticos apresentaram maior severidade de cÃries quando comparados ao grupo sem diabetes. Em conclusÃo, os resultados do presente estudo sÃo particularmente importantes para obtenÃÃo de Ãxito com a utilizaÃÃo da saliva para estudos com pacientes com Diabetes Mellitus tipo 1, apesar de outros estudos serem necessÃrios para que se possa afirmar a existÃncia de relaÃÃo entre as variÃveis e sua aplicabilidade no que diz respeito ao diagnÃstico precoce e prognÃstico do Diabetes.
5

Desenvolvimento e avaliaÃÃo de um novo adesivo odontolÃgico para remineralizaÃÃo biomimÃtica de interfaces adesivas

Maria Elisa Martins Moura 16 February 2017 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Uma recente alternativa para promover uma maior durabilidade Ãs restauraÃÃes à a remineralizaÃÃo biomimÃtica. Ela utiliza dois anÃlogos de fosfoproteÃnas da dentinogÃnese e poderia ser realizada utilizando um adesivo autocondicionante de dois passos contendo fosfatos de cÃlcio bioativos no adesivo e um novo anÃlogo biomimÃtico (EDTF, etilenodiamino tetrametileno-fosfonato) no primer, agindo como os dois diferentes tipos de anÃlogos jà conhecidos. Assim, um adesivo experimental foi preparado e aplicado com mistura prÃvia com fosfato de mono-cÃlcio mono-hidratado e beta fosfato tri-cÃlcio no bond. AlÃm disso, foram desenvolvidos primers de acordo com o delineamento experimental. Um primer sem anÃlogos e sem partÃculas no bond (controle negativo, CN), um contendo os anÃlogos mais utilizados na literatura trimetafosfato (TMP) de sÃdio e Ãcido poliacrÃlico (APA) (TMP/APA - controle positivo, CP), e outros contendo EDTF/TMP, EDTF/APA ou somente EDTF foram preparados. Um grupo somente com partÃculas no bond e sem os anÃlogos no primer tambÃm foi usado. Estes sistemas adesivos foram aplicados em dentina afetada por cÃrie (DAC) simulada artificialmente e em dentina hÃgida de molares humanos extraÃdos. ApÃs perÃodos de 24h e 6 meses de armazenamento, eles foram avaliados por teste de microtraÃÃo, nanoinfiltraÃÃo e espectroscopia Micro-Raman da interface (camada hÃbrida) e da dentina subjacente. Os dados de microtraÃÃo foram analisados estatisticamente com ANOVA dois fatores e Teste de Tukey (&#945;=5%). Na microtraÃÃo dos hÃgidos sà houve diferenÃa estatÃstica (p<0,05) nos grupos EDTF/TMP apresentando um aumento na resistÃncia de uniÃo apÃs 6 meses e no grupo EDTF/APA que teve um declÃnio. Em DAC, houve uma queda nos grupos CN, EDTF/TMP e EDTF/APA (p<0,05). Na anÃlise de nanoinfiltraÃÃo em DAC, o CN revelou a presenÃa de fendas e degradaÃÃo na regiÃo de dentina subjacente de forma imediata, e na camada de adesivo apÃs o envelhecimento, o que nÃo foi observado nos demais grupos. Na espectroscopia Micro-Raman foi possÃvel observar a presenÃa de mineralizaÃÃo mais acentuada nos grupos CP, EDTF, EDTF/TMP e somente partÃculas, porÃm isso nÃo foi observado nos grupos CN e EDTF/APA. Conclui-se que os melhores resultados para a adesÃo e a remineralizaÃÃo da dentina afetada por cÃrie sÃo obtidos com o uso dos anÃlogos tradicionais (TMP/APA) ou com EDTF sozinho e associado ao TMP, nÃo afetando a adesÃo à dentina hÃgida.
6

AvaliaÃÃo de controle metabÃlico, perfil de proteÃnas totais salivares e Ãndices de placa e gengival em crianÃas com e sem diabetes mellitus tipo 1: um estudo caso-controle e prospectivo

Emerson Dias Ponte 17 February 2017 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1) se caracteriza por uma deficiÃncia na secreÃÃo de insulina, tendo como causa a destruiÃÃo das cÃlulas beta pancreÃticas e que tem a hiperglicemia como achado clÃnico principal. As doenÃas periodontais se caracterizam como a sexta complicaÃÃo do Diabetes Mellitus (DM). Um mau controle a longo prazo do DM1 provoca danos ao periodonto, e um quadro crÃnico de inflamaÃÃo na regiÃo periodontal pode prejudicar o controle metabÃlico do Diabetes. ConcentraÃÃo de proteÃnas totais tambÃm pode sofrer alteraÃÃes devido ao DM1. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi avaliar, longitudinalmente, o perfil de proteÃnas totais salivares, o controle metabÃlico e os Ãndices de placa e gengival em crianÃas com DM1. Foram recrutados 39 participantes para o grupo com DM1 (CDM1) e 56 para formar o grupo controle sem DM1 (SDM1). A coleta de dados ocorreu em 3 perÃodos prÃ-determinados: consulta inicial (T0) e apÃs 6 e 12 meses da consulta inicial (T6, T12, respectivamente). O controle metabÃlico foi avaliado por meio dos testes de glicemia em jejum, glicemia pÃs-prandial e hemoglobina glicada. A condiÃÃo gengival foi avaliada atravÃs do Ãndice de placa e gengival. Uma amostra de saliva foi coletada para cada participante. Em seguida, foram mantidas, transportadas, centrifugadas e armazenadas adequadamente atà anÃlise. ConcentraÃÃo total de proteÃnas foi determinada pelo mÃtodo do Ãcido BicincocÃnico (BCA). Observou-se na totalidade dos participantes, entre o perÃodo T0 e T6, um aumento nas mÃdias de glicemia pÃs-prandial (T0:135,1; T6:176,5; p=0); um decrÃscimo do Ãndice de placa (T0: 031; T6:0,24; p = 0,01) e, tambÃm, um decrÃscimo da concentraÃÃo de proteÃnas totais (T0: 1,06; T6: 0,91; p = 0,03). O grupo CDM1 (MÃdia: 0,32  0,36) apresentou Ãndices de placa maiores que o grupo SDM1 (MÃdia: 0,18  0,14) tanto no perÃodo T6 (p = 0,04) quanto no perÃodo T12 (p = 0,02). Em conclusÃo, pacientes diabÃticos apresentam maiores Ãndices de placa quando comparados a pacientes saudÃveis. Comparando-se o perÃodo T0 e T6, sugere-se uma relaÃÃo entre as variÃveis glicemia pÃs-prandial, Ãndice de placa e concentraÃÃo de proteÃnas totais, a ser confirmada em futuras anÃlises mais especÃficas.
7

Hypoxia-Inducible Factor-1&#945; (HIF-1&#945;) expression in radicular and dentigerous cysts: Immunohistochemical evaluation / AvaliaÃÃo da imunoexpressÃo do fator induzido por hipÃxia 1&#945; (hif-1&#945;) em cistos radiculares e dentÃgeros

Thalyta Amanda Pinheiro Ferreira 21 February 2017 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Os cistos odontogÃnicos sÃo classificados conforme sua origem em: cistos de desenvolvimento, dos quais faz parte o cisto dentÃgero (CD), ou em cistos inflamatÃrios, que tÃm o cisto radicular (CR) como principal representante. Em microambientes lesionais com baixas concentraÃÃes de oxigÃnio, o Fator Induzido por HipÃxia 1&#945; (HIF-1) influencia mecanismos responsÃveis pela sobrevida celular. Assim, o objetivo desta pesquisa foi analisar a imunoexpressÃo do HIF-1&#945; em cistos radiculares e dentÃgeros. A amostra foi constituÃda por 40 casos de cistos odontogÃnicos, sendo 20 de CD e 20 de CR. A verificaÃÃo da expressÃo de HIF-1&#945; foi realizada atravÃs da tÃcnica de imunoistoquÃmica, utilizando anticorpo primÃrio anti-HIF-1&#945; (Clone EP1215Y,AbcamÂ, 1:500, overnight,citrato pH 6, Pascal). A anÃlise quantitativa foi realizada por meio da contagem do nÃmero de cÃlulas epiteliais com imunomarcaÃÃo no citoplasma ou nÃcleo, em cinco campos fotografados no aumento de 400x. Realizou-se, tambÃm, uma anÃlise qualitativa observando a intensidade de imunomarcaÃÃo citoplasmÃtica. Os dados clÃnicos coletados, tais como sexo, idade e sÃtio de localizaÃÃo, foram expressos em forma de frequÃncia absoluta e percentual e comparados por meio do teste qui-quadrado de Pearson ou Exato de Fisher e por meio de RegressÃo LogÃstica Binomial. O nÃmero de cÃlulas epiteliais positivas foi expresso em forma de mÃdia e desvio-padrÃo e analisado por meio do teste de T de Student, utilizando-se o programa Statistical Package for the Social Sciences. Para todos os testes realizados, foi estabelecido o nÃvel de significÃncia de 5% (p <0,05). A anÃlise imunoistoquÃmica evidenciou marcaÃÃo positiva em toda a amostra. Para o total de cÃlulas com imunomarcaÃÃo citoplasmÃtica entre os casos de CR (67,7Â12,6) e CD (64,5Â16,1), nÃo houve diferenÃa significativa entre as lesÃes (p=0,480), bem como o mesmo resultado foi encontrado para imunomarcaÃÃo nuclear (p=0,354). Quando se observou a intensidade de imunomarcaÃÃo citoplasmÃtica forte e as caracterÃsticas clÃnicas, o grupo de CD apresentou para faixa etÃria de atà 30 anos menor nÃmero de cÃlulas imunomarcadas por HIF-1&#945; (11,7Â13,6) quando comparada à faixa etÃria de indivÃduos maiores de 30 anos (34,5Â20,0), demonstrando diferenÃa estatÃstica (p= 0,010). Jà quando observada a imunomarcaÃÃo citoplasmÃtica forte entre os grupos de CR e CD na regiÃo anterior dos maxilares, verificou-se que o grupo de CR apresentou maior quantidade de cÃlulas imunomarcadas (28,5Â8,5) que o grupo de CD (14,0Â11,4), com diferenÃa estatÃstica (p= 0,014). Diante dos resultados obtidos nesta pesquisa, pode-se concluir que HIF-1&#945; està presente nos constituintes epiteliais de CR e CD. No entanto, novos estudos sÃo necessÃrios para melhor elucidar o papel desenvolvido pelo HIF-1&#945; nos cistos odontogÃnicos. / Odontogenic cysts are classified according to their origin in: developmental cysts, which include the dentigerous cyst (CD), or in inflammatory cysts, which have the root cyst (CR) as the main representative. In lesional microenvironments with low oxygen concentrations, the Hypoxia Induced Factor 1&#945; (HIF-1) influences mechanisms responsible for cell survival. Thus, the aim of this research was to analyze the immunoexpression of HIF-1&#945; in root and dentigerous cysts. The sample consisted of 40 cases of odontogenic cysts, 20 of CD and 20 of CR. Verification of HIF-1&#945; expression was performed by the immunohistochemistry technique using anti-HIF-1&#945; primary antibody (Clone EP1215Y, AbcamÃÂ, 1: 500, overnight, citrate pH 6, Pascal). Quantitative analysis was performed by counting the number of epithelial cells with immunostaining in the cytoplasm or nucleus in five fields photographed at a magnification of 400x. A qualitative analysis was also performed, observing the intensity of cytoplasmic immunostaining. The collected clinical data, such as sex, age and location site, were expressed in absolute and percentage frequency form and compared by Pearson's Chi-square test or Fisher's Exact and by Binomial Logistic Regression. The number of positive epithelial cells was expressed as mean and standard deviation and analyzed using the Student's T-test using the Statistical Package for the Social Sciences program. For all the tests performed, a significance level of 5% (p <0.05) was established. Immunohistochemical analysis evidenced positive marking throughout the sample. For the total number of cells with cytoplasmic immunostaining, between CR (67.7  12.6) and CD (64.5  16.1), there was no significant difference between the lesions (p = 0,480) and the Same result was found for nuclear immunostaining (p = 0.354). When the intensity of strong cytoplasmic immunostaining was observed and the clinical characteristics, the CD group presented a lower number of cells immunized by HIF-1&#945; (11.7  13.6) for the age group up to 30 years when compared to the age group of Individuals older than 30 years (34.5  20.0), showing statistical difference (p = 0.010). When the strong cytoplasmic immunostaining was observed between the CR and CD groups in the anterior region of the jaws, it was verified that the CR group presented a greater quantity of immunolabelled cells (28.5  8.5) than the CD group (14 , 0  11.4), with statistical difference (p = 0.014). Considering the results obtained in this research, it can be concluded that HIF-1&#945; is present in the epithelial constituents of CR and CD. However, further studies are needed to better elucidate the role of HIF-1&#945; in odontogenic cysts.
8

VariaÃÃes no diagnÃstico in vitro e abordagem terapÃutica de lesÃes de cÃrie por cirurgiÃes-dentistas em Fortaleza-CE / Variations in in vitro diagnosis and clinical approach of occlusal caries by dentists in Fortaleza-CE

Mara Assef LeitÃo Lotif 23 February 2017 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / ProposiÃÃo: Objetivou-se, atravÃs de um questionÃrio eletrÃnico com fotos clÃnicas e radiogrÃficas, identificar a variaÃÃo de diagnÃstico de cÃrie e sua relaÃÃo com o planejamento do tratamento alÃm de verificar a variaÃÃo do diagnÃstico quando utilizadas radiografias interproximais ou nÃo. Materiais e mÃtodos: O questionÃrio eletrÃnico foi elaborado com imagens clÃnicas e radiogrÃficas de 10 molares humanos extraÃdos sem defeitos como hipoplasias e apresentando sulcos oclusais que pudessem levar a algum tipo de dÃvida em relaÃÃo à presenÃa de cÃrie. Em seguida, foram preparadas lÃminas histolÃgicas com secÃÃes da regiÃo possivelmente afetada por cÃrie e observadas em microscopia Ãptica para validaÃÃo do diagnÃstico de cÃrie. O questionÃrio foi aplicado a 159 cirurgiÃes-dentistas, de ambos os gÃneros, atuantes na atenÃÃo primÃria do municÃpio de Fortaleza-CE. Foi calculado o percentual de acertos de diagnÃstico para exame visual e exame visual associado à radiografia e relacionado o diagnÃstico fornecido pelos participantes e Ãs suas respectivas opÃÃes terapÃuticas. Resultados: A associaÃÃo da radiografia interproximal ao exame visual nÃo influenciou na detecÃÃo de cÃries em esmalte, porÃm, contribuiu significantemente na detecÃÃo de lesÃes em dentina. As indicaÃÃes terapÃuticas para os diagnÃsticos fornecidos pelos participantes demonstraram tendÃncia ao sobretratamento para dentes hÃgidos e aqueles com cÃries em esmalte. ConclusÃo: Os achados deste trabalho levantam a necessidade de atualizaÃÃo dos cirurgiÃes-dentistas quanto ao diagnÃstico de cÃrie e condutas terapÃuticas atuais. / Purpose: The aim of this study was to identify the variation of caries diagnosis and its relationship with treatment planning, as well as to verify the variation of the diagnosis when using interproximal radiographs or not, through an electronic questionnaire with clinical and radiographic images. Materials and methods: The electronic questionnaire was elaborated with clinical and radiographic images of 10 extracted human molars without defects such as hypoplasias and showing occlusal pits and fisures that could lead to some kind of doubt regarding the presence of caries. Afterwards, histological slides were prepared with sections of the region possibly affected by caries and observed under optical microscopy to validate caries diagnosis. The questionnaire was applied to 159 dentists of both genders, working in primary care in Fortaleza-CE city. The percentage of correct diagnosis for visual examination and visual examination associated with radiography was calculated and the diagnosis provided by the participants and their respective therapeutic options was related. Results: The association of interproximal radiography with visual examination did not influence the detection of enamel caries, however, it contributed significantly to the detection of dentin lesions. Therapeutic indications for the diagnoses provided by participants demonstrated a tendency to overtreating sound teeth and those with enamel caries. Conclusion: The findings of this study raise the need for retraining dental surgeons regarding the caries diagnosis and current therapeutic approaches.
9

InvestigaÃÃo da associaÃÃo entre os mirnas 10a, 17, 29c e 31 e a expressÃo de il-6 e stat3 em lesÃes orais potencialmente malignas, no cÃncer bucal e campo de cancerizaÃÃo / Investigation about the association between miRNAs 10a, 17, 29c e 31 and the expression of IL-6 and STAT3 em potentially malignant lesions and squamous cell carcinoma and its field cancerization.

Carolina Rodrigues TeÃfilo 24 February 2017 (has links)
FundaÃÃo Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e TecnolÃgico / Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÃfico e TecnolÃgico / Oral cavity malignant neoplasms are a serious public health problem in Brazil and in the world. The most common histologic subtype in the mouth are squamous cell carcinoma (SCC). Often, before the onset of SCC, there are clinical and histological changes with a greater potential for malignant transformation, called potentially malignant disorders (PMD). Multiple molecular factors may contribute to the development of this neoplasms. Signal Transducers and Activators of Transcription-3 (STAT3) is a cytokine-activated signal transducer, which may be directly active in neoplastic. High levels of IL-6, a possible STAT3 activator, have been associated with poor prognosis in SCC. MicroRNAs (miRNAs) are a group of RNAs that act as gene-regulator in the post-transcriptional phase through the degradation or silencing of messenger RNAs. The present study aimed to quantify microRNAs miR-10a, miR-17, miR-29c and miR-31 in the field effect area of oral dysplasia and SCC. Additionally, it is intended to evaluate the expression of IL-6 and STAT3 in these lesions. For this, samples of 47 SCC, 21 PMD and 21 controls were collected. In the patients with SCC or PMD, in addition to the lesion area, a normal mucosa sample was collected, 1 cm away from the lesion. miRNAs were analyzed by real-time PCR and STAT3 and IL-6 by immunohistochemistry. The SCC sample was, most of them, moderately differentiated (91.5%), with growth in nets (73%) and non-keratinizing (52.6%). Dysplasia presented, more frequently, mild (52%), and 42.8% of them showed intense subepithelial inflammation. The mean age of the patients in the three groups was 52  21 years. Males were predominant in the SCC group (67.3%) and female in DPM (57.1%). The most frequent localization site for both groups was tongue. Hyperexpression of all studied miRNAs were observed in SCC and PMD, as well as in the perilesional regions. Evaluating SCC, all the miRNAs studied were correlated with each other, while in SCC perilesion increase of miR-31 was accompanied by elevation of miR-17 levels, as well as hyperexpression of miR-29c was accompanied by miR-10a increase. There was an increase of miR-17 and miR-29c in SCC compared to PMD. In PMD, the increase of miR-10a was accompanied by an increase of miR-17 and miR-29c; a similar situation occurred between miR-31 and miR-17. In PMD perilesion, miR-10a and miR-29c presented positive correlation. High expression of IL-6 was obtained in 100% of the SCC and PMD samples. STAT3 presented positivity for 84.6% of SCC samples and 88.2% of DPM samples. Positive correlation between miR-29c and miR-10a was found in SCC, in dysplasias and perilesional areas, indicating that hyperexpression of these microRNAs is an early event in the oral carcinogenesis. / As neoplasias malignas de cavidade oral constituem um sÃrio problema de saÃde pÃblica no Brasil e no mundo, sendo o tumor maligno mais comum em boca o Carcinoma de CÃlulas Escamosas (CCE). Frequentemente, antes do surgimento do CCE, ocorrem alteraÃÃes clÃnicas e histolÃgicas com maior potencial de transformaÃÃo maligna, chamadas desordens potencialmente malignas (DPM). Fatores moleculares podem contribuir para o desenvolvimento dessa neoplasia. O Signal Transducers and Activators of Transcription-3 (STAT3) à um transdutor de sinais frequentemente ativado por citocinas, como IL-6, que pode atuar nesse processo. Jà os microRNAs (miRNAs) regulam a expressÃo gÃnica pÃs-transcricional degradando ou silenciando RNAs mensageiros. O presente trabalho objetivou quantificar os nÃveis de microRNAs miR-10a, miR-17, miR-29c e miR-31 em campo de cancerizaÃÃo de displasias e CCE. Adicionalmente, avaliou-se o padrÃo de expressÃo de IL-6 e STAT3 nessas lesÃes. Para tanto, foram coletadas amostras de 47 CCEs, 21 displasias e 21 de mucosa normal. Nos grupos CCE e DPM, foi coletada amostra adicional de mucosa perilesional, distando 1 cm da lesÃo. Os miRNAs foram analisados por PCR em tempo real e STAT3 e IL-6 por imunoistoquÃmica (IQ). Os casos de CCE eram, predominantemente, moderadamente diferenciados (91,5%), com crescimento em lenÃÃis ou ninhos (73%) e nÃo-ceratinizantes (52,6%). As displasias leves apresentaram-se mais frequentemente (52%), sendo que 42,8% mostravam inflamaÃÃo subepitelial intensa. A idade mÃdia dos pacientes dos trÃs grupos foi de 52Â21 anos. Houve predomÃnio do sexo masculino no grupo CCE (67,3%) e do feminino nas displasias (57,1%). Detectou-se hiperexpressÃo dos miRNAs estudados em CCE e displasias, assim como nas regiÃes perilesionais. Identificou-se correlaÃÃo positiva entre todos os miRNAs estudados no grupo CCE, enquanto na Ãrea adjacente ao tumor o aumento de miR-31 foi acompanhado de elevaÃÃo nos nÃveis de miR-17, assim como o aumento de miR-29c foi seguido por incremento de miR-10a. Houve aumento significativo da expressÃo de miR-17 e miR-29c em CCE em relaÃÃo a displasias. Nestas, houve correlaÃÃo positiva do miR-10a com miR-29c e miR-17, ocorrendo situaÃÃo semelhante entre miR-31 e miR-17. Em regiÃo perilesional de DPM, os microRNAs miR-10a e miR-29c apresentaram correlaÃÃo positiva. O aumento da expressÃo de miR-31 foi relacionado a displasias com classificaÃÃo histolÃgica mais severa. Obteve-se alta expressÃo de IL-6 em 100% das amostras de CCE e DPM. STAT3 apresentou positividade para 84,6% das amostras de CCE e 88,2% de DPM. CorrelaÃÃo positiva entre miR-29c e miR-10a foi encontrada no CCE, nas displasias e Ãreas perilesionais, indicando que a hiperexpressÃo desses microRNAs à um evento precoce no processo de carcinogÃnese oral.
10

Efeito da corticoterapia sistÃmica crÃnica no desenvolvimento da periodontite apical em ratos. / Effect of chronic systemic corticosteroid on the development of apical periodontitis in rats.

Isabelly Vidal do Nascimento 07 March 2017 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A periodontite apical à uma das doenÃas orais de maior prevalÃncia em todo o mundo. A patogÃnese da doenÃa à bastante complexa, envolve diversos fatores relacionados à resposta imunolÃgica, como recrutamento de cÃlulas de defesa, liberaÃÃo de mediadores inflamatÃrios e a reabsorÃÃo Ãssea periapical. O uso de corticoterapia crÃnica sistÃmica pode estar diretamente relacionado com uma modificaÃÃo na biologia do desenvolvimento da periodontite apical, podendo influenciar o seu prognÃstico e tratamento. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a resposta inflamatÃria e o desenvolvimento da periodontite apical em ratos tratados cronicamente com glicocorticoides. Foram utilizados ratos Wistar (Rattus novergicus) machos divididos aleatoriamente em dois grupos: um grupo tratado com prednisona (5 mg/kg/dia) e um grupo controle que foi administrado soluÃÃo salina, durante 30 dias antes da induÃÃo da periodontite apical continuando atà o dia de eutanÃsia (0, 7, 14 e 28 dias) apÃs a induÃÃo da lesÃo. As mandÃbulas foram submetidas à avaliaÃÃo radiogrÃfica (tamanho da lesÃo) e posteriormente, foram realizadas anÃlises histolÃgica (tipo e intensidade da inflamaÃÃo), histomorfomÃtrica (contagem de osteoclastos, polimorfonucleares, mononucleares), histoquÃmica (avaliaÃÃo do percentual de fibras colÃgenas) e imunohistoquÃmica (Interleucina 1&#946;). Todas as anÃlises foram realizadas utilizando o software GraphPad Prism 5.0Â, considerando um nÃvel de significÃncia de 95%. Houve um aumento significativo no tamanho da lesÃo apical ao 14 dia dos animais tratados com prednisona (p<0,001).. Nesse mesmo dia, o grupo prednisona apresentou um perfil inflamatÃrio do tipo agudo, significantemente diferente do apresentado pelo grupo salina (p=0,007) e a intensidade do infiltrado inflamatÃrio do grupo prednisona foi maior que do grupo salina (p=0,007). A contagem de cÃlulas polimorfonucleares (p=0,006), osteoclastos (p=0,001) e imunomarcadas para IL-1&#946; (p=0,044) mostrou-se aumentada nos animais tratados com prednisona do 14 dia. O grupo prednisona tambÃm apresentou uma diminuiÃÃo na deposiÃÃo de colÃgeno tipo I (p=0,040) e o aumento de colÃgeno tipo III (p=0,039) no 28 dia. Conclui-se que os glicocorticoides modificaram o desenvolvimento da periodontite apical experimental induzida em ratos, causando aumento precoce da reabsorÃÃo Ãssea periapical e da necrose pulpar. Esses fÃrmacos tambÃm levaram a uma exacerbaÃÃo do processo inflamatÃrio agudo, bem como com um aumento nos nÃveis de IL-1&#946; e dos osteoclastos, alÃm de uma alteraÃÃo no perfil de colÃgeno dos tecidos conjuntivos apicais. / The apical periodontitis is one of the most prevalent oral diseases in the world. The pathogenesis of the disease is very complex, involving many factors related to the immune response, such as immune cells recruitment, release of inflammatory mediators and the periapical bone resorption. The use of chronic systemic corticosteroids may be directly related to a change in the developmental biology of apical periodontitis, which may influence its prognosis and treatment. Therefore, the objective of this study was to evaluate the inflammatory response and the development of apical periodontitis in rats chronically treated with glucocorticoids. Male Wistar rats (Rattus novergicus) were randomly divided into two groups: a prednisone (5 mg / kg / day) treated group and a control group that was given saline solution for 30 days prior to the induction of apical periodontitis, continuing until euthanasia (0, 7, 14 or 28 days after induction of the lesion). The jaws were submitted to radiographic evaluation (lesion size), and posterior histological (type and intensity of inflammation), histomorphometric (osteoclast counts, polymorphonuclear, mononuclear counts), histochemistry (evaluation of the percentage of collagen fibers) and immunohistochemistry (Interleukin 1&#946;) analyses were performed. All analyzes were performed using GraphPad Prism 5.0 software, at a significance level of 95%. There was a significant increase in apical lesion size at day 14 of prednisone-treated animals (p <0.001). Also on day 14, the prednisone group had an acute inflammatory profile (p= 0.007), significantly different from that presented on the saline group, and the intensity of the inflammatory infiltrate of the prednisone group was higher than that of the saline group (p = 0.007). Polymorphonuclear cells (p = 0.006), osteoclast (p = 0.001) and IL-1&#946;-immunolabelled cells counts (p = 0.044) were higher in animals treated with prednisone on the 14th day. The prednisone group also had a decrease in type I collagen (p=0,040) deposition and an increase in type III collagen (p=0,039) on the 28th day. Therefore, the glucocorticoids may alter the development of experimental apical periodontitis induced in rats, causing an early increase in periapical bone resorption and pulpal necrosis. These drugs may also lead to an exacerbation of the acute inflammatory process, as well as an increase in IL-1&#946; and osteoclast levels, as well as a change in the collagen profile of apical connective tissues.

Page generated in 0.0632 seconds