Return to search

Desenvolvimento e avaliaÃÃo de um novo adesivo odontolÃgico para remineralizaÃÃo biomimÃtica de interfaces adesivas

CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Uma recente alternativa para promover uma maior durabilidade Ãs restauraÃÃes à a remineralizaÃÃo biomimÃtica. Ela utiliza dois anÃlogos de fosfoproteÃnas da dentinogÃnese e poderia ser realizada utilizando um adesivo autocondicionante de dois passos contendo fosfatos de cÃlcio bioativos no adesivo e um novo anÃlogo biomimÃtico (EDTF, etilenodiamino tetrametileno-fosfonato) no primer, agindo como os dois diferentes tipos de anÃlogos jà conhecidos. Assim, um adesivo experimental foi preparado e aplicado com mistura prÃvia com fosfato de mono-cÃlcio mono-hidratado e beta fosfato tri-cÃlcio no bond. AlÃm disso, foram desenvolvidos primers de acordo com o delineamento experimental. Um primer sem anÃlogos e sem partÃculas no bond (controle negativo, CN), um contendo os anÃlogos mais utilizados na literatura trimetafosfato (TMP) de sÃdio e Ãcido poliacrÃlico (APA) (TMP/APA - controle positivo, CP), e outros contendo EDTF/TMP, EDTF/APA ou somente EDTF foram preparados. Um grupo somente com partÃculas no bond e sem os anÃlogos no primer tambÃm foi usado. Estes sistemas adesivos foram aplicados em dentina afetada por cÃrie (DAC) simulada artificialmente e em dentina hÃgida de molares humanos extraÃdos. ApÃs perÃodos de 24h e 6 meses de armazenamento, eles foram avaliados por teste de microtraÃÃo, nanoinfiltraÃÃo e espectroscopia Micro-Raman da interface (camada hÃbrida) e da dentina subjacente. Os dados de microtraÃÃo foram analisados estatisticamente com ANOVA dois fatores e Teste de Tukey (&#945;=5%). Na microtraÃÃo dos hÃgidos sà houve diferenÃa estatÃstica (p<0,05) nos grupos EDTF/TMP apresentando um aumento na resistÃncia de uniÃo apÃs 6 meses e no grupo EDTF/APA que teve um declÃnio. Em DAC, houve uma queda nos grupos CN, EDTF/TMP e EDTF/APA (p<0,05). Na anÃlise de nanoinfiltraÃÃo em DAC, o CN revelou a presenÃa de fendas e degradaÃÃo na regiÃo de dentina subjacente de forma imediata, e na camada de adesivo apÃs o envelhecimento, o que nÃo foi observado nos demais grupos. Na espectroscopia Micro-Raman foi possÃvel observar a presenÃa de mineralizaÃÃo mais acentuada nos grupos CP, EDTF, EDTF/TMP e somente partÃculas, porÃm isso nÃo foi observado nos grupos CN e EDTF/APA. Conclui-se que os melhores resultados para a adesÃo e a remineralizaÃÃo da dentina afetada por cÃrie sÃo obtidos com o uso dos anÃlogos tradicionais (TMP/APA) ou com EDTF sozinho e associado ao TMP, nÃo afetando a adesÃo à dentina hÃgida.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:www.teses.ufc.br:12048
Date16 February 2017
CreatorsMaria Elisa Martins Moura
ContributorsVictor Pinheiro Feitosa, Larissa Marinho Azevedo, MÃrio Ãureo Gomes Moreira
PublisherUniversidade Federal do CearÃ, Programa de PÃs-GraduaÃÃo em Odontologia, UFC, BR
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Formatapplication/pdf
Sourcereponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFC, instname:Universidade Federal do Ceará, instacron:UFC
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0039 seconds