Return to search

Uma reflexão sobre o direito à vida para além dos seres humanos

121 f. / Submitted by Ana Valéria de Jesus Moura (anavaleria_131@hotmail.com) on 2013-05-24T19:51:37Z
No. of bitstreams: 1
Uma reflexão sobre o direito à vida para além dos seres humanos - Marta de Oliveira Torres.pdf: 874785 bytes, checksum: 34c5c02ae7223d0e3a27be4db04a4429 (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Valéria de Jesus Moura(anavaleria_131@hotmail.com) on 2013-05-24T19:53:16Z (GMT) No. of bitstreams: 1
Uma reflexão sobre o direito à vida para além dos seres humanos - Marta de Oliveira Torres.pdf: 874785 bytes, checksum: 34c5c02ae7223d0e3a27be4db04a4429 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-05-24T19:53:16Z (GMT). No. of bitstreams: 1
Uma reflexão sobre o direito à vida para além dos seres humanos - Marta de Oliveira Torres.pdf: 874785 bytes, checksum: 34c5c02ae7223d0e3a27be4db04a4429 (MD5)
Previous issue date: 2012 / Na avaliação ética e jurídica de uma conduta, parte-se de um paradigma dominante antropocêntrico cujos critérios valorativos não incluem o valor da vida dos seres não-humanos. Para sustentar esse valor, há vários discursos repetidos ao longo da história, seja desprovendo os demais seres vivos de alma ou racionalidade, seja colocando o ser humano no topo de uma progressiva evolução, ou até mesmo combatendo filosofias ou religiões que pugnam uma maior aproximação com a natureza. A “coisificação” da vida está levando a uma devastação da natureza de tamanha monta que está a comprometer a vida atual e de futuras gerações. Na história brasileira, estamos presenciando o fim de florestas conservadas pelos índios, os quais estão sendo desapropriados de suas terras, com o aniquilamento de árvores e plantas da região. Somente uma mudança para um paradigma centrado na vida humana e não-humana viabilizará a permanência digna dos seres vivos das futuras gerações. No presente trabalho, analisaremos como o ser humano se relaciona com os animais e plantas na religião e alimentação ao longo da história e as respectivas explicações para essa diversidade de tratamento. Apontaremos a necessidade de mudança do paradigma antropocêntrico e a opção de uma ética biocêntrica, aplicando o “princípio responsabilidade” proposto por Hans Jonas. Veremos a utilização do Direito para a manutenção do valor antropocêntrico, cuja intolerância remonta aos registros de Zaratustra; perceberemos que a banalização da vida dos seres vivos não-humanos atravessa todo o registro histórico da humanidade. Ao analisarmos as decisões judiciais e a legislação produzida nas últimas décadas, verificaremos que o Direito brasileiro é um discurso utilizado para disfarçar a atrocidade que está sendo cometida contra a natureza em nome de um progresso acessível por uma minoria. / Salvador

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:192.168.11:11:ri/11328
Date January 2012
CreatorsTorres, Marta de Oliveira
ContributorsSilva, Mônica Neves Aguiar da
PublisherUniversidade Federal da Bahia
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFBA, instname:Universidade Federal da Bahia, instacron:UFBA
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0019 seconds