Return to search

Uso e motivações para consulta odontológica como mediadores da relação entre escolaridade e dor dentária

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Florianópolis, 2014. / Made available in DSpace on 2015-02-05T20:45:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1
331768.pdf: 1499136 bytes, checksum: 7d78fcd62e35fee0de4d8dfa0e0fc62d (MD5)
Previous issue date: 2014 / Objetivo: identificar se o padrão de utilização e os motivos de uso do serviço odontológico são mediadores da relação entre a escolaridade e dor dentária. Método: trata-se de uma análise seccional, realizada com dados do estudo de coorte prospectivo "EpiFloripa Adulto". A linha de base da coorte foi constituída no ano de 2009 (n=1720), e o primeiro seguimento da amostra ocorreu em 2012 (n=1218). A população de referência foi constituída por adultos entre 20 e 59 anos, residentes na zona urbana de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. A escolaridade foi a exposição de interesse. As variáveis mediadoras foram o padrão de utilização dos serviços odontológicos (regular/ocasional) e o motivo da última consulta com o dentista (prevenção/demais tratamentos). Dor dentária foi coletada em relação aos seis meses anteriores à entrevista. Sexo e idade do participante foram as covariáveis. Realizaram-se análises descritivas da amostra e estimou-se a prevalência de dor dentária, bem como sua associação com as variáveis independentes através do teste de qui-quadrado de Rao-Scott. O efeito mediador do padrão de utilização dos serviços e do motivo da última consulta com o dentista foi avaliado através da inclusão de termos de interação nas equações de regressão logística, além do método KHB, estimando os efeitos diretos, indiretos e totais, incluindo seus respectivos intervalos de confiança de 95%. Resultados: a amostra final compreendeu 1.099 indivíduos com informações válidas para todas as variáveis incluídas na análise. A prevalência de dor dentária foi de 17,5% (IC 95% 14,9 - 20,4). Através do método KHB, observou-se uma mediação inconsistente,todavia o efeito indireto apontou que indivíduos com escolaridade menor que 12 anos, que procuram o serviço odontológico ocasionalmente, e que realizaram a última consulta por motivos não relacionados à prevenção/rotina/revisão, apresentam uma chance 20% maior (OR 1,2; IC 95% 1,11 - 1,31) de relatar dor dentária do que seus pares. Conclusão: os resultados sugerem que o padrão de utilização dos serviços odontológicos e o motivo da procura pelo dentista na última consulta exercem um papel importante na relação entre escolaridade com a dor dentária. Políticas públicas de saúde bucal devem reduzir as desigualdades sociais no uso dos serviços odontológicos, ampliando a utilização para fins preventivos e de acompanhamento, tendo em vista que estes aspectos potencialmente afetam a ocorrência de desfechos importantes, incluindo a dor dentária.<br>

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.ufsc.br:123456789/129155
Date January 2014
CreatorsConstante, Helena Mendes
ContributorsUniversidade Federal de Santa Catarina, Bastos, João Luiz Dornelles, Peres, Marco Aurélio de Anselmo
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Format136 p.| il.
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFSC, instname:Universidade Federal de Santa Catarina, instacron:UFSC
Rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.004 seconds