Return to search

Utilização de lodo de esgoto na agricultura / not available

Com o desenvolvimento e crescimento do país, espera-se um crescimento dos serviços de esgotamento sanitário atingindo uma maior parcela da população. Somente na região das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, espera-se que em 2020, 5,6 milhões de habitantes sejam atendidos pelos sistemas de esgotamento. A carga total coletada será de aproximadamente 304 t DBO/diia que, se submetida a tratamento com eficiência média de 90%, será reduzida para o valor de 30 t DBO/dia. Em termos de volume, estima-se que no ano 2020, serão tratados cerca de 17.284 lls de esgoto. A disposição adequada do lodo de esgoto é fundamental, a fim de se evitar potenciais prejuízos ambientais. Entre as diversas alternativas para a disposição adequada do lodo de esgoto estão: aplicação em áreas degradadas, disposição em aterros sanitários, incineração, disposição no mar, aplicação na agricultura e aplicação em florestas. Todas estas alternativas possuem vantagens e desvantagens potenciais. O presente estudo mostra quais são algumas destas vantagens e desvantagens. Atualmente, existe uma tendência mundial em se priorizar as alternativas que promovam a reciclagem do lodo, tais como a aplicação em áreas degradadas, agricultura e florestas. Tomando como exemplo a cidade de Limeira, determinou-se o custo privado da aplicação agrícola do lodo de esgoto. Baseando-se em um modelo de aplicação agrícola norte-americano, o custo total de capital para a disposição de 2.744 toneladas de sólidos secos por ano será de R$ 454.973,68, enquanto que o custo de manutenção e operação será de R$ 70.575,15 por ano. Além dos custos privados, é fundamental para a determinação da escolha da melhor alternativa de disposição do lodo de esgoto, o levantamento dos custos sociais. Para tanto, o presente estudo apresenta algumas metodologias/ferramentas que poderão ser utilizadas em futuros estudos. Independente da alternativa escolhida para a disposição final do lodo de esgoto existe a necessidade de regulamentação, ou seja, a necessidade de impor normas e leis a fim de que determinados padrões e diretrizes sejam seguidos. No caso específico da disposição final do LE, diversos países elaboraram padrões e diretrizes de acordo com suas características culturais e de acordo com as características físico-químicas do LE. O presente estudo avalia a legislação norte-americana ("503"), mostrando quais são os seus principais pontos. A legislação brasileira que pode ser aplicada para a disposição final do LE, também é apresentada. / not available

Identiferoai:union.ndltd.org:usp.br/oai:teses.usp.br:tde-20181127-160817
Date14 December 1998
CreatorsRocha, Marcelo Theoto
ContributorsShirota, Ricardo
PublisherBiblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Source SetsUniversidade de São Paulo
LanguagePortuguese
Detected LanguagePortuguese
TypeDissertação de Mestrado
Formatapplication/pdf
RightsLiberar o conteúdo para acesso público.

Page generated in 0.0036 seconds