• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 10
  • Tagged with
  • 11
  • 11
  • 11
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Análise de Custo da Infecção Hospitalar em Unidade de Terapia Intensiva no Espírito Santo.

RODRIGUES, A. L. L. 28 September 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-30T10:49:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_2516_2005_Angela Lourenço Lopes Rodrigues.pdf: 666391 bytes, checksum: 072c4a9ba0be59e7270443bb9acb2b5b (MD5) Previous issue date: 2007-09-28 / As infecções adquiridas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) apresentam alta incidência, gerando repercussões sobre custos e mortalidade e, no Estado do Espírito Santo (ES), não existem informações disponíveis sobre o impacto econômico das infecções hospitalares em UTIs. O estudo objetiva estimar o custo das três principais infecções em UTIs destinadas a tratamento de pacientes adultos no ES infecções urinárias, pneumonias e infecções de corrente sanguínea. É uma pesquisa tipo casocontrole, com amostra de 97 casos de infecção hospitalar (IH), notificados, durante o período de 01 de julho de 2004 a 31 de dezembro de 2005, pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) de três hospitais da rede pública. Os casos foram pareados por sexo, idade, número de diagnósticos e índice de gravidade APACHE II à admissão nas UTIs, com 97 controles que não apresentaram infecção no período. A análise dos custos diretos das infecções nas UTIs considerou três variáveis: permanência extra na UTI, consumo de antimicrobianos e realização de exames microbiológicos. Ao se comparar os casos de infecção com seus controles, observou-se que, em média, a permanência hospitalar adicional foi 18 dias para os casos, que consumiram 2,4 mais doses diárias definidas (DDD) de antimicrobianos e realizaram mais 3,8 exames microbiológicos por paciente, durante a internação (p=0,000). No total, a estimativa da média do custo da internação hospitalar, nos dois grupos, demonstrou um custo extra de US$ 2.241, 35 (p=0,05), sendo as diárias de UTI o fator mais oneroso. Nos três tipos de infecção estudados, o maior excesso de custos foi observado para os casos de pneumonia, com média US$ 2.801,14 por paciente. Conclui-se que as infecções adquiridas em UTIs aumentaram a permanência dos pacientes e o consumo de antimicrobianos em hospitais públicos no Estado do Espírito Santo.
2

Vírus gastroentéricos como marcadores biológicos de contaminação de fômites hospitalares

Teixeira, Ana Carolina Ganime Alves January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-05-11T13:01:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 ana_teixeira_ioc_dout_2014.pdf: 2210367 bytes, checksum: 5beb9168ee6e8a292a1d6f9e977c6f99 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Os fômites desempenham um papel importante na disseminação de diferentes patógenos, em ambientes hospitalares. Atualmente, o Programa Nacional de Controle de Infecção Hospitalar (PCIH) dispõe sobre a obrigatoriedade dos hospitais manterem uma Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH) para execução do controle das infecções adquiridas durante as hospitalizações. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar o papel de vírus gastroentéricos, não incluído nestas normas, como potenciais marcadores biológicos de contaminação hospitalar. Com este propósito foram realizados estudos para demonstrar a disseminação e a infecciosidade de rotavírus da espécie A (RVA) e adenovírus humanos (HAdV) em superfícies e fômites de unidades de tratamentos intensivos (UTI) adulto e neonatal e enfermaria pediátrica da rede privada e pública. O primeiro estudo realizado em uma UTI de adultos detectou HAdV em 44,7% (63/141) dos fômites investigados com carga viral variando entre 2,48 x 101 e 2,1 x 103 cópias genômicas por mililitro (gc/mL), incluindo uma contaminação mista com HAdV e RVA. Pode-se observar uma diminuição significativa no percentual de detecção de HAdV (p <0,05) a partir de intervenções realizadas no processo de limpeza e desinfecção da UTI de adultos da rede privada. Embora a detecção de HAdV tenha sido significativamente maior (p <0,05) que RVA nos primeiros dois meses do estudo, os RVA apresentaram uma maior carga viral Tanto os HAdV quanto os RVA coletados dos fômites hospitalares puderam ser isolados em cultura celular, indicando que os vírus permanecem infecciosos nessas superfícies, apesar dos processos de desinfecção utilizados. Os dados referentes às unidades hospitalares infantis da rede pública revelaram uma maior taxa de detecção de HAdV [26,6% (128/480)] quando comparada com RVA [3,4% (16/480)] (p <0,001). Na unidade de terapia intensiva neonatal, 4,5% (7/156) das amostras foram positivas. Na enfermaria pediátrica, 42,3% foram positivas (137/324), sendo 4,3% (14/324) RVA positivas e 38% (123/324) HAdV positivas. Realizou-se uma avaliação da metodologia utilizada, determinando a recuperação de vírus a partir de superfícies porosas (fórmica porosa e emborrachado) e não porosas (fórmica lisa). A metodologia de amostragem por swab utilizada para coleta das amostras a partir dos fômites foi avaliada e a análise por PCR quantitativa (qPCR) revelou uma eficiência de recuperação variável, entre 0,6 e 77% de acordo com os vírus e as superfícies testadas. PP7 e MNV-1 foram recuperados em 100% das superfícies (P e NP) contaminadas artificialmente e indicou o MNV-1 como potencial controle interno para o monitoramento de todas as etapas da metodologia utilizada Concluindo, os resultados apontam os HAdV como potenciais marcadores de contaminação hospitalar, uma vez que: i) as superfícies analisadas apresentaram uma maior contaminação por estes vírus; ii) foi comprovada a infecciosidade destas amostras; iii) esses vírus podem ser isolados mais facilmente em culturas celulares. O monitoramento de fômites hospitalares mostra-se fundamental para demonstrar a dispersão dos vírus no ambiente hospitalar, podendo contribuir de forma mais eficaz na avaliação da qualidade microbiológica dos ambientes hospitalares, na elucidação de surtos hospitalares e, principalmente, na tomada de medidas eficazes para a prevenção e tratamento de doentes / Hospital fomites can play an important role in the spread of pathogens such as gastroenteric virus. Currently, the National Program of Hospital Infection Control requires hospitals to maintain a Committee of Nosocomial Infection Control for preventing infections acquired during hospitalization. In this context, the aim of this study was to evaluate the role of gastroenteric viruses as potential biomarkers of hospital contamination. For this purpose studies were performed to demonstrate the spread and infectivity of rotavirus species A (RVA) and human adenoviruses (HAdV) on surfaces and fomites of two hospitals: one private and one public, including adult, neonatal-Intensive care units (ICU) and pediatric ward. The first study conducted in an adult ICU, detected HAdV in 44.7% (63/141) of investigated fomites, with the viral load ranging from 2.48 x 101 to 2.1 x 103 genomic copies per milliliter (gc/mL), including a mixed contamination with HAdV and RVA. Furthermore, it can be observed a significant decrease in the percentage of detection of HAdV (p <0.05) from the cleaning and disinfection interventions of the adult ICU, similar to that previously observed for RVA. Although the detection of HAdV was significantly higher (p <0.05) than the RVA at the first two months of the study, the RVA showed a higher viral load. Both the RVA as HAdV collected from hospital fomites could be isolated in cell culture, indicating that those viruses remain infectious at this surfaces despite the disinfection processes used. Data regarding pediatric's public hospitals revealed a higher detection rate of HAdV [26.6% (128/480)] compared to RVA [3.4% (16/480)] (p <0.001). Only 4.5% (7/156) of the samples were positive in the neonatal intensive care unit. In the pediatric ward, 42.3% were positive (137/324), 4.3% (14/324) RVA positive samples and 38% (123/324) HAdV positive samples. Additionally, it was performed an evaluation of the methodology used in this study, determining the recovery of virus from porous surfaces (porous formica and rubber) and nonporous (nonporous formica) using murine norovirus 1 (MNV-1) and bacteriophage PP7 as internal process controls. The swab sampling methodology used for collecting samples from fomites was evaluated, quantitative PCR (qPCR) showed variable recovery efficiency, between 0.6 and 77% according to viruses and surfaces tested. PP7 and MNV-1 were recovered in 100% of the artificially contaminated surfaces (P and NP), and the MNV-1 was indicated as a potential internal control to monitor all stages of the methodology. In conclusion, the results indicate the HAdV as potential markers of nosocomial infection, since: i) the studied surfaces showed greater HAdV contamination; ii) the infectivity of these samples was proven; iii) these viruses can be more easily isolated in cell cultures. Therefore, the monitoring of hospital fomites proven to be crucial and helps to enhance the dispersion of the virus in the hospital environment, and could contribute more effectively in the evaluation of the microbiological quality of the hospital environment, at the elucidation of hospital outbreaks, and especially in the measured of prevention and treatment of patients.
3

Construção de um bundle para um manuseio do cateter venoso central: pesquisa baseada em evidência

Calil, Keila January 2014 (has links)
Submitted by Fabiana Gonçalves Pinto (benf@ndc.uff.br) on 2015-10-16T19:18:22Z No. of bitstreams: 1 Keila Calil.pdf: 845273 bytes, checksum: 57f8ea9c395904645b8c8cc412ae204c (MD5) / Made available in DSpace on 2015-10-16T19:18:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Keila Calil.pdf: 845273 bytes, checksum: 57f8ea9c395904645b8c8cc412ae204c (MD5) Previous issue date: 2014 / Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial / Problema: O objeto deste estudo apresenta-se pelas evidências científicas para a prevenção de Infecção Primária de Corrente Sanguínea (IPCS) em pacientes em uso do Cateter Venoso Central (CVC). A IPCS representa um dos principais problemas da assistência à saúde, com consequente impacto na morbidade e mortalidade dos pacientes, principalmente, daqueles que em decorrência da gravidade de sua doença, necessitam de um CVC. Muito se tem discutido, recentemente, acerca da segurança do paciente e reavaliar as práticas assistenciais prestadas com a utilização de um conjunto de boas práticas denominado "bundles", é uma orientação para redução dessas infecções. Objetivos: Construir um bundle para prevenção de Infecção Primária de Corrente Sanguínea (IPCS) no manuseio do Cateter Venoso Central (CVC). Descrever as evidências científicas para prevenção de IPCS em pacientes em uso do CVC estabelecendo padrões para as ações de enfermagem referente à prevenção dessas infecções. Elaborar critérios de avaliação das ações de enfermagem com vistas à prevenção de IPCS em pacientes em uso do CVC. Método: Pesquisa Baseada em Evidência (PBE) com a utilização de diretrizes nacional e internacional. Resultados e Discussão: Em virtude da necessidade de prevenção e controle das IRAS (Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde), podem-se considerar as diretrizes que abordam este tema como guia para a prática de um cuidado seguro para os pacientes uma vez que estas concentram na descrição das ações de prevenção o melhor nível de evidência disponível e de forma atualizada. Especificamente sobre a IPCS em pacientes em uso do CVC, salienta-se a importância das ações de prevenção serem praticadas em conjunto e ao mesmo tempo serem passíveis de avaliação com o objetivo de repensar o cuidado dispensado aos pacientes e educar a equipe de enfermagem para melhores práticas assistenciais. Dentro deste contexto a construção do bundle para manuseio do CVC apresenta-se como objeto e para construí-lo foram examinadas as diretrizes para prevenção de IPCS em pacientes em uso do CVC e redefinidas as ações de enfermagem para uma adequação à realidade que se pretende intervir. Por conseguinte, foram estabelecidos os padrões de cuidado para que assim fossem elaborados os critérios de avaliação para as ações de enfermagem que compõem o bundle. É possível, dessa maneira, visualizar o bundle como um instrumento para orientação, avaliação e melhoria do cuidado referente às ações como a higienização das mãos antes e após o manuseio do CVC e do sistema de infusão, uso de luvas não estéreis e desinfecção das conexões antes de serem acessadas, troca do sistema de infusão no tempo adequado com identificação da data, troca correta do curativo do sítio de inserção do CVC e documentação da avaliação diária do sítio de inserção do CVC. Considerações Finais: Pode-se afirmar que a melhor evidência científica para atuar na prevenção da IPCS em pacientes em uso do CVC se encontram nas diretrizes do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Entretanto, não é possível desconsiderar as diretrizes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) uma vez que dados da realidade do Brasil junto à realidade de um serviço específico são fatores determinantes para o sucesso de uma estratégia de melhoria. Contribuir para que os Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem que atuam em UTI de adultos permaneçam familiarizados com as evidências científicas para prevenção de IPCS em pacientes em uso do CVC e se comprometam em executar estas ações é uma das formas de envolver os recursos humanos no propósito de modificar uma realidade e contribuir para uma assistência de enfermagem mais uniforme no que diz respeito à teoria e prática. Significa entender a importância da enfermagem para a prevenção e controle de infecções e incentivar a busca por novos conhecimentos. Entende-se que, mostrar para esses profissionais como se apresenta a prática do cuidado da equipe de enfermagem é um aspecto decisivo para repensar a prática e encontrar um caminho em busca da segurança do paciente. / Problem: The object of this study presents the scientific evidences for the prevention of primary bloodstream infections in patients using central venous catheter (CVC). The IPCS is a major problem in health care, with consequent impact on morbidity and mortality of patients, mainly for those needs a CVC due the severity of their condition. Recently, much has been discussed about the safety of the patient and to reassess the care practices provided using a set of best practices called "bundles" is an orientation to reducing these infections. Aims: Build a Bundle for prevention of IPCS in handling CVC. Describe the scientific evidences for the prevention of IPCS in patients using CVC establishing standards for nursing actions related to the prevention of these infections. Develop evaluation criteria of nursing actions aimed at preventing IPCS in patients using CVC. Method: Evidence-Based Research (EBR) with the use of national and international guidelines. Results and Discussion: Because of the need for prevention and control of Prevent Health Care-Associated Infections (HAIs), the guidelines that address this issue may be considered as a guide to safe care practice for patients, since on description of prevention they focus the best level of evidence available and updated form. Specifically on the IPCS in patients using CVC emphasizes the importance of prevention being practiced together while being assessable in order to rethink the care given to patients and educating nursing staff for best assistance practices. Within this context, the construction of the bundle for handling the CVC presents itself as an object and to build it were examined IPCS guidelines for prevention in patients using CVC and nursing actions were redefined for adaptation to the reality that if you want to intervene. Subsequently were established the patterns of care for after develop evaluation criteria for nursing actions that make up the bundle. Thus, it’s possible to view the bundle as a tool for guidance, evaluation and improvement of care relating to actions such as washing hands before and after handling the CVC and the infusion system, use of non-sterile gloves and disinfecting of the connections before to access them, exchange of the infusion system at the appropriate time with identify the date, correctly replacement of the bandage of the insertion site of CVC and documentation of the daily assessment of the site of insertion of the CVC. Final Thoughts: It can be argued that the best scientific evidences for the early prevention of IPCS in patients using CVC are the guidelines of the Centers for Disease Control and Prevention (CDC). However, it is not possible to disregard the guidelines of the National Health Surveillance Agency (ANVISA, in Portuguese), since data from the reality of Brazil and the reality of a particular service are crucial to the success of an improvement strategy. Contribute to the nurses and nursing technicians who work in the adult ICU remain familiar with the scientific evidence for the prevention of IPCS in patients using CVC and commit themselves to perform these actions is one way to involve human resources in order to modifying a reality and contribute to a more uniform nursing assistance regarding the theory and practice. Means understanding the importance of nursing for the prevention and control of infections and encourage the search for new knowledge. It is understood that, to show for these professionals as the care practice of the nursing staff presents is a critical aspect to rethink the practice and find a path in search of the patient safety.
4

Avaliação do consumo de antimicrobianos em um hospital de alta complexidade / Evaluation of antimicrobial consumption in a high complexity hospital

Pereira, Lucas Borges 03 April 2017 (has links)
O descobrimento do primeiro antimicrobiano foi início do desenvolvimento de inúmeros antimicrobianos. No entanto, proporcionalmente a amplitude deste arsenal terapêutico, o seu consumo tornou-se excessivo e inadequado, levando ao quadro atual, no qual a resistência das bactérias a estes medicamentos vem dificultando a farmacoterapia de doenças infecciosas. Assim, o estudo do consumo destes medicamentos deve ser realizados para que estratégias sejam elaboradas no combate ao uso irracional de antimicrobianos. Portanto, o objetivo deste estudo é avaliar o consumo de antimicrobianos com finalidades terapêuticas e profiláticas em um hospital de alta complexidade por um período equivalente a um ano, bem como de seus respectivos setores de internação. Sendo assim, decidiu-se realizar um estudo observacional, retrospectivo, descritivo com desenho transversal no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP com pacientes adultos internados que receberam prescrição de antimicrobianos durante o ano de 2014. A coleta de dados será realizada por meio dos sistemas eletrônicos de informação do hospital. Assim, os dados coletados consistiram no registro dos pacientes, nas informações sociodemográficas, nas informações sobre a internação do paciente, resultados dos exames de cultura e antibiograma, e informações sobre a prescrição do antimicrobiano. A análise descritiva dos dados sociodemográficos, de internação, dos resultados dos exames, e da prescrição de antimicrobianos foi feita por meio de medidas resumos (média e desvio padrão) e distribuição de frequências absoluta e relativa. A comparação das médias de consumo entre os grupos profilaxia x tratamento e tratamento empírico x direcionado foi feita pelo teste t de Student para amostras dependentes. A Análise de Componentes Principais e análise de agrupamentos por método hierárquico foram ferramentas utilizadas para a análise exploratória do consumo de antimicrobianos profiláticos. Foram encontrados 7287 pacientes com 90475 prescrições de antimicrobianos (entre prescrições profiláticas, terapêutica empírica e direcionada). O consumo de antimicrobianos profiláticos abrange 11,7% de todo o consumo destes medicamentos, sendo que mais da metade deste consumo provém da ortopedia, unidade de terapia intensiva pós-operatória e unidade pós-operatória tórax e cardiovascular, além disso a cefazolina foi o medicamento mais consumido para profilaxia (52,0%). Dentre o consumo para o tratmento, 84% aconteceu de maneira empírica com utilização de antimicrobianos de amplo espectro de ação. Ao observar os antimicrobianos utilizados de maneira direcionada, destaca-se o aparecimento da oxacilina, polimixina B e os aminoglicosídeos. Diante dos resultados, há um elevado consumo profilático de antimicrobianos em alguns setores de internação, além de uma proporção maior de consumo no tratamento empírico, assim maiores investigações devem ser feitas para entender o comportamento deste excesso na utilização destes medicamentos / The discovery of the first antimicrobial was the beginning of the development of numerous antimicrobials. However, proportionately the amplitude of this therapeutic arsenal, its consumption has become excessive and inadequate, leading to the current situation, in which the resistance of bacteria to these drugs has been making difficult the pharmacotherapy of infectious diseases. Thus, the study of the consumption of these drugs must be carried out so that strategies are developed in the fight against the irrational use of antimicrobials. Therefore, the objective of this study is to evaluate the consumption of antimicrobials for therapeutic and prophylactic purposes in a hospital of high complexity for a period equivalent to one year, as well as of their respective sectors of hospitalization. Therefore, it was decided to carry out a study observational, retrospective, descriptive and cross-sectional study at Hospital das Clínicas of the Medical School of Ribeirão Preto - USP with hospitalized adult patients who received antimicrobial prescription during the year 2014. The data collection will be performed through the hospital\'s electronic information systems. Thus, the data collected consisted of patient registration, sociodemographic information, patient hospitalization information, culture and antibiogram examination results, and information on antimicrobial prescription. Descriptive analysis of sociodemographic data, hospitalization, test results, and antimicrobial prescription was done by means of summary measures (mean and standard deviation) and absolute and relative frequency distribution. The comparison of the means of consumption between the prophylaxis vs treatment groups and empirical x direct treatment was done by the Student t test for dependent samples. The Principal Component Analysis and Hierarchical grouping analysis were tools used for the exploratory analysis of prophylatic antimicrobial consumption. We found 7287 with 90475 antimicrobial prescriptions (between prophylactic prescriptions, empirical and targeted therapy). The consumption of prophylactic antimicrobials covers 11.69% of all consumption of these drugs, and more than half of this consumption comes from orthopedics, a postoperative intensive care unit and a postoperative chest and cardiovascular unit. In addition, cefazolin was the Most commonly used medication for prophylaxis (52%). Among the consumption for the treatment, 84% happened in an empirical way with the use of broad-spectrum antimicrobial agents. When looking at the antimicrobials used in a targeted manner, we highlight the appearance of oxacillin, polymyxin B and aminoglycosides. In view of the results, there is a high prophylaxis of antimicrobial use in some hospitalization sectors, in addition to a greater proportion of consumption in empirical treatment, so further investigations should be made to understand the behavior of this excess in the use of these drugs
5

Políticas públicas para prevenção e controle de IRAS: concepção de um modelo explicativo para sua estruturação / Public Policies for Prevention and Control of HAI: Design of an explanatory model for its composition

Nogueira Junior, Cassimiro 09 March 2018 (has links)
Introdução: As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) constituem um problema de interesse global por seu impacto para a segurança dos cuidados em saúde. Consequentemente, demandam a implantação de políticas públicas eficazes para sua prevenção e controle. Uma manifestação concreta das políticas públicas é o estabelecimento e manutenção de programas nacionais específicos para a prevenção e controle de IRAS. Objetivo: O objetivo do estudo foi analisar e comparar a implantação dos programas nacionais de prevenção e controle de IRAS no Brasil, Chile e Israel. Métodos: Trata-se de um estudo de caso descritivo e exploratório que utilizou o modelo do triângulo de análise de políticas de saúde para comparar o contexto, o processo, o conteúdo e os atores destes programas governamentais. Os dados foram coletados entre 2014 e 2017 em três fases: Fase I acesso às páginas eletrônicas dos programas nos países selecionados; Fase II visita à sede do programa nacional e Fase III - construção do modelo teórico explicativo. Resultados: Elementos comuns entre os três países foram identificados permitindo a proposição de um modelo teórico explicativo constituído de dois núcleos: núcleo de formação - composto por três componentes estratégicos (gerador de necessidade, formador de alternativas e promotor do interesse social); e núcleo de desenvolvimento e sustentabilidade dos programas composto por outros quatro componentes estratégicos (gerador de decisão, gerador de sustentação, gerador de renovação e patrocinadores do processo). Conclusão: O modelo proposto contribui na compreensão dos fatores que podem influenciar o progresso de um programa nacional de IRAS, fornecendo reflexões sobre elementos para o estabelecimento de programas em países nos quais ainda estão incipientes. / Background: Healthcare-associated infections (HAIs) are a global concern due to the impact on healthcare safety. Consequently, they demand the implementation of effective public policies for their prevention and control. A concrete manifestation of public policies is the establishment and maintenance of specific national programs for the prevention and control of IRAS. Aim: The objective of this study was to analyze and compare the implementation of national programs for the prevention and control of HAIs in Brazil, Chile, and Israel. Methods: It is a descriptive and exploratory case study that used the triangle of health policy analysis to compare the context, the process, the content and the actors of these government programs. Data were collected between 2014 and 2017 in three phases: Phase I - access to the electronic pages of the programs in the selected countries; Phase II - visit to the headquarters of the national program and Phase III - construction of the theoretical explanatory model. Results: The triangle of health policy analysis was used to compare the context, process, and content of national HAI prevention and control programs. Common elements identified among the three countries led to the proposal of an explanatory theoretical model constituted of two nuclei: formation nuclei - composed of three strategic components (necessity generator, alternatives generator and promoter of social interest); and development & sustainability nuclei - composed of four other strategic components (decision generator, sustainability generator, renewal generator and process sponsors). Conclusion: The proposed model contributes to understanding the factors that can influence the progress of a national HAI program, providing insights into the elements for establishing programs in countries where they are still inceptive.
6

Avaliação dos programas de controle de infecção hospitalar em serviço de saúde do município de Ribeirão Preto / Evaluation of Hospital Infection Programs in Health Facilities of Ribeirão Preto

Menegueti, Mayra Gonçalves 26 August 2013 (has links)
As infecções hospitalares (IH) são consideradas importantes fatores de complicação no tratamento de pacientes internados, pois causam sofrimento, contribuem para o aumento das taxas de morbidade, mortalidade e tempo de permanência no hospital e consequentemente elevam os custos da internação. O Programa de Controle de Infecção Hospitalar (PCIH) ainda é a principal e mais reconhecida alternativa para o estabelecimento de ações de controle e prevenção de IH e a avaliação de seu desempenho é essencial nas diferentes instituições de saúde, pois o fato de haver legislações vigentes no país sobre a obrigatoriedade da implantação de um PCIH não garante a sua existência, implantação e efetividade. Para a avaliação dos processos de trabalho, a literatura recomenda a utilização de indicadores de estrutura, processo e resultado. Assim, este estudo objetivou avaliar a qualidade da assistência à saúde quanto à adoção das diretrizes dos PCIH nas instituições hospitalares da cidade de Ribeirão Preto. Trata-se de um estudo descritivo exploratório, com abordagem quantitativa. A população foi composta por 16 PCIH dos serviços de saúde do município, sendo que 13 deles participaram do estudo. Para a obtenção dos dados foram realizadas entrevistas com os membros das comissões de controle de infecção hospitalar (CCIH) das instituições incluídas e análises de documentos comprobatórios. Os instrumentos utilizados, na forma de indicadores clínicos processuais são de domínio público e estão disponibilizados no Manual de Indicadores de Avaliação de Práticas de Controle de IH. O indicador 1 de Avaliação da Estrutura Técnico-Operacional do PCIH (PCET) apresentou 75% de conformidade, sendo as principais não conformidades referentes à carência de profissional médico (46,15%) ou ainda enfermeiro sem exclusividade à CCIH e/ou com tempo de atividade não suficiente (38,46%), além da ausência de espaço físico delimitado e exclusivo (30,77%). Para o Indicador de Avaliação das Diretrizes Operacionais de Controle e Prevenção de IH (PCDO) a taxa de conformidade encontrada neste estudo foi de 58,97%. O item de menor conformidade foi referente à padronização de soluções germicidas e anti-sépticos (46,15%). O Indicador de Avaliação do Sistema de Vigilância Epidemiológica de IH (PCVE) apresentou 82% de conformidade. O componente com elevada inadequação (46,16%) foi o que questiona se relatórios correlacionam resultados de IH com estratégias de controle e prevenção adotadas (intervenções). Outro item com baixa conformidade foi relacionado aos critérios padronizados utilizados para notificação de IH, sendo que em média apenas 60% das instituições o fazem. Para o Indicador de Avaliação das Atividades de Controle e Prevenção de IH (PCCP) obteve-se taxa de conformidade de 60,29%, sendo que referente às atividades desenvolvidas no laboratório de análises clínicas e anatomia patológica nenhum serviço apresentou evidências de realização destas. A presente investigação identificou que estes indicadores são aplicáveis às instituições de saúde, podendo e devendo ser utilizados para auditoria interna, bem como pela vigilância sanitária para avaliação dos PCIH. Conclui- se também que muitas vezes as atividades das CCIH ficam restritas àquelas de natureza burocrática, com preenchimento de relatórios e envio de taxas para cumprimento da exigência das normas legais não privilegiando as direcionadas a melhoria contínua da qualidade e a segurança do paciente, conhecendo o problema das infecções e trabalhando para a redução real destas, evidenciando uma grande lacuna entre as recomendações e a prática / Hospital infections (HI) are considered to be important complication factors of inpatient treatments, because they cause suffering, contribute with higher morbidity and mortality rates, and increase the length of stay, eventually increasing the costs of hospitalization. The Hospital Infection Control Program (HICP) remains the best acknowledged alternative to establishing HI prevention and control measures, and evaluating HICP performance is essential across different health facilities, because just the fact Brazil has laws determining the implementation of a HICP is not enough to guarantee it will be implemented and function effectively. According to literature, working processes should be evaluated considering indicators of structure, process and outcome. Therefore, the objective of this study was to evaluate the quality of health care delivered in hospitals in the city of Ribeirão Preto, in terms of adopting HICP guidelines. This is a descriptive and exploratory study, using a quantitative approach. The population consisted of 16 HICP of the city health network services, 13 of them participated in the study. Data collection was performed through interviews with the members of hospital infection control committees (HICC) of the services included, and by analyzing substantiating documents. The instruments used, in the form of clinical process indicators, are of public domain and made available by the Manual of Indicators for HI Control Practice Evaluation. The Indicator 1 for the Evaluation of the Technical-Operational Structure of the HICP (CPTS) presented a 75% compliance, and the main non-compliance issues were regarding the need for medical professionals (46.15%) or, yet, nurses that were not exclusive to the HICC and/or with insufficient working hours (38.46%), besides the lack of a specified and exclusive physical area (30.77%). Regarding the Indicator for the Evaluation of the Operational Guidelines for HI Control and Prevention (CPOG) the compliance rate was 58.97%. The item with the lowest compliance rate referred to the standardization of germicide and antiseptic solutions (46.15%). The Indicator for the Evaluation of the Epidemiological Surveillance System for HI (CPES) presented 82% compliance. The component with high inadequacy (46.16%) was that which verifies if reports correlate HI outcomes with the adopted control and prevention strategies (interventions). Another item with poor compliance was related to the standard criteria used to notify HI, which is followed only by an average of 60% of the institutions. Regarding the Indicator for the Evaluation of HI Control and Prevention Activities (CPPC) a 60.29% compliance rate was obtained, in that in terms of the activities performed in the clinical and pathological anatomy analysis laboratory none of the services presented evidence of their implementation. The present investigation allowed for identifying that these indicators are applicable to health institutions, and, therefore, could and should be used for internal audits, as well as by the health surveillance with the purpose of evaluating HICP. In conclusion, HICC are often restricted to bureaucratic activities, such as completing report and forwarding fees to enforce compliance of the law and fail to make effective efforts in improving service quality and patient safety, identifying the infection problems and working to achieve a real reduction in HI rates, which shows a gap between guidelines and practice
7

As ações para o controle das infecções hospitalares em Aracaju: resultados de um inquérito da Vigilância Sanitária Municipal.

Lyrio, Lucas Nogueira Santos 16 July 2012 (has links)
Submitted by Maria Creuza Silva (mariakreuza@yahoo.com.br) on 2014-10-01T17:45:59Z No. of bitstreams: 1 DISS MP LUCAS LYRIO. 2012.pdf: 276796 bytes, checksum: fd8a167eedb341d250a1905069f11873 (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Creuza Silva (mariakreuza@yahoo.com.br) on 2014-10-02T16:39:11Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISS MP LUCAS LYRIO. 2012.pdf: 276796 bytes, checksum: fd8a167eedb341d250a1905069f11873 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-10-02T16:39:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISS MP LUCAS LYRIO. 2012.pdf: 276796 bytes, checksum: fd8a167eedb341d250a1905069f11873 (MD5) / As infecções hospitalares (IH) são eventos adversos decorrentes de procedimentos diagnósticos e terapêuticos realizados no ambiente hospitalar. Devido ao aumento em sua incidência nas últimas décadas, as IH tornaram-se importante foco de atenção e medidas para prevenção, controle e promoção de um ambiente livre da infecção hospitalar foram adotadas mundialmente. No Brasil, normas regulamentando a criação e funcionamento de comissões e programas de controle de infecção hospitalar (CCIH e PCIH) existem desde 1983. Entretanto, poucos estudos avaliaram o grau de conformidade com a legislação dos PCIH implantados. Este estudo teve como objetivo verificar o grau de conformidade dos PCIH dos 16 hospitais de Aracaju em relação às normas definidas pela Portaria GM/MS nº 2616/98, no ano de 2011. Além disso, buscou obter informações sobre as ações de prevenção e controle de IH desenvolvidas pelas CCIH destes hospitais, e sobre a estrutura e funcionamento das CCIH destes hospitais, com intuito de oferecer subsídios para discussão a respeito da política de controle de IH do sistema de saúde em Aracaju. Tratou-se de um estudo descritivo, de corte transversal, onde foram utilizados dados secundários fornecidos pela Coordenação de Vigilância Sanitária de Aracaju (COVISA/AJU) de inspeções sanitárias realizadas em 16 hospitais de Aracaju no ano de 2011. Durante as inspeções, a COVISA/AJU utilizou um instrumento padronizado, constituído por quatro grupos de indicadores específicos relacionados à qualidade do PCIH: 1) estrutura técnico-operacional do PCIH; 2) diretrizes operacionais de controle e prevenção de IH; 3) sistema de vigilância epidemiológica de IH; e 4) atividades de controle e prevenção de IH. As análises foram realizadas através do programa Epi Info. Estas constaram de estatísticas descritivas, como frequência absoluta e relativa, relacionadas aos grupos de indicadores citados. Foi determinada e descrita a frequência de conformidade dos PCIH com base na Portaria GM/MS nº 2616/98. O padrão de conformidade dos 16 hospitais para cada grupo de indicadores foi de 68%, 68%,57% e 57%, respectivamente. Em relação à frequência de conformidade dos grupos de indicadores, segundo a natureza administrativa dos hospitais, observou-se melhores desempenhos para o grupo relacionado às diretrizes operacionais de controle e prevenção de IH nos hospitais privados e públicos em comparação aos filantrópicos. Os demais grupos de indicadores apresentaram frequências de conformidade semelhantes entre os hospitais das três naturezas. Conclui-se que os programas de prevenção e controle de IH desenvolvidos pelos hospitais de Aracaju são incipientes e que não atendem integralmente os requisitos da legislação sanitária vigente. Recomenda-se ao município de Aracaju constituir Coordenação Municipal de Controle de Infecção Hospitalar para conduzir a incorporação de medidas de controle de IH nos hospitais instalados em seu território e apoiá-los na aplicação dessas medidas.
8

Avaliação dos programas de controle de infecção hospitalar em serviço de saúde do município de Ribeirão Preto / Evaluation of Hospital Infection Programs in Health Facilities of Ribeirão Preto

Mayra Gonçalves Menegueti 26 August 2013 (has links)
As infecções hospitalares (IH) são consideradas importantes fatores de complicação no tratamento de pacientes internados, pois causam sofrimento, contribuem para o aumento das taxas de morbidade, mortalidade e tempo de permanência no hospital e consequentemente elevam os custos da internação. O Programa de Controle de Infecção Hospitalar (PCIH) ainda é a principal e mais reconhecida alternativa para o estabelecimento de ações de controle e prevenção de IH e a avaliação de seu desempenho é essencial nas diferentes instituições de saúde, pois o fato de haver legislações vigentes no país sobre a obrigatoriedade da implantação de um PCIH não garante a sua existência, implantação e efetividade. Para a avaliação dos processos de trabalho, a literatura recomenda a utilização de indicadores de estrutura, processo e resultado. Assim, este estudo objetivou avaliar a qualidade da assistência à saúde quanto à adoção das diretrizes dos PCIH nas instituições hospitalares da cidade de Ribeirão Preto. Trata-se de um estudo descritivo exploratório, com abordagem quantitativa. A população foi composta por 16 PCIH dos serviços de saúde do município, sendo que 13 deles participaram do estudo. Para a obtenção dos dados foram realizadas entrevistas com os membros das comissões de controle de infecção hospitalar (CCIH) das instituições incluídas e análises de documentos comprobatórios. Os instrumentos utilizados, na forma de indicadores clínicos processuais são de domínio público e estão disponibilizados no Manual de Indicadores de Avaliação de Práticas de Controle de IH. O indicador 1 de Avaliação da Estrutura Técnico-Operacional do PCIH (PCET) apresentou 75% de conformidade, sendo as principais não conformidades referentes à carência de profissional médico (46,15%) ou ainda enfermeiro sem exclusividade à CCIH e/ou com tempo de atividade não suficiente (38,46%), além da ausência de espaço físico delimitado e exclusivo (30,77%). Para o Indicador de Avaliação das Diretrizes Operacionais de Controle e Prevenção de IH (PCDO) a taxa de conformidade encontrada neste estudo foi de 58,97%. O item de menor conformidade foi referente à padronização de soluções germicidas e anti-sépticos (46,15%). O Indicador de Avaliação do Sistema de Vigilância Epidemiológica de IH (PCVE) apresentou 82% de conformidade. O componente com elevada inadequação (46,16%) foi o que questiona se relatórios correlacionam resultados de IH com estratégias de controle e prevenção adotadas (intervenções). Outro item com baixa conformidade foi relacionado aos critérios padronizados utilizados para notificação de IH, sendo que em média apenas 60% das instituições o fazem. Para o Indicador de Avaliação das Atividades de Controle e Prevenção de IH (PCCP) obteve-se taxa de conformidade de 60,29%, sendo que referente às atividades desenvolvidas no laboratório de análises clínicas e anatomia patológica nenhum serviço apresentou evidências de realização destas. A presente investigação identificou que estes indicadores são aplicáveis às instituições de saúde, podendo e devendo ser utilizados para auditoria interna, bem como pela vigilância sanitária para avaliação dos PCIH. Conclui- se também que muitas vezes as atividades das CCIH ficam restritas àquelas de natureza burocrática, com preenchimento de relatórios e envio de taxas para cumprimento da exigência das normas legais não privilegiando as direcionadas a melhoria contínua da qualidade e a segurança do paciente, conhecendo o problema das infecções e trabalhando para a redução real destas, evidenciando uma grande lacuna entre as recomendações e a prática / Hospital infections (HI) are considered to be important complication factors of inpatient treatments, because they cause suffering, contribute with higher morbidity and mortality rates, and increase the length of stay, eventually increasing the costs of hospitalization. The Hospital Infection Control Program (HICP) remains the best acknowledged alternative to establishing HI prevention and control measures, and evaluating HICP performance is essential across different health facilities, because just the fact Brazil has laws determining the implementation of a HICP is not enough to guarantee it will be implemented and function effectively. According to literature, working processes should be evaluated considering indicators of structure, process and outcome. Therefore, the objective of this study was to evaluate the quality of health care delivered in hospitals in the city of Ribeirão Preto, in terms of adopting HICP guidelines. This is a descriptive and exploratory study, using a quantitative approach. The population consisted of 16 HICP of the city health network services, 13 of them participated in the study. Data collection was performed through interviews with the members of hospital infection control committees (HICC) of the services included, and by analyzing substantiating documents. The instruments used, in the form of clinical process indicators, are of public domain and made available by the Manual of Indicators for HI Control Practice Evaluation. The Indicator 1 for the Evaluation of the Technical-Operational Structure of the HICP (CPTS) presented a 75% compliance, and the main non-compliance issues were regarding the need for medical professionals (46.15%) or, yet, nurses that were not exclusive to the HICC and/or with insufficient working hours (38.46%), besides the lack of a specified and exclusive physical area (30.77%). Regarding the Indicator for the Evaluation of the Operational Guidelines for HI Control and Prevention (CPOG) the compliance rate was 58.97%. The item with the lowest compliance rate referred to the standardization of germicide and antiseptic solutions (46.15%). The Indicator for the Evaluation of the Epidemiological Surveillance System for HI (CPES) presented 82% compliance. The component with high inadequacy (46.16%) was that which verifies if reports correlate HI outcomes with the adopted control and prevention strategies (interventions). Another item with poor compliance was related to the standard criteria used to notify HI, which is followed only by an average of 60% of the institutions. Regarding the Indicator for the Evaluation of HI Control and Prevention Activities (CPPC) a 60.29% compliance rate was obtained, in that in terms of the activities performed in the clinical and pathological anatomy analysis laboratory none of the services presented evidence of their implementation. The present investigation allowed for identifying that these indicators are applicable to health institutions, and, therefore, could and should be used for internal audits, as well as by the health surveillance with the purpose of evaluating HICP. In conclusion, HICC are often restricted to bureaucratic activities, such as completing report and forwarding fees to enforce compliance of the law and fail to make effective efforts in improving service quality and patient safety, identifying the infection problems and working to achieve a real reduction in HI rates, which shows a gap between guidelines and practice
9

Vigilancia pos-alta em cesareas : incidencia e fatores associados a infecção do sitio cirurgico / Postdischarge surveillance following cesarean section : the incidence of surgical site infection and associated factors

Cardoso Del Monte, Meire Celeste 14 August 2018 (has links)
Orientador: Aarão Mendes Pinto Neto / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-14T08:21:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CardosoDelMonte_MeireCeleste.pdf: 1822486 bytes, checksum: 5ef969ace185af2a5bc1edb9dc948b68 (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: Objetivo: Identificar a taxa de incidência de infecção do sítio cirúrgico (ISC) e fatores associados ao aparecimento desta infecção, em pacientes submetidas à cesárea em um hospital público, de ensino e terciário, através da vigilância pósalta. Sujeitos e Métodos: Foram admitidas no estudo 204 mulheres que realizaram cesárea no Centro de Atenção Integral à Saúde da mulher no período de maio de 2008 a março de 2009 e que possuíam telefone para contato. A pesquisadora abordava as mulheres durante sua internação e preenchia uma ficha para registrar os fatores associados às infecções pós-cesárea. Após a alta hospitalar, a pesquisadora ligava para essas mulheres 15 e 30 dias após a cirurgia, preenchendo um questionário para obter dados relativos à infecção pós-operatória. A análise estatística foi feita com o programa SAS versão 9.02, usando-se os testes qui-quadrado e exato de Fisher para variáveis categóricas e Mann-Whitney para variáveis numéricas. Um modelo de regressão logística para riscos de COX (RR), com critério de seleção de variáveis stepwise, foi utilizado para identificar os fatores associados a ISC. O RR e seu intervalo de confiança foram calculados e p<0,05 foi considerado significativo. Resultados: A amostra final foi de 187 mulheres. Dessa amostra 44 apresentaram uma ISC, correspondendo a uma taxa de 23,5%. Em 42 mulheres (95%) a ISC manifestou-se após a alta, sendo que em 39 delas (93%) a ISC manifestou-se dentro dos primeiros 15 dias. Na análise bivariada foram observadas como significantes para ISC as variáveis: número de consultas pré-natal = 7 e hipertensão arterial. Na análise multivariada foi observada significância apenas para hipertensão arterial. Conclusão: A vigilância pós-alta é fundamental para não subestimar as ISC em cesáreas, e neste estudo um acompanhamento de 15 dias pós-alta foi suficiente para detectar o aparecimento dessas infecções. A hipertensão arterial foi associada à ISC. / Abstract: Objective: To identify the rate of surgical site infections (SSI) and factors associated with their occurrence by performing postdischarge surveillance of patients following Cesarean section at a public university teaching hospital. Subjects and Methods: A total of 204 women, who had undergone Cesarean section at the Center for Women's Integrated Healthcare (CAISM) between May 2008 and March 2009 and who were able to be contacted by telephone, were admitted to the study. The women were approached during hospitalization and a form was completed on factors associated with post-Cesarean section infections. Following discharge from hospital, the women were contacted by telephone 15 and 30 days after surgery to complete a questionnaire on the presence of postoperative infection. Statistical analyses were performed using the SAS statistical software program, version 9.02. The chi-square test and Fisher's exact test were used to analyze categorical variables and the Mann Whitney test for numerical variables. Cox proportional hazards regression model with stepwise variable selection was applied to determine the relative risks (RR) and respective confidence intervals of factors associated with SSI. Significance was established at p<0.05. Results: The final sample consisted of 187 women. SSI was detected in 44 cases (23.5%). In 42/44 women (95%), SSI appeared following discharge from hospital, becoming evident within the first 15 days following surgery in 39/44 cases (93%). Bivariate analysis indicated the following variables as being significantly associated with SSI: number of prenatal visits =7 and hypertension; however, only hypertension remained significant in the multivariate analysis. Conclusion: Postdischarge surveillance is essential for ensuring accurate estimates of post-Cesarean section SSI; nevertheless, the present findings suggest that a 15-day post discharge follow up is sufficient to detect these infections. Hypertension was associated with SSI. / Universidade Estadual de Campi / Ciencias Biomedicas / Mestre em Tocoginecologia
10

Políticas públicas para prevenção e controle de IRAS: concepção de um modelo explicativo para sua estruturação / Public Policies for Prevention and Control of HAI: Design of an explanatory model for its composition

Cassimiro Nogueira Junior 09 March 2018 (has links)
Introdução: As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) constituem um problema de interesse global por seu impacto para a segurança dos cuidados em saúde. Consequentemente, demandam a implantação de políticas públicas eficazes para sua prevenção e controle. Uma manifestação concreta das políticas públicas é o estabelecimento e manutenção de programas nacionais específicos para a prevenção e controle de IRAS. Objetivo: O objetivo do estudo foi analisar e comparar a implantação dos programas nacionais de prevenção e controle de IRAS no Brasil, Chile e Israel. Métodos: Trata-se de um estudo de caso descritivo e exploratório que utilizou o modelo do triângulo de análise de políticas de saúde para comparar o contexto, o processo, o conteúdo e os atores destes programas governamentais. Os dados foram coletados entre 2014 e 2017 em três fases: Fase I acesso às páginas eletrônicas dos programas nos países selecionados; Fase II visita à sede do programa nacional e Fase III - construção do modelo teórico explicativo. Resultados: Elementos comuns entre os três países foram identificados permitindo a proposição de um modelo teórico explicativo constituído de dois núcleos: núcleo de formação - composto por três componentes estratégicos (gerador de necessidade, formador de alternativas e promotor do interesse social); e núcleo de desenvolvimento e sustentabilidade dos programas composto por outros quatro componentes estratégicos (gerador de decisão, gerador de sustentação, gerador de renovação e patrocinadores do processo). Conclusão: O modelo proposto contribui na compreensão dos fatores que podem influenciar o progresso de um programa nacional de IRAS, fornecendo reflexões sobre elementos para o estabelecimento de programas em países nos quais ainda estão incipientes. / Background: Healthcare-associated infections (HAIs) are a global concern due to the impact on healthcare safety. Consequently, they demand the implementation of effective public policies for their prevention and control. A concrete manifestation of public policies is the establishment and maintenance of specific national programs for the prevention and control of IRAS. Aim: The objective of this study was to analyze and compare the implementation of national programs for the prevention and control of HAIs in Brazil, Chile, and Israel. Methods: It is a descriptive and exploratory case study that used the triangle of health policy analysis to compare the context, the process, the content and the actors of these government programs. Data were collected between 2014 and 2017 in three phases: Phase I - access to the electronic pages of the programs in the selected countries; Phase II - visit to the headquarters of the national program and Phase III - construction of the theoretical explanatory model. Results: The triangle of health policy analysis was used to compare the context, process, and content of national HAI prevention and control programs. Common elements identified among the three countries led to the proposal of an explanatory theoretical model constituted of two nuclei: formation nuclei - composed of three strategic components (necessity generator, alternatives generator and promoter of social interest); and development & sustainability nuclei - composed of four other strategic components (decision generator, sustainability generator, renewal generator and process sponsors). Conclusion: The proposed model contributes to understanding the factors that can influence the progress of a national HAI program, providing insights into the elements for establishing programs in countries where they are still inceptive.

Page generated in 0.1167 seconds