• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 37
  • Tagged with
  • 37
  • 19
  • 18
  • 11
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 6
  • 6
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Bases para o controle microbiano de formigas cortadeiras / Bases for the microbial control of leaf-cutting ants

Travaglini, Raphael Vacchi 10 November 2017 (has links)
Submitted by RAPHAEL VACCHI TRAVAGLINI null (raphatrava86@ig.com.br) on 2017-12-07T19:28:06Z No. of bitstreams: 1 RAPHAEL VACCHI TRAVAGLINI (1).pdf: 3425184 bytes, checksum: 732c0234a70c06bd049339e979dadab5 (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Lucia Martins Frederico null (mlucia@fca.unesp.br) on 2017-12-08T11:14:08Z (GMT) No. of bitstreams: 1 travaglini_rv_bot_int.pdf: 3425184 bytes, checksum: 732c0234a70c06bd049339e979dadab5 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-12-08T11:14:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 travaglini_rv_bot_int.pdf: 3425184 bytes, checksum: 732c0234a70c06bd049339e979dadab5 (MD5) Previous issue date: 2017-11-10 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O controle biológico tem recebido atenção dos pesquisadores, principalmente devido aos movimentos, de preservação do ambiente. Têm sido amplamente aplicado em espécies consideradas importantes pragas agrícolas, porém não indicado para as formigas cortadeiras. Tais formigas apresentam um conjunto de estratégias físicas, químicas e comportamentais que as operárias realizam a fim de evitar a própria contaminação e da colônia. Entretanto alguns microorganismos conseguem causar mortalidade de alguns membros da colônia, como os fungos entomopatogênicos. Pretende-se fornecer conhecimentos básicos para desenvolvimento de novas estratégias de controle microbiano das formigas cortadeiras em um futuro próximo. Para tanto estudamos quatro fungos com grande potencial patogênico, Metarhizium anisopliae, Beauveria bassiana, Aspergillus flavus e Trichoderma asperellus. Primeiramente foram estudados a patogenicidade dos fungos (entomopatogeno e oportunista) em operarias isoladas da colônia. Estudou-se a susceptibilidade de larvas e adultos de formigas cortadeiras Atta sexdens rubropilosa a conídios de B. bassiana, por meio de técnicas histológicas e de microscopia. Finalmente encapsulados com conídios foram veiculados para o jardim de fungo simbionte visando o controle de mini colônias em laboratório. Propomos a elaboração de novas alternativas aos manejos existentes.
2

SISTEMÁTICA DE MACRONEMATINAE (TRICHOPTERA: HYDROPSYCHIDAE) COM ÊNFASE NA TAXONOMIA DOS GÊNEROS NEOTROPICAIS

Silva, Patrik Barcelos e 27 May 2018 (has links)
Submitted by Inácio de Oliveira Lima Neto (inacio.neto@inpa.gov.br) on 2018-07-13T19:08:13Z No. of bitstreams: 2 tese Patrik Barcelos e Silva.pdf: 15156108 bytes, checksum: b6a654c5255348fc8859fd81a64704a4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Made available in DSpace on 2018-07-13T19:08:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 tese Patrik Barcelos e Silva.pdf: 15156108 bytes, checksum: b6a654c5255348fc8859fd81a64704a4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2018-05-27 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Macronematinae is the second largest subfamily of Hydropsychidae with about 400 species being the Neotropical region with the largest number of recorded species (214 species). Currently with 16 genera it is divided in two tribes: Macronematini with developed palpi and Polymorphanisini with atrophied palpi. Even present in some studies investigating the phylogenetic relationships among subfamilies of Hydropsychidae, Macronematinae did not have their monophyly tested including all genera of the group in such a way that all their diversity was represented, and until now there is no proposal that tries to understand the relations among the genera of the subfamily. The aim of this study were: study the taxonomy of Neotropical genera, test the monophyly of Macronematinae, and propose a hypothesis of relationship among the subfamily genera. In the present work two new species of Leptonema and immature stages of Centromacronema, Leptonema and Synoestropsis collected in different Brazilian states were described. Phylogenetic analyzes were performed based on morphological data extracted from male adults and larvae as well as molecular data from the COI and 28S fragments. In all cases, five partitions of the independent and combined data were analyzed under the parsimony using the TNT program and Bayesian inference in the Mr. Bayes program methods. The results recovered the monophyly of Macronematinae but did not recover the monophyly of Macronematini and Polymorphanisini. Polymorphanisus was not recovered as monophyletic we suggested the description of a new genus to allocate the species of P. (ocularis): Magnocularis gen. nov., once that they were recovered in a separate clade of the species of P. (nigricornis). In order to adapt the current classification to the obtained results, the following changes were proposed: creation of Leptonemini trib. nov., including Leptonema and Neoleptonema stat. rev. and Macrostemini. trib. nov. including Aethaloptera (transferred from Polymorphanisini), Amphipsyche, Macrostemum [divided in two subgenera: M. (Macrostemum) e M.(Panmacrostemum) subgen.nov.]and Protomacronema. Macronematinae now includes only Baliomorpha, Centromacronema and Macronema, and Polymorphanisini includes Magnocularis gen. nov., Oestropsyche, Polymorphanisus and Synoestropsis. The position of Leptopsyche, Plectromacronema, Pseudoleptonema and Trichomacronema stat. rev. has been the subject of controversy and the addition new information on these genera is necessary to better establish their positions. A new classification is presented with all proposed changes and a key identification of the Macronematinae genera of the world is proposed for adults and larvae. / Macronematinae é a segunda maior subfamília de Hydropsychidae com cerca de 400 espécies, sendo a região Neotropical a com o maior número de espécies registradas (214 espécies). Atualmente com 16 gêneros, está dividida em duas tribos: Macronematini com palpos desenvolvidos e Polymorphanisini com palpos atrofiados. Mesmo presente em alguns estudos que investigaram as relações filogenéticas entre as subfamílias de Hydropsychidae, Macronematinae não teve seu monofiletismo testado incluindo todos os gêneros do grupo de forma que fosse representada toda sua diversidade. Além disso, não existe, até o momento, uma proposta que aborde as relações entre os gêneros da subfamília. Desta maneir os objetivos deste estudo foram estudar a taxonomia de gêneros Neotropicais, testar o monofiletismo de Macronematinae e propor uma hipótese de relacionamento entre os gêneros desta subfamília. No presente trabalho foram descritas duas espécies novas de Leptonema e estágios imaturos de espécies dos gêneros Centromacronema, Leptonema e Synoestropsis coletados em diferentes estados do Brasil. As análises filogenéticas foram realizadas com base em dados morfológicos,obtidos dos adultos machos e das larvas e dados moleculares de fragmentos dos genes COI e 28S. Ao todo foram analisadas cinco partições dos dados independentes e combinados sob os métodos de parcimônia usando o programa TNT e inferência bayesiana no programa Mr. Bayes. Os resultados recuperaram o monofiletismo de Macronematinae, mas não recuperaram o monofiletismo das tribos Macronematini e Polymorphanisini. Polymorphanisus não foi recuperado como monofiléticos, foi sugerido a descrição de um novo gênero para abrigar as espécies de P. (ocularis): Magnocularis gen. nov., uma vez que este foi recuperado em um clado separado das espécies de P. (nigricornis). Para adequar a classificação atual aos resultados obtidos foram propostas as seguintes mudanças: criação de Leptonemini trib. nov., incluindo Leptonema e Neoleptonema stat. rev. e Macrostemini. trib. nov. incluindo Aethaloptera (transferido de Polymorphanisini), Amphipsyche, Macrostemum [dividido em dois subgêneros: M. (Macrostemum) e M. (Panmacrostemum) subgen. nov.] e Protomacronema. Macronematinini passou a incluir apenas Baliomorpha, Centromacronema e Macronema e Polymorphanisini inclui Magnocularis gen. nov., Oestropsyche, Polymorphanisus e Synoestropsis. A posição de Leptopsyche, Plectromacronema, Pseudoleptonema e Trichomacronema stat. rev. foi alvo de controvérsias e a adição de novas informações sobre esses gêneros é necessária para melhor estabelecer seus posicionamentos. Uma nova classificação é apresentada com todas as alterações propostas e uma chave de identificação dos gêneros de Macronematinae do mundo foi proposta para adultos e larvas.
3

História natural e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera, Riodinidae) com ênfase na mirmecofilia

Kaminski, Lucas Augusto January 2006 (has links)
Neste estudo são descritos e ilustrados pela primeira vez aspectos da biologia e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Os registros obtidos com relação à utilização das plantas hospedeiras (oligofagia em Lauraceae) e formigas atendentes (mirmecofilia com Camponotus Mayr, 1861) são discutidos no contexto da evolução da mirmecofilia em Theope Doubleday, 1847. A ultraestrutura coriônica externa, a quetotaxia primária e ultraestrutura tegumentar externa das larvas e das pupas são descritas e comparadas com as de outras espécies de Riodinidae. As cerdas baloniformes e órgãos mirmecofílicos das larvas são descritos quanto à ultraestrutura tegumentar externa e anatomia interna, através de microscopia eletrônica de varredura e microscopia de luz. A porção glandular das cerdas baloniformes é descrita pela primeira vez. É proposta uma nomenclatura para as diferentes porções apresentada pelos órgãos nectários tentaculares de Riodinidae. As estruturas descritas são discutidas quanto à função na interação com as formigas com base no conhecimento atual. O posicionamento dos órgãos perfurados em forma de cúpula é discutido quanto à sua provável importância na mirmecofília. / In the present study, information is provided for the first time about biology and morphology of the immature stages of Theope thestias Hewitson 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Records concerning host plants (Lauraceae oligophagy) and tending ants (Camponotus Mayr, 1861 myrmecophily) are discussed from the Theope Doubleday, 1847 myrmecophily evolutionary perspective. Chorionic external ultra structure, larval primary chaetotaxy, and tegument external ultra structure of both larva and pupa, are described and compared within Riodinidae. Balloon setae and other ant-organs are internally described, based upon light and scanning electron microscopy. The glandular nature of the balloon setae is documented for the first time. A nomenclature is proposed for characterizing the different sections of riodine’s tentacle nectary organs. Glandular descriptions are discussed from their functional perspective regarding the larva - ant interaction. Position of perforated cupola organs is also discussed in relation to their importance in such an interaction.
4

Nicho trófico e aspectos bionômicos da abelha solitária Tetrapedia diversipes KLUG (Hymenoptera, Apidae, Tetrapediini) / Bionomic aspects and trophic niche of bee lone Tetrapedia diversipes KLUG (Hymenoptera, Apidae, Tetrapediini)

Cavalcante, Arianne Moreira January 2016 (has links)
CAVALCANTE, Arianne Moreira. Nicho trófico e aspectos bionômicos da abelha solitária Tetrapedia diversipes KLUG (Hymenoptera, Apidae, Tetrapediini). 2016. 58 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016. / Submitted by Aline Mendes (alinemendes.ufc@gmail.com) on 2017-01-16T20:34:26Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_amcavalcante.pdf: 1762771 bytes, checksum: 62dbbf28f087095db9f3952c60edba0e (MD5) / Approved for entry into archive by Jairo Viana (jairo@ufc.br) on 2017-01-16T20:37:30Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_amcavalcante.pdf: 1762771 bytes, checksum: 62dbbf28f087095db9f3952c60edba0e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-01-16T20:37:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_amcavalcante.pdf: 1762771 bytes, checksum: 62dbbf28f087095db9f3952c60edba0e (MD5) Previous issue date: 2016 / In the world, there are more than 20,000 species of bees described. Among them there are the solitary bees Tetrapedia diversipes, belonging to Tetrapediini tribe, which occur exclusively in the Neotropics. T. diversipes. The females, as well as males, have morphological and behavioral adaptations that allow the collection of floral lipids used by females in feeding larvae, in the construction of brood cells and sealing of the nests. These bees have varied nesting habits, for ground-nesting in termitaria or pre-existing cavities in wood, enabling the use of trap nests in the study areas. This method allows to obtain information about the nesting behavior, nest architecture and resources provided to the larvae. All this knowledge provides grants for studies on environmental requirements of these bees, as well as for the development of management techniques for the maintenance of these native bees in the environment. In this sense, the objective of this study was to bionomics of Tetrapedia diversipes and identify the plant species used in the diet of their immature, through cropopalinologica analysis. The study was conducted at the Federal University of Ceará Bees industry in the period between December 2014 and September 2015 by providing trap nests made of black paper and straws transparent plastic. During the study were recorded 135 nests where the highest percentage of Nest establishment occurred at the end of the rainy season and early dry season, but there was no significant difference between the monthly nesting rate (%) and evaluated climate variables: temperature (° C) r = -0.1635; p = 0.6517; relative humidity (%) r = 0.4954; p = 0.1454 and rainfall (mm) r = 0.4285; p = 0.2166. The number of cells creates constructed by these bees in each nest ranged from 1 to 8, a total of 593 cells. In these nests emerged 297 females, 151 males and two individuals parasitic species. The Tetrapedia diversipes females used resources of 29 plant species to feed their offspring. The pollen type with the largest representation in the diet of these bees was Dalechampia sp. (Euphorbiaceae) composing 59.57% of all analyzed pollen. The specific analysis of stool present in males cells (n = 31) and female (n = 66) revealed that the diet of male pollen is composed of more types than diet females. However, when compared with the amplitude of the trophic niche between the two sexes, males had a less diverse diet compared to females (H'F = 1:32; H'F = 8.1; t = 16,371; p <0.0001). The studied also indicated that there was a strong overlap in the use of plants as pollen source of 98.9% (CH = 0.989) between the two sexes, but there was no statistical difference in the frequency distribution of the food items of males and females (D = 0.214; p = 0.341). The pollen types Dalechampia sp (Euphorbiaceae) and Talinum triangulare (Portulacaceae) were more frequent in both diet of females as males in the diet. This study showed that T. diversipes both built their nests in the rainy season and the dry season has low levels of parasitism. The results of stool samples of these bees showed that the diet is rich in immature different pollen types indicating that this species is polilética. / No mundo existem mais de 20.000 espécies de abelhas descritas. Dentre elas, estão as abelhas solitárias Tetrapedia diversipes pertencentes à tribo Tetrapediini, a qual ocorre exclusivamente na região neotropical. As fêmeas de T. diversipes, assim como os machos, possuem adaptações morfológicas e comportamentais que permite a coleta de lipídeos florais, utilizado pelas fêmeas na alimentação de larvas, na construção das células de cria e na impermeabilização dos ninhos. Essas abelhas possuem hábitos de nidificação variados, pois nidificam no solo, em termiteiros ou em cavidades pré-existentes em madeira, possibilitando a utilização de ninhos-armadilha nas áreas de estudo. Esse método permite a obtenção de informações sobre o comportamento de nidificação, arquitetura dos ninhos e recursos fornecidos para as larvas. Todo esse conhecimento fornece subsídios para estudos sobre os requerimentos ambientais dessas abelhas, bem como para o desenvolvimento de técnicas de manejo, visando à manutenção dessas abelhas nativas no meio ambiente. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi estudar a bionomia de Tetrapedia diversipes e identificar as espécies de plantas usadas na dieta de seus imaturos, por meio da análise cropopalinológica. O estudo foi realizado no Setor de Abelhas da Universidade Federal do Ceará, no período entre dezembro de 2014 e setembro de 2015, através da disponibilização de ninhos-armadilha confeccionados em cartolina preta e canudos de plásticos transparentes. Durante o estudo, foram registrados 135 ninhos onde o maior percentual de nidificações ocorreu no final do período chuvoso e início do período seco; contudo, não houve diferença significativa entre a taxa de nidificação mensal (%) e as variáveis climáticas avaliadas: temperatura (°C) r = - 0,1635; p = 0,6517; umidade relativa do ar (%) r = 0,4954; p = 0,1454 e precipitação pluviométrica (mm) r = 0,4285; p = 0,2166. O número de células de cria construídas por essas abelhas em cada ninho variou de 1 a 8, totalizando 593 células. Nesses ninhos, emergiram 297 fêmeas, 151 machos e indivíduos de duas espécies parasitas. As fêmeas de Tetrapedia diversipes utilizaram recursos de 29 espécies de plantas para alimentar sua prole. O tipo polínico com maior representatividade na dieta dessas abelhas foi Dalechampia sp. (Euphorbiaceae) compondo 59,57% de todo pólen analisado. A análise individual das fezes presentes nas células de machos (n = 31) e de fêmeas (n = 66) revelou que a dieta dos machos é composta por mais tipos polínicos do que a dieta das fêmeas. Contudo, quando comparada com a amplitude do nicho trófico entre os dois sexos, os machos apresentaram uma dieta menos diversa em relação às fêmeas (H’F= 1.32; H’F= 1.08; t= 16.371; p< 0.0001). O estudou indicou, também, que houve uma forte sobreposição na utilização de plantas como fonte de pólen, sendo de 98,9% (CH= 0.989) entre os dois sexos; contudo, não houve diferença estatística na distribuição de frequência dos itens alimentares de machos e fêmeas (D = 0,214; p = 0,341). Os tipos polínicos Dalechampia sp. (Euphorbiaceae) e o Talinum triangulare (Portulacaceae) foram mais frequentes, tanto na dieta das fêmeas como na dieta dos machos. Este estudo permitiu verificar que T. diversipes nidificou tanto na estação chuvosa como na estação seca, apresentando baixos índices de parasitismo. Os resultados das amostras de fezes dessas abelhas evidenciou que a dieta dos imaturos é rica em diferentes tipos polínicos, indicando que essa espécie é polilética.
5

História natural e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera, Riodinidae) com ênfase na mirmecofilia

Kaminski, Lucas Augusto January 2006 (has links)
Neste estudo são descritos e ilustrados pela primeira vez aspectos da biologia e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Os registros obtidos com relação à utilização das plantas hospedeiras (oligofagia em Lauraceae) e formigas atendentes (mirmecofilia com Camponotus Mayr, 1861) são discutidos no contexto da evolução da mirmecofilia em Theope Doubleday, 1847. A ultraestrutura coriônica externa, a quetotaxia primária e ultraestrutura tegumentar externa das larvas e das pupas são descritas e comparadas com as de outras espécies de Riodinidae. As cerdas baloniformes e órgãos mirmecofílicos das larvas são descritos quanto à ultraestrutura tegumentar externa e anatomia interna, através de microscopia eletrônica de varredura e microscopia de luz. A porção glandular das cerdas baloniformes é descrita pela primeira vez. É proposta uma nomenclatura para as diferentes porções apresentada pelos órgãos nectários tentaculares de Riodinidae. As estruturas descritas são discutidas quanto à função na interação com as formigas com base no conhecimento atual. O posicionamento dos órgãos perfurados em forma de cúpula é discutido quanto à sua provável importância na mirmecofília. / In the present study, information is provided for the first time about biology and morphology of the immature stages of Theope thestias Hewitson 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Records concerning host plants (Lauraceae oligophagy) and tending ants (Camponotus Mayr, 1861 myrmecophily) are discussed from the Theope Doubleday, 1847 myrmecophily evolutionary perspective. Chorionic external ultra structure, larval primary chaetotaxy, and tegument external ultra structure of both larva and pupa, are described and compared within Riodinidae. Balloon setae and other ant-organs are internally described, based upon light and scanning electron microscopy. The glandular nature of the balloon setae is documented for the first time. A nomenclature is proposed for characterizing the different sections of riodine’s tentacle nectary organs. Glandular descriptions are discussed from their functional perspective regarding the larva - ant interaction. Position of perforated cupola organs is also discussed in relation to their importance in such an interaction.
6

História natural e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera, Riodinidae) com ênfase na mirmecofilia

Kaminski, Lucas Augusto January 2006 (has links)
Neste estudo são descritos e ilustrados pela primeira vez aspectos da biologia e morfologia dos estágios imaturos de Theope thestias Hewitson, 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Os registros obtidos com relação à utilização das plantas hospedeiras (oligofagia em Lauraceae) e formigas atendentes (mirmecofilia com Camponotus Mayr, 1861) são discutidos no contexto da evolução da mirmecofilia em Theope Doubleday, 1847. A ultraestrutura coriônica externa, a quetotaxia primária e ultraestrutura tegumentar externa das larvas e das pupas são descritas e comparadas com as de outras espécies de Riodinidae. As cerdas baloniformes e órgãos mirmecofílicos das larvas são descritos quanto à ultraestrutura tegumentar externa e anatomia interna, através de microscopia eletrônica de varredura e microscopia de luz. A porção glandular das cerdas baloniformes é descrita pela primeira vez. É proposta uma nomenclatura para as diferentes porções apresentada pelos órgãos nectários tentaculares de Riodinidae. As estruturas descritas são discutidas quanto à função na interação com as formigas com base no conhecimento atual. O posicionamento dos órgãos perfurados em forma de cúpula é discutido quanto à sua provável importância na mirmecofília. / In the present study, information is provided for the first time about biology and morphology of the immature stages of Theope thestias Hewitson 1860 (Lepidoptera: Riodinidae). Records concerning host plants (Lauraceae oligophagy) and tending ants (Camponotus Mayr, 1861 myrmecophily) are discussed from the Theope Doubleday, 1847 myrmecophily evolutionary perspective. Chorionic external ultra structure, larval primary chaetotaxy, and tegument external ultra structure of both larva and pupa, are described and compared within Riodinidae. Balloon setae and other ant-organs are internally described, based upon light and scanning electron microscopy. The glandular nature of the balloon setae is documented for the first time. A nomenclature is proposed for characterizing the different sections of riodine’s tentacle nectary organs. Glandular descriptions are discussed from their functional perspective regarding the larva - ant interaction. Position of perforated cupola organs is also discussed in relation to their importance in such an interaction.
7

Caracterização da morfologia externa e do sistema reprodutor de fêmeas de Amblyomma brasiliense Aragão, 1908 (Acari: Ixodidae)

Sanches, Gustavo Seron [UNESP] 30 June 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:23:00Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-06-30Bitstream added on 2014-06-13T20:10:22Z : No. of bitstreams: 1 sanches_gs_me_rcla.pdf: 728083 bytes, checksum: 12fcc56f356d12f1c615de733e01452c (MD5) / O presente estudo apresenta a descrição da morfologia externa de larvas e a redescrição de ninfas do carrapato Amblyomma brasiliense, utilizando microscopia de luz, lupa estereoscópica e microscopia eletrônica de varredura. As larvas apresentaram a base do capítulo retangular, palpos curtos e idiossoma arredondado, coxa I com dois espinhos, sendo o externo mais longo que o interno e coxas II e III com um espinho, enquanto as ninfas apresentaram a base do capítulo também retangular, com córnua pontiaguda, idiossoma oval, coxa I com dois espinhos evidentes, sendo o externo mais longo que o interno, coxas II e III com um espinho curto em cada uma, e coxa IV, com um espinho muito pequeno e a presença de tubérculos quitinosos na superfície interna da borda posterior dos festões. Além disso, a morfologia do ovário e o processo de dinâmica da vitelogênese dos ovócitos de fêmeas ingurgiradas desta espécie de carrapato também são apresentados. O ovário, classificado como panoístico por não apresentar células foliculares e nutridoras, consiste em estrutura tubular única e contínua com ovócitos de vários tamanhos e diferentes estádios de desenvolvimento, presos a parede epitelial por meio do pedicelo. Tais ovócitos são aqui classificados em cinco estádios de acordo com a aparência do citoplasma, observação da vesícula germinal, aspecto dos grãos de vitelo e deposição do córion. Pela primeira vez foi observado em carrapatos ovócitos com o córion esculturado. / The present study shows the external morphological description of larvae and the redescription of nymphs of Amblyomma brasiliense ticks under light microscope, stereoscopic microscope and scanning electron microscope. Larvae present basis capituli rectangular, short palpi, idiosoma rounded, coxa I with two spurs being the external longer than the internal one and coxae II and III each with one short spur. Nymphs present basis capituli rectangular with a sharp pointed cornua, oval idiosoma with scutum reaching coxa III and coxae I with two evident spurs being the external longer than the internal one; coxae IIIII each with one short spur and coxae IV with a very short spur and chitinous tubercles on internal surface of posterior border of festoons. Furthermore, the ovary morphology and the dynamics of the vitellogenesis process in oocytes of Amblyomma brasiliense engorged females. The ovary is classified as the panoistic type; therefore, it lacks nurse and follicular cells. This organ consists of a single tubular structure, continuous, with oocytes of various sizes and at different developmental stages remain attached to the ovary through a cellular pedicel. The oocytes were classified into five stages described according to cytoplasm appearance, presence of the germ vesicle, yolk granules aspects, and chorion deposition. For the first time was related in ticks oocytes chorium sculptured.
8

Estudo morfológico dos estádios ninfais das fêmeas de Ceroplastinae Atkinson (Hemiptera: Coccoidea: Coccidae)

Rosa, Keila de Cassia Coelho 22 June 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T19:31:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 3916.pdf: 15795621 bytes, checksum: f068525560ac735f6735835fe689490d (MD5) Previous issue date: 2011-06-22 / Financiadora de Estudos e Projetos / The immature females of twelve species of Ceroplastinae (wax scale insects) were described and compared, macro and microscopically, with the purpose of contributing to the understanding the groups of the species of this subfamily, whose generic status is controversial. The morphology of the immatures, although little studied and not yet used in the phylogenetic studies of this subfamily, was very important for the grouping of the studied species. Nymphs of the first and second instars varied widely in relation to the wax test and the stigmatic setae, separating the species studied in three main groups: I) C. cirripediformis Comstock, 1881, C. floridensis Comstock, 1881, C. formicarius Hempel, 1900, C. grandis Hempel, 1900, C. mosquerai Ben-Dov, 1993 and C. rusci (Linnaeus, 1758), with dry wax filaments and with cylindrical or slightly conical and conical stigmatic setae with rounded apex in the first instar and setae totally conical in the second instar; II) C. formosus Hempel, 1900, C. janeirensis (Gray, 1828) and C. lucidus Hempel, 1900 with a shell of wax glassy and absence of lateral expansions or dry filaments and with stigmatic setae cylindrical with rounded apex and wider than the base, in the two first instars, and III) C. diospyros Hempel, 1928, C. flosculoides Matile-Ferrero, 1993 and C. iheringi Cockerell, 1895 with intermediate characteristics in waxy covering and setae with pentagonal or irregular shapes. The pattern of wax test observed for the group I, previously mentioned for other authors, was the most frequent among the studied species and better distributed in the world, being probably the most common pattern in Ceroplastinae. The patterns of wax cover observed for Groups II and III are here described for the first time for the immature females of Ceroplastinae. The group II is probably restricted to the Neotropical region, and the group III, including Neotropical species, probably has representative species in the Afrotropical region. / Fêmeas imaturas de doze espécies de Ceroplastinae (cochonilhas cerosas) foram descritas e comparadas, macro e microscopicamente, com a finalidade de contribuir para o entendimento dos agrupamentos de espécies desta subfamília, cujo status genérico é controverso. A morfologia dos imaturos, apesar de pouco estudada e, ainda não ter sido utilizada em estudos filogenéticos desta subfamília, foi muito importante para agrupar as espécies estudadas. As ninfas de primeiro e segundo ínstares diferem em relação à cobertura cerosa e setas estigmáticas, reunindo as espécies estudadas em três grupos principais: I) C. cirripediformis Comstock, 1881, C. floridensis Comstock, 1881, C. formicarius Hempel, 1900, C. grandis Hempel, 1900, C. mosquerai Ben-Dov, 1993 e C. rusci (Linnaeus, 1758), com filamentos de cera seca e com setas estigmáticas cilíndricas ou levemente cônicas e cônicas com ápice arredondado, no primeiro ínstar, e setas totalmente cônicas, no segundo ínstar; II) C. formosus Hempel, 1900, C. janeirensis (Gray, 1828) e C. lucidus Hempel, 1900, com uma carapaça de cera vítrea e ausência de expansões laterais ou filamentos e setas estigmáticas cilíndricas na região basal com ápice arredondado e mais largo que a base, nos dois primeiros ínstares; e, III) C. diospyros Hempel, 1928, C. flosculoides Matile-Ferrero, 1993 e C. iheringi Cockerell, 1895 com características intermediárias na cobertura cerosa e com setas estigmáticas com formas pentagonais ou irregulares. O padrão da cobertura cerosa observado no grupo I, mencionado anteriormente por outros autores, foi o mais freqüente entre as espécies estudadas e que se encontra melhor distribuído no globo, sendo provavelmente o mais comum entre os Ceroplastinae. Os padrões de cobertura cerosa observados nos grupos II e III são aqui descritos pela primeira vez para as fêmeas imaturas de Ceroplastinae. O grupo II é provavelmente restrito à região Neotropical; e o grupo III, com espécies Neotropicais, provavelmente tenha também alguns representantes na região Afrotropical.
9

Morfologia dos estágios imaturos e biologia de três espécies de Chinavia orian (Hemiptera, Pentatomidae) e estudo comparado dos ovos de algumas espécies de pentatomídeos ao microscópio eletrônico de varredura

Matesco, Viviana Cauduro January 2007 (has links)
Apenas uma pequena proporção do número total de espécies descritas para Pentatomidae possui seus ovos ou ninfas conhecidos (cerca de 3,5%). O gênero Chinavia conta com mais de 80 espécies, das quais apenas nove tiveram seus imaturos descritos previamente. O presente trabalho contemplou a descrição e discussão de diversos aspectos da morfologia externa e da biologia dos estágios imaturos de três espécies ainda não estudadas: Chinavia pengue, Chinavia longicorialis e Chinavia musiva. No estágio imaturo, C. pengue compartilha com outras espécies de Chinavia características diagnósticas em nível genérico. A espécie pode ser identificada, no 1o instar, pela coloração laranja-avermelhada da mancha na cabeça e tórax e pelas manchas abdominais brancas. No 2o ao 5o ínstares, uma característica exclusiva de C. pengue é a coloração laranja-avermelhada das manchas do tórax e das placas abdominais laterais. Vagens de feijão mostraram-se um alimento adequado para a criação da espécie em laboratório; a fase imatura dura cerca de 46 dias. A espécie C. longicorialis também compartilha com as demais espécies neotropicais do gênero várias características morfológicas nos estágios de ovo e ninfa. O reconhecimento específico pode ser feito pela presença de manchas alaranjadas na margem lateral dos segmentos torácicos no 1o instar e pela presença de manchas abdominais brancas divididas pelas pseudo-suturas do abdome a partir do 3o instar. Como já observado em outras espécies de Chinavia e outros gêneros de pentatomídeos, ocorrem formas claras e escuras nos ínstares finais (3o ao 5o). Pelas características do estágio ninfal, sugere-se que a espécie seja próxima a C. abnormis e C. herbida. O estágio imaturo dura, em média, 39 dias; vagens de feijão não constituem um alimento adequado para as ninfas dessa espécie. A espécie C. musiva apresenta características morfológicas únicas em todos os estágios do desenvolvimento; infere-se que o padrão de coloração possivelmente críptico possa estar relacionado ao hábitat da espécie em ninhos de pássaros. Os ovos não se enquadram no padrão identificado para as demais espécies de Chinavia. As ninfas, em todos os ínstares, podem ser facilmente reconhecidas pelo padrão de coloração variegado do abdome e pelas aberturas das segunda e terceira glândulas abdominais em tubérculos. O estágio adulto é alcançado em cerca de 52 dias; para o desenvolvimento da espécie, hospedeiras silvestres parecem ter papel essencial no desenvolvimento. Quando investigados em microscopia eletrônica de varredura, os ovos de C. pengue, C. longicorialis, C. erythrocnemis e C. obstinata confirmaram o padrão já descrito para o gênero; apenas C. musiva apresenta ovos com padrão de esculturação do cório, forma e número de processos aero-micropilares diferentes. O estudo complementar dos ovos de Edessa meditabunda, Euschistus convergens, E. hansi, E. picticornis, Grazia tincta, Loxa deducta, Odmalea basalis, Pallantia macunaima e Thyanta humilis em MEV permitiu identificar caracteres conservados em nível genérico, comparando-se os resultados obtidos com a literatura disponível. Os ovos das espécies de Edessinae compartilham caracteres diagnósticos; as espécies de Pentatominae não apresentam possíveis características compartilhadas em nível de subfamília ou tribo. / Just a small proportion of the total number of described species of Pentatomidae has the eggs or nymphs known (about 3,5%). The genus Chinavia includes more than 80 species, of which only nine have the immatures described. This work describes and discusses several aspects of the external morphology and biology of Chinavia pengue, Chinavia longicorialis and Chinavia musiva immature stages. The immatures of C. pengue share, with other Chinavia species, diagnostic characters at the genus level. The species 1st instar can be identified by the orange-red macula in the head and thorax, and the white abdominal maculae. From 2nd to 5th instars, an exclusive feature of C. pengue is the orange-red maculae in thorax and lateral plates of abdomen. Green bean pods were a suitable food source for the laboratory rearing of this species; the immature stage lasts about 46 days. Eggs and nymphs of C. longicorialis also share morphological characters with other neotropical species of the genus. The species recognition can be made, in the 1st instar, by the orange maculae in the lateral margin of thoracic segments, and from the 3rd instar on, by the white abdominal maculae divided by the pseudosutures. As already observed to other Chinavia species and pentatomid taxa, there are light and dark morphs in the last instars (from 3rd to 5th). The immature stage lasts 39 days on average; green bean pods are an unsuitable food source for the nymphs. Considering nymphal characters, it is suggested that C. longicorialis is related to C. abnormis and C. herbida. On the other hand, C. musiva presents unique morphological features in all life stages; the likely cryptic color pattern is possibly related to the bird nest habitat of this species. The egg do not share the pattern found for other species of Chinavia. The nymphs can be easily recognized by the variegated color pattern of the abdomen, and by the openings of the second and third abdominal glands in tubercles. In this species, the adult stage is reached in about 52 days; wild hosts seem to play a crucial role in nymphal development. When investigated under scanning electron microscopy (SEM), C. pengue, C. longicorialis, C. erythrocnemis and C. obstinata eggs showed the same pattern described for the genus; only C. musiva presents a different pattern of chorion sculpture and aero-micropylar process number and shape. The complementary study of the eggs of Edessa meditabunda, Euschistus convergens, E. hansi, E. picticornis, Grazia tincta, Loxa deducta, Odmalea basalis, Pallantia macunaima and Thyanta humilis in SEM allowed the identification of conserved characters at the genus level, when compared with those available in the literature. Eggs of the Edessinae share diagnostic characters; shared characters at subfamily or tribe level could not be found for the eggs of the Pentatominae.
10

Morfologia dos estágios imaturos e biologia de três espécies de Chinavia orian (Hemiptera, Pentatomidae) e estudo comparado dos ovos de algumas espécies de pentatomídeos ao microscópio eletrônico de varredura

Matesco, Viviana Cauduro January 2007 (has links)
Apenas uma pequena proporção do número total de espécies descritas para Pentatomidae possui seus ovos ou ninfas conhecidos (cerca de 3,5%). O gênero Chinavia conta com mais de 80 espécies, das quais apenas nove tiveram seus imaturos descritos previamente. O presente trabalho contemplou a descrição e discussão de diversos aspectos da morfologia externa e da biologia dos estágios imaturos de três espécies ainda não estudadas: Chinavia pengue, Chinavia longicorialis e Chinavia musiva. No estágio imaturo, C. pengue compartilha com outras espécies de Chinavia características diagnósticas em nível genérico. A espécie pode ser identificada, no 1o instar, pela coloração laranja-avermelhada da mancha na cabeça e tórax e pelas manchas abdominais brancas. No 2o ao 5o ínstares, uma característica exclusiva de C. pengue é a coloração laranja-avermelhada das manchas do tórax e das placas abdominais laterais. Vagens de feijão mostraram-se um alimento adequado para a criação da espécie em laboratório; a fase imatura dura cerca de 46 dias. A espécie C. longicorialis também compartilha com as demais espécies neotropicais do gênero várias características morfológicas nos estágios de ovo e ninfa. O reconhecimento específico pode ser feito pela presença de manchas alaranjadas na margem lateral dos segmentos torácicos no 1o instar e pela presença de manchas abdominais brancas divididas pelas pseudo-suturas do abdome a partir do 3o instar. Como já observado em outras espécies de Chinavia e outros gêneros de pentatomídeos, ocorrem formas claras e escuras nos ínstares finais (3o ao 5o). Pelas características do estágio ninfal, sugere-se que a espécie seja próxima a C. abnormis e C. herbida. O estágio imaturo dura, em média, 39 dias; vagens de feijão não constituem um alimento adequado para as ninfas dessa espécie. A espécie C. musiva apresenta características morfológicas únicas em todos os estágios do desenvolvimento; infere-se que o padrão de coloração possivelmente críptico possa estar relacionado ao hábitat da espécie em ninhos de pássaros. Os ovos não se enquadram no padrão identificado para as demais espécies de Chinavia. As ninfas, em todos os ínstares, podem ser facilmente reconhecidas pelo padrão de coloração variegado do abdome e pelas aberturas das segunda e terceira glândulas abdominais em tubérculos. O estágio adulto é alcançado em cerca de 52 dias; para o desenvolvimento da espécie, hospedeiras silvestres parecem ter papel essencial no desenvolvimento. Quando investigados em microscopia eletrônica de varredura, os ovos de C. pengue, C. longicorialis, C. erythrocnemis e C. obstinata confirmaram o padrão já descrito para o gênero; apenas C. musiva apresenta ovos com padrão de esculturação do cório, forma e número de processos aero-micropilares diferentes. O estudo complementar dos ovos de Edessa meditabunda, Euschistus convergens, E. hansi, E. picticornis, Grazia tincta, Loxa deducta, Odmalea basalis, Pallantia macunaima e Thyanta humilis em MEV permitiu identificar caracteres conservados em nível genérico, comparando-se os resultados obtidos com a literatura disponível. Os ovos das espécies de Edessinae compartilham caracteres diagnósticos; as espécies de Pentatominae não apresentam possíveis características compartilhadas em nível de subfamília ou tribo. / Just a small proportion of the total number of described species of Pentatomidae has the eggs or nymphs known (about 3,5%). The genus Chinavia includes more than 80 species, of which only nine have the immatures described. This work describes and discusses several aspects of the external morphology and biology of Chinavia pengue, Chinavia longicorialis and Chinavia musiva immature stages. The immatures of C. pengue share, with other Chinavia species, diagnostic characters at the genus level. The species 1st instar can be identified by the orange-red macula in the head and thorax, and the white abdominal maculae. From 2nd to 5th instars, an exclusive feature of C. pengue is the orange-red maculae in thorax and lateral plates of abdomen. Green bean pods were a suitable food source for the laboratory rearing of this species; the immature stage lasts about 46 days. Eggs and nymphs of C. longicorialis also share morphological characters with other neotropical species of the genus. The species recognition can be made, in the 1st instar, by the orange maculae in the lateral margin of thoracic segments, and from the 3rd instar on, by the white abdominal maculae divided by the pseudosutures. As already observed to other Chinavia species and pentatomid taxa, there are light and dark morphs in the last instars (from 3rd to 5th). The immature stage lasts 39 days on average; green bean pods are an unsuitable food source for the nymphs. Considering nymphal characters, it is suggested that C. longicorialis is related to C. abnormis and C. herbida. On the other hand, C. musiva presents unique morphological features in all life stages; the likely cryptic color pattern is possibly related to the bird nest habitat of this species. The egg do not share the pattern found for other species of Chinavia. The nymphs can be easily recognized by the variegated color pattern of the abdomen, and by the openings of the second and third abdominal glands in tubercles. In this species, the adult stage is reached in about 52 days; wild hosts seem to play a crucial role in nymphal development. When investigated under scanning electron microscopy (SEM), C. pengue, C. longicorialis, C. erythrocnemis and C. obstinata eggs showed the same pattern described for the genus; only C. musiva presents a different pattern of chorion sculpture and aero-micropylar process number and shape. The complementary study of the eggs of Edessa meditabunda, Euschistus convergens, E. hansi, E. picticornis, Grazia tincta, Loxa deducta, Odmalea basalis, Pallantia macunaima and Thyanta humilis in SEM allowed the identification of conserved characters at the genus level, when compared with those available in the literature. Eggs of the Edessinae share diagnostic characters; shared characters at subfamily or tribe level could not be found for the eggs of the Pentatominae.

Page generated in 0.0855 seconds