• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1213
  • 69
  • 22
  • 12
  • 6
  • 5
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1354
  • 863
  • 613
  • 578
  • 542
  • 211
  • 207
  • 158
  • 156
  • 114
  • 90
  • 78
  • 75
  • 72
  • 71
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Variabilidade inter e intra-observador do sistema BI-RADS incluido a subdivisão da categoria 4 para microcalcificações mamárias encaminhadas para agulhamento pré-operatório

Gonçalves, Andrea Teixeira Cadaval January 2006 (has links)
Objetivo: Determinar a variabilidade interobservador e intra-observador da terminologia da quarta edição do Breast Imaging Reporting and Data System (BIRADS ®) na avaliação de microcalcificações mamárias, incluindo a subdivisão da categoria 4. O objetivo secundário foi avaliar a acurácia das categorias finais do BIRADS ®. Material e Método: Quatro médicos radiologistas especialistas em mamografia interpretaram, retrospectivamente, 109 mamografias de 89 pacientes encaminhadas para demarcação pré-operatória de microcalcificações. Foi utilizada a terminologia da quarta edição do BI-RADS®. Após seis meses foi realizada nova interpretação. O diagnóstico final baseou-se no resultado anatomopatológico da peça cirúrgica. A concordância entre os médicos para categorias finais e separadamente para cada categoria, morfologia e tipo de distribuição foi calculada através da estatística kappa. A acurácia foi determinada através da razão de verossimilhança (likelihood ratio - LR) e do valor preditivo positivo (VPP) para cada categoria do BI-RADS®. Resultados: Foram estudadas 47 lesões malignas (46%), 29 carcinomas ductais in situ (CDIS) e 18 carcinomas ductais invasores (CDI), e 55 benignas (54%). Observou-se moderada concordância geral interobservador (k = 0,49 na primeira e segunda leitura) e intra-observador (k = 0,57) para todas as categorias finais. Na morfologia e na distribuição das microcalcificações houve baixa a moderada concordância geral (valores médios de k entre 0,27 a 0,49). As maiores inconsistências foram no uso das categorias 3, 4a e 4b e na morfologia amorfa. O VPP nas duas leituras para a subdivisão da categoria 4 foi 4a: 25% e 35%; 4b: 42% e 41%; e 4c: 60% e 74%. A acurácia foi menor nas categoriais 4a (LR, 0,39 e 0,63) e 4b (LR, 0,84 e 0,80). As categorias 4c (LR, 1,74 e 3,32) e 5 (LR, > 16,5 e > 20) estiveram associadas com alto risco para malignidade. Conclusão: A subdivisão da categoria 4 e a terminologia da quarta edição do BIRADS ® demonstraram baixa a moderada concordância geral inter e intraobservador. Obteve-se boa estratificação da probabilidade de malignidade entre os casos de microcalcificações avaliados, com melhor acurácia nas categorias 4c e 5. Deve-se atentar para limitações na concordância das categorias 3, 4a e 4b e da morfologia amorfa e na acurácia nas categorias 4a e 4b para casos de microcalcificações com indicação de biópsia. / Purpose: To evaluate interobserver and intraobserver agreement by using the BIRADS ® (fourth edition) terminology and the final assessment including subcategorization of category 4 for breast microcalcifications. We also assess the accuracy of the BI-RADS® final categories. Materials and Methods: Four breast radiologists retrospectively interpreted 109 mammograms showing microcalcifications in 89 patients who underwent needlelocalization open breast biopsy according with the BI-RADS® lexicon (fourth edition). All cases were re-examined and classified again after six months by the same team. The final diagnosis was based upon the pathologic result of the surgical specimen. The reader agreement for final assessment category and for each category, morphology and distribution descriptions was measure by kappa statistics. The accuracy was determined with the likelihood ratio (LR) and the positive predictive value (PPV) for final assessment of each BI-RADS® category. Results: Pathological examination revealed 47 malignant lesions (46%), 29 ductal carcinomas in situ (DCSI) and 18 invasive carcinomas (IDC) and 55 benign lesions (54%). Moderate agreement was achieved in interobserver (k = 0.49 in the first and in the second readings) and intraobserver (k = 0.57) of the final assessment of all categories. For microcalcifications morphology, the mean k was 0.49 for intraobserver and 0.27 and 0.34 for interobserver. For the distribution, the mean k was 0.48 for intraobserver and 0.42 and 0.39 for interobserver. We found some inconsistencies in assessment of final categories 3, 4a and 4b and amorphous morphology. PPV in the two readings sessions for subcategorization of category 4 was 4a: 25% and 35%; 4b: 42% and 41%; and 4c: 60% and 74%. The accuracy was lower in categories 4a (LR, 0.39 and 0.63) and 4b (LR, 0.84 and 0.80).The categories 4c (LR, 1.74 and 3.32) and 5 (LR, > 16,5 and > 20) were associated with high risk for malignancy. Conclusion: The terminology of BI-RADS® fourth edition including subcategorization of category 4 was associated to an overall fair to moderate agreement. We found good stratification of the likelihood of malignancy with better accuracy for categories 4c and 5. Attention for inconsistencies in assessment of final BI-RADS® categories 3, 4a and 4b and amorphous or indistinct morphology and lower accuracy in categories 4a and 4b it is important concern for microcalcifications.
2

Variabilidade inter e intra-observador do sistema BI-RADS incluido a subdivisão da categoria 4 para microcalcificações mamárias encaminhadas para agulhamento pré-operatório

Gonçalves, Andrea Teixeira Cadaval January 2006 (has links)
Objetivo: Determinar a variabilidade interobservador e intra-observador da terminologia da quarta edição do Breast Imaging Reporting and Data System (BIRADS ®) na avaliação de microcalcificações mamárias, incluindo a subdivisão da categoria 4. O objetivo secundário foi avaliar a acurácia das categorias finais do BIRADS ®. Material e Método: Quatro médicos radiologistas especialistas em mamografia interpretaram, retrospectivamente, 109 mamografias de 89 pacientes encaminhadas para demarcação pré-operatória de microcalcificações. Foi utilizada a terminologia da quarta edição do BI-RADS®. Após seis meses foi realizada nova interpretação. O diagnóstico final baseou-se no resultado anatomopatológico da peça cirúrgica. A concordância entre os médicos para categorias finais e separadamente para cada categoria, morfologia e tipo de distribuição foi calculada através da estatística kappa. A acurácia foi determinada através da razão de verossimilhança (likelihood ratio - LR) e do valor preditivo positivo (VPP) para cada categoria do BI-RADS®. Resultados: Foram estudadas 47 lesões malignas (46%), 29 carcinomas ductais in situ (CDIS) e 18 carcinomas ductais invasores (CDI), e 55 benignas (54%). Observou-se moderada concordância geral interobservador (k = 0,49 na primeira e segunda leitura) e intra-observador (k = 0,57) para todas as categorias finais. Na morfologia e na distribuição das microcalcificações houve baixa a moderada concordância geral (valores médios de k entre 0,27 a 0,49). As maiores inconsistências foram no uso das categorias 3, 4a e 4b e na morfologia amorfa. O VPP nas duas leituras para a subdivisão da categoria 4 foi 4a: 25% e 35%; 4b: 42% e 41%; e 4c: 60% e 74%. A acurácia foi menor nas categoriais 4a (LR, 0,39 e 0,63) e 4b (LR, 0,84 e 0,80). As categorias 4c (LR, 1,74 e 3,32) e 5 (LR, > 16,5 e > 20) estiveram associadas com alto risco para malignidade. Conclusão: A subdivisão da categoria 4 e a terminologia da quarta edição do BIRADS ® demonstraram baixa a moderada concordância geral inter e intraobservador. Obteve-se boa estratificação da probabilidade de malignidade entre os casos de microcalcificações avaliados, com melhor acurácia nas categorias 4c e 5. Deve-se atentar para limitações na concordância das categorias 3, 4a e 4b e da morfologia amorfa e na acurácia nas categorias 4a e 4b para casos de microcalcificações com indicação de biópsia. / Purpose: To evaluate interobserver and intraobserver agreement by using the BIRADS ® (fourth edition) terminology and the final assessment including subcategorization of category 4 for breast microcalcifications. We also assess the accuracy of the BI-RADS® final categories. Materials and Methods: Four breast radiologists retrospectively interpreted 109 mammograms showing microcalcifications in 89 patients who underwent needlelocalization open breast biopsy according with the BI-RADS® lexicon (fourth edition). All cases were re-examined and classified again after six months by the same team. The final diagnosis was based upon the pathologic result of the surgical specimen. The reader agreement for final assessment category and for each category, morphology and distribution descriptions was measure by kappa statistics. The accuracy was determined with the likelihood ratio (LR) and the positive predictive value (PPV) for final assessment of each BI-RADS® category. Results: Pathological examination revealed 47 malignant lesions (46%), 29 ductal carcinomas in situ (DCSI) and 18 invasive carcinomas (IDC) and 55 benign lesions (54%). Moderate agreement was achieved in interobserver (k = 0.49 in the first and in the second readings) and intraobserver (k = 0.57) of the final assessment of all categories. For microcalcifications morphology, the mean k was 0.49 for intraobserver and 0.27 and 0.34 for interobserver. For the distribution, the mean k was 0.48 for intraobserver and 0.42 and 0.39 for interobserver. We found some inconsistencies in assessment of final categories 3, 4a and 4b and amorphous morphology. PPV in the two readings sessions for subcategorization of category 4 was 4a: 25% and 35%; 4b: 42% and 41%; and 4c: 60% and 74%. The accuracy was lower in categories 4a (LR, 0.39 and 0.63) and 4b (LR, 0.84 and 0.80).The categories 4c (LR, 1.74 and 3.32) and 5 (LR, > 16,5 and > 20) were associated with high risk for malignancy. Conclusion: The terminology of BI-RADS® fourth edition including subcategorization of category 4 was associated to an overall fair to moderate agreement. We found good stratification of the likelihood of malignancy with better accuracy for categories 4c and 5. Attention for inconsistencies in assessment of final BI-RADS® categories 3, 4a and 4b and amorphous or indistinct morphology and lower accuracy in categories 4a and 4b it is important concern for microcalcifications.
3

Variabilidade inter e intra-observador do sistema BI-RADS incluido a subdivisão da categoria 4 para microcalcificações mamárias encaminhadas para agulhamento pré-operatório

Gonçalves, Andrea Teixeira Cadaval January 2006 (has links)
Objetivo: Determinar a variabilidade interobservador e intra-observador da terminologia da quarta edição do Breast Imaging Reporting and Data System (BIRADS ®) na avaliação de microcalcificações mamárias, incluindo a subdivisão da categoria 4. O objetivo secundário foi avaliar a acurácia das categorias finais do BIRADS ®. Material e Método: Quatro médicos radiologistas especialistas em mamografia interpretaram, retrospectivamente, 109 mamografias de 89 pacientes encaminhadas para demarcação pré-operatória de microcalcificações. Foi utilizada a terminologia da quarta edição do BI-RADS®. Após seis meses foi realizada nova interpretação. O diagnóstico final baseou-se no resultado anatomopatológico da peça cirúrgica. A concordância entre os médicos para categorias finais e separadamente para cada categoria, morfologia e tipo de distribuição foi calculada através da estatística kappa. A acurácia foi determinada através da razão de verossimilhança (likelihood ratio - LR) e do valor preditivo positivo (VPP) para cada categoria do BI-RADS®. Resultados: Foram estudadas 47 lesões malignas (46%), 29 carcinomas ductais in situ (CDIS) e 18 carcinomas ductais invasores (CDI), e 55 benignas (54%). Observou-se moderada concordância geral interobservador (k = 0,49 na primeira e segunda leitura) e intra-observador (k = 0,57) para todas as categorias finais. Na morfologia e na distribuição das microcalcificações houve baixa a moderada concordância geral (valores médios de k entre 0,27 a 0,49). As maiores inconsistências foram no uso das categorias 3, 4a e 4b e na morfologia amorfa. O VPP nas duas leituras para a subdivisão da categoria 4 foi 4a: 25% e 35%; 4b: 42% e 41%; e 4c: 60% e 74%. A acurácia foi menor nas categoriais 4a (LR, 0,39 e 0,63) e 4b (LR, 0,84 e 0,80). As categorias 4c (LR, 1,74 e 3,32) e 5 (LR, > 16,5 e > 20) estiveram associadas com alto risco para malignidade. Conclusão: A subdivisão da categoria 4 e a terminologia da quarta edição do BIRADS ® demonstraram baixa a moderada concordância geral inter e intraobservador. Obteve-se boa estratificação da probabilidade de malignidade entre os casos de microcalcificações avaliados, com melhor acurácia nas categorias 4c e 5. Deve-se atentar para limitações na concordância das categorias 3, 4a e 4b e da morfologia amorfa e na acurácia nas categorias 4a e 4b para casos de microcalcificações com indicação de biópsia. / Purpose: To evaluate interobserver and intraobserver agreement by using the BIRADS ® (fourth edition) terminology and the final assessment including subcategorization of category 4 for breast microcalcifications. We also assess the accuracy of the BI-RADS® final categories. Materials and Methods: Four breast radiologists retrospectively interpreted 109 mammograms showing microcalcifications in 89 patients who underwent needlelocalization open breast biopsy according with the BI-RADS® lexicon (fourth edition). All cases were re-examined and classified again after six months by the same team. The final diagnosis was based upon the pathologic result of the surgical specimen. The reader agreement for final assessment category and for each category, morphology and distribution descriptions was measure by kappa statistics. The accuracy was determined with the likelihood ratio (LR) and the positive predictive value (PPV) for final assessment of each BI-RADS® category. Results: Pathological examination revealed 47 malignant lesions (46%), 29 ductal carcinomas in situ (DCSI) and 18 invasive carcinomas (IDC) and 55 benign lesions (54%). Moderate agreement was achieved in interobserver (k = 0.49 in the first and in the second readings) and intraobserver (k = 0.57) of the final assessment of all categories. For microcalcifications morphology, the mean k was 0.49 for intraobserver and 0.27 and 0.34 for interobserver. For the distribution, the mean k was 0.48 for intraobserver and 0.42 and 0.39 for interobserver. We found some inconsistencies in assessment of final categories 3, 4a and 4b and amorphous morphology. PPV in the two readings sessions for subcategorization of category 4 was 4a: 25% and 35%; 4b: 42% and 41%; and 4c: 60% and 74%. The accuracy was lower in categories 4a (LR, 0.39 and 0.63) and 4b (LR, 0.84 and 0.80).The categories 4c (LR, 1.74 and 3.32) and 5 (LR, > 16,5 and > 20) were associated with high risk for malignancy. Conclusion: The terminology of BI-RADS® fourth edition including subcategorization of category 4 was associated to an overall fair to moderate agreement. We found good stratification of the likelihood of malignancy with better accuracy for categories 4c and 5. Attention for inconsistencies in assessment of final BI-RADS® categories 3, 4a and 4b and amorphous or indistinct morphology and lower accuracy in categories 4a and 4b it is important concern for microcalcifications.
4

Aspectos epidemiologicos, clinicos e terapeuticos do cancer de mama em homens

Leme, Luis Henrique da Silva, 1957- 24 October 2005 (has links)
Orientador: Gustavo Antonio de Souza / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-05T06:20:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Leme_LuisHenriquedaSilva_M.pdf: 672538 bytes, checksum: 6c248014ebbe5a2b7317c82f15549b91 (MD5) Previous issue date: 2005 / Resumo: Introdução: O câncer de mama masculina é neoplasia rara, pouco conhecida e pouco estudada, apresentando uma incidência aproximada de 1500 casos novos por ano, nos Estados Unidos, estimando-se que para cada cem casos novos de câncer feminino teremos um caso de neoplasia masculina. Trata-se de um tumor que apresenta alta morbi-mortalidade, porque na grande maioria das vezes o seu diagnóstico é mais tardio, fato que interfere, piorando o prognóstico desta doença. Objetivo: Avaliar os aspectos epidemiológicos, clínicos e terapêuticos do câncer de mama em homens. Sujeitos e métodos: Foi realizado um estudo descritivo, retrospectivo, onde foram estudados 25 casos de neoplasia de mama masculina no município de Campinas, diagnosticados no Hospital e Maternidade Celso Pierro (PUC-Campinas), no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM-Unicamp) e no Laboratório de Anatomia Patológica da Maternidade de Campinas, no período de 1992 a 2005. Os dados foram coletados dos prontuários médicos dos sujeitos com o intuito de avaliar a história clínica, antecedentes pessoais e familiares, diagnóstico anatomopatológico, tratamentos realizados e evolução. Resultados: Por ser um estudo descritivo, de patologia rara, com pequena casuística, não foi realizada análise estatística deste trabalho, sendo que os dados foram apresentados através de freqüências e médias das variáveis estudadas. Com relação à faixa etária foram identificados três casos com idade até 40 anos, sete casos na faixa de 41 a 60 anos e 15 casos com idade acima dos 60 anos. No presente estudo, 22 pacientes eram de cor branca, um de cor negra e dois de cor parda. A distribuição percentual, segundo o tempo decorrido a partir dos sintomas iniciais até o momento do diagnóstico, mostrou que sete pacientes tiveram seu diagnóstico até o sexto mês após iniciados os sintomas, seis pacientes foram diagnosticados no período de sete a 12 meses após o início dos sintomas, cinco pacientes diagnosticados no segundo ano e sete pacientes tiveram o seu diagnóstico em um período superior a dois anos após iniciados os primeiros sintomas. A totalidade dos casos apresentou como sintoma inicial a presença de nódulo, e o padrão histológico dominante foi o Carcinoma Ductal Invasivo, presente em 23 casos. O tratamento cirúrgico de escolha foi a mastectomia, tendo sido realizadas seis mastectomias radicais, 17 mastectomias radicais modificadas, uma mastectomia simples e uma setorectomia. Conclusões: Corroborando os dados da literatura, a ocorrência do câncer de mama no homem foi identificada mais tardiamente, e apresentou um retardo significativo no tempo decorrido entre as queixas iniciais até o momento do diagnóstico do câncer, situação esta demonstrada pelo fato de que mais da metade dos pacientes estudados encontravam-se em estádios avançados da doença / Abstract: Introduction: Carcinoma of the male breast is a rare malignancy. Little is known about the disease and few research studies have been conducted on it. Approximately 1500 new cases of male breast cancer are diagnosed per year in the United States. It is estimated that for every one hundred new cases of female breast cancer, there is one case of male breast cancer. The tumor can cause significant morbidity and mortality, because of delayed diagnosis in the majority of cases, contributing to a worse prognosis of the disease. Objectives: To assess epidemiology, clinical aspects and treatment of breast cancer in men. Subjects and methods: A descriptive retrospective study was carried out to investigate 25 cases of male breast cancer in the municipality of Campinas, diagnosed at the Celso Pierro General and Maternity Hospital (PUC-CAMPINAS), in the Women¿s Integral Healthcare Center (CAISM-UNICAMP) and in the Laboratory of Anatomic Pathology of the Campinas Maternity Hospital, from 1992 to 2005. Data was collected from patient medical records with the purpose of evaluating clinical history, personal and family history, anatomic pathology diagnosis, treatment performed and clinical course. Results: Since this was a descriptive study of a rare disease with a small case study, statistical analysis was not conducted. Data was reflected in the frequencies and means of the variables studied. Regarding the age group, three patients were identified as being less than 40 years of age, seven patients were aged from 41 to 60 years and 15 patients were aged over sixty years. In the present study, 22 patients were white, one was black and two were mulatto. The percentage distribution according to the time since the first symptoms appeared until the time of diagnosis showed that seven patients were diagnosed no longer than six months after symptoms appeared, six patients were diagnosed from seven to 12 months after the first symptoms appeared, five patients were diagnosed two years after the first symptoms appeared and seven patients were diagnosed more than two years after the first symptoms appeared. The presenting complaint in all patients was a breast lump, and the predominant histologic pattern observed was Invasive Ductal Carcinoma, present in 23 cases. The surgical treatment of choice was mastectomy. Six radical mastectomies, 17 modified radical mastectomies, one simple mastectomy and one lumpectomy were performed. Conclusion: The current study corroborates data obtained from the literature, indicating that breast cancer was identified at a later stage in men. There was a significant delay in diagnosing cancer after the first symptoms appeared. More than half of the patients studied were diagnosed with breast cancer at an advanced stage of the disease / Mestrado / Tocoginecologia / Mestre em Tocoginecologia
5

Sensibilidade e especificidade do auto-exame da mama em relação ao seu exame clínico numa população de funcionárias de um hospital universitário de Fortaleza / Sensitivity and especificidade of the auto-examination of the breast in relation to its clinical examination in a population of employees of a university hospital Fortaleza

Oliveira, Francisco Alberto Régio de January 2004 (has links)
OLIVEIRA, Francisco Alberto Régio de. Sensibilidade e especificidade do auto-exame das mamas em relação ao seu exame clínico, numa população de funcionárias de um hospital universitário de Fortaleza. 2004. 121 f. Dissertação (Mestrado em Tocoginecologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2004. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-10-22T13:28:54Z No. of bitstreams: 1 2004_dis_faroliveira.pdf: 721740 bytes, checksum: c3970c88d5d19f07b56c256967e4dbcc (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2012-10-26T15:11:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2004_dis_faroliveira.pdf: 721740 bytes, checksum: c3970c88d5d19f07b56c256967e4dbcc (MD5) / Made available in DSpace on 2012-10-26T15:11:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2004_dis_faroliveira.pdf: 721740 bytes, checksum: c3970c88d5d19f07b56c256967e4dbcc (MD5) Previous issue date: 2004 / comparar os achados do auto-exame das mamas com o seu exame clínico no rastreamento de anormalidades mamárias. Verificar a freqüência dos conhecimentos e práticas relacionadas com o auto-exame das mamas. Estimar a sensibilidade e especificidade do auto-exame das mamas em relação ao seu exame clínico. Averiguar se a sensibilidade é influenciada pelas variáveis antropométricas e sociodemográficas ou pelos conhecimentos e práticas do auto-exame. Metodologia: estudo transversal de validação de teste diagnóstico, envolvendo 505 funcionárias de um hospital universitário. Foi aplicado um questionário sobre conhecimentos e práticas relacionadas com o auto-exame das mamas e ministrada instrução sobre o auto-exame a todas as participantes que posteriormente realizaram o auto-exame e foram submetidas a exame clínico por único examinador. Os intervalos de confiança de 95% foram calculados pelo método de aproximação pela distribuição normal. Proporções foram comparadas por meio do teste do qui-quadrado e foram consideradas significativamente diferentes (teste bicaudado) quando a probabilidade de estas serem semelhantes foi menor ou igual a 0,05. Resultados: 94,06% tinham recebido informação sobre o auto-exame, 29,90% pelo médico. 32,28% realizavam o auto-exame mensalmente, 55,95% após a menstruação e o procedimento mais realizado era a palpação durante o banho. A sensibilidade para qualquer achado foi de 37,21 % com IC 95% de 32,77%-41,82%. A sensibilidade, excluindo-se a assimetria, foi de 44,85% com IC 95% de 39,59-50,26%. A sensibilidade exclusiva para nódulo e espessamento (massa) foi de 52,07% com IC 95% de 43, 17%-60,87%. A especificidade para qualquer achado foi de 71,64% com IC 95% de 60,00%¬81,44%. A especificidade, excluindo-se a assimetria, foi de 80,57% com IC 95% de 74,20%-85,93%. A especificidade exclusiva para massa foi de 90,10% com IC 95% de 86,81 %-92,79%. A sensibilidade não mostrou diferença estatisticamente significativa quando estratificada por mama, conhecimentos e práticas relacionadas ao exame feito pela própria e variáveis antropométricas e sociodemográficas. Conclusão: o auto-exame é bastante conhecido por essa população, apresenta em relação ao exame clínico uma baixa sensibilidade e especificidade, que se eleva quando analisadas exclusivamente as massas, aproximando-se da sensibilidade e especificidade da mamografia em mulheres abaixo dos 40 anos de idade.
6

FATORES Biológicos e Ambientais Envolvidos na Etiopatogenia do Câncer de Mama

STUR, E. 18 December 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T21:35:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_11632_Tese_Elaine Stur.pdf: 5488552 bytes, checksum: b6da775321c34a8f0ddc915a7bef6faf (MD5) Previous issue date: 2017-12-18 / O câncer de mama, dentre os diversos cânceres, possui a maior incidência e mortalidade na população feminina mundial, sendo atualmente o principal causador de morte entre mulheres. É uma doença heterogênea que possui como principais fatores de risco a idade, etnia, genética, obesidade, menarca, menopausa, fatores reprodutivos e densidade mamária. Devido à forte influência da densidade mamária como fator de risco, na primeira parte deste estudo, foi realizado um levantamento epidemiológico a partir de mamografias envolvendo 11.826 mulheres atendidas no Centro de diagnóstico por Imagem-Mulher-Vitória, Espírito Santo. Os resultados demonstraram que idade avançada, menopausa, número alto de filhos e, principalmente, alto índice de massa corpórea, estão relacionadas a baixas densidades mamárias. A idade avançada se apresentou como fator de proteção para lesões na mama, enquanto que cirurgia prévia, alto índice de massa corpórea e alta densidade mamária demonstraram associação com a presença de lesões. Fatores que influenciam na regulação hormonal do organismo também podem auxiliar no desenvolvimento do câncer de mama. A segunda parte deste trabalho, trata da relação do uso de herbicidas e o câncer. Nos últimos anos, com o crescimento no uso de herbicidas, diversos estudos têm relatado que o glifosato, herbicida mais utilizado no mundo, pode atuar como desregulador endócrino e mitógeno, levando a alterações na taxa de crescimento tumoral. Desta forma, este estudo buscou identificar como o Roundup® (forma complexada do glifosato) e o ácido aminometilfosfônico (metabólito principal do glifosato) atuam nos padrões de expressão gênica de linhagens de câncer de mama hormônio dependentes (MCF-7) e hormônio independentes (MDA-MB-468). Os resultados demonstraram que o glifosato levou a uma desregulação de pelo menos 11 vias canônicas em ambas as linhagens, sendo as mais importantes, ciclo celular e reparo de DNA. Além disso, a linhagem MDA-MB-468 apresentou diversas alterações nas vias de processos metabólicos. O ácido aminometilfosfônico levou a um menor número de alterações, porém as alterações encontradas indicam alterações no processo de metabolismo celular. Tais achados mostram que, de forma dose-dependente, o Roundup® leva a alterações na proliferação celular, um risco para o desenvolvimento de doenças mamárias. Assim, pode-se concluir a partir deste estudo que diversos fatores de risco podem influenciar no desenvolvimento e progressão de lesões mamárias, atuando de forma independente ou dependente e ainda que o uso de herbicidas influencia em funções celulares básicas, desregulando sua homeostase.
7

Câncer de mama em mulheres jovens: incidência, mortalidade e associação com os polimorfismos dos genes NQO1, CYP17 e CYP19 / Breast cancer in young women: incidence, mortality and association with polymorphisms of NQO1, CYP17 and CYP19

Santos, Sabrina da Silva January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2014-05-29T12:01:35Z (GMT). No. of bitstreams: 4 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 0000012.pdf: 1138915 bytes, checksum: 4b472336f860a4aed2a7df264fa6da9e (MD5) 0000012.pdf.txt: 255613 bytes, checksum: e25a3bce5f0aa1fdddb0d8d14149e952 (MD5) 0000012.pdf.jpg: 1283 bytes, checksum: 14abd19a722e0375fea694f309c46380 (MD5) Previous issue date: 2013 / Introdução: Ainda são relativamente poucos os estudos realizados mundialmente para caracterizar a distribuição das taxas de incidência e mortalidade por câncer em jovens, bem como para a exploração dos aspectos biológicos desses tumores. Adicionalmente, em relação ao câncer de mama, têm sido publicados relatos sugerindo um aumento na incidência e na mortalidade em mulheres jovens em diferentes populações, sendo os polimorfismos genéticos associados ao câncer de mama nestas mulheres, ainda pouco estudados. Objetivo: caracterizar a distribuição epidemiológica do câncer em adultos jovens no Brasil com ênfase no câncer de mama feminino e determinar a magnitude de associação de polimorfismos nos genes CYP17, CYP19 e NQO1 e a ocorrência de câncer de mama em mulheres jovens. Métodos: Foram realizados dois estudos descritivos da incidência, da morbidade hospitalar e da mortalidade por câncer no Brasil. O primeiro analisou a distribuição epidemiológica do câncer em jovens de 20-24 anos e o segundo analisando o câncer de mama em mulheres menores de 50 anos. Adicionalmente, foi realizado um estudo epidemiológico-molecular explorando a associação dos polimorfismos dos genes CYP17, CYP19 e NQO1 com câncer de mama em mulheres jovens. Este estudo consiste em um braço de uma investigação caso-controle de base hospitalar realizada na cidade do Rio de Janeiro, com 270 casos de câncer de mama e 270 controles ambos entre 18-35 anos. Resultados: Nos jovens entre 20-24 anos, o câncer de testículo foi a principal localização anatômica em homens, as neoplasias da glândula tireoide, do colo de útero e a doença de Hodgkin nas mulheres e o câncer de encéfalo a principal causa de morte por câncer em ambos os sexos. Em mulheres menores de 50 anos, os resultados sugerem um aumento das taxas de incidência de câncer de mama na maior parte das capitais brasileiras analisadas. / Nosso estudo caso-controle não observou a presença de associação entre o polimorfismo MspA1 do gene CYP17 e Arg Cys do gene CYP19 e a ocorrência de câncer de mama em mulheres menores de 36 anos. Entretanto, um aumento estatisticamente significativo do risco estimado de câncer de mama foi identificado em mulheres que possuíam pelo menos um alelo polimórfico do gene NQO1 (OR 1,96; IC 95 por cento 1,13-3,40), quando ajustado por variáveis de confundimento selecionadas. Conclusão: Nossos resultados retratam o padrão epidemiológico do câncer em adultos jovens no Brasil e sugerem que o polimorfismo T da NQO1 possa ser um fator de risco para o câncer de mama em mulheres jovens.
8

Resiliencia y estilos de afrontamiento en mujeres con cáncer de mama de un hospital estatal de Chiclayo 2013

Ascencio Puicón, Anaís Jackelin January 2015 (has links)
La presente investigación tuvo como objetivo determinar si existe asociación entre los niveles de resiliencia y los niveles de los estilos de afrontamiento en mujeres con cáncer de mama de un hospital estatal de Chiclayo, 2013. El tipo de investigación es correlacional por asociación. Para su realización, se evaluó a 70 pacientes entre 25 y 60 años de edad, a quienes se les aplicó instrumentos para la recolección de datos como la escala de resiliencia de Wagnild y Young y el inventario de estimación de afrontamiento, COPE; de los cuales se estableció la confiabilidad, validez y baremación. Finalmente, se llegó a la conclusión que existe asociación altamente significativa entre los niveles de resiliencia y los niveles de los estilos de afrontamiento en mujeres con cáncer de mama de un Hospital Estatal de Chiclayo-2013.
9

Perfil Epidemiológico de Cáncer de Mama Triple Negativo en pacientes atendidos en el Hospital Nacional Hipólito Unanue entre Junio del 2012 a Junio del 2015

Quiróz Quiróz, Claudio January 2016 (has links)
Objetivo: Determinar el perfil epidemiológico del Cáncer de Mama Triple Negativo en pacientes atendidos en el Hospital Nacional Hipólito Unanue entre Junio del 2012 a Junio del 2015. Material: Revisión retrospectiva de fichas de notificación, (Directiva Sanitaria de Vigilancia Epidemiológica del Cáncer. Registros Hospitalarios) de 42 pacientes con Cáncer de Mama Triple Negativo entre Junio del 2012 a Junio del 2015, en el Hospital Nacional Hipólito Unanue, en la Unidad de Cáncer de Mama y Patología Mamaria. Resultados: La edad media fue de 51 años (14,2%), estado menopáusico más frecuente fue el Pre Menopáusico (52.4%), el estadío patológico más frecuente fue Estadío III (54.8%), el tamaño tumoral más frecuente fue el que afecta a piel (47,06%), hubo compromiso axilar en un 81%, el grado histológico más frecuente corresponde a pobremente diferenciado (64,71%), el mayor porcentaje (50%) no tuvo recurrencia local, el mayor porcentaje (83.3%) no tuvo metástasis, el tratamiento más frecuente fue el de terapia doble (33.3%), que incluye mastectomía radical y quimioterapia. Conclusiones: La clasificación del cáncer de mama basada en parámetros inmunohistoquímicos (IHQ) permite una mejor definición del pronóstico.
10

Associação da espessura da camada íntima da artéria carótida com os fatores de risco cardiovasculares em mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama. / therosclerotic Disease and Cardiovascular Risk Factors in postmenopausal breast cancer survivors.

Branco, Mauro Terra 22 February 2018 (has links)
Submitted by Mauro Terra Branco (drbranco30@gmail.com) on 2018-06-15T11:33:49Z No. of bitstreams: 1 Mestrado Mauro Branco.pdf: 1094128 bytes, checksum: e51cdedc66a57929d656645ede3cc95b (MD5) / Approved for entry into archive by Sulamita Selma C Colnago null (sulamita@btu.unesp.br) on 2018-06-18T20:26:52Z (GMT) No. of bitstreams: 1 branco_mt_me_bot.pdf: 1094128 bytes, checksum: e51cdedc66a57929d656645ede3cc95b (MD5) / Made available in DSpace on 2018-06-18T20:26:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 branco_mt_me_bot.pdf: 1094128 bytes, checksum: e51cdedc66a57929d656645ede3cc95b (MD5) Previous issue date: 2018-02-22 / Objetivo: Avaliar a ocorrência da doença aterosclerótica e a sua associação com fatores de risco cardiovascular em mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama comparadas às mulheres sem câncer. Métodos: Realizou-se estudo clínico de corte transversal com 96 mulheres tratadas de câncer de mama comparadas a 192 mulheres na pós-menopausa (controle), com idades entre 45 e 75 anos. Foram incluídas no grupo principal mulheres com amenorréia > 12 meses e idade ≥45 anos, com diagnóstico histológico de câncer de mama, sem doença metastática e sem doença cardiovascular (DCV) estabelecida. O grupo controle foi constituído por mulheres com amenorréia > 12 meses, idade ≥45 anos, sem câncer de mama e DCV. Os grupos foram pareados por idade, tempo de menopausa e índice de massa corpórea (IMC) na proporção 1 caso para 2 controles, conforme cálculo amostral, com mínimo de 92 pacientes tratadas de câncer de mama. Dados clínicos e antropométricos (IMC e circunferência da cintura) foram coletados por meio de entrevista e exame físico. Para análise bioquímica foram solicitados colesterol total, HLD, LDL, triglicerídeos, glicose e insulina. A doença aterosclerótica foi determinada pela espessura do complexo médio-intimal (CMI > 1mm) das artérias carótidas e/ou pela presença de placa ateromatosa, avaliadas pela ultrassonografia carotídea (scanner duplex). Para análise estatística foram empregados: Teste t-student, Distribuição Gama (variáveis assimétricas), Teste do Qui-Quadrado, a Correlação de Pearson e Regressão Logística (odds ratio-OR). Resultados: A média de idade das pacientes tratadas de câncer de mama foi de 59,8 ± 9,0 anos com tempo médio de seguimento de 4,2 ± 2,0 anos. Na comparação entre os grupos, mulheres tratadas de câncer de mama apresentaram valores médios elevados da pressão sistólica e distólica (p<0.001), e valores médios de triglicerídeos e glicose, acima dos valores desejáveis (p<0.05). Foi observado maior ocorrência de diabetes e síndrome metabólica entre as mulheres tratadas de câncer mama quando comparadas ao controle (19,8% vs 6,8% e 54,2% vs 30,7%, respectivamente) (p<0.05). Na avaliação ultrassonográfica da aterosclerose subclínica (CMI > 1 mm) não foi observada diferença significativa entre os grupos, apenas uma tendência a maior ocorrência no grupo câncer de mama quando comparado ao controle (26,0% vs 18,7%, respectivamente, p=0.062). Entretanto quando analisada a presença de placas de ateroma nas artérias carótidas, pacientes tratadas de câncer de mama apresentaram maior ocorrência quando comparadas ao grupo controle (19,8% vs 9,4%, respectivamente) (p=0.013). Nas mulheres tratadas de câncer de mama foi observada correlação positiva significativa entre a medida do CMI com a idade (r=0.37), tempo de menopausa (r=0.22), uso de inibidor da aromatase (r=0.27) e com a presença de placa ateromatosa (r=0.80). Na análise de risco ajustado para idade, tempo de menopausa e IMC, as mulheres tratadas de câncer de mama apresentaram risco 2.4 vezes maior para ocorrência de placa ateromatosa (OR=2.42; IC 95% 1.18 - 4.93, p=0.033) quando comparadas as mulheres sem câncer. Conclusão: Mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama apresentaram maior risco para o desenvolvimento de doença aterosclerótica, associado à maior ocorrência de fatores de risco cardiovascular como a síndrome metabólica, o diabetes e a hipertrigliceridemia, quando comparadas a mulheres na mesma faixa etária sem câncer. / Objective: To evaluate the occurrence of atherosclerotic disease and its association with cardiovascular risk factors in postmenopausal breast cancer survivors survivors as compared with postmenopausal women without breast cancer. Methods: In this cross-sectional study, 96 postmenopausal breast cancer survivors were compared with 192 postmenopausal women (controls) attending a university hospital. The principal group included women with amenorrhea > 12 months and age ≥45 years, with histological diagnosis of breast cancer, without metastatic disease and without established cardiovascular disease (CVD). The control group consisted of women with amenorrhea > 12 months, age ≥45 years, without breast cancer and CVD. The groups were matched by age, time since menopause, and body mass index (BMI) in the proportion 1 case for 2 controls, according to the sample calculation, with a minimum of 92 breast cancer survivors. Clinical and anthropometric data (BMI and waist circumference) were collected through an interview and physical examination. Biochemical parameters, including total cholesterol, HDL, LDL, triglycerides, glucose, and insulin were measured. The atherosclerotic disease was determined by the intima media thickness (IMT) of the carotid arteries evaluated by carotid ultrasound (scanner duplex). Subclinical ATS was defined as increased carotid intima-media thickness (>1.0 mm) and/or the presence of atheromatous plaques. For statistical analysis, Student's t-test, Gamma distribution (asymmetric variables), Chi-Square test, Pearson's correlation and Logistic regression (OR-odds ratio) were used. Results: The mean (SD) age of breast cancer survivors was 59.8 ± 9.0 years, with a mean (SD) follow-up of 4.2 ± 2.0 years. In the comparison between the groups, the breast cancer survivors presented high mean values of systolic and distal pressure (p <0.001), and mean values of triglycerides and glucose, above the desirable values (p <0.05). Higher occurrence of diabetes and metabolic syndrome among the breast cancer survivors was observed (19.8% vs 6.8% and 54.2% vs 30.7%, respectively) (p <0.05). There was no significant difference was observed in subclinical atherosclerosis (IMT> 1 mm) between the groups, only a trend of higher occurrence in the breast cancer survivors when compared to the control group (26.0% vs 18.7%, respectively, p = 0.062). However, when the presence of atheromatous plaques in the carotid arteries was analyzed, the breast cancer survivors had a higher occurrence when compared to the control group (19.8% vs 9.4%, respectively) (p = 0.013). In the breast cancer survivors women, a significant positive correlation was observed between IMT measurement with age (r = 0.37), time since menopause (r = 0.22), use of aromatase inhibitor (r = 0.27), and presence of atheromatous plaque (r = 0.80). In the risk analysis adjusted for age, time since menopause and BMI, breast cancer survivors had a 2.4 times greater risk for atheromatous plaque (OR = 2.42; 95% CI 1.18 - 4.93, p = 0.033) when compared to women without cancer. Conclusion: Postmenopausal breast cancer survivors presented a higher risk for the development of atherosclerotic disease, associated with a higher occurrence of cardiovascular risk factors such as metabolic syndrome, diabetes and hypertriglyceridemia, when compared to women in the same age group without cancer.

Page generated in 0.0442 seconds