• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1470
  • 56
  • 22
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1553
  • 537
  • 463
  • 321
  • 262
  • 256
  • 230
  • 212
  • 188
  • 188
  • 154
  • 118
  • 116
  • 108
  • 96
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Mannheimiose pneumônica experimentalmente induzida em bezerros pela Mannheimia (Pasteurella) haemolytica A1-cepa D153: achados do exame físico, hemograma e swabs nasal e nasofaringeano

Coutinho, Adriana de Souza [UNESP] January 2003 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:31:24Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2003Bitstream added on 2014-06-13T18:41:59Z : No. of bitstreams: 1 coutinho_as_dr_botfmvz.pdf: 748919 bytes, checksum: c3d99611d777fe2a213bb8f475b4bee3 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Universidade Estadual Paulista (UNESP) / A Mannheimia haemolytica A1 é o agente etiológico da Mannheimiose Pneumônica Bovina (MPB), uma doença de grande importância econômica. Um modelo experimental de MPB foi utilizado com o objetivo de avaliar os sinais clínicos, as alterações hematológicas e as espécies bacterianas das cavidades nasais e nasofaringeanas de bezerros com MPB, em diferentes momentos do curso da doença. Um total de 28 bezerros foi divido em sete lotes e os bezerros de cada lote foram distribuídos aleatoriamente em cada um dos quatro grupos. Cada grupo foi avaliado em um momento do curso da MPB: grupo I às 12, grupo II às 24, grupo III às 48 e grupo IV às 72 horas após a inoculação. Após incubação por cinco horas, a 37ºC e sob rotação de 150 ciclos/min, os inóculos da cepa D153 de M. haemolytica A1, com concentrações variando entre 1,5 x 10 8 a 8,20 x 10 9 UFCs (Unidades Formadoras de Colônias), foram infundidos na região da carina em todos os bezerros de cada lote, por via transtraqueal, enquanto eram mantidos em decúbito lateral direito. As respostas dos bezerros de cada grupo, I a IV, à M. haemolytica A1 foram caracterizadas por: hipertermia e taquicardia, com a temperatura corporal e a freqüência cardíaca tendendo a ser mais baixa nos grupos I a III e alcançando valores mais elevados no grupo IV. A freqüência respiratória aumentou em todos os grupos após a inoculação, com os valores dos grupos III e IV tendendo a ser mais elevados. Os sinais clínicos qualitativos da MPB que indicaram alterações da condição física geral, do sistema cardiovascular e alterações oculares tenderam a melhorar à medida que a doença progrediu, quando os quatro grupos foram comparados. Adicionalmente, a freqüência da secreção nasal mucosa e a intensidade da secreção nasal muco-purulenta tenderam a aumentar, concomitantemente com o aumento da... . / Mannheimia haemolytica A1 is the etiologic agent of Bovine Pneumonic Mannheimiosis (BPM), a disease of great economic importance. An experimental model of BPM was utilized with the objective of evaluating the clinical signs, hematologic changes and the bacterial species of the nasal and nasopharynx cavities of calves with BPM at different moments of the course of the disease. A total of 28 calves were divided in seven blocks, and the calves of each block were randomized to take part in one of four groups. Each group was evaluated at one moment of the course of BPM: group I at 12, II at 24, III at 48 and IV at 72 hours after inoculation. After incubation for 5 hours at 37ºC and under rotation of 150 cycles/min, the inoculums of the D153 strain of M. haemolytica A1, with concentrations varying between 1,5 x 10 8 a 8,20 x 10 9 CFU (Colonies Forming Unit), were infused at the karin region in all calves of each block, through transtraqueal route, while the calves were in right side lying. The reaction of the calves of each group (I to IV) to M. haemolytica A1 was characterized by: hipertermia and tachycardia, with body temperature and heart rate tending to be lower in groups I to III and reaching higher values in group IV. Respiratory rate increased in all groups after inoculation, with the values of groups III and IV tending to be higher. BPM qualitative clinical signs which indicated alterations of general physical condition, alterations of the cardiovascular system and ocular changes tended to improve along the progression of the disease when the four groups were compared. Additionally, the frequency of the mucous nasal... (Complete abstract, click electronic address below).
2

Morfologia do cromossomo Y, função gonadal e extragonadal em touros de raças sintéticas com alterações na qualidade do sêmen

Mesquita, Marilise Oliveira January 2002 (has links)
O motivo deste estudo foi o percentual elevado de descarte de touros por alterações reprodutivas, precisamente qualidade de sêmen, que se apresenta em determinados sistemas produtivos nos quais estão inseridas as raças sintéticas. Através de cinco experimentos foi permitido observar o comportamento da espermatogênese de touros de raças sintéticas do nível cromossômico ao funcional do epitélio seminífero. O experimento I, avaliou por seis meses as características seminais de 12 touros, seis de uma raça pura e seis de uma sintética, contendo em cada grupo touros aptos e inaptos a reprodução classificados por qualidade de sêmen. Os animais do grupo sintético não apresentaram recuperação das características seminais durante o período de avaliação, como os puros, indicando um quadro degenerativo permanente neste conjunto de indivíduos. O experimento II buscou identificar uma relação entre a morfologia do cromossomo Y e tipos de cruzamentos, com a qualidade seminal de touros de duas raças sintéticas, Braford e Brangus-Ibagé. A relação da morfologia do Y com a condição reprodutiva não foi comprovada, no entanto considerando os tipos de cruzamentos para obtenção de touros 3/8, os cruzamentos que utilizam fêmea ¼ com macho ½ sangue filho de Nelore proporcionam um maior percentual de animais considerados inaptos ao exame de sêmen. Este experimento sugere medidas práticas para evitar o cruzamento que traz maiores prejuízos econômicos. O experimento III foi proposto para a avaliar a intensidade de redução de células espermáticas anômalas ao longo do epidídimo em touros de uma raça sintética. A redução da freqüência de gota citoplasmática proximal foi distinta entre os grupos de touros classificados quanto a morfologia espermática e entre as regiões do epidídimo, sendo portanto um indicador sensível da qualidade espermática e classificação da fertilidade potencial de animais de raças híbridas. O experimento IV avaliou a freqüência dos túbulos seminíferos nos diferentes estádios do ciclo espermatogênico em touros de duas raças sintéticas. Nas fases iniciais do ciclo espermatogênico, todos os touros apresentam gametogênese semelhante. Nas fases em que ocorrem as divisões meióticas, os touros inaptos apresentaram maior freqüência e a na fase de maturação das espermátides os touros aptos apresentaram maior freqüência. Estes resultados indicam que nos touros inaptos ocorre um bloqueio na fase das meioses, diminuindo a freqüência dos estádios de maturação das espermátides. O experimento V identificou a expressão diferencial de um fator de crescimento (transforming growth factor alpha- TGFα) no epitélio seminífero de touros Braford e Brangus-Ibagé, aptos e inaptos à reprodução, e também avaliou a freqüência de células de Sertoli nestes animais, como um estudo inicial do controle parácrino da espermatogênese. A maior freqüência da expressão de TGFα foi observada nos estádios I e III, e também na raça Brangus-Ibagé. O número médio das células de Sertoli foi semelhante entre estádios e raças dos touros. Em todos experimentos em que as raças Braford e Brangus-Ibagé foram confrontadas, os resultados obtidos foram diferentes. As maiores freqüências de alterações na qualidade seminal não podem ser extrapoladas para todas as raças sintéticas, cabendo a prerrogativa para cada raça de um estudo específico e ajustado às suas condições de criação. / The observation that there are animals with semen quality alterations, kept under the same environmental and handling conditions as others in normal reproductive features motivates the development of research work in the field of animal reproduction. By means of five study methodologies the behavior of the spermatogenesis in bulls of synthetic breed was observed, ranging from the chromosome to the functional level of the seminiferous epithelium. Experiment I has evaluated the seminal characteristics of bulls belonging to a pure breed and to a synthetic breed. This longitudinal study has observed that there is a permanent testicular degenerative process among the group of individuals belonging to the synthetic breed. Experiment II has demonstrated no direct association between the individual type of Y chromosome and reproductive soundness, previously estimated through andrological examination. However, in the Braford breed, when 1/4 Nelore females and ½ bulls with father Nelore are used to produce 3/8 bulls, there is a greater percentage of culled bulls due to reproductive problems. Experiment III indicates that bulls with altered spermatogenesis do not have the same capacity of reduce abnormal sperm forms along the epididymis as those bulls considered to have normal spermatogenesis. The dynamics of the frequency of the proximal cytoplasmatic droplet can be a sensitive indicator of spermatic quality. Experiment IV has indicated that spermatogenesis progresses adequately in stage I in synthetic bulls with abnormalt semen quality. During the meiotic and spermatid maturation period, disturbs in the spermatogenesis of the unsound bulls have occurred. Experiment V identified the overexpression of transforming growth factor alpha (TGFα) in seminiferous epithelium of bulls that were sound and unsound for reproduction, and has also evaluated the frequency of Sertoli cells in these animals as an initial study of the paracrinous control of spermatogenesis. In all the experiments in which the Braford and Brangus-Ibagé breed were compared the results obtained were different. The highest frequencies of poor semen quality cannot be extrapolated to all synthetic breeds and a specific study for each breed needs to be adjusted to the different environmental conditions.
3

Morfologia do cromossomo Y, função gonadal e extragonadal em touros de raças sintéticas com alterações na qualidade do sêmen

Mesquita, Marilise Oliveira January 2002 (has links)
O motivo deste estudo foi o percentual elevado de descarte de touros por alterações reprodutivas, precisamente qualidade de sêmen, que se apresenta em determinados sistemas produtivos nos quais estão inseridas as raças sintéticas. Através de cinco experimentos foi permitido observar o comportamento da espermatogênese de touros de raças sintéticas do nível cromossômico ao funcional do epitélio seminífero. O experimento I, avaliou por seis meses as características seminais de 12 touros, seis de uma raça pura e seis de uma sintética, contendo em cada grupo touros aptos e inaptos a reprodução classificados por qualidade de sêmen. Os animais do grupo sintético não apresentaram recuperação das características seminais durante o período de avaliação, como os puros, indicando um quadro degenerativo permanente neste conjunto de indivíduos. O experimento II buscou identificar uma relação entre a morfologia do cromossomo Y e tipos de cruzamentos, com a qualidade seminal de touros de duas raças sintéticas, Braford e Brangus-Ibagé. A relação da morfologia do Y com a condição reprodutiva não foi comprovada, no entanto considerando os tipos de cruzamentos para obtenção de touros 3/8, os cruzamentos que utilizam fêmea ¼ com macho ½ sangue filho de Nelore proporcionam um maior percentual de animais considerados inaptos ao exame de sêmen. Este experimento sugere medidas práticas para evitar o cruzamento que traz maiores prejuízos econômicos. O experimento III foi proposto para a avaliar a intensidade de redução de células espermáticas anômalas ao longo do epidídimo em touros de uma raça sintética. A redução da freqüência de gota citoplasmática proximal foi distinta entre os grupos de touros classificados quanto a morfologia espermática e entre as regiões do epidídimo, sendo portanto um indicador sensível da qualidade espermática e classificação da fertilidade potencial de animais de raças híbridas. O experimento IV avaliou a freqüência dos túbulos seminíferos nos diferentes estádios do ciclo espermatogênico em touros de duas raças sintéticas. Nas fases iniciais do ciclo espermatogênico, todos os touros apresentam gametogênese semelhante. Nas fases em que ocorrem as divisões meióticas, os touros inaptos apresentaram maior freqüência e a na fase de maturação das espermátides os touros aptos apresentaram maior freqüência. Estes resultados indicam que nos touros inaptos ocorre um bloqueio na fase das meioses, diminuindo a freqüência dos estádios de maturação das espermátides. O experimento V identificou a expressão diferencial de um fator de crescimento (transforming growth factor alpha- TGFα) no epitélio seminífero de touros Braford e Brangus-Ibagé, aptos e inaptos à reprodução, e também avaliou a freqüência de células de Sertoli nestes animais, como um estudo inicial do controle parácrino da espermatogênese. A maior freqüência da expressão de TGFα foi observada nos estádios I e III, e também na raça Brangus-Ibagé. O número médio das células de Sertoli foi semelhante entre estádios e raças dos touros. Em todos experimentos em que as raças Braford e Brangus-Ibagé foram confrontadas, os resultados obtidos foram diferentes. As maiores freqüências de alterações na qualidade seminal não podem ser extrapoladas para todas as raças sintéticas, cabendo a prerrogativa para cada raça de um estudo específico e ajustado às suas condições de criação. / The observation that there are animals with semen quality alterations, kept under the same environmental and handling conditions as others in normal reproductive features motivates the development of research work in the field of animal reproduction. By means of five study methodologies the behavior of the spermatogenesis in bulls of synthetic breed was observed, ranging from the chromosome to the functional level of the seminiferous epithelium. Experiment I has evaluated the seminal characteristics of bulls belonging to a pure breed and to a synthetic breed. This longitudinal study has observed that there is a permanent testicular degenerative process among the group of individuals belonging to the synthetic breed. Experiment II has demonstrated no direct association between the individual type of Y chromosome and reproductive soundness, previously estimated through andrological examination. However, in the Braford breed, when 1/4 Nelore females and ½ bulls with father Nelore are used to produce 3/8 bulls, there is a greater percentage of culled bulls due to reproductive problems. Experiment III indicates that bulls with altered spermatogenesis do not have the same capacity of reduce abnormal sperm forms along the epididymis as those bulls considered to have normal spermatogenesis. The dynamics of the frequency of the proximal cytoplasmatic droplet can be a sensitive indicator of spermatic quality. Experiment IV has indicated that spermatogenesis progresses adequately in stage I in synthetic bulls with abnormalt semen quality. During the meiotic and spermatid maturation period, disturbs in the spermatogenesis of the unsound bulls have occurred. Experiment V identified the overexpression of transforming growth factor alpha (TGFα) in seminiferous epithelium of bulls that were sound and unsound for reproduction, and has also evaluated the frequency of Sertoli cells in these animals as an initial study of the paracrinous control of spermatogenesis. In all the experiments in which the Braford and Brangus-Ibagé breed were compared the results obtained were different. The highest frequencies of poor semen quality cannot be extrapolated to all synthetic breeds and a specific study for each breed needs to be adjusted to the different environmental conditions.
4

Morfologia do cromossomo Y, função gonadal e extragonadal em touros de raças sintéticas com alterações na qualidade do sêmen

Mesquita, Marilise Oliveira January 2002 (has links)
O motivo deste estudo foi o percentual elevado de descarte de touros por alterações reprodutivas, precisamente qualidade de sêmen, que se apresenta em determinados sistemas produtivos nos quais estão inseridas as raças sintéticas. Através de cinco experimentos foi permitido observar o comportamento da espermatogênese de touros de raças sintéticas do nível cromossômico ao funcional do epitélio seminífero. O experimento I, avaliou por seis meses as características seminais de 12 touros, seis de uma raça pura e seis de uma sintética, contendo em cada grupo touros aptos e inaptos a reprodução classificados por qualidade de sêmen. Os animais do grupo sintético não apresentaram recuperação das características seminais durante o período de avaliação, como os puros, indicando um quadro degenerativo permanente neste conjunto de indivíduos. O experimento II buscou identificar uma relação entre a morfologia do cromossomo Y e tipos de cruzamentos, com a qualidade seminal de touros de duas raças sintéticas, Braford e Brangus-Ibagé. A relação da morfologia do Y com a condição reprodutiva não foi comprovada, no entanto considerando os tipos de cruzamentos para obtenção de touros 3/8, os cruzamentos que utilizam fêmea ¼ com macho ½ sangue filho de Nelore proporcionam um maior percentual de animais considerados inaptos ao exame de sêmen. Este experimento sugere medidas práticas para evitar o cruzamento que traz maiores prejuízos econômicos. O experimento III foi proposto para a avaliar a intensidade de redução de células espermáticas anômalas ao longo do epidídimo em touros de uma raça sintética. A redução da freqüência de gota citoplasmática proximal foi distinta entre os grupos de touros classificados quanto a morfologia espermática e entre as regiões do epidídimo, sendo portanto um indicador sensível da qualidade espermática e classificação da fertilidade potencial de animais de raças híbridas. O experimento IV avaliou a freqüência dos túbulos seminíferos nos diferentes estádios do ciclo espermatogênico em touros de duas raças sintéticas. Nas fases iniciais do ciclo espermatogênico, todos os touros apresentam gametogênese semelhante. Nas fases em que ocorrem as divisões meióticas, os touros inaptos apresentaram maior freqüência e a na fase de maturação das espermátides os touros aptos apresentaram maior freqüência. Estes resultados indicam que nos touros inaptos ocorre um bloqueio na fase das meioses, diminuindo a freqüência dos estádios de maturação das espermátides. O experimento V identificou a expressão diferencial de um fator de crescimento (transforming growth factor alpha- TGFα) no epitélio seminífero de touros Braford e Brangus-Ibagé, aptos e inaptos à reprodução, e também avaliou a freqüência de células de Sertoli nestes animais, como um estudo inicial do controle parácrino da espermatogênese. A maior freqüência da expressão de TGFα foi observada nos estádios I e III, e também na raça Brangus-Ibagé. O número médio das células de Sertoli foi semelhante entre estádios e raças dos touros. Em todos experimentos em que as raças Braford e Brangus-Ibagé foram confrontadas, os resultados obtidos foram diferentes. As maiores freqüências de alterações na qualidade seminal não podem ser extrapoladas para todas as raças sintéticas, cabendo a prerrogativa para cada raça de um estudo específico e ajustado às suas condições de criação. / The observation that there are animals with semen quality alterations, kept under the same environmental and handling conditions as others in normal reproductive features motivates the development of research work in the field of animal reproduction. By means of five study methodologies the behavior of the spermatogenesis in bulls of synthetic breed was observed, ranging from the chromosome to the functional level of the seminiferous epithelium. Experiment I has evaluated the seminal characteristics of bulls belonging to a pure breed and to a synthetic breed. This longitudinal study has observed that there is a permanent testicular degenerative process among the group of individuals belonging to the synthetic breed. Experiment II has demonstrated no direct association between the individual type of Y chromosome and reproductive soundness, previously estimated through andrological examination. However, in the Braford breed, when 1/4 Nelore females and ½ bulls with father Nelore are used to produce 3/8 bulls, there is a greater percentage of culled bulls due to reproductive problems. Experiment III indicates that bulls with altered spermatogenesis do not have the same capacity of reduce abnormal sperm forms along the epididymis as those bulls considered to have normal spermatogenesis. The dynamics of the frequency of the proximal cytoplasmatic droplet can be a sensitive indicator of spermatic quality. Experiment IV has indicated that spermatogenesis progresses adequately in stage I in synthetic bulls with abnormalt semen quality. During the meiotic and spermatid maturation period, disturbs in the spermatogenesis of the unsound bulls have occurred. Experiment V identified the overexpression of transforming growth factor alpha (TGFα) in seminiferous epithelium of bulls that were sound and unsound for reproduction, and has also evaluated the frequency of Sertoli cells in these animals as an initial study of the paracrinous control of spermatogenesis. In all the experiments in which the Braford and Brangus-Ibagé breed were compared the results obtained were different. The highest frequencies of poor semen quality cannot be extrapolated to all synthetic breeds and a specific study for each breed needs to be adjusted to the different environmental conditions.
5

Performance, metabolic and hormonal responses on peripartum of grazing beef cattle supplemented on pre-partum / Respostas nutricionais, metabólicas e hormonais no periparto de vacas de corte suplementadas no pre-parto

Ferreira, Matheus Fellipe de Lana 23 February 2018 (has links)
Submitted by Marco Antônio de Ramos Chagas (mchagas@ufv.br) on 2018-08-09T13:16:23Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 466891 bytes, checksum: 662f30376d8cc6edb35029f42ba777dd (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-09T13:16:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 466891 bytes, checksum: 662f30376d8cc6edb35029f42ba777dd (MD5) Previous issue date: 2018-02-23 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / O status nutricional no parto é o principal fator que afeta o tempo do parto até a concepção. Os parâmetros metabólicos que relacionam o status nutricional com processos fisiológicos em animais em pastejo, principalmente zebuínos, não estão totalmente compreendidos. Este estudo avaliou os efeitos da suplementação energético-proteica 60 dias pré-parto sobre o desempenho, as respostas metabólicas e hormonais no periparto de vacas de corte em pastejo. Trinta e oito vacas Nelore multíparas com média de 230 ± 10 dias de gestação foram utilizadas. Foram avaliados dois tratamentos: controle, sem suplementação e suplementação diária (30% de CP) com 1,5 kg durante os 60 dias antes da data do parto esperado. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado. Foi calculado o ganho médio diário no pré e pós-parto. Os bezerros foram pesados aos 45 e 90 dias. Os escores de condição corporal (ECC) também foram registrados no início do experimento, no parto e 45 dias pós-parto. A cada 30 dias foram coletadas forragem por simulação manual e corte ao nível do solo. Para avaliar o consumo e digestibilidade, um ensaio foi realizado aos 45 dias antes da data estimada de parto. Foi utilizado dióxido de titânio (TiO2) para estimar a excreção fecal e fibra indigestível em detergente neutro (FDNi) para estimar a ingestão de matéria seca de pasto. Assumiu-se que o consumo de suplemento foi igual à quantidade oferecida por animal/dia. No último dia do ensaio, amostras de urina foram coletadas 4 horas antes e após a oferta de suplemento. Nos 30 e 45 dias pós- parto, foi realizado ordenha para estimar a produção de leite. Tendo o parto como dia 0, amostras de sangue foram coletadas antes da suplementação nos dias - 30, 0, 15, 30, 45 por punção da veia jugular, utilizando tubos de vácuo para quantificar os teores de glicose, nitrogênio ureico, proteína total, albumina, triglicerídeos, colesterol total, lipoproteína alta densidade (HDL), ácido graxo não-esterificado (AGNE), beta-hidroxibutirato (βHB), insulina, factor de crescimento semelhante à insulina (IGF-1), triiodotironina total (T3), tiroxina total (T4) e progesterona (P4). Foi calculada a taxa de prenhez e o número de dias do parto até a concepção. O GMD foi maior pré-parto (P<0.10) para os animais suplementados, porém no pós-parto não diferiu (P>0.10). A suplementação não afetou (P>0,10) ECC e PC dos bezerros ao nascimento, e os 45 e 90 dias. Não houve efeito da suplementação sobre a produção e a composição do leite (P> 0,10). Não houve diferenças (P> 0,10) em relação à ingestão de forragem e digestibilidade de fibra em detergente neutro. A ingestão e digestibilidade de proteína bruta e matéria orgânica aumentaram (P <0,10) com suplementação. A suplementação não teve efeito (P> 0,10) em relação à concentração sérica de metabolitos e hormônios. A concentração dessas variáveis mudou significativamente (P <0,10) ao longo dos dias em relação ao parto. Não houve diferença na taxa de prenhez e dias do parto até a concepção entre tratamentos (P>0.10). Nestas condições, fornecer 1,5 kg de suplemento de proteína energética durante os últimos 60 dias de gestação não melhora o desempenho, respostas metabólicas e hormonais nas vacas Nelore em pastejo. / Nutritional status at calving is the main factor affecting time to pregnancy. Metabolic parameters that relate nutritional status to physiological processes within grazing animals, mainly Zebu, are not fully understood. This study evaluated the effects of 60-day pre-partum energetic-protein supplementation on performance, metabolic and hormonal responses on peripartum of grazing beef cattle. Thirty-eight Nellore multiparous cows averaging 230 ± 10 days of gestation were used. Two treatments were evaluated: control, without supplementation and daily supplementation (30% of CP) with 1.5 kg during the 60 days before expected calving. The experiment was carried out according to completely randomized design. It was calculated the average daily gain pre-calving and post- calving. The calves were weighted at 45 and 90 days. Body condition scores (BCS) were also recorded at the beginning of the experiment, at calving and 45 days post-partum. Every 30 days grass samples were collected by hand plucked sampling and collected cutting at ground level. To evaluate intake and digestibility, a trial was performed at 45 days before the estimated date of parturition. It was used titanium dioxide (TiO2) to estimate the fecal excretion of animals and indigestible neutral detergent fiber (iNDF) to estimate the pasture dry matter intake (DMI). It was assumed that the supplement consumption will be equal to the quantity offered per animal/day. At last day of the trial, spot urine samples were collected 4 hours before and after the supplement offer. At the 30 and 45 days post-calving, were performed milking to estimate the milk production. Taking calving day as day 0, blood samples were collected before supplementation on days -30, 0, 15, 30, 45 by jugular vein puncture, using vacuum tubes to quantity glucose, blood nitrogen urea (BUN), total protein, albumin, triglycerides, total cholesterol, high density lipoprotein (HDL), non- esterified fatty acid (NEFA), beta-hydroxybutyrate (βHB), insulin, insulin-like growth factor (IGF-1), total triiodothyronine (T3), total thyroxine (T4) and progesterone (P4) contents. It was calculated the pregnancy rate and number of days from calving to conception. ADG was higher at pre-partum (P<0.10) for supplemented cows but did no differ at post-partum period (P>0.10). Supplementation did not affect (P>0.10) BCS and calves’ BW at calving, and at 45 and 90 days. There was no effect of supplementation on milk yield and composition (P>0.10). There were no differences (P>0.10) with regard forage intake and neutral detergent fiber digestibility. The intake and digestibility of CP and OM increased (P<0.10) with supplementation. Supplementation had no effect (P>0.10) regards serum concentration of metabolites and hormones. Concentration of these variables changed significantly (P<0.10) along the days relative to calving. There was no difference on pregnancy rate and, days from calving to conception among treatments (P>0.10). Under these circumstances, providing 1.5 kg of energetic-protein supplement during the last 60 days of gestation do not improve performance, metabolic and hormonal responses in grazing Nellore cows.
6

Estudo de marcadores moleculares (microssatélites) em vacas doadoras de embriões com diferentes respostas superovulatórias.

Aguiar, Paulo Ricardo Loss January 2008 (has links)
Embora a Transferência de embriões venha sendo empregada há mais de 30 anos e inúmeras pesquisas atuais realizadas, a variabilidade da resposta à superovulação (SOV) continua sendo o principal fator que limita o emprego mais amplo desta tecnologia, existindo a necessidade de procedimentos ou um melhor conhecimento dos fatores que interferem na resposta a SOV e desta forma possibilitar um aumento no número médio de embriões viáveis por coleta. A investigação de marcadores moleculares pode ser uma ferramenta útil para identificar precocemente algumas características reprodutivas que somente irão se expressar quando o indivíduo atingir a maturidade sexual ou ainda após o primeiro parto. Para tanto, foram investigados, através de reação em cadeia da polimerase (PCR), marcadores moleculares (repetições curtas em tandem e polimorfismos de um único nucleotídeo), localizados nos mesmos cromossomos e próximos aos genes envolvidos com o recrutamento e crescimento folicular, a saber: LHβ, FSHβ, IGF-IR e Leptina, que em estudos anteriores, mostraram estar associados a um melhor desempenho reprodutivo. Adicionalmente, foi investigado o gene do receptor do FSH. Foram estudados 60 fêmeas da raça Nelore (N) e 59 da Aberdeen Angus (AA), sendo divididas em dois grupos, conforme a sua produção de embriões viáveis, em três coletas consecutivas, de baixa produção (30 N e 29 AA), com até 6 embriões e de alta, acima de seis (30 N e 30 AA). A variação observada do número de alelos detectados nas raças Nelore e Angus foi de 2 a 8 e 1 a 10, respectivamente. As duas raças não apresentaram freqüências alélicas semelhantes em nenhum dos sistemas estudados e alguns alelos foram observados somente em uma das raças, como para a raça Angus BMS3004*129, HEL5*161, e para o Nelore BMS3004*132, *138, HEL5*149 e AFZ*111. Foram encontradas algumas associações, para a raça Nelore; no sistema BMS4325, a presença do alelo *97 não foi favorável à produção de embriões, ao contrário do alelo *105. Para o sistema IDVGA51 o alelo *175 permitiu que as doadoras carreadoras deste alelo produzissem mais embriões, enquanto que o alelo *181 foi desvantajoso. No marcador ILSTS002 a presença do alelo *135, nas doadoras, levou-as a serem incluídas na classe de baixa produção embrionária. Já para o sistema AFZ1 as vacas possuidoras do alelo *119 produziram acima de 6 embriões. Os alelos *151 e *153 do sistema HEL5 permitiram que suas carreadoras produzissem um menor e um maior número de embriões viáveis, respectivamente. Os animais homozigotos da raça A. Angus para o sistema LEPSau3A1(A/B) produziram mais embriões quando comparado aos heterozigotos. Em conclusão, é possível sugerir a utilização de alguns dos sistemas estudados para selecionar, previamente, a produção de embriões em doadoras, principalmente em raças em evolução, como a Nelore, mas esta tecnologia não seria apropriada para rebanhos seletivamente estáveis, como o A. Angus, aqui investigado. / The embryo transfer in cattle have been used for over thirty years and several studies have been undertaken in this period. The variability in the superovulatory (SOV) response of donor cows remains the major constraint for a more widespread use of this technique. The development of new procedures and/or better knowledge of the factors interfering in SOV methodologies was needed, to increase the number of viable embryos obtained per superovulated cow. The Study of molecular markers could be useful to identify early in life the cows with better responses to SOV procedures. Studies were made to accomplish this objective employing molecular markers (tandem repeated sequences and single nucleotide polymorphism) located on the same chromosomes and near to genes involved with follicular development an selection, such as: LHβ, FSHβ, IGF-IR and Leptin, which were found associated with increased reproductive traits in previous studies. Additionally, the gene of FSH receptor was investigated. Sixty Nellore (N) cows and fifty nine Aberdeen Angus (AA) cows were stratified in two groups in accordance their production of viable embryos after at least three SOV procedures. The low production group includes 30 N and 29 AA cows with a embryo recovery rate up to six embryos and the high production group with embryo recover rate higher than six. The observed variation in the total number of alleles was 2-8 in Nellore and 1-10 in Aberdeen Angus cows. Both breeds did not present similarity in the allele frequencies of the studied systems, and some alleles were restricted to only in one breed, such as BMS3004*129, HEL5*161, only found in Angus and BMS3004*132,*138, HEL5*149 e AFZ*111 in Nellore. For the Nellore breed some associations were found: on system BMS4325, when the presence of the allele *97 did not favor embryo production, contrasting with the allele *105; on system IDVGA51, the allele *175 favored embryo production, contrasting with the allele *181; on system ILSTS002, in which the presence of the allele *135 was only found in the cows in the low production group; on the system AFZ1, the presence of the allele *119 agrees with the inclusion of the cows in high production group; on system HEL5, the alleles *151 e *153 agrees with the classification of the cows respectively in the groups of low and higher number of embryo recovery. In Aberdeen Angus breed homozygous cows for system LEPSau3A1(A/B) produces more embryos than heterozygous ones. In conclusion, it is possible to suggest that employing the studied systems would to contribute to early selection of donor cows of the Nellore breed, but it should not be useful for more stable breeds such as A. Angus.
7

Sistemas de desmame precoce e fertilidade pós-parto em vacas de corte suplementadas com gestágeno

Bazzano, Homero Guillermo Quintela January 2005 (has links)
A fertilidade das vacas com cria ao pé é uma característica importante para os sistemas de produção de bovinos de corte. Considerando esse fato, o alvo deste estudo foi avaliar a fertilidade pós-parto de vacas de corte, submetidas a diferentes condições de: aleitamento, suplementação hormonal, condição corporal, período pós-parto e estação de acasalamento. Com esses objetivos foram efetuados quatro experimentos, avaliando o efeito da suplementação com progestágeno na fertilidade de vacas de corte paridas no outono e desmamadas entre 45 - 75 dias pós-parto; o momento da suplementação com progestágeno em vacas de corte paridas na primavera e desmamadas entre 60 - 81 dias pós-parto; a suplementação com progestágeno associada à desmame total e parcial em função da condição corporal aos 60-81 dias pós-parto e a eficiência do desmame temporário ou aleitamento uma vez ao dia em vacas de corte submetidas a suplementação com progestágeno. Foram analisados dados de freqüência de manifestação de cios e de prenhez nos quatro experimentos. Os resultados obtidos indicaram que: a suplementação com progestágeno não melhorou a fertilidade de vacas de corte paridas no outono e desmamadas entre 45 – 75 dias pós-parto, o fator fundamental na fertilidade de vacas paridas no outono foi a condição corporal que deve ser no mínimo CC4 (numa escala de 1-5); a suplementação com progestágeno em vacas de corte paridas na primavera e desmamadas entre 60 – 81 dias pós-parto viabiliza o uso da inseminação artificial e contribui para a obtenção de bons resultados reprodutivos em vacas com CC igual ou superior a CC3; a suplementação com progestágeno associada a desmame durante 96 horas em vacas com => CC3 é uma alternativa viável para incrementar a taxa de prenhez após monta natural ou inseminação artificial em vacas com cria ao pé; é possível inferir que a eficiência reprodutiva de vacas de corte pós-parto submetidas a suplementação com progestágeno e desmame temporário ou aleitamento uma vez ao dia tenham desempenho semelhante, porém são necessários outros estudos. De um modo geral os experimentos efetuados sugerem que é necessário estabelecer um equilíbrio entre oferta e demanda forrageira, ao longo do ano, que possibilite uma máxima percentagem de vacas em CC adequada no começo do serviço, considerando a época de acasalamento, momento pós-parto, suplementação hormonal além da modalidade de desmame, visando a obtenção da máxima produção de kg de carne/superfície/tempo e considerando as condições de ambiente.
8

Estudo de marcadores moleculares (microssatélites) em vacas doadoras de embriões com diferentes respostas superovulatórias.

Aguiar, Paulo Ricardo Loss January 2008 (has links)
Embora a Transferência de embriões venha sendo empregada há mais de 30 anos e inúmeras pesquisas atuais realizadas, a variabilidade da resposta à superovulação (SOV) continua sendo o principal fator que limita o emprego mais amplo desta tecnologia, existindo a necessidade de procedimentos ou um melhor conhecimento dos fatores que interferem na resposta a SOV e desta forma possibilitar um aumento no número médio de embriões viáveis por coleta. A investigação de marcadores moleculares pode ser uma ferramenta útil para identificar precocemente algumas características reprodutivas que somente irão se expressar quando o indivíduo atingir a maturidade sexual ou ainda após o primeiro parto. Para tanto, foram investigados, através de reação em cadeia da polimerase (PCR), marcadores moleculares (repetições curtas em tandem e polimorfismos de um único nucleotídeo), localizados nos mesmos cromossomos e próximos aos genes envolvidos com o recrutamento e crescimento folicular, a saber: LHβ, FSHβ, IGF-IR e Leptina, que em estudos anteriores, mostraram estar associados a um melhor desempenho reprodutivo. Adicionalmente, foi investigado o gene do receptor do FSH. Foram estudados 60 fêmeas da raça Nelore (N) e 59 da Aberdeen Angus (AA), sendo divididas em dois grupos, conforme a sua produção de embriões viáveis, em três coletas consecutivas, de baixa produção (30 N e 29 AA), com até 6 embriões e de alta, acima de seis (30 N e 30 AA). A variação observada do número de alelos detectados nas raças Nelore e Angus foi de 2 a 8 e 1 a 10, respectivamente. As duas raças não apresentaram freqüências alélicas semelhantes em nenhum dos sistemas estudados e alguns alelos foram observados somente em uma das raças, como para a raça Angus BMS3004*129, HEL5*161, e para o Nelore BMS3004*132, *138, HEL5*149 e AFZ*111. Foram encontradas algumas associações, para a raça Nelore; no sistema BMS4325, a presença do alelo *97 não foi favorável à produção de embriões, ao contrário do alelo *105. Para o sistema IDVGA51 o alelo *175 permitiu que as doadoras carreadoras deste alelo produzissem mais embriões, enquanto que o alelo *181 foi desvantajoso. No marcador ILSTS002 a presença do alelo *135, nas doadoras, levou-as a serem incluídas na classe de baixa produção embrionária. Já para o sistema AFZ1 as vacas possuidoras do alelo *119 produziram acima de 6 embriões. Os alelos *151 e *153 do sistema HEL5 permitiram que suas carreadoras produzissem um menor e um maior número de embriões viáveis, respectivamente. Os animais homozigotos da raça A. Angus para o sistema LEPSau3A1(A/B) produziram mais embriões quando comparado aos heterozigotos. Em conclusão, é possível sugerir a utilização de alguns dos sistemas estudados para selecionar, previamente, a produção de embriões em doadoras, principalmente em raças em evolução, como a Nelore, mas esta tecnologia não seria apropriada para rebanhos seletivamente estáveis, como o A. Angus, aqui investigado. / The embryo transfer in cattle have been used for over thirty years and several studies have been undertaken in this period. The variability in the superovulatory (SOV) response of donor cows remains the major constraint for a more widespread use of this technique. The development of new procedures and/or better knowledge of the factors interfering in SOV methodologies was needed, to increase the number of viable embryos obtained per superovulated cow. The Study of molecular markers could be useful to identify early in life the cows with better responses to SOV procedures. Studies were made to accomplish this objective employing molecular markers (tandem repeated sequences and single nucleotide polymorphism) located on the same chromosomes and near to genes involved with follicular development an selection, such as: LHβ, FSHβ, IGF-IR and Leptin, which were found associated with increased reproductive traits in previous studies. Additionally, the gene of FSH receptor was investigated. Sixty Nellore (N) cows and fifty nine Aberdeen Angus (AA) cows were stratified in two groups in accordance their production of viable embryos after at least three SOV procedures. The low production group includes 30 N and 29 AA cows with a embryo recovery rate up to six embryos and the high production group with embryo recover rate higher than six. The observed variation in the total number of alleles was 2-8 in Nellore and 1-10 in Aberdeen Angus cows. Both breeds did not present similarity in the allele frequencies of the studied systems, and some alleles were restricted to only in one breed, such as BMS3004*129, HEL5*161, only found in Angus and BMS3004*132,*138, HEL5*149 e AFZ*111 in Nellore. For the Nellore breed some associations were found: on system BMS4325, when the presence of the allele *97 did not favor embryo production, contrasting with the allele *105; on system IDVGA51, the allele *175 favored embryo production, contrasting with the allele *181; on system ILSTS002, in which the presence of the allele *135 was only found in the cows in the low production group; on the system AFZ1, the presence of the allele *119 agrees with the inclusion of the cows in high production group; on system HEL5, the alleles *151 e *153 agrees with the classification of the cows respectively in the groups of low and higher number of embryo recovery. In Aberdeen Angus breed homozygous cows for system LEPSau3A1(A/B) produces more embryos than heterozygous ones. In conclusion, it is possible to suggest that employing the studied systems would to contribute to early selection of donor cows of the Nellore breed, but it should not be useful for more stable breeds such as A. Angus.
9

Sistemas de desmame precoce e fertilidade pós-parto em vacas de corte suplementadas com gestágeno

Bazzano, Homero Guillermo Quintela January 2005 (has links)
A fertilidade das vacas com cria ao pé é uma característica importante para os sistemas de produção de bovinos de corte. Considerando esse fato, o alvo deste estudo foi avaliar a fertilidade pós-parto de vacas de corte, submetidas a diferentes condições de: aleitamento, suplementação hormonal, condição corporal, período pós-parto e estação de acasalamento. Com esses objetivos foram efetuados quatro experimentos, avaliando o efeito da suplementação com progestágeno na fertilidade de vacas de corte paridas no outono e desmamadas entre 45 - 75 dias pós-parto; o momento da suplementação com progestágeno em vacas de corte paridas na primavera e desmamadas entre 60 - 81 dias pós-parto; a suplementação com progestágeno associada à desmame total e parcial em função da condição corporal aos 60-81 dias pós-parto e a eficiência do desmame temporário ou aleitamento uma vez ao dia em vacas de corte submetidas a suplementação com progestágeno. Foram analisados dados de freqüência de manifestação de cios e de prenhez nos quatro experimentos. Os resultados obtidos indicaram que: a suplementação com progestágeno não melhorou a fertilidade de vacas de corte paridas no outono e desmamadas entre 45 – 75 dias pós-parto, o fator fundamental na fertilidade de vacas paridas no outono foi a condição corporal que deve ser no mínimo CC4 (numa escala de 1-5); a suplementação com progestágeno em vacas de corte paridas na primavera e desmamadas entre 60 – 81 dias pós-parto viabiliza o uso da inseminação artificial e contribui para a obtenção de bons resultados reprodutivos em vacas com CC igual ou superior a CC3; a suplementação com progestágeno associada a desmame durante 96 horas em vacas com => CC3 é uma alternativa viável para incrementar a taxa de prenhez após monta natural ou inseminação artificial em vacas com cria ao pé; é possível inferir que a eficiência reprodutiva de vacas de corte pós-parto submetidas a suplementação com progestágeno e desmame temporário ou aleitamento uma vez ao dia tenham desempenho semelhante, porém são necessários outros estudos. De um modo geral os experimentos efetuados sugerem que é necessário estabelecer um equilíbrio entre oferta e demanda forrageira, ao longo do ano, que possibilite uma máxima percentagem de vacas em CC adequada no começo do serviço, considerando a época de acasalamento, momento pós-parto, suplementação hormonal além da modalidade de desmame, visando a obtenção da máxima produção de kg de carne/superfície/tempo e considerando as condições de ambiente.
10

Estudo de marcadores moleculares (microssatélites) em vacas doadoras de embriões com diferentes respostas superovulatórias.

Aguiar, Paulo Ricardo Loss January 2008 (has links)
Embora a Transferência de embriões venha sendo empregada há mais de 30 anos e inúmeras pesquisas atuais realizadas, a variabilidade da resposta à superovulação (SOV) continua sendo o principal fator que limita o emprego mais amplo desta tecnologia, existindo a necessidade de procedimentos ou um melhor conhecimento dos fatores que interferem na resposta a SOV e desta forma possibilitar um aumento no número médio de embriões viáveis por coleta. A investigação de marcadores moleculares pode ser uma ferramenta útil para identificar precocemente algumas características reprodutivas que somente irão se expressar quando o indivíduo atingir a maturidade sexual ou ainda após o primeiro parto. Para tanto, foram investigados, através de reação em cadeia da polimerase (PCR), marcadores moleculares (repetições curtas em tandem e polimorfismos de um único nucleotídeo), localizados nos mesmos cromossomos e próximos aos genes envolvidos com o recrutamento e crescimento folicular, a saber: LHβ, FSHβ, IGF-IR e Leptina, que em estudos anteriores, mostraram estar associados a um melhor desempenho reprodutivo. Adicionalmente, foi investigado o gene do receptor do FSH. Foram estudados 60 fêmeas da raça Nelore (N) e 59 da Aberdeen Angus (AA), sendo divididas em dois grupos, conforme a sua produção de embriões viáveis, em três coletas consecutivas, de baixa produção (30 N e 29 AA), com até 6 embriões e de alta, acima de seis (30 N e 30 AA). A variação observada do número de alelos detectados nas raças Nelore e Angus foi de 2 a 8 e 1 a 10, respectivamente. As duas raças não apresentaram freqüências alélicas semelhantes em nenhum dos sistemas estudados e alguns alelos foram observados somente em uma das raças, como para a raça Angus BMS3004*129, HEL5*161, e para o Nelore BMS3004*132, *138, HEL5*149 e AFZ*111. Foram encontradas algumas associações, para a raça Nelore; no sistema BMS4325, a presença do alelo *97 não foi favorável à produção de embriões, ao contrário do alelo *105. Para o sistema IDVGA51 o alelo *175 permitiu que as doadoras carreadoras deste alelo produzissem mais embriões, enquanto que o alelo *181 foi desvantajoso. No marcador ILSTS002 a presença do alelo *135, nas doadoras, levou-as a serem incluídas na classe de baixa produção embrionária. Já para o sistema AFZ1 as vacas possuidoras do alelo *119 produziram acima de 6 embriões. Os alelos *151 e *153 do sistema HEL5 permitiram que suas carreadoras produzissem um menor e um maior número de embriões viáveis, respectivamente. Os animais homozigotos da raça A. Angus para o sistema LEPSau3A1(A/B) produziram mais embriões quando comparado aos heterozigotos. Em conclusão, é possível sugerir a utilização de alguns dos sistemas estudados para selecionar, previamente, a produção de embriões em doadoras, principalmente em raças em evolução, como a Nelore, mas esta tecnologia não seria apropriada para rebanhos seletivamente estáveis, como o A. Angus, aqui investigado. / The embryo transfer in cattle have been used for over thirty years and several studies have been undertaken in this period. The variability in the superovulatory (SOV) response of donor cows remains the major constraint for a more widespread use of this technique. The development of new procedures and/or better knowledge of the factors interfering in SOV methodologies was needed, to increase the number of viable embryos obtained per superovulated cow. The Study of molecular markers could be useful to identify early in life the cows with better responses to SOV procedures. Studies were made to accomplish this objective employing molecular markers (tandem repeated sequences and single nucleotide polymorphism) located on the same chromosomes and near to genes involved with follicular development an selection, such as: LHβ, FSHβ, IGF-IR and Leptin, which were found associated with increased reproductive traits in previous studies. Additionally, the gene of FSH receptor was investigated. Sixty Nellore (N) cows and fifty nine Aberdeen Angus (AA) cows were stratified in two groups in accordance their production of viable embryos after at least three SOV procedures. The low production group includes 30 N and 29 AA cows with a embryo recovery rate up to six embryos and the high production group with embryo recover rate higher than six. The observed variation in the total number of alleles was 2-8 in Nellore and 1-10 in Aberdeen Angus cows. Both breeds did not present similarity in the allele frequencies of the studied systems, and some alleles were restricted to only in one breed, such as BMS3004*129, HEL5*161, only found in Angus and BMS3004*132,*138, HEL5*149 e AFZ*111 in Nellore. For the Nellore breed some associations were found: on system BMS4325, when the presence of the allele *97 did not favor embryo production, contrasting with the allele *105; on system IDVGA51, the allele *175 favored embryo production, contrasting with the allele *181; on system ILSTS002, in which the presence of the allele *135 was only found in the cows in the low production group; on the system AFZ1, the presence of the allele *119 agrees with the inclusion of the cows in high production group; on system HEL5, the alleles *151 e *153 agrees with the classification of the cows respectively in the groups of low and higher number of embryo recovery. In Aberdeen Angus breed homozygous cows for system LEPSau3A1(A/B) produces more embryos than heterozygous ones. In conclusion, it is possible to suggest that employing the studied systems would to contribute to early selection of donor cows of the Nellore breed, but it should not be useful for more stable breeds such as A. Angus.

Page generated in 0.0458 seconds