• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1872
  • 32
  • 6
  • 6
  • Tagged with
  • 1923
  • 1923
  • 718
  • 715
  • 323
  • 293
  • 286
  • 278
  • 270
  • 192
  • 182
  • 179
  • 174
  • 165
  • 154
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Os meandros da alteridade : marcas de dizer e indistinção de vozes no discurso

Morello, Rosangela, 1963- 1995 (has links)
Orientador: Eni P. Orlandi Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem Made available in DSpace on 2018-07-19T23:28:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Morello_Rosangela_M.pdf: 2034727 bytes, checksum: 73e6f50175be5f406973c67aa5c67317 (MD5) Previous issue date: 1995 Resumo: As formas lingüístico-discursivas em que o dizer se dobra ou se desdobra em um dizer outro ou de outro (discurso relatado, glosas, comentários,...) remetem a uma complexidade enunciativa, manifestando, em seus funcionamentos, uma relação necessária e constitutiva do discurso (e do sujeito) com o outro. Compreendendo essa relação no modo é apresentada junto às noções de heterogeneidades enunciativas (Authier 1982, 1984, 1992) e de interdiscurso, no campo de conhecimento da Análise do Discurso (cf. Pêcheux, 1975, 1988), nos propomos, neste trabalho, a investigar o funcionamento daquelas formas de desdobramento do dizer em uma prática discursiva determinada: o discurso rural cotidiano. A observação de uma recorrência na explicitação das falas que compunham o dizer, associada a algumas formas ou marcas específicas - como se poderá ler no primeiro capítulo - produziu o estímulo inicial. Mas, enquanto procurávamos os traços mais regulares dos modos de emergência dessas formas, visando a uma compreensão mais geral de seu funcionamento, nosso olhar era insistentemente inquirido por uma espécie de des-regularização na relação entre as falas. Esboçava-se, nessa des-regularização, um intricamento de falas no discurso, insinuando um quadro enunciativo particular e uma relação de não limites entre o discurso de um e o outro. Dessa des-regularização consiste o que passamos a denominar de indistinção de falas e que se encontra descrita no terceiro capítulo deste trabalho, após as considerações (no capítulo II) sobre as relações do discurso e do sujeito com o outro, conforme mencionamos. Por fim, centramos nossa discussão sobre a indistinção visando a compreendê-la em uma dimensão discursiva, em articulação à dimensão de incompletude (Orlandi, 1987, 1988) da lingagem (e do sujeito) e a aspectos teóricos que foram assumindo contornos siginificativos ao longo de nosso percurso. As noções mobilizadas em nosso trajeto, criando a possibilidade de um trabalho como este, explicam nossa opção pela Análise do Discurso como perspectiva de reflexão sobre a linguagem. Abstract: Not informed. Mestrado Mestre em Linguística
2

Je est un mot d'ordre : escritos em torno de sujeito e linguagem e educação

Cox, Maria Ines Pagliarini 1989 (has links)
Orientador : Joaquim Brasil Fontes Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Made available in DSpace on 2018-07-14T01:06:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Cox_MariaInesPagliarini_D.pdf: 28720501 bytes, checksum: 9ff5d6a9de90ce7b5dbd85d3d18adadd (MD5) Previous issue date: 1989 Resumo: "Je.. est un mot d'oJz.dJz.e..: escritos em torno de sujeito e linguagem e educação..." extrai-se, enquanto trabalho acadêmico (enunciado individuado levando meu nome), de um agenciamento molecular coletivo de enunciação (aqui identificado como PRÁTICA DE PRODUÇÃO DE TEXTOS), conjugando, entre outros discursos, a teoria da enunciação e a teoria e/ou análise de discurso em anamorfose pelas lentes do discurso progressista em educação. Extrai-se, pois, para ser mais precisa, como tese (em quatro ensaios), do rumor de vozes desafinadas (e ainda assim reunidas) no cantar o sujeito em linguagem e em educação. No primeiro ensaio (= Benveniste e o sujeito: apontamentos), recolhem-se vozes (de teóricos da enunciação, sobretudo de Benveniste) que dizem de um sujeito de enunciação (causa final) que, ao dizer,diz-se e diz o que quer/pensa/sabe/diz. No segundo (= Assere-se, fa-lo, isso fala, fala-se...), recolhem-se vozes (de analistas de discurso, sobretudo de Pêcheux) que dizem de um sujeito de discurso que não é sujeito do discurso (não é causa final) mas é sujeito no discurso (efeito ideológico, ilusão). No terceiro (= Não diz, mas deve apJz.e..nde..Jz. a dize..Jz. a .6ua paiavJz.a.J, recolhem-se vozes (de educadores progressistas) que dizem de (e denunciam e lamentam) um sujeito que não diz- é dito - em razão de as estruturas opressivas o impedirem de dizer - mas que deve lutar para (aprender a) dizer sua própria palavra. E, finalmente, no quarto ensaio (= O sujeito na e/ou da PRÁTICA DE PRODUÇÃO DE TEX TOS: (des)apontamentos), recolhe-se a trama de vozes de professores de redação interpelados pela ordem discursiva PRÁTICA DE PRODUÇÃO DE TEXTOS. Na trama de conceitos/valores enredada pela ordem discursiva em questão, Benveniste figura menos como teórico (o que diz o que é) do que como profeta emissário (o que diz o que não é, mas deve ser) e Pêcheux figura também menos como teórico do que como crítico (o que diz o que é, mas não deve ser). Quer dizer, na trama de conceitos/valores interna a uma tal ordem discursiva, o locutor, que, em dizendo EU, é "sujeito da/pela linguagem" (teoria da enunciação) e o locutor, que, em dizendo EU, "assujeita-se" mas se pensa "sujeito", sob o "efeito Manchhausentt (teoria e/ou análise de discurso), reinterpretam-se pela ótica do "sujeito da praxis" (discurso progressista). O primeiro se reinterpreta como o desejável, como o futuro, como o rejuvenescimento das práticas discursivas na direção da mais liberdade, o segundo se reinterpreta como indesejável, como o passado, como a manutenção/conservação/envelhecimento das práticas discursivas na direção da menos liberdade. Entre o segundo (Je..e...6t un autJz.e..) e o primeiro (dize..Jz. eu, a mai.6 e..ie..me..ntaJz. a6iJz.mação de.. ide..ntidade..), está o aprendizado do NÃO_ dize..Jz. eu, dize..J não. Entre o assujeitado que se vê um -sujeito (Pêcheux) o sujeito (Benveniste), esta, pois, o insurreto (discurso progressista) Doutorado Metodologia do Ensino Doutor em Educação
3

O ensino da lingua escrita X o ensino do discurso escrito

Gallo, Solange Leda 1989 (has links)
Orientador: Eni Puccinelli Orlandi Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem Made available in DSpace on 2018-07-14T02:05:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Gallo_SolangeLeda_M.pdf: 3968663 bytes, checksum: 552350369d7b0aeb7eea4176e46bace4 (MD5) Previous issue date: 1989 Resumo: Esta reflexão se desenvolve a partir da diferenciação "produção oral" x "produção escrita" em língua materna, e mais especificamente na relação que o sujeito estabelece com essas diferentes produções. Nessa perspectiva, os diferentes textos (oral e escrito) são considerados "produtos" de diferentes "processos"; estes sim priorizados nesta pesquisa. Na primeira parte mostro as razões de trabalhar na perspectiva da Análise do Discurso, quais são os seus fundamentos e, a partir deles, procuro construir um lugar satisfatório para a observação, no interior de tal quadro teórico e de tal método de análise, dos processos de constituição do sujeito (e do sentido) na relação com a oralidade e escrita. Na segunda parte mostro de que maneira pode ser vista a questão da "oralidade x escrita" no momento da intituição da ciência linguística (em Saussure) e, ainda, como poder ser vista tal questão do ponto de vista histórico e ideológico, o que permitiu-me a identificação de dois processos em relaçao de interação e conflito; processos que, por sua vez, produzem dois diferentes discursos que eu chamei de DISCURSO ORAL e DISCURSO ESCRITO. Essas noções produzem um deslocamento daquilo que a princípio denomina-se oralidade e escrita. Na terceira parte, já à vista da reflexão desenvolvida nas duas partea anteriores, faço algumas considerações a respeito do ensino de língua materna assim como se dá, hoje, no Brasil e mostro, através de uma experiência realizada durante um ano em uma classe de 5a. série, como poderia se dar esse "ensino", de modo a que os alunos produzam uma passagem do DISCURSO ORAL ao DISCURSO ESCRITO Abstract: Not informed. Mestrado Mestre em Linguística
4

As aventuras do corpo: dos modos de subjetivação às memórias de si em revista impressa

Milanez, Nilton [UNESP] 29 January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:47Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-01-29Bitstream added on 2014-06-13T20:24:06Z : No. of bitstreams: 1 milanez_n_dr_arafcl.pdf: 2236167 bytes, checksum: 39c4e1afc0f007d62ca94dd37a145bc4 (MD5) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Esta tese investiga o corpo nos lugares que ele se dá a ver como exercício de poder, resistências e liberdades, tomados como acontecimento e memória, numa rede discursiva que faz emergir a nossa história do presente. Para tanto, a partir dos postulados de Michel Foucault, sob a ótica da Análise do Discurso, tratarei da exposição do corpo e seus prolongamentos na mídia, discutindo os jogos enunciativos que envolvem técnicas corporais, práticas médicas e sua legitimação por meio da materialidade lingüística e imagética, veiculados, especificamente, na revista Superinteressante. Nesse sentido, esse estudo questiona o pertencimento do corpo diante do Yoga como prática discursiva, as experimentações laboratoriais com animais e seu regime de verdade, o sujeito face à Aids entre doença e história. Portanto, as regularidades, lógicas e estratégias que a mídia traz à tona exprimem regimes de práticas, programações de conduta e prescrições em relação aos efeitos de codificação dos sentidos e dos efeitos de verdade, isto é, a constituição da arte da existência como identidade do sujeito contemporâneo. Cette thèse investigue le corps dans les endroits où il se donne à voir comme exercice de pouvoir, résistances et libertés, pris comme événements et mémoire liés à un réseau discursif que met en évidence notre histoire du présent. Donc, a partir des postulats de Michel Foucault, sous l égide de l Analyse du Discours, je traiterai de l exposition du corps et ses prolongements sur les médias, en discutant les jeux énonciatifs que nous renvoient aux techniques corporelles, pratiques médicales et sa légitimation à travers la matérialité linguistique et imagétique, présentes, spécifiquement, sur le magazine Superinteressante. Dans ce sens, cette étude questionne l appartenance du corps devant le Yoga comme pratique discursive, les expérimentations en laboratoire vers les animaux et ses régime de vérité, le sujet face au Sida entre maladie et histoire. Ainsi, les régularités logiques et les stratégies que les médias mettent en évidence expriment « régimes des pratiques », programmes de conduite et des prescriptions en rapport aux effets de codifications des sens et des effets de vérité, c est-à-dire, la constitution de l art de l existence comme identité du sujet contemporain.
5

A prática da pesquisa como sustentação da apropriação do conhecimento na graduação em Letras

Fabiano, Sulemi [UNESP] 20 July 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:47Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-07-20Bitstream added on 2014-06-13T20:04:17Z : No. of bitstreams: 1 fabiano_s_dr_arafcl.pdf: 931864 bytes, checksum: c9b11f60dde8ea3dda20c948564de487 (MD5) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Esta tese, resultante da análise de textos produzidos por alunos de graduação em Letras a fim de verificar como se dá a incorporação do discurso do outro na escrita, aponta para a prática constante da pesquisa durante a graduação como forma de sustentação da apropriação do conhecimento. O trabalho traz uma análise das conseqüências da visão hegemônica da teoria do gênero do discurso no ensino, principalmente quando se reduz o texto a uma forma. Traça ainda um percurso sobre a constituição da universidade, o processo da construção da hegemonia e a pesquisa na graduação. Percorre-se a concepção de ciência, de discurso científico e outros conceitos advindos da Análise do Discurso. Os resultados mostram que a escrita hoje na universidade encaminha para uma produção do conhecimento que tem por base o consumo e indica a necessidade de se efetivar a prática de pesquisa na graduação como possibilidade de se inverter o quadro atual deste tipo de produção. This thesis, resultant of the analysis of texts produced by pupils of graduation in Letters in order to verify how it happens the incorporation of the speech of the other one in the writing, points to the constant practical of the research during the graduation as a form of sustentation of the appropriation of the knowledge. The work brings an analysis of the consequences of the hegemonic vision of the theory of the genus of the speech in education, mainly when the text is reduced to a form. It still traces a passage on the constitution of the university, the process of the construction of the hegemony and the research in the graduation. It passes through the conception of science, scientific speech and other happened concepts of the Analysis of the Speech. The results show that the writing nowadays made at the university is directed for a production of the knowledge that has for base the consumption and indicates the necessity of accomplishing the practical one of research in the graduation as possibility of inverting the current situation of this type of production.
6

Jurisdição e poder: os usos disciplinares dos discursos do processo civil Juridiction et pouvoir: les fonctions disciplinaires des discours du procès civil

Bruno Batista da Costa de Oliveira 15 May 2014 (has links)
La thèse va réaliser l\'analyse de discours du procès civil, par laquelle nous prétendons mettre en évidence ses fonctions disciplinaires. Ayant pour base la pensée philosophique de Michel Foucault a propos des formes d\'exercice du pouvoir dans lactualité, nous avons démontré que, contrairement à ce que propose la théorie classique de la souveraineté, l\'autorité politique n\'est pas un phénomène centralisé: elle circule, transite entre ses sujets. Nous avons travaillé l\'hypothèse de que les quatre discours processuels que nous avons choisi supériorité du savoir scientifique processuel, pacification des conflits par la procédure, ampliation de l\'accès à la Justice et stimulation de la conciliation on eut le rôle disciplinaire d\'attribuer au reproché Judiciaire le semblant de Pouvoir socialement légitimé. Nous avons pointé comment les différents mécanismes rhétoriques employés par les émissaires des énoncés ont agi dans le sens de modeler et forcer lassujetement des citoyens à des standards de conduite désirés par les idéologies dominantes. Nous avons conclu dégagent les pratiques disciplinaires communes aux énoncés que nous avons proposé d\'étudier, tout en laissant net que le procès civil est un entre autres champs de production de savoirs dotés de fonctions de contrôle social, ayant encore des multiples discours à être mis en évidence. A tese objetiva realizar a análise de discursos do processo civil, por meio da qual se pretende evidenciar as suas funções disciplinares. Tomando por base o pensamento filosófico de Michel Foucault a respeito das formas de exercício de poder na contemporaneidade, demonstramos que, ao contrário do que propõe a teoria clássica da soberania, a autoridade política não é um fenômeno centralizado: ela circula, transita entre os seus sujeitos. Trabalhamos com a hipótese de que os quatro discursos processuais que escolhemos superioridade do saber científico processual, pacificação dos conflitos pelo processo, ampliação do acesso à Justiça e estímulo à conciliação desempenham o papel disciplinar de atribuir ao desgastado Judiciário a feição de Poder socialmente legitimado. Apontamos como os variados mecanismos retóricos implementados pelos emissores dos enunciados atuam no sentido de modelar e forçar o assujeitamento dos cidadãos a um padrão de comportamento desejado pelas ideologias dominantes. Concluímos destacando as práticas disciplinares comuns aos enunciados que propusemos estudar, deixando claro que o processo civil é um dentre outros campos de produção de saberes dotados de função de controle social, havendo ainda uma multiplicidade de discursos a serem postos em evidência.
7

A(s) metáfora(s) de leitura no texto de prefácio "Bom de Ouvido" de Ana Maria Machado

Canalle, Grazielli Alves Almeida 2016 (has links)
Submitted by Jeferson Rodrigues de Lima (jeferson.lima@uffs.edu.br) on 2017-07-17T16:27:13Z No. of bitstreams: 1 CANALLE.pdf: 3966972 bytes, checksum: 32be4aff46add609be9111917e3ace8a (MD5) Approved for entry into archive by Diego dos Santos Borba (dborba@uffs.edu.br) on 2017-07-19T17:45:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 CANALLE.pdf: 3966972 bytes, checksum: 32be4aff46add609be9111917e3ace8a (MD5) Made available in DSpace on 2017-07-19T17:45:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CANALLE.pdf: 3966972 bytes, checksum: 32be4aff46add609be9111917e3ace8a (MD5) Previous issue date: 2016 Esta pesquisa analisa as metáforas de leitura produzidas no discurso do prefácio “Bom de Ouvido”, de Ana Maria Machado, sobre o livro Comédias para se Ler na Escola, de Luis Fernando Verissimo. Nossa pesquisa tem como aporte teórico os estudos em Análise de Discurso, cujos autores basilares são Pêcheux e Orlandi. O principal questionamento é: que metáfora(s) de leitura constitui(em) a discursividade desse texto de apresentação? Para pensarmos sobre este questionamento, selecionamos duas sequências discursivas de referência e alguns recortes que se filiam a elas. A partir dessas sequências discursivas, compreendemos que um deslizamento de sentidos ocorre, assim, duas metáforas de leitura são produzidas: leitura como namoro e leitura como esporte. O lugar prefácio mostra-se como lugar de enaltecimento da obra, bem como serve como guia para o leitor, o que o caracteriza como um discurso pedagógico. A partir das reflexões de metáfora como fundamento de apresentação de objetos para sujeito proposto por Pêcheux, concluímos que a metáfora lê tanto o texto quanto o leitor, que ela se localiza nesse entremeio, isto é, metáfora é mediação entre leitor e obra. A escola, por sua vez, se configurou como condição de aparecimento dessas metáforas, como espaço de significação que produz e reproduz o sujeito moderno. This research analyzes the reading metaphors produced in the discourse of the introduction text 'Bom de Ouvido' by Ana Maria Machado, about the book "Comédias para se Ler na Escola" by Luis Fernando Verissimo. Our research is based on theoretical studies in Discourse Analysis, whose basic authors are Pêcheux and Orlandi. The main question is: what metaphor is in the discourse of this introduction text? To think about this question, we selected two discursive sequences of reference and some cuts that are affiliated to them. From these discursive sequences, we understand that some changing in meanings occurs, thus, two reading metaphors are produced: reading like dating and reading like sport. The introduction place shows itself as an exaltation place and serves as a guide for the reader, which characterizes it as a pedagogical discourse. From the metaphor reflections as the basis for presentation objects to subject proposed by Pêcheux, we conclude that the metaphor reads both the text and the reader, it is located in this between, this is, and the metaphor does the mediation between the reader and the book. The school, in turn, is configured as a condition of appearance of these kinds of metaphors, as a significant space that produces and reproduces the modern subject.
8

Língua para o PIBID - uma (im)posição política

Santin, Marcio 2016 (has links)
Submitted by Jeferson Rodrigues de Lima (jeferson.lima@uffs.edu.br) on 2017-07-17T16:50:15Z No. of bitstreams: 1 SANTIN.pdf: 2586174 bytes, checksum: 34f77f778798fdc17a8ceb68703c1517 (MD5) Approved for entry into archive by Diego dos Santos Borba (dborba@uffs.edu.br) on 2017-07-19T17:46:50Z (GMT) No. of bitstreams: 1 SANTIN.pdf: 2586174 bytes, checksum: 34f77f778798fdc17a8ceb68703c1517 (MD5) Made available in DSpace on 2017-07-19T17:46:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 SANTIN.pdf: 2586174 bytes, checksum: 34f77f778798fdc17a8ceb68703c1517 (MD5) Previous issue date: 2016 Este estudo, inserido na análise de discurso (AD) de linha francesa, propõe-se a investigar representações de língua que ressoam no discurso oficial, retratando o discurso do Estado por meio de documentos oficiais, como portarias, leis, editais, etc. Tem como materialidade o Regulamento do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), bem como o projeto e subprojetos da área de Letras da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), programa que tem por finalidade fomentar a iniciação à docência, contribuindo com a formação de docentes e a melhoria da qualidade da educação básica pública brasileira. O corpus foi constituído de recortes discursivos do arquivo, de acordo com as regularidades acerca da língua, que permitiram responder ao problema da pesquisa: quais as representações de língua emergem do discurso oficial materializado em documentos do PIBID? Assim, traçou-se um percurso histórico-conceitual sobre a questão, ao passo que se teceu o gesto de interpretação, articulando o dispositivo teórico-analítico. A análise se pautou em três regularidades, destacadas de acordo com aspectos diferenciados em relação às representações de língua no Programa, considerando sua articulação stricto sensu (escola x universidade) e lato sensu (Estado x língua x sociedade), o que deu origem a três capítulos, a saber: Orientação teórica – uma dispersão de sentidos; A formação integral – em busca da completude do sujeito; e, O “novo” como ruptura – um desejo de “melhora”. As representações de língua que emergem do discurso oficial repercutem no funcionamento do Programa, uma vez que esse orienta e determina a prática dos bolsistas licenciandos no contexto escolar. No corpus analisado, emergiram representações de língua distintas, porém não excludentes, que estabelecem uma filiação de sentidos em relação à língua-padrão, standard, tomada como a língua do Estado, além de sentidos ligados à língua enquanto sistema, noção adotada pela Gramática Gerativa, que compreende a linguagem como capacidade humana inata. Compreende-se, ainda, que há recorrência à língua como fonte de interação, pelas perspectivas da Linguística Textual, Dialógica de Bakhtin e Discursiva da Análise de Discurso, tomada como abordagem social, extrapolando a imanência do sistema e instaurando o contexto sócio-histórico como constitutivo. Observou-se também uma tendência à homogeneização dos sentidos sobre língua, a partir do momento que se reconhece a língua padrão como a (única) variedade oficial da nação. Não há cerceamento quanto à perspectiva teórica para o ensino de LP, contanto que se desenvolva como instrução a norma culta, a língua do Estado, a língua standard. Assim, a compreensão do funcionamento discursivo do corpus desse estudo permite depreender como o discurso oficial pretende a constituição linguística desses bolsistas em formação, futuros sujeitos professores, formadores de outros sujeitos, bem como entende e faz funcionar a concepção de língua. This study, which has been inserted in the Discourse Analysis of French Line, aims to investigate the language representations which resound on the official discourse, representing the discourse of the State through official documents, such as ordinances, laws, notices, etc.. It is based on the Regulation of the „Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência‟ (PIBID), as well as the projects and subprojects of the Language Study area of the Universidade Federal da Fronteira Sul, that aims to promote the initiation to teaching, contributing to graduation of teachers and the improvement of the brazilian basic public education. The corpus was constituted based on file discursive sketches, according to the regularities concerning the language that allowed the research problem to be answered: which language representations emerge from official discourse materialized on documents of PIBID? Thus, a historic-conceptual path of the question was traced as long as the “interpretation gesture” was also traced, articulating the theoretical and analytical device. The analysis was based on three regularities, highlighted according to differentiated aspects concerning the language representations on this Program, considering its stricto sensu articulation (school x university) and lato sensu (State x language x society), getting to know: Theoretical orientation, a dispersion of the senses; The integral formation – looking for the subject completeness; The “new” as a rupture – an “improvement” wish. The language representations that emerge from the official discourse resound on the Program working, as it guides and determines the practice of Scholarship users on the school context. On the analyzed corpus different language representations emerged, however not excluding, which set up a filiation of senses regarding the standard language, taken as the State language, as well as senses linked to the language as a system, adopted by the Generative Grammar that understands language as a human innate capability. Nevertheless, it is understood that there is a recurrence to the language as an interaction source for the Textual Linguistic perspectives, Bakhtin dialogic and Discourse Analysis discursive, taken as a social approach, extrapolating the immanence of the system and bringing the social-historic context as constitutive. It was also observed that there is a tendency to homogenization of the senses about language, from the moment that it is recognized the standard language as (and the only) official variety of the nation. There is no retrenchment about the theoretical perspective to the LP teaching unless it is developed as the formal rules instructions, the State language, the standard language. Thus, the corpus discursive working comprehension of this study allows understanding the way the official discourse intends to constitute these scholarship users under graduation, future teachers, other people‟s formers, as well as understanding and making the language conception work.
9

Política(s) de línguas em eventos internacionais sobre língua portuguesa

Capitanio, Alâna 2014 (has links)
Submitted by Jeferson Rodrigues de Lima (jeferson.lima@uffs.edu.br) on 2017-07-18T16:43:29Z No. of bitstreams: 1 CAPITANIO.pdf: 1949569 bytes, checksum: 3d7487780f84d9009fe9d5214e961eed (MD5) Approved for entry into archive by Diego dos Santos Borba (dborba@uffs.edu.br) on 2017-07-19T18:32:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 CAPITANIO.pdf: 1949569 bytes, checksum: 3d7487780f84d9009fe9d5214e961eed (MD5) Made available in DSpace on 2017-07-19T18:32:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CAPITANIO.pdf: 1949569 bytes, checksum: 3d7487780f84d9009fe9d5214e961eed (MD5) Previous issue date: 2014 Nesta pesquisa, buscamos compreender o funcionamento discursivo de eventos internacionais sobre Língua Portuguesa, organizados e promovidos pelo Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), a partir das textualizações disponíveis nas páginas eletrônicas destes eventos. Inscrevemo-nos na perspectiva teórico-metodológica da Análise de Discurso (AD), desenvolvida, sobretudo, a partir dos trabalhos de Michel Pêcheux e Eni Orlandi, articulada à História das Ideias Linguísticas (HIL). As perguntas norteadoras do trabalho foram: (i) que política(s) de línguas constitui sentidos sobre língua portuguesa nos eventos internacionais? (ii) que filiações de sentidos conformam a relação entre a unidade e a diversidade da língua portuguesa nos eventos analisados? Para desenvolver nosso gesto de interpretação, construímos um arquivo, com as textualizações recortadas das páginas eletrônicas de sete eventos internacionais, realizados entre os anos de 2010 (data do primeiro evento) e 2013. Concluímos que os eventos são conformados por sentidos constituídos pelo funcionamento dos imaginários da mundialização/globalização e da lusofonia. Os sentidos produzidos por estes imaginários constituem uma política de unidade, homogeneidade, universalidade da língua e dos Estados da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). A língua portuguesa é significada como una, igual em todos os países da CPLP, tendo como referência a língua do colonizador, silenciando os sentidos da descolonização linguística. Esses imaginários, porém, não se inscrevem sem equívocos, contradições, resistências produzidas pela diversidade linguística, pelo funcionamento do político que desestabiliza os sentidos de unidade. In this research, we aimed to comprehend the discursive functioning of international events of Portuguese Language, organized and promoted by International Institute of Portuguese Language, from the textualization available in the events' web site. We analyzed according to theoretical-methodological perspective of Discourse Analysis based on the work of Michel Pêcheux and Eni Orlandi, articulated to Linguistic History of Ideas. The questions that guided this work were: (i) what is the linguistic politics that constitute senses about Portuguese language? (ii) what sense affiliations do the events conform the relation between unit and diversity of Portuguese in the events analyzed? In order do developed our interpretation gesture, we constructed an archive with the textualization of the cutouts from seven scientific events' web site held between 2010 (date of the first event) and 2013. We concluded that the events are conformed by senses constituted by the function of globalization and the Lusofonia imaginaries. Senses produced by these imaginaries constitute a politic of unit, homogeneity, university of language and of the States of Community of Countries of Portuguese Language (CPLP). Portuguese language is meant as united, equal in all countries of CPLP, having as reference the colonizer language, silencing the linguistic decolonization senses. These imaginaries, however, do not constitute without equivocal, contradictions, resistance produced by linguistic diversity, by the politic function that destabilize the unit senses.
10

Práticas de leitura contemporâneas: representações discursivas do leitor inscritas na revista Veja

Ferreira, Luzmara Curcino [UNESP] 15 December 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:06Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2006-12-15Bitstream added on 2014-06-13T18:42:59Z : No. of bitstreams: 1 ferreira_lc_dr_arafcl.pdf: 2887064 bytes, checksum: 5f9bca4662f51d890ae3082759984bdb (MD5) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) Na contemporaneidade, a mídia ocupa um dos lugares centrais de produção e circulação de discursividades. Tendo em vista que o objetivo fundamental deste trabalho consiste na reflexão e na análise de representações de práticas de leitura contemporâneas, fomos conduzidos a apreendê-las na mídia, justamente pelo fato de que em seu interior é produzida, formulada e veiculada uma ampla gama dos discursos que caracterizam a sociedade contemporânea em suas práticas e em suas representações. Fundamentados na teoria da Análise do Discurso e em princípios da História Cultural, procuramos identificar algumas representações de práticas de leitura contemporâneas inscritas na revista impressa Veja. Iniciamos nossas reflexões, com um breve trajeto que percorre diferentes concepções ocidentais da leitura, do século XVI aos dias atuais, de modo que pudéssemos situar nossa própria prática de leitura. Em seguida, ponderamos sobre a noção de materialidade discursiva, a partir das considerações empreendidas por Michel Pêcheux, Michel Foucault, Roger Chartier e Jean-Jacques Courtine. Focalizamos o alcance e as eventuais limitações dessa noção, com vistas a propor uma ampliação de seu escopo, de modo que nos fosse possível depreender e tentar compreender algumas representações de práticas de leitura inscritas nessa materialidade. As representações discursivas do leitor apreendidas, sobretudo, por meio das análises que incidiram sobre a formulação e a circulação, remeteram-nos inevitavelmente aos processos histórico-ideológicos de constituição dos discursos: o olhar apressado que percorre a página é tocado insidiosa e insistentemente pela aceleração dos ritmos de vida das democracias capitalistas. Actuellement, les médias occupent une place centrale dans la production et la circulation des discursivités. Étant donné que l'objectif fondamental de ce travail consiste à réfléchir et à analyser des représentations de pratiques de lecture contemporaines, nous avons été conduits à les saisir dans les médias, justement du fait que dans ce domaine est produite, formulée et véhiculée une grande gamme de discours qui caractérisent la société contemporaine en ce qui concerne ses pratiques et ses représentations. En nos basant sur la théorie de l'Analyse du discours et sur des principes de l'Histoire culturelle, nous avons cherché à repérer quelques représentations de pratiques inscrites sur le magazine imprimé Veja. Tout d'abord, nous avons commencé notre réflexion en établissant un bref parcours parmi différentes conceptions occidentales de lecture, du XVIème siècle à nos jours, afin de situer notre propre pratique de lecture. Ensuite, nous avons pondéré sur la notion de matérialité discursive, à partir des considérations de Michel Pêcheux, Michel Foucault, Roger Chartier et Jean-Jacques Courtine. Nous avons évalué la portée et les éventuelles limites de cette notion, avec pour objectif de proposer un élargissement de son but, de façon à ce qu'il nous fût possible de saisir et d'essayer de comprendre quelques représentations de pratiques de lecture inscrites sur cette matérialité. À partir des considérations ayant portées sur des représentations discursives du lecteur, principalement obtenues par des analyses qui se sont intéressées à la formulation et à la circulation, nous nous sommes penchés indéniablement vers les processus historiques et idéologiques de constitution des discours: le regard pressé qui parcourt la page est touché insidieusement et avec insistance par l'accélération des rythmes de vie des démocraties capitalistes.

Page generated in 0.0954 seconds