• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1851
  • 47
  • 45
  • 43
  • 42
  • 41
  • 29
  • 26
  • 8
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 1949
  • 998
  • 208
  • 162
  • 141
  • 131
  • 128
  • 125
  • 121
  • 120
  • 117
  • 112
  • 104
  • 104
  • 102
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Abordagem bipolar do problema de classificação e escolha

Sauer, Leandro 03 August 2018 (has links)
Orientadores: Jurandir Fernando Ribeiro Fernandes, Sebastião de Amorim / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Eletrica e de Computação / Made available in DSpace on 2018-08-03T19:17:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Sauer_Leandro_D.pdf: 895085 bytes, checksum: 6693cf0c4d410fb5b32d0a03637c78b2 (MD5) Previous issue date: 2003 / Doutorado
2

Revisão taxonômica de Staurogyne Wall. (Acanthaceae) nos neotrópicos /

Braz, Denise Monte. January 2005 (has links)
Orientador: Reinaldo Monteiro / Banca: José Rubens Pirani / Banca: Ariane Luna Peixoto / Banca: Cíntia Kameyama / Banca: Marco Antonio de Assis / O gênero Staurogyne Wall. reúne ca. de 80 espécies distribuídas nos trópicos de todo o mundo. Nos neotrópicos são reconhecidas 28 espécies, encontradas principalmente sob vegetação florestal preservada, com diversas espécies ocorrendo nas Florestas Amazônica e Atlântica e algumas nos domínios do cerrado, restritas às matas de galeria. Representantes de Staurogyne são reconhecidos dentre as Acanthaceae, principalmente, pelo cálice desigual, sendo um segmento posterior maior que os outros, um par de segmentos anteriores de tamanho intermediário, e um par lateral menor que os demais, e pelo androceu com quatro estames geralmente didínamos e um estaminódio; as anteras têm freqüentemente o conectivo dilatado e, embora o nome do gênero faça referência ao estigma bífido, com um dos lobos bipartido (Stauro= cruz; Gine= gineceu), essa característica só se verifica em parte das espécies. O tratamento taxonômico teve início com a consulta à bibliografia especializada, principalmente o protólogo das espécies e sua citação posterior. A análise dos espécimes deu-se, principalmente, baseada em material herborizado e consulta aos tipos nomenclaturais de todas as espécies estudadas. Para cada uma observou-se o maior número possível de indivíduos, para os quais foi preenchida ficha de caracterização morfológica padronizada que, posteriormente, foi empregada para a descrição das espécies. O estudo taxonômico resultou na descoberta de cinco espécies novas, além da proposta de sete lectótipos, quatro neótipos, sete táxons sinonimizados e diversos novos registros para diferentes estados brasileiros e para outros países da América do Sul. Foram constatados dois grupos com morfologia floral distinta... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo). / The genus Staurogyne Wall. includes about 80 species in the tropic of the whole world. In the Neotropics 28 species are recognized, especially found in forest preserved areas, many in the Atlantic and Amazon forests and some found in the cerrado domain, exclusively in the gallery forests. Species of Staurogyne are recognized among other Acanthaceae principally by the unequal calyx, with one posterior segment bigger than the others, one anterior pair of segments with intermediary size, and a lateral pair smaller than the others, and by the androecia, with four usually didinamous stamens and a staminode; the anthers usually have the connective expanded and, although the name of the genus is referred to the bifid stigma, with one lobe 2-divided (Stauro= cross; Gine= gynoecia), this characteristic is only presented by part of the species. The taxonomic treatment has begun with the consult of specialized bibliography, mainly the protologues and other citation of the species. The analyses encompassed specially the study of dried collections, and for all the studied species the nomenclatural types were consulted. As many individuals for each species as possible were analyzed, and for each of them was made a standarlized list of morphological features, in which before were based the species descriptions. The taxonomic study results in five news species discovered, besides the proposition of four neotypes, seven lectotypes, sevens sinonimized taxa and many new citation of occurrence to different Brazilian states and also for other south American countries. Two distinct groups were recognized in regard to the floral morphology, one compound by melitophilous species, and another by ornitophilous plants. The understanding and actualized taxonomy... (Complete abstract, click electronic address below). / Doutor
3

Revisão taxonômica do grupo Moenkhausia dichroura (Kner, 1858) (Characiformes: Characidae) /

Britzke, Ricardo. January 2011 (has links)
Orientador: Ricardo Cardoso Benine / Coorientador: Claudio de Oliveira / Banca: Flávio César Thadeo Lima / Banca: Fausto Foresti / Resumo: O gênero MoenkhausiaEigenmannfoi proposto para abrigar a espécie Tetragonopterusxinguensis (Steindachner). Esse gênero fez parte, assim como um grande número de gêneros da família Characidae, da subfamília Tetragonopterinae, mas atualmente é alocado como incertaesedis em Characidae. Moenkhausia compreende 71 espécies nominais de peixes de pequeno porte (cerca de 80 mm CP) distribuídas nas bacias hidrográficas cis‐andinas da América do Sul e apresentando maior número de espécies na bacia Amazônica e das Guianas. O grande número de espécies contribui para elevado nível de incompreensão taxonômica do gênero. Moenkhausia intermediaEigenmann e Moenkhausiadichroura (Kner) foram originalmente descritas da bacia do rio Amazonas e do rio Paraguai, respectivamente, porém esses nomes vêm sendo largamente empregados para as formas presentes também na bacia do rio Paraná. Moenkhausiacostae(Steindachner), amplamente distribuída na bacia do rio São Francisco e no rio Itapicuru, um rio costeiro do Estado da Bahia, é considerada provável grupo irmão de M. intermedia e M. dichroura, com base em características de coloração e de morfologia interna. A grande similaridade morfológica e ampla distribuição geográfica dessas espécies fazem com que seu nível de entendimento taxonômico e filogenético ainda seja bastante insatisfatório. Nesse sentido, iniciou‐se um processo de revisão taxonômica para esse subgrupo de Moenkhausia. Foram analisados 21 caracteres morfométricos e 15 caracteres merísticos de 65 lotes e 537 exemplares. Os resultados obtidos apontam que M. dichoura, M. intermedia e M. costae são espécies válidas e restritas as bacias hidrográficas do rio Paraguai, do rio Amazonas e do rio São Francisco, respectivamente. Além disso, novas espécies proveniente do rio Orinoco... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: The genus MoenkhausiaEigenmann was proposed to house the species Tetragonopterusxinguensis (Steindachner). This genus was a part, as well as a large number of genera of the family Characidae, subfamily Tetragonopterinae, but currently is assigned as incertaesedis in Characidae. Moenkhausia comprises 71 nominal species of small fish (about 80 mm SL) distributed in the cis‐Andean basins of South America and showing a greater number of species in the Amazon basin and the Guianas. The large number of species contribute to high level of misunderstanding of the genus. MoenkhausiaintermediaEigenmann and Moenkhausiadichroura (Kner) were originally described from the Amazon River and Paraguay River, respectively, but these names have been widely employed for the present forms also on the Paraná River basin. Moenkhausia costae (Steindachner), widely distributed in the São Francisco River and Itapicuru, a coastal river of the State of Bahia, is considered likely sister group of M. intermedia and M. dichroura, based on staining characteristics and internal morphology. The great morphological similarity and wide distribution of this species make their level of understanding of the taxonomy and phylogeny is still quite unsatisfactory. In this sense, it started a process of taxonomic revision for this subgroup of Moenkhausia. We analyzed 21 morphometric and 15 meristic and 65 lots of 527 especimens. The results indicate that M. dichoura,M. intermedia and M. costae are valid species and restricted basins of the Paraguay river, the Amazon River and the river San Francisco, respectively. Moreover, new species from the Orinoco River,Parnaíba River, coastal Rivers of the Northeastern and the Parana River were identified. The species of this subgroup can be diagnosed from other species of the genus and... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre
4

Revisão taxonômica do grupo Moenkhausia dichroura (Kner, 1858) (Characiformes: Characidae)

Britzke, Ricardo [UNESP] 22 February 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:13Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-02-22Bitstream added on 2014-06-13T21:00:35Z : No. of bitstreams: 1 britzke_r_me_botib.pdf: 823540 bytes, checksum: 8b16754ea81118d2a64a43e8cac9f7ec (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O gênero MoenkhausiaEigenmannfoi proposto para abrigar a espécie Tetragonopterusxinguensis (Steindachner). Esse gênero fez parte, assim como um grande número de gêneros da família Characidae, da subfamília Tetragonopterinae, mas atualmente é alocado como incertaesedis em Characidae. Moenkhausia compreende 71 espécies nominais de peixes de pequeno porte (cerca de 80 mm CP) distribuídas nas bacias hidrográficas cis‐andinas da América do Sul e apresentando maior número de espécies na bacia Amazônica e das Guianas. O grande número de espécies contribui para elevado nível de incompreensão taxonômica do gênero. Moenkhausia intermediaEigenmann e Moenkhausiadichroura (Kner) foram originalmente descritas da bacia do rio Amazonas e do rio Paraguai, respectivamente, porém esses nomes vêm sendo largamente empregados para as formas presentes também na bacia do rio Paraná. Moenkhausiacostae(Steindachner), amplamente distribuída na bacia do rio São Francisco e no rio Itapicuru, um rio costeiro do Estado da Bahia, é considerada provável grupo irmão de M. intermedia e M. dichroura, com base em características de coloração e de morfologia interna. A grande similaridade morfológica e ampla distribuição geográfica dessas espécies fazem com que seu nível de entendimento taxonômico e filogenético ainda seja bastante insatisfatório. Nesse sentido, iniciou‐se um processo de revisão taxonômica para esse subgrupo de Moenkhausia. Foram analisados 21 caracteres morfométricos e 15 caracteres merísticos de 65 lotes e 537 exemplares. Os resultados obtidos apontam que M. dichoura, M. intermedia e M. costae são espécies válidas e restritas as bacias hidrográficas do rio Paraguai, do rio Amazonas e do rio São Francisco, respectivamente. Além disso, novas espécies proveniente do rio Orinoco... / The genus MoenkhausiaEigenmann was proposed to house the species Tetragonopterusxinguensis (Steindachner). This genus was a part, as well as a large number of genera of the family Characidae, subfamily Tetragonopterinae, but currently is assigned as incertaesedis in Characidae. Moenkhausia comprises 71 nominal species of small fish (about 80 mm SL) distributed in the cis‐Andean basins of South America and showing a greater number of species in the Amazon basin and the Guianas. The large number of species contribute to high level of misunderstanding of the genus. MoenkhausiaintermediaEigenmann and Moenkhausiadichroura (Kner) were originally described from the Amazon River and Paraguay River, respectively, but these names have been widely employed for the present forms also on the Paraná River basin. Moenkhausia costae (Steindachner), widely distributed in the São Francisco River and Itapicuru, a coastal river of the State of Bahia, is considered likely sister group of M. intermedia and M. dichroura, based on staining characteristics and internal morphology. The great morphological similarity and wide distribution of this species make their level of understanding of the taxonomy and phylogeny is still quite unsatisfactory. In this sense, it started a process of taxonomic revision for this subgroup of Moenkhausia. We analyzed 21 morphometric and 15 meristic and 65 lots of 527 especimens. The results indicate that M. dichoura,M. intermedia and M. costae are valid species and restricted basins of the Paraguay river, the Amazon River and the river San Francisco, respectively. Moreover, new species from the Orinoco River,Parnaíba River, coastal Rivers of the Northeastern and the Parana River were identified. The species of this subgroup can be diagnosed from other species of the genus and... (Complete abstract click electronic access below)
5

Revisão taxonômica de Staurogyne Wall. (Acanthaceae) nos neotrópicos

Braz, Denise Monte [UNESP] 24 February 2005 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:58Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2005-02-24Bitstream added on 2014-06-13T20:21:31Z : No. of bitstreams: 1 braz_dm_dr_rcla.pdf: 1625212 bytes, checksum: bcc1d1994f3285b80df6f1c7771327bc (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / O gênero Staurogyne Wall. reúne ca. de 80 espécies distribuídas nos trópicos de todo o mundo. Nos neotrópicos são reconhecidas 28 espécies, encontradas principalmente sob vegetação florestal preservada, com diversas espécies ocorrendo nas Florestas Amazônica e Atlântica e algumas nos domínios do cerrado, restritas às matas de galeria. Representantes de Staurogyne são reconhecidos dentre as Acanthaceae, principalmente, pelo cálice desigual, sendo um segmento posterior maior que os outros, um par de segmentos anteriores de tamanho intermediário, e um par lateral menor que os demais, e pelo androceu com quatro estames geralmente didínamos e um estaminódio; as anteras têm freqüentemente o conectivo dilatado e, embora o nome do gênero faça referência ao estigma bífido, com um dos lobos bipartido (Stauro= cruz; Gine= gineceu), essa característica só se verifica em parte das espécies. O tratamento taxonômico teve início com a consulta à bibliografia especializada, principalmente o protólogo das espécies e sua citação posterior. A análise dos espécimes deu-se, principalmente, baseada em material herborizado e consulta aos tipos nomenclaturais de todas as espécies estudadas. Para cada uma observou-se o maior número possível de indivíduos, para os quais foi preenchida ficha de caracterização morfológica padronizada que, posteriormente, foi empregada para a descrição das espécies. O estudo taxonômico resultou na descoberta de cinco espécies novas, além da proposta de sete lectótipos, quatro neótipos, sete táxons sinonimizados e diversos novos registros para diferentes estados brasileiros e para outros países da América do Sul. Foram constatados dois grupos com morfologia floral distinta... .
6

Amaryllidaceae Jaume St.-Hil. : levantamento das espécies do Distrito Federal, Brasil, e estudos de multiplicação in vitro

Amaral, Andrielle Câmara 16 March 2007 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Botânica, 2007. / Submitted by Larissa Ferreira dos Angelos (ferreirangelos@gmail.com) on 2009-12-22T17:31:25Z No. of bitstreams: 1 2007_AndrielleCamaraAmaral.PDF: 5725467 bytes, checksum: ea56e09a8d8d1d87812d52526ca5b469 (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2009-12-22T23:17:20Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2007_AndrielleCamaraAmaral.PDF: 5725467 bytes, checksum: ea56e09a8d8d1d87812d52526ca5b469 (MD5) / Made available in DSpace on 2009-12-22T23:17:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2007_AndrielleCamaraAmaral.PDF: 5725467 bytes, checksum: ea56e09a8d8d1d87812d52526ca5b469 (MD5) Previous issue date: 2007-03-16 / O conhecimento sobre as espécies de Amaryllidaceae do Brasil é escasso. Não existem estudos que tragam chaves e descrições para as espécies brasileiras. Dos estudos realizados para a família no Brasil, poucos são de cunho taxonômico. O conhecimento das espécies desta família é de alta importância, não só pelo conhecimento da diversidade de espécies per se, como também pelo alto potencial que as Amaryllidaceae têm como plantas ornamentais. Este estudo teve duas abordagens principais, a primeira, o levantamento das Amaryllidaceae do Distrito Federal, e a segunda abordagem, a realização de testes de protocolos para a cultura de tecidos e germinação de bulbos. Neste contexto, este trabalho teve como objetivos contribuir para o conhecimento das Amaryllidaceae para a flora do Distrito Federal e do Cerrado como um todo, avaliar a capacidade de multiplicação in vitro de uma espécie da família e realizar testes de dormência de bulbos para a avaliação de fatores que influenciam no florescimento. Os resultados desses estudos indicam quatro espécies de Amaryllidaceae, pertencentes ao gênero Hippeastrum, H. glaucescens (Mart.) Herb., H. goianum (Ravenna) Meerow, H. psittacinum (Ker.-Gawl.) Herb. e H. puniceum (Lam.) Kuntze. Tanto para multiplicação in vitro, como para a avaliação dos fatores que influenciam no florescimento, foi escolhido H. puniceum. A utilização de 0,5 mg L-1 de BAP foi muito eficiente na produção de bulbilhos, sendo que a média de bulbilhos regenerados in vitro foi cerca de duas vezes maior que aquela citada por outros autores, em estudos conduzidos com outras espécies de Amaryllidaceae. Entre os fatores que influenciam no florescimento, o armazenamento dos bulbos a 9ºC por 8 a 10 semanas influenciou positivamente no desenvolvimento das plantas. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / The knowledge of the Brazilian species of Amaryllidaceae is scarce. There are few taxonomic studies that bring keys and descriptions for the Brazilian species. The family is reported as of high importance, because of its species diversity and also for its high ornamental potential. This study has aimed two main approaching, the first one, the survey of the species of Amaryllidaceae in Federal District, the second, the development of a micropropagation protocol and germination of bulbs. This study had as objective to contribute for the knowledge of the Amaryllidaceae for the flora of the Federal District and the Brazilian savannas, to evaluate the micropropagation capacity of the species Hippeastrum puniceum (Lam.) Kuntze and to accomplish bulbs dormancy tests for the evaluation of factors that influence the flowering process. The results of these studies indicate five species of Amaryllidaceae for the District Federal flora, Habranthus sp., Hippeastrum glaucescens (Mart.) Herb., H. goianum (Ravenna) Meerow, H. psittacinum (Ker.-Gawl.) Herb. H. puniceum (Lam.) Kuntze. The use of 0.5 mg.L-1 of BAP was very efficient in the production of bulblets, with the average of bulblets in vitro regeneration about two times more efficient than those cited by other authors who has worked on micropropagation of Amaryllidaceae species. Among the factors that influence the flowering process, the storage of the bulbs in low temperatures for 8 to 10 weeks influenced positively in the development of the plants.
7

Sistema de classificação dos solos baseado na estrutura do espaço poroso

OTTONI, Marta Vasconcelos January 2017 (has links)
Submitted by Teresa Cristina Rosenhayme (teresa.rosenhayme@cprm.gov.br) on 2018-02-23T11:11:02Z No. of bitstreams: 1 Tese de Marta V. Ottoni.pdf: 5258761 bytes, checksum: 1973b668746dd1b722e487c4cfb4becf (MD5) / Approved for entry into archive by Priscila Ururahy (priscila.ururahy@cprm.gov.br) on 2018-02-23T12:29:54Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese de Marta V. Ottoni.pdf: 5258761 bytes, checksum: 1973b668746dd1b722e487c4cfb4becf (MD5) / Approved for entry into archive by Priscila Ururahy (priscila.ururahy@cprm.gov.br) on 2018-02-23T12:35:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese de Marta V. Ottoni.pdf: 5258761 bytes, checksum: 1973b668746dd1b722e487c4cfb4becf (MD5) / Made available in DSpace on 2018-02-26T12:28:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese de Marta V. Ottoni.pdf: 5258761 bytes, checksum: 1973b668746dd1b722e487c4cfb4becf (MD5) Previous issue date: 2017
8

O genero Gomphrena L. (Amaranthaceae) no Brasil

Siqueira, Josafa Carlos de 22 October 1991 (has links)
Orientador: Graziela Maciel Barroso / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T01:01:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Siqueira_JosafaCarlosde_D.pdf: 14715977 bytes, checksum: df78454b5430820ce48283db2f9e5431 (MD5) Previous issue date: 1991 / Resumo: O presente trabalho é um estudo taxonômico do gênero Gomphrena L.(Arnaranthaceae) no Brasil. Após o presente estudo o gênero Gomphrena L. passa a englobar 46 espécies ocorrentes no Brasil, distribuídas principalmente nas vegetações de cerrados, campos rupestres, campos napeádicos, caatingas e restingas. Poucas espécies ocorrem nos ambientes florestais. As espécies estão compreendidas em 5 seções, a saber: GOMPHRENA (L. ) Holhz. com 25 espécies, GOMPHRENULA Seub. com 17 espécies, XEROSIPHON (Turcz.)Moq. com 2 espécies, STACHYATHUS Seub. com 1 espécie e PSEUDOGOMPHRENA (R.E.Fries) J.C.Siqueira com 1 espécie, sendo esta última uma nova seção proposta para o genero. O autor sinonimizou 22 epítetos em nive1 especifico e infra-especifico, realizando também 2 novas combinações, C. scandens (R.E.Fries)J.C.Siqueira e C. glabratoides(Susseng.)J.C.Siqueira. O exame de 1550 exsicatas, procedentes de 44 herbários brasileiros e estrangeiros, assim como as observações de campo, permitiram a elaboração de descrições, chaves de identificação de seções e espécies, comentários e discussões sobre morfologia de sistemas subterrâneos e partes aéreas das plantas e também a construção de padrões de distribuição geográfica. A análise critica da literatura possibilitou a redação de um minucioso histórico do gênero e discussões sobre morfologia e posição taxonômica e evolução do gênero Gomphrena L / Abstract: The present paper is a contribution to the taxonomic study of the genus Gomphrena L.(Amaranthaceae) in Brasil. According to the present study the genus Gomphrena L. encompasses 46 species in Brasil; they are found mainly in the "cerrados" in the so called "campos rupestres" and ¿campos napeádicos", in the "caatingas¿ and in the ¿restingas"; only a few species are found in the forests. The 46 species are classified in 5 sections, namely,Gomphrena(L.)Holzh. with 25 species, Gomphrenula Seub. with 17 species, Xerosiphon(Turcz.)Moq. with 2 species, Stachyanthus Seub. with 1 species and Pseudogomphrena(R.E.Fries)J.C.Siqueira with 1 species; the last one is a new proposed section. Twenty-two epithets are synonimyzed at specific and underspecific levels and 2 new combinations are established, namely, Gomphrena scandens(R.E.Fries)J.C.Siqueira and G. glabratoides (Susseng.)J.C.Siqueira. Careful reserch of 1550 ¿exsicatas¿ from 44 herbaria in Brasil and abroad as well as from direct observation in their natural environment lead to descriptions, keys for identification of sections and species,comments and discussions on the morphology of the subterranean systems and the upper parts of the plants and the establishment of patterns of geographical distribution. A critical analysis of the literature enhanced a careful historical study of the genus, discussions on the morfology,the taxonomicposition and evolutionof the genus Gomphrena L / Doutorado / Biologia Vegetal / Doutor em Ciências
9

Sobre o polimorfismo do grupo maxillaria madida (Orchidaceae, maxillariinae)

Onishi, Eunice 14 July 2018 (has links)
Orientador: Howard S. Irwin / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T19:23:02Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Onishi_Eunice_D.pdf: 41425767 bytes, checksum: ccaa0db0c221b21d2016e42730be3401 (MD5) Previous issue date: 1974 / Resumo: Das observações realizadas julgamos poder concluir que: 1) O m. retococcígeo está presente em todos os casos. Ele é constituído por fibras musculares lisas e por tecido conjuntivo, no qual predominam fibras colágenas e elásticas. 2) O m. retococcígeo pode ser dividido em duas partes: uma pós-retal e outra justa-retal. A parte pós-retal é formada por duas digitações, uma de cada lado dos vasos sacrais medianos, as quais se unem e formam o corpo do m. retococcígeo, situado sobre os mm. pucoccígeos e sobre a lâmina tendínea comum aos mesmos. A parte justa-retal resulta da divisão, próximo à face posterior do reto, do corpo do m. retococcígeo em quatro porções terminais: descendente, ascendente, anterior e ântero-inferior. 3) As digitações são achatadas, triangulares, de ápice póstero-superior. Em 36/50 ou 72%das peças as digitações se unem inferiormente à arcada dos ligg. sacrococcígeos anteriores e em 14/50 ou 28% das peças, superiormente a essa arcada. Podemos considerá-la digitações longas no primeiro caso e curtas no segundo. 4) O corpo do m. retococcígeo se realizam, em todas as peças, nos ligg. sacrococcígeo anteriores por meio das digitações, que poderiam ser consideradas como inserções digitiformes. As digitações longas se inserem na lâmina tendínea dos mm. pubococcígeos em 31/36 ou 86,6% desses casos... Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Doutorado / Doutor em Ciências Biológicas
10

Revisão taxonomica do genero Posoqueria Aubl. (Rubiaceae)

Macias, Leila de Fatima Nogueira 02 December 1988 (has links)
Orientador : Luiza Sumiko Kinoschita-Gouvea / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-15T15:21:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Macias_LeiladeFatimaNogueira_M.pdf: 14831292 bytes, checksum: ef591aefd994fe1428d178bc7f84d09a (MD5) Previous issue date: 1988 / Resumo: O gênero Posoqueria Aubl. pertence à subtribo Eugardenieae DC., tribo Gardenieae A. Rich. e à família Rubiaceae Juss.; P. longiflora Aubl. é a espécie tipo. É um gênero tipicamente neotropical. Em seu limite norte não ultrapassa o Trópico de Câncer, porém, ocupa todo o sul do México. No limite sul, transpõe o Trópico de Capricórnio, até o litoral norte do Rio Grande do Sul, no Brasil. Inicialmente, o gênero constituía-se, de acordo com dados de literatura, de 13 espécies, 6 subespécies e uma forma. Nesta revisão, o gênero é reavaliado e mudanças taxonômicas são propostas. Consideram-se como válidas 14 espécies e 4 subespécies: P. platysiphonia Rusby, P. grandiflora Standl., P. acutifolia Mart., P. gracilis (Rudge) Roem. & Schult., P. trinitatis DC., P. latifolia (Rudge) Roem. & Schult., P. velutina Standl., P. macropus Mart., P. palustris Mart., P. williamsii Steyerm., P. maxima Standl., P. coriacea Mart. & Gal. subsp. coriacea e subsp. formosa (Karst.) Steyerm., P.longiflora Aubl. subsp. longiflora e subsp. grandiflora (Karst.) L. Macias uma combinação nova e P. bahiensis L. Macias que é reconhecida como espécie nova. A identificação das espécies baseou-se, essencialmente, em características morfológicas, depois de detalhada análise em exsicatas, provenientes de 32 herbários nacionais e estrangeiros. Nenhum caráter morfológico isolado é suficiente para separar as espécies, mas terá sempre de ser conjugado a outros para, em conjunto, possibilitar êxito na identificação das espécies... Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: The genus Posoqueria Aub1., belongs to the subtribe Eugardenieae DC, tribe Gardenieae A. Rich. of the Rubiaceae Juss.; P. Longiflora Aubl. is the type species. The genus is typically neotropica1. His north limit of distribution is the Tropic of Cancer, and it occurs in all southern Mexico. In the south, the genus occurs below the Tropic of Capricorn until the north coast of Rio Grande do Sul, in Brazil. Inicial1y, as it is recorded in the literature, the genus was composed by 13 species, 6 subspecies and 1 forma. In this revision the genus is evaluated and taxonomic changes are proposed. 14 species and 4 subspecies are considered valid: P. platysiphonia Rusby, P. grandiflora Standl., P. acutifolia Mart., P. gracilis (Rudge) Roem. & Schult., P. trinitatis DC., P. latifolia (Rudge) Roem. & Schult., P. velutina Standl., P. macropus Mart., P. palustris Mart., P. williamsii Steyerm., P. maxima Standl., P. coriacea Mart. & Gal. subsp. coriacea e subsp. formosa (Karst.) Steyerm., P.longiflora Aubl. subsp. longiflora e subsp. grandiflora (Karst.) L. Macias a new combination and P. bahiensis L. Macias which is recognized as a new species. The species identifications were based essencially on morphologica1 characteristics, after detailed exsiccatae ana1ysis proceded from 32 national and foreing herbaria. No morphological character alone is enough to separate the species by itself. Many characters have to be considered for a successfu1 identification of the species¿ Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations / Mestrado / Biologia Vegetal / Mestre em Ciências Biológicas

Page generated in 0.059 seconds