• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 106
  • 3
  • Tagged with
  • 110
  • 31
  • 29
  • 29
  • 28
  • 26
  • 19
  • 18
  • 18
  • 17
  • 15
  • 15
  • 12
  • 12
  • 9
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Investigação da base molecular e história evolutiva do melanismo em felídeos selvagens

Schneider, Alexsandra January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:42:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000449079-Texto+Completo-0.pdf: 13871444 bytes, checksum: e0066e8269af7789f4e8bf48e9d2231c (MD5) Previous issue date: 2013 / Melanism is a very common coat color polymorphism in felids, and has been defined as an increased production of dark melanin which generates a general darkening of the organism’s tegument. Such coloration variation in mammals is often be regulated by the action of two genes and their products: MC1R and ASIP. Eumelanin (dark pigment) is produced when the Melanocortin-1 receptor (MC1R) is activated by the binding of the Alpha Melanocyte Stimulating Hormone (α-MSH). In contrast, MC1R activation is inhibited by the binding of the antagonist peptide ASIP (Agouti Signaling Protein), whose action leads to a switch to pheomelanin (light pigment) synthesis. Melanism has been documented in 13 out of 37 extant felid species, in some cases reaching high frequencies at the population level. A previous studies has indicated that this phenotype arose multiples times in the Felidae, with three different species exhibiting unique mutations associated with this trait (EIZIRIK et al., 2003). In this context, the present study aimed to identify the mutations implicated in this phenotype in five other felid species, and to investigate in more detail the evolutionary dynamics of melanism in the Felidae. In the first article, we revealed two additional cases of species-specific mutations involved in melanism in Asian wild cats, Panthera pardus and Pardofelis temminckii, and discuss the role of the ASIP gene in the evolution of this mutant phenotype. In the second manuscript, we analyzed the evolution of melanism in an endemic lineage of Neotropical felids belonging to the genus Leopardus. This lineage includes three species of small wild cats that were the focus of this study: L. colocolo, L. guigna e L. geoffroyi. The presence of melanism in these closely-related species, along with relatively high frequencies (ranging from 20% to 30%) of this phenotype observed in some areas of their geographic distribution, suggests that natural selection may be involved in the origin and evolution of this trait. In this context, we identified three novel mutations in the ASIP and MC1R genes, each of them strongly associated with melanism in one of the analyzed species, and revealed that natural selection may have played a role in the evolutionary history of melanism in this lineage of felids. / O melanismo é um polimorfismo de coloração bastante comum em felinos, definido como a ocorrência de uma acentuada produção de melanina escura que gera o escurecimento geral do tegumento do organismo. Sabe-se que esta variação da coloração em mamíferos é frequentemente regulada pela ação de dois genes e seus produtos: MC1R e ASIP. A eumelanina (pigmento escuro) é produzida quando o receptor de melanocortina-1 (MC1R) é ativado pelo hormônio estimulante de melanócito (α-MSH). Ao contrário, a ativação do MC1R é inibida pela ligação de um antagonista chamado ‘proteína sinalizadora de agouti’ (ASIP), cuja ação leva à troca da produção de eumelanina para feomelanina (pigmento claro). O melanismo foi documentado em 13 das 37 espécies atuais de felídeos e, em alguns casos, alcança altas frequências em nível populacional. Um estudo anterior indicou que o fenótipo surgiu múltiplas vezes em Felidae, com três espécies diferentes apresentando mutações independentes associadas ao mesmo (EIZIRIK et al., 2003). Assim, este estudo teve por objetivo identificar as mutações responsáveis por esta característica em outras cinco espécies de felídeos e analisar a dinâmica evolutiva do melanismo na família Felidae. No primeiro artigo, revelamos dois casos adicionais de mutações espécie-específicas envolvidas no melanismo de felídeos asiáticos, Panthera pardus e Pardofelis temminckii e discutimos o papel do gene ASIP na evolução deste fenótipo mutante. No segundo manuscrito, uma abordagem em nível genômico foi utilizada para analisar a evolução do melanismo em uma linhagem endêmica de felídeos neotropicais pertencentes ao gênero Leopardus. Nesta linhagem estão inclusas três espécies de pequenos felídeos que foram o principal foco desta análise: L. colocolo, L. guigna e L. geoffroyi. A presença do melanismo nestas espécies evolutivamente próximas, associada a frequências relativamente altas (20-30%) deste fenótipo em determinadas áreas de suas distribuições geográficas, sugere que a seleção natural pode estar envolvida na origem e evolução dessa característica. Neste contexto, identificamos três novas mutações nos genes ASIP e MC1R, cada uma delas fortemente associada ao melanismo em uma das espécies investigadas, e revelamos que a seleção natural parece ter influenciado a história evolutiva deste fenótipo nesta linhagem de felídeos.
2

Hibridação e introgressão entre espécies de felídeos neotropicais (Mammalia, Carnivora)

Trigo, Tatiane Campos January 2008 (has links)
A hibridação entre espécies ou populações pode propiciar uma excelente oportunidade de estudo das relações genéticas, ecológicas e demográficas entre táxons relacionados, e dos processos evolutivos envolvidos na manutenção da distinção entre estes. Neste estudo, procuramos avaliar diferentes aspectos biológicos envolvidos nos processos de hibridação entre três espécies de felídeos Neotropicais: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi e L. colocolo. A investigação genética, realizada por meio da análise combinada de diferentes marcadores moleculares como DNA mitocondrial, locos de microssatélite e segmentos dos cromossomos Y e X nas três espécies, revelou dois padrões diferenciados de hibridação para L. tigrinus vs. L. colocolo no centro e nordeste brasileiro e para L. tigrinus vs. L. geoffroyi no sul do Brasil. A hibridação entre L. tigrinus e L. colocolo foi inferida como um processo antigo, estando atualmente ausente ou restrita à ocorrência de eventos esporádicos na região central brasileira. Por outro lado, a hibridação entre L. tigrinus e L. geoffroyi no sul do país aparece praticamente restrita ao estado do Rio Grande do Sul como uma das mais intensas zonas atuais de hibridação já documentada em carnívoros, com cerca de 60% da população local considerada como de origem híbrida. Uma ampla variedade de tipos recombinantes foi identificada para este último par de espécies, indicando à produção de híbridos férteis aparentemente capazes de cruzar entre si e com ambas as espécies parentais, levando, assim, à homogeneização genética das populações locais das duas espécies. Esta zona híbrida pareceu ainda apresentar uma assimetria na direção de L. geoffroyi, podendo indicar a existência de pressões seletivas que favoreçam o retrocruzamento com esta espécie. Análises morfológicas e ecológicas foram também realizadas em L. tigrinus e L. geoffroyi no estado do Rio Grande do Sul com o objetivo de caracterizar estas espécies em suas áreas de contato. Apesar da intensidade da hibridação, as duas espécies aparentemente mantêm uma diferenciação morfológica no que diz respeito ao tamanho corporal. No entanto, variações nos padrões de pelagem parecem estar associadas, em parte, a origens híbridas. Da mesma maneira, análises de distribuição, associação com habitats e nicho trófico no estado sugerem a existência de uma segregação ecológica entre estes dois felídeos nesta região. / Hybridization between species and populations may provide an excellent opportunity to study genetic, demographic and ecological relationships between closely related taxa, and the evolutionary processes involved in the maintenance of the species distinctness. At the present study, we aim to evaluate the different biological aspects involved on the hybridization processes between three Neotropical felids: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi and L. colocolo. Genetic surveys, performed with a combined analysis of different molecular markers such as mitochondrial DNA, microsatellite loci and Y and X chromosomes segments on the three felid species, revealed two different patterns of hybridization between L. tigrinus and L. colocolo at central and northeastern Brazil and between L. tigrinus and L. geoffroyi at southern Brazil. The hybridization between L. tigrinus and L. colocolo was inferred as an ancient event, being, currently, absent or restricted to esporadic events in the central Brazilian region. On the other hand, hybridization between L. tigrinus and L. geoffroyi in southern Brazil seemed to be nearly restricted to Rio Grande do Sul state as one of the most intensive hybridization events documented in carnivores, in which approximately 60% of the local population carry a hybrid origin. A wide variety of recombinant types was identified for this pair of species indicating the production of fertile hybrids apparently able to cross with each other and also with both parental species, leading to the genetic homogenization of the local populations of the two species. This hybrid zone seemed to be also assimetric in L. geoffroyi direction, suggesting the existence of selective pressure that favours backcrossings with this species. Morphological and ecological analyzes was also performed at L. tigrinus and L. geoffroyi from Rio Grande do Sul state aiming to characterize both species in their contact zones. Despite the extensive hybridization, both species apparently keep the morphological differentiation related to body size. However, variations on the patterns of pelage seem to be associated in part to a hybrid origin. The same way, analyses of geographic distributions, habitat association and trophic niche in the state suggest the existence of an ecological segregation between these two felids in this region.
3

Hibridação e introgressão entre espécies de felídeos neotropicais (Mammalia, Carnivora)

Trigo, Tatiane Campos January 2008 (has links)
A hibridação entre espécies ou populações pode propiciar uma excelente oportunidade de estudo das relações genéticas, ecológicas e demográficas entre táxons relacionados, e dos processos evolutivos envolvidos na manutenção da distinção entre estes. Neste estudo, procuramos avaliar diferentes aspectos biológicos envolvidos nos processos de hibridação entre três espécies de felídeos Neotropicais: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi e L. colocolo. A investigação genética, realizada por meio da análise combinada de diferentes marcadores moleculares como DNA mitocondrial, locos de microssatélite e segmentos dos cromossomos Y e X nas três espécies, revelou dois padrões diferenciados de hibridação para L. tigrinus vs. L. colocolo no centro e nordeste brasileiro e para L. tigrinus vs. L. geoffroyi no sul do Brasil. A hibridação entre L. tigrinus e L. colocolo foi inferida como um processo antigo, estando atualmente ausente ou restrita à ocorrência de eventos esporádicos na região central brasileira. Por outro lado, a hibridação entre L. tigrinus e L. geoffroyi no sul do país aparece praticamente restrita ao estado do Rio Grande do Sul como uma das mais intensas zonas atuais de hibridação já documentada em carnívoros, com cerca de 60% da população local considerada como de origem híbrida. Uma ampla variedade de tipos recombinantes foi identificada para este último par de espécies, indicando à produção de híbridos férteis aparentemente capazes de cruzar entre si e com ambas as espécies parentais, levando, assim, à homogeneização genética das populações locais das duas espécies. Esta zona híbrida pareceu ainda apresentar uma assimetria na direção de L. geoffroyi, podendo indicar a existência de pressões seletivas que favoreçam o retrocruzamento com esta espécie. Análises morfológicas e ecológicas foram também realizadas em L. tigrinus e L. geoffroyi no estado do Rio Grande do Sul com o objetivo de caracterizar estas espécies em suas áreas de contato. Apesar da intensidade da hibridação, as duas espécies aparentemente mantêm uma diferenciação morfológica no que diz respeito ao tamanho corporal. No entanto, variações nos padrões de pelagem parecem estar associadas, em parte, a origens híbridas. Da mesma maneira, análises de distribuição, associação com habitats e nicho trófico no estado sugerem a existência de uma segregação ecológica entre estes dois felídeos nesta região. / Hybridization between species and populations may provide an excellent opportunity to study genetic, demographic and ecological relationships between closely related taxa, and the evolutionary processes involved in the maintenance of the species distinctness. At the present study, we aim to evaluate the different biological aspects involved on the hybridization processes between three Neotropical felids: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi and L. colocolo. Genetic surveys, performed with a combined analysis of different molecular markers such as mitochondrial DNA, microsatellite loci and Y and X chromosomes segments on the three felid species, revealed two different patterns of hybridization between L. tigrinus and L. colocolo at central and northeastern Brazil and between L. tigrinus and L. geoffroyi at southern Brazil. The hybridization between L. tigrinus and L. colocolo was inferred as an ancient event, being, currently, absent or restricted to esporadic events in the central Brazilian region. On the other hand, hybridization between L. tigrinus and L. geoffroyi in southern Brazil seemed to be nearly restricted to Rio Grande do Sul state as one of the most intensive hybridization events documented in carnivores, in which approximately 60% of the local population carry a hybrid origin. A wide variety of recombinant types was identified for this pair of species indicating the production of fertile hybrids apparently able to cross with each other and also with both parental species, leading to the genetic homogenization of the local populations of the two species. This hybrid zone seemed to be also assimetric in L. geoffroyi direction, suggesting the existence of selective pressure that favours backcrossings with this species. Morphological and ecological analyzes was also performed at L. tigrinus and L. geoffroyi from Rio Grande do Sul state aiming to characterize both species in their contact zones. Despite the extensive hybridization, both species apparently keep the morphological differentiation related to body size. However, variations on the patterns of pelage seem to be associated in part to a hybrid origin. The same way, analyses of geographic distributions, habitat association and trophic niche in the state suggest the existence of an ecological segregation between these two felids in this region.
4

Análise comparativa de nichos tróficos de carnívoros (Mammalia, Carnivora) da região de alta floresta, estado do Mato Grosso, Brasil

Tirelli, Flávia Pereira January 2010 (has links)
Estratégias alimentares de espécies de carnívoros simpátricos são moldadas pela competição associada à flexibilidade alimentar. Neste estudo, foram utilizadas amostras fecais para analisar a dieta de carnívoros simpátricos em região altamente fragmentada da Amazônia brasileira. Com esse intuito, foram necessárias identificações confiáveis das espécies predadoras, realizadas através de duas técnicas: seqüenciamento de DNA e microscopia óptica. Estes métodos foram comparados resultando em congruência de 92% nas identificações de predadores. Deste modo, foram identificadas nove espécies de carnívoros (Leopardus pardalis (n=18), Panthera onca (n=16), Puma concolor (n=7), Puma yagouaroundi (n=3), Lontra longicaudis (n=2), Pteronura brasiliensis (n=2), Eira barbara (n=2), Cerdocyon thous (n=30) e Speothos venaticus (n=1)). O estudo alimentar de cinco destas espécies foi apenas descritivo devido ao pequeno número de amostras. As demais quatro espécies apresentaram um número amostral suficiente para a realização das análises estatísticas. O canídeo C. thous foi a espécie de hábitos alimentares mais generalista; além disso, o graxaim-do-mato mostrou-se altamente flexível, alimentando-se também de outras fontes que não predando animais; esta espécie apresentou sementes como itens mais freqüentes, além disso registrou-se consumo de plástico nas amostras fecais. A jaguatirica apresentou a dieta mais generalista dentre as espécies de felinos, contendo itens de pequeno e médio porte; e tendo como presas de maior importância para sua dieta roedores de pequeno porte (<1Kg). A onça-pintada apresentou-se mais especialista em sua dieta que as outras espécies citadas anteriormente, sendo sua principal presa a queixada (Tayassu peccari), resultado encontrado utilizando-se o Índice de Importância Relativa (IIR); de forma geral, sua dieta foi baseada predominantemente em presas de grande porte (>15Kg). Diferentemente, os pumas apresentaram alto consumo de presas de médio porte (1Kg – 15Kg), e além disso as presas foram consumidas em proporções semelhantes. Com esses dados, podemos corroborar a hipótese de que o uso de diferentes recursos alimentares permite a coexistência entre espécies carnívoras. Adicionalmente, a maior sobreposição de nichos tróficos foi registrada entre L. pardalis e Puma concolor. Um dos fatores influenciáveis para esse resultado foi o consumo de roedores de pequeno porte por ambas as espécies predadoras. Uma explicação provável para esta competição por recursos alimentares é a presença de P. onca, pois, em situação de simpatria com esta última, P. concolor acaba por modificar seus padrões de seleção de presas utilizando as de médio e menor porte, que, similarmente, servem como base alimentar para a dieta das jaguatiricas. Os resultados gerados com este estudo fornecem dados sobre a ecologia das espécies de carnívoros para esta região fragmentada da Amazônia e com isso contribui de uma forma significativa para seu melhor conhecimento, o que pode auxiliar na elaboração de estratégias adequadas para o manejo e conservação dessas espécies em campo.
5

Cultivo in vitro e em membrana corioalantoica e autotransplante heterotópico de tecido ovariano de gatas domésticas

Vilela, Janice de Miranda Vasconcellos 29 June 2016 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2016. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-09-22T19:09:26Z No. of bitstreams: 1 2016_JanicedeMirandaVasconcelosVilela.pdf: 3616352 bytes, checksum: 9412786c69d298726d117345dce621af (MD5) / Approved for entry into archive by Ruthléa Nascimento(ruthleanascimento@bce.unb.br) on 2017-03-07T14:51:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_JanicedeMirandaVasconcelosVilela.pdf: 3616352 bytes, checksum: 9412786c69d298726d117345dce621af (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-07T14:51:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_JanicedeMirandaVasconcelosVilela.pdf: 3616352 bytes, checksum: 9412786c69d298726d117345dce621af (MD5) / O objetivo deste trabalho foi testar a viabilidade de utilização das técnicas de cultivo in vitro, cultivo em membrana corioalantoica de embriões de galinha (CAM) e autotransplante heterotópico para avaliação da do tecido ovariano de gatas. Na primeira etapa, foi comparado o cultivo de tecido ovariano fresco de gatas in vitro e em CAM para determinar se estes métodos seriam adequados para avaliar a eficácia da criopreservação de tecido ovariano. Para isso, ovários de 8 gatas foram cortados em cubos de 3 mm3, cultivados in vitro e em CAM por até 5 dias. A porcentagem de folículos primordiais na população de folículos morfologicamente normais (FMN) foi sempre maior que 80%, com exceção do dia 3 de cultivo em CAM. Não foi observado proliferação celular ao longo do cultivo. Adicionalmente, ambos os métodos mostraram um aumento do tecido conjuntivo a cada dia que o tecido permaneceu em cultivo. Foi observado vascularização durante o cultivo em CAM, porém sem associação com a viabilidade folicular. Nenhum dos sistemas foi capaz de promover crescimento e/ou desenvolvimento folicular. O autotransplante heterotópico já se mostrou eficiente em tecido ovariano fresco de gatas, por isso, na segunda etapa do experimento, este método foi utilizado para avaliar o protocolo de criopreservação de tecido ovariano felino. Quatro gatas foram submetidas a ovariohisterectomia e os ovários foram cortados e criopreservados. Após uma semana, foram autotransplantados para o tecido subcutâneo da região dorsal do pescoço e retirados após 7, 14, 28, 49 e 63 dias. A porcentagem de folículos morfologicamente normais primordiais e em crescimento nas amostras de tecido fresco (Grupo Controle) foram de 87,8% e 96,7%, respectivamente, e imediatamente após o descongelamento (Controle Crio) de 73,7% e 100%, respectivamente, e não foram significativamente diferentes entre si. Folículos em crescimento quase não foram vistos após o transplante. Nenhum FMN foi encontrado a partir de 49 dias de transplante. Nos fragmentos de Controle e Controle Crio, a maioria dos folículos (primordiais e em crescimento) apresentavam proliferação das células da granulosa. Dois folículos antrais foram encontrados aos 28 dias em uma das gatas e se mostraram vivos e proliferativos. Houve um aumento das fibras colágenas a partir dos 7 dias de transplante. A vascularização do tecido foi observada após 7 dias de transplante, e vasos sanguíneos calibrosos foram facilmente observados nos dias 49 e 63 após transplante. Houve uma grande perda folicular após o transplante de tecido ovariano de gatas previamente criopreservado. Em conclusão, o cultivo em CAM não parece promissor para tecido ovariano de felinos, mas o cultivo in vitro pode ser otimizado para melhor desenvolvimento dos folículos ovarianos de gatas e para avaliação do tecido após criopreservação. Os transplantes permanecem como a alternativa mais viável para avaliar a criopreservação. No entanto, o presente estudo mostrou que a sobrevivência folicular após criopreservação e transplante foi muito baixa, provavelmente devido à junção das injúrias causadas pela criopreservação com os danos provocados pelo período de isquemia-reperfusão do tecido nos primeiros dias de transplante. Desta forma, as técnicas de transplante e de criopreservação também devem ser otimizadas. / The aim of this study was to test the viability of in vitro culture (IVC), culture in the chorioallantoic membrane of chick embryos (CAM) and heterotopic autotransplantation techniques for evaluation of cat ovarian tissue. In the first stage, we compared the culture of fresh cat ovarian tissue in vitro and in CAM to determine if those methods would be suitable to evaluate the efficacy of cryopreservation of ovarian tissue. For this, ovaries from 8 queens were cut in 3 mm³ cubes, and cultured in vitro and in CAM for up to 5 days. The percentage of primordial follicles in the population of morphologically normal follicles (MNF) was always higher than 80%, with the exception of day 3 in the CAM. Cellular proliferation was not observed in culture. Additionally, both methods showed an increase in connective tissue during culture. Vascularization was observed during culture in CAM, however, there was no association with follicular viability. None of the systems were capable of promoting follicular growth and/or development. Heterotopic autotransplantation has already been demonstrated to be effective for fresh cat ovarian tissue, thus, in the second stage of this study, this method was used to evaluate ovarian tissue cryopreservation. Four queens were subjected to ovariohysterectomy and the ovaries were cut and cryopreserved. After one week, they were thawed and autografted to the subcutaneous tissue of the dorsal neck region and removed after 7, 14, 28, 49 and 63 days. The percentage of primordial and growing MNF in fresh tissue samples (Control) were 87.8% and 96.7%, respectively, and immediately after thawing (Cryo Control) were 73.7% and 96.7%, respectively, and they were not significantly different. Growing follicles were hardly seen after grafting. No MNF were found after 49 days of transplantation. In Control and Cryo Control fragments, most of the follicles (primordial and growing) presented granulosa cell proliferation. Two antral follicles were found on day 28 post-transplantation in one of the queens and they were alive and proliferative. There was an increase in connective fibers from day 7 of transplantation on. Vascularization of the tissue was observed after 7 days of grafting and calibrous blood vessels were easily observed in days 49 and 63 post-grafting. There was a great follicular loss after cryopreserved ovarian tissue transplantation. In conclusion, culture in CAM does not seem promising for cat ovarian tissue, but IVC may be optimized for better cat follicle development and evaluation of the tissue after cryopreservation. Transplantation remains the most viable alternative to evaluate cryopreservation. However, this study showed that follicular survival after cryopreservation and grafting was low, probably due to the combination of injuries caused by cryopreservation with the damages caused by ischemia-reperfusion period in the early days of the tissue transplant. Thus, the techniques of cryopreservation and transplantation must also be optimized.
6

Análise comparativa de nichos tróficos de carnívoros (Mammalia, Carnivora) da região de alta floresta, estado do Mato Grosso, Brasil

Tirelli, Flávia Pereira January 2010 (has links)
Estratégias alimentares de espécies de carnívoros simpátricos são moldadas pela competição associada à flexibilidade alimentar. Neste estudo, foram utilizadas amostras fecais para analisar a dieta de carnívoros simpátricos em região altamente fragmentada da Amazônia brasileira. Com esse intuito, foram necessárias identificações confiáveis das espécies predadoras, realizadas através de duas técnicas: seqüenciamento de DNA e microscopia óptica. Estes métodos foram comparados resultando em congruência de 92% nas identificações de predadores. Deste modo, foram identificadas nove espécies de carnívoros (Leopardus pardalis (n=18), Panthera onca (n=16), Puma concolor (n=7), Puma yagouaroundi (n=3), Lontra longicaudis (n=2), Pteronura brasiliensis (n=2), Eira barbara (n=2), Cerdocyon thous (n=30) e Speothos venaticus (n=1)). O estudo alimentar de cinco destas espécies foi apenas descritivo devido ao pequeno número de amostras. As demais quatro espécies apresentaram um número amostral suficiente para a realização das análises estatísticas. O canídeo C. thous foi a espécie de hábitos alimentares mais generalista; além disso, o graxaim-do-mato mostrou-se altamente flexível, alimentando-se também de outras fontes que não predando animais; esta espécie apresentou sementes como itens mais freqüentes, além disso registrou-se consumo de plástico nas amostras fecais. A jaguatirica apresentou a dieta mais generalista dentre as espécies de felinos, contendo itens de pequeno e médio porte; e tendo como presas de maior importância para sua dieta roedores de pequeno porte (<1Kg). A onça-pintada apresentou-se mais especialista em sua dieta que as outras espécies citadas anteriormente, sendo sua principal presa a queixada (Tayassu peccari), resultado encontrado utilizando-se o Índice de Importância Relativa (IIR); de forma geral, sua dieta foi baseada predominantemente em presas de grande porte (>15Kg). Diferentemente, os pumas apresentaram alto consumo de presas de médio porte (1Kg – 15Kg), e além disso as presas foram consumidas em proporções semelhantes. Com esses dados, podemos corroborar a hipótese de que o uso de diferentes recursos alimentares permite a coexistência entre espécies carnívoras. Adicionalmente, a maior sobreposição de nichos tróficos foi registrada entre L. pardalis e Puma concolor. Um dos fatores influenciáveis para esse resultado foi o consumo de roedores de pequeno porte por ambas as espécies predadoras. Uma explicação provável para esta competição por recursos alimentares é a presença de P. onca, pois, em situação de simpatria com esta última, P. concolor acaba por modificar seus padrões de seleção de presas utilizando as de médio e menor porte, que, similarmente, servem como base alimentar para a dieta das jaguatiricas. Os resultados gerados com este estudo fornecem dados sobre a ecologia das espécies de carnívoros para esta região fragmentada da Amazônia e com isso contribui de uma forma significativa para seu melhor conhecimento, o que pode auxiliar na elaboração de estratégias adequadas para o manejo e conservação dessas espécies em campo.
7

Autotransplante ortotópico de córtex ovariano de gatas domésticas

Gonçalves, Liudimila Passos 17 July 2017 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2017-11-28T19:53:54Z No. of bitstreams: 1 2017_LiudimilaPassosGonçalves.pdf: 1010541 bytes, checksum: 2a11599e92fb4d18d72613c36acd6b49 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-02-01T19:50:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_LiudimilaPassosGonçalves.pdf: 1010541 bytes, checksum: 2a11599e92fb4d18d72613c36acd6b49 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-02-01T19:50:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_LiudimilaPassosGonçalves.pdf: 1010541 bytes, checksum: 2a11599e92fb4d18d72613c36acd6b49 (MD5) Previous issue date: 2018-02-01 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). / Este trabalho objetivou realizar o autotransplante ortotópico de córtex ovariano em gatas domésticas. Foi padronizada a espessura de corte (1 mm) do fragmento cortical e o método de implante ortotópico diretamente sobre a medula remanescente, deixando o lado contralateral apenas com a região medular como controle. Foi observado desenvolvimento folicular em ambos os lados, porém com valores inferiores no lado onde tinha apenas a medula remanescente. Apesar de ter sido constatado que os folículos primordiais se encontram a uma profundidade máxima de 200 µm, mesmo com a retirada de fatias de 1000µm (ou 1 mm) de espessura ainda resta tecido cortical com folículos ovarianos capazes de se desenvolver. Dessa forma, foi realizada uma nova etapa de implante ortotópico diretamente sobre a medula remanescente (acentuando a profundidade do corte após a retirada dos fragmentos) e foi comparado, com os implantes na bolsa peritoneal próxima ao ovário, também considerado ortotópico. Foi encontrado um bom desenvolvimento folicular nos implantes na bolsa peritoneal, muitas vezes superior ao da região medular. Ainda houve desenvolvimento de folículos antrais na região medular remanescente. Como o objetivo a longo prazo da técnica de transplante ortotópico de tecido ovariano em felinos é utilizar a gata doméstica como receptora de implantes de felinos ameaçados de extinção, é indispensável que os folículos em desenvolvimento sejam exclusivamente do transplante. Com este trabalho, pode-se concluir que a retirada de fragmentos de 1 mm de espessura da camada cortical do ovário de gatas é suficiente para recuperar a maioria dos folículos ovarianos pré-antrais, porém não a deixa estéril; o implante dos fragmentos sobre a medula remanescente não nos dá certeza de que os folículos desenvolvidos são do implante; e o implante em bolsa peritoneal (região ortotópica) é capaz de promover condições favoráveis ao bom desenvolvimento folicular em gatas. Sendo assim, o peritônio é sugerido como o melhor local para o implante ortotópico, e pode ser explorado para o xenotransplante em felinos até o momento. / The aim of this study was to perform ortotopic autotransplantation of ovarian cortex in domestic cats. On a pilot study, the thickness of the cortex slices (1mm) and the method of grafting were standardized. Then, five cats were used for the ovarian grafting. The ovarian cortex was completely removed from both ovaries, and cortex slices from one ovary were grafted on the remainder medulla of the contralateral ovary, while the other ovary was kept with only the medullar region as a control. Follicular development was observed on both ovaries, with lower number of follicles on the side with only the remainder medulla than on the side that received the cortex grafts. Primordial follicles were on a 200 µm maximum depth, but removing slices of 1000 µm (1 mm) still left cortex material enough to allow follicular development. This way, a second experiment was performed to compare the orthotopic implant directly on the medullar region with implants on peritoneal pockets (also considered orthotopic). Follicular development was observed on grafts on peritoneal pockets. However, antral follicles development still occurred on the medullar region. Since the main objective of stablishing the technique of orthotopic transplantation of ovarian tissue in cats is to use de domestic cat as the surrogate for wild felines’ ovarian tissue, it is essential that the development of follicles are exclusively from the graft. With this work we concluded that: removing 1 mm thick slices of ovarian cortex is enough to recover most primordial follicles, but not enough to render the queen infertile; grafting the cortex slices on the remainder medullar tissue does not guarantee that developing follicles are from the grafted tissue, and the implant on peritoneal pockets allow good conditions for follicular development in cats. This way, for now, the peritoneum is the best local for the orthotopic transplant of ovarian tissue, and may be a suitable site for the xenotransplantation of wild felines’ ovarian tissue to domestic cats.
8

Hibridação e introgressão entre espécies de felídeos neotropicais (Mammalia, Carnivora)

Trigo, Tatiane Campos January 2008 (has links)
A hibridação entre espécies ou populações pode propiciar uma excelente oportunidade de estudo das relações genéticas, ecológicas e demográficas entre táxons relacionados, e dos processos evolutivos envolvidos na manutenção da distinção entre estes. Neste estudo, procuramos avaliar diferentes aspectos biológicos envolvidos nos processos de hibridação entre três espécies de felídeos Neotropicais: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi e L. colocolo. A investigação genética, realizada por meio da análise combinada de diferentes marcadores moleculares como DNA mitocondrial, locos de microssatélite e segmentos dos cromossomos Y e X nas três espécies, revelou dois padrões diferenciados de hibridação para L. tigrinus vs. L. colocolo no centro e nordeste brasileiro e para L. tigrinus vs. L. geoffroyi no sul do Brasil. A hibridação entre L. tigrinus e L. colocolo foi inferida como um processo antigo, estando atualmente ausente ou restrita à ocorrência de eventos esporádicos na região central brasileira. Por outro lado, a hibridação entre L. tigrinus e L. geoffroyi no sul do país aparece praticamente restrita ao estado do Rio Grande do Sul como uma das mais intensas zonas atuais de hibridação já documentada em carnívoros, com cerca de 60% da população local considerada como de origem híbrida. Uma ampla variedade de tipos recombinantes foi identificada para este último par de espécies, indicando à produção de híbridos férteis aparentemente capazes de cruzar entre si e com ambas as espécies parentais, levando, assim, à homogeneização genética das populações locais das duas espécies. Esta zona híbrida pareceu ainda apresentar uma assimetria na direção de L. geoffroyi, podendo indicar a existência de pressões seletivas que favoreçam o retrocruzamento com esta espécie. Análises morfológicas e ecológicas foram também realizadas em L. tigrinus e L. geoffroyi no estado do Rio Grande do Sul com o objetivo de caracterizar estas espécies em suas áreas de contato. Apesar da intensidade da hibridação, as duas espécies aparentemente mantêm uma diferenciação morfológica no que diz respeito ao tamanho corporal. No entanto, variações nos padrões de pelagem parecem estar associadas, em parte, a origens híbridas. Da mesma maneira, análises de distribuição, associação com habitats e nicho trófico no estado sugerem a existência de uma segregação ecológica entre estes dois felídeos nesta região. / Hybridization between species and populations may provide an excellent opportunity to study genetic, demographic and ecological relationships between closely related taxa, and the evolutionary processes involved in the maintenance of the species distinctness. At the present study, we aim to evaluate the different biological aspects involved on the hybridization processes between three Neotropical felids: Leopardus tigrinus, L. geoffroyi and L. colocolo. Genetic surveys, performed with a combined analysis of different molecular markers such as mitochondrial DNA, microsatellite loci and Y and X chromosomes segments on the three felid species, revealed two different patterns of hybridization between L. tigrinus and L. colocolo at central and northeastern Brazil and between L. tigrinus and L. geoffroyi at southern Brazil. The hybridization between L. tigrinus and L. colocolo was inferred as an ancient event, being, currently, absent or restricted to esporadic events in the central Brazilian region. On the other hand, hybridization between L. tigrinus and L. geoffroyi in southern Brazil seemed to be nearly restricted to Rio Grande do Sul state as one of the most intensive hybridization events documented in carnivores, in which approximately 60% of the local population carry a hybrid origin. A wide variety of recombinant types was identified for this pair of species indicating the production of fertile hybrids apparently able to cross with each other and also with both parental species, leading to the genetic homogenization of the local populations of the two species. This hybrid zone seemed to be also assimetric in L. geoffroyi direction, suggesting the existence of selective pressure that favours backcrossings with this species. Morphological and ecological analyzes was also performed at L. tigrinus and L. geoffroyi from Rio Grande do Sul state aiming to characterize both species in their contact zones. Despite the extensive hybridization, both species apparently keep the morphological differentiation related to body size. However, variations on the patterns of pelage seem to be associated in part to a hybrid origin. The same way, analyses of geographic distributions, habitat association and trophic niche in the state suggest the existence of an ecological segregation between these two felids in this region.
9

Análise comparativa de nichos tróficos de carnívoros (Mammalia, Carnivora) da região de alta floresta, estado do Mato Grosso, Brasil

Tirelli, Flávia Pereira January 2010 (has links)
Estratégias alimentares de espécies de carnívoros simpátricos são moldadas pela competição associada à flexibilidade alimentar. Neste estudo, foram utilizadas amostras fecais para analisar a dieta de carnívoros simpátricos em região altamente fragmentada da Amazônia brasileira. Com esse intuito, foram necessárias identificações confiáveis das espécies predadoras, realizadas através de duas técnicas: seqüenciamento de DNA e microscopia óptica. Estes métodos foram comparados resultando em congruência de 92% nas identificações de predadores. Deste modo, foram identificadas nove espécies de carnívoros (Leopardus pardalis (n=18), Panthera onca (n=16), Puma concolor (n=7), Puma yagouaroundi (n=3), Lontra longicaudis (n=2), Pteronura brasiliensis (n=2), Eira barbara (n=2), Cerdocyon thous (n=30) e Speothos venaticus (n=1)). O estudo alimentar de cinco destas espécies foi apenas descritivo devido ao pequeno número de amostras. As demais quatro espécies apresentaram um número amostral suficiente para a realização das análises estatísticas. O canídeo C. thous foi a espécie de hábitos alimentares mais generalista; além disso, o graxaim-do-mato mostrou-se altamente flexível, alimentando-se também de outras fontes que não predando animais; esta espécie apresentou sementes como itens mais freqüentes, além disso registrou-se consumo de plástico nas amostras fecais. A jaguatirica apresentou a dieta mais generalista dentre as espécies de felinos, contendo itens de pequeno e médio porte; e tendo como presas de maior importância para sua dieta roedores de pequeno porte (<1Kg). A onça-pintada apresentou-se mais especialista em sua dieta que as outras espécies citadas anteriormente, sendo sua principal presa a queixada (Tayassu peccari), resultado encontrado utilizando-se o Índice de Importância Relativa (IIR); de forma geral, sua dieta foi baseada predominantemente em presas de grande porte (>15Kg). Diferentemente, os pumas apresentaram alto consumo de presas de médio porte (1Kg – 15Kg), e além disso as presas foram consumidas em proporções semelhantes. Com esses dados, podemos corroborar a hipótese de que o uso de diferentes recursos alimentares permite a coexistência entre espécies carnívoras. Adicionalmente, a maior sobreposição de nichos tróficos foi registrada entre L. pardalis e Puma concolor. Um dos fatores influenciáveis para esse resultado foi o consumo de roedores de pequeno porte por ambas as espécies predadoras. Uma explicação provável para esta competição por recursos alimentares é a presença de P. onca, pois, em situação de simpatria com esta última, P. concolor acaba por modificar seus padrões de seleção de presas utilizando as de médio e menor porte, que, similarmente, servem como base alimentar para a dieta das jaguatiricas. Os resultados gerados com este estudo fornecem dados sobre a ecologia das espécies de carnívoros para esta região fragmentada da Amazônia e com isso contribui de uma forma significativa para seu melhor conhecimento, o que pode auxiliar na elaboração de estratégias adequadas para o manejo e conservação dessas espécies em campo.
10

Avaliação de genes nucleares como marcadores filogenéticos em duas linhagens recentes de carnívoros neotropicais

Simão, Taiz Leonor Lopes January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000432629-Texto+Completo-0.pdf: 1205132 bytes, checksum: 285a03123ae11a282e2fd8cb75c42095 (MD5) Previous issue date: 2011 / The Neotropical region holds approximately 30% of the current species diversity in the carnivoran families Felidae (subordem Feliformia) and Canidae (subordem Caniformia), which migrated to South America after the closure of the Panamanian Isthmus, ca. 3 million years ago. Due to the recent speciation process that characterizes each of these groups, some aspects of their phylogenetic structure remain controversial, especially those related to the evolutionary relationships among species belonging to two lineages, the genus Leopardus (Felidae) and the genus Lycalopex (Canidae). The objective of the present study was to perform a comparative characterization of the evolutionary history of these genera, using sequences of multiple independent nuclear gene loci and multiple individuals per species to investigate the occurrence of genealogical discordance, as well as to infer a ‘species tree’ for each lineage using the program *BEAST. We observed both intra-specific and interspecific variation for all the surveyed segments. Genealogical discordance was identified among segments, highlighting the complexity of the task of reconstructing the phylogeny of such groups by employing nuclear markers. The estimated genealogies demonstrated that species were often not monophyletic, while there were several cases of inter-specific haplotype sharing. Nevertheless, the species tree reconstructed for Leopardus was highly resolved and supported, indicating that our data set contained sufficient genealogical information to retrieve this phylogeny. However, in the case of Lycalopex, most of the internal nodes received low support, indicating that a larger number of genes will likely be necessary to consistently resolve its phylogenetic structure using this type of approach. Overall, our results have empirically demonstrated the occurrence of genealogical discordance in both lineages, and illustrated the potential of multi-locus analyses to resolve phylogenies underlying recent diversification processes. / A região Neotropical abriga aproximadamente 30% da diversidade de espécies das famílias Felidae (subordem Feliformia) e Canidae (subordem Caniformia) (Eisenberg & Redford 1999), as quais migraram para a América do Sul após a formação do istmo do Panamá, há cerca de 3 milhões de anos. Devido ao recente processo de especiação que caracteriza estes grupos, alguns aspectos de sua estrutura filogenética permanecem controversos, especialmente no que tange às relações evolutivas entre espécies pertencentes a duas linhagens, o gênero Leopardus (Feliformia, Felidae) e o gênero Lycalopex (Caniformia, Canidae). O objetivo do presente estudo é caracterizar de forma comparativa a história evolutiva dos gêneros Leopardus e Lycalopex, empregando seqüências de múltiplos segmentos nucleares e múltiplos indivíduos por espécie, avaliando a eficácia deste tipo abordagem para a resolução de processos recentes de diversificação através do programa *BEAST. Para cada um dos genes analisados, observamos a ocorrência de variação interespecífica e intra-específica em ambas as linhagens. Discrepâncias genealógicas consideráveis foram constatadas entre os segmentos, evidenciando a complexidade da tarefa de reconstruir a filogenia destes grupos com marcadores nucleares. As genealogias estimadas demonstraram que em muitos casos as espécies não se apresentam monofiléticas, o que ocorre em paralelo com o compartilhamento de haplótipos entre espécies. Não obstante, para Leopardus, obtivemos uma species tree com alta resolução. Para Lycalopex, entretanto, a maior parte dos nós internos permaneceu com baixo suporte, indicando que um número maior de genes será provavelmente necessário para que se busque uma resolução consistente da filogenia deste grupo empregando estratégias multi-locus. De forma geral, nossos resultados demonstraram de forma empírica a ocorrência de discordância genealógica em ambas as linhagens, e ilustraram o potencial de análises multi-locus na resolução de filogenias que envolvam processos recentes de diversificação.

Page generated in 0.0498 seconds