• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 50
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 54
  • 54
  • 47
  • 17
  • 15
  • 14
  • 12
  • 11
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A paisagem do Rio Capibaribe como estratégia de marketing para o Setor Imobiliário

de Fátima Costa, Juliana 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T16:25:36Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo174_1.pdf: 8228841 bytes, checksum: f35ac621fce21fc2dce73f933c132002 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco / Este estudo é sobre a paisagem do rio Capibaribe tendo como recorte físico uma fração desta paisagem compreendida entre as quadras que compõem as margens ao longo da Avenida Beira Rio entre os bairros da Torre e da Madalena. O período histórico que abrange este trabalho vai do início da década de 1950 até 2009, tendo como elemento de delimitação os Decretos Leis Nº 2.590/53 e Nº 7.427/63 e as Leis de Uso e Ocupação do Solo Nº 14.511/83 e Nº 16.176/96, embora se considere o processo histórico que ocorreu antes deste período. O foco deste trabalho é a utilização desta fração de paisagem pelo setor imobiliário que tem incorporado os elementos naturais, como também os elementos simbólicos referentes a estas paisagens, nas estratégias de marketing para a venda dos novos empreendimentos de habitações multifamiliares verticalizadas que estão sendo construídos na área estudada. Este estudo tem como base os fundamentos da Nova Geografia Cultural, e como objetivo interpretar a (trans)formação morfológica da paisagem do rio Capibaribe e do seu entorno e os significados das paisagens deste rio nos dias atuais para o setor imobiliário e os moradores da área delimitada que habitam em edificações multifamiliares. Tem-se como pressuposto que estas transformações são decorrentes, tanto das intervenções e regulações urbanas, promovidas pelo setor público, como das habitações multifamiliares verticalizadas, construídas pelo setor imobiliário, e que são viabilizadas de acordo com a demanda dos moradores desta área. Neste contexto, este trabalho visa a contribuir com a reflexão sobre as novas paisagens urbanas contemporâneas, cujas marcas são o resultado do conjunto de valores dos diversos grupos sociais caracterizadas por diferentes crenças, utopias e interesses
2

Significados e conflitos expressos na paisagem cultural do Cabo de Santo Agostinho/PE

Medeiros, Helen Maria Palmeira 30 August 2013 (has links)
Submitted by Chaylane Marques (chaylane.marques@ufpe.br) on 2015-03-05T19:37:17Z No. of bitstreams: 2 Dissertaçao Helen Medeiros.PDF: 9638368 bytes, checksum: 02c74c4d1bcd35057a5669c82b5cd0f0 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-05T19:37:17Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertaçao Helen Medeiros.PDF: 9638368 bytes, checksum: 02c74c4d1bcd35057a5669c82b5cd0f0 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2013-08-30 / CNPQ / Esta dissertação tem como objeto de estudo a paisagem do Cabo de Santo Agostinho (CSA), entendida como “um recorte espacial de um determinado território dotado de uma expressão humana intencional composta de muitas camadas de significados”, tendo como marco teórico a perspectiva da geografia cultural. O CSA é um promontório rochoso do litoral sul de Pernambuco, localizado em município homônimo, integrante da Região Metropolitana do Recife (RMR). A área corresponde ao Sítio Histórico do Cabo de Santo Agostinho e Baía de Suape (SH-CSABS), assim como ao Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti (PMAHC) e tem, em seu entorno, o Complexo Industrial e Portuário de Suape (CIP-SUAPE). A presença desse empreendimento de grande porte nas proximidades do CSA resulta em conflitos de interesses entre os diferentes grupos de atores que atuam nesse território, promovendo modificações nos elementos que compõem a paisagem daquela área, reconhecida pelos especialistas por seus atributos históricos e paisagísticos como bem patrimonial. Diante desse quadro, este estudo propõe interpretar os significados da paisagem do CSA considerando as diferentes maneiras de ver dos atores com ela envolvidos, de forma a identificar os conflitos expressos na modificação dos elementos que a constituem, a fim de dar subsídios à sua conservação como bem patrimonial.
3

Para Além da Fisionomia - Identificação da Paisagem Cultural do Centro do Recife

Melo Filho, Dirceu Rogério Cadena de 01 March 2012 (has links)
Submitted by Daniella Sodre (daniella.sodre@ufpe.br) on 2015-03-10T19:15:07Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) PARA ALÉM DA FISIONOMIA_final5.pdf: 9196778 bytes, checksum: 352802d2da539ce39be86ce81b3c46a9 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-10T19:15:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) PARA ALÉM DA FISIONOMIA_final5.pdf: 9196778 bytes, checksum: 352802d2da539ce39be86ce81b3c46a9 (MD5) Previous issue date: 2012-03-01 / FACEPE / O presente trabalho tem como objetivo a identificação dos elementos e significados que compõem a paisagem cultural do centro do Recife, visando dar subsídios a futuros instrumentos de conservação. A partir do reconhecimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de que os atuais instrumentos de conservação não são capazes de manter determinadas características dos bens, há uma necessidade de utilizar novas categorias para a proteção patrimonial. A paisagem cultural surge como uma alternativa, por associar os aspectos culturais, naturais e imateriais em um único bem. Contudo, apesar do longo percurso acadêmico e das variadas utilizações do termo por parte dos gestores do patrimônio, a categoria ainda carece de uma efetiva operacionalização para as políticas patrimoniais. Em busca de superar essa limitação, o trabalho utilizou os conceitos estabelecidos pela Nova Geografia Cultural, bem como algumas políticas patrimoniais que utilizam o tema, como fundamento para identificar a paisagem do centro do Recife. A escolha pela área central do Recife ocorreu pela constatação de que a fisionomia deste território é marcada por uma forte relação entre elementos naturais e culturais, constituindo uma unidade histórica, política e sentimental com a cidade. Neste contexto, o presente trabalho busca contribuir com as novas categorias do patrimônio, compreendendo que a identificação de uma paisagem cultural enquanto bem patrimonial deve ser pautada para além dos aspetos fisionômicos existentes no território.
4

Os significados das pontes na paisagem do centro da cidade do Recife

Rodrigues da Costa Jorge, Ester January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T16:32:22Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo5490_1.pdf: 7446078 bytes, checksum: f7ca87ac3e215e9d392e84853aa9174a (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / Este estudo objetiva interpretar as relações estabelecidas entre os usuários e as pontes do Centro da Cidade do Recife, nos dias atuais. Para isto fez-se um breve percurso histórico na formação dos primeiros núcleos urbanos visando analisar como as pontes foram se inserindo e se consolidando como elementos de permanência na paisagem do Centro da cidade do Recife e atualmente se constituem, juntamente com o rio Capibaribe os símbolos mais representativos desta paisagem. Como embasamento teórico, partiu-se de conceitos referentes à Morfologia Urbana e a Nova Geografia Cultural. O método morfológico adotado por Lamas serviu de embasamento para a análise das pontes como elementos morfológicos inseridos na paisagem cultural do Centro da cidade. O método abordado por Cosgrove na Nova Geografia Cultural foi utilizado como referência para a interpretação dos significados das pontes para seus usuários, através das práticas sócio-espaciais e os usos estabelecidos nas mesmas
5

Paisagem cultural e a experiência urbana latino-americana Buenos Aires/Rio de Janeiro / Cultural landscape and the latin american urban experience Buenos Aires and Rio de Janeiro

Chiuratto, Agnes Helena 07 April 2015 (has links)
Nosso objetivo é investigar o processo de formação do conceito de Paisagem Cultural e sua aplicabilidade como instrumento de preservação e gestão do patrimônio urbano no contexto de crescimento e transformações das metrópoles latino-americanas. Dada a abrangência do conceito de Paisagem Cultural, o estudo inicia-se com um primeiro esforço de traçar um panorama histórico do surgimento da questão nos núcleos de discussão internacionais e sua incorporação e aplicação pelos órgãos de preservação nacionais. Uma vez esclarecido o processo de formação histórico e conceitual, analisamos o panorama geral das 88 Paisagens Culturais que figuram hoje na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO na tentativa de entender, através das características do conjunto, quais os critérios levados em consideração, na prática, para conceder o título aos sítios que representam esta categoria de patrimônio. Com o panorama geral em mente, partimos do estudo do global para o específico local, examinando dois documentos muito relevantes para o amadurecimento da discussão das Paisagens Culturais no contexto urbano latino-americano: o dossiê de candidatura à Paisagem Cultural de Buenos Aires e do Rio de Janeiro. Com essa análise comparativa de dois sítios urbanos, buscamos entender quais as características usadas como justificativa para reivindicar o título nesta categoria, como as duas cidades lidaram com a questão da preservação do patrimônio urbano e quais os possíveis motivos para a recusa ou concessão do reconhecimento dado pelo órgão internacional em ambos os casos. Assim, pudemos esclarecer, ao final da pesquisa, os potenciais e limitações apresentados por essa (não tão) nova categoria de preservação que se propõe, desde o início, a fornecer uma visão mais ampla e integrada de preservação dos sítios históricos em grande escala na tentativa de elencar as principais contribuições que essa categoria do Patrimônio Mundial poderia adicionar às discussões da preservação de áreas urbanas complexas e dinâmicas. / Our goal is to investigate the process of formation of the concept of Cultural Landscape and its applicability as a preservation tool and management of urban heritage in the context of growth and transformation of Latin American cities. Given the scope of the concept of cultural landscape, the study begins with a first effort to trace a historical overview of the emergence of the issue in international discussion of nuclei and their development and application by national organ preservation. Once clarified the process of historical and conceptual training, we analyze the overall picture of the 88 Cultural Landscapes appearing today in the World Heritage list in an attempt to understand, through the set of features, which the criteria taken into account in practice to grant the title to the sites pleiteam international recognition of this category of assets. With the big picture in mind, we start from the overall study for the site specific, examining two very relevant documents to the maturation of the discussion of Cultural Landscapes in the Latin American urban context: the application package to the Cultural Landscape of Buenos Aires and Rio de Janeiro. With this comparative analysis of two urban sites, we seek to understand what features used as justification for a title in this category, as the two cities have dealt with the issue of preservation of urban heritage and what the possible reasons for the denial or grant of recognition given by international organization in both cases. Thus, we could clarify, at the end of the research, the potential and limitations presented by this (not so) new category of preservation that is proposed from the outset, to provide a broader and more integrated view of preservation of historical sites on a large scale in attempt to list the main contributions that the World Heritage category could add to the discussions of preservation of complex and dynamic urban areas.
6

Paisagem cultural do Rio de Janeiro: o patrimônio na valorização, gestão e ordenamento do território / Rio de Janeiros Cultural landscape: the heritage in valuation, management and territory planning

Melo, Kelly Cristina de 13 May 2016 (has links)
Na geografia, a paisagem é analisada como produto de interações entre elementos naturais e sociais que, por ocuparem um determinado espaço, pode ser cartografada em diferentes escalas e classificada de acordo com um método ou elementos que a compõem. A abordagem da paisagem adjetivada de cultural foi evidenciada no final do século XX sob diversas concepções teórico-metodológicas, ultrapassando o campo disciplinar da geografia, abrangendo as artes, a arqueologia, a ecologia, o paisagismo e o urbanismo. Neste contexto, podem ser apresentados múltiplos olhares e por vezes redundâncias em suas definições e dificuldades na consolidação de um método de análise mais amplo e assertivo que ultrapasse o simples reconhecimento de um sítio como cultural ou natural, mas que ofereça instrumentos para sua gestão e valorização. O trabalho aqui apresentado tem como objetivo discutir o conceito de paisagem cultural e sua utilização como uma categoria de preservação patrimonial. Para tanto, traz uma análise da Paisagem Cultural do Rio de Janeiro, uma vez que um setor da cidade fluminense foi assim declarado pela UNESCO em 2012. É apresentado também um panorama das discussões mais recentes sobre estas paisagens como patrimônio e num aspecto mais amplo como espaços adequados à gestão e ao ordenamento territorial. O patrimônio abordado como herança e permanência, como lócus de identificação individual e coletivo e por isso, instituído de valor àqueles que na paisagem produzem seus espaços de vida e convivência. A paisagem cultural passa a ser reconhecida como categoria de preservação patrimonial por meio de uma avaliação institucional, a partir de 1992, pela UNESCO, entretanto, muito pode ser questionado em relação aos critérios utilizados e, ao observar quais são e onde estão estas paisagens constata-se certa disparidade em termos de representatividade e consideração de elementos reconhecidos localmente como herança e identidade da coletividade ou determinado grupo social. Entre 1993 e 2015 a lista da UNESCO totalizou 95 paisagens culturais em todo o mundo. No Brasil, em 2009 foi publicada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) a Portaria nº 127, estabelecendo a Chancela da Paisagem Cultural, instrumento que busca definir setores do território brasileiro que assim possam ser considerados, implicando em reconhecimento e gestão compartilhada. Diante dos resultados alcançados pela pesquisa, entende-se que a aplicação do conceito a partir do reconhecimento da sua complexidade pode funcionar como instrumento fundamental para o planejamento, a gestão e o ordenamento do território, além da simples manutenção de um símbolo construído desvinculado de seu contexto identitário e social. A pesquisa foi desenvolvida com base em levantamentos bibliográficos, análises de cartas patrimoniais, resoluções e recomendações nacionais e internacionais, sob uma abordagem descritiva e analítica, visando identificar a evolução da discussão da paisagem e como esta passou a ser uma categoria de preservação patrimonial. A paisagem ultrapassa o mero papel de categoria de preservação, permite a percepção da grandeza dos territórios em sua unidade e pluralidade, sua valorização e adequada gestão podem tornar-se importantes ferramentas na formação de seres contemporâneos, atuantes e participativos, inseridos no presente e aptos a construir um futuro muito além de um projeto congelado de símbolos destituídos de significados. / In geography, the landscape is analyzed as the product of interactions between natural and social elements that, by occupying a given space, can be charted in to different scales and classified according to a method or elements that compose it. The approach of the landscape qualified as cultural was evidenced in the late twentieth century under various theoretical-methodological conceptions, overcoming the disciplinary field of geography, covering the arts, archaeology, ecology, landscaping and urbanism. In this context, many multiple viewings could be presented and sometimes redundancies in their definitions and difficulties in the consolidation of a broader and more assertive analysis method which goes beyond the simple recognition of a site as cultural or natural, but that offers tools for their management and valuation. The work presented here aims to discuss the concept of cultural landscape and its use as a category of heritage preservation. Therefore, it brings an analysis on the Cultural Landscape of Rio de Janeiro, once a sector of the Rio de Janeiro city was so declared by United Nations Educational Scientific and Cultural Organization (UNESCO) in 2012. It also presents an overview of the most recent discussions about these landscapes as heritage and, in a broader aspect, as spaces adequate to the management and to the territorial planning. The assets approached as heritage and permanence addressed as locus of individual and collective identification and therefore, instituted value to those in the landscape who make in their living spaces and coexistence. The cultural landscape comes to be a category of heritage preservation through an institutional assessment, from 1992, by UNESCO. However, much can be questioned in relation to the criteria used and, by observing what and where are those landscapes certain disparity is noted in terms of representativeness and consideration of elements locally recognized as heritage and identity of the collective or a determined social group. Between 1993 and 2015 the UNESCO list totaled 95 cultural landscapes worldwide. In Brazil, in 2009 was published by National Institute of Historic and Artistic Heritage of Brazil (IPHAN) the Ordinance No. 127, establishing the Cultural Landscape Chancelade, an instrument that seeks to define sectors of Brazilian territory that they may be considered, implying recognition and shared management. On the results achieved by research, it is understandable that the concept of the application from the recognition of their complexity can work as a key tool for planning, management and territory planning, beyond simply maintaining a constructed symbol disconnected from their identity and social context. The research was developed based on literature surveys, analysis of heritage letters, national and international resolutions and recommendations, under a descriptive and analytical approach, aiming to identify the evolution of the landscape discussion and how this has become a category of heritage preservation. The landscape goes beyond the mere role of a category of preservation, allows the perception of greatness of the territories in its unity and plurality. Its valuation and appropriate management can become important tools in the formation of contemporary beings, active and participative, inserted in the present and apt to build a future far beyond a frozen project of symbols devoid of meaning.
7

O centro histórico de são leopoldo e a paisagem cultural: Reflexões sobre um conceito de preservação aplicado a uma cidade de porte médio

Silva, Leonardo Alberto Corá 16 March 2016 (has links)
Submitted by JOSIANE SANTOS DE OLIVEIRA (josianeso) on 2017-07-10T16:14:01Z No. of bitstreams: 1 Leonardo Alberto Corá Silva_.pdf: 4726951 bytes, checksum: 692c4e0cddef2808376fb2b217812793 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-07-10T16:14:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Leonardo Alberto Corá Silva_.pdf: 4726951 bytes, checksum: 692c4e0cddef2808376fb2b217812793 (MD5) Previous issue date: 2016-03-16 / Nenhuma / A paisagem cultural e o planejamento urbano das cidades de porte médio são dois temas que se entrelaçam nesta dissertação. Ao estudar o centro histórico da cidade de São Leopoldo, com o auxílio da metodologia proposta pelo Instituto Andaluz do Patrimônio Histórico (IAPH), buscou-se contribuir com os instrumentos de planejamento disponíveis à sociedade na gestão do espaço urbano, com fins de garantir não só a preservação, mas a vitalidade. Atualmente, a paisagem cultural é objeto de estudo de diversos pesquisadores ligados ao patrimônio cultural. Sua identificação no espaço urbano tem na cidade espanhola de Sevilha um exemplo prático de aplicação do conceito. Em Sevilha, o IAPH propôs a formulação de um guia da Paisagem Cultural dividido em dois volumes: identificação e planejamento. Esta dissertação está dividida em quatro capítulos: no primeiro, apresentou-se as justificativas que nos levaram a escolher a cidade de São Leopoldo como objeto de estudo e quais foram objetivos nesta pesquisa. No segundo, estudou-se a formação do conceito de Paisagem Cultural e como os institutos de preservação no Brasil articularam a sua atuação para proteção do patrimônio cultural. No terceiro capítulo estudou-se a metodologia de trabalho do IAPH. No quarto e último capítulo refletimos se, no caso da cidade de São Leopoldo, um guia da Paisagem Cultural seria um instrumento adequado, e de que forma o modelo proposto pelo IAPH poderia ser adaptado para a realidade de uma cidade de porte médio. Para isso, traçou-se um paralelo entre o volume de identificação do guia de Sevilha e a bibliografia disponível sobre temáticas similares em São Leopoldo. / The cultural landscape and the urban planning of the mid-size cities are the two themes that interweave in this master thesis. When we study the São Leopoldo’s historic center, with the assist of the methodology proposed by the Andalusian Historical Heritage Institute (IAPH), we intend to contribute with the urban planning instruments available to the society, in the gestion of the urban space, with the intentions to guarantee not just the preservation, but with the vitality of then. Currently, the cultural landscape is the object of the study of many researchers related to the cultural heritage, and the identification in the urban space has in the city of Sevilha a practical example of application of the concept. In Sevilha, the IAPH come up with a formulation of one guide of the landscape, divide in two volumes: identification and planning. This master thesis was divided in four chapters, In the first chapter we introduce the justifications that lead us to choose the city of São Leopoldo as the object of study. In the second chapter, we studied the formation of the concept of cultural landscape, and how the preservation’s institutes of Brazil articulate their operation. In the third chapter, we studied the IAPH’s workflow. In the fourth and last chapter we studied if to the case of São Leopoldo, a landscape’s guide is a proper toll, and what ways the model proposed by the IAPH could be adapted to the reality of a mid-size city. To do this, we establish a parallel in between the IAPH’s identification volume and the available bibliography of similar themes in São Leopoldo.
8

Fim da linha? Vilas ferroviárias da Companhia Paulista (1868-1961): uma investigação sobre história e preservação / End of the line? Railway worker villages of Companhia Paulista (1868-1961): a research about history and preservation

Inoue, Luciana Massami 21 February 2017 (has links)
O propósito desta pesquisa foi estudar a história social das vilas ferroviárias da Companhia Paulista e contribuir para a discussão sobre a preservação das mesmas. Dentre as diversas companhias ferroviárias espalhadas pelo estado de São Paulo, elegeu-se a Companhia Paulista, a primeira formada com capital nacional e com grande penetração geográfica, política, econômica e social. E dentre as suas vilas, foram escolhidas somente seis como estudo de caso - Itirapina, Brotas, Dois Córregos, Jaú, São Carlos e Rincão - ainda não analisadas, e que apresentavam um número considerável de casas e se localizavam geograficamente próximas, no \"coração\" do estado de São Paulo. O recorte temporal é o da própria Companhia que inicia-se em 1868, e termina em 1961, como empresa privada. Como métodos empregados a pesquisa utilizou- se de fontes primárias - especialmente os Relatórios da Companhia Paulista - e como fontes secundárias, houve duas vertentes que se procurou conjugar: uma referente às vilas ferroviárias, a Companhia Paulista e seus trabalhadores e, outra vertente referente às questões de preservação. Foram de fundamental importância as visitas de campo às respectivas cidades, na verificação do estado de conservação, sua morfologia urbana e a aplicabilidade de propostas pensadas para sua preservação. Igualmente importantes foram às visitas técnicas realizadas para analisar e comparar o encaminhamento dado ao patrimônio industrial ferroviário e urbano nos diferentes países. As vilas ferroviárias tomadas de maneira isolada parecem ser insignificantes, contudo, ao estudar a história social da Companhia Paulista e principalmente a de seus trabalhadores, as vilas passam a adquirir outro significado. Desse modo, o valor das vilas ferroviárias é melhor entendido com a apreciação dos processos históricos mais amplos. Um dos caminhos possíveis encontrados para a re-significação encontra apoio no conceito de paisagem cultural, assim como no conceito de áreas de conservação ou conservação integrada. Os conceitos se complementam e ambos auxiliam a gestão do patrimônio. E a partir do conceito de áreas de conservação, encontra-se a leitura morfotipológica. Ao invés de uma leitura estilística das vilas ferroviárias, optou-se por fazer tal leitura, mais ligada ao tecido urbano, aliada é claro, à investigação da história social destes espaços, que acreditamos que dá sustentação e significação para uma política de preservação, na busca de encontrar o caráter do lugar, e ao mesmo tempo conectar o passado à dimensão contemporânea que devem ter as políticas de preservação. Espera-se assim ter cumprido com os objetivos, de valorizar novamente as vilas ferroviárias e o mundo do trabalho dentro da história e das políticas de preservação. / The aim of this research was to study the social history of the railway worker villages of the \"Companhia Paulista\" and to contribute to the discussion about their preservation. Among many railway companies spread in the São Paulo state, the \"Companhia Paulista\" was chosen because it was the first company to be founded with national capital and due to its geographical, political, economic and social influence. Among its villages, only six of them were chosen as cases of study - \"Itirapina\", \"Brotas\", \"Dois Córregos\", \"Jaú\", \"São Carlos\" e \"Rincão\" - villages not yet analysed, which showed a considerable number of houses and were located geographically close to each other, \"in the heart of\" São Paulo state. The time frame of the research was given by the company life time itself, with start in 1868 and end in 1961 as a private enterprise. The methods employed were the investigation of primary sources - especially the \"Companhia Paulista\" annual reports - and secondary sources, which were divided into two parts that we sought to combine: one refers to railway worker villages, the \"Companhia\" and its workers, and the other one refers to the preservation issues. The field visits to the aforementioned cities were important for the verification of their conservation status, their urban morphology as well as for the analysis of the applicability of the proposals to their preservation. The technical visits made were similarly important to analyse and compare the solution given to the industrial railway and urban heritage in different countries. Taken into an isolated view, the railway villages seem insignificant, however, as we study the accompanying social history of the \"Companhia Paulista\" and mainly of its workers, the villages acquire a whole new meaning. Thus in this way, the value of the railway worker villages is better understood with the analysis of broader historical processes. One of the possible ways found to the \"re-meaning\" is supported by the cultural landscape concept as well as the concept of conservation areas or integrated conservation. The concepts complement one another and both help in the heritage management. From the concept of conservation areas, the morphotypological analysis emerges. Instead of a stylistic analysis of the railway worker villages, we preferred the present type of analysis, more related to the \"urban fabric\" and connected to the investigation of the social history of these places, which we believe sustain and give meaning to the preservation policies, in the search of the \"character of the place\", while at the same time trying to connect the past to the contemporary dimension, which should have the preservation policies. We hope that with this research we have accomplished the following purposes: once again give value to the railway worker villages and the associated world of labour inside history and inside the preservation policies.
9

Paisagem cultural e a experiência urbana latino-americana Buenos Aires/Rio de Janeiro / Cultural landscape and the latin american urban experience Buenos Aires and Rio de Janeiro

Agnes Helena Chiuratto 07 April 2015 (has links)
Nosso objetivo é investigar o processo de formação do conceito de Paisagem Cultural e sua aplicabilidade como instrumento de preservação e gestão do patrimônio urbano no contexto de crescimento e transformações das metrópoles latino-americanas. Dada a abrangência do conceito de Paisagem Cultural, o estudo inicia-se com um primeiro esforço de traçar um panorama histórico do surgimento da questão nos núcleos de discussão internacionais e sua incorporação e aplicação pelos órgãos de preservação nacionais. Uma vez esclarecido o processo de formação histórico e conceitual, analisamos o panorama geral das 88 Paisagens Culturais que figuram hoje na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO na tentativa de entender, através das características do conjunto, quais os critérios levados em consideração, na prática, para conceder o título aos sítios que representam esta categoria de patrimônio. Com o panorama geral em mente, partimos do estudo do global para o específico local, examinando dois documentos muito relevantes para o amadurecimento da discussão das Paisagens Culturais no contexto urbano latino-americano: o dossiê de candidatura à Paisagem Cultural de Buenos Aires e do Rio de Janeiro. Com essa análise comparativa de dois sítios urbanos, buscamos entender quais as características usadas como justificativa para reivindicar o título nesta categoria, como as duas cidades lidaram com a questão da preservação do patrimônio urbano e quais os possíveis motivos para a recusa ou concessão do reconhecimento dado pelo órgão internacional em ambos os casos. Assim, pudemos esclarecer, ao final da pesquisa, os potenciais e limitações apresentados por essa (não tão) nova categoria de preservação que se propõe, desde o início, a fornecer uma visão mais ampla e integrada de preservação dos sítios históricos em grande escala na tentativa de elencar as principais contribuições que essa categoria do Patrimônio Mundial poderia adicionar às discussões da preservação de áreas urbanas complexas e dinâmicas. / Our goal is to investigate the process of formation of the concept of Cultural Landscape and its applicability as a preservation tool and management of urban heritage in the context of growth and transformation of Latin American cities. Given the scope of the concept of cultural landscape, the study begins with a first effort to trace a historical overview of the emergence of the issue in international discussion of nuclei and their development and application by national organ preservation. Once clarified the process of historical and conceptual training, we analyze the overall picture of the 88 Cultural Landscapes appearing today in the World Heritage list in an attempt to understand, through the set of features, which the criteria taken into account in practice to grant the title to the sites pleiteam international recognition of this category of assets. With the big picture in mind, we start from the overall study for the site specific, examining two very relevant documents to the maturation of the discussion of Cultural Landscapes in the Latin American urban context: the application package to the Cultural Landscape of Buenos Aires and Rio de Janeiro. With this comparative analysis of two urban sites, we seek to understand what features used as justification for a title in this category, as the two cities have dealt with the issue of preservation of urban heritage and what the possible reasons for the denial or grant of recognition given by international organization in both cases. Thus, we could clarify, at the end of the research, the potential and limitations presented by this (not so) new category of preservation that is proposed from the outset, to provide a broader and more integrated view of preservation of historical sites on a large scale in attempt to list the main contributions that the World Heritage category could add to the discussions of preservation of complex and dynamic urban areas.
10

Estudo das manifestações sócio-culturais no Município de Abaiara – Ceará

Oliveira, Daniel Gadelha de January 2010 (has links)
OLIVEIRA, Daniel Gadelha de. Estudo das manifestações sócio-culturais no Município de Abaiara – Ceará. 2010. 77 f. Dissertação (mestrado em desenvolvimento e meio ambiente)- Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2010. / Submitted by Elineudson Ribeiro (elineudsonr@gmail.com) on 2016-04-01T19:08:31Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_dgoliveira.pdf: 16059263 bytes, checksum: a9edca0583c1446c46e918c8356e86c3 (MD5) / Approved for entry into archive by José Jairo Viana de Sousa (jairo@ufc.br) on 2016-05-19T22:35:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_dgoliveira.pdf: 16059263 bytes, checksum: a9edca0583c1446c46e918c8356e86c3 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-19T22:35:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_dgoliveira.pdf: 16059263 bytes, checksum: a9edca0583c1446c46e918c8356e86c3 (MD5) Previous issue date: 2010 / Foi com o intuito de resgatar, no município de Abaiara, as manifestações culturais que persistem ao longo do tempo, que se apresenta esta pesquisa. A escolha deste município se deu em decorrência do desenvolvimento de um estudo mais amplo, intitulado Estudo Geo-histórico do Município de Abaiara, no qual a cultura é um dos seus vieses. A paisagem cultural, como campo de investigação, é uma possibilidade que a Geografia tem para trabalhar esta linha de pesquisa através do estudo do espaço vivenciado pelas relações estabelecidas dos grupos que desenvolvem as atividades culturais. Assim, resgatamos a história desses grupos, suas identidades com as manifestações que cultuam e o papel de manter os rituais através das gerações futuras. Nessa perspectiva, para o desenvolvimento deste trabalho foram realizadas entrevistas junto aos representantes de grupos de manifestações culturais de Abaiara/CE, levantando informações sobre a história do grupo, do festejo, rituais, ocorrência, perpetuação e identidade com tais atividades e a realidade posta dessas manifestações culturais no município estudado. Constatamos que os grupos de manifestações culturais permanecem como forma de resistência social, na qual seus membros conservam além das ligações familiares, a história étnica e social, suas origens, apesar de ao longo dos anos informações terem sido perdidas. O legado oral dessas manifestações é prova de como esses grupos se identificam e cultuam os rituais que procuram manterem vivos e que se tornaram importantes no contexto social local. Cada grupo tem orgulho de ser designatário cultural, ser apreciado quando das manifestações e reconhecido na sociedade como importante em sua história. / Fue con el objetivo de rescatar, del municipio de Abaiara, las manifestaciones culturales que persisten a lo largo del tiempo, que es presentada esta investigación. La elección de este municipio se dio como consecuencia al desarrollo de un estudio más amplio, titulado Estudio Geo ‐ histórico del Municipio de Abaiara, en el cual la cultura es uno de sus (atributos ‐ cualidad) más importantes. El paisaje cultural, como campo de investigación es una posibilidad que la geografía tiene para trabajar esta línea de investigación a través del estudio relaciones establecidas de los de espacios vividenciados por las grupos que desarrollan las actividades culturales. Así, rescatamos la historia de esos grupos, sus identidades en las manifestaciones de sus cultos y el papel de mantener los rituales a travez de las generaciones futuras. En esa perspectiva, para el desarrollo de este trabajo fueron realizadas entrevistas junto a los representantes del grupo de manifestaciones culturales de Abaiara/CE, obteniendo información sobre la historia de los grupos, los festejo, rituales, ocurrencia, perturbación e identidad de sus actividades y la realidad puesta en las representaciones culturales del municipio estudiado. Constatamos que los grupos de manifestaciones culturales permanecen como forma de resistencia social, en el cual sus miembros conservan además de sus ligaciones familiares, la historia etnica, social y sus orígenes a pesar de que a lo largo de los años sus informaciones hallan sido perdidas. El legado oral de esas manifestaciones es prueba de que ese grupo se identifica y cultam los rituales que buscan mantener vivos y que se tornaron importantes en el contexto social. Cada grupo tiene orgullo de ser símbolo característico cultural, siendo apreciado cuando las manifestaciones son reconocidas en la sociedad como importante en su historia.

Page generated in 0.0625 seconds