• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1357
  • 4
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1362
  • 1362
  • 454
  • 442
  • 369
  • 340
  • 330
  • 205
  • 180
  • 171
  • 152
  • 134
  • 122
  • 121
  • 118
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Tentativas de suicÃdio e suicÃdios em profissionais de seguranÃa pÃblica do Estado do CearÃ: magnitude, perfil e fatores associados / Suicide attempts and suicides in public safety professionals: magnitude, profile and associated factors, 2000 to 2014

Jose Edir Paixao de Sousa 26 August 2016 (has links)
nÃo hà / O objetivo deste trabalho foi caracterizar a magnitude, perfil e os potenciais fatores associados a suicÃdios e tentativas de suicÃdio, praticados por profissionais de seguranÃa pÃblica do Estado do CearÃ. O mÃtodo de pesquisa foi identificar os casos de suicÃdios desses profissionais ocorridos do Estado do Cearà no perÃodo de 2000 a 2014 (quinze anos) e elaborar uma sÃrie histÃrica, calcular as taxas de suicÃdio, os anos potenciais de vida perdidos e descrever a distribuiÃÃo de frequÃncia. Para as tentativas de suicÃdio, o perÃodo foi de 2010 a 2014 (cinco anos), alÃm do levantamento de tentativas desses profissionais em uma sÃrie de casos, houve a descriÃÃo de distribuiÃÃo de frequÃncia, os cÃlculos de taxas de tentativas e associaÃÃes estatÃsticas para mÃltiplos casos e casos consumados (suicÃdios). Os resultados da pesquisa indicaram n=57 suicÃdios no perÃodo estudado, uma taxa de suicÃdios nos profissionais de seguranÃa pÃblica (por 100mil), padronizada por sexo masculino e faixa etÃria adulta de 23,9 enquanto a taxa padronizada da populaÃÃo cearense, tambÃm para o sexo masculino e adultos foi de 14,4, diferenÃa estatisticamente significativa, p = 0,03. Para as taxas gerais (nÃo padronizadas), o risco relativo de suicÃdio mÃdio do perÃodo foi RR= 4,2 vezes maior para os profissionais de seguranÃa pÃblica frente à populaÃÃo do Estado do CearÃ. Em relaÃÃo à taxa padronizada de suicÃdios o RR = 1,7. O perfil de suicidas da SeguranÃa PÃblica foi: casados 35 (61,4%), meia idade 36 (63,2%), homens 56 (98,2%), baixa escolaridade 36 (63,2%), baixa renda 43 (75,4%), policial militar 50 (87,7%), baixa patente 43 (75,4%), serviÃo operacional 37 (64,8%), arma de fogo como instrumento de suicÃdio 42 (73,7%). Para tentativas de suicÃdio houve n=173 tentativas praticadas por 107 profissionais. Isso porque alguns profissionais tentaram suicÃdio mais de uma vez no perÃodo. A associaÃÃo para mÃltiplas tentativas apresentou variÃveis significativas: transtorno de personalidade p = 0,01 RR = 2,7, internado em hospital psiquiÃtrico p=0,01 RR 1,8, adicÃÃo p=0,02 RR 2,0 e depressÃo p=0,00 RR=4,3. A associaÃÃo para suicÃdio consumado mostrou significativas: idoso p=0,00 RR 6,5, baixa renda p=0,03 RR=2,5, reserva/aposentadoria p=0,00 RR =6,1, arma de fogo p=0,00 RR 3,9. No entanto, o ensino superior mostrou ser fator protetivo p=0,01 RR = 0,13. Conclui-se que os profissionais de seguranÃa pÃblica formaram um grupo vulnerÃvel para o suicÃdio no perÃodo estudado, que essa vulnerabilidade afeta a saÃde pÃblica e a seguranÃa pÃblica, que os fatores de risco para o suicÃdio sÃo semelhantes aos da populaÃÃo mundial, exceÃÃo ao estado civil, ao uso de arma de fogo e à idade. Sugeriu-se que aÃÃes de prevenÃÃo aos casos de suicÃdio devem ser executadas tais como palestras sobre o tema, fortalecimento dos setores de saÃde da seguranÃa pÃblica, monitoramento dos suicÃdios e das tentativas com notificaÃÃo urgente e interligada aos setores de vigilÃncia em saÃde do estado e da federaÃÃo. / O objetivo deste trabalho foi caracterizar a magnitude, perfil e os potenciais fatores associados a suicÃdios e tentativas de suicÃdio, praticados por profissionais de seguranÃa pÃblica do Estado do CearÃ. O mÃtodo de pesquisa foi identificar os casos de suicÃdios desses profissionais ocorridos do Estado do Cearà no perÃodo de 2000 a 2014 (quinze anos) e elaborar uma sÃrie histÃrica, calcular as taxas de suicÃdio, os anos potenciais de vida perdidos e descrever a distribuiÃÃo de frequÃncia. Para as tentativas de suicÃdio, o perÃodo foi de 2010 a 2014 (cinco anos), alÃm do levantamento de tentativas desses profissionais em uma sÃrie de casos, houve a descriÃÃo de distribuiÃÃo de frequÃncia, os cÃlculos de taxas de tentativas e associaÃÃes estatÃsticas para mÃltiplos casos e casos consumados (suicÃdios). Os resultados da pesquisa indicaram n=57 suicÃdios no perÃodo estudado, uma taxa de suicÃdios nos profissionais de seguranÃa pÃblica (por 100mil), padronizada por sexo masculino e faixa etÃria adulta de 23,9 enquanto a taxa padronizada da populaÃÃo cearense, tambÃm para o sexo masculino e adultos foi de 14,4, diferenÃa estatisticamente significativa, p = 0,03. Para as taxas gerais (nÃo padronizadas), o risco relativo de suicÃdio mÃdio do perÃodo foi RR= 4,2 vezes maior para os profissionais de seguranÃa pÃblica frente à populaÃÃo do Estado do CearÃ. Em relaÃÃo à taxa padronizada de suicÃdios o RR = 1,7. O perfil de suicidas da SeguranÃa PÃblica foi: casados 35 (61,4%), meia idade 36 (63,2%), homens 56 (98,2%), baixa escolaridade 36 (63,2%), baixa renda 43 (75,4%), policial militar 50 (87,7%), baixa patente 43 (75,4%), serviÃo operacional 37 (64,8%), arma de fogo como instrumento de suicÃdio 42 (73,7%). Para tentativas de suicÃdio houve n=173 tentativas praticadas por 107 profissionais. Isso porque alguns profissionais tentaram suicÃdio mais de uma vez no perÃodo. A associaÃÃo para mÃltiplas tentativas apresentou variÃveis significativas: transtorno de personalidade p = 0,01 RR = 2,7, internado em hospital psiquiÃtrico p=0,01 RR 1,8, adicÃÃo p=0,02 RR 2,0 e depressÃo p=0,00 RR=4,3. A associaÃÃo para suicÃdio consumado mostrou significativas: idoso p=0,00 RR 6,5, baixa renda p=0,03 RR=2,5, reserva/aposentadoria p=0,00 RR =6,1, arma de fogo p=0,00 RR 3,9. No entanto, o ensino superior mostrou ser fator protetivo p=0,01 RR = 0,13. Conclui-se que os profissionais de seguranÃa pÃblica formaram um grupo vulnerÃvel para o suicÃdio no perÃodo estudado, que essa vulnerabilidade afeta a saÃde pÃblica e a seguranÃa pÃblica, que os fatores de risco para o suicÃdio sÃo semelhantes aos da populaÃÃo mundial, exceÃÃo ao estado civil, ao uso de arma de fogo e à idade. Sugeriu-se que aÃÃes de prevenÃÃo aos casos de suicÃdio devem ser executadas tais como palestras sobre o tema, fortalecimento dos setores de saÃde da seguranÃa pÃblica, monitoramento dos suicÃdios e das tentativas com notificaÃÃo urgente e interligada aos setores de vigilÃncia em saÃde do estado e da federaÃÃo. / O objetivo deste trabalho foi caracterizar a magnitude, perfil e os potenciais fatores associados a suicÃdios e tentativas de suicÃdio, praticados por profissionais de seguranÃa pÃblica do Estado do CearÃ. O mÃtodo de pesquisa foi identificar os casos de suicÃdios desses profissionais ocorridos do Estado do Cearà no perÃodo de 2000 a 2014 (quinze anos) e elaborar uma sÃrie histÃrica, calcular as taxas de suicÃdio, os anos potenciais de vida perdidos e descrever a distribuiÃÃo de frequÃncia. Para as tentativas de suicÃdio, o perÃodo foi de 2010 a 2014 (cinco anos), alÃm do levantamento de tentativas desses profissionais em uma sÃrie de casos, houve a descriÃÃo de distribuiÃÃo de frequÃncia, os cÃlculos de taxas de tentativas e associaÃÃes estatÃsticas para mÃltiplos casos e casos consumados (suicÃdios). Os resultados da pesquisa indicaram n=57 suicÃdios no perÃodo estudado, uma taxa de suicÃdios nos profissionais de seguranÃa pÃblica (por 100mil), padronizada por sexo masculino e faixa etÃria adulta de 23,9 enquanto a taxa padronizada da populaÃÃo cearense, tambÃm para o sexo masculino e adultos foi de 14,4, diferenÃa estatisticamente significativa, p = 0,03. Para as taxas gerais (nÃo padronizadas), o risco relativo de suicÃdio mÃdio do perÃodo foi RR= 4,2 vezes maior para os profissionais de seguranÃa pÃblica frente à populaÃÃo do Estado do CearÃ. Em relaÃÃo à taxa padronizada de suicÃdios o RR = 1,7. O perfil de suicidas da SeguranÃa PÃblica foi: casados 35 (61,4%), meia idade 36 (63,2%), homens 56 (98,2%), baixa escolaridade 36 (63,2%), baixa renda 43 (75,4%), policial militar 50 (87,7%), baixa patente 43 (75,4%), serviÃo operacional 37 (64,8%), arma de fogo como instrumento de suicÃdio 42 (73,7%). Para tentativas de suicÃdio houve n=173 tentativas praticadas por 107 profissionais. Isso porque alguns profissionais tentaram suicÃdio mais de uma vez no perÃodo. A associaÃÃo para mÃltiplas tentativas apresentou variÃveis significativas: transtorno de personalidade p = 0,01 RR = 2,7, internado em hospital psiquiÃtrico p=0,01 RR 1,8, adicÃÃo p=0,02 RR 2,0 e depressÃo p=0,00 RR=4,3. A associaÃÃo para suicÃdio consumado mostrou significativas: idoso p=0,00 RR 6,5, baixa renda p=0,03 RR=2,5, reserva/aposentadoria p=0,00 RR =6,1, arma de fogo p=0,00 RR 3,9. No entanto, o ensino superior mostrou ser fator protetivo p=0,01 RR = 0,13. Conclui-se que os profissionais de seguranÃa pÃblica formaram um grupo vulnerÃvel para o suicÃdio no perÃodo estudado, que essa vulnerabilidade afeta a saÃde pÃblica e a seguranÃa pÃblica, que os fatores de risco para o suicÃdio sÃo semelhantes aos da populaÃÃo mundial, exceÃÃo ao estado civil, ao uso de arma de fogo e à idade. Sugeriu-se que aÃÃes de prevenÃÃo aos casos de suicÃdio devem ser executadas tais como palestras sobre o tema, fortalecimento dos setores de saÃde da seguranÃa pÃblica, monitoramento dos suicÃdios e das tentativas com notificaÃÃo urgente e interligada aos setores de vigilÃncia em saÃde do estado e da federaÃÃo.
2

Epidemiological patterns and space distribution of dengue in the state of CearÃ, 2001 to 2012 / PadrÃes epidemiolÃgicos e distribuiÃÃo espacial da dengue no estado do CearÃ, 2001 a 2012

Verdiane de AraÃjo Verdiano 29 June 2016 (has links)
nÃo hà / Dengue has a worrying relevance for the state of CearÃ, and therefore it is needed to understand the epidemiological situation in the state in order to raise knowledge for further forms of prevention. The aim of this study was to characterize a temporal tendency of dengue and identify clusters of major incidence of the disease. Ecological study was based on acquired data at DATASUS, Healthy Ministry system. The analyzed variables were the incidence of serious dengue in the general population and on persons under the age of 15. The analysis period was segmented in three groups of four years: 2001-2004, 2005-2008 and 2009-2012. A continuous linear regression was done with inflection points to characterize a temporal tendency and spatial analysis with map elaboration by Local Empirical Bayesian method, and also with spatial autocorrelation using local index of spatial association for MoranMap. Most of the municipalities of the state of Cearà has gross incidences between 0,1 and 206 cases of dengue per 100.000 inhabitants in the increased number of municipalities with major incidences from 2005 to 2008. An increasing incidence of dengue occurred, but in a gradual way. The years intersperse in low and high incidences. The years of major incidences are: 2001 with 672,27 cases of dengue per 100.000 inhabitants and 2012 with 607,29. The ones with the lowest incidences were 2004 with 48,39 and 2009 with 47,11. There is also an increasing tendency to serious cases of dengue for those under the age of 15. From 2001 to 2004 there was a cluster of high incidence and two of low incidence. In the period of 2005 to 2008, one cluster of high incidence and two of low one was verified. Still from 2009 to 2012 one cluster of high incidence and one of low was featured. Thus, the conclusion is that there is an ascending tendency for incidence of dengue on general population and serious dengue on those under the age of 15. There is no region to be told with clusters of high values or with low values statistically significant, except the southeastern region, mainly the municipality of TauÃ, that holds high incidence of dengue and central eastern region with low incidence. / A dengue à um agravo de importÃncia nacional, assim como para o estado do CearÃ. Com isto, faz-se necessÃrio conhecer a situaÃÃo epidemiolÃgica do estado a fim de proporcionar conhecimento para planejamento das formas de prevenÃÃo. O objetivo deste estudo foi caracterizar a tendÃncia temporal da dengue e identificar a dinÃmica da incidÃncia de casos no estado do CearÃ, bem como identificar aglomerados de maior incidÃncia da doenÃa. Estudo ecolÃgico com dados obtidos no SINAN DATASUS. As variÃveis analisadas foram a incidÃncia da dengue e de dengue grave na populaÃÃo geral e em menores de 15 anos. O perÃodo de anÃlise foi segmentado em trÃs grupos de quatro anos: 2001 a 2004; 2005 a 2008; e 2009 a 2012. Realizou-se regressÃo linear contÃnua e com pontos de inflexÃo para caracterizar a tendÃncia temporal e posteriormente, anÃlise espacial com elaboraÃÃo de mapas com valores da incidÃncia mÃdia bruta, com a incidÃncia suavizada pelo mÃtodo Bayesiano EmpÃrico Local e tambÃm com a autocorrelaÃÃo espacial utilizando o Ãndice local de associaÃÃo espacial para o MoranMap. A maioria dos municÃpios do estado do Cearà encontra-se com incidÃncias brutas entre 0,1 e 206 casos de dengue/100.000 habitantes nos trÃs perÃodos. Ocorreu aumento do nÃmero de municÃpios com maiores incidÃncias de 2005 a 2008. Verificou-se um padrÃo com o aumento da incidÃncia do inÃcio de cada ano do atà o mÃs maio ao longo de todo o perÃodo do estudo. Em seguida, a incidÃncia decresce atà o mÃs de agosto chegando atà outubro em alguns perÃodos. Depois disso, a incidÃncia apresenta um leve crescimento atà o inÃcio do ano seguinte. Ocorreu aumento da incidÃncia da dengue, mas nÃo de forma gradativa. Os anos se intercalaram entre incidÃncias baixas e altas. Os anos com maiores incidÃncias foram: 2001 com 672,27 casos de dengue por 100.000 habitantes e 2012 com 607,29. Os de menores incidÃncias foram 2004 com 48,39 e 2009 com 47,11. TambÃm se observa uma tendÃncia crescente para os casos de dengue grave em menores de 15 anos. De 2001 a 2004, verificou-se um aglomerado de incidÃncia alta na regiÃo centro oeste do estado e trÃs de incidÃncia baixa nas regiÃes centro leste, noroeste e norte do CearÃ. De 2005 a 2008, destaca-se um aglomerado de incidÃncia alta na regiÃo sudeste e dois de incidÃncia baixa nas regiÃes centro leste e outro no noroeste do estado. De 2009 a 2012, um aglomerado de incidÃncia alta na regiÃo centro oeste e um de incidÃncia baixa na regiÃo centro leste. Conclui-se que hà uma tendÃncia ascendente da incidÃncia da dengue na populaÃÃo geral e da dengue grave em menores de 15 anos. No entanto, nÃo se verificou uma regiÃo que se mantivesse com valores altos ou mesmo com valores baixos estatisticamente significantes, mas verifica-se, na regiÃo sudoeste, principalmente o municÃpio de Tauà uma Ãrea com incidÃncia elevada para a dengue e a regiÃo centro leste como a de menor incidÃncia.
3

Os reflexos da implementaÃÃo da ResidÃncia Integrada em SaÃde Mental Coletiva do Cearà na AtenÃÃo Psicossocial / The reflexes of the implementation of the Integrated Residency in Collective Mental Health of Cearà in Psychosocial Care

Aline Luiza de Paulo Evangelista 22 February 2017 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / IntroduÃÃo e Objetivo Geral: A PolÃtica Nacional de EducaÃÃo Permanente em SaÃde (PNEPS) foi responsÃvel pela criaÃÃo das ResidÃncias Multiprofissionais em SaÃde, especializaÃÃes lato sensu, caracterizadas por ensino em serviÃo, educaÃÃo e colaboraÃÃo interprofissional na prÃtica de equipes de saÃde e metodologias ativas de aprendizagem. A ResidÃncia Integrada em SaÃde Mental Coletiva da Escola de SaÃde PÃblica do Cearà (RISMC-ESP/CE) iniciou a primeira turma em maio de 2013, a segunda em 2014 e a terceira em 2015, sendo disponibilizadas 53 vagas anuais. Assim, o objetivo geral foi analisar os reflexos da implementaÃÃo da RISMC-ESP/CE na atenÃÃo psicossocial dos municÃpios de Aracati, Fortaleza, Horizonte e Iguatu-CE. Metodologia: Estudo qualitativo descritivo, exploratÃrio e analÃtico, que contou com anÃlise documental e entrevistas semiestruturadas como tÃcnicas para a construÃÃo das informaÃÃes e consideraÃÃes elaboradas. Os referidos municÃpios formaram o contexto do estudo, pois acolheram a primeira e a segunda turma, permitindo o alcance de uma visÃo mais longitudinal do processo. A amostragem intencional foi utilizada, sendo selecionados atores sociais envolvidos no processo, ao todo 34 participantes: secretÃrios municipais de saÃde, coordenadores de saÃde mental, articuladores da RISMC-ESP/CE, gerentes dos serviÃos, preceptores de campo, profissionais dos CAPS que interagiram com os residentes e os residentes. Analisamos as informaÃÃes atravÃs da AnÃlise de ConteÃdo TemÃtica, considerando as discussÃes teÃricas e as diretrizes nacionais da atenÃÃo psicossocial, da educaÃÃo permanente em saÃde e da literatura sobre educaÃÃo e colaboraÃÃo interprofissional. A pesquisa seguiu conforme os preceitos Ãticos da ResoluÃÃo n 466/12 do Conselho Nacional de SaÃde. AnÃlise e DiscussÃo dos Resultados: os reflexos da implementaÃÃo da RISMC-ESP/CE na atenÃÃo psicossocial ressaltam a importÃncia da PNEPS na formaÃÃo de profissionais comprometidos com o desenvolvimento do Sistema Ãnico de SaÃde (SUS), da Rede de AtenÃÃo Psicossocial e de competÃncias necessÃrias para a promoÃÃo da saÃde mental. As novas aÃÃes e os novos projetos realizados sÃo representados pelo tripà de atuaÃÃo interprofissional-integral-intersetorial. Os avanÃos na atenÃÃo psicossocial foram: mapeamento social e de saÃde dos territÃrios de atuaÃÃo; matriciamento em saÃde mental para equipes de saÃde da famÃlia; qualificaÃÃo profissional tanto dos residentes quanto dos profissionais dos serviÃos; participaÃÃo social em espaÃos de controle social como os conselhos de saÃde; implantaÃÃo de aÃÃes para gestÃo da clÃnica nos serviÃos; aumento da acessibilidade aos serviÃos psicossociais e minimizaÃÃo de estigmas em relaÃÃo à saÃde mental. Quanto aos desafios, parte decorrente da histÃria e estrutura da FederaÃÃo Brasileira, parte de fatos polÃticos municipais, e, dentro desta complexidade, das contradiÃÃes desencadeadas pelo projeto civilizatÃrio do SUS, temos: infraestrutura e processos organizacionais da ESP-CE e dos municÃpios insuficientes para garantia das condiÃÃes ideais para programaÃÃo teÃrico-prÃtica da RISMC-ESP/CE, com destaque para a inadequaÃÃo ou inexistÃncia do incentivo financeiro aos preceptores. Apesar do esforÃo do nÃcleo de coordenaÃÃo da RISMC-ESP/CE, percebemos tambÃm falhas na formaÃÃo pedagÃgica dos preceptores e a incerteza quanto à continuidade da ResidÃncia para garantia da longitudinalidade das aÃÃes e continuaÃÃo da minimizaÃÃo de estigmas nos territÃrios de atuaÃÃo. ConsideraÃÃes Finais: apesar dos desafios encontrados, revelamos inovaÃÃes geradas pela RISMC-ESP/CE nas redes municipais de saÃde, mostrando esta como uma estratÃgia de educaÃÃo e colaboraÃÃo interprofissional para a promoÃÃo da saÃde mental e a viabilizaÃÃo da atenÃÃo psicossocial. / Introduction and Geral Objective: The National Policy of Permanent Education in Health (NPPEH) was responsible for the creation of Multiprofessional Residences in Health, lato sensu specializations, characterized by in-service teaching, education and interprofessional collaboration in the practice of health teams and active learning methodologies. The Integrated Residence in Collective Mental Health of the School of Public Health of Cearà (RCMH-SPH/CE) started the first group in May 2013, the second in 2014 and the third in 2015, with 53 vacancies made available annually. Thus, the general objective was to analyze the reflexes of the implementation of RCMH-SPH/CE in the psychosocial care of the municipalities of Aracati, Fortaleza, Horizonte and Iguatu-CE. Methodology: Descriptive, exploratory and analytical qualitative study, which included documentary analysis and semi-structured interviews as techniques for the construction of information and elaborated considerations. The mentioned municipalities formed the context of the study, since they welcomed the first and second class, allowing the scope of a more longitudinal view of the process. Intentional sampling was used, with a selection of social actors involved in the process, 34 participants: municipal health secretaries, mental health coordinators, RCMH-SPH/CE coordinators, service managers, field preceptors, CAPS professionals who interacted with residents and residents. We analyze the information through the Thematic Content Analysis, considering the theoretical discussions and the national guidelines of psychosocial care, the permanent education in health and the literature on education and interprofessional collaboration. The research followed the ethical precepts of Resolution 466/12 of the National Health Council. Analysis and discussion of results: The reflexes of the implementation of RCMH-SPH/CE on psychosocial care highlights the importance of NPPEH in the training of professionals committed to the development of the Unified Health System (UHS), the Psychosocial Care Network and the skills required to promote mental health. The new actions and the new projects carried out are represented by the interprofessional-integral-intersectoral tripod. The advances in psychosocial care were: social and health mapping of the territories of action; Mental health training for family health teams; Professional qualification of both residents and service professionals; Social participation in spaces of social control such as health councils; Implementation of actions to manage the clinic in the services; Increasing accessibility to psychosocial services and minimizing stigmas in relation to mental health. Regarding the challenges, part of the history and structure of the Brazilian Federation, part of municipal political facts, and, within this complexity, of the contradictions triggered by the civilizing project of UHS, we have: infrastructure and organizational processes of SPH-CE and municipalities insufficient to Guarantee of the ideal conditions for RCMH-SPH/CE theoretical and practical programming, highlighting the inadequacy or lack of financial incentive to teachers. Despite the efforts of the coordination center of RCMH-SPH/CE, we also noticed deficiencies in the pedagogical training of preceptors and the uncertainty regarding the continuity of the Residence to guarantee the longitudinality of actions and the continuation of the minimization of stigmas in the areas of activity. Final considerations: Despite the challenges encountered, we revealed innovations generated by RCMH-SPH/CE in the municipal health networks, showing this as a strategy of education and interprofessional collaboration for the promotion of mental health and the viabilization of psychosocial care.
4

InseguranÃa alimentar, estado nutricional e hÃbitos alimentares de pessoas acometidas por hansenÃase em municÃpios do interior da Bahia, 2001-2014 / Food insecurity, nutritional status and eating habits in people affected by leprosy in cities of the interior of Bahia, 2001-2014

Camila Silveira Silva Teixeira 24 January 2017 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A inseguranÃa alimentar (IA) em grupos vulnerÃveis, pode resultar em prejuÃzos aos hÃbitos alimentares e ao estado nutricional dos indivÃduos. DoenÃas como a hansenÃase, realimentam o ciclo da pobreza e reduzem as chances de desenvolvimento humano, corroborando a vulnerabilidade alimentar das pessoas afetadas. O objetivo foi caracterizar a inseguranÃa alimentar, o estado nutricional e os hÃbitos alimentares de pessoas acometidas por hansenÃase. Estudo transversal, de amostra censitÃria, em que foram avaliados 276 casos de hansenÃase, notificados no Sistema de InformaÃÃo de Agravos de NotificaÃÃo, entre 2001 e 2014, nos municÃpios de VitÃria da Conquista e Tremedal, Bahia. A IA foi estimada pela Escala Brasileira de Medida Domiciliar de InseguranÃa Alimentar. Foram coletados dados antropomÃtricos, de frequÃncia alimentar, domiciliares, socioeconÃmicos, psicossociais e clÃnicos. As associaÃÃes foram estimadas por regressÃo de Poisson com variÃncia robusta. A prevalÃncia de IA foi de 39,4% (n=95) em VitÃria da Conquista e 51,4% (n=18) em Tremedal; classificada como, respectivamente, leve 27,8% (n=67) e 31,4% (n=11), moderada 7,5% (n=18) e 11,4% (n=4), e grave 4,1% (n=10) e 8,6% (n=3). A prevalÃncia de sobrepeso/obesidade foi de 62,0% (n=132) em VitÃria da Conquista e 46,7% (n=14) em Tremedal. Houve diferenÃa significativa em relaÃÃo ao consumo excessivo de sal (p=0,008), consumo de leite (p=0,002), de hortaliÃas cozidas (p=0,001), de hortaliÃas cruas (p=0,018) e de frutas (p=0,001). Em anÃlise de regressÃo, a prevalÃncia de IA mostrou-se associada ao benefÃcio do PBF (RP=3,09; IC95%: 1,80-5,40), episÃdio reacional (RP=1,73; IC95%: 1,20-2,60), algum efeito dermatolÃgico sobre a qualidade de vida (RP=1,54; IC95%: 1,13-2,10), alguma restriÃÃo à participaÃÃo social (RP=1,50; IC95%: 1,05-2,14), alguma limitaÃÃo de atividade (RP=1,50; IC95%: 0,95-2,34), paredes externas do domicÃlio sem revestimento (RP=1,38; IC95%: 1,01-1,91) e Ãs interaÃÃes entre alguma limitaÃÃo de atividade e benefÃcio do PBF (RP=0,43; IC95%: 0,23-0,82) e entre episÃdio reacional e benefÃcio do PBF (RP=0,51; IC95%: 0,27-0,96). As pessoas em estudo sofreram com a IA e tiveram hÃbito alimentar e estado nutricional inadequados. Os impactos fÃsicos, sociais e psicolÃgicos associados à hansenÃase, podem ter afetado as condiÃÃes de vida e de saÃde, favorecendo a vulnerabilidade alimentar do domicÃlio. Recomenda-se a inserÃÃo da assistÃncia nutricional Ãs polÃticas pÃblicas de saÃde como forma de qualificar a atenÃÃo à pessoa com hansenÃase, considerando-se os impactos negativos na condiÃÃo geral de saÃde / Food insecurity (FI) in vulnerable groups can result in damage to dietary habits and the nutritional status of individuals. Diseases such as leprosy, feed back the cycle of poverty and reduce the chances of human development, corroborating the food vulnerability of the affected people. The objective of the study was to characterize food insecurity, nutritional status and eating habits in people affected by leprosy. Cross - sectional study of 276 cases of leprosy reported in the Notifiable Diseases Information System, between 2001 and 2014, in the cities of VitÃria da Conquista and Tremedal, located in the southwest region from Bahia. The FI was estimated through the Brazilian Scale of Food Insecurity. Anthropometric data, weight and height, and individual feeding frequency were collected. Household, socioeconomic, psychosocial and clinical variables were also evaluated. The association between the outcome and the explanatory variables of interest was estimated by Poisson regression with robust variance. The prevalence of FI was estimated at 39.4% (n=95) in VitÃria da Conquista and 51.4% (n=18) in Tremedal; In these cities as, respectively, mild 27.8% (n=67) and 31.4% (n=11), moderate 7.5% (n=18) and 11.4% (n=4), and severe, 4.1% (n=10) and 8.6% (n=3). The estimated prevalence of overweight/obesity was 62.0% (n=132) in VitÃria da Conquista and 46.7% (n=14) in Tremedal. There was a significant difference in relation to the excessive salt intake (p=0.008), milk consumption (p=0.002), cooked vegetables (p=0.001), raw vegetables (p=0.018) and fruits (p=0.001). In regression analysis a prevalence of IF was associated with the benefit of PBF (PR=3.09; CI95%: 1.80-5.40), development of reactional episode (PR=1.73; CI95%: 1.20-2.60), some dermatological effect on the quality of life (PR=1.50; CI95%: 1.05-2.14), some activity limitation (PR=1.38; CI95%: 0.95-2.34), external walls of the uncoated domicile (PR=1.38; CI95%: 1.01-1.91). The interactions between some activity limitation and benefit of PBF (PR=0.43; CI95%: 0.23-0.82) and development of reactional episode and benefit of PBF (PR=0.51; CI95%: 0.27-0.96). The subjects under study suffered from FI and had inadequate food habits and nutritional status. The physical, social and psychological impacts associated with leprosy over time may have affected living and health conditions, favoring household food vulnerability. It is recommended the insertion of nutritional assistance into public health policies as a way of qualifying attention to the person with leprosy, considering the negative impacts on the general health condition
5

RelaÃÃo do perfil do acompanhamento nas consultas de prÃ-natal com os desfechos maternos e perinatais / RELATIONSHIP OF THE FOLLOW-UP PROFILE IN PREGNANT CONSULTATIONS WITH MATERNAL AND PERINATAL DESPECTS

Liene Ribeiro de Lima 31 March 2017 (has links)
FundaÃÃo Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e TecnolÃgico / IntroduÃÃo: A gestaÃÃo à caracterizada por mudanÃas e demanda de um apoio social para promover o bem estar materno e infantil. Referido apoio social à formado pela famÃlia e amigos, que fornecem suporte emocional, informativo, cognitivo e material à gestante. Assim, à fundamental promover uma assistÃncia de prÃ-natal abrangendo os acompanhantes, pois a presenÃa destes favorece a escuta de informaÃÃes, permitindo perceber e compreender as alteraÃÃes ocorridas na gestaÃÃo. Objetivos: Caracterizar o perfil do acompanhamento nas consultas de prÃ-natal e a relaÃÃo deste com a adesÃo aos objetivos da atenÃÃo prÃ-natal e os desfechos gestacionais. MÃtodos: Estudo transversal com abordagem quantitativa, realizado em Fortaleza-CE, na Maternidade Escola de referÃncia no Estado do CearÃ. Os dados foram coletados por consulta aos prontuÃrios e aos cartÃes de prÃ-natal das puÃrperas, bem como por meio de entrevista que investigou o perfil socioeconÃmico, clÃnico, ginecolÃgico, obstÃtrico, perinatal e o perfil do acompanhamento das gestantes Ãs consultas de prÃ-natal e na maternidade. A amostra foi dividida em dois grupos: pacientes sem acompanhantes durante o prÃ-natal e com acompanhantes durante o prÃ-natal, pelo ao menos em uma consulta. Os dados foram analisados pelo programa estatÃstico SPSS 22, gerando a frequÃncia absoluta e relativa, mÃdia e desvio padrÃo. As variÃveis categÃricas foram analisadas mediante aplicaÃÃo dos Testes de Qui-Quadrado de Pearson e de Fisher, enquanto que o Teste U de Mann-Whitney foi utilizado para as variÃveis contÃnuas. Resultados: Participaram 351 puÃrperas, sendo 54,4% acompanhadas nas consultas de prÃ-natal, principalmente pelo companheiro (40%) e mÃe (35,8%). Prevaleceram mulheres jovens com idade mÃdia de 26 anos, com escolaridade mÃdia de 10 anos, religiosas (91,7%), sem trabalho (59,0%) e com companheiro (85,8%), os quais tem idade mÃdia de 29 anos e possuÃam trabalho (93,7%). Predominaram gestante de baixo risco (70,9%), atendidas por equipe multiprofissional (63,8%), na atenÃÃo primÃria (81,3%), que iniciaram precocemente o prÃ-natal, compareÃam regularmente ao atendimento e realizaram os exames laboratoriais e de imagem conforme preconizado; no entanto, nÃo foi avaliado pelo exame de Papanicolau (74,6%). A maioria teve parto vaginal (54,4%), recÃm-nascido do sexo masculino (53,0%) no termo (79,8%) e pela idade gestacional (82,3%). 51% apresentaram intercorrÃncias ao nascer e 17,7% foram encaminhados à Unidade de Terapia Intensiva neonatal. Referente ao suporte social, 96,6% das mulheres recebeu um apoio financeiro, pelo marido (68,9%) e a mÃe (41%) e emocional tambÃm respectivamente pelos mesmos (68,9%; 43,6%). As mulheres foram acompanhadas quando internadas na maternidade (92,9%), durante o trabalho de parto (72,7%), parto (86,5%) e pÃs-parto (84,4%); pelo esposo (50,9%) e a mÃe (37,4%). Em anÃlise bivariada, houve uma associaÃÃo significativa em puÃrperas que trabalham (p: 0,036), escolaridade do companheiro (p: 0,028), classificaÃÃo do prÃ-natal (p: 0,001), profissional que efetuou o prÃ-natal (p:0,000) e atendimento na atenÃÃo primÃria (p: 0,000), secundÃria (p:0,002) e clÃnica privada (p: 0,003), consultas de prÃ-natal (p: 0,004); exame de hemoglobina/hematÃcrito (p: 0,038), urina (p: 0,030), toxoplasmose (p: 0,018), ultrassom no primeiro trimestre gestacional (p: 0,034), receber apoio financeiro (p: 0,011), crer que o acompanhante ajudou a enfrentar a gravidez (p: 0,008), ajuda recebida para compreender as orientaÃÃes do prÃ-natal (p: 0,000), puÃrperas acompanhadas na maternidade (p: 0,000) e o esposo como acompanhante na maternidade (p: 0,000). Na regressÃo logÃstica, permaneceu prÃ-natal realizado na clÃnica privada (OR: 9,94; IC 95%: 1,2â 81,3), escolaridade do companheiro (OR: 1,14; IC 95%: 1,0 â 1,2) e ajuda recebida para compreender as orientaÃÃes recebidas durante o prÃ-natal (OR: 49,72; IC 95%: 20,69 â 119,51). ConclusÃo: As mulheres com a presenÃa de acompanhantes durante o prÃ-natal teve mais chances de comparecer mais as consultas de prÃ-natal e cumprir os objetivos do prÃ-natal; entretanto, sem mudanÃas nos resultados maternos e perinatais. No entanto, foi observado um aumento desse acompanhamento no momento do processo do parto. / Introduction: Pregnancy is characterized by changes and demand for social support to promote maternal and child well-being. Referred social support is formed by family and friends, who provide emotional, informative, cognitive and material support to the pregnant woman. Thus, it is fundamental to promote prenatal care covering the companions, since the presence of these favors the listening of information, allowing to perceive and understand the changes that occurred during pregnancy. Objectives: To characterize the profile of the follow-up in prenatal consultations and its relation with adherence to prenatal care objectives and gestational outcomes. Methods: A cross-sectional study with a quantitative approach, carried out in Fortaleza-CE, at the Reference Maternity School in the State of CearÃ. The data were collected by consulting the medical charts and prenatal cards of the puerperal women, as well as by means of an interview that investigated the socioeconomic, clinical, gynecological, obstetrical, perinatal profile and the follow-up profile of pregnant women at prenatal consultations And motherhood. The sample was divided into two groups: unaccompanied patients during prenatal care and with caregivers during prenatal care for at least one visit. The data were analyzed by the statistical program SPSS 22, generating the absolute and relative frequency, mean and standard deviation. Categorical variables were analyzed using the Pearson and Fisher Chi-Square Tests, while the Mann-Whitney U-Test was used for the continuous variables. Results: 351 postpartum women participated, 54.4% of whom were followed up at prenatal visits, mainly by the partner (40%) and the mother (35.8%). Prevalence of young women with a mean age of 26 years, with a mean educational level of 10 years, religious (91.7%), no work (59.0%) and partner (85.8%), Years and had work (93.7%). Prevalence of low-risk pregnant women (70.9%), attended by a multiprofessional team (63.8%), primary care (81.3%), who started prenatal care early, attended regular care and underwent laboratory tests And of image as recommended; However, it was not evaluated by the Pap smear (74.6%). The majority had a vaginal delivery (54.4%), a newborn male (53.0%) in term (79.8%) and gestational age (82.3%). 51% presented intercurrences at birth and 17.7% were referred to the neonatal intensive care unit. Regarding social support, 96.6% of the women received financial support, by husband (68.9%) and mother (41%) and emotional support respectively (68.9%, 43.6%). Women were followed up at maternity hospital (92.9%) during labor (72.7%), delivery (86.5%) and postpartum (84.4%); by the husband (50.9%) and the mother (37.4%). In a bivariate analysis, there was a significant association between puerperal work (p: 0.036), companion schooling (p: 0.028), prenatal (p: 0.001) and primary care (p: 0.000), secondary (p: 0.002) and private clinic (p: 0.003), prenatal consultations (p: 0.004); Hemoglobin / hematocrit test (p: 0.038), urine (p: 0.030), toxoplasmosis (p: 0.018), first-trimester ultrasound (p: 0.034), receive financial support (p: (P: 0,008), help received to understand prenatal orientations (p: 0.000), followed puerperous in the maternity ward (p: 0,000) and the spouse as companion in the maternity ward (p: 0.000). In the logistic regression, prenatal care was performed in the private clinic (OR: 9.94, 95% CI: 1.2- 81.3), companion schooling (OR: 1.14, 95% CI: 1.0 - 1,2) and help received to understand the guidelines received during prenatal care (OR: 49.72; 95% CI: 20.69 - 119.51). Conclusion: Women attending prenatal visits were more likely to attend prenatal visits and fulfill prenatal goals; However, without changes in maternal and perinatal outcomes. However, an increase in follow-up was observed at the time of labor.
6

PadrÃes espaÃo-temporais da mortalidade relacionada à co-infecÃÃo tuberculose e HIV/AIDS no Brasil, 2000 - 2011 / Space-temporal patterns of mortality related to tuberculosis and HIV/Aids coinfeccion in Brazil, 2000-2011

MauricÃlia da Silveira Lima 23 February 2015 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A coinfecÃÃo Mycobacterium tuberculosis e HIV se configura como importante problema de saÃde pÃblica com elevada carga de morbimortalidade no mundo, incluindo o Brasil. Objetivou-se caracterizar os padrÃes espaÃo-temporais da mortalidade relacionada à coinfecÃÃo no Brasil no perÃodo de 2000 a 2011. Estudo ecolÃgico de sÃrie temporal e anÃlise espacial, utilizando dados secundÃrios de mortalidade obtidos do Sistema de InformaÃÃo sobre Mortalidade do MinistÃrio da SaÃde. Foram analisados todos os Ãbitos ocorridos no Brasil no perÃodo de 2000 a 2011, em que tuberculose e HIV/aids foram mencionadas na mesma declaraÃÃo de Ãbito, como causa bÃsica ou associada de morte. Foram calculados os indicadores: coeficientes brutos e padronizados de mortalidade (por 100.000 habitantes) e mortalidade proporcional. A anÃlise de tendÃncias temporais foi realizada utilizando modelos de regressÃo joinpoint. A anÃlise de autocorrelaÃÃo espacial foi realizada por meio dos Ãndices de Moran global e local. Foi utilizado a estatÃstica Scan espaÃo-tempo para identificaÃÃo de clusters espaÃo-temporais de alto rico. No perÃodo de 2000 a 2011, foram registrados 12.491.280 Ãbitos no Brasil. Destes, a coinfecÃÃo tuberculose e HIV/aids foi identificada em 19.815 Ãbitos. O HIV/aids foi mencionado como causa bÃsica em 98,6% dos Ãbitos e a tuberculose em 0,03%. O coeficiente mÃdio padronizado de mortalidade ajustado foi de 0,97 Ãbitos/100.000 habitantes e a mortalidade proporcional foi de 0,16%. A mortalidade apresentou tendÃncia de declÃnio em nÃvel nacional no perÃodo de estudo (AAPC: 1,6%; descriÃÃo do primeiro IC [IC 95%]: -2,3 a -0,8), com variaÃÃes entre as regiÃes: aumento nas regiÃes Norte (AAPC: 5,9%; IC 95%: 2,4 a 9,6), Nordeste (AAPC: 5,7%; IC 95%: 3,5 a 7,9) e Centro-Oeste (AAPC: 3,6%; IC 95%: 0,2 a 7,1), reduÃÃo na regiÃo Sudeste (AAPC: -4,8%; IC 95%: -6,1 a -3,6) e estabilidade na RegiÃo Sul. As principais causas de mortes associadas à coinfecÃÃo tuberculose e HIV/aids foram as doenÃas do aparelho respiratÃrio e doenÃas infecciosas e parasitÃrio. A anÃlise espacial identificou um importante cluster de alto risco para mortalidade relacionado à coinfecÃÃo localizado no estado do Rio Grande do Sul e mais 4 clusters menores abrangendo Ãs regiÃes Norte, Nordeste e Sudeste. Apesar do declÃnio da mortalidade relacionada à coinfecÃÃo, foram observadas diferenÃas regionais significativas no PaÃs, alÃm de ampla distribuiÃÃo geogrÃfica. A integraÃÃo estratÃgica e efetiva entre os programas de controle da tuberculose e da infecÃÃo por HIV/aids, aliada ao reconhecimento dos diferentes contextos de risco e vulnerabilidade, sÃo determinantes para a instituiÃÃo de medidas de controle adequadas e especÃficas. Ressalta-se a importÃncia do monitoramento dos indicadores epidemiolÃgicos relacionados à coinfecÃÃo tuberculose e HIV/aids no Brasil, especialmente nas Ãreas de maior risco. / The co-infection Mycobacterium tuberculosis and HIV is an important public health problem with high morbidity and mortality burden in the world and in Brazil. This study aimed to characterize the spatial and temporal patterns of mortality related to this co-infection in the country from 2000 to 2011. Descriptive and analytical study using secondary data obtained from the Health Information System Ministry of Health (SIM/DATASUS/MS). In study ecological time series and spatial analysis were integrated analysis of temporal and spatiotemporal patterns trends in risk areas identified for mortality related to co-infection TB and HIV/AIDS in Brazil. Geographic regions, Federative Units and municipalities were the units of analysis. We calculate specific mortality rates and the proportional mortality for the time trends analysis using the joinpoint regression model. We investigated the factors associated with death and described the causes of death associated with co-infection. For spatial autocorrelation analysis and risk areas identification, we used the following methods: global Moran, local Moran, and spatial analysis scan. We analyzed all deaths in Brazil from 2000 to 2011 in which tuberculosis (TB) and HIV/AIDS were mentioned in the same death certificate(DO). In the period 2000-2011, there were a total of 12,491,280 deaths in Brazil, 19 815 of these related to co-infection (HIV/AIDS as the underlying cause in 98.6% and TB in 0.03%).The average annual rate of adjusted mortality rate was 0.97/100,000 population and the proportional mortality was 0.16%. During the study period we verified a downward trend(AAPC: 1.6%; 95% CI: -2.3 to -0.8), with significant inter-regional variation: increase in North (AAPC: 5.9%, 95% CI: 2.4 to 9.6), Northeast (AAPC: 5.7%; 95% CI: 3.5 to 7.9) and Central West (AAPC: 3.6%; 95% CI: 0.2 to 7.1) regions, reduction in the Southeast (AAPC: - 4.8%; 95% CI: -6.1 to -3.6), and stabilization in the South. We identified as risk factors for coinfection: male sex, age over 20 years, residence in the Southeast or South region, and white or brown race/color. Conditions related to the natural history of both diseases, especially respiratory diseases and the other co-infections caused by bacteria, viruses and protozoa were the main causes of death associated with TB and HIV/AIDS co-infection, corresponding to 60% of the total mentions in DOs. The spatial analysis identified one spatial aggregate (cluster) with high risk for mortality related to co-infection involving a state in the South region and 4 additional smaller clusters covering the North, Northeast and Southeast regions. Despite the slight decline in mortality related to this co-infection, there are a significant inter-regional differences and a wide geographic distribution in Brazil. The strategic and effective integration between national, state and local TB and HIV/AIDS control programs is related to the recognition of different contexts of risk and vulnerability. These approaches are determinant to implement appropriate and specific control measures. We emphasize the importance of epidemiological monitoring of mortality indicators related to the TB and HIV/AIDS coinfection in Brazil, particularly in high-risk areas.
7

Perfil dos idosos usuÃrios de academias ao ar livre para a terceira idade da cidade de Fortaleza, Cearà / Profile of elderly users of outdoor gyms for the elderly in the city of Fortaleza, CearÃ

Wesley Lessa Pinheiro 30 August 2016 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Open-air Academies for the Elderly have been implanted in several Brazilian cities, however, the profile of the elderly who use the equipment of these academies is still unknown. This study aims to describe the profile of elderly users of open-air academies in the city of Fortaleza. A cross-sectional study was carried out using a questionnaire applied to 374 elderly people aged 60 and over, users of the first 11 open air academies installed in Fortaleza. Sociodemographic data, clinical conditions and standard of use were collected. It was verified that the majority of the elderly were women (54.7%), aged 60-69 years (66.8%), white (66%), married (61%), (38.5%) and higher education (34.8%), mostly retirees or pensioners (77.3%). Among the self-reported clinical conditions, hypertension (40.9%), high cholesterol (32.4%), osteoarthritis (26.2%) and alcohol consumption (31.6%) were the most common conditions Reported. Regarding the profile of use, the majority (68.2%) used the academies for over a year, for a time of up to 30 minutes a day (49.5%), attending at least 5 days a week ( 51.1%), living in the same neighborhood where the academy was located (83.2%), moving to it on foot (72.5%). Just over half (50.5%) underwent medical evaluation before beginning exercise. The majority (84%) practiced another exercise and had previous practice history (74.6%), and more than half (55.3%) practiced sports when young. A large proportion received family support (66%). Improvement in physical fitness and health was the most cited reason (93%) for the practice. Life improvement with practice was reported by 93.6% of the subjects. A prevalence of overweight was found in 42.8% of the individuals. Few differences were found among groups that used gyms installed in locations of different economic conditions. It was verified that the elderly present a young and active profile, being the conditions of health of greater prevalence in this group easily managed with the practice of physical activity. Individuals presented similar characteristics regardless of the economic context in which they are inserted. / Academias ao Ar-Livre para a Terceira Idade vem sendo implantadas em diversas cidades brasileiras, entretanto, o perfil dos idosos que utilizam os equipamentos das referidas academias ainda à desconhecido. Este estudo tem o objetivo de descrever o perfil dos idosos usuÃrios das academias ao ar-livre da cidade de Fortaleza. Realizou-se um estudo transversal, por meio de um questionÃrio aplicado com 374 idosos com idade maior ou igual a 60 anos, usuÃrios das 11 primeiras academias ao ar-livre instaladas em Fortaleza. Coletaram-se dados de cunho sociodemogrÃfico, condiÃÃes clÃnicas e padrÃo de utilizaÃÃo. Verificou-se que a maioria dos idosos eram mulheres (54,7%), na faixa etÃria entre 60 a 69 anos (66,8%), da cor branca (66%), casada (61%), possuÃa segundo grau completo (38,5%) e ensino superior completo (34,8%) sendo em sua maioria aposentados ou pensionistas (77,3%). Entre as condiÃÃes clÃnicas autorreferidas, a hipertensÃo arterial (40,9%), o colesterol alto (32,4%), a osteoartrite (26,2%) e o consumo de bebidas alcoÃlicas (31,6%) foram as condiÃÃes mais relatadas. No que diz respeito ao perfil de utilizaÃÃo, a maioria (68,2%) utilizava as academias hà mais de um ano, por um tempo de atà 30 minutos por dia (49,5%), frequentando ao menos 5 dias na semana (51,1%), morando no mesmo bairro em que a academia se encontrada instalada (83,2%), locomovendo-se atà ela a pà (72,5%). Pouco mais da metade (50,5%) fizeram avaliaÃÃo mÃdica antes de iniciar a prÃtica de exercÃcios. A maioria (84%) praticava outro exercÃcio e possuÃa histÃrico de prÃtica anterior (74,6%), sendo que mais da metade (55,3%) praticava esportes quando jovens. Grande parte recebia incentivo familiar (66%). A melhora do condicionamento fÃsico e saÃde foi o motivo mais citado (93%) para a prÃtica. Melhora de vida com a prÃtica foi relatada por 93,6% dos sujeitos. Uma prevalÃncia de excesso de peso foi encontrada em 42,8% dos indivÃduos. Poucas diferenÃas foram encontradas entre grupos que utilizavam as academias instaladas em locais de diferentes condiÃÃes econÃmicas. Verificou-se que os idosos apresentam um perfil jovem e ativo, sendo as condiÃÃes de saÃde de maior prevalÃncia nesse grupo facilmente manejadas com a prÃtica de atividade fÃsica. Os indivÃduos apresentaram caracterÃsticas semelhantes independentemente do contexto econÃmico em que se encontram inseridos.
8

Factors associated with notification of accidents at work in sentinel units in workerÂs health in the city of Fortaleza, in the northeast of Brazil / Fatores associados à notificaÃÃo de acidente de trabalho em unidades sentinela em saÃde do trabalhador no municÃpio de Fortaleza, Nordeste do Brasil.

RomÃnia Kelly Soares de Lima 24 April 2017 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / INTRODUÃÃO: Entre todos os agravos relacionados ao trabalho, o Acidentes de Trabalho (AT) à considerado o mais grave. O desconhecimento da situaÃÃo do AT, de seus determinantes e sua distribuiÃÃo pelo territÃrio do paÃs impossibilita uma anÃlise apropriada dos fatores potenciais que originam o AT. OBJETIVO: Analisar os fatores associados à notificaÃÃo de Acidentes de Trabalho (AT) em unidades sentinelas do municÃpio de Fortaleza, Nordeste do Brasil. MÃTODO: Estudo transversal, analÃtico, realizado em cinco unidades sentinela para acidentes de trabalho graves e fatais no municÃpio de Fortaleza entre Fevereiro de 2013 à Junho de 2014. Foram aplicados 354 questionÃrios aos profissionais responsÃveis pelas notificaÃÃes dos AT. Utilizou-se a razÃo de prevalÃncia, com intervalo de confianÃa de 95% e os testes de qui-quadrado de Pearson e/ou exato de Fischer. RESULTADOS: Dos 354 questionÃrios aplicados 147 apresentavam preenchimento inadequado, sendo excluÃdos, restando 207 questionÃrios que foram analisados. Mais da metade dos entrevistados sÃo do sexo feminino (78,0%), enfermeiros(as) (48,0%) e encontravam-se na faixa etÃria de 31 à 50 anos. Mais da metade dos entrevistados afirma nÃo ter participado de nenhum tipo de treinamento na Ãrea de AT. Apresentam um conhecimento ineficiente das leis, polÃticas e portarias que fomentam o AT. O tempo de atuaÃÃo na Ãrea, ter participado pelo menos trÃs cursos, ter conhecimento sobre as portarias e legislaÃÃo relacionadas aos AT, sobre a ficha do SINAN, saber que os AT sÃo eventos de notificaÃÃo compulsÃria e discutir esse tema com a equipe de trabalho estiveram fortemente associados à chance de notificaÃÃo (p<0,001). Por outro lado, aspectos como sexo, idade ou tempo de formado nÃo mostraram associaÃÃo significante (p>0,05). CONCLUSÃO: AÃÃes de capacitaÃÃo contribuem para a sensibilizaÃÃo dos profissionais e melhoram a qualidade das notificaÃÃes dos AT. à preciso reforÃar o papel dos Centros de ReferÃncia em SaÃde do Trabalhador como indutor de conhecimentos, atualizaÃÃo permanente e suporte tÃcnico aos serviÃos de saÃde.
9

Masculine prostitution and HIV/AIDS: a study epidemiologist in Cities of the Cearà / ProstituiÃÃo masculina e HIV/AIDS: estudo epidemiolÃgico em MunicÃpios do CearÃ

Giselle Fonseca Chao 26 May 2008 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A SÃndrome da ImunodeficiÃncia Adquirida (AIDS) e as demais doenÃas sexualmente transmissÃveis (DSTâs) sÃo importantes causas de morbidade em todo o mundo, com considerÃveis repercussÃes sociais e econÃmicas. O estudo objetivou estudar o comportamento, prÃticas sexuais, prevalÃncia do HIV e SÃfilis entre os profissionais do sexo masculino. Realizou-se um estudo seccional e analÃtico em quatro municÃpios do CearÃ, Fortaleza, Sobral, Juazeiro do Norte e Crato. Aplicou-se um questionÃrio semi-estruturado em 131 profissionais do sexo, em agosto de 2003, que investigou dados sÃcio-econÃmico-demogrÃficos, vida sexual (primeira relaÃÃo sexual, parceiros fixos e pagantes, nÃmero de parceiros e caracterÃsticas da vida sexual com os mesmos, uso de preservativo, DSTÂS),uso de Ãlcool e outras drogas, teste para HIV e SÃfilis. Os dados coletados foram analisados pelo do Programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versÃo 16.0. Criou-se uma variÃvel dependente denominada Envolvimento em RelaÃÃes Sexuais Desprotegidas (RSD) e realizou-se uma anÃlise bivariada entre esta variÃvel e os possÃveis fatores determinantes deste comportamento, atravÃs do teste exato de Fischer. A maioria dos entrevistados, era solteiro (85,4%), catÃlico (81,5%), com idade variando entre a faixa etÃria de 18 a 51 anos. Vinte seis por cento nunca freqÃentou a escola ou nÃo concluiu o primeiro grau e 39,7% possuÃam o segundo grau completo ou superior. TambÃm a maioria (62,7%) apresentou inÃcio precoce da atividade sexual, tendo sua primeira relaÃÃo antes dos 15 anos e informou que recebeu dinheiro pela primeira vez em troca de sexo antes dos 18 anos (52,3%), ou seja, antes da maioridade. Cerca de metade dos entrevistados (51,5%) tiveram mais de trÃs parceiros sexuais nos Ãltimos sete dias, sendo que (32,0%) afirmaram nÃo ter usado preservativo na Ãltima relaÃÃo sexual com parceiro nÃo pagante. A cerca do uso de drogas 54,4% responderam ter usado bebidas alcoÃlicas pelo menos uma vez por semana e 1,5% afirmou jà ter usado seringas e agulhas para o uso de drogas. A maioria (54,2%) nunca havia feito o teste para a detecÃÃo do HIV. Foram realizados 81 testes para o HIV com taxa de detecÃÃo de 3,1% de soropositividade. Na anÃlise multivariada, encontrou-se que o consumo de Ãlcool e jà ter realizado o teste para HIV estavam independente e significativamente associadas à RSD. Os resultados indicam comportamentos e prÃticas sexuais de risco sÃo freqÃentes entre os profissionais do sexo masculino sugerindo que as dimensÃes sÃcio-econÃmicas e culturais sÃo elementos importantes para a compreensÃo das prÃticas entre esta populaÃÃo. Portanto, implicando a necessidade de ajustes Ãs medidas preventivas em relaÃÃo ao HIV/AIDS e demais DSTâS. ConcluÃmos que os profissionais do sexo masculino estÃo envolvidos em comportamentos de risco para HIV/AIDS e demais DSTâS, necessitando aumentar a adesÃo a prÃticas sexuais seguras e fornecer informaÃÃes aos programas de prevenÃÃo de DST/HIV/AIDS com o intuito de melhorar o planejamento de suas aÃÃes, levando em consideraÃÃo Ãs especificidades desta populaÃÃo
10

Perfil epidemiolÃgico da hasenÃase na infÃncia no perÃodo de 1996 a 2006 na 21 cÃlula regional de saÃde do Estado do Cearà / Hansenâs disease epidemiological profile, between 1996 and 2006, in the 21 Regional Health Cell, state of CearÃ.

Fernanda Pereira de Brito Neves 09 October 2008 (has links)
In CearÃ, Hansenâs disease presents a growing tendency in the age group under fifteen years old. The disease is considered a priority in twelve municipalities in Cearà by the Health Ministry because of the great number of cases in children. The aim of this work is to evaluate the situation of Hansenâs children in the 21  Cearà State Regional Health Department (CERES) through epidemiologic and operational indicators, considering the period from 1996 to 2006. The 21 CERES encompasses six municipalities: Juazeiro do Norte, Jardim, MissÃo Velha, Grangeiro, Barbalha and CaririaÃu. Juazeiro do Norte was defined as a priority by the Health Ministry. Materials and Methods: This is a transversal descriptive study that made use of the SINAN notification cards, considering a ten years period. A roadmap was organizes containing information about case numbers, sex, age, clinical and operational classification, impairment evaluation in the notification and cure phases, kinds of discharge, diagnose mode, prevalence, detection and municipality of origin. The results were transformed in percentiles. Results: From 3.135 diagnosed patients, 198 (6.3%) belonged to the age group under 15 years old. In this research prevailed the male sex patients (56%), the group age between 10 and 14 years old (75%), the paucibacillus-infected form of the disease (75%), the undetermined classification (39%), the incapacity evaluation with zero level of notification and cure, although there were cases with level 1 (13%) and II (3%), the discharge by cure (88%), the diagnose mode of spontaneous demand (59%), the detection of the disease between 2,71 and 0,89 (very high to high endemic). The prevalence decreased from 12,89 to 5,07 (very high to high) and the municipality of Juazeiro do Norte had the greater case number (87%). The Grangeiro municipality had no identified cases during the ten years of the research period. Conclusion: The activities of the Hansen program, including the decentralization of the Basic Health Assistance (Family Health Program) that occurred in November 2000 in the studied CERES, are still not effective. The following facts support this affirmative: existence of multibacillus-infected patients of age under than 15 years old, progressive decrease of cases number, children with level II of incapacity, the higher number of diagnoses made from spontaneous demand and a municipality still silent even after training courses in Hansen diagnose being delivered. The decentralization alone does not guarantee change in the pattern of health attention. It is necessary joint measures of the public service and professionals from the educational and health area to the control of this the disease become a reality. / HansenÃase, no CearÃ, tem uma tendÃncia de expansÃo na faixa etÃria menor de quinze anos. O estado possui doze municÃpios considerados prioritÃrios para o MinistÃrio da SaÃde pelo nÃmero de casos em crianÃas. O objetivo deste trabalho à avaliar o perfil da hansenÃase em menores de quinze anos, atravÃs de indicadores epidemiolÃgicos e operacionais, no perÃodo de 1996 a 2006 numa regiÃo considerada endÃmica. A 21 CERES engloba seis municÃpios: Juazeiro do Norte, Jardim, MissÃo Velha, Grangeiro, Barbalha e CaririaÃu. O primeiro deles incluÃdo como prioridade para o MinistÃrio da SaÃde. Material e MÃtodos: Trata-se de estudo transversal de natureza descritiva, realizado a partir das fichas de notificaÃÃo (SINAN),no perÃodo de 10anos. Foi criado um roteiro e preenchido com informaÃÃes relacionadas ao nÃmero de casos, sexo, idade, classificaÃÃo clÃnica e operacional, avaliaÃÃo de incapacidades na notificaÃÃo e cura, tipos de alta, modo de diagnÃstico, prevalÃncia, detecÃÃo e municÃpio de origem. Os resultados foram transformados em percentuais. Resultados: Foram encontrados 3.135 pacientes, destes 198 (6,3%) eram menores de quinze anos. Predominou: o sexo masculino (56%); a faixa etÃria entre 10 e 14 anos (75%); a forma paucibacilar (75%); a classificaÃÃo Indeterminada(39%); a avaliaÃÃo de incapacidades com grau 0 na notificaÃÃo e cura, embora tenha casos com grau I (13%) e II (3%); a alta por cura (88%); o modo de diagnÃstico por demanda espontÃnea (59%); a detecÃÃo variou entre 2,71 a 0, 89 (hiperendÃmica à endemicidade alta). A prevalÃncia passou de 12,89 a 5,07 (muito alta a alta) e o municÃpio de Juazeiro do Norte teve maior nÃmero de casos (87%). A cidade de Granjeiro nÃo teve registro de nenhum caso durante os dez anos avaliados na pesquisa. ConclusÃo: Conclui-se que as atividades realizadas no programa de hansenÃase, incluindo a descentralizaÃÃo para AssistÃncia BÃsica de SaÃde (Programa de SaÃde da FamÃlia), nesta CERES, ocorrida em novembro de 2000, ainda nÃo estÃo sendo efetivas. A existÃncia de menores de quinze anos multibacilares, a diminuiÃÃo progressiva do nÃmero de casos, crianÃas com grau II de incapacidades, o maior nÃmero de diagnÃsticos realizados por demanda espontÃnea e municÃpio ainda silencioso, mesmo apÃs capacitaÃÃes na Ãrea mÃdica e campanhas educativas comprovam este fato. Entretanto, a descentralizaÃÃo por si sà nÃo garante a mudanÃa no padrÃo de atenÃÃo à saÃde. SÃo necessÃrias aÃÃes conjuntas do serviÃo pÃblico e profissionais, principalmente da Ãrea de saÃde e educaÃÃo, para o controle da doenÃa tornar-se realidade.

Page generated in 0.0532 seconds