• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 304
  • 6
  • 5
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 318
  • 318
  • 179
  • 162
  • 94
  • 86
  • 70
  • 50
  • 46
  • 42
  • 41
  • 37
  • 37
  • 33
  • 32
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Proposta de modelo para cálculo de disponibilidade em redes IP baseado na decomposição de espaço de estados

Corrêa, Maximira Carlota 08 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, 2008. / Submitted by Luana Patrícia de Oliveira Porto (luana_porto_23@hotmail.com) on 2010-03-11T17:16:29Z No. of bitstreams: 1 2008_MaximiraCarlotaCorrea.pdf: 1987262 bytes, checksum: 74c24d8124f981e6b103a304b3a8a60e (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-04-06T20:27:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_MaximiraCarlotaCorrea.pdf: 1987262 bytes, checksum: 74c24d8124f981e6b103a304b3a8a60e (MD5) / Made available in DSpace on 2010-04-06T20:27:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_MaximiraCarlotaCorrea.pdf: 1987262 bytes, checksum: 74c24d8124f981e6b103a304b3a8a60e (MD5) Previous issue date: 2008-08 / Nos últimos anos observou-se um aumento considerável no uso de redes de comunicação de dados. Quanto mais pessoas fazem uso das redes de computadores e quanto maior o número de serviços que estão sendo prestados nestas redes, mais é necessário garantir que a rede esteja disponível para o uso de seus clientes. Este trabalho visa propor um método para avaliação e cálculo da disponibilidade em redes IP, de forma que as prestadoras de serviço de comunicação de dados disponham de uma ferramenta segura de análise da variação da disponibilidade da rede quando a mesma sofre alterações e/ou falhas. Este trabalho foi dedicado às redes IP e seu foco será o calculo da disponibilidade entre dois pontos A e B quaisquer.A revisão bibliográfica, além de contextualizar o assunto de redes de computadores, irá focar na teoria da decomposição de espaço de estados. Depois será descrito o algoritmo proposto e sua implementação em linguagem Perl. Então serão apresentados os testes realizados nos trechos selecionados das redes em estudo.Na conclusão deste trabalho foi validado o método proposto para o cálculo de disponibilidade em redes IP. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / In recent years there was a considerable growth in computer networks applications. The more people use computer networks and the greatest the number of services these networks provide the greatest the necessity to make sure the network is available for its clients to use. This work comes to provide the means to evaluate e calculate the availability of IP networks in order to offer the communication service provides a secure tool for the analysis of the network availability variation when the network is altered or fail. This work will be dedicated to the analysis of IP networks and its scope is the evaluation of the availability between two given points A and B. The bibliography review will contextualize the matter of computer networks, with focus in the Theory of State Space Decomposition. Then the algorithm will be described with its implementation in Perl programming language. Last, the tests performed in selected parts of the network will be presented. At the conclusion of this work the provided method for availability calculus in IP networks is valid was considered valid.
32

ECAMID:um middleware para nuvem computacional com suporte à elasticidade

Lima, Diego Liberalquino Soares 13 August 2014 (has links)
Submitted by Luiz Felipe Barbosa (luiz.fbabreu2@ufpe.br) on 2015-03-09T12:28:51Z No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO Diego Liberalquino Soares Lima.pdf: 2260108 bytes, checksum: 42b8752b09548cb73b5f4d320fea5294 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-09T12:28:51Z (GMT). No. of bitstreams: 2 DISSERTAÇÃO Diego Liberalquino Soares Lima.pdf: 2260108 bytes, checksum: 42b8752b09548cb73b5f4d320fea5294 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2014-08-13 / Computação em nuvem fornece aplicações, plataformas e servidores virtuais como serviço, e permite que consumidores paguem pela utilização destes serviços sem que eles precisem ser adquiridos. Um dos grandes benefícios da computação em nuvem é a elasticidade, uma vez que consumidores podem requisitar mais recursos sob demanda e liberá-los quando não são mais necessários. Aplicações distribuídas desenvolvidas em nuvem devem levar em conta a presença da elasticidade para implementar sua arquitetura e serviços. No entanto, o uso efetivo da elasticidade por parte das aplicações pode ser complexo e ocasionar vários erros. Utilizando um middleware orientado a objeto existente (CaMid - Cloud-Aware Middleware), este trabalho apresenta o projeto e a implementação dos mecanismos básicos para suporte à elasticidade, tais como: replicação, coordenação de tarefas, compartilhamento de estado e balanceamento de carga. Estes mecanismos foram incorporados ao CaMid e visam maximizar a utilização dos recursos de nuvem à medida que estes são adicionados à infraestrutura da aplicação e mantê-los em funcionamento quando estes recursos são descartados. Para avaliar os mecanismos desenvolvidos, foi realizada uma avaliação experimental para identificar o impacto dos mesmos na execução das aplicações. Foi possível verificar que o CaMid conseguiu utilizar os recursos de nuvem com eficiência a um custo do overhead causado pela coordenação dos vários processos distribuídos.
33

Modelagem e análise de mecanismos de tratamento de interrupções em infraestruturas computacionais dos sistemas distribuídos

ANDRADE, Ermeson Carneiro de 31 January 2014 (has links)
Submitted by Nayara Passos (nayara.passos@ufpe.br) on 2015-03-11T19:46:33Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Ermeson Carneiro De Andrade.pdf: 4074311 bytes, checksum: 6b5b5cf26bd00821abaad692e167ee43 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-11T19:46:34Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Ermeson Carneiro De Andrade.pdf: 4074311 bytes, checksum: 6b5b5cf26bd00821abaad692e167ee43 (MD5) Previous issue date: 2014 / Os softwares possuem defeitos. Os computadores falham. Os v´ırus se propagam. Os pr´edios pegam fogo. As pessoas cometem erros. Os desastres acontecem. Embora gostar ´ıamos que tais eventos nunca acontecessem, ´e prudente prover mecanismos que tratem as interrup¸c˜oes dos servi¸cos, pois o custo do downtime pode ser extremamente elevado. Dessa forma, as empresas tˆem investido cada vez mais em mecanismos de tratamento de interrup¸c˜oes, visto que as interrup¸c˜oes, sejam elas brandas ou severas, podem acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento, com pouco ou nenhum aviso. Os sistemas distribu´ıdos (ex.: computa¸c˜ao em nuvem) tˆem sido largamente usados nos ´ultimos anos como um meio de recupera¸c˜ao de interrup¸c˜oes de modo que o sistema (infraestrutura e dados) ´e distribu´ıdo sobre um conjunto de servidores dispersos geograficamente e na ocorrˆencia de interrup¸c˜oes, outros servidores assumir˜ao a operacionalidade do sistema. A forma mais amplamente usada para modelar sistemas complexos (ex.: sistemas distribu´ıdos) ´e atrav´es das linguagens semiformais, tais como SysML (System Modelling Language) ou UML (Unified Modeling Language), devido principalmente `a sua nota¸c˜ao amig´avel e intuitiva. Os modelos semiformais gerados por essas linguagens, por si s´os n˜ao fornecem suporte para avalia¸c˜ao de dependabilidade/desempenho das especifica¸c˜oes dos sistemas. Dessa forma, faz-se necess´ario o mapeamento desses modelos semiformais para modelos anal´ıticos, pois modelos anal´ıticos s˜ao apoiados por fundamentos matem´aticos s´olidos, que suportam sua semˆantica precisa, estimulam a avalia¸c˜ao de desempenho/ dependabilidade e fornecem suporte para verifica¸c˜oes das propriedades qualitativas e an´alises. Os modelos anal´ıticos, no entanto, n˜ao s˜ao intuitivos e requerem um consider´avel esfor¸co por parte dos projetistas para entenderem a nota¸c˜ao usada. Portanto, ´e sensato adotar o uso colaborativo dos modelos semiformais e anal´ıticos. Este trabalho prop˜oe um framework baseado em m´etricas, modelos e ferramentas que auxilia os projetistas, os quais n˜ao possuem (ou possuem pouca) expertise em modelagem estoc´astica, a modelar e estudar os mecanismos de tratamento de interrup¸c˜oes e as infraestruturas dos sistemas distribu´ıdos, a partir de especifica¸c˜oes de alto n´ıvel, descritas atrav´es da SysML e MARTE. Para alcan¸car esse objetivo, prop˜oe-se o mapeamento dos diagramas anotados da SysML em modelos DSPN (Rede de Petri Determin´ıstica e Estoc´astica). Essa abordagem resulta num modelo cujas propriedades s˜ao garantidas e provˆe um conjunto de indicadores de dependabilidade dos mecanismos e do sistema. Ademais, a fim de mostrar a corretude e aplicabilidade do framework proposto, estudos de casos s˜ao apresentados.
34

Um modelo híbrido e adaptativo para sistemas distribuídos tolerantes a falhas

Gorender, Sérgio January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:54:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo7293_1.pdf: 1302559 bytes, checksum: 5c29fcb5cfb2253f5a91930260887780 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / Um sistema distribuído pode ser definido como um conjunto de processos que se comunicam através de canais de comunicação. Modelos para sistemas distribuídos determinam características do funcionamento destes sistemas, em especial com relação a aspectos temporais e de confiabilidade. O resultado da impossibilidade de se obter o consenso nos sistemas distribuídos assíncronos (modelo assíncrono), tolerando falhas, mesmo que apenas um processo possa falhar de forma silenciosa, estimulou o desenvolvimento de diversos modelos parcialmente síncronos de sistemas distribuídos. Estes modelos assumem algumas características síncronas, com o objetivo de evitar esta impossibilidade. Por outro lado, as novas arquiteturas para prover extit{QoS} são utilizadas para construir ambientes de execução híbridos, nos quais é possível fornecer serviços de comunicação com características síncronas para alguns canais de comunicação. O desafio que se apresenta é o de desenvolver um modelo para sistemas distribuídos adequado a executar em um ambiente equipado com arquiteturas para prover extit{QoS}. Este modelo deve considerar os aspectos síncronos e assíncronos do ambiente de execução, e ser adaptável às alterações dinâmicas que são características de arquiteturas para prover extit{QoS}. Nós respondemos a este desafio apresentando um novo modelo híbrido e adaptativo para sistemas distribuídos parcialmente síncronos, que é adaptável a alterações no estado do ambiente de execução, comuns em ambientes de execução com extit{QoS} cite{modelo,dsn2002,wtdladc2003,wtf2004,tecreportmodelo,sbrc2005}. Este modelo é híbrido ao assumir a coexistência de processos com características síncronas e assíncronas. O modelo apresentado também permite que os processos alterem o seu estado dinamicamente, sem prejuízo para a consistência dos sistemas em execução. Foi desenvolvida uma implementação do modelo proposto baseada em um ambiente de execução com extit{QoS}. Para viabilizar a execução desta implementação, foi desenvolvida uma infra-estrutura de comunicação, a qual denominamos QoS Provider, (QoSP), cujo objetivo principal é gerar uma interface padrão entre o nosso modelo e arquiteturas para prover extit{QoS} existentes. Um novo protocolo de consenso para o modelo de sistemas distribuídos proposto é apresentado nesta tese. Este protocolo de consenso apresenta resultados ótimos com relação à tolerância a falhas em sistemas parcialmente síncronos (tolera $f < n$ falhas de processos em algumas situações), e a complexidade (apresenta um limite inferior de dois passos de comunicação, resultado mínimo para o consenso em sistemas parcialmente síncronos). Foram realizados experimentos com o consenso, que comprovaram o bom desempenho deste protocolo, associado a uma tolerância a falhas ajustada ao nível de sincronismo representado no modelo
35

Integração do serviço de diretório LDAP com o serviço de nomes CORBA.

Gustavo Scalco Isquierdo 31 October 2001 (has links)
Esta dissertação apresenta uma solução para a integração do serviço de diretório LDAP com o serviço de nomes CORBA. Descrevemos a implementação de um servidor de nomes CORBA que armazena, num diretório LDAP, as associações entre nomes e referências para objetos. O servidor de nomes CORBA é, portanto, um cliente do serviço de diretório LDAP. Eficiência e flexibilidade são as vantagens desta abordagem. As associações nome–referência ficarão acessíveis tanto para clientes CORBA (através das interfaces do serviço de nomes) como para clientes LDAP (através da API do LDAP). Atributos descritivos poderão ser adicionados às entradas do diretório que representam associações nome-referência. Clientes LDAP poderão utilizar as facilidades de busca no diretório para obter referências cujas entradas satisfaçam determinadas condições. Essas condições podem envolver o nome associado à referência ou outros atributos presentes nas entradas do diretório.
36

Implementación de una librería de control de un radar con interfaz a la plataforma Ros

Pizarro Venegas, Cristóbal Gaspar Ignacio January 2014 (has links)
Ingeniero Civil Eléctrico / Ingeniero Civil en Computación / Este trabajo de título se enmarca en la investigación realizada en el Centro de Tecnología Minera Avanzada (Advanced Mining Technology Center, AMTC) con tecnologías de percepción. Los desarrollos hechos en robótica en este centro constan de desarrollos de hardware y de software, siendo el software para robots un problema en si mismo. Actualmente, en el campo de la robótica, existe una plataforma de desarrollo que está tomando fuerza como una solución al problema del desarrollo de software para robots, la plataforma Robot Operating System (ROS), la cual permite el desarrollo de módulos de control para un robot como un sistema distribuido. El objetivo de este trabajo de título es la implementación de una librería de control para un radar de ondas milimétricas que se usa en el AMTC, que permita su uso con la plataforma ROS. De esta forma, el radar podrá ser usado como un sensor en conjunto con las otras piezas de hardware (sensores y actuadores) de que dispone el laboratorio. Esta librería consiste en un conjunto de piezas de software ejecutables que permiten la comunicación con el radar, generando datos en el formato apropiado para la plataforma, una interfaz gráfica que facilita el control del sistema, un módulo que permite la visualización de datos y un módulo que implementa un algoritmo de detección de objetos basado en los datos generados por los otros módulos. La librería implementada fue probada en el laboratorio, en un entorno controlado, para la validación directa de ésta contra el software oficial que se vende con el radar, y para analizar el uso de la red por parte de la librería. Además, se probó en la elipse del parque O'Higgins, para un caso de prueba en terreno, en la que se evaluó el desempeño de la integración del radar con ROS, usando sus funcionalidades de visualización de datos. Con este trabajo se logró la utilización de todas las características del radar y su total integración con la plataforma ROS, lo que permitirá el uso del radar con los otros sensores del laboratorio y su uso para nuevos experimentos.
37

Eliminación de puntos críticos de falla en el sistema Threshold Cryptography HSM

Cifuentes Quijada, Francisco José January 2016 (has links)
Magíster en Ciencias, Mención Computación / Ingeniero Civil en Computación / En un sistema distribuido, los puntos críticos de falla son aquellos nodos tales que si sólo uno de ellos falla, el sistema completo deja de funcionar. La no existencia de estos permite tener sistemas robustos y tolerantes a fallas. Threshold Cryptography Backend para DNSSEC es un sistema desarrollado previamente a este trabajo, el cual permite firmar electrónicamente una zona DNS de manera distribuida con el uso criptografía umbral. El autor de esta tesis, en un trabajo previo, desarrolló una interfaz para que el Threshold Cryptography Backend sea utilizado por otras herramientas. La interfaz consistía en dos elementos: una biblioteca que implementa la API PKCS #11, estándar para soluciones criptográficas, y un nodo capaz de escuchar a esta biblioteca y transformar las solicitudes al Threshold Cryptography Backend. La interfaz permite que el sistema sea utilizado como una virtualización de un módulo de seguridad por hardware (HSM por sus siglas en inglés), por parte de cualquier aplicación diseñada para que use estos dispositivos. Por lo cual, el nuevo sistema, que incluye tanto la nueva interfaz como el Threshold Cryptography Backend, adquiere el nombre de Threshold Cryptography HSM. Este nuevo sistema consta de varios nodos: el nodo pkcs11, el nodo maestro, y de los nodos firmadores, además de los nodos que manejan la comunicación entre cada uno de estos, por medio del software de mensajería RabbitMQ. Sin embargo, dada las características del sistema original y los requerimientos de la API, dicho sistema presenta puntos críticos de falla, lo cual deja vulnerable al sistema en su conjunto. La presente tesis, describe el trabajo realizado para rediseñar totalmente el sistema Treshold Cryptography HSM, con la finalidad de eliminar los puntos críticos de fallas. Esto se logró trasladando funcionalidad entre nodos. El primer traslado de funcionalidad consistió en los mecanismos de comunicación: se cambiaron los nodos de mensajería RabbitMQ por un protocolo de mensajería implementado por la biblioteca ZeroMQ. El segundo traslado de funcionalidad, consistió en mover varios algoritmos de criptografía umbral que corrían en el nodo maestro, hacia el nodo pkcs11. Originalmente, los algoritmos de criptografía umbral estaban implementados en el lenguaje de programación Java, sin embargo la API PKCS #11 está diseñada para ser usada por el lenguaje de programación C. Por lo tanto, el traslado de la funcionalidad criptográfica requirió reescribir los algoritmos en el lenguaje de programación C. Para enfrentar este desafío, se desarrolló una biblioteca en C que implementaba la funcionalidad criptográfica necesaria para eliminar el punto crítico de falla. De este modo, el nodo pkcs11 utiliza esta biblioteca, incorporando así parte de la funcionalidad del nodo maestro. Este desarrollo permitió, entre otras cosas, una mejora en desempeño y una simplificación del código. Adicionalmente, quedó como subproducto la implementación inédita de un protocolo criptográfico, el algoritmo de firma criptografica umbral RSA. Dicha implementación quedó disponible bajos los términos una licencia de software libre tipo MIT. Este protocolo de criptografía umbral, cumple la propiedad de no falsificabilidad aún cuando nodos no comprometidos reciben una solicitud de firmar un documento falsificado. Esta propiedad de seguridad permiten asegurar que el sistema es robusto. Como toda funcionalidad criptográfica, requiere un cuidado especial en el desarrollo y testing, por tanto se diseñó un mecanismo para realizar pruebas del sistema basado en la equivalencia entre sistemas distribuidos y sistemas concurrentes. A partir de esto, se procedió a utilizar model checking como mecanismo de verificación formal para estudiar la correctitud del sistema.
38

Uma arquitetura de comunicação escalável para sistemas de visualização imersivos. / A scalable communication architecture for immersive visualization systems.

Belloc, Olavo da Rosa 21 November 2016 (has links)
A complexidade dos sistemas de visualização imersivos pode variar tremendamente conforme a sua aplicação. Algumas ferramentas mais simples fazem uso de um único óculos de Realidade Virtual como infraestrutura de visualização. No entanto, aplicações mais complexas, como simuladores e outras ferramentas de treinamento, podem necessitar de uma infraestrutura distribuída, contendo diversos computadores e telas. Alguns simuladores e outras aplicações de treinamento fazem uso frequente de periféricos sofisticados de interação, que reproduzem de maneira fiel os elementos encontrados no cenário real. Além disto, o espaço de treinamento pode ser compartilhado por dois ou mais usuários. Estes requisitos acabam por impor o uso de sistemas de visualização complexos e distribuídos, que visam cobrir de maneira quase completa o campo de vis~ao destes usuários. Por causa das características deste tipo de sistema, as aplicações desenvolvidas nestes cenários são inerentemente complexas, pois frequentemente consideram aspectos específicos da infraestrutura para realizar a distribuição e o sincronismo da cena virtual. Esta complexidade dificulta o desenvolvimento, a manutenção e a interoperabilidade destas ferramentas. Este trabalho apresenta uma arquitetura de comunicação para promover o uso de sistemas imersivos de forma simples e transparente para as aplicações, viabilizando o uso de infraestruturas complexas e distribuídas. A arquitetura proposta utiliza o mecanismo de substituição do driver OpenGL para obter, de forma automática, a distribuição do aspecto gráfico das aplicações. Apesar deste conceito já ter sido discutido na literatura, esta proposta apresenta um conjunto de técnicas para contornar as limitações inerentes desta abordagem e obter ganhos de desempenho significativos, com resultados consistentes em um amplo conjunto de infraestruturas. As técnicas apresentadas neste trabalho sugerem, entre outras coisas, o uso de recursos modernos do padrão OpenGL para reduzir o volume de comunicação entre CPU e GPU. Um dos recursos avaliados foi o uso de mecanismos de renderização indireta, onde a aplicação armazena os comandos de renderização na memória da placa gráfica. Juntamente com esta técnica, o trabalho também investigou o uso de um algoritmo de culling na própria GPU, o que permitiu que esta otimização fosse utilizada mesmo em sistemas com arranjos mais complexos de tela. Os resultados obtidos mostram que a aplicação pode exibir o seu conteúdo em um conjunto amplo de sistemas imersivos, contendo mais resolução e mais geometria visível, sem deteriorar o seu desempenho. Os testes foram conduzidos em diferentes infraestruturas e com cenas de tamanhos variáveis. Nos casos mais complexos, as técnicas propostas podem reduzir em 86% o tempo médio de renderização, quando comparadas com as abordagens tradicionais. / The complexity of immersive visualization systems can vary tremendously depending on their application. Some simple tools might only require a conventional virtual reality goggle as a visualization infrastructure. However, more complex applications, such as simulators and other training tools, might require a distributed infrastructure, containing several computers and screens. Some training applications and simulators invariably make use of physical peripherals for interaction, which are designed to faithfully reproduce the elements found in real scenarios. Furthermore, the training area may be shared by two or more users. These requirements usually impose the use of complex and distributed imaging systems, which are intended to cover almost the entire field of view of the users involved. Because of the characteristics of this type of system, the applications developed for these infrastructures are inherently complex. They are required to consider specific aspects of the infrastructure itself to carry out the distribution and synchronization of the virtual scene. This complexity hampers the development, maintenance and interoperability of these tools. This work presents a communication architecture to promote the use of immersive systems by allowing applications to use complex and distributed infrastructures in a simple and transparent way. The proposed architecture uses the approach of replacing the OpenGL driver to transparently achieve graphics distribution. Although this has already been discussed in the literature, this document presents a set of techniques to overcome the inherent limitations of this approach and ultimately achieve significant performance gains, with consistent results across a broad range of infrastructures. The techniques presented here suggest, among other things, the use of modern features of the OpenGL standard to reduce the communication overhead between CPU and GPU. One of the features evaluated was the usage of indirect rendering, where the application stores all the rendering commands in the graphics card dedicated memory. Along with this feature, the work also investigated the use of a culling algorithm on the GPU itself, which allowed this optimization to be used even on systems containing screens with a more complex layout. The results show that the application can render its content in a wide range of immersive systems, with higher resolution and more visible geometry, without degrading its performance. The tests were conducted at different infrastructures and scenes with variable sizes. In the more complex use cases, the proposed techniques can reduce by up to 86% the average rendering time, when compared to the traditional approaches.
39

Uma arquitetura para agentes autônomos móveis sob a visão da inteligência artificial distribuída.

Claudio Cesar de Sá 00 December 1997 (has links)
Esta tese apresenta uma arquitetura distribuída para agentes autônomos do tipo móvel. As características dessa arquitetura são estudadas pela sua instanciação na forma de três agentes computacionais que possuem funcionalidades voltadas à exploração de "nichos". A metodologia utilizada para testar e validar a operacionalidade desses agentes é um ambiente simulado. A arquitetura é modelada em três níveis hierárquicos. O nível reativo é constituído por uma rede de agentes nelulosos. Essa rede é uma estrutura distribuída, que conecta agentes sensoriais a agentes motores e é capaz de controlar a locomoção de um agente em um ambiente desconhecido, utilizando um enfoque de Solução Distribuída de Problemas. O nível instintivo é formado por um conjunto de agentes interdependentes, que dispõem de um certo conhecimento. Esse conhecimento é expresso por regras de produção e corresponde a esquemas de comportamento estereotipados, que podem ser aplicados ao nível reativo de acordo com a situação do agente no ambiente. Esses esquemas de comportamento têm inspiração biológica. O nível cognitivo consiste simplesmente em um autômato comportamental, utilizado para gerenciar os objetivos globais do agente. As características da arquitetura são: baixo custo computacional, adaptação, distribuição, inspiração biológica, robustez, flexibilidade e utilização de esquemas de comportamento baseados em contexto. O fato da arquitetura incluir duas comunidades distintas de agentes computacionais - os níveis reativo e instintivo - permite que conceitos como competição, cooperação e conflito possam ser estudados dentro de um enfoque conceitual de Inteligência Artificial Distribuída. Finalmente, com essa arquitetura pode-se investigar questões ligadas à análise e à síntese de comportamentos em agentes autônomos.
40

Definição dinâmica de estratégias instrucionais em sistemas de tutoria inteligente: uma abordagem multiagentes na WWW.

Maria das Graças Bruno Marietto 00 December 2000 (has links)
Neste trabalho uma arquitetura multiagentes para Sistemas de Tutoria Inteligente é apresentada, tendo como principal característica um alto grau de adaptabilidade. Esta capacidade do sistema ajustar-se ao estado mental do estudante é obtida principalmente através da determinação dinâmica das meta, macro e microestratégias instrucionais utilizadas na tutoria. A arquitetura é formada por cinco módulos, quais sejam: Módulo de Percepção, Módulo do Estudante, Módulo do Domínio, Módulo de Tutoria e Módulo de Entrega. O Módulo de Percepção intermedia, de forma personalizada, a interação entre o sistema e o usuário, sendo formado pelos agentes Receptores. O Módulo do Estudante, formado pelo agente Guia, tem como principal função auxiliar na detecção do estado mental do estudante. O agente Informação compõe o Módulo do Domínio, manipulando de forma inteligente o domínio da aplicação. O Módulo de Tutoria é regido pelo pelo conceito de planejamento instrucional, sendo composto pelo agente Tutor. Este agente gera um plano de ensino personalizado para cada estudante. Tendo como base este plano determina, para cada nó do mesmo, a arquitetura intrucional adequada. Tal arquitetura instrucional corresponde à uma metaestratégia a ser adotada durante o processo de tutoria. Ap'so a determinação desta metaestratégia, cada nó plano é enviado ao Módulo de Entrega para que seja estruturado em termos didáticos/pedagógicos e posteriormente apresentado ao estudante. Para tanto, este Módulo é formado pela Sociedade Didática dos Agentes de Arquitetura Instrucional (SDAAI) e pela Sociedade dos Agentes de Eventos Instrucionais (SAEI). Tais sociedades trabalham com macro e microestratégias instrucionais, respectivamente. Foi desenvolvido um protótipo para ser executado na WWW, denominado ITStraegic, objetivando validar as principais idéias da arquitetura proposta.

Page generated in 0.0287 seconds