• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 2
  • Tagged with
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Efeito da aplicação de extrato pirolenhoso,óleo de nim (Azadirachta indica) e acibenzolar-s-metil sobre a interação nematóide-planta hospedeira

DOIHARA, Izumy Pinheiro 30 May 2005 (has links)
Submitted by (lucia.rodrigues@ufrpe.br) on 2017-03-13T15:23:14Z No. of bitstreams: 1 Izumy Pinheiro Doihara.pdf: 433040 bytes, checksum: 03531e016a32d8faad5b02ae46fcf81d (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-13T15:23:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Izumy Pinheiro Doihara.pdf: 433040 bytes, checksum: 03531e016a32d8faad5b02ae46fcf81d (MD5) Previous issue date: 2005-05-30 / Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq / Adoption of alternative methods for plant parasitc nematode integrated control represents promising strategy due to limitations of traditional methods. The objectives of the present study were: i) to evaluate the efficiency of pyroligneous extract (PE) at four concentrations: 0; 0.01; 0.02; 0.04 (PE/water, relationship v/v) on control of Meloidogyne incognita race 1 in tomato (Lycopersicon esculentum) cv. Santa Cruz Kada Gigante and Rotylenchulus reniformis in melon (Cucumis melo) cv. Amarelo Ouro, under greenhouse, and ii) to determine acibenzolar-S-methyl (ASM) and neen (Azadirachta indica) oil effect on hatching, penetration and reproduction of M. incognita race 1 in melon and sugarcane (Saccharum sp.). In the study with pyroligneous treatments were arranged in a factorial 2 (nematode infested and no infested soil) × 4 (pyroligneous extract concentrations), in completely radomized design with six replications, consisting each experimental unit in a plant per vase. Soilinfestation with 5,000 eggs of R. reniformis or M. incognita per vase was carried out 10 and 15 days after melon and tomato germination, respectively, being applied in soil 50 mL of pyroligneous extract at studied concentration 24 hours after the infestation. Two complementary pulverizations with pyroligneous extract were applied 15 and 30 days after the first one. Evaluations were carried out 55 (melon) and 65 (tomato) days after planting. For both parasites, there were not significant interactions between soil infestation and pyroligneous extract concentrations in relation to plant development and nematode reproduction. Plants cultivated in unimfested soil presented higher (P≤0,05) shoot biomass than those cultivated in infested soil, however, the extract did not suppress R. reniformis and M. incognita reproduction. In the study with ASM and neenoil, it was carried out five experiments, one in laboratory conditions and four under greenhouse. In the laboratory experiment, hatching of M. incognita was evaluated 48 and 168 hours after eggs exposure to ASM (0.05 g/L and 0.50 g/L), neen oil (1 and 2%) and water (control). In the greenhouse experiments, penetration in melon cv. Amarelo Ouro roots of second stage juveniles (J2) hatched under ASM, neen oil and water was evaluated seven days after inoculation. In another experiment, eggs of the parasite, exposed for 172 hours to products and concentrations used earlier, were inoculated in melon and 45 days after it was evaluated reproduction. Other experiments were carried out in sugarcane var. RB 92-759 and SP 813250, being investigated relation between products application and inoculation time, and interactions among products, nematode and arbuscular mycorrhizal fungi (AMF). The results pointed out direct effect of neenoil on M. incognita hatching. Exposuring J2 to ASM decreased nematode penetration in root, but eggs exposure to this compound did not affect nematode reproduction. In contrast, The ASM application in sugarcane decreased nematode reproduction, but it did not affect plant development. AMF suppressed M. incognita reproducton and improved plant development. Neem oil did not affect plant development and nematode reproduction. / A adoção de métodos alternativos para manejo integrado de fitonematóides representa estratégia promissora devido às limitações dos métodos tradicionais. Os objetivos do presente estudo foram: i) avaliar a eficiência de extrato pirolenhoso (EP) em quatro concentrações: 0; 0,01; 0,02; 0,04 (EP/água, relação v/v) no controle de Meloidogyne incognita raça 1 em tomateiro (Lycopersicon esculentum) cv. Santa Cruz Kada Gigante e Rotylenchulus reniformis em meloeiro (Cucumis melo) cv. Amarelo Ouro, em casa de vegetação, e ii) determinar o efeito de acibenzolar-S-metil (ASM) e óleo de nim (Azadirachta indica) sobre a eclosão, penetração e reprodução de M. incognita raça 1 em meloeiro e cana-de-açúcar (Saccharum sp.). No estudo com extrato pirolenhoso adotou-se delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial 2 (solo infestado e não infestado com o nematóide) × 4 (concentrações de extrato pirolenhoso), com seis repetições, cada uma constituída por uma planta por vaso. A infestação do solocom 5.000 ovos por vaso de R. reniformis e M. incognita foi realizada 10 e 15 dias após a germinação do meloeiro e tomateiro, respectivamente, e 24 horas após, foi aplicado no solo 50 mL de extrato pirolenhoso nas concentrações estudadas. Duas pulverizações complementares foram realizadas 15 e 30 dias após a primeira aplicação do extrato no solo e as avaliações efetuadas 55 (meloeiro) e 65 (tomateiro) dias após o plantio. Para ambos parasitos, não houve interação significativa entre presença do nematóide e diferentes concentrações de extrato pirolenhoso em relação ao desenvolvimento das plantas e reprodução dos nematóides. Plantas cultivadas em solo não infestado apresentaram biomassas da parte aérea maiores (P≤0,05) do que aquelas cultivadas em solo infestado. No entanto, o extrato não teve efeito supressivo sobre a reprodução de R.reniformis ou M. incognita. No estudo com ASM e óleo de nim foram conduzidos cinco experimentos, um experimento em condições de laboratório e quatro em casa de vegetação. No experimento em laboratório, foi avaliada a eclosão de M. incognita após 48 e 168 horas de exposição a ASM (0,05 g/L e 0,50 g/L), óleo de nim (1 e 2%) e água (testemunha). Nos experimentos em casa de vegetação, acompanhou-se a penetração de juvenis do segundo estádio (J2) eclodidos sob ação desses produtos em meloeiro (Cucumis melo) cv. Amarelo Ouro, sete dias após a inoculação. Em outro experimento, ovos de M. incognita foram expostos aos produtos por 172 horas, nas concentrações usadas anteriormente e inoculados em meloeiro, avaliando-se a reprodução do parasito 45 dias após inoculação. Outros experimentos foram realizados em cana-de-açúcar (Saccharum sp.) var. RB 92-759 e SP 813250, nos quais investigou-se a relação entre aépoca de aplicação dos produtos e o período de inoculação, e interações entre produtos, nematóide e fungos micorrízicos arbusculares (FMA). Os resultados obtidos indicaram que o óleo de nim reduziu a eclosão de M. incognita. Da mesma forma, a exposição de J2 ao ASM diminuiu a penetração do nematóide na raiz, no entanto, não ocorreu interferência na reprodução do parasito quando os ovos foram expostos ao indutor. A aplicação de ASM nas plantas diminuiu a reprodução do nematóide, mas não afetou o desenvolvimento do vegetal. A presença de FMA suprimiu a reprodução de M. incognita e favoreceu o efeito do ASM. O óleo de nim não afetou o desenvolvimento das plantas nem a reprodução do nematóide.
2

Efeitos de inseticidas biológicos (óleo de nim, Azadirachta indica, e entomopatógenos Metarhizium anisopliae e Beauveria bassiana) sobre a cigarrinha-das-raízes, Mahanarva fimbriolata (Stål) (Hemiptera: Cercopidae), em cana-de-açúcar sob cultivo orgânico, em relação à mortalidade natural / Effects of biological insecticides (neem oil, Azadirachtina indica and entomopathogenic Metharizium anisopliae and Beauveria bassiana) about spittlebug Mahanarva fimbriolata (Hemiptera:cercopidae) in organic sugarcane in relation to natural mortality

Baptistussi, Roberta Carrara 12 November 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T18:57:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 3367.pdf: 2685500 bytes, checksum: 1145f361da493228758e656f7ae215a0 (MD5) Previous issue date: 2010-11-12 / The neem oil obtained from the Azadirachta indica plant, plus formulations containing the fungus Beauveria bassiana and Metharizium anisopliae, were used to control the spittlebug Mahanarva fimbriolata in organic cultivation of sugarcane. The action of these products was compared with natural mortality of the insect, through parcels without use of any products. The experiment was conducted at Santo Antônio Plant in Sertãozinho-SP, in variety RB 85 5536 in the period from March to May 2008. It was employed the statistical design of subdivided parcels, with seven treatments, three repetitions and four periods. It wasn t observed significant statistical differences between the treatments studied either generally or in different periods evaluated. The natural mortality ranged from 55,5% to 80,81% suggesting that the action of environmental agents was sufficient, it laid off any kind of products, even the alternative. / O óleo de nim obtido da planta Azadirachta indica, mais as formulações contendo os fungos Metharizium anisoplae e Beauveria bassiana, foram empregados para o controle da cigarrinha das raízes Mahanarva fimbriolata em cultivo orgânico de cana-de-açúcar. A ação desses produtos foi comparada com a mortalidade natural do inseto, através de parcelas sem o emprego de qualquer tipo de produto. O experimento foi conduzido na Usina Santo Antônio em Sertãozinho-SP, em variedade RB 85 5536 no período de março a maio de 2008. Empregou-se o delineamento estatístico de parcelas subdivididas, com 7 tratamentos, 3 repetições e 4 épocas. Não foram observadas diferenças estatísticas significativas entre os tratamentos estudados de forma geral ou nas diferentes épocas avaliadas. A mortalidade natural variou de 55,5% a 80,81% sugerindo que a ação dos agentes ambientais seja suficiente, dispensando o emprego de qualquer tipo de produto, mesmo os alternativos.

Page generated in 0.0715 seconds