• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 12
  • Tagged with
  • 12
  • 12
  • 12
  • 9
  • 6
  • 6
  • 6
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Ovário-salpingo-histerectomia laparoscópica em felinos hígidos.

Schiochet, Fabiana January 2006 (has links)
A ovário-salpingo-histerectomia (OSH) é o procedimento cirúrgico realizado com maior freqüência em cães e gatos e a esterilização eletiva é sua indicação mais comum. O presente estudo objetivou descrever detalhadamente o acesso laparoscópico para a cirurgia de OSH em felinos, bem como, comparar três métodos diferentes de hemostasia utilizados no complexo artério-venoso-ovariano e vasos uterinos. O experimento foi realizado no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na qual se utilizaram um total de 24 gatas adultas hígidas, sem raça definida, com peso variando entre 2,2kg e 4,6kg e peso médio de 3,4 kg. Os animais foram distribuídos em três grupos, com os procedimentos cirúrgicos obedecendo a mesma seqüência de etapas. A técnica cirúrgica diferiu apenas quanto à maneira como os vasos foram obliterados. No primeiro grupo, os vasos foram ocluídos através da eletrocauterização bipolar; no segundo, a oclusão foi realizada por meio de clipes de titânio; no terceiro grupo, por meio de ligadura com fio de sutura. A principal complicação trans-operatória foi a ocorrência de hemorragia, imediatamente controlada com a utilização de clipe ou coagulação bipolar. Também se verificou enfisema subcutâneo em alguns animais, absorvido espontaneamente sem implicar em qualquer alteração clínica. No pós-operatório observou-se hematoma subcutâneo, deiscência de sutura e alteração na freqüência respiratória, não influenciando quaisquer desses fatores no estado clínico dos animais. O procedimento cirúrgico de OSH eletiva laparoscópica em felinos e a técnica operatória mostraram-se viáveis nos três grupos descritos. O uso do eletrocautério bipolar apresentou vantagens na comparação com outros métodos descritos de hemostasia. / The ovary-salpingo-hysterectomy (OSH) is the surgical procedure accomplished more frequently in dogs and cats and the elective sterilization is his more common indication. The present study aimed at to describe the access laparoscopic in full detail for the surgery of OSH in felines, as well as, to compare three different methods from hemostasis used in the artery-veined-ovarian compound and uterine vases. The experiment was accomplished at the Hospital of Veterinary Clinics of the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS). A total of 24 cats adult hygids was used, without defined race, with weight varying between 2,2kg and 4,6kg and medium weight of 3,4 kg. The animals were distributed in three groups, with the surgical procedures obeying the same sequence of stages. The surgical technique just differed as for the way as the vases were obliterated. In the first group, the vases were occluded through the electrocautery bipolar; in the second, the occlusion was accomplished through clips of titanium; in the third group, through bondage with suture thread. The main trans-operative complication went to the hemorrhage occurrence, immediately controlled with the clip use or bipolar coagulation. Also subcutaneous emphysema was verified in some encourage, absorbed spontaneously without implicating in any clinical alteration. In the postoperative it subcutaneous bruise, suture decency and alteration in the breathing frequency, were observed that not influencing any of those factors the clinical state of the animals. The surgical procedure of OSH elective laparoscopic in felines and the operative technique was shown viable in the three described groups. The uses of the electrocautery bipolar presented advantages in the comparison with other described methods of hemostasis.
2

Ovário-salpingo-histerectomia laparoscópica em felinos hígidos.

Schiochet, Fabiana January 2006 (has links)
A ovário-salpingo-histerectomia (OSH) é o procedimento cirúrgico realizado com maior freqüência em cães e gatos e a esterilização eletiva é sua indicação mais comum. O presente estudo objetivou descrever detalhadamente o acesso laparoscópico para a cirurgia de OSH em felinos, bem como, comparar três métodos diferentes de hemostasia utilizados no complexo artério-venoso-ovariano e vasos uterinos. O experimento foi realizado no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na qual se utilizaram um total de 24 gatas adultas hígidas, sem raça definida, com peso variando entre 2,2kg e 4,6kg e peso médio de 3,4 kg. Os animais foram distribuídos em três grupos, com os procedimentos cirúrgicos obedecendo a mesma seqüência de etapas. A técnica cirúrgica diferiu apenas quanto à maneira como os vasos foram obliterados. No primeiro grupo, os vasos foram ocluídos através da eletrocauterização bipolar; no segundo, a oclusão foi realizada por meio de clipes de titânio; no terceiro grupo, por meio de ligadura com fio de sutura. A principal complicação trans-operatória foi a ocorrência de hemorragia, imediatamente controlada com a utilização de clipe ou coagulação bipolar. Também se verificou enfisema subcutâneo em alguns animais, absorvido espontaneamente sem implicar em qualquer alteração clínica. No pós-operatório observou-se hematoma subcutâneo, deiscência de sutura e alteração na freqüência respiratória, não influenciando quaisquer desses fatores no estado clínico dos animais. O procedimento cirúrgico de OSH eletiva laparoscópica em felinos e a técnica operatória mostraram-se viáveis nos três grupos descritos. O uso do eletrocautério bipolar apresentou vantagens na comparação com outros métodos descritos de hemostasia. / The ovary-salpingo-hysterectomy (OSH) is the surgical procedure accomplished more frequently in dogs and cats and the elective sterilization is his more common indication. The present study aimed at to describe the access laparoscopic in full detail for the surgery of OSH in felines, as well as, to compare three different methods from hemostasis used in the artery-veined-ovarian compound and uterine vases. The experiment was accomplished at the Hospital of Veterinary Clinics of the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS). A total of 24 cats adult hygids was used, without defined race, with weight varying between 2,2kg and 4,6kg and medium weight of 3,4 kg. The animals were distributed in three groups, with the surgical procedures obeying the same sequence of stages. The surgical technique just differed as for the way as the vases were obliterated. In the first group, the vases were occluded through the electrocautery bipolar; in the second, the occlusion was accomplished through clips of titanium; in the third group, through bondage with suture thread. The main trans-operative complication went to the hemorrhage occurrence, immediately controlled with the clip use or bipolar coagulation. Also subcutaneous emphysema was verified in some encourage, absorbed spontaneously without implicating in any clinical alteration. In the postoperative it subcutaneous bruise, suture decency and alteration in the breathing frequency, were observed that not influencing any of those factors the clinical state of the animals. The surgical procedure of OSH elective laparoscopic in felines and the operative technique was shown viable in the three described groups. The uses of the electrocautery bipolar presented advantages in the comparison with other described methods of hemostasis.
3

Ovário-salpingo-histerectomia laparoscópica em felinos hígidos.

Schiochet, Fabiana January 2006 (has links)
A ovário-salpingo-histerectomia (OSH) é o procedimento cirúrgico realizado com maior freqüência em cães e gatos e a esterilização eletiva é sua indicação mais comum. O presente estudo objetivou descrever detalhadamente o acesso laparoscópico para a cirurgia de OSH em felinos, bem como, comparar três métodos diferentes de hemostasia utilizados no complexo artério-venoso-ovariano e vasos uterinos. O experimento foi realizado no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na qual se utilizaram um total de 24 gatas adultas hígidas, sem raça definida, com peso variando entre 2,2kg e 4,6kg e peso médio de 3,4 kg. Os animais foram distribuídos em três grupos, com os procedimentos cirúrgicos obedecendo a mesma seqüência de etapas. A técnica cirúrgica diferiu apenas quanto à maneira como os vasos foram obliterados. No primeiro grupo, os vasos foram ocluídos através da eletrocauterização bipolar; no segundo, a oclusão foi realizada por meio de clipes de titânio; no terceiro grupo, por meio de ligadura com fio de sutura. A principal complicação trans-operatória foi a ocorrência de hemorragia, imediatamente controlada com a utilização de clipe ou coagulação bipolar. Também se verificou enfisema subcutâneo em alguns animais, absorvido espontaneamente sem implicar em qualquer alteração clínica. No pós-operatório observou-se hematoma subcutâneo, deiscência de sutura e alteração na freqüência respiratória, não influenciando quaisquer desses fatores no estado clínico dos animais. O procedimento cirúrgico de OSH eletiva laparoscópica em felinos e a técnica operatória mostraram-se viáveis nos três grupos descritos. O uso do eletrocautério bipolar apresentou vantagens na comparação com outros métodos descritos de hemostasia. / The ovary-salpingo-hysterectomy (OSH) is the surgical procedure accomplished more frequently in dogs and cats and the elective sterilization is his more common indication. The present study aimed at to describe the access laparoscopic in full detail for the surgery of OSH in felines, as well as, to compare three different methods from hemostasis used in the artery-veined-ovarian compound and uterine vases. The experiment was accomplished at the Hospital of Veterinary Clinics of the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS). A total of 24 cats adult hygids was used, without defined race, with weight varying between 2,2kg and 4,6kg and medium weight of 3,4 kg. The animals were distributed in three groups, with the surgical procedures obeying the same sequence of stages. The surgical technique just differed as for the way as the vases were obliterated. In the first group, the vases were occluded through the electrocautery bipolar; in the second, the occlusion was accomplished through clips of titanium; in the third group, through bondage with suture thread. The main trans-operative complication went to the hemorrhage occurrence, immediately controlled with the clip use or bipolar coagulation. Also subcutaneous emphysema was verified in some encourage, absorbed spontaneously without implicating in any clinical alteration. In the postoperative it subcutaneous bruise, suture decency and alteration in the breathing frequency, were observed that not influencing any of those factors the clinical state of the animals. The surgical procedure of OSH elective laparoscopic in felines and the operative technique was shown viable in the three described groups. The uses of the electrocautery bipolar presented advantages in the comparison with other described methods of hemostasis.
4

Eletrocoagulação bipolar e monopolar na ovariosalpingohisterectomia videocirurgica híbrida utilizando dois portais em felinos hígidos / Monopolar and bipolar electrocoagulation in ovarysalpingohysterectomy laparoscopy with two portals in healthy cats

Aguiar, Juliana January 2011 (has links)
Neste trabalho foi realizado um estudo comparativo entre duas técnicas de oclusão do Complexo Artério Venoso Ovariano (CAVO), por meio da eletrocoagulação monopolar e bipolar, na ovariosalpingohisterectomia (OSH) de felinos hígidos, realizada a partir da técnica com dois portais na linha média ventral. A OSH é um dos procedimentos laparoscópicos mais realizados na casuística da Medicina Veterinária. Diferentes técnicas tem sido realizadas para a execução deste procedimento, dentre as variações incluem-se o número e a disposição dos trocartes, sendo recente a execução da técnica com dois portais. Os objetivos da pesquisa foram descrever a técnica da OSH em felinos com dois portais, bem como comparar a eficácia da eletrocoagulação monopolar e bipolar na obliteração do CAVO. Foram utilizadas 16 gatas adultas, distribuídas aleatoriamente em dois grupos de oito animais. Os procedimentos videocirúrgicos foram realizados por meio da inserção dos portais na linha média ventral nas regiões umbilical e pré-púbica, com os felinos posicionados em decúbito dorsal. Além da verificação da viabilidade da técnica com o uso de apenas dois portais lineares, foram avaliados e comparados o tempo cirúrgico, a eficácia dos dois métodos de eletrocoagulação, a temperatura corpórea pós-operatória, o débito urinário, a formação de enfisema subcutâneo e volume de CO2. Não houve diferença estatística significativa entre o uso da eletrocoagulação mono e bipolar, utilizados na técnica referida acima, embora clinicamente dois animais tenham apresentado lesões cutâneas após o uso da eletrocoagulação monopolar. Conclui-se que os dois métodos de eletrocoagulação utilizados para oclusão dos vasos ovarianos, através da técnica vídeo laparoscópica com dois portais em felinos, são viáveis, rápidos e efetivos em gatas, porém, a energia bipolar mostrou-se um método mais seguro do que a energia monopolar, devido a complicações por queimaduras cutâneas no período pósoperatório. / In this paper, a comparative study was made between two techniques of occlusion of the ovarian arterial-venous complex (OVAC) through monopolar and bipolar electrocoagulation in ovariosalpingohysterectomy (OSH) of healthy cats, carried out from the technique with two linear portals in the ventral midline. The OSH is one of the most commonly performed laparoscopic procedures in casuistry of Veterinary Medicine. Different techniques have been carried out to implement this procedure, among the variations of this technique include the number and arrangement of the trocars, considering recent the implementation of the technique with the use of two portals. The research aims were to describe the technique of ovariohysterectomy in cats with two portals, and the comparison of the effectiveness of monopolar and bipolar electrocoagulation in obliterating of OVAC. Sixteen adult cats were used, divided randomly into two groups of eight animals. The laparoscopic procedures were performed through the insertion of the portals in the ventral midline of abdomen in the umbilical and prepubic regions, with cats under dorsal recumbence position. Besides the verification of the viability of the laparoscopic hybrid technique, using only two linear portals, the surgical time, the effectiveness of the two methods of electrocoagulation, the postoperative body temperature, urine output, the formation of subcutaneous emphysema and CO2 volume were evaluated and compared. There was no statistical significant difference between the use of mono and bipolar electrocoagulation, used in the technique mentioned above, although two animals showed clinical skin lesions after the use of monopolar electrocoagulation. We conclude that the two electrocoagulation methods used for occlusion of the ovarian vessels, through video-laparoscopic with two portals technique in cats, are viable, fast and effective in female cats, however, the bipolar energy proved to be a safer method than the monopolar energy, due to complications from skin burns in the postoperative period.
5

Comparação de enxerto ósseo cortical autógeno e implante ósseo cortical alógeno liofilizado, congelado a -70ºC ou conservado no mel na substituição de segmento diafisário do fêmur de gatos domésticos.

Ferreira, Márcio Poletto January 2008 (has links)
Os felinos domésticos há muito tempo são utilizados como animais de companhia, tornando freqüentes os atendimentos veterinários a esta espécie. As afecções ortopédicas em gatos ocupam papel de destaque na rotina do traumatologista veterinário, que pode deparar-se com fraturas cominutivas de ossos longos, neoplasias ósseas, não-uniões ou uniões-viciosas de fraturas. Uma das opções para o tratamento dessas afecções é a utilização de enxerto ou implante ósseo. O objetivo deste trabalho foi avaliar implantes ósseos corticais alógenos conservados em mel, congelados a -70°C ou liofilizados na substituição de segmento diafisário do fêmur de felinos domésticos. Foi confeccionada uma falha óssea de três centímetros na região diáfisária do fêmur de 24 felinos adultos. Em seis felinos (grupo controle), a falha foi preenchida com o próprio osso removido após a retirada do periósteo, endósteo e medula óssea, e em outros 18 animais, foi preenchida com implantes ósseos corticais alógenos conservados em mel (seis animais), congelado (seis animais) e liofilizado (seis animais). Os animais foram avaliados clínica, radiográfica e histologicamente até completarem 180 dias de pós-operatório. A porcentagem de incorporação foi de 91,6% no grupo controle, com tempo médio necessário para consolidação de 83,1 dias; no grupo mel foi de 75%, com tempo médio de 105 dias; no grupo congelado foi de 83,3% com tempo médio de 78 dias e no grupo liofilizado foi de 25%, com tempo médio de 120 dias. Foi encontrada diferença estatisticamente significativa entre as porcentagens de consolidação do grupo liofilizado em relação aos grupos congelado e controle. Não houve diferença estatística entre os grupos com relação ao tempo de consolidação. Foi identificada a bactéria Brevibacterium spp. em um dos implantes conservados no mel. Foi possível concluir que os implantes ósseos autógenos e os conservados no mel e a -70°C foram eficazes no preenchimento de defeito cortical em fêmur de felinos adultos, enquanto que os implantes liofilizados necessitam de maior avaliação da resistência e imunogenicidade para tornarem-se uma opção viável em felinos. / Cats with orthopedic conditions are a prominent part of the clinical work of veterinary traumatologists. Conditions such as comminuted fractures of the long bones, bone cancers and non-unions or unions that repeatedly fracture are often difficult to repair surgically and may require the use of bone grafts or implants for successful treatment. This study evaluated cortical bone allografts preserved in honey, frozen at -70°C or lyophilized for correcting 3 cm long bone defects created in the diaphysis of the right femur of adult domestic cats (n=24). In the control group (n=6), the defect was repaired using the autologous bone following removal of the periosteum, endosteum and bone marrow. In the remaining animals (n=6/group), the defect was repaired with cortical bone allografts preserved in honey, frozen or lyophilized. Success of implant incorporation and length of time for consolidation were assessed through clinical, radiographic and histological evaluations performed up to 180 days after surgery. In the control, frozen, honey and lyophylized groups, respectively, success of implant incorporation was 91.6%, 83.3%, 75%, and 25%, with corresponding mean length of time for consolidation of 83.1, 78, 105 and 120 days. Consolidation percentage in the lyophilized group was significantly lower than in the frozen and control groups. Length of time for consolidation was not different between the groups. Brevibacterium spp. was isolated from one of the implants preserved in honey. In conclusion, bone grafts preserved in honey or frozen at -70°C were effective for repairing cortical defects in the femurs of adult cats as compared to autologous bone. Lyophilized implants require more evaluation of resistance and immunogenicity before they can be considered a viable option for bone repair in cats.
6

Eletrocoagulação bipolar e monopolar na ovariosalpingohisterectomia videocirurgica híbrida utilizando dois portais em felinos hígidos / Monopolar and bipolar electrocoagulation in ovarysalpingohysterectomy laparoscopy with two portals in healthy cats

Aguiar, Juliana January 2011 (has links)
Neste trabalho foi realizado um estudo comparativo entre duas técnicas de oclusão do Complexo Artério Venoso Ovariano (CAVO), por meio da eletrocoagulação monopolar e bipolar, na ovariosalpingohisterectomia (OSH) de felinos hígidos, realizada a partir da técnica com dois portais na linha média ventral. A OSH é um dos procedimentos laparoscópicos mais realizados na casuística da Medicina Veterinária. Diferentes técnicas tem sido realizadas para a execução deste procedimento, dentre as variações incluem-se o número e a disposição dos trocartes, sendo recente a execução da técnica com dois portais. Os objetivos da pesquisa foram descrever a técnica da OSH em felinos com dois portais, bem como comparar a eficácia da eletrocoagulação monopolar e bipolar na obliteração do CAVO. Foram utilizadas 16 gatas adultas, distribuídas aleatoriamente em dois grupos de oito animais. Os procedimentos videocirúrgicos foram realizados por meio da inserção dos portais na linha média ventral nas regiões umbilical e pré-púbica, com os felinos posicionados em decúbito dorsal. Além da verificação da viabilidade da técnica com o uso de apenas dois portais lineares, foram avaliados e comparados o tempo cirúrgico, a eficácia dos dois métodos de eletrocoagulação, a temperatura corpórea pós-operatória, o débito urinário, a formação de enfisema subcutâneo e volume de CO2. Não houve diferença estatística significativa entre o uso da eletrocoagulação mono e bipolar, utilizados na técnica referida acima, embora clinicamente dois animais tenham apresentado lesões cutâneas após o uso da eletrocoagulação monopolar. Conclui-se que os dois métodos de eletrocoagulação utilizados para oclusão dos vasos ovarianos, através da técnica vídeo laparoscópica com dois portais em felinos, são viáveis, rápidos e efetivos em gatas, porém, a energia bipolar mostrou-se um método mais seguro do que a energia monopolar, devido a complicações por queimaduras cutâneas no período pósoperatório. / In this paper, a comparative study was made between two techniques of occlusion of the ovarian arterial-venous complex (OVAC) through monopolar and bipolar electrocoagulation in ovariosalpingohysterectomy (OSH) of healthy cats, carried out from the technique with two linear portals in the ventral midline. The OSH is one of the most commonly performed laparoscopic procedures in casuistry of Veterinary Medicine. Different techniques have been carried out to implement this procedure, among the variations of this technique include the number and arrangement of the trocars, considering recent the implementation of the technique with the use of two portals. The research aims were to describe the technique of ovariohysterectomy in cats with two portals, and the comparison of the effectiveness of monopolar and bipolar electrocoagulation in obliterating of OVAC. Sixteen adult cats were used, divided randomly into two groups of eight animals. The laparoscopic procedures were performed through the insertion of the portals in the ventral midline of abdomen in the umbilical and prepubic regions, with cats under dorsal recumbence position. Besides the verification of the viability of the laparoscopic hybrid technique, using only two linear portals, the surgical time, the effectiveness of the two methods of electrocoagulation, the postoperative body temperature, urine output, the formation of subcutaneous emphysema and CO2 volume were evaluated and compared. There was no statistical significant difference between the use of mono and bipolar electrocoagulation, used in the technique mentioned above, although two animals showed clinical skin lesions after the use of monopolar electrocoagulation. We conclude that the two electrocoagulation methods used for occlusion of the ovarian vessels, through video-laparoscopic with two portals technique in cats, are viable, fast and effective in female cats, however, the bipolar energy proved to be a safer method than the monopolar energy, due to complications from skin burns in the postoperative period.
7

Comparação de enxerto ósseo cortical autógeno e implante ósseo cortical alógeno liofilizado, congelado a -70ºC ou conservado no mel na substituição de segmento diafisário do fêmur de gatos domésticos.

Ferreira, Márcio Poletto January 2008 (has links)
Os felinos domésticos há muito tempo são utilizados como animais de companhia, tornando freqüentes os atendimentos veterinários a esta espécie. As afecções ortopédicas em gatos ocupam papel de destaque na rotina do traumatologista veterinário, que pode deparar-se com fraturas cominutivas de ossos longos, neoplasias ósseas, não-uniões ou uniões-viciosas de fraturas. Uma das opções para o tratamento dessas afecções é a utilização de enxerto ou implante ósseo. O objetivo deste trabalho foi avaliar implantes ósseos corticais alógenos conservados em mel, congelados a -70°C ou liofilizados na substituição de segmento diafisário do fêmur de felinos domésticos. Foi confeccionada uma falha óssea de três centímetros na região diáfisária do fêmur de 24 felinos adultos. Em seis felinos (grupo controle), a falha foi preenchida com o próprio osso removido após a retirada do periósteo, endósteo e medula óssea, e em outros 18 animais, foi preenchida com implantes ósseos corticais alógenos conservados em mel (seis animais), congelado (seis animais) e liofilizado (seis animais). Os animais foram avaliados clínica, radiográfica e histologicamente até completarem 180 dias de pós-operatório. A porcentagem de incorporação foi de 91,6% no grupo controle, com tempo médio necessário para consolidação de 83,1 dias; no grupo mel foi de 75%, com tempo médio de 105 dias; no grupo congelado foi de 83,3% com tempo médio de 78 dias e no grupo liofilizado foi de 25%, com tempo médio de 120 dias. Foi encontrada diferença estatisticamente significativa entre as porcentagens de consolidação do grupo liofilizado em relação aos grupos congelado e controle. Não houve diferença estatística entre os grupos com relação ao tempo de consolidação. Foi identificada a bactéria Brevibacterium spp. em um dos implantes conservados no mel. Foi possível concluir que os implantes ósseos autógenos e os conservados no mel e a -70°C foram eficazes no preenchimento de defeito cortical em fêmur de felinos adultos, enquanto que os implantes liofilizados necessitam de maior avaliação da resistência e imunogenicidade para tornarem-se uma opção viável em felinos. / Cats with orthopedic conditions are a prominent part of the clinical work of veterinary traumatologists. Conditions such as comminuted fractures of the long bones, bone cancers and non-unions or unions that repeatedly fracture are often difficult to repair surgically and may require the use of bone grafts or implants for successful treatment. This study evaluated cortical bone allografts preserved in honey, frozen at -70°C or lyophilized for correcting 3 cm long bone defects created in the diaphysis of the right femur of adult domestic cats (n=24). In the control group (n=6), the defect was repaired using the autologous bone following removal of the periosteum, endosteum and bone marrow. In the remaining animals (n=6/group), the defect was repaired with cortical bone allografts preserved in honey, frozen or lyophilized. Success of implant incorporation and length of time for consolidation were assessed through clinical, radiographic and histological evaluations performed up to 180 days after surgery. In the control, frozen, honey and lyophylized groups, respectively, success of implant incorporation was 91.6%, 83.3%, 75%, and 25%, with corresponding mean length of time for consolidation of 83.1, 78, 105 and 120 days. Consolidation percentage in the lyophilized group was significantly lower than in the frozen and control groups. Length of time for consolidation was not different between the groups. Brevibacterium spp. was isolated from one of the implants preserved in honey. In conclusion, bone grafts preserved in honey or frozen at -70°C were effective for repairing cortical defects in the femurs of adult cats as compared to autologous bone. Lyophilized implants require more evaluation of resistance and immunogenicity before they can be considered a viable option for bone repair in cats.
8

Ovário-histerectomia minilaparoscópica em gatas hígidas

Lawall, Thaíse January 2015 (has links)
A ovário-histerectomia (OVH) é um procedimento cirúrgico realizado de maneira rotineira na clínica de pequenos animais, com objetivo terapêutico ou de promover a esterilização reprodutiva nas fêmeas. Muitas abordagens pela técnica convencional aberta já foram descritas e com viabilidade comprovada. No segmento da cirurgia de invasão mínima dentro da Medicina Veterinária, diversos métodos vêm sendo propostos variando entre si em relação ao posicionamento, quantidade e tamanho dos trocartes e método de hemostasia. Assim sendo, o objetivo deste estudo foi avaliar e descrever a viabilidade de realização da OVH em felinas com até 5 kg de peso corporal através de abordagem minilaparoscópica com uso de eltrocoagulação bipolar como método hemostático. A minilaparoscopia (MINI) não é uma modalidade recente na cirurgia laparoscópica humana. Considerada a evolução mais sofisticada da cirurgia laparoscopia, a MINI apresenta muitos outros benefícios além do estético; visto que a lesão relacionada ao dano cirúrgico não se resume as somas das incisões realizadas. A técnica reina pela delicadeza e precisão dos movimentos, sem perda da triangulação, essencial ao padrão laparoscópico. Foram avaliados os procedimentos de 15 felinas quanto à viabilidade e dificuldades do acesso minilaparoscópico, uso do cautério bipolar, o tamanho das incisões e a necessidade de ampliá-las, complicações trans e pós-operatórias assim como a dor demonstrada por esses pacientes. A avaliação da dor foi feita através de tabela específica para espécie felina com diretrizes estabelecidas e confiabilidade comprovada, auxiliada a outras duas tabelas de avaliação da dor. A conversão de minilaparoscopia à cirurgia aberta foi necessária em um dos quinze pacientes operados nesse estudo. Conclui-se que a realização da técnica de OVH por abordagem minilaparoscópica em gatas é factível. / Ovariohysterectomy (OHE) is a surgical procedure routinely performed in small animals practice, with therapeutic purpose or to promote reproductive sterilization in females. Numerous approaches have been described using conventional open technique and had their viability proven. In the segment of minimally invasive surgery in the Veterinary Medicine, several methods have been proposed, differing from each other in position, number and size of trocars and hemostasis method used. Thus, the goal of this study was to evaluate and describe the practicability of performing OHE in cats with up to 5 kg of body weight through minilaparoscopic approach, using bipolar eltrocoagulation as hemostatic method. The minilaparoscopy (MINI) is not a new modality in human laparoscopic surgery. Considered the most sophisticated evolution of laparoscopic surgery, the MINI has many other benefits beyond the aesthetic; since the injury caused by the damage of surgery is not just the sum of the incisions. The technique stands out for the delicacy and accuracy of the movement without loss of triangulation, essential for the laparoscopic model. The procedures of 15 female cats were evaluated for the viability and difficulties of minilaparoscopic approach, use of bipolar cautery, incision size and the need to enlarge it, trans and postoperative complications and pain demonstrated in these patients. Pain assessment was done through specific table for feline species with established guidelines and proven reliability, helped by other two pain assessment tables. The conversion from minilaparoscopy to open surgery was required in one of the fifteen patients operated on in this study. Therefore, the implementation minilaparoscopic approach for OHE technique is feasible in cats.
9

Ovário-histerectomia minilaparoscópica em gatas hígidas

Lawall, Thaíse January 2015 (has links)
A ovário-histerectomia (OVH) é um procedimento cirúrgico realizado de maneira rotineira na clínica de pequenos animais, com objetivo terapêutico ou de promover a esterilização reprodutiva nas fêmeas. Muitas abordagens pela técnica convencional aberta já foram descritas e com viabilidade comprovada. No segmento da cirurgia de invasão mínima dentro da Medicina Veterinária, diversos métodos vêm sendo propostos variando entre si em relação ao posicionamento, quantidade e tamanho dos trocartes e método de hemostasia. Assim sendo, o objetivo deste estudo foi avaliar e descrever a viabilidade de realização da OVH em felinas com até 5 kg de peso corporal através de abordagem minilaparoscópica com uso de eltrocoagulação bipolar como método hemostático. A minilaparoscopia (MINI) não é uma modalidade recente na cirurgia laparoscópica humana. Considerada a evolução mais sofisticada da cirurgia laparoscopia, a MINI apresenta muitos outros benefícios além do estético; visto que a lesão relacionada ao dano cirúrgico não se resume as somas das incisões realizadas. A técnica reina pela delicadeza e precisão dos movimentos, sem perda da triangulação, essencial ao padrão laparoscópico. Foram avaliados os procedimentos de 15 felinas quanto à viabilidade e dificuldades do acesso minilaparoscópico, uso do cautério bipolar, o tamanho das incisões e a necessidade de ampliá-las, complicações trans e pós-operatórias assim como a dor demonstrada por esses pacientes. A avaliação da dor foi feita através de tabela específica para espécie felina com diretrizes estabelecidas e confiabilidade comprovada, auxiliada a outras duas tabelas de avaliação da dor. A conversão de minilaparoscopia à cirurgia aberta foi necessária em um dos quinze pacientes operados nesse estudo. Conclui-se que a realização da técnica de OVH por abordagem minilaparoscópica em gatas é factível. / Ovariohysterectomy (OHE) is a surgical procedure routinely performed in small animals practice, with therapeutic purpose or to promote reproductive sterilization in females. Numerous approaches have been described using conventional open technique and had their viability proven. In the segment of minimally invasive surgery in the Veterinary Medicine, several methods have been proposed, differing from each other in position, number and size of trocars and hemostasis method used. Thus, the goal of this study was to evaluate and describe the practicability of performing OHE in cats with up to 5 kg of body weight through minilaparoscopic approach, using bipolar eltrocoagulation as hemostatic method. The minilaparoscopy (MINI) is not a new modality in human laparoscopic surgery. Considered the most sophisticated evolution of laparoscopic surgery, the MINI has many other benefits beyond the aesthetic; since the injury caused by the damage of surgery is not just the sum of the incisions. The technique stands out for the delicacy and accuracy of the movement without loss of triangulation, essential for the laparoscopic model. The procedures of 15 female cats were evaluated for the viability and difficulties of minilaparoscopic approach, use of bipolar cautery, incision size and the need to enlarge it, trans and postoperative complications and pain demonstrated in these patients. Pain assessment was done through specific table for feline species with established guidelines and proven reliability, helped by other two pain assessment tables. The conversion from minilaparoscopy to open surgery was required in one of the fifteen patients operated on in this study. Therefore, the implementation minilaparoscopic approach for OHE technique is feasible in cats.
10

Eletrocoagulação bipolar e monopolar na ovariosalpingohisterectomia videocirurgica híbrida utilizando dois portais em felinos hígidos / Monopolar and bipolar electrocoagulation in ovarysalpingohysterectomy laparoscopy with two portals in healthy cats

Aguiar, Juliana January 2011 (has links)
Neste trabalho foi realizado um estudo comparativo entre duas técnicas de oclusão do Complexo Artério Venoso Ovariano (CAVO), por meio da eletrocoagulação monopolar e bipolar, na ovariosalpingohisterectomia (OSH) de felinos hígidos, realizada a partir da técnica com dois portais na linha média ventral. A OSH é um dos procedimentos laparoscópicos mais realizados na casuística da Medicina Veterinária. Diferentes técnicas tem sido realizadas para a execução deste procedimento, dentre as variações incluem-se o número e a disposição dos trocartes, sendo recente a execução da técnica com dois portais. Os objetivos da pesquisa foram descrever a técnica da OSH em felinos com dois portais, bem como comparar a eficácia da eletrocoagulação monopolar e bipolar na obliteração do CAVO. Foram utilizadas 16 gatas adultas, distribuídas aleatoriamente em dois grupos de oito animais. Os procedimentos videocirúrgicos foram realizados por meio da inserção dos portais na linha média ventral nas regiões umbilical e pré-púbica, com os felinos posicionados em decúbito dorsal. Além da verificação da viabilidade da técnica com o uso de apenas dois portais lineares, foram avaliados e comparados o tempo cirúrgico, a eficácia dos dois métodos de eletrocoagulação, a temperatura corpórea pós-operatória, o débito urinário, a formação de enfisema subcutâneo e volume de CO2. Não houve diferença estatística significativa entre o uso da eletrocoagulação mono e bipolar, utilizados na técnica referida acima, embora clinicamente dois animais tenham apresentado lesões cutâneas após o uso da eletrocoagulação monopolar. Conclui-se que os dois métodos de eletrocoagulação utilizados para oclusão dos vasos ovarianos, através da técnica vídeo laparoscópica com dois portais em felinos, são viáveis, rápidos e efetivos em gatas, porém, a energia bipolar mostrou-se um método mais seguro do que a energia monopolar, devido a complicações por queimaduras cutâneas no período pósoperatório. / In this paper, a comparative study was made between two techniques of occlusion of the ovarian arterial-venous complex (OVAC) through monopolar and bipolar electrocoagulation in ovariosalpingohysterectomy (OSH) of healthy cats, carried out from the technique with two linear portals in the ventral midline. The OSH is one of the most commonly performed laparoscopic procedures in casuistry of Veterinary Medicine. Different techniques have been carried out to implement this procedure, among the variations of this technique include the number and arrangement of the trocars, considering recent the implementation of the technique with the use of two portals. The research aims were to describe the technique of ovariohysterectomy in cats with two portals, and the comparison of the effectiveness of monopolar and bipolar electrocoagulation in obliterating of OVAC. Sixteen adult cats were used, divided randomly into two groups of eight animals. The laparoscopic procedures were performed through the insertion of the portals in the ventral midline of abdomen in the umbilical and prepubic regions, with cats under dorsal recumbence position. Besides the verification of the viability of the laparoscopic hybrid technique, using only two linear portals, the surgical time, the effectiveness of the two methods of electrocoagulation, the postoperative body temperature, urine output, the formation of subcutaneous emphysema and CO2 volume were evaluated and compared. There was no statistical significant difference between the use of mono and bipolar electrocoagulation, used in the technique mentioned above, although two animals showed clinical skin lesions after the use of monopolar electrocoagulation. We conclude that the two electrocoagulation methods used for occlusion of the ovarian vessels, through video-laparoscopic with two portals technique in cats, are viable, fast and effective in female cats, however, the bipolar energy proved to be a safer method than the monopolar energy, due to complications from skin burns in the postoperative period.

Page generated in 0.1016 seconds