• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 647
  • 12
  • Tagged with
  • 660
  • 660
  • 359
  • 251
  • 118
  • 83
  • 75
  • 67
  • 64
  • 64
  • 64
  • 62
  • 53
  • 50
  • 50
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Efeitos do exercício físico no sistema hemostático

Ribeiro, Jerri Luiz January 2007 (has links)
O presente documento configura-se na tese de doutorado do aluno Jerri Luiz Ribeiro que foi orientada pelo Prof. Dr. Álvaro Reischak de Oliveira do Programa de Pós Graduação em Ciências do Movimento Humano na Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A tese está baseada nos trabalhos abaixo que estarão referidos no texto como estudos 1-4. Os estudos de números 2 e 3 foram desenvolvidos na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto em Portugal contando com a co-orientação do Prof. Dr. José Alberto Duarte dentro do Convênio de Cooperação entre a Universidade do Porto, a Universidade de São Paulo e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estudos: 1. Ribeiro J., Oliveira A.R. Efeitos do exercício e do treinamento físico na hemostasia. Rev Bras Hematol Hemoter. 2005;27(3):213-220. (Estudo 1) 2. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Ascensão A., Magalhães J., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Hemostatic response to acute physical exercise in healthy adolescents. J Sci Med Sport. 2006; Jul 14 (Estudo 2) 3. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Exhaustive exercise with high eccentric components induces prothrombotic and hypofibrinolytic responses in boys. Int J Sports Med. 2006;27:1-4. (Estudo 3) 4. Ribeiro J., Salton G.D., Bandinelli E., Oliveira A.R., Roisenberg I. The effect of ABO blood group on von Willebrand response to exercise. Clinical and Applied Thrombosis/Hemostasis (no prelo). (Estudo 4)
2

"Falando em sedentarismo..." : um estudo a partir das narrativas de praticantes de caminhadas orientadas em Porto Alegre

Teixeira, Ivana dos Santos January 2009 (has links)
Esta dissertação trata de analisar o que um grupo de praticantes de caminhadas diz a respeito do sedentarismo e de que modo o que esse grupo diz se articula (corresponde ou destoa) com o discurso contemporâneo da vida ativa. Ancorada na perspectiva teórica dos estudos de cunho pós-estruturalistas (FRAGA, 2006; SILVEIRA, 2002; 2005; ARFUCH, 1995; 2002; CASTIEL, 2003; 2007; LOVISOLO, 2000; SILVA, 2001; LUPTON, 2000), procurei analisar e refletir sobre esta temática me valendo da análise de narrativas como principal ferramenta metodológica. A investigação foi delineada a partir de observações das atividades promovidas pelo programa Lazer e Saúde no Parque Humaitá, em Porto Alegre, das investigações anteriores desenvolvidas pelo Núcleo UFRGS da Rede Cedes, no mesmo local, das entrevistas com os sujeitos caminhantes ligados ao programa e da revisão de literatura sobre o tema sedentarismo. O texto está estruturado basicamente em cinco capítulos. As condições que me levaram ao tema e à escolha do lócus investigativo da pesquisa, assim como os consequentes ajustes de foco da dissertação, são descritos no capítulo chamado Percursos Investigativos. No capítulo seguinte, apresento as entrevistas e narrativas das pessoas que praticam caminhadas orientadas no Parque, as quais foram obtidas a partir de entrevistas gravadas e, posteriormente, transcritas. No Marco Teórico Conceitual, a fim de conhecer o que “se diz” sobre o sedentarismo em artigos científicos, apresento uma pesquisa sistemática de literatura na base de dados eletrônica BIREME, que foram entrecruzados com as falas dos entrevistados no processo de análise. Por meio das narrativas foi possível analisar que um sentimento de insegurança e responsabilização individual permeia a relação dos sujeitos entrevistados com o sedentarismo, bem como se percebe uma sensação de estar em “falta com o discurso da vida ativa” (FRAGA, 2006) quando deixam de praticar exercícios. A partir das análises realizadas é possível dizer que a forma como estes sujeitos caminhantes narram o sedentarismo em grande parte corresponde ao que vem sendo disseminado pelo discurso da vida ativa. Um estilo de vida sedentário é tido como um encurtamento da vida (associado à preguiça, à ignorância, ao desinteresse por uma vida mais saudável) e, por contraste, um estilo de vida ativo representa a garantia de boa saúde, longevidade e prevenção a diversas doenças.
3

Efeito de um programa de treinamento multicomponente sobre a capacidade de recuperação do equilíbrio em idosos

Bohrer, Roberta Castilhos Detanico January 2016 (has links)
Orientador : Prof. Dr. André L. Felix Rodacki / Coorientador : Profª. Drª. Angélica Lodovico / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa: Curitiba, 28/07/2016 / Inclui referências : f. 186-211 / Área de concentração: Exercício e esporte / Resumo: Um terço dos idosos que vive independentemente na comunidade cai pelo menos uma vez ao ano, o que pode ser severamente agravado, quando se consideram as projeções de crescimento da população idosa. O aumento exponencial das quedas relacionadas ao envelhecimento tem sido associado ao declínio funcional, marcado por pronunciada diminuição da performance neuromuscular. O exercício físico isoladamente pode diminuir o número e o risco de quedas para indivíduos idosos devido à redução ou retardo dos efeitos deletérios do envelhecimento. Esta tese avaliou um conjunto de parâmetros físicos, musculares e biomecânicos a fim de distinguir idosos capazes e incapazes de recuperar o equilíbrio em resposta a um tropeço induzido controlado em laboratório. O efeito de um treinamento de natureza multicomponente sobre tais parâmetros também foi analisado. Três estudos experimentais foram realizados. O primeiro estudo analisou a variabilidade e a confiabilidade da marcha de idosos intra e intersessão em função de um tropeço induzido em laboratório. Os resultados mostraram que os procedimentos experimentais são aplicáveis para simular tropeços e avaliar quedas em idosos após uma intervenção. O segundo estudo analisou se um conjunto de parâmetros físicos, funcionais e biomecânicos pode identificar idosos capazes (GR) e incapazes de recuperar o equilíbrio (GNR) após um tropeço induzido. Trinta indivíduos foram tropeçados com sucesso, dos quais 13% aplicaram a estratégia de abaixamento para recuperação, 57% a estratégia de elevação e 30% foram incapazes de restabelecer o equilíbrio após o tropeço. Os idosos capazes de recuperar o equilíbrio apresentaram melhor função muscular (torque e potência) da cadeia extensora de membros inferiores em comparação aos incapazes de restabelecê-lo, independentemente da estratégia empregada. Não houve diferença, porém, entre as estratégias adotadas. Os parâmetros físicos relacionados à obesidade foram maiores para o GNR (p<0.05), com tamanho de efeito grande. Os idosos incapazes de recuperar o equilíbrio apresentaram pior desempenho funcional no TUG (p<0.05; d=0.99). Os picos de torque foram aproximadamente 31% (p<0.05; d=0.69 a 1.19) e a potência média em torno de 46% maiores para o GR para a maioria das articulações (p<0.05; d=0.83 a 1.23). Para a capacidade reativa identificou-se maior duração da fase de início do passo para o GNR (p<0.05; d=0.83). Os parâmetros cinemáticos da marcha foram similares entre os grupos para a maioria das variáveis analisadas. Os principais resultados de força de reação do solo (FRS) apontam menores taxas de propulsão e carregamento para o GNR (p<0.05). Em geral, os aspectos físicos relacionados à obesidade e à função muscular são fundamentais na identificação de idosos caidores. A musculatura de plantiflexores, sobretudo, apresentou déficits significativos, denotando ter função primordial na marcha e na recuperação do equilíbrio. Assim, o terceiro estudo avaliou o efeito de um treinamento multicomponente sobre a função muscular de plantiflexores. Além dos significativos ganhos na função muscular desse grupo muscular (d=-1.16) e da musculatura ao redor de quadril e joelho (d=-0.70 a -0.91), os resultados apontaram efeitos importantes do treinamento sobre a funcionalidade (d=1.60), a velocidade da marcha (d=-0.76), a capacidade reativa (d=0.72 a 0.97) e a estabilidade corporal ao caminhar (d=0.51). Palavras-chave: envelhecimento; quedas; exercício / Abstract: One third of older people living independently in the community falls at least once a year. This problem may be severely exacerbated when considering the projected growth of the elderly population. The exponential increase in the number of age-related falls has been associated with functional decline that is marked by pronounced decrease in neuromuscular performance. Physical exercise alone can reduce the number and risk of falls in the elderly by reducing or delaying the deleterious effects of aging. This study evaluated a set of physical, muscular and biomechanics parameters in order to distinguish the elderly that are able and unable to recover balance in response to a laboratory-induced controlled trip. The effect of a multicomponent training program on such parameters was also assessed. Therefore, three experimental studies were performed. The first study analyzed the intra and inter-session gait variability and reliability of elderly in response to an induced tripping in the laboratory. The results showed that the experimental procedures can be applied to simulate and evaluate tripping in the elderly after an intervention. The second study analyzed if a set of physical, functional and biomechanical parameters may be used to identify the elderly that are able from those that are unable to recover from an induced trip. Thirty individuals were successfully tripped, of which 13% applied the lowering strategy recovery, 57% the elevating strategy and 30% were unable to reestablish balance after tripping. The elderly that were able to recover balance presented a better muscle function of the lower limb extensor chain in comparison to those unable to reestablish, irrespective of the strategy applied. There was no difference between elevating or lowering strategies. The physical parameters related to obesity were greater in the unable group (p<0.05), with large effect size. The elderly unable to recover the balance presented worse functional performance in the TUG (p<0.05; d=0.99). The peak torque were approximately 31% (p <0.05, d = 0.69 to 1.19) and the average power around 46% higher for the able group for the majority of joints (p<0.05, d=0.83 to 1.23). For the reactive ability, it was identified a longer duration of the start phase of the step test for the unable group (p<0.05; d=0.83). The kinematic gait parameters were similar between the groups for almost all the analyzed variables. The main results of ground reaction force indicate lower propulsion and loading rates in elderly of unable group (p<0.05). In general, the obesity related parameters and the muscular function shown to be crucial in identifying fallers. The plantiflexors muscles showed significant deficits in the elderly unable to reestablish balance, demonstrating a key role for balance recovery and gait. Thus, the third study was conducted to evaluate the effect of a multicomponent training on plantiflexors muscle function. In addition to the significant gains in muscle function of the plantiflexors (d=-1.16) and in the musculature around the hip and knee joints (d=- 0.70 to -0.91), the results showed important training effects on the functionality (d=1.60), gait velocity (d=-0.76), reactive ability (d=0.72 to 0.97) and body stability when walking (d=0.51). Key-words: aging; elderly; falls; exercise
4

Efeitos do exercício físico no sistema hemostático

Ribeiro, Jerri Luiz January 2007 (has links)
O presente documento configura-se na tese de doutorado do aluno Jerri Luiz Ribeiro que foi orientada pelo Prof. Dr. Álvaro Reischak de Oliveira do Programa de Pós Graduação em Ciências do Movimento Humano na Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A tese está baseada nos trabalhos abaixo que estarão referidos no texto como estudos 1-4. Os estudos de números 2 e 3 foram desenvolvidos na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto em Portugal contando com a co-orientação do Prof. Dr. José Alberto Duarte dentro do Convênio de Cooperação entre a Universidade do Porto, a Universidade de São Paulo e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estudos: 1. Ribeiro J., Oliveira A.R. Efeitos do exercício e do treinamento físico na hemostasia. Rev Bras Hematol Hemoter. 2005;27(3):213-220. (Estudo 1) 2. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Ascensão A., Magalhães J., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Hemostatic response to acute physical exercise in healthy adolescents. J Sci Med Sport. 2006; Jul 14 (Estudo 2) 3. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Exhaustive exercise with high eccentric components induces prothrombotic and hypofibrinolytic responses in boys. Int J Sports Med. 2006;27:1-4. (Estudo 3) 4. Ribeiro J., Salton G.D., Bandinelli E., Oliveira A.R., Roisenberg I. The effect of ABO blood group on von Willebrand response to exercise. Clinical and Applied Thrombosis/Hemostasis (no prelo). (Estudo 4)
5

"Falando em sedentarismo..." : um estudo a partir das narrativas de praticantes de caminhadas orientadas em Porto Alegre

Teixeira, Ivana dos Santos January 2009 (has links)
Esta dissertação trata de analisar o que um grupo de praticantes de caminhadas diz a respeito do sedentarismo e de que modo o que esse grupo diz se articula (corresponde ou destoa) com o discurso contemporâneo da vida ativa. Ancorada na perspectiva teórica dos estudos de cunho pós-estruturalistas (FRAGA, 2006; SILVEIRA, 2002; 2005; ARFUCH, 1995; 2002; CASTIEL, 2003; 2007; LOVISOLO, 2000; SILVA, 2001; LUPTON, 2000), procurei analisar e refletir sobre esta temática me valendo da análise de narrativas como principal ferramenta metodológica. A investigação foi delineada a partir de observações das atividades promovidas pelo programa Lazer e Saúde no Parque Humaitá, em Porto Alegre, das investigações anteriores desenvolvidas pelo Núcleo UFRGS da Rede Cedes, no mesmo local, das entrevistas com os sujeitos caminhantes ligados ao programa e da revisão de literatura sobre o tema sedentarismo. O texto está estruturado basicamente em cinco capítulos. As condições que me levaram ao tema e à escolha do lócus investigativo da pesquisa, assim como os consequentes ajustes de foco da dissertação, são descritos no capítulo chamado Percursos Investigativos. No capítulo seguinte, apresento as entrevistas e narrativas das pessoas que praticam caminhadas orientadas no Parque, as quais foram obtidas a partir de entrevistas gravadas e, posteriormente, transcritas. No Marco Teórico Conceitual, a fim de conhecer o que “se diz” sobre o sedentarismo em artigos científicos, apresento uma pesquisa sistemática de literatura na base de dados eletrônica BIREME, que foram entrecruzados com as falas dos entrevistados no processo de análise. Por meio das narrativas foi possível analisar que um sentimento de insegurança e responsabilização individual permeia a relação dos sujeitos entrevistados com o sedentarismo, bem como se percebe uma sensação de estar em “falta com o discurso da vida ativa” (FRAGA, 2006) quando deixam de praticar exercícios. A partir das análises realizadas é possível dizer que a forma como estes sujeitos caminhantes narram o sedentarismo em grande parte corresponde ao que vem sendo disseminado pelo discurso da vida ativa. Um estilo de vida sedentário é tido como um encurtamento da vida (associado à preguiça, à ignorância, ao desinteresse por uma vida mais saudável) e, por contraste, um estilo de vida ativo representa a garantia de boa saúde, longevidade e prevenção a diversas doenças.
6

Respostas perceptivas de homens e mulheres em diferentes exercícios e intensidades no treinamento resistido

Rubio, Tiago Burigo Guimarães January 2016 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Raul Osiecki / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa: Curitiba, 25/02/2016 / Inclui referências : f. 51-55 / Área de concentração: Exercício e esporte / Resumo: O objetivo do presente estudo foi analisar as respostas perceptivas de homens e mulheres em diferentes exercícios e intensidades no treinamento resistido utilizando escalas de percepção de esforço. Foram selecionados vinte e quatro indivíduos (12 homens e 12 mulheres) adultos entre 18 e 36 anos, saudáveis, com experiência em treinamento resistido e familiarização com os exercícios que foram realizados no estudo. Os indivíduos realizaram em um primeiro momento um teste de 1RM (uma repetição máxima) em quatro exercícios: supino reto, leg press, rosca na barra e extensor de pernas. Depois disso, foram realizados três testes de cargas: 40%, 60% e 80% de 1RM em cada exercício em dias diferentes, e após cada série foi coletada a percepção de esforço nas escalas CR100 e OMNI. Foi utilizado o test t para observar as diferenças das respostas perceptivas entre os grupos (masculino e feminino), ANOVA para observar as diferenças das respostas perceptivas entre os exercícios e correlação de Pearson para verificar a correlação entre as escalas CR100 e OMNI. O nível de significância adotado foi de p < 0,05. Foram encontradas diferenças significativas entre as respostas perceptivas em diferentes exercícios no mesmo grupo, no mesmo exercício e em diferentes exercícios entre os grupos, e correlação alta e significativa entre as escalas em todos os exercícios e intensidades. Os resultados mostram que os indivíduos, independente do sexo, podem ter respostas perceptivas diferentes em diversos exercícios na mesma intensidade. Assim, sugere-se que as escalas de percepção de esforço são excelentes ferramentas para quantificar a carga de trabalho de cada indivíduo no treinamento resistido. Palavras Chaves: Treinamento Resistido, Percepção de Esforço, Escala CR100, Escala de OMNI, Teste de 1RM. / Abstract: The present study aimed to analyze the perceived exertion in men and women in different exercises and intensities in resistance training using perception scales of perceived exertion. Were selected twenty four individuals (12 men and 12 women) adults between 18 and 36 years old, healthy, with experience in resistance training and familiarization with exercise which were used in the study. The individuals have done in a first moment one repetition maximum test (1RM) in four exercises: bench press, leg press, arm curl and leg extension. After this, there were done three charge tests: 40%, 60% and 80% of 1RM in each exercise in different days, and after every series it was collected a perceived exertion in CR100 scale and OMNI scale. It was used the test t to observe the difference of perceptive response between the groups (men and woman), ANOVA to observe the difference of the perceptive response between the exercises and Pearson correlation to verify the correlation between the scales of CR100 and OMNI. The level of meaningfulness adopted was the p < 0,05. There were found significant differences between the perceptive response in different exercises of the same group, in the same exercise and in different exercises between groups, and high significant correlation between the scales in all the exercises and intensities. The results show that the individuals, regardless of sex, can have different perceptive response in many exercises with the same intensity. Thus, it is suggested that the perception exertion scales are excellent tools to measure the workload of each individual at resistance training. Keywords: Resistance Training, Perceived Exertion, CR 100 scale, OMNI scale, 1RM test.
7

Efeitos do exercício físico no sistema hemostático

Ribeiro, Jerri Luiz January 2007 (has links)
O presente documento configura-se na tese de doutorado do aluno Jerri Luiz Ribeiro que foi orientada pelo Prof. Dr. Álvaro Reischak de Oliveira do Programa de Pós Graduação em Ciências do Movimento Humano na Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A tese está baseada nos trabalhos abaixo que estarão referidos no texto como estudos 1-4. Os estudos de números 2 e 3 foram desenvolvidos na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto em Portugal contando com a co-orientação do Prof. Dr. José Alberto Duarte dentro do Convênio de Cooperação entre a Universidade do Porto, a Universidade de São Paulo e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estudos: 1. Ribeiro J., Oliveira A.R. Efeitos do exercício e do treinamento físico na hemostasia. Rev Bras Hematol Hemoter. 2005;27(3):213-220. (Estudo 1) 2. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Ascensão A., Magalhães J., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Hemostatic response to acute physical exercise in healthy adolescents. J Sci Med Sport. 2006; Jul 14 (Estudo 2) 3. Ribeiro J., Almeida-Dias A., Oliveira A.R., Carlson J., Mota J., Appell H-J., Duarte J.A. Exhaustive exercise with high eccentric components induces prothrombotic and hypofibrinolytic responses in boys. Int J Sports Med. 2006;27:1-4. (Estudo 3) 4. Ribeiro J., Salton G.D., Bandinelli E., Oliveira A.R., Roisenberg I. The effect of ABO blood group on von Willebrand response to exercise. Clinical and Applied Thrombosis/Hemostasis (no prelo). (Estudo 4)
8

"Falando em sedentarismo..." : um estudo a partir das narrativas de praticantes de caminhadas orientadas em Porto Alegre

Teixeira, Ivana dos Santos January 2009 (has links)
Esta dissertação trata de analisar o que um grupo de praticantes de caminhadas diz a respeito do sedentarismo e de que modo o que esse grupo diz se articula (corresponde ou destoa) com o discurso contemporâneo da vida ativa. Ancorada na perspectiva teórica dos estudos de cunho pós-estruturalistas (FRAGA, 2006; SILVEIRA, 2002; 2005; ARFUCH, 1995; 2002; CASTIEL, 2003; 2007; LOVISOLO, 2000; SILVA, 2001; LUPTON, 2000), procurei analisar e refletir sobre esta temática me valendo da análise de narrativas como principal ferramenta metodológica. A investigação foi delineada a partir de observações das atividades promovidas pelo programa Lazer e Saúde no Parque Humaitá, em Porto Alegre, das investigações anteriores desenvolvidas pelo Núcleo UFRGS da Rede Cedes, no mesmo local, das entrevistas com os sujeitos caminhantes ligados ao programa e da revisão de literatura sobre o tema sedentarismo. O texto está estruturado basicamente em cinco capítulos. As condições que me levaram ao tema e à escolha do lócus investigativo da pesquisa, assim como os consequentes ajustes de foco da dissertação, são descritos no capítulo chamado Percursos Investigativos. No capítulo seguinte, apresento as entrevistas e narrativas das pessoas que praticam caminhadas orientadas no Parque, as quais foram obtidas a partir de entrevistas gravadas e, posteriormente, transcritas. No Marco Teórico Conceitual, a fim de conhecer o que “se diz” sobre o sedentarismo em artigos científicos, apresento uma pesquisa sistemática de literatura na base de dados eletrônica BIREME, que foram entrecruzados com as falas dos entrevistados no processo de análise. Por meio das narrativas foi possível analisar que um sentimento de insegurança e responsabilização individual permeia a relação dos sujeitos entrevistados com o sedentarismo, bem como se percebe uma sensação de estar em “falta com o discurso da vida ativa” (FRAGA, 2006) quando deixam de praticar exercícios. A partir das análises realizadas é possível dizer que a forma como estes sujeitos caminhantes narram o sedentarismo em grande parte corresponde ao que vem sendo disseminado pelo discurso da vida ativa. Um estilo de vida sedentário é tido como um encurtamento da vida (associado à preguiça, à ignorância, ao desinteresse por uma vida mais saudável) e, por contraste, um estilo de vida ativo representa a garantia de boa saúde, longevidade e prevenção a diversas doenças.
9

Possível papel do exercício físico como modulador da função de células beta pancreáticas : a importância de Interleucina-6(IL-6) e da mobilização de L-arginina/glutamina

Krause, Maurício da Silva January 2009 (has links)
O presente trabalho será apresentado na forma das três publicações as quais deu origem. O primeiro trata-se de uma revisão que deu estrutura para a criação da hipótese e da justificativa de nosso trabalho com diabetes. Nesta revisão, criamos a hipótese de que a redução da disponibilidade de L-arginina para a célula beta, que é usada para produção de óxido nítrico para a secreção assistida de insulina, causa uma mudança no metabolismo da glutamina desviando-o da síntese de glutationa para a produção de novo de L-arginina, causando uma mudança redox que culmina na ativação do NF-B exacerbando o processo inflamatório (insulite) e então morte celular. A partir desta hipótese testamos o papel do aumento da disponibilidade de L-arginina para uma célula clonal produtora de insulina (BRIN-BD11) sob influência de um coquetel sub-letal de citocinas pró-inflamatórias, mimetizando o ambiente real do inicio da insulite. Os resultados desta estratégia renderam observações interessantes: o aumento de L-arginina resultou em síntese de glutationa (GSH) e redução de dissulfeto de glutationa (GSSG), além de ter aumentado a expressão das heme-oxigenases (HO-1 e HO-3), conhecidas por suas ações anti-inflamatórias e anti-oxidantes, além de serem necessárias para a manutenção da função normal de células beta. Este tratamento ainda resultou em aumento no consumo de glicose e diminuição da produção de lactato, indicando que este aminoácido induziu o aumento das vias oxidativas e redução do metabolismo anaeróbio. A célula beta demonstrou apresentar uma significativa atividade basal da arginase e esta, juntamente com a NOS2, se mostrou induzível por citocinas pró-inflamatórias, fato importante para uma célula cuja função é dependente de óxido nítrico e apresenta baixas defesas antioxidantes, permitindo assim que a parte de L-arginina, por competição de substrato, seja desviada da síntese de óxido nítrico, evitando uma possível citotoxicidade. Estes resultados indicam que as células-beta necessitam de níveis basais de L-arginina para manter-se cosntitutivamente protegidas contra os efeitos das ações de citocinas pró-inflamatórias. No segundo trabalho investigamos o papel da IL-6, em concentrações similares as encontradas no exercício físico moderado (50g/mL) na secreção de insulina e sinalização celular das mesmas células clonais (BRIN-BD11). De forma interessante, a IL-6 induziu o aumento na secreção de insulina tanto de forma crônica, quanto em condições basais e em situações de desafio metabólico (secreção estimulada pro glicose + alanina). Além disso o consumo de glicose foi aumentado em paralelo. Como mecanismos de ação para este aumento de sensibilidade induzido por IL-6, encontramos um nível aumentado de AMPK-p (forma ativa) juntamente com aumento de NOS2 e nitritos. Ambas as enzimas estão relacionadas com o controle metabólico, especialmente de ácidos graxos e, por esta razão sua ativação resultou em aumento de metabolismo e, consequentemente a secreção de insulina. A partir deste resultado, sugerimos que a IL-6 pode ser o ele de comunicação entre as células musculares e células beta pancreáticas durante e após o exercício, e que esta interação é importante para processos de adaptação e de diminuição da resistência a insulina.
10

Prevalência e fatores associados à doença hepática gordura não alcoólica(DHGNA) na comunidade Madureira de Pinho localizada em Salvador-Ba

Sousa, Alexandre Veloso 17 May 2013 (has links)
Submitted by Hiolanda Rêgo (hiolandar@gmail.com) on 2013-05-08T18:06:33Z No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Alexandre de Sousa.pdf: 780311 bytes, checksum: d5d957e211bc8b960b382b690b81833a (MD5) / Approved for entry into archive by Flávia Ferreira(flaviaccf@yahoo.com.br) on 2013-05-17T16:03:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Alexandre de Sousa.pdf: 780311 bytes, checksum: d5d957e211bc8b960b382b690b81833a (MD5) / Made available in DSpace on 2013-05-17T16:03:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Alexandre de Sousa.pdf: 780311 bytes, checksum: d5d957e211bc8b960b382b690b81833a (MD5) / CAPES / Introdução: A Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica (DHGNA) é uma condição clínica patológica comum em adultos. Embora tenha características histopatológicas semelhantes às encontradas na hepatite alcoólica, suas causas não são plenamente conhecidas. Verifica-se que a maioria dos pacientes com DHGNA apresenta ausência de sinais e sintomas e suas formas agravantes aparecem como a principal causa de morbidade e mortalidade ligadas a doenças hepáticas. A DHGNA está associada à obesidade, resistência à insulina, ao sedentarismo, e à adoção de hábitos alimentares inadequados. A prevalência de sobrepeso e obesidade vem aumentando significantemente no mundo, sendo considerado um importante problema de saúde pública tanto para países desenvolvidos como em desenvolvimento. Objetivo: Identificar a prevalência e fatores associados à DHGNA em moradores da comunidade Madureira de Pinho localizada em um bairro popular de salvador. Casuística e métodos: Foram entrevistados 102 adultos de ambos os sexos, mas após exclusão dos indivíduos que apresentavam etilismo significativo, IMC abaixo de 25 Kg/m2 e história de hepatite, a amostra foi ajustada para 68 indivíduos, os quais foram submetidos à ultrassonografia abdominal superior para identificação de presença e graduação de esteatose hepática. Resultados: A prevalência de DHGNA foi elevada e 94,9% daqueles que apresentaram a relação cintura e quadril > 0,9 mm apresentou diferença estatisticamente significante (p=0,01). O nosso estudo registrou ainda que 73,5% dos indivíduos que não referiram histórico de exercício físico apresentavam DHGNA, sendo estatisticamente significante quando comparada com os participantes que referiram realização de exercício físico prévia (p<0,001). A ingestão de refrigerante, temperos prontos e alimentos instantâneos não correlacionou-se com a presença de esteatose hepática nesta população Conclusão: A prevalência de DHGNA foi elevada nos participantes, sendo que os índices antropométricos e o histórico de exercício físico foram estatisticamente significantes. No entanto, os hábitos alimentares não foram relacionados com a presença de DHGNA. Desse modo, devemos sensibilizar a população em geral para a prática regular de exercício físico, com a finalidade de reduzir o risco de desenvolvimento DHGNA e melhorar a qualidade de vida. / Salvador

Page generated in 0.0692 seconds