• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 132
  • 4
  • Tagged with
  • 136
  • 136
  • 102
  • 82
  • 37
  • 34
  • 30
  • 27
  • 26
  • 25
  • 25
  • 24
  • 15
  • 14
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Influência da ação de campos magnéticos estáticos, não homogêneos, na fermentação alcoólica por Saccharomyces carevisiae

MUNIZ, João Batista Nunes Ferreira January 2002 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T17:35:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo4404_1.pdf: 456370 bytes, checksum: 75bcf7f62b06488af867616cea1cc9d5 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2002 / Há bastante tempo, a produção de álcool etílico é realizada através de processo fermentativo e pouco progresso se tem conseguido no seu aperfeiçoamento. A aplicação de campos magnéticos estáticos, não homogêneos, em fermentações alcoólicas, surge como uma alternativa viável para melhorar a eficiência desse processo. Este estudo tem como objetivo investigar os efeitos da aplicação desses campos magnéticos em fermentações alcoólicas por Saccharomyces cerevisiae, através do monitoramento do pH, da biomassa, produção de etanol e consumo de glicose. Foram realizadas três tipos de fermentação, combinando a forma de magnetização com o meio de crescimento utilizado, denominadas de X, Y e Z. As fermentações foram realizadas em frascos de 150 mL de capacidade, com e sem agitação mecânica de 104 rpm. Foram utilizados dois meios de fermentação denominados de meios A e B . O meio A era composto de glicose a 50g/L e extrato de levedura a 5 g/L e o meio B de glicose a 150g/L, sais minerais e estrato de levedura a 5 g/L. Foram utilizadas duas formas de magnetização dos biorreatores, chamados de arranjos 1 e 2 que magnetizavam os biorreatores por meio de cinco pares de magnetos cilíndricos de NdFeB. Os magnetos foram instalados, verticalmente, na superfície externa das paredes desses biorreatores, com os pólos contrários defrontando-se, arranjo 1 (pólos norte de um lado e sul do lado oposto), e se defrontando alternadamente, arranjo 2. O gradiente de campo magnético, entre o ponto médio da distância de cada par e a parede interna do biorreator, próxima ao magneto no arranjo 1, era de 2.200 Gauss e no arranjo 2, foi diminuída, substancialmente, aproximando-se de zero. Os resultados médios das fermentações Tipo X (meio A, arranjo 1) mostraram que a biomassa do grupo magnetizado cresceu 108% a mais que o controle e a produção de etanol foi 114% superior. Houve um aumento na taxa de consumo de glicose pelas leveduras magnetizadas e não houve alterações no pH dos grupos magnetizado e controle. Nas fermentações Tipo Y (meio A, arranjo 2), não houve diferenças entre esses grupos, nas variáveis estudadas. Nas fermentações Tipo Z (meio B, arranjo1), os efeitos biológicos encontrados na biomassa, produção de etanol e consumo de glicose, não foram estatisticamente significantes. Portanto, as fermentações Tipo X foram as que obtiveram os melhores resultados, no que diz respeito ao crescimento da biomassa, produção de etanol e consumo de glicose, mostrando ser uma promissora técnica para aplicação na indústria do álcool
2

Interações entre leveduras e bactérias durante a fermentação alcoólica / not available

Carvalho, Rodrigo Setem 24 January 2002 (has links)
Na fermentação alcoólica de substratos oriundos da cana-de-açúcar (caldo e/ou melaço), a sacarose é o principal açúcar e sofre inicialmente a ação da invertase da levedura, sendo transformada em glicose e frutose. Ao que parece essa hidrólise é muito mais rápida que a metabolização das hexoses, ocorrendo acúmulo dos monossacarídeos, os quais podem exercer um estresse osmótico à levedura, bem como disponibilizar tais hexoses para o crescimento de lactobacilos contaminantes do processo fermentativo industrial. Neste trabalho foi quantificada a atividade de invertase de 5 linhagens de Saccharomyces cerevisiae (PE-2, BG-1, CAT-1, FLE e IZ-1904) todas pertencentes à coleção de leveduras do Departamento de Ciências Biológicas da ESALQ/USP. A atividade de invertase foi determinada tanto nos meios de crescimento (caldo, mosto misto e melaço) como também nas leveduras após a autólise com bicarbonato de sódio. Ambas as quantificações levaram à conclusão de que, em ordem crescente, a atividade de invertase dessas linhagens foi a seguinte: CAT-1, PE-2, BG-1, IZ-1904 e FLE. A segunda etapa deste trabalho consistiu em estudar a interação levedura-bactéria durante a fermentação alcoólica, buscando correlacionar a atividade de invertase com a contaminação bacteriana. Nesta etapa, foram comparadas as leveduras descritas acima, buscando melhor entender as relações tróficas entre Saccharomyces e Lactobacillus em co-cultura. Os estudos conduzidos consistiram em ensaios de fermentação com reciclos, procurando-se imitar as condições industriais e concluiu-se que, nessas condições, a atividade de invertase não exerceu influência sobre os níveis de contaminação por L. fermentum / not available
3

Interações entre leveduras e bactérias durante a fermentação alcoólica / not available

Rodrigo Setem Carvalho 24 January 2002 (has links)
Na fermentação alcoólica de substratos oriundos da cana-de-açúcar (caldo e/ou melaço), a sacarose é o principal açúcar e sofre inicialmente a ação da invertase da levedura, sendo transformada em glicose e frutose. Ao que parece essa hidrólise é muito mais rápida que a metabolização das hexoses, ocorrendo acúmulo dos monossacarídeos, os quais podem exercer um estresse osmótico à levedura, bem como disponibilizar tais hexoses para o crescimento de lactobacilos contaminantes do processo fermentativo industrial. Neste trabalho foi quantificada a atividade de invertase de 5 linhagens de Saccharomyces cerevisiae (PE-2, BG-1, CAT-1, FLE e IZ-1904) todas pertencentes à coleção de leveduras do Departamento de Ciências Biológicas da ESALQ/USP. A atividade de invertase foi determinada tanto nos meios de crescimento (caldo, mosto misto e melaço) como também nas leveduras após a autólise com bicarbonato de sódio. Ambas as quantificações levaram à conclusão de que, em ordem crescente, a atividade de invertase dessas linhagens foi a seguinte: CAT-1, PE-2, BG-1, IZ-1904 e FLE. A segunda etapa deste trabalho consistiu em estudar a interação levedura-bactéria durante a fermentação alcoólica, buscando correlacionar a atividade de invertase com a contaminação bacteriana. Nesta etapa, foram comparadas as leveduras descritas acima, buscando melhor entender as relações tróficas entre Saccharomyces e Lactobacillus em co-cultura. Os estudos conduzidos consistiram em ensaios de fermentação com reciclos, procurando-se imitar as condições industriais e concluiu-se que, nessas condições, a atividade de invertase não exerceu influência sobre os níveis de contaminação por L. fermentum / not available
4

Identificação molecular da levedura Dekkera bruxellensis como principal contaminante do processo de fermentação alcoólica industrial

LIBERAL, Anna Theresa de Souza January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:05:31Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6279_1.pdf: 1159943 bytes, checksum: 304759a6d6ef6a75356a5eeee65e876b (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / As indústrias de álcool combustível realizam a fermentação a partir de um processo aberto e não asséptico permitindo que leveduras de baixo rendimento fermentativo se instalem no processo. Identificar e caracterizar a principal espécie de levedura contaminante detectada em usinas de álcool combustível na região Nordeste do Brasil utilizando métodos moleculares foi, portanto o objetivo deste trabalho. O isolado não-Saccharomyces cerevisiae mais freqüente foi identificado por provas bioquímicas e por seqüênciamento de DNA como pertencente à espécie Dekkera bruxellensis, e diversas linhagens genéticas puderam ser discriminadas entre os isolados. O estudo da dinâmica da população de leveduras mostrou a alta adaptabilidade de D. bruxellensis às condições industriais, causando episódios de contaminação recorrentes e severos. Contaminações severas do processo de fermentação industrial por leveduras Dekkera têm um impacto negativo no rendimento global das destilarias, explicado neste trabalho pela menor produtividade volumétrica desta levedura. A partir do exposto, a rápida detecção de D. bruxellensis em mosto industrial poderá evitar problemas operacionais nas usinas de álcool combustível
5

A fermentação alcoólica como estratégia no ensino de transformação química no nível médio em uma perspectiva interdisciplinar

Duarte, Flávia Tocci Boeing 01 July 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Instituto de Física, Instituto de Química, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, 2014. / Submitted by Cristiane Mendes (mcristianem@gmail.com) on 2014-11-24T16:16:54Z No. of bitstreams: 2 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte_Apendice.pdf: 2706317 bytes, checksum: 59d322fa49a6e65dae338f3c0eb02e70 (MD5) 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte.pdf: 2056211 bytes, checksum: 4e6556e60b685ceffb72a33cb5f8cb66 (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2014-11-25T15:14:40Z (GMT) No. of bitstreams: 2 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte_Apendice.pdf: 2706317 bytes, checksum: 59d322fa49a6e65dae338f3c0eb02e70 (MD5) 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte.pdf: 2056211 bytes, checksum: 4e6556e60b685ceffb72a33cb5f8cb66 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-11-25T15:14:40Z (GMT). No. of bitstreams: 2 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte_Apendice.pdf: 2706317 bytes, checksum: 59d322fa49a6e65dae338f3c0eb02e70 (MD5) 2014_FlaviaTocciBoeingDuarte.pdf: 2056211 bytes, checksum: 4e6556e60b685ceffb72a33cb5f8cb66 (MD5) / Este trabalho surgiu de um interesse profissional em desenvolver atividades que estimulassem o aprendizado dos discentes quanto ao conteúdo, visando minimizar os problemas no ensino de ciências, e ainda promover um ensino centrado no conhecimento de conceitos científicos, fundamentais para sua formação. Para isso, propomos concretizar um ensino por meio de oficinas temáticas, com o intuito de oferecer significado ao conceito de transformação química, além dos outros conceitos envolvidos no tema: Fermentação Alcoólica. Essa é uma proposta contextualizada e interdisciplinar, que permite a inter-relação dos conceitos científicos, oferendo estímulo ao aluno, para que ele perceba as suas relações com seu cotidiano; levando em consideração as concepções prévias dos discentes para orientar a construção do módulo de ensino. A aplicação do módulo orientado foi por meio de uma oficina de experimentação e, posteriormente, verificou-se a apropriação de novas concepções científicas, principalmente sobre a aprendizagem do conceito de transformação química. O módulo foi aplicado em três dias durante a amostra científica para alunos da modalidade EJA, de uma escola pública do DF. Os resultados demonstram que a apropriação do conceito de transformação química foi eficaz, além de outros conceitos. Também demonstram que atividades experimentais, práticas dialógicas e avaliações a partir de registros em diário de classe são estratégias eficientes no processo de ensino-aprendizagem de ciências. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This work originated from a professional interest in developing activities that stimulate students ' learning about the content in order to minimize problems in science education and even promote a centered teaching of scientific knowledge , concepts fundamental to their training . We propose finish teaching through thematic workshops, in order to provide meaning to the concept of chemical transformation, in addition to other concepts involved in the topic: Alcoholic Fermentation. This is a contextualized and interdisciplinary approach, allowing the interrelation of scientific concepts, offering encouragement to the student so that he realizes their relationship with their daily lives; taking into account the students prior conceptions to guide the construction of the teaching module. The application module has been driven through a workshop of experimentation and subsequently verified the ownership of new scientific concepts, especially about learning the concept of chemical transformation. This module was implemented in three days during the scientific sample of students EJA embodiment, a public school in the District Federal. The results demonstrate that the appropriation of the concept of chemical change was effective and other concepts. Also dismantle that experimental activities, dialogic practices and reviews from records in gradebook strategies are effective in the teaching and learning of science process.
6

Identificação dos mecanismos genéticos de resposta ao estresse ácido em Saccharomyces cerevisiae

Lucena, Rodrigo Mendonça de 31 January 2012 (has links)
Submitted by Luiz Felipe Barbosa (luiz.fbabreu2@ufpe.br) on 2015-03-13T13:23:37Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese - Rodrigo Mendonça de Lucena.pdf: 1925141 bytes, checksum: ad20740a309b4280513e7c3cc2a874b1 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-13T13:23:37Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese - Rodrigo Mendonça de Lucena.pdf: 1925141 bytes, checksum: ad20740a309b4280513e7c3cc2a874b1 (MD5) Previous issue date: 2012 / FACEPE / Células de S. cerevisiae são submetidas a diferentes tipos de estresse durante o processo fermentativo para a produção de álcool combustível. No Brasil, este processo ocorre com reciclos celulares intercalados por etapas de pré-fermentação que inclui, entre outros procedimentos, o tratamento com ácido sulfúrico diluído para controle da população bacteriana. Este tratamento conduz a perda da viabilidade celular, com conseqüências no rendimento fermentativo. Considerando estes fatos, o presente trabalho tem o propósito de identificar a resposta genética e metabólica de S. cerevisiae ao estresse ácido, e revelar os mecanismos que conduzem a tolerância e adaptação celular. Foi realizada a triagem de mutantes com deleções crescendo em meio com pH neutro e ácido, onde foram comparados com a linhagem selvagem, assim como também foi avaliada a expressão gênica global e específica para genes envolvidos em diferentes via metabólicas. Os resultados mostraram que a via de Integridade da Parede Celular é o principal mecanismo responsável pela tolerância celular ao pH ácido, onde este dano ativa a via da proteína quinase C (PKC) principalmente pelo sensor de membrana Wsc1p. Adicionalmente, danos a parede celular podem mimetizar o efeito do choque hiperosmótico e ativar a via HOG, a qual amplifica o sinal da via PKC e induz a ativação dos canais de Ca2+ pelo aumento da expressão do gene SLT2, promovendo o influxo de cálcio que ativará a calcineurina. Juntos, estes mecanismos conduzem a mudanças na expressão de genes envolvidos com a regeneração da parede celular, metabolismo de carboidratos, resposta a feromônios e regulação do ciclo celular.
7

Ecologia da levedura Dekkera bruxellensis no ambientação da fermentação alcoólica industrial

SILVA, Teresa Cristina Domingos da 06 March 2015 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2015-05-26T14:43:18Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertaçao Teresa.pdf: 858798 bytes, checksum: 366102ad9a523ad884dd83fab7fbdde1 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-26T14:43:18Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertaçao Teresa.pdf: 858798 bytes, checksum: 366102ad9a523ad884dd83fab7fbdde1 (MD5) Previous issue date: 2015-03-06 / CNPq / A levedura Dekkera bruxellensis foi identificada como principal contaminante dos processos de fermentação alcoólica em destilaria de vários países, com destaque para as encontradas no nordeste brasileiro. A presença dessas leveduras pode resultar em uma diminuição na produtividade do etanol combustível, causando grande prejuízo econômico. Atualmente, vários estudos estão sendo realizados para um melhor entendimento sobre a fisiologia dessa espécie e pouco se sabe sobre como essa levedura contaminante se instala no processo industrial. Assim, esse trabalho se propõe a investigar os possíveis pontos de surgimento desta levedura em destilarias do estado da Paraíba, no Nordeste Brasileiro, a partir de amostras coletadas da água de lavagem da cana-de-açúcar, do caldo misto da fermentação e da vinhaça, um resíduo industrial. As leveduras foram isoladas usando meios seletivos com WLN e YNB-Nit e posteriormente identificadas a partir de sequenciamento de DNA. Foram isoladas 157 espécimes de D. bruxellensis. Estes isolados estavam presentes nos três pontos de coletas em ambas as destilarias, mas com diferentes percentuais de distribuição. Na destilaria A o surgimento das leveduras foi ditribuido em 33.9% nas amostras de caldo misto, 13,1% nas de água e 53% nas de vinhaça. Na destilaria B as percentagens foram 19,8% para caldo misto, 33,4% para água de lavagem e 46,8 para vinhaça Este estudo mostra que a levedura D. bruxellensis está presente em todas as amostras analisadas e em quantidade significantes, sendo o nitrato presente nessas amostras o possível responsável poe essa presença. Entretanto, mais estudos acerca da presença de nitrato e a presença da levedura nessas amostras são necessários para confirmar a adaptação de D. bruxellensis em diferentes nichos ecológicos. / The Yeast Dekkera bruxellensis was identified as the main contaminant of fermentation processes in distillery many countries, especially those found in northeastern Brazil. The presence of these yeasts can result in a decrease in fuel ethanol productivity, causing great economic damage. Currently, several studies are being conducted to a better understanding of the physiology of this species and little is known about how this contaminant yeast settles in the industrial process. Thus, this study aims to investigate the possible points of emergence of this yeast in distilleries in the state of Paraíba, in Northeastern Brazil, from samples collected wash sugarcane water, the mixed fermentation broth and vinasse , an industrial residue. The yeasts were isolated using selective media with WLN and YNB-Nit and later identified from DNA sequencing. They were isolated 157 specimens of D. bruxellensis. These isolates were present in the three collection points in both distilleries, but with different percentage distribution. The distillery in the emergence of yeast was ditribuido at 33.9% in mixed juice samples, 13.1% water and 53% in the vinasse. In distillery percentages were 19.8% for mixed juice, 33.4% for wash water and 46.8 for vinasse This study shows that the yeast D. bruxellensis is present in all samples and in significant quantity, and the nitrate present in these samples the possible responsible poe this presence. However, more studies about the presence of nitrate and the presence of yeast in these samples are needed to confirm the adaptation of D. bruxellensis in different ecological niches.
8

Identificação dos mecanismos genéticos de resposta ao estresse ácido em Saccharomyces cerevisiae

LUCENA, Rodrigo Mendonça de January 2012 (has links)
Submitted by Caroline Falcao (caroline.rfalcao@ufpe.br) on 2017-04-10T17:50:09Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 2012-Tese-RodrigoLucena.pdf: 1924564 bytes, checksum: 5c075accad4cf839a0292842848e65e3 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-04-10T17:50:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 2012-Tese-RodrigoLucena.pdf: 1924564 bytes, checksum: 5c075accad4cf839a0292842848e65e3 (MD5) Previous issue date: 2012 / Células de S. cerevisiae são submetidas a diferentes tipos de estresse durante o processo fermentativo para a produção de álcool combustível. No Brasil, este processo ocorre com reciclos celulares intercalados por etapas de pré-fermentação que inclui, entre outros procedimentos, o tratamento com ácido sulfúrico diluído para controle da população bacteriana. Este tratamento conduz a perda da viabilidade celular, com conseqüências no rendimento fermentativo. Considerando estes fatos, o presente trabalho tem o propósito de identificar a resposta genética e metabólica de S. cerevisiae ao estresse ácido, e revelar os mecanismos que conduzem a tolerância e adaptação celular. Foi realizada a triagem de mutantes com deleções crescendo em meio com pH neutro e ácido, onde foram comparados com a linhagem selvagem, assim como também foi avaliada a expressão gênica global e específica para genes envolvidos em diferentes via metabólicas. Os resultados mostraram que a via de Integridade da Parede Celular é o principal mecanismo responsável pela tolerância celular ao pH ácido, onde este dano ativa a via da proteína quinase C (PKC) principalmente pelo sensor de membrana Wsc1p. Adicionalmente, danos a parede celular podem mimetizar o efeito do choque hiperosmótico e ativar a via HOG, a qual amplifica o sinal da via PKC e induz a ativação dos canais de Ca2+ pelo aumento da expressão do gene SLT2, promovendo o influxo de cálcio que ativará a calcineurina. Juntos, estes mecanismos conduzem a mudanças na expressão de genes envolvidos com a regeneração da parede celular, metabolismo de carboidratos, resposta a feromônios e regulação do ciclo celular. / S. cerevisiae cells are subjected to different sorts of stress during the fermentation process for the fuel alcohol production. In Brazil, this process occurs using cell recyclings interspersed with steps of pre-fermentation which includes, among other procedures, treatment with dilute sulfuric acid to control of the bacterial population. This treatment leads to loss of cell viability, with consequences on yield fermentation. Considering these facts, the present study aims to identify the genetic and metabolic response of S. cerevisiae during acid stress, and reveal the mechanisms leading to tolerance and cellular adaptation. Screening was performed with deletion mutants grown in media with neutral and acid pH, which were compared with the wild strain, as well as also was evaluated the global and specififies gene expression to genes involved in different metabolic pathway. The results showed that the Cell Wall Integrity pathway is the main mechanism responsible for cellular tolerance to acid pH, where the damage activates the protein kinase C (PKC) mainly by Wsc1p membrane sensor. In addition, cell wall injury might mimic the effects of high osmotic shock and activates the HOG pathway, which amplifies the signal in the upper part of PKC pathway and leads to the activation of Ca2+ channels by SLT2 overexpression and this Ca2+ influx further activates calcineurin.Together, these mechanisms induce the expression of genes involved in cell wall regeneration, mating, carbohydrate metabolism and cell cycle regulation.
9

Análise da expressão dos genes relacionados à assimilação do nitrato na levedura Dekkera Bruxellensis

PITA, Will de Barros 31 January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:02:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo3634_1.pdf: 1182297 bytes, checksum: 555f62e24f992ab833cb18ef506968ae (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2009 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / A levedura Dekkera bruxellensis foi identificada como principal contaminante dos processos de fermentação alcoólica em destilarias do Brasil, do Canadá e dos EUA. Contagens elevadas desta levedura podem resultar em diminuição da produtividade etanólica, com conseqüente prejuízo econômico. Recentemente, esta levedura teve seu genoma parcialmente seqüenciado e foram identificadas seqüências correspondentes a genes do metabolismo do nitrato. A presença de tais genes indica que D. bruxellensis possa usufruir deste composto como fonte de nitrogênio, ao contrário de Saccharomyces cerevisiae, durante o processo fermentativo. Como estas leveduras competem no ambiente industrial, a presença de nitrato poderia ser um fator diferencial na adaptação de D. bruxellensis, visto que esta fonte pode estar presente no caldo de cana proveniente do processo de adubação da cana de açúcar. Assim, os objetivos deste trabalho foram analisar o perfil de expressão dos genes da via metabólica do nitrato de D. bruxellensis em meios laboratoriais e verificar se esta levedura expressa estes genes em caldo de cana industrial utilizando a técnica de PCR quantitativa (qPCR). As células de D. bruxellensis foram cultivadas em meios sintéticos contendo glicose como fonte de carbono na presença de amônia, de nitrato ou ambas as fontes. As células foram coletadas em pontos específicos para extração do RNA, síntese de cDNA e analise por qPCR utilizando o método 2-ΔΔCt para quantificação da expressão gênica. Como controle endógeno foi empregado o gene EFA1. Todos os quatro genes estudados apresentaram indução de sua expressão na presença de nitrato e foram sujeitos à repressão catabólica do nitrogênio quando a amônia estava presente no meio. Adicionalmente, a presença e o consumo de nitrato no caldo de cana foram investigados. Neste substrato, os genes apresentaram perfil de expressão diferente do observado nos meios YNB. O nitrato foi detectado no caldo de cana e seu consumo ao longo do tempo foi determinado. Este estudo comprova que os genes da assimilação do nitrato em D. bruxellensis são induzidos em presença deste composto e reprimidos na presença de amônia. As células de D. bruxellensis expressaram estes genes no caldo de cana. Entretanto, maiores estudos acerca da regulação da expressão dos genes desta via metabólica ainda são necessários para correlacionar esta expressão com a adaptação de D. bruxellensis no meio de fermentação alcoólica
10

Análise da constituição genética de linhagens industriais da levedura Dekkera bruxellensis

LIBERAL, Anna Theresa de Souza 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:02:04Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo767_1.pdf: 2982127 bytes, checksum: ec4ba15e127a34669d0fe0a656f86bc3 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / A levedura Dekkera bruxellensis vem se mostrando um importante microrganismo industrial, não apenas por causar eventos de contaminação em diversos processos fermentativos como também pela alta adaptação a esses processos. Este trabalho teve como objetivo principal identificar características genéticas básicas como composição genômica e cariotípica de linhagens industriais da levedura Dekkera bruxellensis a partir do uso de técnicas moleculares. Nesse trabalho, conseguimos visualizar o número e tamanho dos cromossomos das linhagens industriais de álcool combustível através da técnica de PFGE. Identificamos e analisamos estruturalmente os genes envolvidos na via do metabolismo central fermentativo através de busca no genoma seqüenciado, depositado no Banco de Dados do Projeto Dekkera bruxellensis. Analisamos a constituição genética e o status filogenético da D. bruxellensis em relação ao grupo ascomiceto através da análise dos genes piruvato descarboxilase (PDC) e álcool desidrogenase (ADH). Além disso, realizamos experimentos de expressão gênica por PCR em Tempo Real com os genes dbARO10 e dbADH em diversos meios com diferentes fontes de Carbono e Nitrogênio, verificando a resposta dessa levedura e analisando sua atividade enzimática para a fenilpiruvato descarboxilase e a álcool desidrogenase. Este foi um trabalho prospectivo, que fornece um painel inicial sobre a constituição genética desta levedura. Entretanto, algumas perguntas foram respondidas a partir dos resultados obtidos. Nos nossos trabalhos anteriores foi verificada a presença de dois padrões distintos de fingerprinting dos isolados de fermentação alcoólica. Esta variação de perfis refletiu-se nas variações cromossômicas, tanto em número quanto em tamanho. Pelas análises filogenéticas foi possível também, posicionar a D. bruxellensis dentro do grupo dos ascomicetos para os genes estudados

Page generated in 0.099 seconds