• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 9372
  • 1958
  • 775
  • 229
  • 103
  • 97
  • 97
  • 84
  • 75
  • 54
  • 54
  • 52
  • 50
  • 45
  • 14
  • Tagged with
  • 12517
  • 5410
  • 4082
  • 2873
  • 2657
  • 2427
  • 2006
  • 1689
  • 1386
  • 1383
  • 1262
  • 1054
  • 1048
  • 969
  • 895
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudio del fenotipo de células mononucleares en sangre periférica de pacientes con melanoma. Análisis de los niveles sericos y polimorfismo de citoquinas.

Martínez Escribano, Jorge Antonio 24 October 2001 (has links)
No description available.
2

Impacto da terapia antirretroviral em adolescentes e adultos com aids em Curitiba conforme os diferentes consensos de tratamento de 1991, 1996 e 2001 do ministério da Saúde

Rossi,Silvia Maria Gomes de 20 September 2010 (has links)
Resumo: A aids, por ser uma infecção crônica e potencialmente letal, foi vista como uma sentença de morte desde o diagnóstico de seus primeiros casos, no início da década de 1980. O tratamento antirretroviral, desde o uso pioneiro da zidovudina em 1987, vem sendo aprimorado. A disponibilidade de exames capazes de indicar o momento mais preciso para iniciar a medicação e o uso rotineiro de profilaxia edicamentosa para infecções oportunistas e de drogas combinadas diminuem o risco de falha do tratamento, tudo isso levando a uma maior sobrevida com boa qualidade de vida. No Brasil o Ministério da Saúde (MS) criou o Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis e AIDS em 1986, e em 1991 começou o processo de compra e distribuição gratuita de medicamentos para a aids e infecções oportunistas, com consensos de terapia atualizados periodicamente. Esta pesquisa é uma coorte retrospectiva, e o objetivo foi analisar o impacto dos diferentes consensos de terapia antirretroviral (TARV) implantados pelo MS nos anos de 1991, 1996 e 2001 na sobrevida dos adolescentes e adultos com aids residentes em Curitiba. Foram incluídos todos os casos de aids neste grupo etário notificados nos seis primeiros meses de 1992, 1997 e 2002 na cidade de Curitiba, que poderiam refletir o impacto das diferentes TARVs disponibilizadas nos cinco anos subsequentes. A população do estudo foi composta por 600 casos de aids, sendo 419 do gênero masculino e 181 do gênero feminino, com idades variando dos 13 aos 78 anos. A sobrevida após cinco anos a partir da indicação terapêutica de 1991 era de 18,1%; do consenso de 1996 era de 68,8% e a partir daquele de 2001 era de 66,1%. Os pacientes com maior escolaridade tiveram maior adesão ao tratamento (p<0,001), e os usuários de drogas injetáveis (UDI) aderiram pouco ao tratamento (p=0,03). Dos pacientes que usaram TARV tríplice, 66,5% estavam vivos cinco anos após o diagnóstico. O aprimoramento da TARV preconizada pelo MS teve impacto positivo na sobrevida dos adolescentes e adultos estudados. Outros fatores que também influenciaram a sobrevida foram a faixa etária, a escolaridade, a adesão ao tratamento antirretroviral, o tipo de TARV e o ano de diagnóstico. Não foi evidenciada associação entre sobrevida, gênero e categoria de exposição ao HIV.
3

Avaliação etiológica e clínica de pacientes com parkinsonismo atendidos no ambulatório de distúrbios do movimento da Universidade Federal do Paraná

Munhoz, Renato Puppi 28 May 2010 (has links)
Resumo: Parkinsonismo é uma síndrome neurológica que inclui de forma ampla uma variedade de doenças que tem ao menos dois pontos comuns: (i) presença de mais de um dos três sinais cardinais, tremor de repouso, rigidez, bradicinesia e instabilidade postural, e (ii) fisiopatologia que inclui disfunção do circuito dopaminérgico nigro-estriatal, responsável pelo controle dos movimentos voluntários. Esta síndrome inclui doenças com incidência e gravidade amplamente variáveis. O maior desafio do clínico frente a pacientes com estes sinais e sintomas está na confirmação do diagnóstico etiológico, uma vez que cada uma destas entidades trás consigo características peculiares em relação ao tratamento e prognóstico. Os objetivos do presente estudo foram investigar estes diagnósticos etiológicos, ressaltando as principais características de cada forma de parkinsonismo e comparar os fenótipos clínicos evidenciando características relevantes. Foram analisados retrospectivamente os dados de uma amostra de pacientes com diagnóstico sindrômico de parkinsonismo, documentando-se dados demográficos, clínicos motores e não motores, bem como seu diagnóstico etiológico final de acordo com critérios estabelecidos na literatura. Foram coletados dados de 1528 pacientes, sendo a doença de Parkinson o diagnóstico final mais comum em 74,74 % pacientes, seguido por parkinsonismo medicamentoso em 7,86 %, parkinsonismo vascular em 3,92 %, outras doenças neurodegenerativas em 10,01 % (destas a paralisia supranuclear progressiva foi a mais comum) e finalmente causas mais raras e de ocorrência esporádica que totalizam 3,47 % do total, divididas de acordo com sua origem genética, infecciosa e outras. A análise comparativa de cada um destes grupos mostrou ainda que estas síndromes, além de diferenças relacionadas a seus respectivos critérios iagnósticos, têm comportamento peculiar em relação a variáveis demográficas e clínicas. Dentro de certos grupos existem diferenças significativas formando subgrupos especiais. Na doença de Parkinson isso ficou evidente com relação a sinais não motores, cujas presenças implicam correlações expressivas com diversos aspectos demográficos e clínicos. Entre pacientes com parkinsonismo medicamentoso, existem subgrupos relacionados ao tipo de agente causal que demonstram comportamento demográfico e fenomenológico divergentes. Conclui-se que as freqüências das principais causas de parkinsonismo no meio em que o estudo foi realizado são típicas, sendo a doença de Parkinson a causa mais comum, porém outros diagnósticos são freqüentes, ocorrendo em um quarto dos casos. Cada um destes diagnósticos diferenciais tem particularidades que exigem identificação, abordagens e valorização individualizadas. O parkinsonismo medicamentoso representa uma parcela particularmente grande e que envolve aspectos peculiares ssociados em parte aos hábitos de prescrição e disponibilização de agentes terapêuticos em nosso meio.
4

Determinación del rango fisiológico de la PIO matinal en sanos de 40 años y más

Arcos Oyarzún, Christal, Muñoz González, Werner January 2000 (has links)
No description available.
5

Influence of polymorphisms in cytokine genes TNF&#945;, IFN&#947;, TGF&#946;, IL-6 and IL-10 in clinical laboratory profile of sickle cell patients / InfluÃncia dos polimorfismos nos genes das citocinas TNF&#945;, IFN&#947;, TGF&#946;, IL-6 E IL-10 no perfil clÃnico-laboratorial de pacientes com anemia falciforme

Janio Emanuel Andrade Cavalcante 26 February 2013 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Sickle cell anemia (SCA) is caused by a point mutation leading the substitution of glutamic acid for valine at the sixth position of the beta globin chain. Associations between single nucleotide polymorphisms (SNPs) and several clinical events have been described in sickle cell patients. The aim of this study was to determine the polymorphisms frequency in the cytokine genes TNF&#945;, IFN&#947;, TGF&#946;, IL-6 e IL-10 in sickle cell patients and healthy controls, and to investigate the cytokines genotypes influence in clinical and laboratory profile in sickle cell patients. The sickle cell patients group was composed by 41 adultsâ patients with molecular diagnosis, of both sexes, in outpatients care at the Hematology Center of Cearà (HEMOCE), from march 2011 to july 2012. The study included 90 healthy blood donors matched for age and sex. We collected 5 mL of venous blood for DNA extraction kit using the GFX Genomic Blood DNA Purification (GE Healthcare) and typing of cytokine genes polymorphisms by kit from One-Lambda (Canoga Park, CA, USA). The polymorphisms frequencies analysis and associations between polymorphisms and clinical events were performed using the two-tailed Fisher exact test. To check the genotypes influence in laboratory parameters were used parametric test ANOVA and non-parametric Kruscal Wallis test. The clinical and laboratory data were obtained by active search in the medical records. Sickle cell patients typified for TGF&#946; genotypes showed a tendency to appear a lower frequency of TGF&#946; T/T G/G genotype than control group. Sickle cell patients typified for CC GC/ CC CC /TT CC/TC CC TGF&#946; genotypes (low producer) obtained a leukocytes median number greater than patients typified for TT GG/TC GG TGF&#946; group (high producer). A significant difference on IL-6 genotypes frequency was observed between patient group and control group. Regarding IL-6, patients typified for CC genotype exhibited an average/median MCHC higher than patients typified for GC or GG genotypes. Patients typified for CC genotype showed evident tendency to lower fetal hemoglobin levels and higher reticulocytes percentages. We find an association between ACC ATA + ATA ATA + ACC ACC IL-10 group, lower IL-10 producer, and acute chest syndrome (ACS). It is concluded that genotypes associated with low IL-10 production may play a role in the predisposition to ACS in sickle cell patients. / A anemia falciforme (AF) à causada por uma mutaÃÃo pontual que leva a substituiÃÃo do Ãcido glutÃmico pela valina na sexta posiÃÃo da cadeia de beta globina. A associaÃÃo entre polimorfismos de nucleotÃdeos Ãnicos (SNPs) e diversos eventos clÃnicos tem sido descrita em pacientes com AF. O objetivo do presente estudo foi verificar a frequÃncia dos polimorfismos nos genes das citocinas TNF&#945;, IFN&#947;, TGF&#946;, IL-6, e IL-10 nos pacientes com AF e controles saudÃveis, e investigar o impacto dos genÃtipos dessas citocinas no perfil clÃnico-laboratorial dos pacientes. 41 IndivÃduos adultos com diagnÃstico molecular de AF, de ambos os sexos, em acompanhamento ambulatorial no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Cearà (HEMOCE) participaram do estudo, no perÃodo de marÃo de 2011 a julho de 2012. Um grupo controle foi constituÃdo por 90 indivÃduos saudÃveis pareados quanto à idade e o sexo. Foram coletados 5 mL de sangue venoso para extraÃÃo do DNA atravÃs do kit GFX Genomic Blood DNA Purification (GE Healthcare) e para tipificaÃÃo dos polimorfismos dos genes das citocinas atravÃs do âkitâ da âOne-Lambdaâ (Canoga Park, CA, EUA). A anÃlise das frequÃncias dos polimorfismos e as associaÃÃes com os eventos clÃnicos foram realizadas pelo teste exato de Fisher bicaudal. Para verificar a influÃncia dos genÃtipos nos parÃmetros laboratoriais foram utilizados o teste paramÃtrico ANOVA e o nÃo paramÃtrico de Kruscal Wallis. Os dados clÃnicos e laboratoriais foram obtidos por busca ativa nos prontuÃrios mÃdicos. Pacientes com AF tipificados para os genÃtipos de TGF&#946; CC GC/ CC CC /TT CC/TC CC (baixo produtor) obtiveram um nÃmero mediano de leucÃcitos maior do que os pacientes do grupo TT GG/TC GG (alto produtor). Houve diferenÃa significativa na frequÃncia dos genÃtipos de IL-6 entre o grupo de pacientes e o grupo controle. Ainda em relaÃÃo a IL-6, os pacientes tipificados para o genÃtipo CC apresentaram valores mÃdios/medianos de CHCM maiores que os pacientes portadores dos genÃtipos GC ou GG. Foi evidenciada tendÃncia dos pacientes tipificados para o genÃtipo C/C apresentarem menores nÃveis de hemoglobina fetal (HbF) e maiores porcentagens de reticulÃcitos. Houve uma associaÃÃo entre o grupo de genÃtipos de IL-10 ACC ATA + ATA ATA + ACC ACC, grupo baixo produtor de IL-10, e a sÃndrome torÃcica aguda (STA). Conclui-se que genÃtipos associados com a baixa produÃÃo de IL-10 possam desempenhar um papel importante na predisposiÃÃo à STA em adultos com AF.
6

Study of T, NK and NKT lymphocyte populations in the sheet at the peak of inflammation of 5-Fluorouracil-induced intestinal mucosite in C57BL6 /J / Estudo das populaÃÃes de linfÃcitos T, NK e NKT na lÃmina prÃpria no pico da inflamaÃÃo da mucosite intestinal induzida por 5-Fluorouracil em camundongos C57BL6/J

Cristhyane Costa de Aquino 19 February 2016 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Cancer is a disease that originates through genomic alterations that occur by defects in the systematic process of cell injury and repair. 5-fluorouracil (5-FU) is one of the most used anti-neoplastic drugs in the cancer treatment, exerting multiple effects on abnormal cell growth. 5-FU treatment affects rapidly proliferating tissues, causing mucositis, anorexia, nausea, vomiting and diarrhea. Natural Killer (NK) cells of the innate immunity, T cells of the acquired immunity, and Natural Killer T cells (NKT), which can play immunomodulatory activities, are present mainly in the intestinal mucosa. The aim of this study was to identify and characterize the populations of NK, T lymphocytes, and NKT cells in the lamina propria of C57BL6J mice challenged by 5-FU-induced intestinal mucositis. We have used male mice weighing 19 to 25g, challenged by intraperitoneal injection of 5FU (n=6) or saline (n=6) (150mg/kg, single dose) and euthanized after 72h. The small intestine segments were harvested for histological processing and morphometric analyses and for the myeloperoxidase activity assay. The extraction of the lamina propria lymphocytes from the overall small intestine was also conducted for flow cytometry analyses. Blood was drawn from the retroorbital plexus for leucocyte counting. Mice were weighed daily prior to 5-FU administration until the day of euthanasia. The 5-FU challenge (150 mg/kg, single dose, i.p.) led to weight loss, reduction of leucocyte counts at the time of villi and reason villus/crypt and increased crypt depth in all small intestinal segments. The flow cytometry data have shown that 5-FU-treated group had a reduction in the frequency of NK cells (CD16+) and CD3+ CD4+ cells. In the same group, an increased frequency of NKT cells (CD16+) and CD3+ CD8+ cells was found. Altogether our findings suggest that 5-FU-induced intestinal mucositis affects the frequency of different T and NK cells populations in the lamina propria. More in-depth studies are warranted to unfold the mechanisms that led to these changes, taking into account the immunoinflammatory effects of 5-FU. / O cÃncer à uma doenÃa que se origina atravÃs de alteraÃÃes genÃmicas que ocorrem por defeito no processo sistemÃtico de lesÃo celular e reparo. O 5-fluorouracil (5-FU) à um dos anti-neoplÃsicos mais utilizados no tratamento do cÃncer, exercendo mÃltiplos efeitos sobre o crescimento celular anormal. O tratamento com 5-FU afeta principalmente tecidos de proliferaÃÃo rÃpida, causando mucosite, anorexia, nÃuseas, vÃmitos e diarreia. As cÃlulas Natural Killer (NK), da imunidade inata, as cÃlulas T, da imunidade adquirida, e as cÃlulas T Natural Killer (NKT), que podem desempenhar aÃÃes imunomodulatÃrias e estÃo presentes principalmente na mucosa do intestino. O objetivo deste trabalho foi identificar e caracterizar as populaÃÃes de linfÃcitos NK, T e NKT na lÃmina prÃpria de camundongos com mucosite intestinal induzida por 5-FU. Utilizamos camundongos machos com 19 a 25g, desafiados com injeÃÃo intraperitoneal de 5-FU (n=6) ou salina (n=6) (150mg/kg, dose Ãnica), sendo eutanasiados apÃs 72h. Segmentos do intestino delgado foram coletados para processamento histolÃgico e anÃlise morfomÃtrica e para ensaio da atividade da mieloperoxidase. Foi realizada tambÃm a extraÃÃo de linfÃcitos da lÃmina prÃpria do intestino delgado dos animais para anÃlise por citometria de fluxo e coletado sangue do plexo retroorbital para leucometria. Os animais foram pesados diariamente, antes da administraÃÃo do 5-FU atà o dia da eutanÃsia. O desafio com o 5-FU (150 mg/kg, dose Ãnica, via i.p) levou a perda de peso nos animais, reduÃÃo da contagem de leucÃcitos, da altura dos vilos e da razÃo vilo/cripta em todos os segmentos do intestino delgado e aumentou a profundidade das criptas. Os dados da citometria de fluxo evidenciaram que os animais do grupo 5-FU tiveram uma reduÃÃo da frequÃncia de cÃlulas NK (CD16+) e de cÃlulas CD3+CD4+. Nesse mesmo grupo houve um aumento da frequÃncia de cÃlulas NKT (CD16+) e de cÃlulas CD3+CD8+. A partir dos nossos achados, concluÃmos que a mucosite intestinal induzida pelo 5-FU afeta a frequÃncia das diferentes populaÃÃes de cÃlulas T e NK na lÃmina prÃpria. SÃo necessÃrios estudos mais aprofundados sobre os mecanismos que levaram a essas alteraÃÃes, levando em conta os efeitos imunoinflamatÃrios do 5-FU.
7

Correlation between minimal changes in cardiac function, esophageal motility and heart rate variability in patients with the indeterminate form of Chagas Disease / CorrelaÃÃo entre alteraÃÃes mÃnimas da funÃÃo cardÃaca, motilidade esofÃgica e variabilidade da frequÃncia cardÃaca em pacientes com a forma indeterminada da DoenÃa de Chagas

Danielle Melo de Leopoldino 01 June 2011 (has links)
Chagas disease (CD) is currently the fourth most impacting disease in Latin America. Infected individuals are at continued risk of developing chronic cardiomyopathy&#8213;the main cause of morbidity and mortality. CD may also lead to intrinsic denervation of the enteric nervous system (ENS). Previous studies have described important changes in the autonomic nervous system, myocardium and digestive system. Indeterminate chronic Chagas disease (ICD) is asymptomatic and cannot be detected by simple tests such as electrocardiography, esophagography, contrast enema or chest radiography. However, minimal changes in cardiac and digestive functions have been reported for patients without clear clinical signs of cardiac or ENS denervation. We hypothesize these changes may be due to autonomic dysfunction. The purpose of this study was to evaluate esophageal motility and ventricular function and their correlation with heart rate variability (HRV) in subjects with ICD. Methods. Sixteen subjects with ICD and 8 healthy controls were submitted to electrocardiography for 30 min. with monitoring of HRV in the time and frequency domains, echocardiography with monitoring of cardiac function (systolic/diastolic) and six-channel perfusion esophageal manometry. Results. The systolic function (ventricular ejection fraction) was preserved in ICD patients and controls (66.1Â7.28 vs. 69.1Â6.36; p=0.35), but a significant difference was observed in tissue Doppler E&#8223; wave values (0.12Â0.02 vs. 0.14Â0.01; p=0.02). The average E wave deceleration time was longer for ICD patients but the difference did not reach statistical significance (200.81Â35.17 vs. 191.57Â36.08). As for the HRV time domain, the average NN50 (27.93Â33.97 vs. 138.75Â176.13; p=0.02), pNN50 (2.61Â3.47 vs. 11.66Â16.16; p=0.04) and geometric index (9757Â2787 vs. 13059Â2793; p=0.01) were significantly lower for patients with ICD. Although SDNN (50.18Â22.48 vs. 53.55Â12.61; p=0.70) and rMSSD (23.05Â13.78 vs. 32.32Â18.18; p=0.18) were lower for ICD subjects on the average, the difference was not significant. In the frequency domains (expressed in normalized units), HF-FFT (fast Fourier transformation) (29.40Â13.96 vs. 43.25Â12.95; p=0.03), HF-AR (autoregressive) (29.26Â14.7 vs. 43.71Â12.54; p=0.02), LF-FFT (70.59Â13.96 vs. 56.75Â12.54; p=0.03) and LF-AR (70.74Â14.75 vs. 56.28Â12.54; p=0.02) differed significantly between the groups, with ICD patients displaying lower average HF values and higher average LF values, whether by FFT or AR. The inferior sphincter relaxation time was longer for ICD patients (8.68Â2.95 vs. 5.73Â1.80; p=0.04). A significant correlation was observed between E&#8223; wave values and HF-FFT (rÂ=0.37; p=0.01), between E&#8223; wave values and HF-AR (rÂ=0.38; p=0.01), between sphincter relaxation time and HF-AR (rÂ=0,55; p=0.01) and between sphincter relaxation time and LF-AR (rÂ=0.39; p=0.05). Conclusion. HF values were significantly lower and LF values significantly higher in individuals with ICD than in normal controls, possibly due to predominantly sympathetic dysautonomia. E&#8223; wave values were significantly lower in ICD patients possibly due to minimal changes in diastolic function. In addition, the inferior sphincter relaxation time was significantly longer in subjects with ICD. Dysautonomia and functional changes of the left ventricle and esophagus may be dependent phenomena. / IntroduÃÃo. A doenÃa de Chagas à considerada atualmente a quarta molÃstia de maior impacto na AmÃrica Latina. IndivÃduos jà infectados continuarÃo sob o potencial risco de desenvolver a cardiomiopatia chagÃsica crÃnica, a principal causa de morbimortalidade. A doenÃa de Chagas representa, tambÃm, um modelo da desnervaÃÃo intrÃnseca do Sistema Nervoso EntÃrico (SNE). Estudos prÃvios, demonstraram alteraÃÃes importantes do sistema nervoso autÃnomo, do miocÃrdio e alteraÃÃes motoras do sistema digestivo. A forma indeterminada da DoenÃa à definida como assintomÃtica e sem alteraÃÃes de exames complementares simples (ECG, esofagograma, enema opaco, radiografia do tÃrax). Contudo, alteraÃÃes mÃnimas tanto da funÃÃo cardÃaca quanto digestiva jà foram relatadas neste grupo de pacientes que nÃo apresentam sinais clÃnicos intensos de desnervaÃÃo cardÃaca ou do SNE. A nossa hipÃtese à que estas alteraÃÃes possam ocorrer por disfunÃÃo autonÃmica. Este estudo teve como objetivo examinar a motilidade esofÃgica e a funÃÃo ventricular, e suas relaÃÃes com a variabilidade da frequÃncia cardÃaca (VFC) em indivÃduos chagÃsicos na forma indeterminada. MÃtodos. Vinte e quatro indivÃduos, sendo 16 pacientes chagÃsicos com a forma indeterminada e oito indivÃduos saudÃveis foram submetidos a monitorizaÃÃo eletrocardiogrÃfica de 30 minutos, sendo analisada a VFC no domÃnio do tempo e frequÃncia, avaliaÃÃo ecocardiogrÃfica com estudo das funÃÃes cardÃacas (sistÃlica e diastÃlica), assim como avaliaÃÃo da funÃÃo motora esofÃgica por manometria de perfusÃo com seis canais. Resultados. Foram observados funÃÃo sistÃlica (fraÃÃo de ejeÃÃo ventricular) preservada nos grupos indeterminado e controle (66,1Â7,28 versus 69,1Â6,36, p=0,35) e diferenÃa estatÃstica significativa na avaliaÃÃo da onda E&#8223; do Doppler tecidual, exibindo valores menores no grupo indeterminado (0,12Â0,02 versus 0,14Â0,01, p=0,02). Embora nÃo houvesse diferenÃa estatÃstica significativa entre os valores mÃdios do tempo de desaceleraÃÃo da onda E (TDE), o grupo indeterminado apresentou valores aumentados em relaÃÃo ao controle (200,81Â35,17 versus 191,57Â36,08). Nas medidas da VFC, no domÃnio do tempo, os valores mÃdios de NN50 (27,93Â33,97 versus 138,75Â176, 13, p=0,02), pNN50 (2,61Â3,47 versus 11,66Â16,16, p=0,04), Ãndice geomÃtrico (9757Â2787 versus 13059Â2793, p=0,01) apresentavam-se menores no grupo indeterminado com diferenÃa estatÃstica significante. Os Ãndices SDNN (50,18Â22,48 versus 53,55Â12,61, p=0,70), rMSSD (23,05Â13,78 versus 32,32Â18,18, p=0,18) apresentavam valores mÃdios diminuÃdos no grupo indeterminado, embora sem diferenÃa estatÃstica. No domÃnio da frequÃncia, as variÃveis (unidades normalizadas) HF FFT (transformada de Fourier) (29,40Â13,96 versus 43,25Â12,95, p=0,03), HF AR (autorregressivo) (29,26Â14,7 versus 43,71Â12,54, p=0,02) e LF FFT (70,59Â13,96 versus 56,75Â12,54, p=0,03), LF AR (70,74Â14,75 versus 56,28Â12,54, p=0,02) apresentaram diferenÃas estatÃsticas significantes, exibindo valores mÃdios diminuÃdos em relaÃÃo a HF e aumentados em relaÃÃo a LF no grupo indeterminado, seja pela transformada de Fourier ou pelo mÃtodo autorregressivo. A duraÃÃo do relaxamento do esfÃncter inferior (EEI) apresentou valores maiores nos pacientes na forma indeterminada (8,68Â2,95 versus 5,73Â1,80, p=0,04). Observou-se correlaÃÃo significativa entre a onda E&#8223;do Doppler tecidual e a variÃvel HF FFT (rÂ=0,37, p=0,01), entre a onda E&#8223;do Doppler tecidual e a variÃvel HF AR (rÂ=0,38, p=0,01), entre a duraÃÃo do relaxamento do EEI e HF AR (rÂ=0,55, p=0,01), entre a duraÃÃo do relaxamento do EEI e LF AR (rÂ=0,39,p=0,05). ConclusÃo. Os valores de HF power sÃo significativamente menores nos indivÃduos chagÃsicos com a forma indeterminada; os valores de LF power sÃo significativamente maiores, nos indivÃduos chagÃsicos com a forma indeterminada podendo corresponder a disautonomia com predomÃnio simpÃtico. Os valores 7 da onda E&#8223; sÃo significativamente menores nos indivÃduos chagÃsicos com a forma indeterminada, podendo corresponder a mÃnima alteraÃÃo da funÃÃo diastÃlica. A duraÃÃo do relaxamento do EEI apresenta valores significativamente maiores nos pacientes chagÃsicos. A disautonomia e as alteraÃÃes funcionais do ventrÃculo esquerdo e do esÃfago podem ser fenÃmenos dependentes.
8

AlteraÃÃes citogenÃmicas na medula Ãssea de trabalhadores rurais expostos a agrotÃxicos

Luiz Ivando Pires Ferreira Filho 08 July 2013 (has links)
Os pesticidas sÃo produtos quÃmicos de uso disseminado no controle das pragas nas lavouras agrÃcolas. Estes produtos sÃo classificados em herbicidas, inseticidas e fungicidas e podem acumular-se no meio ambiente. Um grande nÃmero de estudos epidemiolÃgicos em trabalhadores rurais sugeriu um aumento do risco de cÃncer no grupo exposto a pesticidas. O objetivo deste estudo à avaliar a presenÃa de anormalidades cromossÃmicas em cÃlulas da medula Ãssea e alteraÃÃes do gene TP53 por FISH em trabalhadores rurais expostos a pesticidas. Para o nosso conhecimento, este à o primeiro estudo a avaliar estas alteraÃÃes utilizando cÃlulas-tronco hematopoÃticas coletadas por aspirado da medula Ãssea. Foram avaliados 43 trabalhadores rurais do sexo masculino e detectadas anormalidades cromossÃmicas atravÃs de citogenÃtica por Banda G em 11 (25%). A maioria destas anomalias era relacionada com aneuploidias (6/11). Aneuploidias podem ocorrer devido a um cromossomo extra ou ausente. De extrema importÃncia, encontramos quatro casos com anormalidades estruturais relacionadas aos cromossomos 4, 5, 7 e 11, como deleÃÃes do braÃo longo dos cromossomos 5, 7 e 11. Detectamos supressÃo do gene TP53 por HibridizaÃÃo por FluorescÃncia in situ (FISH) em 4/31 e de amplificaÃÃo em 3/31 casos. As outras alteraÃÃes por FISH foram relacionadas à aneuploidia (6/31). Entre as anormalidades numÃricas, encontramos tetrassomia em 3 casos, trissomia em dois casos e monossomia em um caso. Nosso trabalho à o primeiro a apresentar anomalias citogenÃticas em cÃlulas da medula Ãssea de trabalhadores rurais expostos a agrotÃxicos. Nosso estudo destaca a importÃncia da prevenÃÃo primÃria, pois apenas 23% dos trabalhadores rurais relatou medidas de proteÃÃo. Todas essas anormalidades citogenÃticas aqui detectados sÃo descritas como responsÃveis por aumentar o risco de desenvolvimento de neoplasias. Como o uso de agrotÃxicos està disseminado em nossa agricultura, os trabalhadores rurais devem evitar o uso imprÃprio devido ao risco de desenvolver neoplasias.
9

SÃndrome metabÃlica em adultos nÃo obesos e sua relaÃÃo com medidas da circunferÃncia cervical e torÃcica e com o Ãndice de adiposidade corporal / Metabolic syndrome in non-obese adults and their relationship to measures of the cervical and thoracic circumference and body fat index

Ana Paula Abreu Martins Sales 11 May 2015 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Grupo DASA / LabPasteur / A associaÃÃo da sÃndrome metabÃlica (SM) com obesidade, diabetes mellitus tipo 2, hipertensÃo arterial sistÃmica e dislipidemia, patologias relacionadas com maior risco de doenÃa cardiovascular, jà està bem estabelecida. O Ãndice de massa corporal (IMC) e a medida da circunferÃncia abdominal (CA) sÃo parÃmetros antropomÃtricos importantes na avaliaÃÃo clÃnica de rotina, e atà no diagnÃstico, dessa situaÃÃo. No entanto, tÃm despontado na literatura estudos avaliando indivÃduos com peso normal pelo IMC, mas que apresentam alteraÃÃes metabÃlicas comuns em obesos. Poucos (ou nenhum) desses estudos avaliaram a associaÃÃo entre SM em indivÃduos nÃo obesos e a medida da circunferÃncia cervical (CC) e da circunferÃncia torÃcica (CT), como parÃmetros antropomÃtricos de avaliaÃÃo da distribuiÃÃo de gordura no segmento corporal superior, e com o Ãndice de adiposidade corporal (IAC), sugerido como preditor da quantidade de gordura corporal. Esse estudo teve por objetivo avaliar a prevalÃncia de SM em adultos com IMC entre 18,5 e 29,9kg/m2 do Nordeste do Brasil; a relaÃÃo da CC, CT e do IAC com os componentes da SM nesta populaÃÃo e; a capacidade desses parÃmetros antropomÃtricos identificarem a presenÃa da sÃndrome. Foram feitas anÃlises de correlaÃÃo entre a CC, CT e IAC com os componentes da SM e, posteriormente, regressÃo linear (sem ajuste e com ajuste para idade, CA e IMC) entre as variÃveis que apresentaram correlaÃÃo. Para se avaliar a capacidade dos parÃmetros identificarem casos de SM foram realizadas anÃlises com curva ROC e depois propostos pontos de corte para as mesmas. Foram avaliados 276 indivÃduos (85 homens e 191 mulheres) com mÃdia de idade de 34,9  11,2 anos e mÃdia de IMC de 24,9  2.8 Kg/m2. A prevalÃncia de SM foi de 28%. Nas anÃlises de correlaÃÃo a CC e a CT se correlacionaram com praticamente todos os componentes da SM, exceto a glicemia, sendo essas correlaÃÃes mais fortes com a CA. O IAC apresentou correlaÃÃes apenas com CA e HDL colesterol. Nos modelos de regressÃo linear incluindo todos os 276 indivÃduos, a CT foi capaz de predizer mudanÃas nos nÃveis de HDL colesterol nos modelos sem e com ajuste e nos nÃveis de triglicerÃdeos apenas no modelo sem ajuste. Entre os homens, A CT e a CC foram capazes de predizerem mudanÃas nos nÃveis de pressÃo arterial sistÃlica nos modelos com e sem ajustes e a CC foi capaz de predizer mudanÃas nos nÃveis de HDL apenas no modelo com ajustes. Entre as mulheres, a CT foi capaz de predizer mudanÃas nos nÃveis de triglicerÃdeos apenas no modelo sem ajuste. O IAC nÃo foi avaliado nas anÃlises de regressÃo linear por nÃo apresentar correlaÃÃo com as variÃveis dependentes. A CC, CT e o IAC foram capazes de identificar SM, na anÃlise da curva ROC, sendo os melhores resultados com as duas primeiras. Os pontos de corte da CT de 95,8cm nos homens e 87,3cm nas mulheres foram os que apresentaram melhor sensibilidade, com especificidade maior que 50%, para o rastreio de casos de SM; quanto à CC, os pontos de corte de 37,5cm nos homens e 32,8cm nas mulheres, foram o que apresentaram melhor sensibilidade, com especificidade tambÃm maior que 50%, para o rastreio de casos de SM. Esses achados indicam uma elevada prevalÃncia de SM em adultos nÃo obesos e sugerem que medidas antropomÃtricas do segmento corporal superior tÃm relaÃÃo com a SM e seus componentes, podendo identificÃ-los nesta populaÃÃo. O IAC, por sua vez, esteve mais fracamente relacionado à SM e seus componentes nesses indivÃduos. Tais evidÃncias sÃo de grande importÃncia uma vez que a utilizaÃÃo de medidas simples poderà ser rotineiramente realizada na avaliaÃÃo desses indivÃduos e sinalizar aqueles com maior risco de distÃrbios metabÃlicos e cardiovasculares, propiciando um diagnÃstico e intervenÃÃo precoces.
10

IncidÃncia de doenÃas tropicais e lesÃo renal aguda em pacientes submetidos a transplante renal

Silvana Daher Costa 13 August 2015 (has links)
nÃo hà / IntroduÃÃo. O sucesso dos transplantes de ÃrgÃos (Tx) e as novas drogas imunossupressoras (DI), fazem do transplante a 1 opÃÃo terapÃutica em muitas doenÃas. As novas DI, diminuÃram as rejeiÃÃes, mas aumentaram a incidÃncia de infecÃÃes. O objetivo desse estudo foi avaliar a incidÃncia de doenÃas tropicais negligenciadas (DTNs) e de lesÃo renal aguda (LRA) em pacientes submetidos a Tx renal. MÃtodos. Foi realizado estudo de coorte histÃrico de DTNs em pacientes submetidos a transplante renal entre janeiro 1994 a novembro 2014, no Hospital Geral de Fortaleza. Foram incluÃdos pacientes com diagnÃstico clÃnico e laboratorial de pelo menos uma das seguintes DTNs: tuberculose (TB), dengue, leishmaniose visceral (LV), hansenÃase ou estrongiloidÃase disseminada. Foram avaliadas a funÃÃo renal antes, durante e apÃs as DTNs e realizada a classificaÃÃo segundo os escores RIFLE, AKIN e KDIGO, analisando a ocorrÃncia de lesÃo renal aguda e sua evoluÃÃo. Resultados. No perÃodo de janeiro de 1994 a novembro de 2014 foram realizados 1.777 transplantes renais, sendo 173 excluÃdos, sendo avaliados 1.604 prontuÃrios. Observou-se 34 casos de TB, 11 de dengue, 6 de LV, 2 de hansenÃase e 1 estrongiloidÃase disseminada. Profilaxia para TB foi realizada nos pacientes com histÃria prÃvia de TB ou PPD &#8805; 5mm, exceto em 4 pacientes. Na TB e LV constatou-se alteraÃÃes significativas (p<0,05) nas mÃdias da creatinina (Cr) e taxa de filtraÃÃo glomerular (TFG), quando comparadas as mÃdias antes e durante infecÃÃo, durante e apÃs a infecÃÃo. Na dengue nÃo foram observadas alteraÃÃes significativas. ConclusÃes. Pacientes de alto risco para TB nÃo submetidos a profilaxia, apresentam maior incidÃncia de TB pÃs Tx renal. LRA à frequente em pacientes transplantados acometidos por DTNs.

Page generated in 0.0391 seconds