• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 203
  • 50
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 257
  • 125
  • 99
  • 79
  • 58
  • 47
  • 34
  • 32
  • 31
  • 30
  • 26
  • 25
  • 24
  • 24
  • 22
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
51

Modelo de equilíbrio geral estocástico e o mercado de trabalho brasileiro / Dynamic stochastic general equilibrium model and the Brazilian labor market

Fantinatti, Marcos da Costa 19 February 2016 (has links)
Os três artigos desta tese focam no mercado de trabalho. O primeiro artigo calculou a probabilidade com que um trabalhador deixa o emprego e a probabilidade com que um desempregado encontra trabalho no Brasil. A metodologia utilizada foi a desenvolvida por Shimer (2012). O objetivo foi determinar qual destes dois fatores seria o mais importante para explicar as flutuações da taxa de desemprego no Brasil. Os resultados mostraram que é a dinâmica da probabilidade com que um desempregado encontra emprego que explica o comportamento da taxa de desemprego. Este resultado é distinto daquele encontrado normalmente na literatura. No segundo artigo, log-linearizamos e estimados o modelo de Christiano, Eichenbaum e Trabandt (2013) para o Brasil. Este modelo difere dos modelos novos keynesianos tradicionais ao colocar uma estrutura de searching (busca) para o mercado de trabalho. A ideia foi comparar este modelo com o modelo de rigidez de preços e salários tradicional e analisar se esta estrutura para o mercado de trabalho é capaz de fazer o papel das rigidezes tradicionais, no que se refere a propagação dos choques na economia. As funções impulso resposta a um choque contracionista de política monetária mostraram que o modelo explicou o comportamento esperado para variáveis como PIB, inflação e taxa de desemprego. Ainda, a estimação do modelo mostrou, no geral, que os preços no Brasil são reajustados com uma frequência menor do que a frequência indicada pelos modelos novos keynesianos com rigidez de preços e salários. Por sua vez, ao desligar a rigidez da utilização do capital e a do working capital channel, este modelo mais completo, maior e mais detalhado para mercado de trabalho pareceu não ser capaz de dar conta do movimento inercial e persistente observado para as variáveis macroeconômicas como PIB e inflação. Por fim, no terceiro artigo, estimamos novamente o modelo Christiano, Eichenbaum e Trabandt (2013), mas agora para os Estados Unidos. Entretanto, adotamos uma estratégia de estimação diferente: optamos por primeiro log-linearizar o modelo para depois fazer a estimação, para dois períodos: até 2008, assim como no artigo original, e até 2014. O objetivo principal foi comparar os resultados da nossa estimativa com os resultados de Christiano, Eichenbaum e Trabandt (2013). Para o conjunto de dados até 2008, os resultados indicam que os valores estimados estão em linha com os encontrados na literatura e, no geral, não estão muito distantes das estimações do artigo original. Mas, os parâmetros estimados apontaram para um modelo com um pouco mais de rigidez de preços, uma maior persistência de consumo e com uma regra de política monetária um pouco menos inercial em relação à do artigo original. Entretanto, esta regra mostrou uma reação muito maior à inflação do que ao produto, assim como em Christiano, Eichenbaum e Trabandt (2013). Considerando a amostra toda, isto é, até o final de 2014, observamos que o modelo estimado continuou a ter uma maior rigidez de preço em relação ao modelo original e uma regra de política monetária menos inercial. Além disso, os dados mais recentes afetaram de modo mais expressivo os valores estimados para variáveis do mercado de trabalho. Por sua vez, as funções impulso resposta refletiram esta menor inércia da política monetária e, no geral, apresentaram as trajetórias esperadas. / The three articles of this thesis focus on the labor market. The first article calculated the probability of a worker leaving his job and the probability of an unemployed person finding a job in Brazil, using the methodology developed by Shimer (2012). The aim was to determine which of these factors was the most important to explain the unemployment rate fluctuations. The results showed that the probability of an unemployed worker finding a job is more important to explain the dynamic of the unemployment rate. Commonly, the literature has found an opposite result in Brazil. In the second article, we log linearized and estimated the model built by Christiano, Eichenbaum and Evans (2013) for Brazil. This model is different from the traditional New Keynesian models because it has a structure of searching in the labor market. The idea was to compare this model with the traditional one with sticky wage and sticky prices. Moreover, the idea was to analyze if this model with searching structure in the labor market was able to substitute some traditional rigidity when the concern is the propagation of shocks. The impulse response functions to a contractionist monetary policy shock showed that this model explains the dynamic that is normally found in GDP, inflation and unemployment rate. Furthermore, the estimation showed that, in general, the prices are readjusted less frequently than the frequency estimated by New Keynesian models with sticky wage and sticky prices. Besides, when the rigidities (capital utilization and working capital channel) are eliminated, this model did not properly explain the inertial and persistence dynamic of the macroeconomics variables, such as GDP and inflation. Finally, in the last article, we estimated the Christiano, Eichenbaum and Trabandt (2013) model for the United States, but we adopted a different estimation strategy. We log linearized the model and estimated it with Bayesian methods. Moreover, we estimated for two different periods. The aim was to compare our results with the original model. When the model was estimated with data up to 2008, the results showed that the estimations were in line with the values found in the literature and, in general, they were not too far from the values estimated in the original article. However, the parameters estimated showed a model in which the prices are more rigid, the consumption habit is higher and the monetary rule is less inertial than observed in the original model. However, the monetary authority reacted much more to inflation than GDP, as it happened in the original article. When we considered the data until 2014, we observed that the estimated model remained with more sticky prices and a more inertial monetary rule. Moreover, we noted that this more recent data affected more expressively the estimated values of the labor market. The analysis of impulse response function showed this less inertial dynamic of the monetary rule and, overall, they followed the expected dynamics
52

Decomposição dos mecanismos de transmissão de política monetária e canal de crédito no Brasil / Monetary transmission mechanisms and credit channel in Brazil

Monteiro, Mário Augusto Siqueira 07 December 2012 (has links)
Este trabalho tem como objetivo analisar a relevância do chamado canal de crédito na transmissão da política monetária para a economia brasileira a partir da adoção do regime de metas de inflação. Para tanto se estende o modelo semi-estrutural de tamanho médio estimado por Minella e Souza-Sobrinho (2009), a fim de introduzir o canal de crédito como mecanismo adicional de transmissão de política monetária, o que é feito através da escolha do spread bancário como variável chave para capturar o efeito do canal de crédito para firmas e consumidores. E em seguida aplica-se a metodologia de Altissimo et al. (2002) ao modelo estendido. As evidências encontradas mostram a importância do canal de crédito na economia brasileira. Este canal é responsável (combinando o efeito sobre firmas e consumidores) por 19,9% da queda acumulada do produto e por 22,9% da queda acumulada da inflação no horizonte de dois anos após um choque de 100 pontos-base na taxa básica de juros. / This dissertation aims to assess the importance of the credit channel in the transmission mechanism of the monetary policy for the Brazilian economy since the adoption of inflation targeting regime. To achieve this goal, an extension of the medium-size, semi-structural model for the Brazilian economy by Minella and Souza-Sobrinho (2009) was estimated after the introduction of the credit channel, which is assumed to operate through bank spreads to consumers and firms. The methodology of Altissimo, Locarno and Siviero (2002) for decomposing the transmission of the monetary policy in its different channels was then applied to the extended model. The evidence points to an important role for the credit channel in the Brazilian economy. This channel is responsible (through the combination of the effect on firms and consumers) for 19.9% of the cumulative decline in GDP and for 22.9% of the cumulative decline in inflation on a two-year horizon after a 100 basis-point shock in the policy rate.
53

Liberdade, macroeconomia e felicidade: uma análise empírica de um painel de países / Freedom, macroeconomics and wappiness: an empirical analisys of a panel of countries

Corbi, Raphael Bottura 06 November 2007 (has links)
O presente trabalho encontra evidências do papel das principais variáveis macroeconômicas e da liberdade sobre a felicidade dos indivíduos. Usando micro-dados de surveys de bem-estar subjetivo para mais de cem mil pessoas de 74 países, estimamos um modelo de Probit Ordenado. Baseados numa especificação microeconométrica de bem-estar padrão na literatura, controlando por efeitos regionais, tempo e características individuais, o PIB per capita apresenta efeitos positivos e decrescentes sobre o bem-estar reportado, sendo que ganhos de bem-estar proveniente do crescimento econômico parece desaparecer com o tempo, sugerindo uma forte adaptação das pessoas. Os custos das recessões parecem ser maiores do que a simples queda do PIB e o aumento do desemprego. Estimamos que um aumento na taxa de desemprego traz custos psíquicos equivalentes a US$450 para o cidadão médio. Estas evidências estabelecem a noção de que o desemprego tem efeitos negativos sobre o bem-estar mesmo daqueles que continuam empregados. Para os que realmente perdem o emprego, o custo das recessões é de cerca de US$11.400. A inflação parece ter um custo de US$88, na média, o que resulta numa taxa marginal de substituição entre desemprego e inflação de 5, corroborando a existência de uma Função de Bem-Estar Social. Além disso, os custos da inflação recaem especialmente sobre os pobres, culminando em US$364 para os indivíduos do decil de renda mais baixo, sugerindo a natureza regressiva do imposto inflacionário. Encontramos evidências também de que as pessoas parecem derivar utilidade das condições e processos que levam aos resultados econômicos, além da utilidade derivada propriamente dos resultados. Chamamos este tipo de utilidade de utilidade processual. As pessoas preferem viver em ambientes políticos e econômicos mais livres, onde elas tenham mais possibilidades de escolha. A principal consequência teórica deste tipo de evidência é que o fato das pessoas se importarem com processos de escolha viola o axioma fundamental da monotonicidade, de forma que a avaliação do comportamento individual a partir de uma perspectiva tradicional levaria necessariamente a uma representação inconsistente das preferências. A utilidade processual é incompatível com a teoria da utilidade esperada. / This dissertation brings evidence on the role of the main macroeconomic variables and freedom on individual happiness. Using microdata from subjective wellbeing surveys from 74 countries, we estimate an Ordered Probit Model. Based on a standard microeconometric specification, we show that macroeconomics influences wellbeing directly. Even after controlling for time, individual characteristics and regional effects, per capita GDP has positive and diminishing effects on reported wellbeing. Most of this effect vanishes with time, suggesting a strong presence of human adaptation. The costs of recessions are found to be larger than what would be predicted by standard economic theory. We estimate that a rise on the unemployment rate brings psychic losses over and beyond the fall on GDP. They are equivalent to US$450 for the average citizen and US$11,400 to the people who lose their jobs. The cost of inflation, on average is US$88, which results on a marginal substitution rate between unemployment and inflation of around 5. That corroborates the existence of a Social Welfare Fuction. Moreover, we find that the costs of inflation fall specially on the poor, culminating on US$364 for the individuals belonging to the lowest income decile, suggesting a regressive nature of the inflation tax. We also find evidence that people derive utility from the conditions and processes that lead to economic outcomes, beyond the utility derived directly from these outcomes. This kind of utility is called procedural utility. People prefer to live in freer political and economic environments, where they have more possibilities to choose from. The main theoretical consequence of this kind of evidence is that the fact that people care about processes violates the fundamental axiom of monotonicity, which leads the evaluation of individual behavior of standard economic theory necessarily to an inconsistent representation of preferences. Procedural utility is not compatible with the expected utility theory.
54

Política monetária e indicadores macroeconômicos da região metropolitana de São Paulo / Monetary policy and São Paulo metropolitan area macroecomic variables

Sanematsu, Flávio Cysneiros 04 December 2006 (has links)
Este estudo investiga as possíveis relações entre a política monetária brasileira e variáveis macroeconômicas que abrangem apenas a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) durante o período de janeiro de 2000 a agosto de 2005, período esse caracterizado pelo regime de metas inflacionárias. O objetivo dessa investigação é tentar compreender se, dadas as diferenças entre a economia brasileira e a economia da RMSP, a dinâmica dos indicadores dessa região segue a trajetória esperada pela autoridade monetária ao formular a política monetária. Com base em modelos de vetores auto-regressivos (VAR), são encontrados indícios de que a atividade econômica da RMSP é sensível a choques na política monetária. Ao longo do regime de metas inflacionárias, a dinâmica das taxas de inflação corrente para os índices de preços dessa região, o IPC-FIPE e o IPCA-RMSP, não dá evidências claras de que são afetadas pela política monetária, mas as encontradas para a trajetória das expectativas de inflação de 12 meses indicam que as expectativas respondem a choques na política monetária. Por outro lado, a política monetária nacional não se mostrou sensível a choques na atividade econômica da RMSP, mas se mostrou sensível a choques inflacionários nos preços da região. Em relação ao pass-trough do câmbio sobre os preços da RMSP, os índices de preços cheios absorvem o impacto mais rapidamente do que os preços livres. No entanto, os últimos respondem a choques na taxa de câmbio de forma mais distribuída ao longo do tempo do que os primeiros. / This work investigates the relationships between Brazilian monetary policy and macroeconomic variables covering only the São Paulo Metropolitan Area (SPMA) during the inflation targeting regime (2000:01 to 2005:08). This investigation seeks to comprehend if, given the differences between the Brazilian and SPMA economy, the dynamic of macroeconomic indicators of this region complies with the trajectory expected by the monetary authority when it formulates its policy. Based on vector autoregressive (VAR) estimations, it was found pieces of evidence that economic activity in SPMA is sensitive to shocks to monetary policy. During the inflation targeting regime, current inflation-rates dynamic, namely IPC-FIPE and IPCA-RMSP, does not seem to be affected by monetary policy, but 12-month expected inflation-rates seem to be responsive to shocks to monetary policy. On the other hand, national monetary policy does not seem responsive to shocks to economic activity of SPMA, but it is sensitive to inflationary shocks to price indexes of SPMA. Regarding the exchange-rate pass-through, it was found that headline price indexes absorb exchange-rates shocks more rapidly than market price indexes. However, the latter respond to exchange-rates shocks more smoothly than the former.
55

Learning in DSGE macroeconomics / Aprendizado em macroeconomia DSGE

Velecico, Igor 22 November 2013 (has links)
In this thesis we analyze learning mechanisms applied to a variety of macroeconomic models. In the first chapter, we present and discuss the advantages and limitations of estimating Dynamic Stochastic General Equilibrium (DSGE) models added with learning, thus suppressing the central assumption of rational expectations. First, we introduce the reader on how learning can be inserted in those models, starting from the discussion of where and how the rational expectations operator is substituted by the learning mechanism. We then present several additional learning setups related to the information set available to agents considered by the literature, which affect directly the dynamics of the final model. Last, we estimate three different models to assess the advantages of learning in our artificially generated data and real data for Brazil. In the second chapter, we algebraically show the limitations of learning and propose two flexible methods to deal with the parameter instability in data. The first of these methods is closely related to the DSGE-VAR methodology, which we call Learning DSGE-VAR, and the second, which departs even further from the DSGE model, which we call Learning Minimum State Variable, or LMSV. Finally, in the third chapter we provide evidences that the supposedly moderate improvements found in the previous chapters have more to do with the nature of the model at hand than to the learning method itself. To do so, we simulate problems using a time-varying structure similar to the one presented in chapter 1 and evaluate the likelihood improvements with different learning mechanisms. We then provide empirical evidences of learning in reduced form models to forecast inflation, interest rates and output gap for the Brazilian economy, using ad-hoc reduced form models commonly used by practitioners. / Nesta tese analisamos os instrumentos de aprendizado (Learning) aplicados a uma variedade de modelos macroeconômicos. Em nosso primeiro capítulo, apresentamos e discutimos as vantagens e limitações de se estimar modelos dinâmicos e estocásticos de equilíbrio geral (DSGE) acrescidos de um mecanismo de aprendizado, ou seja, abandonando-se a hipótese de expectativas racionais, tão cara a estes modelos. Em primeiro lugar, mostramos como esse mecanismo pode ser introduzido nesses modelos, começando pela discussão de onde e como o operador de expectativas racionais é substituído pelo operador de aprendizado. Em seguida apresentamos configurações alternativas em relação ao conjunto de informações disponível aos agentes dentro do mecanismo de aprendizado, que afeta diretamente a dinâmica do modelo final a ser estimado. Por fim, estimamos três modelos usando nosso mecanismo de aprendizado, aplicando-o a dados artificiais e reais para a economia brasileira. No segundo capítulo, mostramos algebricamente as limitações do mecanismo de aprendizado em modelos DSGE e propomos dois métodos mais flexíveis para lidar com a instabilidade dos parâmetros nos dados. O primeiro desses métodos é intimamente ligado à literatura de DSGEVAR, e que chamamos de Learning DSGE-VAR, enquanto o segundo método, que se afasta ainda mais do modelo DSGE, ao qual chamamos de LMSV. No terceiro capítulo, provemos evidências de que os ganhos supostamente moderados de nosso modelo de aprendizado apresentados nos dois primeiros capítulos têm mais a ver com a natureza dos modelos estimados do que com o método de aprendizado utilizado. Para tal, simulamos dois grupos de dados usando uma estrutura econômica que varia no tempo, semelhante àquela estudada no primeiro capítulo, e estimamos os modelos utilizando diferentes mecanismos de aprendizado. Por fim, fornecemos evidências empíricas de aprendizado em modelos de forma reduzida para projetar inflação, taxas de juros e hiato do produto para a economia brasileira, através de modelos ad-hoc comumente utilizado por econometristas.
56

Ensaios aplicados de macroeconomia: taxa de câmbio e expectativas de inflação / Tests applied in macroeconomics: exchange rate expectations and inflation

Perdomo, Juan Pedro Jensen 07 November 2008 (has links)
Esta tese de doutorado consiste em três ensaios aplicados de macroeconomia. O primeiro ensaio retoma o clássico resultado do artigo de Meese e Rogoff (1983), em que os autores encontram fortes evidências de que nenhum modelo estrutural para a taxa de câmbio supera as projeções de um modelo random walk. Neste primeiro ensaio, comparamos o erro das projeções para a taxa de câmbio, efetuadas por bancos, instituições financeiras e consultorias econômicas, captadas no ranking Top-5 do Banco Central do Brasil, com as projeções de um modelo random walk e um modelo estrutural, o de paridade não coberta de taxa de juros, para três horizontes de previsão. Os resultados mostram que o modelo random walk tem maior índice de acerto em comparação com os métodos utilizados pelas instituições participantes da pesquisa e em comparação ao método estrutural. Este índice de acerto aumenta com o prazo de projeção. O segundo ensaio trata dos determinantes das expectativas de inflação no Brasil. As expectativas de inflação são uma das mais importantes variáveis na determinação da inflação futura, determinando a condução da política monetária. Através de modelagem econométrica, encontramos que as variáveis que afetam as expectativas de inflação são: a) meta de inflação é a variável mais importante, funcionado como âncora das expectativas; b) inflação passada; c) hiato do produto; d) taxa de câmbio; e) preços internacionais; e f) taxa de juros. Variáveis de política fiscal não parecem ser importantes na determinação das expectativas de inflação. O terceiro ensaio volta a tratar da taxa de câmbio, tratando de entender o impacto das desvalorizações do Real sobre o comportamento das empresas. Sabese que os impactos na atividade econômica de uma desvalorização cambial podem ser positivos ou negativos. Para as firmas, o benefício se dá em termos de competitividade, dada a redução nos custos. Mas, se as firmas tiverem dívida atrelada à moeda estrangeira, a desvalorização pode ter mais custos do que benefícios, dado as restrições à atuação das empresas via mercado de crédito. Este é o efeito de balanço patrimonial. Este terceiro ensaio trata de contribuir na identificação dos impactos destas desvalorizações sobre o comportamento dos investimentos de empresas brasileiras. Através de dados microeconômicos, os resultados das estimações não permitem concluir qual dos dois efeitos, de balanço patrimonial ou de competitividade, é mais importante. Entretanto, a separação da amostra em firmas de diferentes tamanhos evidencia um efeito de balanço patrimonial superior ao efeito de competitividade no caso de firmas grandes. / This doctoral thesis consists of three essays in applied macroeconomics. The first essay retakes the classic result of the article by Meese and Rogoff (1983), in which the authors found strong evidence that no structural model for the exchange rate surpasses the projections of a random walk model. In this first essay we compare the error of the projections for the exchange rate, effected by banks, financial institutions and economic consultants, caught in ranking Top-5 of the Brazilian Central Bank, with the projections of a random walk model and a structural model of uncovered interest parity for three horizons of forecast. The results show that the random walk model has greater index of rightness in comparison with the methods used for the participant institutions of the research and in comparison with the structural method. This index of rightness increases with the projection stated period. The second essay deals with the determinants of inflation expectations in Brazil. Expectations of inflation are one of the most important variables in determining the future inflation, determining the conduct of monetary policy. Through econometric modeling we find that the variables that affect inflation expectations are: a) inflation target it is the most important variable, worked as anchor of expectations; b) past inflation; c) the product gap; d) exchange rate; e) international prices; and f) interest rate. Variables of fiscal policy do not seem to be important in the determination of inflation expectations. The third essay is once again dealing with the exchange rate, trying to understand the impact of the devaluation of the Real on corporate behavior. It is known that the impacts on economic activity of currency devaluation can be positive or negative. For firms, the benefit is given in terms of competitiveness, given the reduction in costs. But, if the firms have geared to the foreign currency debt, the devaluation may have more costs than benefits, given the restrictions on the performance of companies by market credit. This is the effect of balance sheet. This work comes to help in identifying the impact of these devaluations on the performance of the investments of Brazilian companies. Through microeconomic data, the results of the estimates can not conclude which of the two effects, balance sheet or competitiveness, is more important. Meanwhile, the separation of the sample in firms of different sizes shows an effect of balance sheet higher than the effect of competitiveness in the case of large firms.
57

Dinâmica ótima da dívida pública / Public debt optimal dynamics

Inhasz, Juliana 05 December 2013 (has links)
Os modelos expostos nesta Tese possuem em comum a discussão macroeconômica sobre a composição ótima da dívida pública brasileira. Logo, esta Tese busca preencher lacunas presentes na literatura sobre a escolha ótima da composição do endividamento público, tendo em vista o modelo de suavização da tributação, exposto inicialmente em Goldfajn (2000). Logo, os modelos aqui utilizados estudam a composição ótima da dívida pública, tendo como ponto de partida o modelo clássico de suavização da tributação, exposto em Goldfajn (2000), no qual pressupõe-se a existência de três tipos de endividamento (nominal, ou prefixado; cambial; e pós-fixado), e repactuação constante da dívida pública indexada (de modo que a composição do endividamento público pode ser completamente alterada a cada período). A discussão se distingue da abordagem tradicional por utilizar informação condicional, ao invés da abordagem não condicional, incrementando precisão e qualidade aos resultados em termos de erro quadrático médio. Naturalmente, temos no GARCH multivariado um método de estimação mais adequado. Outra dimensão aqui discutida é a expansão do modelo tradicional com o estudo de outras abordagens, que consideram a decomposição da dívida pós-fixada em duas proporções distintas de acordo com o instrumento de indexação utilizado (a saber, dívida flutuante, quando os títulos são indexados a taxas de juros, e dívida pós-fixada em preços, quando o instrumento de indexação utilizado é representado por um índice de preços), além de considerar a possibilidade de resolução do problema em horizonte infinito (no qual a autoridade fiscal pode considerar a existência de diferentes maturidades para os títulos públicos, sem repactuação completa da composição a cada período). A abordagem com três dívidas e horizonte infinito já havia sido proposta por Cysne (2007), muito embora tenha sido estimada de forma não condicional. Os resultados obtidos mostram que as proporções teóricas ótimas apresentam dinâmicas muito próximas àquelas observadas na gestão da dívida pública, com maior precisão nos modelos solucionados em dois períodos. Além disso, os resultados também comprovam os trade-offs tradicionalmente observados na gestão do endividamento público, além de propor e confirmar novos trade-offs, compatíveis com as expansões teóricas realizadas. / The models shown in this thesis have in common the macroeconomic discussion on the optimal composition of the public debt. Therefore, this thesis seeks to fill gaps in the literature about the optimal choice of the composition of public debt, in view of the tax smoothing model, exposed initially in Goldfajn (2000). Thus, the models used here to study the optimal composition of the public debt, taking as its starting point the classic model of tax smoothing, exposed in Goldfajn (2000), which assumes the existence of three types of debt (nominal; exchange-rate-denominated, and indexed), and constant renegotiation of the public debt indexed (so that the composition of public debt can be completely changed every period). The discussion distinguishes itself from the traditional approach by using conditional information, rather than the non-conditional approach, increasing accuracy and quality of the results in terms of mean square error. Of course, we have one in multivariate GARCH estimation method more suitable. Another dimension discussed here is the expansion of the traditional model to the study of other approaches that consider the decomposition of indexed debt in two different proportions according to the instrument used for indexing (ie, interest rate indexing when the bonds are indexed in interest rates and indexing price debt when the instrument used index is represented by a price index), and consider the possibility of solving the problem in infinite period (where the government may consider the existence of different maturities for the bonds, without complete renegotiation the composition in each period). The approach with three debts and infinite horizon had already been proposed by Cysne (2007), although it has been estimated and not conditional. The results show that the proportions have great theoretical dynamics very close to those observed in the management of public debt, more accurately models solved in two periods. Moreover, the results also show the trade-offs traditionally observed in the management of public debt, and to propose and confirm new trade-offs, consistent with the theoretical expansions performed.
58

Essays in development macroeconomics / Ensaios em macroeconomia de desenvolvimento

João Moreira Salles 19 January 2012 (has links)
Developing macroeconomics is less about looking for ways to say that economic rules stemming from research in developed countries don\'t apply to emerging-markets, than it is about trying to understand the many stages these economies go through in the natural course of their development. There are, of course, exceptions, but economic phenomena tend to have common sources. These are, after all, generated by the incentives, designed or natural, that people face when dealing with their day to day decisions as they go about their everyday lives. In the two essays that follow, we try to stay true to that fundamental belief. Instead of searching for the proverbial \"jabuticaba\", we strive to understand how countries in different stages of development deal with a fundamental feature of \"growing pains\": crises, be they imported or locally generated. In the first essay, we look at an entirely novel feature of (some) developing economies: the potential to implement certain countercyclical policies when faced with an external shock. During the financial crisis of 2007-2009, to respond to a sudden stop in capital flows, many central banks in emerging market economies relied on credit policies. We build a quantitative small open economy model to study these credit policies. The main innovation of our setup is the presence of two imperfect credit markets, one domestic and the other international, and of two types of firms. The exporter is assumed to have access to both credit markets, while the wholesale firm can only borrow in the domestic market. During a sudden stop, exporters, faced with higher spreads for international credit lines, repay part of their foreign debt, tap the local market for funds and cause spreads to increase in the domestic market. This increases financing costs for all firms, causes a deterioration of the balance of payments and depresses output. Calibrating the model to match Brazilian data, we assess the effects of two policies implemented by the Central Bank of Brazil: (i) lending to exporters using previously accumulated foreign-exchange reserves and (ii) expanding credit in order to reduce spreads in the domestic market. The model suggests that both policies probably raised GDP, but that the latter may well have decreased welfare. Moreover, had the central bank not been able to use foreign reserves as the source of funding, lending to exporters would also have reduced welfare. In the second essay, we look at less promising situations, when countries are faced with default. In this work, we take a broader view, noticing that some of the salient features of the theoretical literature on sovereign debt, including its prediction that almost all defaults should arise in \"Bad Times\", are at odds with the data: over 38% of defaults actually occur in \"Good Times\", as measured by an HP filter. We explore the specific characteristics of both types of default. We first review some definitions of good and bad times, revealing that the resulting classification can differ greatly and have important implications for the overall analysis. Then, we present econometric evidence that failures to repay foreign debt in good times can, usually, be rationalized by three components: (i) changes in the political environment, (ii) hikes in global interest rates and (iii) instances in which good HP times actually take place under quite poor economic conditions. Finally, we present some suggestive indications that the duration of the episodes varies substantially with the type of default that precedes them as well as with the environment in which they occur, drawing some important implications for the understanding of economies\' post-default market access. / Diferentemente do que se imagina, a chamada macroeconomia do desenvolvimento tem menos a ver com a tentativa de encontrar justificativas para afirmar que os fundamentos da pesquisa econômica não se aplicam a mercados emergentes, do que, de fato, com o intuito de entender os diversos estágios pelos quais passam essas economias no curso normal de seu desenvolvimento. Existem, é claro, exceções, mas os fenômenos econômicos, em sua maioria, apresentam fatores comuns. Estes decorrem, afinal, dos incentivos, desenhados ou naturais, encontrados pelos agentes nas decisões do dia a dia. Nos dois artigos que seguem, buscamos respeitar essa concepção dos fatos: nos esforçamos para entender como países em diferentes fases de desenvolvimento enfrentam uma característica fundamental do processo de crescimento, as crises - importadas ou geradas localmente. O primeiro ensaio está centrado em uma característica completamente nova de (certos) países em desenvolvimento: a capacidade de implementar certas políticas contracíclicas quando submetidos a choques externos. Durante a crise de 2007-2009, vários bancos centrais de países emergentes reagiram à parada brusca nos fluxos de capitais através de políticas de crédito. Construímos, no artigo, um modelo quantitativo de uma pequena economia aberta para estudar essas políticas de crédito. A principal inovação em nossa estrutura é a presença de dois mercados imperfeitos de crédito, um doméstico e outro internacional, servindo a pelo menos um de dois tipos de firmas. Assume-se que o exportador tem acesso a ambos os mercados, enquanto o atacdista (wholesale firm) só toma empréstimos no mercado doméstico. Durante uma parada brusca, os exportadores, face a spreads mais elevados para linhas de crédito internacionais, repagam parte da sua dívida externa e usam o mercado doméstico para se financiarem, elevando, dessa forma, os spreads no mercado local. O custo de financiamento, portanto, cresce para todas as firmas, deteriorando o balanço de pagamentos e deprimindo o produto. Calibrando o modelo com base nos dados da economia brasileira, analisamos os efeitos de duas políticas implementadas pelo Banco Central do Brasil: (i) empréstimos a exportadores usando reservas internacionais previamente acumuladas, e (ii) expansão do crédito com vistas a reduzir o spread no mercado doméstico. O modelo sugere que as duas políticas são capazes de elevar o PIB, porém a segunda provavelmente reduz o nível de bem-estar. Ademais, se o banco central não houvesse usado as reservas como forma de financiar os empréstimos aos exportadores, tal política também teria impactos negativos no bem-estar. No segundo artigo, de cunho empírico, estudamos situações menos promissoras, nas quais os países enfrentam a possibilidade do calote em suas dívidas internacionais. Tomamos um ponto de vista mais amplo, notando que algumas das características fundamentais da literatura teórica sobre dívida externa, incluindo a previsão de que quase todos os defaults deveriam ocorrer em \"períodos ruins\", não encontram respaldo nos dados: mais de 38% dos calotes ocorrem em \"períodos bons\", na definição do Filtro HP. Começamos pela revisão de algumas das definições de períodos bons e ruins, mostrando que as classificações podem variar substancialmente, impactando a análise de modo geral. Em seguida, apresentamos algumas evidências econométricas de que calotes na dívida externa durante períodos bons podem ser explicados por três componentes: (i) mudanças no ambiente político, (ii) aumentos nas taxas de juros internacionais, e (iii) instâncias em que o Filtro HP apresenta períodos bons apesar da real situação econômica bastante negativa. Por fim, apresentamos alguns resultados que sugerem que a duração dos episódios de default depende do tipo de default, assim como do ambiente em que o calote ocorre. Tal resultado abre o caminho para novas pesquisas sobre o acesso de economias aos mercados internacionais de crédito após um default.
59

Inflation, price dispersion and the informational content of prices: evidence from a hyperinflation episode / Inflação, dispersão de preços e o conteúdo informacional dos preços: evidências de um episódio de hiperinflação

Angelis, Thiago Coraucci de 08 November 2012 (has links)
This study examines the relationship between in ation and price dispersion during the hyperin ationary episode in Brazil. We look at micro data on price dynamics through the perspective of dispersion at the store level, building on the informational consequences of high price dispersion. Rather than focus on which theoretical framework best explains the relative price variability seen on the data, we focus on a top-down approach to the information embedded in prices: we analyze price setting behavior from the perspective of economic segments as whole and from the perspective of each seller taken individually. In the former case we seek to answer the following: do higher levels of in ation favor higher price dispersion? In the latter, we focus on the time-series properties of each of more than 150 real price trajectories in both high and low in ation periods. We provide further empirical evidence of the loss of information embedded in prices, be it deriving from greater overall dispersion or from a greater volatility in each seller\'s price trajectory relative to its peers\'. Our findings extend previous results, accounting for a higher level of in ation, a longer time span and a broader selection of items. / Este trabalho investiga a relação entre inflação e dispersão de preços durante a experiência de hiperinflação vivida no Brasil. Estudamos micro dados de preços sob a perspectiva da dispersão no nível do vendedor, buscando evidências das consequências informacionais de uma alta dispersão de preços. Ao invés de investigar qual arcabouço teórico melhor explica a variabilidade de preços relativos encontrada nos dados, focamos em uma abordagem sobre a informação incorporada nos preços que vai do geral para o particular: analisamos primeiramente a formação de preços de maneira agregada e depois sob o ponto de vista do vendedor individualmente. No primeiro caso queremos responder à seguinte pergunta: níveis maiores de inflação geram níveis maiores de dispersão de preços? No segundo caso, focamos nas características das séries temporais de mais de 150 trajetórias de preços reais tanto para o período de alta inflação quanto para o período pós-estabilização. Fornecemos evidências empíricas adicionais da diminuição do caráter informacional dos preços, resultante tanto de uma maior dispersão das distribuições de preços, quanto da maior volatilidade na trajetória individual dos preços, relativamente aos preços dos concorrentes. Nossos resultados estendem trabalhos anteriores uma vez que considera um ambiente de inflação mais alta e mais volátil, um horizonte de tempo maior e uma seleção mais ampla de produtos.
60

Ensaios em macroeconomia e crescimento econômico / Essays in macroeconomics and economic growth

Morales, Antonio Bruno de Carvalho 06 January 2014 (has links)
O primeiro artigo analisa quantitativamente a importância relativa dos fatores que determinam o desempenho econômico dos países. Em especial, é incorporada à análise a possibilidade do capital ser heterogêneo. Estimativas da qualidade do capital são feitas para cada país, resultantes de um modelo teórico, e a importância de cada um dos componentes é analisada. Mesmo depois do ajuste, a qualidade do capital físico não explica grande parte da experiência de crescimento dos países. Além disso, é feita uma análise para o caso brasileiro com o arcabouço desenvolvido durante o período que vai de 1970 até 2003. Conclui-se nesta análise que a heterogeneidade do capital não explica grande parte da experiência de crescimento do Brasil. O segundo artigo apresenta um modelo que relaciona crescimento econômico, educação, investimento e regimes políticos. Para isto, propõe-se um modelo de gerações sobrepostas em que existem dois grupos de agentes: os capitalistas e os trabalhadores. Além disso, uma democracia é definida como um governo em que todos votam e, pelo fato do eleitor mediano ser também um trabalhador, os trabalhadores podem então taxar o investimento e redistribuir na forma de capital humano. O principal resultado é que a democracia desestimula o investimento de capital físico e estimula o aumento de capital humano. O terceiro artigo busca explicar o aumento do consumo após a redução da inflação causada por um controle de preços. O foco é direcionado para o consumo de bens duráveis e a dificuldade dos domicílios de se protegerem dos efeitos da inflação. Uma redução súbita na inflação reduz o preço efetivo dos bens duráveis, levando a uma expansão destes. Todos os modelos são calibrados para a experiência brasileira do Cruzado, em meados da década de 80, e dois arcabouços básicos são apresentados: um em que os domicílios não possuem acesso ao mercado de crédito e outro em que possuem acesso parcial. Além disso, é apresentada a possibilidade de reduções permanentes e temporárias da taxa de inflação. As principais conclusões do artigo são que o modelo em que os domicílios não possuem acesso a crédito e são heterogêneos nas preferências é o que mais se aproxima com os dados apresentados da experiência do plano Cruzado. / The first article analyzes quantitatively the relative importance of the factors that determine economic performance of the countries. Mainly, the empirical exercise incorporates the possibility of heterogeneous capital. Estimates of the quality of the capital are made for each country from results of a theoretical model and the importance of each one of the components is analyzed. Even after the adjustment in the quality of capital, the quality of physical capital does not explain too much of the growth experiences. Furthermore, the Brazilian experience is analyzed with the developed framework from 1970 to 2003. The main conclusion is that the heterogeneity of capital inserted in the model does not explain too much of the Brazilian growth experience. oindent The second article presents a model which relates economic growth, education, investment and political regimes. In order to do that, is presented a model of overlapping generations with two groups of agents: capitalists and workers. Furthermore, a democracy is defined as a government where everybody votes and, by the fact that the median voter is also a worker, the working class then can tax more heavily the investment and redistribute through human capital investment. The main result of the article is that democracies undermine investment in physical capital and enhances the growth of human capital. oindent The third article seeks to explain consumption booms after inflation stabilization plans centered on price controls. The focus is directed to durable goods and the difficulty for households to protect themselves from inflation. A sudden decrease in the inflation rate reduces effective consumption price of durable goods, leading to a boom. All the models are calibrated for mid-80\'s Brazil and two base simulations are presented: one in which none of the households have access to the credit market and one where households have partial access to the credit market. Other than that, it is also presented the possibility of permanent and temporary stabilization of inflation. The main conclusion of the article is that the model in which households do not have access to the credit market and are heterogeneous in preferences is the one that better explains the Brazilian experience of Cruzado.

Page generated in 0.0611 seconds