• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 234
  • 85
  • 19
  • 9
  • Tagged with
  • 350
  • 350
  • 137
  • 96
  • 70
  • 70
  • 63
  • 59
  • 55
  • 49
  • 46
  • 46
  • 46
  • 46
  • 43
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Macroeconomía (AP26 MTA5): política fiscal

Universidad Peruana de Ciencias Aplicadas (UPC) 15 December 2012 (has links)
Política fiscal.
2

Modelo de equilíbrio geral computável para análise de políticas fiscais com agentes heterogêneos restritos e não restritos ao crédito

Gomes, José Weligton Félix January 2012 (has links)
GOMES, José Weligton Félix. Modelo de equilíbrio geral computável para análise de políticas fiscais com agentes heterogêneos restritos e não restritos ao crédito. 2012. 38 f. Dissertação (mestrado) - Programa de Pós Graduação em Economia, CAEN, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2012. / Submitted by Mônica Correia Aquino (monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2013-07-16T21:38:28Z No. of bitstreams: 1 2012_dissert_jwfgomes.pdf: 331090 bytes, checksum: 79e5ece67205ec99223b09fc4d87563e (MD5) / Approved for entry into archive by Mônica Correia Aquino(monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2013-07-16T21:45:32Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_dissert_jwfgomes.pdf: 331090 bytes, checksum: 79e5ece67205ec99223b09fc4d87563e (MD5) / Made available in DSpace on 2013-07-16T21:45:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_dissert_jwfgomes.pdf: 331090 bytes, checksum: 79e5ece67205ec99223b09fc4d87563e (MD5) Previous issue date: 2012 / This research aims to develop a computable general equilibrium model with heterogeneous agents restricted (p-type) and not restricted to credit (q-type) for policy analysis. We used data from the National Accounts (IBGE), PNAD (2009), IPEADATA, to calibrate the model according to the Brazilian economy in 2009. According to the model 11:31% of agents (p-type) generate 0:65% of the total income and are responsible for paying 0:66% of the total tax burden. While other agents (q-type) generate 99:35% of income accounting for 99:34% of the payment of the tax burden. In terms of importance of sources of income, while for p-type income transfers correspond to 55% of labor income for agents of q-type these account for only 16%, which leads to di erent choices of work and leisure between these two types of agents. / O presente trabalho tem como objetivo desenvolver um modelo de equili brio geral computável com agentes heterogêneos restritos (tipo p) e não restritos ao cr édito (tipo q) para ns de an álise de pol itica. Utilizou-se dados das Contas Nacionais (IBGE), PNAD (2009), IPEADATA, para calibrar o modelo segundo a economia brasileira no ano de 2009. De acordo com o modelo, 11; 31% dos agentes (tipo p) geram 0; 65% do total da renda e são responsáveis por pagar 0; 66% da carga total tribut aria. Enquanto que os demais agentes (tipo q) geram 99; 35% da renda sendo respons áveis por 99; 34% do pagamento da carga tribut aria. Em termos de importância das fontes de rendimentos, enquanto para o tipo prendas de transferências correspondem a 55% da renda do trabalho, para agentes do tipo q estas correspondem a apenas 16%, o que provoca escolhas distintas de trabalho e lazer entre esses dois tipos de agentes.
3

Propuesta de monitoreo y control fiscal para entidades subnacionales en México

Ávila Rodríguez, Diana Irene 02 1900 (has links)
Tesis para optar al grado de Magíster en Políticas Públicas / Autor no envía autorizacion, para ser publicada en el Portal de Tesis Electrónicas de la U. de Chile. / La crisis macroeconómica de 2008 y 2009 puso en evidencia la débil situación fiscal de los gobiernos sub-nacionales en México, baja generación de ingresos propios, alta participación del gasto corriente en el gasto total, dependencia de las transferencias federales, constantes déficits, niveles de liquidez inferiores a la unidad y crecimiento acelerado de deuda pública. Ante tal deterioro de las finanzas públicas se ha hecho constante el uso de esquemas de financiamiento de corto y largo plazo hasta llegar a significar cerca del 2.9% del PIB1 nacional. Los estudios más recientes2 advierten que la viabilidad fiscal en el mediano plazo es posible siempre y cuando se haga un esfuerzo recaudatorio y se disminuyan los gastos corrientes. Otros estudios3 recomiendan modificar la ley de coordinación fiscal4 respecto a la fiscalización de deuda y promover una mayor transparencia. Por su parte Carpizo (2012) plantea fortalecer el rol fiscalizador de los Órganos de Fiscalización Superior (ORFIS), y dotar a la Secretaría de Hacienda y Crédito Público (SHCP) de mayores facultades para supervisar el perfil de endeudamiento de las entidades. No obstante, al sólo fiscalizar no se corrigen los problemas estructurales. De hecho se corre el riesgo de generar rivalidad entre el gobierno estatal y la federación. Ante dicho contexto, esta investigación planteó como pregunta guía si ¿Debería México establecer reglas fiscales sub-nacionales como un mecanismo de monitoreo y control en lugar de, sólo controlar la deuda sub-nacional?. La respuesta pasa por analizar cada uno de los mecanismos de control de deuda que se han establecido y sincerar su respectivo alcance. Por ejemplo, se detectó que la heterogeneidad en las definiciones estatales de inversión pública ha impedido que prime la regla de oro, que consiste en autorizar deuda sólo para fines de inversión pública. Posteriormente, la incorporación de la calificación de riesgo como señal de finanzas públicas estatales sanas no generó escenarios de sostenibilidad fiscal de largo plazo, ya que falencias en su diseño debilitaron su rol de enviar señales de mercado respecto a la capacidad de pago para anticipar escenarios de default crediticio y respecto a las entidades que han impuesto limitantes a la contratación de crédito y déficit fiscal. El presente documento hace una propuesta de monitoreo y control fiscal estatal, mediante una regla de balance estructural, siendo ésta una solución metodológicamente homogénea para todos los estados. La aplicación del balance estructural permite no sólo diagnosticar la situación fiscal sino también diferenciar los casos críticos de los no críticos, estableciendo así metas de balance estructural diferenciadas5. Esta política toma en consideración el carácter cíclico que tienen las transferencias federales por tanto, resuelve la vulnerabilidad de las políticas públicas estatales a causa de la alta dependencia fiscal. Esta idea descansa sobre la participación directa del gobierno federal en su diseño, implementación y fiscalización pero en colaboración con los gobiernos estatales. Lo anterior, al amparo de la Ley de Coordinación y Fiscalización y la participación de la Auditoría Superior de Fiscalización. El gobierno federal debe impulsar esta política ya que que las entidades federativas no tienen por sí mismas el incentivo a hacerlo, pues la experiencia muestra que ante manejos fiscales poco prudentes existe una alta posibilidad de rescate de parte del gobierno federal. No obstante, ésta propuesta establece que sean los estados quienes al final realicen la política de balance como eje de su planeación fiscal. El impacto de la política de balance estructural sub-nacional se ejemplifica con el caso del Estado de Veracruz (1 de los 5 estados más endeudados en el país para 2012), haciendo uso de las estadísticas de finanzas públicas, difundidas por el Instituto Nacional de Estadística y Geografía (INEGI) y la Secretaría de Hacienda y Crédito Público. (SHCP).
4

Co-movimento entre política monetária e fiscal e ciclos econômicos no Brasil

Silva, Thiberio Mota da January 2011 (has links)
SILVA, Thiberio Mota da; FERREIRA, Roberto Tatiwa. Co-movimento entre política monetária e fiscal e ciclos de crescimento no Brasil. 2011. 35f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós Graduação em Economia, CAEN, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, 2011. / Submitted by Mônica Correia Aquino (monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2013-07-15T17:56:05Z No. of bitstreams: 1 2011_dissert_tmsilva.pdf: 430728 bytes, checksum: 0e3e149fa17504ec3e4e29fcc5d0de45 (MD5) / Approved for entry into archive by Mônica Correia Aquino(monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2013-07-15T17:56:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dissert_tmsilva.pdf: 430728 bytes, checksum: 0e3e149fa17504ec3e4e29fcc5d0de45 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-07-15T17:56:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dissert_tmsilva.pdf: 430728 bytes, checksum: 0e3e149fa17504ec3e4e29fcc5d0de45 (MD5) Previous issue date: 2011 / The aim of this paper is to verify the existence of a dynamic relationship between monetary and fiscal policy in Brazil, considering the possibility of economic cycles, from monthly data for the period 1997 to 2011. The analysis of co-movement between interest rate and the primary outcome/GDP is based on a vector autoregressive model with Markov changes (MSVAR) proposed by Hamilton (1989) and perfected by Krolzig (1997), a since the relationship between these policies may not be constant throughout the different phases of the economy. The empirical results show a positive correlation between interest rate and the primary outcome, the empirical evidence in favor of and monetary authorities share common goals. / O objetivo deste trabalho foi o de verificar a existência de uma relação dinâmica entre a política monetária e fiscal no Brasil, considerando a possibilidade de ciclos econômicos, a partir de dados mensais para o período de 1997 a 2011. A análise das interações entre da taxa de juros e do resultado primário como proporção do PIB baseia-se em um modelo de vetor autoregressivo com mudanças de Markov (MS-VAR) proposto por Hamilton (1989) e aperfeiçoado por Krolzig (1997), uma vez que a relação entre essas políticas pode não ser constantes ao longo das diferentes fases da economia. Os resultados empíricos mostram uma correlação positiva entre a taxa de juros e o resultado primário, evidência empírica em favor de que as autoridades fiscal e monetária compartilham objetivos comuns.
5

A influência dos fatores econômicos na arrecadação da contribuição de melhoria nos municípios brasileiros

Silva, José Flávio da January 2013 (has links)
SILVA, José Flávio da. A influência dos fatores econômicos na arrecadação da contribuição de melhoria nos municípios brasileiros. 2013. 46f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Programa de Pós Graduação em Economia, CAEN, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2013. / Submitted by Mônica Correia Aquino (monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2014-10-16T20:15:36Z No. of bitstreams: 1 2013_dissert_jfsilva.pdf: 548259 bytes, checksum: 10522422aba0daec2b4c0d7ee1a63873 (MD5) / Approved for entry into archive by Mônica Correia Aquino(monicacorreiaaquino@gmail.com) on 2014-10-16T20:15:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dissert_jfsilva.pdf: 548259 bytes, checksum: 10522422aba0daec2b4c0d7ee1a63873 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-10-16T20:15:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dissert_jfsilva.pdf: 548259 bytes, checksum: 10522422aba0daec2b4c0d7ee1a63873 (MD5) Previous issue date: 2013 / The contribution of improvement is a tribute planned since the Constitution of 1934, Article 124; currently provided for in the Constitution of 1988, Article 145, III. Competence is common to all political entities: Union, States, Federal District and Municipalities. The contribution of improvement has a righteous character is charged because of the people who have their properties valued due to public work , however, is a tribute forgotten by the tax authorities. Analyzed in this work the contribution of economic factors to increase the collection in the Brazilian municipalities during the year 2009, arising from the levying of contributions for improvement. In this sense, using a simple linear regression model, it was found that the revenue contribution of improvement is positively related with the increase in population, the index FIRJAN and taxes Contribution for Intervention in the Economic Domain - CIDE and Rural Land Tax - ITR. On the other hand, negatively influence the collection of contribution studied the amounts of transfers arising from the National Fund for Education Development - ENDF and the Municipalities Participation Fund - FPM, highlighting the disincentive for municipal administration in finance them, when the present transfers these funds. / A contribuição de melhoria é um tributo previsto desde a Constituição Federal de 1934, artigo 124; atualmente, prevista na Constituição Federal de 1988, artigo 145, III. A competência é comum a todos os entes políticos: União, Estados, Distrito Federal e Municípios. A contribuição de melhoria possui um caráter justo porque é cobrada das pessoas que possuem seus imóveis valorizados em decorrência da obra pública, porém, é um tributo esquecido pelos fiscos. Analisou-se neste trabalho a contribuição dos fatores econômicos para o incremento da arrecadação nos Municípios brasileiros durante o ano de 2009, advindo da cobrança de contribuição de melhoria. Nesse sentido, utilizando-se de um modelo de regressão linear simples, constatou-se que a arrecadação contribuição de melhoria é relacionada positivamente com o aumento da população, do índice FIRJAN e dos tributos Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – CIDE e Imposto Territorial Rural – ITR. De outro lado, exercem influência negativa na arrecadação da contribuição estudada os montantes das transferências oriundas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE e do Fundo de Participação dos Municípios – FPM, evidenciando o desincentivo para a administração municipal em se autofinanciar, quando presentes as transferências desses fundos.
6

Incentivos fiscais ao capital e crescimento econômico na região norte

Roberto Coelho Nascimento, Luiz January 2002 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T17:16:45Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo5770_1.pdf: 892379 bytes, checksum: 5525ac1f8a16f86360759109209b2b87 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2002 / O objetivo geral deste estudo é analisar o papel indutor dos incentivos fiscais ao capital (Fundo de Investimento da Amazônia - FINAM) em combinação com outros fatores de produção no crescimento econômico da região Norte, no período 1964-2000. Desse modo, este estudo limita-se em uma primeira parte ao exame das modificações ocorridas na estrutura industrial e agropecuária da Região, respectivamente no período 1970-85, 1988- 96 e 1970-1996, e a relação dessas mudanças estruturais com a política de incentivos fiscais. Para tanto, usa-se o método Diferencial-Estrutural (Shift-Share). Em uma segunda parte, por meio de um modelo econométrico, tenta-se dimensionar os efeitos marginais dos incentivos fiscais ao capital (FINAM), dos investimentos privados e da força de trabalho na taxa de crescimento do produto regional, no período 1964-2000. Os resultados obtidos neste estudo mostram que, os incentivos fiscais ao capital em relação aos incentivos à produção (esquema da indústria da Zona Franca de Manaus - ZFM), tiveram efeitos modestos na expansão da indústria de transformação. Com exceção do crescimento da agropecuária, as modificações engendradas na estrutura industrial foram pouco expressivas nas áreas de maior abrangência do FINAM. Contudo, uma considerável parcela do vertiginoso crescimento da indústria de transformação e do Produto na Região, verificada ao longo de quase quatro décadas, pode ser atribuída à política de incentivos fiscais à produção, entre outras condições locacionais e endógenas existentes no pólo daZFM. Os investimentos privados e a força de trabalho foram outros dois fatores determinantes nesse processo, como indicam os resultados econométricos. Cabe acrescentar que, a expansão da capacidade produtiva verificada na Região, transcorre de forma desequilibrada. Uma parcela significativa da indústria de transformação está concentrada no pólo da ZFM. Os dois esquemas de incentivos fiscais mencionados acima, ainda que sejam fundamentalmente importantes para o crescimento contínuo da Região, criaram algumas distorções que precisam ser reparadas. O crescimento da indústria de transformação, escudados por uma multiplicidade de incentivos fiscais, acentuou o processo de causação circular cumulativa em torno de Manaus e Belém. Diante disso, torna-se pertinente fazer uma reforma dessas políticas, no sentido de criar condições de reverter essa polarização
7

Factores políticos y ciclicidad de la política fiscal

Alvarado Onell, José Miguel January 2015 (has links)
Magíster en Economía Aplicada / Ingeniero Civil Industrial / Los datos muestran que las economías emergentes tienden a presentar una política fiscal procíclica, mientras que en las economías desarrolladas ésta tiende a ser contracíclica. La literatura ha intentado dar explicación a estos hechos principalmente desde dos perspectivas: fricciones financieras y fricciones políticas. El presente trabajo estudia la ciclicidad de la política fiscal desde la perspectiva de fricciones políticas. Para lo anterior, se desarrolla un modelo de Equilibrio General Dinámico con shocks estocásticos a la productividad total de factores, en donde las decisiones de consumo, trabajo e inversión son tomadas por un ciudadano representativo; el gobierno es dirigido por un político con preferencias propias, quien puede extraer parte del gasto público para beneficio propio. El político tiene la facultad de fijar cada periodo impuestos lineales al capital y al trabajo para financiar el gasto público total. El modelo considera distintos grados de limitaciones al actuar del político, estas limitaciones buscan modelar las restricciones institucionales que enfrentan los gobiernos tales que el mal uso de recursos públicos se ve restringido. Los principales resultados cuantitativos del modelo muestran que en la medida que sean mayores dichas limitaciones, menor es la prociclicidad del gasto público, llegando a ser incluso acíclico en algunas simulaciones. También se analizó la ciclicidad de los impuestos al capital y al trabajo. Los resultados muestran que el primero es contracíclico mientras que el segundo es procíclico.
8

Política fiscal y distribución de riqueza : un ejercicio teórico

Bryce Alberti, Manuel January 2017 (has links)
La presente investigación plantea analizar las implicancias de la política fiscal, los choques idiosincráticos y agregados sobre la distribución de riqueza, haciendo uso de un modelo teórico de agentes heterogéneos. Estos tienen preferencias separables y maximizan un flujo de utilidades descontadas que dependen de las variables ocio y consumo. Asimismo, difieren en términos de productividad laboral y dotación de capital y trabajo, cuyas distribuciones de estado estacionario no estocástico no se determinan de forma endógena. Los efectos de las políticas fiscales dependen, en esencia, del nivel de heterogeneidad o desigualdad en la economía. Se obtienen choques impulso-respuesta persistentes en el tiempo, a partir de la desviación de la condición de Blanchard & Kahn, 1980, lo que permite introducir un mayor realismo en el modelo. Los resultados sugieren que una asignación eficiente de los recursos a través de inversión pública puede contribuir a mitigar significativamente la desigualdad, así como también un sistema impositivo específico a cada tipo de agente. Las transferencias, no obstante, tienen un efecto antagónico sobre el crecimiento económico, y es bajo este enfoque teórico que este documento pretende desenterrar antiguos debates sobre el uso fiscal de los recursos.
9

Tópicos sobre a política fiscal e o ajuste fiscal no Brasil

Gobetti, Sérgio Wulff January 2008 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação, Departamento de Economia, 2008. / Submitted by Suelen Silva dos Santos (suelenunb@yahoo.com.br) on 2009-09-24T18:12:31Z No. of bitstreams: 1 2008_SergioWulffGoretti.pdf: 1717894 bytes, checksum: d7a13db3c3e99cc4c4c6f72a6c04c74b (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2009-12-02T13:28:46Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_SergioWulffGoretti.pdf: 1717894 bytes, checksum: d7a13db3c3e99cc4c4c6f72a6c04c74b (MD5) / Made available in DSpace on 2009-12-02T13:28:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_SergioWulffGoretti.pdf: 1717894 bytes, checksum: d7a13db3c3e99cc4c4c6f72a6c04c74b (MD5) Previous issue date: 2008 / Esta tese é constituída de cinco ensaios teóricos e empíricos sobre diferentes aspectos da política fiscal e do ajuste fiscal no Brasil no período de 1999-2006, marcado pelo regime de metas de superávit primário. A questão principal suscitada pela tese é que o padrão de ajuste fiscal seguido pelo país, baseado em aumento de carga tributária e redução dos investimentos, chegou a um limite, e que a introdução de novos objetivos à política macroeconômica - em particular, a distribuição de renda - agravou os dilemas a serem resolvidos, exigindo que se faça uma revisão teórica e prática de alguns paradigmas e regras fiscais. A orientação teórica adotada é heterodoxa, com ênfase nas concepções pós-keynesianas, embora em alguns casos também sejam utilizadas concepções críticas de autores ortodoxos para reforçar as linhas centrais de argumentação em favor de mudanças na política fiscal.
10

Interações entre políticas monetária e fiscal no Brasil: uma análise de cointegração

Santos, Emerson Costa dos 25 July 2013 (has links)
Submitted by Jacileide Oliveira (jacileideo@gmail.com) on 2013-11-08T11:13:02Z No. of bitstreams: 1 EMERSON COSTA DOS SANTOS.pdf: 1954908 bytes, checksum: e8527c7f38de4abf6bbe0962ece310c8 (MD5) / Approved for entry into archive by Vania Magalhaes (magal@ufba.br) on 2013-11-18T13:39:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 EMERSON COSTA DOS SANTOS.pdf: 1954908 bytes, checksum: e8527c7f38de4abf6bbe0962ece310c8 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-11-18T13:39:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 EMERSON COSTA DOS SANTOS.pdf: 1954908 bytes, checksum: e8527c7f38de4abf6bbe0962ece310c8 (MD5) / CAPES / O objetivo do presente trabalho foi verificar a interação entre as politicas monetária e fiscal no Brasil. Buscou-se testar parte do modelo teórico de Kirsanova e outros (2005), por meio de um modelo Vetor Auto Regressivo (VAR), na forma de vetor de correção de erros como proposto por Johansen (1995). O referencial teórico utilizado baseou-se nas pressuposições de modelos macroeconômicos que levam em consideração as interações entre as políticas monetária e fiscal, sobretudo os estudos teóricos de Kirsanova e outros (2005), Dixit e Lambertini (2003) e Sargent e Wallace (1981), e outros. O procedimento metodológico adotado consistiu na estimação de vetores de cointegração entre as variáveis significando uma relação de longo de prazo entre elas. A cointegração é um procedimento multivariado adequado para tratar séries de tempo, considerando a possível existência de tendências estocásticas nas séries. Por esta abordagem, é possível estimar a interação entre as políticas monetária e fiscal através dos seus instrumentos de controle: o superávit primário para a política fiscal e a taxa de juros para a política monetária. Acerca dos principais resultados, pode-se concluir que a política monetária teve algum impacto sobre a produção no longo prazo através do hiato do produto, visto que o coeficiente é significativo no modelo. A inflação e expectativa de inflação respondem as oscilações de desequilíbrio deste vetor, embora esse último não seja significativo. Já a política fiscal, também foi considerada como passiva, respondendo a sua regra de política e procurando garantir a sustentabilidade da dívida no longo prazo, bem como o crescimento econômico através do hiato do produto. Ademais, constatou-se que as autoridades de políticas agiram de maneira complementar e que em alguns momentos foram substitutas. O ajuste da taxa de juros à regra fiscal não foi significativo. Os dados sugerem que a autoridade monetária não parece ser a política dominante. Na relação inversa, o saldo primário responde a regra de política monetária com coeficiente significativo e positivo, sugerindo agir na mesma direção. Sendo este coeficiente significativo, a política fiscal parece ser dominante. / The objective of this study was to investigate the interaction between monetary and fiscal policies in Brazil. We sought to test the theoretical model of Kirsanova and others. (2005), using a model Vector Auto Regressive (VAR) in the form of vector error correction as proposed by Johansen (1995). The theoretical framework was based on the assumptions of macroeconomic models that take into account the interactions between monetary and fiscal policies, especially theoretical studies of Kirsanova and others (2005), Dixit and Lambertini (2003) and Sargent and Wallace (1981), and others. The methodological procedure adopted consisted in the estimation of cointegration vectors among the variables signifying a long-term relationship between them. The cointegration is a procedure suitable for treating multivariate time series, considering the possible presence of stochastic trends in the series. For this approach, it is possible to estimate the interaction between monetary and fiscal policy through its instruments of control: the primary surplus for fiscal policy and interest rates for monetary policy. On the main results, we can conclude that monetary policy had any impact on output in the long run through the output gap, since the coefficient is significant in the model. Inflation and inflation expectations respond fluctuations imbalance of this vector, although the latter is not significant. As for fiscal policy, was also considered as passive, responding to their policy rule and seeking to ensure debt sustainability over the long term as well as the economic growth through the output gap. Moreover, it was found that the political authorities acted in a complementary and at times were substitutes. The adjustment of the interest rate to the fiscal rule was not significant. The data suggest that the monetary authority does not seem to be the dominant policy. In inverse relationship, the primary balance responds to monetary policy rule with a positive and significant coefficient, suggesting act in the same direction. The coefficient being significant fiscal policy seems to be dominant.

Page generated in 0.1054 seconds