• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 13
  • 1
  • Tagged with
  • 14
  • 8
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Leguminosas arbustivas e arbóreas de fragmentos florestais remanescentes no noroeste paulista, Brasil

Martins, Milena Ventrichi [UNESP] 22 June 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:23:08Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-06-22Bitstream added on 2014-06-13T20:50:05Z : No. of bitstreams: 1 martins_mv_me_botib.pdf: 2355883 bytes, checksum: 7ce9e0fbf139801f695d0b4bafbedbdb (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Leguminosae é a terceira maior família das angiospermas compreendendo aproximadamente 19.327 espécies, 727 gêneros, 36 tribos e três subfamílias, dependendo da classificação utilizada. Possui distribuição cosmopolita e é bem representada na maioria dos ambientes terrestres. Neste estudo os representantes da família Leguminosae foram coletados na região noroeste do estado de São Paulo a fim de auxiliar no conhecimento da flora do Estado como um todo e minimizar os efeitos resultantes de esforços de coleta desiguais. Tal região, outrora recoberta principalmente por floresta estacional semidecidual e cerrado, restringe-se hoje a 4% de sua área original, constituindo uma das regiões mais fragmentadas e pouco conhecidas do Estado. Foram coletados indivíduos arbustivos e arbóreos em 10 fragmentos de tamanhos e formações vegetacionais variáveis na região. Foram identificadas 52 espécies pertencentes a 27 gêneros. A subfamília Papilionoideae foi a mais representativa com 20 espécies, seguida de Caesalpinioideae e Mimosoideae cada com 16 espécies. Os resultados foram organizados em dois capítulos: o primeiro trata da ocorrência das espécies nos diferentes fragmentos e apresenta uma chave para a identificação das mesmas na região noroeste, baseada prioritariamente em características vegetativas, além de dados sobre a distribuição geral das espécies e a ocorrência na região em relação às informações conhecidas e discorre sobre a presença das mesmas em listas de espécies raras, com enfoque maior nos aspectos ecológicos que podem subsidiar ações conservacionistas; o segundo capítulo é o tratamento taxonômico propriamente dito, com chaves de identificação e descrições para gêneros e espécies de cada subfamília, e informações sobre a distribuição, fenologia e taxonomia, além de figuras para ilustrar estruturas reprodutivas ou vegetativas e/ou espécies / Leguminosae is the third largest angiosperm family comprising approximately 19.327 species, 727 genera, 36 tribes and three or four subfamilies depending on the adopted classification. It has cosmopolitan distribution and is well represented in most terrestrial environments. In this study, specimens belonging to the Leguminosae family were collected in the northwest region of São Paulo State in order to improve the knowledge on the State flora and minimize the effects of nonuniform collections. Although in the past such region was mainly covered with semi-deciduous seasonal forest and cerrado, nowadays it is restricted to 4% of its original area, constituting thus one of the most fragmented and least known regions in the State. Arbustive and arboreous individuals were collected from 10 fragments of variable sizes and vegetation formations. Fifty-two species belonging to 27 genera were identified. The subfamily Papilionoideae was the most representative, with 20 species, followed by Caesalpinioideae and Mimosoideae with 16 species. The results were organized in two chapters: the first one presents the occurrence of species in different fragments, an identification key for the northwest region mainly based on vegetative characteristics, data on their general distribution and occurrence in the region relative to the already known information, besides a discussion about their inclusion in lists of rare species, highlighting ecological aspects that can support conservational actions; the second chapter constitutes the taxonomic treatment itself, with identification keys and descriptions for the genera and species of each subfamily, besides information on distribution, phenology and taxonomy, as well as figures to illustrate reproductive or vegetative structures and/or species
2

Leguminosas arbustivas e arbóreas de fragmentos florestais remanescentes no noroeste paulista, Brasil /

Martins, Milena Ventrichi. January 2009 (has links)
Resumo: Leguminosae é a terceira maior família das angiospermas compreendendo aproximadamente 19.327 espécies, 727 gêneros, 36 tribos e três subfamílias, dependendo da classificação utilizada. Possui distribuição cosmopolita e é bem representada na maioria dos ambientes terrestres. Neste estudo os representantes da família Leguminosae foram coletados na região noroeste do estado de São Paulo a fim de auxiliar no conhecimento da flora do Estado como um todo e minimizar os efeitos resultantes de esforços de coleta desiguais. Tal região, outrora recoberta principalmente por floresta estacional semidecidual e cerrado, restringe-se hoje a 4% de sua área original, constituindo uma das regiões mais fragmentadas e pouco conhecidas do Estado. Foram coletados indivíduos arbustivos e arbóreos em 10 fragmentos de tamanhos e formações vegetacionais variáveis na região. Foram identificadas 52 espécies pertencentes a 27 gêneros. A subfamília Papilionoideae foi a mais representativa com 20 espécies, seguida de Caesalpinioideae e Mimosoideae cada com 16 espécies. Os resultados foram organizados em dois capítulos: o primeiro trata da ocorrência das espécies nos diferentes fragmentos e apresenta uma chave para a identificação das mesmas na região noroeste, baseada prioritariamente em características vegetativas, além de dados sobre a distribuição geral das espécies e a ocorrência na região em relação às informações conhecidas e discorre sobre a presença das mesmas em listas de espécies raras, com enfoque maior nos aspectos ecológicos que podem subsidiar ações conservacionistas; o segundo capítulo é o tratamento taxonômico propriamente dito, com chaves de identificação e descrições para gêneros e espécies de cada subfamília, e informações sobre a distribuição, fenologia e taxonomia, além de figuras para ilustrar estruturas reprodutivas ou vegetativas e/ou espécies / Abstract: Leguminosae is the third largest angiosperm family comprising approximately 19.327 species, 727 genera, 36 tribes and three or four subfamilies depending on the adopted classification. It has cosmopolitan distribution and is well represented in most terrestrial environments. In this study, specimens belonging to the Leguminosae family were collected in the northwest region of São Paulo State in order to improve the knowledge on the State flora and minimize the effects of nonuniform collections. Although in the past such region was mainly covered with semi-deciduous seasonal forest and cerrado, nowadays it is restricted to 4% of its original area, constituting thus one of the most fragmented and least known regions in the State. Arbustive and arboreous individuals were collected from 10 fragments of variable sizes and vegetation formations. Fifty-two species belonging to 27 genera were identified. The subfamily Papilionoideae was the most representative, with 20 species, followed by Caesalpinioideae and Mimosoideae with 16 species. The results were organized in two chapters: the first one presents the occurrence of species in different fragments, an identification key for the northwest region mainly based on vegetative characteristics, data on their general distribution and occurrence in the region relative to the already known information, besides a discussion about their inclusion in lists of rare species, highlighting ecological aspects that can support conservational actions; the second chapter constitutes the taxonomic treatment itself, with identification keys and descriptions for the genera and species of each subfamily, besides information on distribution, phenology and taxonomy, as well as figures to illustrate reproductive or vegetative structures and/or species / Orientador: Ingrid Koch / Coorientador: Osmar Cavassan / Banca: Ana Maria G. A. Tozzi / Banca: Neuza T. Ranga / Mestre
3

Avaliação do potencial antioxidante e atividade citotóxica de extrato metanólicos de plantas medicinais da caatinga

NASCIMENTO JUNIOR, José Adelson Alves do 17 June 2016 (has links)
Submitted by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2017-11-27T19:44:33Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) Dissertação Final Jose Adelson.pdf: 1297434 bytes, checksum: 2f218509c40e559c1a86960b9babffef (MD5) / Made available in DSpace on 2017-11-27T19:44:33Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) Dissertação Final Jose Adelson.pdf: 1297434 bytes, checksum: 2f218509c40e559c1a86960b9babffef (MD5) Previous issue date: 2016-06-17 / CAPES / O bioma Caatinga é hoje um dos três principais ecossistemas da América do Sul, representando uma fonte potencial para a busca de novas moléculas. Dentre essas moléculas, encontram-se aquelas com atividade antioxidante que auxiliam no combate aos radicais livres, reduzindo o estresse oxidativo. A literatura evidencia que os antioxidantes presentes no mercado são de origem sintética e há uma série de efeitos tóxicos causados por seu uso prolongado, o que estimula a busca por novos produtos de origem natural. O trabalho investigou a atividade antioxidante de extratos metanólicos de três espécies vegetais encontradas no Bioma Caatinga: Abarema cochliacarpos (AC), Stryphnodendron pulcherrimum (SP) e Tanaecium xanthophyllum (TX) por metodologias in vitro: ensaio do DPPH, ABTS, fosfomolibdênio. Adicionalmente foi realizada as metodologias de FRAP e Poder Redutor, posteriormente a investigação fitoquímica dos extratos bem como dosagem do teor de fenóis e flavonóides totais com o intuito de apontar os possíveis compostos ativos responsáveis por tal atividade e, por fim, a análise por HPLC afim de qualificar e quantificar os fenóis presentes na amostra e a atividade citotóxica foi feita por atividades contra células HeLa e de hemácias humanas. A análise do perfil fitoquímico evidenciou a presença de saponinas, taninos e terpenóides e glicosídeo cardiôtonico, em todos os extratos, enquanto que pholataninos foram encontrados em AC e TC, antraquinona em TC, Alkaloide não foi encontrado em nenhum dos extratos. As dosagens de fenóis totais e flavonóides dos extratos variaram de 97.13 a 112,39 (mg EAG. g 1 extrato) e 23,54 a 28,96 (mg EQ. g 1 extrato), respectivamente. Os valores de CI50 da atividade sequestradora de radicais DPPH variaram de 0,457 a 1,162 μg/mL. A CI50 de sequestro de radicais ABTS variou de 244,2 a 281,1 e a porcentagem da capacidade antioxidante total (%CAT) de 11,50 a 24,38 %. A atividade de redução do íon do ferro pelo método de FRAP ficou entre 477,78 e 850,89 μg/mL, e atividade de poder redutor indicou uma absorbância de 1.4 para o extrato SP seguido de 1.1 e 0.89 dos extratos AC e TC onde obtiveram leituras próximas a absorbância do controle quercetina que foi 1.5. A atividade hemolítica de todos os extratos apresentaram hemólise abaixo de 3% o que indica que não obtiveram atividade citotóxica contra células humanas, a avaliação dos ensaios de atividade citotóxica contra células tumorais mostrou que os extratos não apresentam atividade contra células tumorais. No presente estudo evidenciou-se o papel chave dos compostos fenólicos na atividade antioxidante dos extratos estudados, e que os mesmos não apresentam citotoxicidade como os compostos já utilizados. Mais estudos são necessários para isolar esses compostos para melhor caracterizá-los, assim como a realização de testes de atividade antioxidante in vivo. / The biome Caatinga is one of three main open ecosystems of South America, rep-resenting an environment of potential source of new molecules. Among molecules characterized this biome presented antioxidant activity that helps to fight free radicals, reducing oxidative stress. Studies shown that the antioxidants present in the market are of synthetic origin, and large part is related to toxic effects caused by prolonged use. This fact driving the search for new natural products antioxidants. The present study investigate the antioxidant activity of methanol extracts of three species of plants found in the Caatinga: Abarema cochliocarpos (AC), Stryphnodendron pulcherrimum (SP) and Tanaecium xanthophyllum (TX), for in vitro methodologies: DPPH assay, ABTS, Fosfomolibdênio (capacity total antioxidant - CAT), the oxidation of ions by FRAP and The Power Reducing. Moreover, the phytochemical investigation of extracts and total phenols and flavonoids were measured by HPLC analysis and Folin Chateau, respec-tively. The cytotoxic effect of extracts was observed against tumor cells and erythrocytes of human. The phytochemical analysis revealed the presence of saponines, tannins, terpenoid and glicosides for all extracts, but only pholabatannis was found in CA and CT, and anthraquinone in CT. Finally, the presence of alkaloids was not evidenced in the extracts. Total phenols and flavonoids of extracts ranged from 97.13 to 112.39 (mg GAE. G-1 extract) and 23.54 to 28.96 (mg EQ. G-1 extract), respectively. The IC50 values of DPPH radical scavenging activity ranged from 0.457 to 1.162 g / ml. For the radical sequestration ABTS, IC50 values ranger from 244.2 to 281.1, and the percentage of total antioxidant capacity (% CAT) from 11.50 to 24.38%. The iron ion reduction activity by FRAP method was between 477.78 and 850.89 mg / mL, and for reducing power activity indicated an absorbance of 1.4 by SP extract followed 1.1 and 0.89 by AC and CT extracts, respectively, the absorbance of quercetin control was 1.0. The cytotoxic analysis in human erythrocytes and against tumor cells revealed not cytotoxic action of extracts. Therefore the present study revealed a key role of phenolic compounds in the antioxidant activity of the extracts studied. Although, more studies are needed to isolate these compounds, to better characterize them, as well as the realization of antioxidant activities in vivo tests.
4

Flórula fanerogâmica das restingas do Estado do Pará: leguminosae-mimosoideae

SOUSA, Júlio dos Santos de January 2008 (has links)
This study deals with the taxonomic treatment of Mimosoideae in the coastal sandbanks of Pará State, since they are poorly known under that aspect. The methodology includes the analysis of botanical material originated from new collections and specimens from the herbaria MG and IAN, beyond specialized literature. In the results, identification key, descriptions, and illustrations of the taxa are given, as well as further data concerning geographical distribution, additional comments, flowering and fructification period, and habitat of the species. The fruit was the character of larger prominence in the separation of taxa. The results pointed out the presence of seven species {Calliandra surinamensis Benth. Chloroleucon acacioides (Ducke) Barneby & J. W. Grimes, Inga cayennensis Sagot ex Benth., Inga heterophylla Willd., Ingapilosula (Rich.) J.F. Macbr., Inga splendens Willd. and Mimosa candollei R. Grether), three varieties {Aharema cochleata (Willd.) Barneby & Grimes var. cochleata, Entadapolystachya (L.) DC. var. Polystachya and Mimosapudica var. unijuga (Walp. & Duchass.) Griseb.) and one subspecie {Inga thibaudiana DC. subsp. thihandiand), distributed in six genera and two tribes. Inga cayennensis, Inga thibaudiana subsp. thibaudiana e Mimosa candollei are new records for the sand coast of Pará. The genus Inga Mill. was the most representative with five species. Entada polystachya var. polystachya and specially Chloroleucon acacioides presented the widest distribution, and forest formation was the ecosystem which had the largest number of species. / Este trabalho consiste no tratamento taxonômico de Mimosoideae nas restingas do litoral paraense, uma vez que estas são pouco conhecidas sob esse aspecto. A metodologia desse estudo abrangeu a análise do material proveniente de coletas e amostras de exsicatas dos herbários MG e IAN, além de literatura especializada. Nos resultados são apresentadas chave de identificação, descrições e ilustrações dos táxons, bem como dados adicionais sobre distribuição geográfica, comentários, período de floração e frutificação e hábitat das mesmas. O fruto foi o caráter de maior destaque na separação dos táxons. Os resultados evidenciaram a presença de sete espécies {Calliandra surinamensis Benth., Chloroleucon acacioides (Ducke) Barneby & J. W. Grimes, Inga cayennensis Sagot ex Benth., Inga heterophylla Willd., Inga pilosula (Rich.) J.F. Macbr., Inga splendens Willd. e Mimosa candollei R. Grether), três variedades {Aharema cochleata (Willd.) Barneby & Grimes var. cochleata, Entada polystachya (L.) DC. var. Polystachya e Mimosa pudica var. unijuga (Walp. & Duchass.) Griseb.) e uma subespécie (Inga thihaudiana DC. subsp. thihandiana), distribuídas em seis gêneros e duas tribos. Inga thihaudiana subsp. thihaudiana e Mimosa candollei, são novos registros para o litoral do Pará. O gênero Inga Mill. foi o mais representativo com cinco espécies. Entada polystachya var. polystachya e principalmente Chloroleucon acacioides apresentaram distribuição mais ampla e a formação de mata foi o ecossistema que apresentou o maior número de espécie.
5

Mimosoideae na Serra do Cipó, Minas Gerais e análise da variabilidade morfológica de Mimosa macedoana Burkart / Mimosoideae at Serra do Cipó, Minas Gerais and analysis of the morphological variability of Mimosa macedoana Burkart

Leonardo Maurici Borges 16 April 2010 (has links)
O estudo de Leguminosae Mimosoideae é parte do projeto Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil, e apresenta chaves de identifcação, ilustrações, comentários sobre distribuição geográfca e fenologia para os gêneros e espécies dessa região. o trabalho de campo e estudos de coleções de herbários indicam que Mimosoideae é representada na área por 57 espécies, pertencentes a 13 gêneros: Abarema (2 spp.), Albizia (1 sp.), Anadenanthera (1 sp.), Calliandra (6 spp.), Enterolobium (1 sp.), Inga (6 spp.), Leucochloron (1 sp.), Mimosa (25 spp.), Piptadenia (3 spp.), Plathymenia (1 sp.), Pseudopiptadenia (2 spp.), Senegalia (4 spp.) e Stryphnodendron (3 spp.). Mimosa macedoana é uma das espécies encontradas nos campos rupestres da região, cujas exsicatas permitem distinguir dois morfotipos pelo tamanho das partes vegetativas. Para averiguar se esta distinção ocorre em ambiente natural, duas populações da espécie foram submetidas a estudo morfométrico com uso de métodos de estatística multivariada (LC, PCa e DF). os resultados evidenciaram que as populações analisadas são morfologicamente distintas e que características fisiográfcas dos aforamentos rochosos onde se situam as populações podem infuenciar a variação morfológica. / The study of Leguminosae Mimosoideae is part of the project Flora of Serra do Cipó, Minas Gerais, Brazil, which aims to provide identifcation keys, illustrations, comments on geographic distribution and phenology to genera and species from this region. Field and herbaria studies indicate that Mimosoideae is represented in the area by 57 species belonging to 13 genera: Abarema (2 spp.), Albizia (1 sp.), Anadenanthera (1 sp.), Calliandra (6 spp.), Enterolobium (1 sp.), Inga (6 spp.), Leucochloron (1 sp.), Mimosa (25 spp.), Piptadenia (3 spp.), Plathymenia (1 sp.), Pseudopiptadenia (2 spp.), Senegalia (4 spp.) and Stryphnodendron (3 spp.). Te exsicattae of Mimosa macedoana, one of the species occurring at the rocky felds of the region, show two morphotipes distinguished by the size of their vegetative parts. aiming to investigate whether this distinction also happens in the natural environment, two populations of the species were submitted to a morphometrical analysis using multivariate statistical methods (LC, PCa & DF). results showed that the populations are morphologicaly distinct, and that physiographic caracteristics of the rocky outcrops where the populations grow may infuence the morphological variation.
6

Mimosoideae na Serra do Cipó, Minas Gerais e análise da variabilidade morfológica de Mimosa macedoana Burkart / Mimosoideae at Serra do Cipó, Minas Gerais and analysis of the morphological variability of Mimosa macedoana Burkart

Borges, Leonardo Maurici 16 April 2010 (has links)
O estudo de Leguminosae Mimosoideae é parte do projeto Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil, e apresenta chaves de identifcação, ilustrações, comentários sobre distribuição geográfca e fenologia para os gêneros e espécies dessa região. o trabalho de campo e estudos de coleções de herbários indicam que Mimosoideae é representada na área por 57 espécies, pertencentes a 13 gêneros: Abarema (2 spp.), Albizia (1 sp.), Anadenanthera (1 sp.), Calliandra (6 spp.), Enterolobium (1 sp.), Inga (6 spp.), Leucochloron (1 sp.), Mimosa (25 spp.), Piptadenia (3 spp.), Plathymenia (1 sp.), Pseudopiptadenia (2 spp.), Senegalia (4 spp.) e Stryphnodendron (3 spp.). Mimosa macedoana é uma das espécies encontradas nos campos rupestres da região, cujas exsicatas permitem distinguir dois morfotipos pelo tamanho das partes vegetativas. Para averiguar se esta distinção ocorre em ambiente natural, duas populações da espécie foram submetidas a estudo morfométrico com uso de métodos de estatística multivariada (LC, PCa e DF). os resultados evidenciaram que as populações analisadas são morfologicamente distintas e que características fisiográfcas dos aforamentos rochosos onde se situam as populações podem infuenciar a variação morfológica. / The study of Leguminosae Mimosoideae is part of the project Flora of Serra do Cipó, Minas Gerais, Brazil, which aims to provide identifcation keys, illustrations, comments on geographic distribution and phenology to genera and species from this region. Field and herbaria studies indicate that Mimosoideae is represented in the area by 57 species belonging to 13 genera: Abarema (2 spp.), Albizia (1 sp.), Anadenanthera (1 sp.), Calliandra (6 spp.), Enterolobium (1 sp.), Inga (6 spp.), Leucochloron (1 sp.), Mimosa (25 spp.), Piptadenia (3 spp.), Plathymenia (1 sp.), Pseudopiptadenia (2 spp.), Senegalia (4 spp.) and Stryphnodendron (3 spp.). Te exsicattae of Mimosa macedoana, one of the species occurring at the rocky felds of the region, show two morphotipes distinguished by the size of their vegetative parts. aiming to investigate whether this distinction also happens in the natural environment, two populations of the species were submitted to a morphometrical analysis using multivariate statistical methods (LC, PCa & DF). results showed that the populations are morphologicaly distinct, and that physiographic caracteristics of the rocky outcrops where the populations grow may infuence the morphological variation.
7

Desenvolvimento floral de Parkia multijuga e Stryphnodendron adstringens, espécies andromonoicas de Leguminosae (Mimosoideae) / Floral development of Parkia multijuga and Stryphnodendron adstringens, andromonoecious legumes (Leguminosae, Mimosoideae)

Giseli Donizete Pedersoli 31 July 2013 (has links)
Flores díclinas originam-se da ausência funcional/estrutural de um dos verticilos envolvidos na reprodução, seja desde o início ou no decorrer do desenvolvimento dos primórdios. Este trabalho visa ao estudo do desenvolvimento floral de Parkia multijuga e Stryphnodendron adstringens, leguminosas andromonoicas, a fim de verificar se as flores estaminadas se formam por ausência do carpelo desde o início do desenvolvimento ou por seu aborto no decorrer do desenvolvimento. Botões florais de vários tamanhos e flores foram coletados e processados para observações em microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia de luz (ML). O desenvolvimento dos órgãos florais inicia-se com o surgimento de cinco primórdios de sépalas no meristema floral, a partir do lado abaxial em P. multijuga e adaxial em S. adstringes: em alguns botões, um sexto primórdio de sépala inicia-se tardiamente; cinco primórdios de pétalas simultaneamente em P. multijuga e bidirecionalmente em S. adstringes; um primórdio de carpelo concomitante aos cinco primórdios de estames antessépalos em P. multijuga, e após a formação das pétalas em S. adstringes; e cinco primórdios de estames antepétalos. As etapas finais do desenvolvimento são similares entre as espécies. Os estames iniciados em dois verticilos, um mais externo (antessépalo) e outro mais interno (antepétalo), encontram-se arranjados em um único verticilo. Entretanto, os estames antessépalos, que se iniciaram primeiro, apresentam-se um pouco mais alongados que os antepétalos. Em P. multijuga os filetes unem-se na base durante seu alongamento, formando um tubo que, posteriormente, torna-se adnato às pétalas. Nas flores hermafroditas de ambas as espécies, o primórdio carpelar inicia-se, alonga-se, a fenda carpelar se fecha e, logo após, começa a diferenciação do estilete. Já nas flores estaminadas, o primórdio carpelar inicia-se e alonga-se, mas sua fenda não se fecha e o carpelo não termina seu desenvolvimento. Na fase final, as flores hermafroditas apresentam estigmas completamente diferenciados, enquanto que nas flores estaminadas, o primórdio carpelar permanece como um rudimento na base do botão floral. Não há iniciação de óvulos neste caso. Conclui-se que as flores estaminadas em ambas as espécies surgem por aborto do carpelo e não por sua ausência desde o início, semelhante a outros membros de Mimosoideae. / Diclinous flowers originate by functional/structural absence of one of the reproductive whorls, from the inception or by abortion in the development. This study aims to compare the floral development of two andromonoecious legumes, Parkia multijuga and Stryphnodendron adstringens, in order to verify which process acts in the staminate flower formation (carpel absence from inception or by abortion). Flowers and flower buds of various sizes were collected and processed for observations in scanning electron microscopy (SEM) and light microscopy (LM). The development of floral organs begins with the emergence of five sepal primordia in the floral meristem from the abaxial side (P. multijuga) and from the adaxial side (S. adstringens) in which in some buds, a sixth primordia arises late; five petal primordial simultaneously in P. multijuga and bidirectionally in S. adstringens, a carpel primordium emergence concomitantly to five antesepalous stamens primordia in P. multijuga, and after the petal formation in S. adstringens, and five antepetalous stamen primordium. In the final stages of the development, the stamens initiated in two whorls, one outer (antesepalous) and the other innermost (antepetalous), are arranged in a single whorl. However, the antesepalous stamens, which emerged first, are a little more elongated than the antepetalous ones. In P. multijuga the fillets join in the base while its elongation, forming a tube, which thereafter becomes adnate to the petals. In hermaphrodite flowers, in both species, the carpel primordium emerges, stretches, the carpel cleft closes and, soon after, the style begins its differentiation. In staminate flowers, the carpel primordium begins and stretches, but the carpel cleft does not close and the carpel does not end its development. In the mature stage, the hermaphrodite flowers present fully differentiated stigmas, while in the staminate flowers, the carpel primordium remains as a rudiment at the base of the bud. In this case, there is no initiation of any ovule. We conclude that staminate flowers in both species arise by carpel abortion and not from inception, alike the other members of Mimosoideae.
8

Desenvolvimento floral de Parkia multijuga e Stryphnodendron adstringens, espécies andromonoicas de Leguminosae (Mimosoideae) / Floral development of Parkia multijuga and Stryphnodendron adstringens, andromonoecious legumes (Leguminosae, Mimosoideae)

Pedersoli, Giseli Donizete 31 July 2013 (has links)
Flores díclinas originam-se da ausência funcional/estrutural de um dos verticilos envolvidos na reprodução, seja desde o início ou no decorrer do desenvolvimento dos primórdios. Este trabalho visa ao estudo do desenvolvimento floral de Parkia multijuga e Stryphnodendron adstringens, leguminosas andromonoicas, a fim de verificar se as flores estaminadas se formam por ausência do carpelo desde o início do desenvolvimento ou por seu aborto no decorrer do desenvolvimento. Botões florais de vários tamanhos e flores foram coletados e processados para observações em microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia de luz (ML). O desenvolvimento dos órgãos florais inicia-se com o surgimento de cinco primórdios de sépalas no meristema floral, a partir do lado abaxial em P. multijuga e adaxial em S. adstringes: em alguns botões, um sexto primórdio de sépala inicia-se tardiamente; cinco primórdios de pétalas simultaneamente em P. multijuga e bidirecionalmente em S. adstringes; um primórdio de carpelo concomitante aos cinco primórdios de estames antessépalos em P. multijuga, e após a formação das pétalas em S. adstringes; e cinco primórdios de estames antepétalos. As etapas finais do desenvolvimento são similares entre as espécies. Os estames iniciados em dois verticilos, um mais externo (antessépalo) e outro mais interno (antepétalo), encontram-se arranjados em um único verticilo. Entretanto, os estames antessépalos, que se iniciaram primeiro, apresentam-se um pouco mais alongados que os antepétalos. Em P. multijuga os filetes unem-se na base durante seu alongamento, formando um tubo que, posteriormente, torna-se adnato às pétalas. Nas flores hermafroditas de ambas as espécies, o primórdio carpelar inicia-se, alonga-se, a fenda carpelar se fecha e, logo após, começa a diferenciação do estilete. Já nas flores estaminadas, o primórdio carpelar inicia-se e alonga-se, mas sua fenda não se fecha e o carpelo não termina seu desenvolvimento. Na fase final, as flores hermafroditas apresentam estigmas completamente diferenciados, enquanto que nas flores estaminadas, o primórdio carpelar permanece como um rudimento na base do botão floral. Não há iniciação de óvulos neste caso. Conclui-se que as flores estaminadas em ambas as espécies surgem por aborto do carpelo e não por sua ausência desde o início, semelhante a outros membros de Mimosoideae. / Diclinous flowers originate by functional/structural absence of one of the reproductive whorls, from the inception or by abortion in the development. This study aims to compare the floral development of two andromonoecious legumes, Parkia multijuga and Stryphnodendron adstringens, in order to verify which process acts in the staminate flower formation (carpel absence from inception or by abortion). Flowers and flower buds of various sizes were collected and processed for observations in scanning electron microscopy (SEM) and light microscopy (LM). The development of floral organs begins with the emergence of five sepal primordia in the floral meristem from the abaxial side (P. multijuga) and from the adaxial side (S. adstringens) in which in some buds, a sixth primordia arises late; five petal primordial simultaneously in P. multijuga and bidirectionally in S. adstringens, a carpel primordium emergence concomitantly to five antesepalous stamens primordia in P. multijuga, and after the petal formation in S. adstringens, and five antepetalous stamen primordium. In the final stages of the development, the stamens initiated in two whorls, one outer (antesepalous) and the other innermost (antepetalous), are arranged in a single whorl. However, the antesepalous stamens, which emerged first, are a little more elongated than the antepetalous ones. In P. multijuga the fillets join in the base while its elongation, forming a tube, which thereafter becomes adnate to the petals. In hermaphrodite flowers, in both species, the carpel primordium emerges, stretches, the carpel cleft closes and, soon after, the style begins its differentiation. In staminate flowers, the carpel primordium begins and stretches, but the carpel cleft does not close and the carpel does not end its development. In the mature stage, the hermaphrodite flowers present fully differentiated stigmas, while in the staminate flowers, the carpel primordium remains as a rudiment at the base of the bud. In this case, there is no initiation of any ovule. We conclude that staminate flowers in both species arise by carpel abortion and not from inception, alike the other members of Mimosoideae.
9

Lectinas de sementes de Parkia panurensis e de Parkia biglobosa: estudos físico-químicos e estruturais / Parkia panurensis and Parkia biglobosa seed lectins: physical-chemical and structural studies

Bari, Alfa Umaro January 2015 (has links)
BARI, Alfa Umaro. Lectinas de sementes de Parkia panurensis e de Parkia biglobosa: estudos físico-químicos e estruturais. 2015. 78 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia de Recursos Naturais)-Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. / Submitted by Coordenação PPGBiotec (ppgbiotec@ufc.br) on 2017-06-13T12:45:55Z No. of bitstreams: 1 2015_dis_aubari.pdf: 376414 bytes, checksum: 46892f087d561316fb603a219add7360 (MD5) / Approved for entry into archive by Jairo Viana (jairo@ufc.br) on 2017-06-13T21:26:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_dis_aubari.pdf: 376414 bytes, checksum: 46892f087d561316fb603a219add7360 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-06-13T21:26:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_dis_aubari.pdf: 376414 bytes, checksum: 46892f087d561316fb603a219add7360 (MD5) Previous issue date: 2015 / Lectins are proteins of non-immune origin with at least one non-catalytic domain that reversibly binds to specific mono or oligo saccharides and are widely distributed in the plant kingdom. These lectins are presented as valuable tools for biotechnological byplay important biological functions such as recognition of cancer cells, mitogenic agents, immune suppressants among others. In this work, it was isolated lectin from Parkia panurensis seed (Ppal) specifies to mannose and glucose by combining the techniques of ammonium sulfate fractionation and affinity chromatography on a sepharose-mannose column. The analysis of the physicochemical properties showed that Ppal can maintain its hemagglutination activity at a wide range of temperature and pH and also was dependent of metal ions Ca2+and especially Mn2+. By the electrophoresis (SDS-PAGE) analysis, the Ppal showed an electrophoretic profile composed of dual band, higher molecular weight approximately 45kDaand a smaller molecular weight of approximately30kDa. Studies to determine the three-dimensional structure of Parkia biglobosa seed lectin (PBL) showed the complete crystal structure of PBL complexed withα-methyl-manosídeo consists of a monomer in the asymmetric unit consists of threeβ-prism domains with homologous amino acid sequences arranged in tandem. The structure of the monomer has three carbohydrate binding sites, each binding site to carbohydrates is located in one of theβ-prism domains. All ligands showed different patterns of interaction with the residues of the carbohydrate binding site. / Lectinas são proteínas de origem não imune com no mínimo um domínio não catalítico que se liga de forma reversível a mono ou oligossacarídeos específicos e encontram-se largamente distribuídas no reino vegetal. As lectinas de sementes apresentam-se como valiosas ferramentas biotecnológicas por desempenharem importantes funções biológicos tais como reconhecimento de células cancerígenas, agentes mitogênicos, imunossupressores entre outras. Neste trabalho foi isolada uma lectina de sementes de Parkia panurensis (PpaL) específica por manose e glicose pela combinação das técnicas de fracionamento com sulfato de amônio e cromatografia de afinidade em coluna de Sepharose-manose. A análise das propriedades físico-química demonstrou que PpaL consegue manter a sua atividade hemaglutinante a ampla faixa de temperatura e pH. PpaL é uma proteína dependente dos íons metálico Ca2+ e principalmente o Mn2+. Pela analise de eletroforese (SDS-PAGE) PpaL apresentou um perfil eletroforético composto por dupla banda, uma maior com peso molecular de aproximadamente 45 kDa e outra menor com peso molecular de aproximadamente 30 kDa. Estudos para determinação de estrutura tridimensional de lectina de sementes de Parkia biglobosa demonstrou que a estrutura cristalina completa da PBL complexado com α-metil-manosídeo consiste de um monômero na unidade assimétrica formado por três domínios β-prisma com as sequências de aminoácidos homologas arranjado na forma de tandem. A estrutura do monômero apresenta três sítios de ligação a carboidratos, cada sitio de ligação a carboidratos está localizado em um dos domínios β-prisma. Todos os ligantes apresentaram diferentes padrões de interação com os resíduos do sitio de ligação a carboidrato.
10

Revisão taxonômica e estudos filogenéticos de Mimosa L. sect. Calothamnos Barneby (Leguminosae-Mimosoideae) / Taxonomicrevision and phylogenetic studies of Mimosa L. sect Calothamnos Barneby

Ana Paula Savassi Coutinho 03 December 2009 (has links)
REVISÃO TAXONÔMICA E ESTUDOS FILOGENÉTICOS DE Mimosa L. sect. Calothamnos Barneby (Leguminosae-Mimosoideae). Mimosa é o segundo maior gênero de Mimosoideae, depois de Acacia s.l., com cerca de 530 espécies distribuídas principalmente nos Neotrópicos e ocupando diferentes tipos de ambientes, desde florestas até desertos. Tradicionalmente o gênero foi dividido em cinco seções: Mimosa sect. Mimadenia, Mimosa sect. Batocaulon, Mimosa sect. Habbasia, Mimosa sect. Mimosa e Mimosa sect. Calothamnos, baseado principalmente na presença ou ausência de nectários extraflorais, nos tipos de tricomas e em características florais. Mimosa sect. Calothamnos é caracterizada pela ausência de nectários extraflorais, pela presença de diferentes tipos de tricomas ramificados recobrindo as estruturas vegetativas e reprodutivas (exceto cálice e androceu) e pelas flores tetrâmeras, isotêmones e com filetes geralmente amarelos (alvos ou róseos em algumas espécies). Este grupo, rico em endemismos, encontra-se distribuído principalmente nas regiões sudeste (sobretudo na Cadeia do Espinhaço em Minas Gerais) e sul do Brasil, com algumas espécies se estendendo até países limítrofes (Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai), geralmente associadas à ambientes mais abertos como os Campos Rupestres ou as Estepes, mas com algumas espécies ocorrendo em Floresta Ombrófila Mista. O objetivo do presente trabalho foi realizar a revisão taxonômica e o estudo filogenético de Mimosa sect. Calothamnos a fim de responder as seguintes questões: 1) O número de espécies reconhecido para Mimosa sect. Calothamnos é subestimado? 2) Mimosa sect. Calothamnos, na forma como tradicionalmente circunscrita, é monofilética; 3) Os tricomas ramificados e os filetes amarelos seriam sinapomorfias da seção? A revisão taxonômica foi realizada a partir de levantamento bibliográfico, da análise de cerca de 2000 espécimes depositados nos principais herbários brasileiros e do exterior e em expedições de coleta. A reconstrução filogenética foi feita a partir de análises de parcimônia e bayesiana, baseadas em marcadores moleculares do cloroplasto (trnH-psbA e rps16), do núcleo (ITS) e em dados morfológicos. Algumas modificações foram propostas em relação à classificação tradicional como rearranjos infra-específicos, sinonimizações, adequações nomenclaturais e, além disso, sete lectótipos foram designados e três espécies novas foram descritas, resultando no aumento no número de espécies de 26 (34táxons) para 32 (35 táxons). Nas análises filogenéticas com os dados combinados, Mimosa sect. Calothamnos é fortemente sustentada como monofilética e apresentando como sinapomorfias morfológicas os tricomas estrelado-sésseis recobrindo a face abaxial dos folíolos, a corola e os frutos. / TAXONOMIC REVISION AND PHYLOGENETIC STUDIES OF Mimosa L. sect. Calothamnos Barneby (Leguminosae-Mimosoideae). Mimosa is the second largest genus of Mimosoideae, after Acacia s.l., with about 530 species, mainly distributed in the Neotropics in diferent types of vegetations, from forests to deserts. Traditionally, the genus was divided into five sections: Mimosa sect. Mimadenia, Mimosa sect. Batocaulon, Mimosa sect. Habbasia, Mimosa sect. Mimosa e Mimosa sect. Calothamnos, mainly based on the presence or absence of petiolar nectaries, on the kind of trichomes and on floral characteristics. Mimosa sect. Calothamnos is caracterized by the absence of petiolar nectaries, the presence of different types of branched trichomes covering vegetative and reproductive structures (except calyx and androecium) and by the tetramerous and isostemonous flowers with often yellow filaments (white or pink in some species). This group, with a high degree of endemism, is distributed mainly in the Southeastern (generally in Espinhaço Range, Minas Gerais) and South Brazilian regions, with some species extending into bordering countries, usually associated with open areas such as Campos Rupestres or Estepes, but with some species in Floresta Ombrófila Mista. The aims of the present study were to carry out a taxonomic revision and a phylogenetic approach of Mimosa sect. Calothamnos, in order to asnwer the following questions: 1) Is the number of taxa recognized in the section an overestimate?; 2) Is Mimosa sect. Calothamnos, as traditionally circunscribed, a monophyletic group? and 3) Are yellow stamen filaments and branched trichomes synapomorphic characthers of the section? The taxonomic revision was based on bibliographical survey, examination of about 2000 specimens from the Brazilian and foreign herbaria and on field expeditions. The phylogenetic reconstruction was carried out by parsinomy and bayesian analyses, based on molecular markers from cloroplast (trnH-psbA and rps16), nuclear (ITS) and morphological characters. Some modifications related to the traditional classification were proposed, such as infraspecific rearrangements, synonimizations and nomenclatural adequation. Besides this, seven lectotypes were designated and three new species were described, resulting in a larger number of the species, from 26 (34 taxons) to 32 (35 taxons). In the phylogenetics analyses based on combined data, Mimosa sect. Calothamnos is highly supported as monophyletic, with some morphological synapomorphies such as the presence of sessile stellate trichomes in the lower surface of the leaflets, corolla and fruits.

Page generated in 0.0272 seconds