• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 40
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 40
  • 40
  • 31
  • 17
  • 13
  • 13
  • 12
  • 12
  • 10
  • 9
  • 8
  • 8
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Implicações do perfil de ansiedade na dinâmica /

Genovez, Lara Wichr. January 2010 (has links)
Orientador: Gilson Luiz Volpato / Resumo: Este estudo investigou o perfil de ansiedade em Juverus de Tilápia-do-Nilo (Ore Niloticus). Num primeiro capitulo, determinamos um perfil comportamental indicativo de níveis de ansiedade. Num segundo capitulo, avaliamos o efeito de diferentes proporções de peixes com ansiedade alta (AA) e pouca (PA) na agressão e na produção de peixes em condições de aquário. No primeiro capitulo, por meio da modulação do comportamento de peixes usando drogas ansiolíticas (Diazepam, DZP) e ansiogênicas (Pentilenotetrazol, PTZ), demonstramos que o tempo gasto na natação foi um indicador confiável do nível de ansiedade (menor a locomoção, maior o nível de ansiedade). Também descobrimos que esse traço comportamental é melhor do que a medida de latência para sair do abrigo e explorar o ambiente novo. No segundo capitulo, outros peixes foram separados pelo critério de locomoção em perfis AA e PA e agrupados (6 peixes/aquário) para observação da agressão, do crescimento, da alimentação e da sobrevivência em 3 proporções: a) 50% de AA + 50% de PA; b) 100% PA e c) 100% AA. Nenhuma das variáveis observadas foi diferente entre essas composições de grupo / Abstract: This study investigated the anxiety profile in Nile tilapia juveniles (Oreochromis niloticus) by determining in a first chapter a behavioral profile to indicate levels of anxiety and, in a second chapter, the effect of different proportion of high (liA) and low (LA) anxiety fish on aggression and fish production in aquarium conditions. ln the first chapter, by modulating fish behavior with ansiolitic (Diazepam DZP) and ansiogenic (pentylenotetrazole PTZ) drugs, we demonstrated that time fish spent in swimming was a reliable indicator of anxiety levei (the lower the swimming, the higher the anxiety levei). We also found that this behavioral trait is better than measure of latency to exit shelter and explore a novel environment. Then, in the second chapter, other fish were separated by the locomotor criterium in HA and LA profiles and grouped (6 fish/aquarium) for aggression, growth, feeding and survival observations at three proportions: a) 50% HA + 50% LA, b) 100% HA, and c) 100% LA. Neither of the observed variables was different among these group compositions / Mestre
2

Avaliação do bem-estar da tilápia-do-Nilo a partir do esforço para obtenção de condiçoes de preferência

Freitas, Renato Hajenius Aché de [UNESP] 23 February 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:35:41Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-02-23Bitstream added on 2014-06-13T20:26:40Z : No. of bitstreams: 1 freitas_rha_dr_botib.pdf: 771181 bytes, checksum: 6fcc795325c3b6d00cd2c58edfc84ff9 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Inicialmente investigamos condições de preferência dos peixes em relação à granulometria de sedimento de rio, coloração ambiental e intensidade de luz na cor ambiental preferida. Posteriormente, avaliamos a tese central de que o esforço que o peixe realiza para atingir determinado objetivo é um indicador da relevância do mesmo (condição a ser atingida) para melhorar seu bem-estar. Assim, determinamos uma forma de se impingir esforço ao animal para que obtenha a condição de sua preferência. Avaliamos a preferência por meio da freqüência de visita em compartimentos contendo diferentes condições da variável testada. Concluímos que a preferência pela granulometria do sedimento para visitar está relacionada com a amplitude bucal do indivíduo. Além disso, a preferência pode ser dependente da motivação para se reproduzir ou alimentar-se. A tilápia mostrou preferência pela cor ambiental amarela e, nessa cor, prefere intensidades abaixo de 200 lux de maneira consistente e independente do período. Abaixo disso só apresenta preferência no período da manhã, sendo essa de ~ 80 lux. Sugerimos que a tomada de decisão por todas essas variáveis seja mais expressiva pela manhã.Posteriormente, mensuramos o esforço a partir da intensidade de toque na porta de acesso a um recurso preferencial quando essa era bloqueada e da latência do primeiro toque nessa porta. Os peixes realizam esforço diferenciado para conseguir determinado recurso, sugerindo que quanto maior o esforço mais relevante é o recurso para seu bem-estar. A tilápia escolhe toca ao invés de sedimento ou cor ambiental amarela quando são apresentados concomitantemente, mas tem maior motivação (realizam maior esforço) para alcançar o sedimento. Portanto, também fica claro que o emprego dessas duas metodologias (escolha e esforço) deve ser levado em consideração para avaliar o enriquecimento ambiental... / Not available
3

Avaliação do bem-estar da tilápia-do-Nilo a partir do esforço para obtenção de condiçoes de preferência /

Freitas, Renato Hajenius Aché de. January 2011 (has links)
Orientador: Gilson Luiz Volpato / Banca: Adalberto Luis Val / Banca: Leonardo josé Gil Barcellos / Banca: Elisabeth Criscuolo Urbinati / Banca: Rodrigo Egydio Barreto / Resumo: Inicialmente investigamos condições de preferência dos peixes em relação à granulometria de sedimento de rio, coloração ambiental e intensidade de luz na cor ambiental preferida. Posteriormente, avaliamos a tese central de que o esforço que o peixe realiza para atingir determinado objetivo é um indicador da relevância do mesmo (condição a ser atingida) para melhorar seu bem-estar. Assim, determinamos uma forma de se impingir esforço ao animal para que obtenha a condição de sua preferência. Avaliamos a preferência por meio da freqüência de visita em compartimentos contendo diferentes condições da variável testada. Concluímos que a preferência pela granulometria do sedimento para visitar está relacionada com a amplitude bucal do indivíduo. Além disso, a preferência pode ser dependente da motivação para se reproduzir ou alimentar-se. A tilápia mostrou preferência pela cor ambiental amarela e, nessa cor, prefere intensidades abaixo de 200 lux de maneira consistente e independente do período. Abaixo disso só apresenta preferência no período da manhã, sendo essa de ~ 80 lux. Sugerimos que a tomada de decisão por todas essas variáveis seja mais expressiva pela manhã.Posteriormente, mensuramos o esforço a partir da intensidade de toque na porta de acesso a um recurso preferencial quando essa era bloqueada e da latência do primeiro toque nessa porta. Os peixes realizam esforço diferenciado para conseguir determinado recurso, sugerindo que quanto maior o esforço mais relevante é o recurso para seu bem-estar. A tilápia escolhe toca ao invés de sedimento ou cor ambiental amarela quando são apresentados concomitantemente, mas tem maior motivação (realizam maior esforço) para alcançar o sedimento. Portanto, também fica claro que o emprego dessas duas metodologias (escolha e esforço) deve ser levado em consideração para avaliar o enriquecimento ambiental... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Not available / Doutor
4

Caracterização de indivíduos hesitantes e ousados na tilápia-do-Nilo

Silva, Graziela Valença da [UNESP] 26 February 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:12Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-02-26Bitstream added on 2014-06-13T19:39:30Z : No. of bitstreams: 1 silva_gv_me_botib_parcial.pdf: 90534 bytes, checksum: e5ae1fd42966c5fcbd0c44e74b7307e3 (MD5) Bitstreams deleted on 2015-03-16T11:30:16Z: silva_gv_me_botib_parcial.pdf,Bitstream added on 2015-03-16T11:31:01Z : No. of bitstreams: 1 000609983.pdf: 275068 bytes, checksum: c5458d6c71bd9cf6f1bf766448d6a3ba (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Nos identificamos percentuais de individuos que se distribuem no continuo hesitayaoousadia na tihipia-do-Nilo, Oreochromis niloticus (Linnaeus, 1758). Avaliamos a reayao de peixes isolados (100 peixes, 22.1 ± 5.9 g) a urn objeto-estimulo introduzido subitamente no aquario. Dividimos a parede frontal do aquario em quatm regioes iguais, atraves de linhas externas verticais. Apos isolamento por 24 h nesse aquario, assim que o peixe estava numa das duas extremidades, introduziamos subitamente 0 objetoestimulo (cilindro de PVC de 10 em diametro) na extremidade oposta (~ 30 em do peixe). Nos 5 min seguintes registravamos: a) tempo para sair da regiao inicial; b) tempo para chegar a regiao do objeto-estimulo; e c) tempo em locomoyao. Identificamos dois perfis extremos de resposta: permanencia na regiao inicial (peixes hesitantes) e aproximayao do objeto-estimulo em ate 40 s (peixes ousados). Este criterio resultou em 20% de individuos hesitantes, 29% de ousados e 51% de intermediarios, sendo os peixes ousados os mais ativos. Esses perfIS nao tiveram associayao com 0 sexo dos animais. Para testar a associayao dos perfis hesitante e ousado com a agressividade, uma nova amostra de peixes foi avaliada (115 peixes) como descrito acima, porem 24h horas depois urn segundo teste foi realizado, mas com outro objeto-estimulo introduzido no aquario. Os peixes considerados hesitantes ou ousados nos dois testes consecutivos foram submetidos a anaIise da agressividade. Esta foi avaliada atraves do teste do espelho (20 peixes de cada perfil) e pareamento entre coespecificos (10 duplas de cada perfil). Os peixes ousados foram mais agressivos que os hesitantes. Em urn terceiro estudo, esses peixes foram submetidos a estresse de confinamento por 30 min e o estresse foi avaliado pe1a mudanya na frequencia ventilatoria e colorayao do olho. Peixes ousados foram mais responsivos ao estresse. Conc1uimos que os perfis hesitante e ousado ocorrem na tilápia-do-Nilo,.... / We identified percentage of fish III the shy-bold continuum III the Nile tilapia, Oreochromis niloticus (Linnaeus, 1758). This was achieved from the reaction of isolated fish (100 fish, 22.1 ± 5.9 g) to a stimulus-object suddenly introduced into the aquarium. The frontal glass of the test aquarium was divided in four regions of same area by vertical lines outside the aquaria. After 24-h isolation in the test aquarium, when the fish was in one of the extremities of the aquarium, the stimulus-object (1O-cm diameter PVC cylinder) was suddenly immersed into the aquarium in the opposite side (- 30 cm from the fish). We registered in the next 5 min: a) latency to the fish exit from the initial area; b) time to reach the stimulus-object area; and c) time spent in locomotion. We could identify two extreme responses: staying in the initial area (fish considered shy) and approaching the stimulus-object in up to 40 s (bold fish). This criterion resulted in 20% shy, 29% bold and 51% intermediate fish, with the bold fish being more active. These profiles were not associated with fish sex. To test the association of shy and bold fish with aggression, these fish were identified in other sample (115 fish) as described above; 24 h later a second test was performed (but now with another object introduced). Fish considered shy or bold in these two consecutive testes were then tested for aggression. Aggression was evaluated by the mirror test (20 fish each profile) and also pairing with conspecific fish (10 pairs in each profile). Bold fish were more aggressive than the shy fish. In a third study, these fish were subjected to stress confinement for 30 min and stress evaluated in terms of changes in ventilation rate and eye color. Bold fish were the most responsive to stress. In conclusion, shy and bold profiles occur in the Nile tilapia, can be identified by reaction to a sudden stimulus and ...
5

Implicações do perfil de ansiedade na dinâmica

Genovez, Lara Wichr [UNESP] 24 February 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:14Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-02-24Bitstream added on 2014-06-13T18:40:13Z : No. of bitstreams: 1 genovez_lw_me_botib_parcial.pdf: 82380 bytes, checksum: 410609a2bf1d1591d12460b6c75e01f1 (MD5) Bitstreams deleted on 2015-03-16T11:30:17Z: genovez_lw_me_botib_parcial.pdf,Bitstream added on 2015-03-16T11:31:01Z : No. of bitstreams: 1 000610307.pdf: 151781 bytes, checksum: 0fccf42decac23f86e3f5228108c6779 (MD5) / Este estudo investigou o perfil de ansiedade em Juverus de Tilápia-do-Nilo (Ore Niloticus). Num primeiro capitulo, determinamos um perfil comportamental indicativo de níveis de ansiedade. Num segundo capitulo, avaliamos o efeito de diferentes proporções de peixes com ansiedade alta (AA) e pouca (PA) na agressão e na produção de peixes em condições de aquário. No primeiro capitulo, por meio da modulação do comportamento de peixes usando drogas ansiolíticas (Diazepam, DZP) e ansiogênicas (Pentilenotetrazol, PTZ), demonstramos que o tempo gasto na natação foi um indicador confiável do nível de ansiedade (menor a locomoção, maior o nível de ansiedade). Também descobrimos que esse traço comportamental é melhor do que a medida de latência para sair do abrigo e explorar o ambiente novo. No segundo capitulo, outros peixes foram separados pelo critério de locomoção em perfis AA e PA e agrupados (6 peixes/aquário) para observação da agressão, do crescimento, da alimentação e da sobrevivência em 3 proporções: a) 50% de AA + 50% de PA; b) 100% PA e c) 100% AA. Nenhuma das variáveis observadas foi diferente entre essas composições de grupo / This study investigated the anxiety profile in Nile tilapia juveniles (Oreochromis niloticus) by determining in a first chapter a behavioral profile to indicate levels of anxiety and, in a second chapter, the effect of different proportion of high (liA) and low (LA) anxiety fish on aggression and fish production in aquarium conditions. ln the first chapter, by modulating fish behavior with ansiolitic (Diazepam DZP) and ansiogenic (pentylenotetrazole PTZ) drugs, we demonstrated that time fish spent in swimming was a reliable indicator of anxiety levei (the lower the swimming, the higher the anxiety levei). We also found that this behavioral trait is better than measure of latency to exit shelter and explore a novel environment. Then, in the second chapter, other fish were separated by the locomotor criterium in HA and LA profiles and grouped (6 fish/aquarium) for aggression, growth, feeding and survival observations at three proportions: a) 50% HA + 50% LA, b) 100% HA, and c) 100% LA. Neither of the observed variables was different among these group compositions
6

Etnoecologia e historia natural de peixes no atlantico (Ilha dos Buzios, Brasil) e pacifico (Moreton Bay, Australia)

Silvano, Renato Azevedo Matias 11 January 2001 (has links)
Orientador : Alpina Begossi / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-29T02:30:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Silvano_RenatoAzevedoMatias_D.pdf: 13275303 bytes, checksum: 7b8231bd1889cb9f145b39c95cde9e06 (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: Pescadores artesanais geralmente exibem um conhecimento detalhado sobre a ecologia e o comportamento dos peixes. Estudos abordando a etnoecologia de peixes são relativamente escassos, especialmente os que comparam dados sobre mais de um país ou região. Os objetivos deste estudo foram: verificar o conhecimento etnoecológico de pescadores artesanais costeiros sobre espécies de peixes, com estudos de caso no Brasil e na Austrália e analisar as informações fornecidas pelos pescadores com base na literatura e pesquisa de campo abordando ecologia e história natural dos peixes. Na Ilha de Búzios (litoral Sudeste do Brasil), foram realizadas pesquisas enfocando tanto etnoictiologia como a história natural dos peixes. Segundo os estudos sobre comportamento alimentar dos peixes, o xaréu (Caranx latus, Carangidae) segue o bodião (Bodianus rufus, Labridae) durante o forrageio, consumindo peixes bentônicos que este último afugenta do substrato. A pirajica (Kyphosus incisor, Kyphosidae) apresenta uma variação tanto na dieta como no comportamento de forrageio, aparentemente relacionada ao tamanho: peixes menores consomem algas e crustáceos planctônicos, enquanto peixes maiores alimentam-se predominantemente de algas. Foram analisados o comportamento alimentar de dois pares de espécies de peixes simpátricas da Fanulia Pomacentridae, sendo um par da Ilha de Búzios (Oceano Atlântico), Abudefduf saxatilis e Stegastes fuscus, e um par de Heron Island (Grande Barreira de Corais, Austrália, Oceano Pacífico), A. whitleyi e S. apicalis. O comportamento exibido pelas espécies do mesmo gênero foi semelhante para os dois locais. Em cada local, as espécies de cada par diferiram quanto ao hábitat e L / Abstract: Artisanal fishers show a detailed knowledge about fish ecology and behavior. Studies addressing the ethnoecology of fishes are relatively scarce, especially those comparing data from distinct regions or countries. The aiIDS of this study were: to access the local ecological knowledge mantained by coastal marine artisanal fishers about fish species, through case studies in Brazil and Australia; to analize the information provided by fishers using literature and field research about fish natural history and ecology. I studied both the ethnoichtyology and natural history of fishes at Búzios Island (southeastem Brazilian coast). According to the studies about fish feeding behavior, the jack (Caranx latus, Carangidae) follows the wrasse (Bodianus rufus, Labridae) while foraging. The former fish species preys on benthonic fish that the second drive away trom the substrate. The drummer (Kyphosus incisor, Kyphosidae) shows a size-related variation, both in diet and feeding behavior: smaller fishes eat algae and planktonic crustaceans, while larger fishes eat mostly algae. I compared the feeding behavior of two sympatric fish species pairs belonging to the Family Pomacentridae, one pair from Búzios Island (Atlantic Ocean) Abudefduf saxatilis and Stegastes fuscus, and other one from Heron Island (Australian Great Barrier Reet, Pacific Ocean), A. whitleyi and S. apicalis. The behavior of species from the saroe genus was similar for both places. In each study site I observed differences regarding hábitat use and feeding behavior of sympatric species. Abudefduf fishes forage mainly at the water column, while Stegastes fishes feed over the rocky substrate, defending feeding territories and attacking other fishes. I verified the fishers knowledge through interviews, using questionnaires and fish photographs. At Búzios Island, interviews addressed aspects of the fishery, ecology and behavior of ten fish species, including species from distinct taxonomic and ecological groups. Búzios Island fishermen show a detailed knowledge regarding fish behavior and ecology. Such local ecological knowledge influences the fishing pratices, being in concordance with the observations derived from the ichthyologicalliterature and field research. I conducted an ethnoichthyological study among aboriginal fishers from the North Stradbroke Island, at the Australian coast, using the same methodology from the Brazilian study and addressing the fishery and natural history of the enchova! tailor (Pomatomus sa/tatrix, Pomatomidae), an important fish species to both Brazilian and Australian artisanal fishers. The information provided from Brazilian and Australian fishers about this fish species showed similarities and differences. The differences concem the hábitat and the reproduction of P. sa/tatrix. These may reflect the environmental conditions at the two places, as well as inter populational variations of this species reproduction period. The observed similarities regarding the diet and migratory behavior of P. saltatrix suggest the occurrence of global pattems refering to these aspects of P. saltatrix biology. Such pattems agree with observations from the ichthyologicalliterature. The results of this study show a potential utility of the fishers local ecological knowledge to subsidize fishery management plans and to increase the scientific knowledge about tropical marine fish species / Doutorado / Doutor em Ecologia
7

Interação, crescimento e comportamento de Tilapia rendalli (Cichlidae) e Metynnis roosevelti (Characidae) (Pisces)

Giessmann, Gundula Hiltrud January 1994 (has links)
Orientador: Edith Susana E.Fanta / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Parana, Setor de Ciencias Agrarias / Quando peixes exóticos são introduzidos em ambientes naturais, causam impacto nas espécies nativas, e portanto, no ecossistema como um todo, modificando o comportamento das espécies, sua taxa de crescimento e sobrevivência. Assim, foi descrito o comportamento de exemplares juvenís da espécie exótica Tilapia rendalli Boulenger, 1896, (Cichlidae), e da nativa Metynnis roosevelti Eigenmann, 1915, (Characidae), individualmente e consorciadas, em aquários de 128 litros, contendo 10 peixes em condições controladas e fotoperíodo 12/12, avaliaram-se 6 situações: apenas T. rendalli; apenas M. roosevelti; ambas as espécies juntas (1:1 ); cada situação em temperatura de 28°C e 18°C, em um período de 72 dias. O comportamento de T. rendalli é agressivo, ativo e territorial. A concorrência entre indivíduos é grande e somente 30% sobreviveram, crescendo 35% em 10 semanas (28°C). M. roosevelti não é territorial, forma grupos, mostrando baixa agressividade. A sobrevivência foi de 100% crescendo apenas 5% (28°). Quando as espécies dividiram o mesmo ambiente, apenas 20% das T. rendalli sobreviveram, mas cresceram em 50% do tamanho original, enquanto que 100% das M. roosevelti sobreviveram, crescendo somente 9%. T. rendalli se alimentou mais na superfície, sendo que os mais fracos somente no fundo. M. roosevelti permaneceu mais perto do fundo, mas nadavam à superfície para capturar o alimento, retomando ao local original, com movimentos rápidos. M. roosevelti mantinha distância constante entre indivíduos enquanto que T. rendalli constantemente modificava a mesma, estabelecendo relações intra e inter-específicas. M. roosevelti, em qualquer uma das condições, apresentou maior sobrevivência enquanto que a T. rendalli apresentou um maior aumento de biomassa no mesmo período de tempo. Parece ser vantajoso o consórcio de T. rendalli e M. roosevelti a 28°C, por promover tal crescimento e ganho de peso, que a biomassa total passa a ser o dobro da de um cultivo monoespecífico de T. rendalli, mesmo que não haja 100% de sobrevivência / When exotic fishes are introduced in natural environments, they may cause an impact on the native species, their growth and survival. Thus, the behaviour of young of the exotic Tilapia rendalli Boulenger, 1896, (Cichlidae) and of the native Metynnis roosevelti Eigenmann, 1915, (Characidae) was described, when they were kept isolated and when kept together, in 128 liter aquariums, in a period of 72 days. Each aquarium contained 10 individuals, and were maintained in constant abiotic conditions. 6 different fish tests were undertaken: only T. rendalli; only M. roosevelti; both species (1:1 ), and each situation at 28°C and 18°C. The behaviour of T. rendalli is agressiv, active and strongly territorial. Concurrence between individuals is hight, leading to 30% of survival with a growth of 35% in 10 weeks (28°C). M. roosevelti are nor territorial but are organized in groups, with low agressivity. Its survival was 100% but the growth only 9%. T. rendalli feeds at the surface, and only the weak animals close the bottom. M roosevelti remains close the bottom but swim to the surface, through very fast movements, catch the food, returning quickly to their original position. M. roosevelti keeps a constant distance between the individuals of the group. T. rendalli modifies constantly the distance, establishing intra and inter-specific relations. In all situations M. roosevelti showed a higher survival rate, and T. rendalli a higher increase in the biomass, in the same period of time. It seems to be advantageous to consortiate T. rendalli and M. roosevelti, at 28°C, as the total biomass is higher in this situation, even with a lower survival than 100%
8

Caracterização de indivíduos hesitantes e ousados na tilápia-do-Nilo /

Silva, Graziela Valença da. January 2010 (has links)
Orientador: Gilson Luiz Volpato / Banca: Eleonora Trajano / Banca: Rodrigo Egydio Barreto / Resumo: Nos identificamos percentuais de individuos que se distribuem no continuo hesitayaoousadia na tihipia-do-Nilo, Oreochromis niloticus (Linnaeus, 1758). Avaliamos a reayao de peixes isolados (100 peixes, 22.1 ± 5.9 g) a urn objeto-estimulo introduzido subitamente no aquario. Dividimos a parede frontal do aquario em quatm regioes iguais, atraves de linhas externas verticais. Apos isolamento por 24 h nesse aquario, assim que o peixe estava numa das duas extremidades, introduziamos subitamente 0 objetoestimulo (cilindro de PVC de 10 em diametro) na extremidade oposta (~ 30 em do peixe). Nos 5 min seguintes registravamos: a) tempo para sair da regiao inicial; b) tempo para chegar a regiao do objeto-estimulo; e c) tempo em locomoyao. Identificamos dois perfis extremos de resposta: permanencia na regiao inicial (peixes hesitantes) e aproximayao do objeto-estimulo em ate 40 s (peixes ousados). Este criterio resultou em 20% de individuos hesitantes, 29% de ousados e 51% de intermediarios, sendo os peixes ousados os mais ativos. Esses perfIS nao tiveram associayao com 0 sexo dos animais. Para testar a associayao dos perfis hesitante e ousado com a agressividade, uma nova amostra de peixes foi avaliada (115 peixes) como descrito acima, porem 24h horas depois urn segundo teste foi realizado, mas com outro objeto-estimulo introduzido no aquario. Os peixes considerados hesitantes ou ousados nos dois testes consecutivos foram submetidos a anaIise da agressividade. Esta foi avaliada atraves do teste do espelho (20 peixes de cada perfil) e pareamento entre coespecificos (10 duplas de cada perfil). Os peixes ousados foram mais agressivos que os hesitantes. Em urn terceiro estudo, esses peixes foram submetidos a estresse de confinamento por 30 min e o estresse foi avaliado pe1a mudanya na frequencia ventilatoria e colorayao do olho. Peixes ousados foram mais responsivos ao estresse. Conc1uimos que os perfis hesitante e ousado ocorrem na tilápia-do-Nilo, .... / Abstract: We identified percentage of fish III the shy-bold continuum III the Nile tilapia, Oreochromis niloticus (Linnaeus, 1758). This was achieved from the reaction of isolated fish (100 fish, 22.1 ± 5.9 g) to a stimulus-object suddenly introduced into the aquarium. The frontal glass of the test aquarium was divided in four regions of same area by vertical lines outside the aquaria. After 24-h isolation in the test aquarium, when the fish was in one of the extremities of the aquarium, the stimulus-object (1O-cm diameter PVC cylinder) was suddenly immersed into the aquarium in the opposite side (- 30 cm from the fish). We registered in the next 5 min: a) latency to the fish exit from the initial area; b) time to reach the stimulus-object area; and c) time spent in locomotion. We could identify two extreme responses: staying in the initial area (fish considered shy) and approaching the stimulus-object in up to 40 s (bold fish). This criterion resulted in 20% shy, 29% bold and 51% intermediate fish, with the bold fish being more active. These profiles were not associated with fish sex. To test the association of shy and bold fish with aggression, these fish were identified in other sample (115 fish) as described above; 24 h later a second test was performed (but now with another object introduced). Fish considered shy or bold in these two consecutive testes were then tested for aggression. Aggression was evaluated by the mirror test (20 fish each profile) and also pairing with conspecific fish (10 pairs in each profile). Bold fish were more aggressive than the shy fish. In a third study, these fish were subjected to stress confinement for 30 min and stress evaluated in terms of changes in ventilation rate and eye color. Bold fish were the most responsive to stress. In conclusion, shy and bold profiles occur in the Nile tilapia, can be identified by reaction to a sudden stimulus and ... / Mestre
9

Efeitos de estressores e do cortisol na memória em peixes

Barreto, Rodrigo Egydio [UNESP] 01 March 2006 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:13Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2006-03-01Bitstream added on 2014-06-13T18:40:11Z : No. of bitstreams: 1 barreto_re_dr_botib.pdf: 165542 bytes, checksum: ef4ca41b613e9d2dadcb00ab8bef94a9 (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Esta tese versa sobre relações entre memória e estresse. Assim, inicialmente apresentamos alguns conceitos dessas duas áreas que permeiam os estudos apresentados neste trabalho. O estresse é um fenômeno que tem sido amplamente estudado, tanto por razões teóricas quanto pelas suas implicações em atividades zootécnicas de interesse econômico. O estresse é conceituado como um estado do organismo frente situações de ameaça da perda da homeostase causada por algum fator (o estressor). Esse estado implica num conjunto relativamente padronizado de respostas bioquímicas, fisiológicas e comportamentais. Pickering (1981) apresenta o quadro geral de estresse em peixes. Segundo ele, o estressor provoca estimulação no sistema nervoso autônomo simpático que libera das células cromafins da interrenal catecolaminas para o sangue; estimula também o eixo HPI (hipotálamo-pituitária-interrenal), que libera corticosteróides para a circulação. Dessas respostas primárias são induzidas respostas secundárias que podem mobilizar energia que é então usada para o organismo se ajustar à ameaça imposta pelo estressor. Se esses mecanismos de resposta persistem respostas terciárias ocorrem, como imunossupressão, redução ou inibição do crescimento e funções reprodutivas. Temporalmente, as respostas primárias e secundárias podem ocorrer em segundos, ou algumas horas ou dias; as terciárias geralmente demoram alguns dias para que sejam percebidas. Segundo Moberg (2000), o estado de estresse é aquele em que o organismo usa de suas reservas para enfrentar a situação de ameaça (estressor), e o estado de distresse ocorre quando essas reservas são levadas a limites extremos e o uso de energia e vias metabólicas implica necessariamente na supressão, total ou parcial...
10

Avaliação de oponentes en confrontos de tilápia-do-Nilo : interação entre sinais químicos e visuais /

Pinho Neto, Cândido Ferreira. January 2014 (has links)
Orientador: Percília Cardoso Giaquinto / Banca: Augusto Barbosa Júnior / Banca: Helton Carlos Delicio / Resumo: Durante o estabelecimento de confrontos entre indivíduos da mesma espécie, os fatores usualmente descritos como mediadores para o acesso a informações do oponente são sinais visuais, tais como tamanho, padrões de coloração e comportamentos ritualizados. Apesar da importância dos sinais visuais para comunicação em peixes, outros sinais são importantes neste complexo sistema. Considerando o meio aquático e a dispersão facilitada de substâncias químicas liberadas pelos indivíduos, espera-se que a sinalização química participe na avaliação de oponentes e na tomada de decisões antes e/ou durante um confronto. Assim, este estudo testou os efeitos de sinais químicos e sua integração com sinais visuais (tamanho do oponente) no comportamento agressivo em confrontos entre indivíduos da espécie Oreochromis nilocticus (Tilápia-do-Nilo). Para testar esta hipótese, duplas eram pareadas em uma condição em que os indivíduos podiam se ver, mas não havia contato mecânico ou químico entre eles. Durante os confrontos, o peixe focal da dupla era estimulado com sinais visuais e químicos de co-específicos, compondo as seguintes condições: estímulos químicos 1) água condicionada por um co-específico menor, 2) do mesmo tamanho 3) maior ou 4) água; e estímulos visuais 1) oponente do menor, 2) do mesmo tamanho ou 3) maior. Nos grupos que visualizaram um adversário menor, os diferentes tratamentos químicos não alteraram o comportamento agressivo do peixe focal. Ao visualizar um adversário do mesmo tamanho, os indivíduos que recebiam sinais químicos de co-específicos do mesmo tamanho e maiores apresentaram uma redução na expressão de ataques quando comparado ao grupo controle. Já ao visualizar um adversário maior, o tempo de exibição reduziu independentemente do estímulo químico e o número de ataques aumentou no grupo que recebia sinais químicos de co-específicos ... / Abstract: During the establishment of contests between individuals of the same species, the factors usually described as mediators for access to information of the opponent are visual signals, such as size, coloration patterns and ritualized behaviors. Despite the importance of visual signals for communication in fish, other signals are important in this complex system. Considering the aquatic environment and the facilitated dispersion of chemicals released by individuals, it is presumed that chemical signaling may be involved in the assessment of opponents and the decision making before and / or during a contest. Thus, this study tested the effects of chemical signals and their integration with visual signals (size of the opponent) in aggressive behavior in contests between individuals of the species Oreochromis nilocticus (Nile Tilapia). To test this hypothesis, pairs were matched in a condition in which individuals could see each other, but there was no mechanical or chemical contact between them. For the contest, the focal fish of the pair was stimulated with chemical and visual signals from conspecifics, comprising the following conditions: chemical stimuli 1) conditioned water by a smaller conspecific, 2) same-sized 3) larger or 4) water; and visual stimuli 1) smaller opponent, 2) same-sized, or 3) larger. In the groups that viewed a smaller opponent, the different treatments did not change the aggressive behavior of focal fish. When viewing an opponent of the same size, individuals receiving chemical signals from size-matched and larger conspecifics showed a reduction in the expression of attacks when compared to the control group. And, viewing a larger opponent, the display time reduced regardless of the chemical stimulus and the number of attacks increased in the group receiving chemical signals from larger conspecifics when compared to control and smaller. The results show that the Nile Tilapia ... / Mestre

Page generated in 0.0803 seconds