• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 333
  • 14
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 350
  • 183
  • 96
  • 78
  • 56
  • 53
  • 25
  • 23
  • 20
  • 19
  • 19
  • 18
  • 18
  • 17
  • 17
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Resistência biótica ao hidrozoário Podocoryna loyola Haddad, Bettim, & Miglietta, 2014 (Cnidaria, Hydrozoa, Hydractiniidae) introduzido na Baía de Paranaguá, Paraná

Bettim , Ariane Lima January 2017 (has links)
Orientadora : Profª Drª Maria Angélica Haddad / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 21/02/2017 / Inclui referências : f. 113-128 / Area de concentração: Zoologia / Resumo: Os impactos decorrentes da presença de espécies onde previamente não ocorriam têm motivado um interesse crescente em compreender os processos que diminuem a vulnerabilidade das comunidades à invasão. Muitos mecanismos ecológicos que modulam o processo de invasão estão associados à capacidade das comunidades receptoras de resistir ao invasor, isto é, à resistência biótica. As interações bióticas que limitam os organismos não-nativos dependem da composição da comunidade residente, da disponibilidade de recursos e da heterogeneidade dos fatores abióticos. Compreender a vulnerabilidade de comunidades marinhas à invasão e os possíveis impactos resultantes da presença de uma espécie exótica foram os motivos do presente estudo, que teve por objetivo avaliar a habilidade da comunidade incrustante de substratos artificiais da Foz do rio Itiberê, Baía de Paranaguá, Paraná, em resistir à colonização e ao estabelecimento de Podocoryna loyola, um hidroide provavelmente introduzido na área portuária de Paranaguá e em outros estuários do sul do Brasil. Para isto, placas experimentais permaneceram submersas por 24 meses e foram submetidas a diferentes tratamentos. A resistência da comunidade ao recrutamento bimestral de P. loyola foi avaliada comparando-se o número e a cobertura inicial das colônias do hidroide entre substratos limpos e previamente ocupados (capítulo 1). Observou-se que a comunidade residente não foi capaz de impedir a presença do hidroide, mas limitou a cobertura dos recrutas. Comparando-se comunidades com e sem P. loyola (respectivamente, colônias permaneciam nas placas ou eram removias quinzenalmente) (capítulo 2), foi possível avaliar a resistência dos organismos residentes pelo grau de estabilidade na composição e na estrutura da comunidade, durante sua formação e desenvolvimento. A composição e a cobertura das espécies foram comparadas entre os tratamentos. Não foram observadas muitas diferenças devido à presença de P. loyola, somente um morfotipo teve redução, em um curto intervalo de tempo. Esse resultado não reflete inibição do hidroide ao longo da sucessão, mas pode ser consequência da exclusão ineficiente da espécie do tratamento pareado, ou também da sazonalidade ambiental, que pode ter fornecidos nichos temporais favoráveis ao estabelecimento de P. loyola. A resistência da comunidade ao desenvolvimento de P. loyola, durante o processo de sucessão, foi avaliada comparando comunidades intactas com experimentos em que os organismos, exceto o hidroide, eram removidos quinzenalmente (capítulo 3). As altas e rápidas taxas de crescimento registradas para as colônias do hidroide, nos dois tratamentos, revelaram que a comunidade residente não representa uma barreira contra a expansão das colônias. Conclui-se que a comunidade incrustante da foz do rio Itiberê exerce fraca resistência ao estabelecimento de P. loyola. Somente durante as exposições bimestrais das placas registrou-se uma limitação ao recrutamento de P. loyola, provavelmente devido à ocupação prévia do espaço pelos organismos residentes. Em estágios sucessionais mais avançados, a comunidade não foi capaz de inibir P. loyola, que dominou a comunidade nos períodos de outono-inverno. Os experimentos indicam que a superioridade competitiva do hidroide, ou o aproveitamento de nichos temporais fornecidos pela sazonalidade ambiental, estão associados ao estabelecimento bem sucedido de P. loyola. As diferenças na resistência da comunidade à P. loyola, entre o recrutamento e a sucessão, exemplificam a complexidade de mecanismos que determinam o sucesso das invasões e destacam a importância de avaliar a resistência biótica em distintas escalas temporais. Palavras-chave: Podocoryna loyola, bioinvasão, resistência biótica, recrutamento, sucessão, crescimento, sazonalidade. / Abstract: The impacts resulting from the presence of species where previously did not occur have motivated an increasing interest in understanding the processes that reduce the vulnerability of the communities to the invasion. Many ecological mechanisms that modulate the invasion process are associated with the ability of receptor communities to resist the invader, that is, biotic resistance. The biotic interactions that will limit non-native organisms depend on the composition of the resident community, the availability of resources and the heterogeneity of the abiotic factors. Understanding the vulnerability of marine communities to the invasion and the possible impacts resulting from the presence of an exotic species were the reasons of the present study, whose objective was to evaluate the ability of the fouling community of artificial substrates at the mouth of the Itiberê River in Paranaguá Bay, Paraná, in resisting the colonization and establishment of Podocoryna loyola, a hydroid probably introduced in the port area of Paranaguá and in other estuaries of southern Brazil. For this, experimental plates were submerged for 24 months and were submitted to different treatments. Community resistance to bimonthly recruitment of P. loyola was assessed by comparing the number and initial coverage of the hydroid colonies between clean and previously occupied substrates (Chapter (chapter 1). It was observed that the resident community was not able to prevent the presence of the hydroid, but limited the coverage of the recruits. Comparing communities with and without P. loyola (colonies remained on the plates or were removed biweekly) (chapter 2), it was possible to evaluate the resistance of resident organisms by the degree of stability in the composition and structure of the community during its formation and development. The composition and coverage of the species were compared between treatments. No differences were observed due to the presence of P. loyola, only one morphotype was reduced in a short period of time. This result does not reflect hydroid inhibition throughout the succession, but may be a consequence of the ineffective exclusion of the species on paired treatment, or also the environmental seasonality, which may have provided temporal niches favorable to the establishment of P. loyola. Community resistance to the development of P. loyola, during the succession process was evaluated comparing intact communities with experiments in which organisms, except hydroid, were removed biweekly (Chapter 3). The high and rapid growth rates recorded for the colonies of the hydroid, in both treatments, revealed that the resident community does not represent a barrier against the colonies' expansion. It is concluded that the fouling community at the mouth of the Itiberê River exerts a weak resistance to the establishment of P. loyola. Only during the bimonthly exposures of the plates was there a more notable limitation to the recruitment of P. loyola, probably due to the previous occupation of the space by the resident organisms. In more advanced successional stages, the community was not able to inhibit P. loyola, which dominated the community in the autumn-winter periods. The experiments indicate that the competitive superiority of the hydroid, or the utilization of temporal niches provided by the environmental seasonality, are associated to the successful establishment of P. loyola. The differences in community resistance to P. loyola, between recruitment and succession, exemplify the complexity of mechanisms that determine the success of invasions and highlight the importance of evaluate the biotic resistance at different time scales. Key words: Podocoryna loyola, bioinvasion, biotic resistance, recruitment, succession, growth, seasonality
2

Estimação e previsão em processos com longa dependência sazonais

Bisognin, Cleber January 2003 (has links)
Neste trabalho analisamos alguns processos com longa dependência sazonais, denotados por SARFIMA(0,D, 0)s, onde s é a sazonalidade. Os estudos de estimação e previsão estão baseados em simulações de Monte Carlo para diferentes tamanhos amostrais e diferentes sazonalidades. Para estimar o parâmetro D de diferenciação sazonal utilizamos os estimadores propostos por Geweke e Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) e Fox e Taqqu (1986). Para os dois primeiros procedimentos de estimação consideramos seis diferentes maneiras de compor o número de regressores necessários na análise de regressão, com o intuito de melhor comparar seus desempenhos. Apresentamos um estudo sobre previsão h-passos à frente utilizando os processos SARFIMA(0,D, 0)s no qual analisamos o erro de previsão, as variâncias teórica e amostral, o vício, o pervício e o erro quadrático médio. / In this work we analyze some long memory seasonal processes, denoted by SARFIMA(0,D, 0)s, where s is the seasonality. The estimation and forecas- ting analysis in these processes are based on Monte Carlo simulation studies for different seasonal parameters and different sample sizes. To estimate the fractional seasonal parameter D we consider the methods proposed by Geweke and Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) and Fox and Taqqu (1986). For the first two estimation procedures we consider six different ways to choose the number of regressors in the linear regression, to better compare their performances. We also consider here the study of the h-steps ahead forecasting for these SARFIMA(0,D, 0)s processes analyzing the forecasting error, the theoretical and sample variances, the bias, the percentage bias and the mean square error.
3

Receptor insulin-like e transporte de nutrientes energéticos em Neohelice granulata : sazonalidade

Valle, Sandra Costa January 2008 (has links)
Mudanças sazonais nas condições ambientais alteram o ritmo sazonal endógeno com efeitos sobre a fisiologia e o comportamento de diversas espécies animais. Caranguejos estuarinos da espécie Neohelice granulata (Crustácea, Decapoda, Brachyura) são anualmente expostos a múltiplas condições estressantes a exemplo das variações de salinidade da água, pressão parcial de oxigênio, temperatura, pH, fotoperíodo, disponibilidade de alimentos, entre outras. Em crustáceos a insulina de mamífero estimula a atividade tirosina quinase do receptor insulin/ IGF I- like, a fosforilaçao de proteínas citoplasmáticas como o substrato-1 do receptor de insulina (IRS-1), o transporte de glicose, a glicogênese e a síntese lipídica, além disso, Kucharski e cols (2002) mostraram uma variação sazonal na ação do hormônio. Essas evidências motivam a investigação do sistema de sinalização insulin/ IGF I- like e suas relações com as mudanças sazonais do meio ambiente em invertebrados aquáticos. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da sazonalidade sobre a expressão, as características de ligação e a transdução do sinal insulínico, bem como, a captação de glicose e aminoácidos neutros em brânquias posteriores (BP), anteriores (BA) e músculo mandibular (MM) de N.granulata em seu ambiente natural. No presente trabalho mostrou-se, pela primeira vez, a expressão do gene CGIRLTK (Chasmagnathus granulata Insulin Receptor Like Tirosine Kinase) e sua variação sazonal em tecidos com diferentes características morfológicas e funcionais. Nas BP os mecanismos de modulação da via insulin/ IGF I-like no verão mostraramse diferentes, quando comparados àqueles verificados no inverno. No inverno o aumento da afinidade e da atividade tirosina quinase do receptor foi acompanhado de significativa elevação na expressão do gene CGIRLTK. Contudo, no verão o aumento na concentração de receptores e na fosforilação do substrato exógeno ocorreu paralelamente ao aumento da expressão do gene CGIRLTK. Já nas BA a sazonalidade não afetou a concentração de mRNA do CGIRLTK e as características de ligação (Kd e Bmax) e fosforilação do receptor tirosina quinase mostraram eventos similares àqueles verificados nas BP no inverno e verão, entretanto, na primavera, verificou-se uma resistência à insulina nesses órgãos. Quanto ao MM constatou-se elevada sensibilidade à insulina na primavera. Nessa estação a elevação da concentração de mRNA do CGIRLTK foi acompanhada do aumento da concentração de receptores, da afinidade do receptor ao hormônio e da atividade tirosina quinase do receptor. No presente trabalho a captação de 1-[14C] 2-deoxi-D-glicose (DG) foi marcadamente superior aquela de 3-O-[14C] metil-D-glicose (MG) nas BP e BA de N. granulata em todas as estações. A maior captação de DG e de MG nas BP e BA ocorre na primavera e no verão, sugerindo, que o transporte de glicose, possivelmente, ocorra via GLUT nas brânquias. Em contraste ao observado nas brânquias, não se constatou diferenças marcantes entre a captação de DG e de MG no músculo nos meses de inverno, primavera e verão. É possível que no tecido muscular existam dois sistemas de transporte de glicose com diferentes propriedades cinéticas e moduladoras: via GLUT e via co-transporte de sódio. Concluindo, a sazonalidade dos fatores ambientais altera a expressão do gene GCIRLTK, as características de ligação e de transdução do sinal insulínico, o transporte de nutrientes e de osmólitos em brânquias anteriores e posteriores e em músculo de N. granulata.
4

Estimação e previsão em processos com longa dependência sazonais

Bisognin, Cleber January 2003 (has links)
Neste trabalho analisamos alguns processos com longa dependência sazonais, denotados por SARFIMA(0,D, 0)s, onde s é a sazonalidade. Os estudos de estimação e previsão estão baseados em simulações de Monte Carlo para diferentes tamanhos amostrais e diferentes sazonalidades. Para estimar o parâmetro D de diferenciação sazonal utilizamos os estimadores propostos por Geweke e Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) e Fox e Taqqu (1986). Para os dois primeiros procedimentos de estimação consideramos seis diferentes maneiras de compor o número de regressores necessários na análise de regressão, com o intuito de melhor comparar seus desempenhos. Apresentamos um estudo sobre previsão h-passos à frente utilizando os processos SARFIMA(0,D, 0)s no qual analisamos o erro de previsão, as variâncias teórica e amostral, o vício, o pervício e o erro quadrático médio. / In this work we analyze some long memory seasonal processes, denoted by SARFIMA(0,D, 0)s, where s is the seasonality. The estimation and forecas- ting analysis in these processes are based on Monte Carlo simulation studies for different seasonal parameters and different sample sizes. To estimate the fractional seasonal parameter D we consider the methods proposed by Geweke and Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) and Fox and Taqqu (1986). For the first two estimation procedures we consider six different ways to choose the number of regressors in the linear regression, to better compare their performances. We also consider here the study of the h-steps ahead forecasting for these SARFIMA(0,D, 0)s processes analyzing the forecasting error, the theoretical and sample variances, the bias, the percentage bias and the mean square error.
5

Receptor insulin-like e transporte de nutrientes energéticos em Neohelice granulata : sazonalidade

Valle, Sandra Costa January 2008 (has links)
Mudanças sazonais nas condições ambientais alteram o ritmo sazonal endógeno com efeitos sobre a fisiologia e o comportamento de diversas espécies animais. Caranguejos estuarinos da espécie Neohelice granulata (Crustácea, Decapoda, Brachyura) são anualmente expostos a múltiplas condições estressantes a exemplo das variações de salinidade da água, pressão parcial de oxigênio, temperatura, pH, fotoperíodo, disponibilidade de alimentos, entre outras. Em crustáceos a insulina de mamífero estimula a atividade tirosina quinase do receptor insulin/ IGF I- like, a fosforilaçao de proteínas citoplasmáticas como o substrato-1 do receptor de insulina (IRS-1), o transporte de glicose, a glicogênese e a síntese lipídica, além disso, Kucharski e cols (2002) mostraram uma variação sazonal na ação do hormônio. Essas evidências motivam a investigação do sistema de sinalização insulin/ IGF I- like e suas relações com as mudanças sazonais do meio ambiente em invertebrados aquáticos. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da sazonalidade sobre a expressão, as características de ligação e a transdução do sinal insulínico, bem como, a captação de glicose e aminoácidos neutros em brânquias posteriores (BP), anteriores (BA) e músculo mandibular (MM) de N.granulata em seu ambiente natural. No presente trabalho mostrou-se, pela primeira vez, a expressão do gene CGIRLTK (Chasmagnathus granulata Insulin Receptor Like Tirosine Kinase) e sua variação sazonal em tecidos com diferentes características morfológicas e funcionais. Nas BP os mecanismos de modulação da via insulin/ IGF I-like no verão mostraramse diferentes, quando comparados àqueles verificados no inverno. No inverno o aumento da afinidade e da atividade tirosina quinase do receptor foi acompanhado de significativa elevação na expressão do gene CGIRLTK. Contudo, no verão o aumento na concentração de receptores e na fosforilação do substrato exógeno ocorreu paralelamente ao aumento da expressão do gene CGIRLTK. Já nas BA a sazonalidade não afetou a concentração de mRNA do CGIRLTK e as características de ligação (Kd e Bmax) e fosforilação do receptor tirosina quinase mostraram eventos similares àqueles verificados nas BP no inverno e verão, entretanto, na primavera, verificou-se uma resistência à insulina nesses órgãos. Quanto ao MM constatou-se elevada sensibilidade à insulina na primavera. Nessa estação a elevação da concentração de mRNA do CGIRLTK foi acompanhada do aumento da concentração de receptores, da afinidade do receptor ao hormônio e da atividade tirosina quinase do receptor. No presente trabalho a captação de 1-[14C] 2-deoxi-D-glicose (DG) foi marcadamente superior aquela de 3-O-[14C] metil-D-glicose (MG) nas BP e BA de N. granulata em todas as estações. A maior captação de DG e de MG nas BP e BA ocorre na primavera e no verão, sugerindo, que o transporte de glicose, possivelmente, ocorra via GLUT nas brânquias. Em contraste ao observado nas brânquias, não se constatou diferenças marcantes entre a captação de DG e de MG no músculo nos meses de inverno, primavera e verão. É possível que no tecido muscular existam dois sistemas de transporte de glicose com diferentes propriedades cinéticas e moduladoras: via GLUT e via co-transporte de sódio. Concluindo, a sazonalidade dos fatores ambientais altera a expressão do gene GCIRLTK, as características de ligação e de transdução do sinal insulínico, o transporte de nutrientes e de osmólitos em brânquias anteriores e posteriores e em músculo de N. granulata.
6

Monitoramento sazonal da atividade antioxidante das folhas de Erythroxylum suberosum A.St.-Hil. : correlação com o teor de hiperosídeo e isoquercitrina

Morais, Nathalia de Almeida 05 November 2015 (has links)
Dissertação (mestrado em Ciências Farmacêuticas)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas, 2015. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-02-17T14:54:16Z No. of bitstreams: 1 2015_NathaliadeAlmeidaMorais.pdf: 1755891 bytes, checksum: 714c9f72e26dfe72ba08c891eff3632f (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2016-05-26T16:36:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_NathaliadeAlmeidaMorais.pdf: 1755891 bytes, checksum: 714c9f72e26dfe72ba08c891eff3632f (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-26T16:36:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_NathaliadeAlmeidaMorais.pdf: 1755891 bytes, checksum: 714c9f72e26dfe72ba08c891eff3632f (MD5) / Erythroxylum suberosum A.St.-Hil. (Erythroxylaceae) é conhecida popularmente como “cabelo de negro” e utilizada popularmente como antidiarreico, adstringente, antirreumático, anestésico e para indigestão. Esta espécie pode ser encontrada em ambientes úmidos como a Mata Atlântica, nas regiões semiáridas e Cerrado. No presente trabalho, foi avaliada a sazonalidade da atividade antioxidante da espécie E. suberosum A.St.-Hil. correlacionada com o teor de hiperosídeo e isoquercitrina. Foram feitas 4 coletas de folhas no período compreendido entre novembro de 2013 a maio de 2014 e preparados extratos aquosos (EA), etanólicos (EE) e hexânicos (EH) a partir das folhas secas. A avaliação do perfil cromatográfico dos extratos permitiu a identificação de isoquercitrina e hiperosídeo nos extratos EA e EE. No período avaliado, o teor de flavonoides nos extratos EA variou de 41, 8 μg/mg a 23,3 μg/mg (hiperosídeo) e 18,0 μg/mg a 12,9 μg/mg (isoquercitrina). Nos extratos EE, hiperosídeo e isoquercitrina foram quantificados entre 25,5 a 19,0 μg/mg e 10,9 a 14,4 μg/mg, respectivamente. Para o ensaio de atividade sequestradora de radicais DPPH•, todos os extratos mostraram atividade. O extrato mais ativo foi o EA2, referente à coleta em novembro de 2013 (CI50= 4,45 μg/mL), semelhante ao padrão BHT. Para o método de redução do complexo fosfomolibdênio, os extratos referentes à coleta em agosto de 2013 EA1 (186,28 μg/mL equivalente AA) e EE1 (206,39 μg/mL equivalente AA) foram os mais ativos. As correlações relativas ao EA indicaram que à medida que os teores de isoquercitrina e hiperosídeo aumentaram, o poder antioxidante dos extratos pelo método do fosfomolibdênio também aumentou, sendo encontradas correlações fortes positivas significativas. Desta forma, a atividade antioxidante de EA pôde ser atribuída em grande parte à presença destes flavonoides. As correlações relativas ao EE indicaram que à medida que os teores de isoquercitrina e hiperosídeo aumentaram, o poder antioxidante dos extrato EE pelo ensaio de atividade redutora de DPPH• reduziu. Desta forma, a atividade redutora de DPPH• de EE pode não ser atribuída a estes flavonoides. Foi também observado que à medida que a umidade relativa aumentou, o teor de hiperosídeo e isoquerctrina tendeu a diminuir, bem como a atividade antioxidante. Por outro lado, o teor de hiperosídeo e isoquercitrina foi inversamente proporcional à redução da temperatura e diretamente proporcional que ao aumento da radiação. Essa tendência foi observada também no que se refere à atividade antioxidante, o aumento da temperatura e da radiação global incrementaram a atividade redutora de fosfomolibdênio. Quanto à atividade sequestradora dos radicais DPPH•, à medida que a radiação aumentou, a atividade tendeu a diminuir, apesar do aumento do teor dos flavonoides. Os resultados obtidos revelaram que para obter um extrato a partir das folhas de E. suberosum A.St.-Hil., o melhor período de coleta, para se obter melhores teores de isoquerctrina e hiperosídeo e maior atividade antioxidante, é no mês de agosto. E o melhor solvente extrativo foi a água, utilizando processo de infusão. / Erythroxylum suberosum A.St.-Hil (Erythroxylaceae), is popularly known as "cabelo-de-nego" and used for indigestion and as antidiarrheal, astringent, antirheumatic, anesthetic remedy. This species can be found at Atlantic Forest, at the Semi-Arid and Savannah regions. In this study, we evaluated the seasonality of the antioxidant activity of the species E. suberosum A.St.-Hil correlated to hyperoside and isoquercitrin content. Leaves were collected during August 2013, and May 2014. Aqueous (EA), ethanol (EE) and hexane (EH) extracts were prepared from the dried leaves. The chromatographic profile of extracts shows isoquercitrin and hyperoside. The flavonoid content on EA extracts varied from 41, 8 μg/mg to 23,3 μg/mg (hyperoside), and from 18,0 μg/mg to 12,9 μg/mg (isoquercitrin), while EE extracts show ranges of 25,5-19,0 μg/mg and 10,9-14,4 μg/mg to hyperoside and isoquercitrin, respectively. All extracts presented antioxidant activity. For DPPH• assay, the most active extract was an EA2, obtained from leaves collected in November 2013 (CI50 = 4.45 μg/mL), similar to standard (BHT). For the reduction of phosphomolybdenum complex method, EA1 and EE1 extracts (August 2013) - 186.28 μg/mL AA equivalent and 206.39 μg/mL AA equivalent, respectively – were the most active. The correlations for the EA extracts indicated that as higher isoquercitrin and hyperoside content, as higher antioxidant activity in both methods. Regarding DPPH• assay, in EE, the concentration of isoquercitrin and hyperoside is inversely proportional to antioxidant activity. It was also observed that as the rainfall was increased, flavonoid content tended to decrease, as well as antioxidant activity measured by both DPPH• and phosphomolybdenum methods. Also, as the temperature decayed, the flavonoid content tended to increase. Moreover, as the temperature and global radiation increased, the activity by phosphomolybdenum method tended to increase, while for the DPPH• scavenging, as the radiation is increased, the activity tended to decrease, despite the increased content of flavonoids isoquercitrin, and hyperoside. The lack of correlation between radiation and activity (by DPPH• method) confirmed the negative correlation between the observed radical scavenging activity and content of flavonoids. The results showed that the best collection period to obtain an extract from the leaves of E. suberosum A.St.-Hil, with high isoquercitrin and hyperoside content, is August (dry weather). The extractive solvent to give best-improved yields of these flavonoids was water, by using the infusion process.
7

Demografia e autotomia caudal de dois lagartos endêmicos de uma savana neotropical

Sousa, Heitor Campos de 11 March 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, 2016. / Submitted by Camila Duarte (camiladias@bce.unb.br) on 2016-05-04T22:02:20Z No. of bitstreams: 1 2016_HeitorCamposdeSousa.pdf: 9428900 bytes, checksum: 0e5e3e67d5df8bed0c2e5aa3e6e89b2f (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2016-05-15T14:29:05Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_HeitorCamposdeSousa.pdf: 9428900 bytes, checksum: 0e5e3e67d5df8bed0c2e5aa3e6e89b2f (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-15T14:29:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_HeitorCamposdeSousa.pdf: 9428900 bytes, checksum: 0e5e3e67d5df8bed0c2e5aa3e6e89b2f (MD5) / Atualmente, conhecer como a variação do clima e os distúrbios afetam as taxas vitais dos animais e que, consequentemente, levam a mudanças no crescimento populacional é essencial para a mitigação dos efeitos antrópicos. O fogo é um distúrbio importante em ecossistemas inflamáveis de todo o mundo, incluindo campos e savanas. Porém, sabe-se pouco sobre os efeitos do clima e do fogo sobre populações animais, especialmente no hotspot de biodiversidade do Cerrado. A autotomia caudal é uma adaptação antipredatória extrema entre os lagartos, que quando estudada em conjunto com a demografia pode elucidar questões sobre interações entre predador-presa e sobre os custos que ela pode gerar aos indivíduos. A demografia e a autotomia caudal de dois lagartos endêmicos do Cerrado (Micrablepharus atticolus e Tropidurus itambere) foram estudadas com marcação-recaptura sob efeito de regimes de queima com diferentes graus de severidade e portanto de abertura do hábitat. Ambas as espécies possuem reprodução sazonal, com recrutamento na estação chuvosa. A supressão do fogo e queimadas prescritas bianualmente no final da estação seca (maior severidade) prejudicam as duas espécies, pois diminuem o recrutamento e a sobrevivência a longo prazo. Tais resultados são decorrentes provavelmente da mudança do habitat e do microclima aos indivíduos e ao desenvolvimento dos ovos. Em Micrablepharus atticolus a autotomia caudal não está correlacionada com a eficiência de predação, mas sim com a intensidade de predação, pois no regime de queima de abertura do hábitat intermediário, há menor frequência de caudas partidas e maior sobrevivência. Em ambas as espécies, os custos da autotomia (condição corporal, crescimento e sobrevivência) foram baixos, exceto em machos de T. itambere, provavelmente porque estes ficam mais expostos a predadores ao defender territórios. Portanto, sugere-se a necessidade da prescrição de queimadas submetidas no começo da estação seca (junho - agosto) para a persistência das duas espécies. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Nowadays, knowledge on how the climate variation and disturbances affect the vital rates from the animals and that, consequently, lead to changes on the population growth is essential for the mitigation of the anthropic effects. Fire is an important disturbance in fire-prone ecosystems worldwide, including grasslands and savannas. However, we know little about the effects of climate and fire upon animal populations, specially in the Cerrado biodiversity hotspot. In the other side, tail autotomy is an extreme antipredatory adaptation among lizards and when studies integrate with demography we may elucidate questions about predator-prey interactions, and about the cost that it might generate to the individuals. We studied with mark-recapture procedures the demography and the tail autotomy of two endemic lizards from Cerrado (Micrablepharus atticolus e Tropidurus itambere) under fire regimes with different degrees of severity and habitat openness. Both species present seasonal reproduction, with recruitment at the rainy season. Fire suppression and burns prescribed biannually in the end of the dry season (higher severity) harm both species, because of decreased recruitment and survival in the long-term. These results are probably due to changes on habitat and microclimate for the individuals and the egg development. In Micrablepharus atticolus, tail autotomy frequencies were not related to predation efficiency, but to predation intensity, because we found higher survival and lower autotomy frequency than expected by chance in the fire regime with intermediate degree of habitat openness. In both species, costs related to autotomy (body condition, body growth and survival) were low, except in males of T. itambere, probably because this class of individuals stay more exposed to predators when defending territories. Therefore, this study suggests the need of prescribed burns submitted in the beginning of the dry season (june - july) for the persistence of both endemic species.
8

Estimação e previsão em processos com longa dependência sazonais

Bisognin, Cleber January 2003 (has links)
Neste trabalho analisamos alguns processos com longa dependência sazonais, denotados por SARFIMA(0,D, 0)s, onde s é a sazonalidade. Os estudos de estimação e previsão estão baseados em simulações de Monte Carlo para diferentes tamanhos amostrais e diferentes sazonalidades. Para estimar o parâmetro D de diferenciação sazonal utilizamos os estimadores propostos por Geweke e Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) e Fox e Taqqu (1986). Para os dois primeiros procedimentos de estimação consideramos seis diferentes maneiras de compor o número de regressores necessários na análise de regressão, com o intuito de melhor comparar seus desempenhos. Apresentamos um estudo sobre previsão h-passos à frente utilizando os processos SARFIMA(0,D, 0)s no qual analisamos o erro de previsão, as variâncias teórica e amostral, o vício, o pervício e o erro quadrático médio. / In this work we analyze some long memory seasonal processes, denoted by SARFIMA(0,D, 0)s, where s is the seasonality. The estimation and forecas- ting analysis in these processes are based on Monte Carlo simulation studies for different seasonal parameters and different sample sizes. To estimate the fractional seasonal parameter D we consider the methods proposed by Geweke and Porter-Hudak (1983), Reisen (1994) and Fox and Taqqu (1986). For the first two estimation procedures we consider six different ways to choose the number of regressors in the linear regression, to better compare their performances. We also consider here the study of the h-steps ahead forecasting for these SARFIMA(0,D, 0)s processes analyzing the forecasting error, the theoretical and sample variances, the bias, the percentage bias and the mean square error.
9

Mesozooplâncton do Estuário do Rio Formoso, Pernambuco, Brasil, Com Ênfase Em Cnidaria

Lima, Bruno Fernandes Rocha 31 January 2012 (has links)
Submitted by Eduarda Figueiredo (eduarda.ffigueiredo@ufpe.br) on 2015-03-12T13:33:04Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Bruno - Final.pdf: 892817 bytes, checksum: 9fe776f70687f829e6179a4833046e88 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-12T13:33:04Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Bruno - Final.pdf: 892817 bytes, checksum: 9fe776f70687f829e6179a4833046e88 (MD5) Previous issue date: 2012 / CAPES / Este estudo teve como objetivo descrever a comunidade zooplanctônica localizada na região de Rio Formoso, no litoral sul de Pernambuco. Foram avaliadas as variações sazonais, nictemerais e espaciais. As amostras foram coletadas em três estações dispostas ao longo da região. Foram analisados os parâmetros ambientais pluviosidade, temperatura, salinidade, assim como a composição do zooplâncton, sua densidade e freqüência de ocorrência. Foram coletadas 36 amostras com rede de plâncton de 200 μm de abertura de malha por meio de arrastos horizontais superficiais ao longo de um ano. Foram identificados 66 taxa de organismos zooplanctônicos, dentre eles 12 pertencentes ao filo Cnidaria. Houve dominância de Copepoda, sendo as espécies Pseudodiaptomus acutus Dahl,1894, Parvocalanus crassirostris Dahl,1894 e Acartia lilljeborgi Giesbrecht, 1889 as mais freqüentes. Dentre os Cnidaria, a dominância foi de Phialella quadrata Forbes, 1848 e Coryne prolifera. Foram registrados pela primeira vez as espécies Dipurena reesi, Dipurena halterata e Dipurena baukalion para o Nordeste do Brasil e para águas estuarinas. O zooplâncton de uma forma geral apresentou variação nictemeral significativa (p<0,05), assim como variação espacial entre os transectos mais distantes da desembocadura do rio Formoso. Não foi verificada a esma variação temporal para os Cnidaria, embora haja diferença significativa entre os locais de coleta (p=0,039).
10

Fenologia, síndromes de polinização e dispersão e recursos florais de uma comunidade de caatinga no cariri paraibano

Glebya Maciel Quirino, Zelma January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:02:37Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo2142_1.pdf: 2895658 bytes, checksum: 346f8392537639f2a16f15130ee85dbb (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Foi realizado o estudo fenológico e das síndromes de polinização e de dispersão de 46 espécies de plantas, distribuídas entre árvores, arbustos, ervas e trepadeiras, no período de janeiro de 2003 a dezembro de 2004, na RPPN Fazenda Almas (7°28'45"S e 36°54'18"W), na região do Cariri Paraibano, Nordeste do Brasil. Paralelamente foi realizado um estudo detalhado de cinco espécies de Cactaceae, relacionando as estratégias reprodutivas às relações ecológicas com grupos de polinizadores e dispersores. Associadas às síndromes de polinização, foram observadas a freqüência das diferentes síndromes e recursos florais ao longo dos meses para todo o período de estudo. Foram calculadas as datas médias utilizandose estatística circular, para a comunidade nas fenofases vegetativas e reprodutivas e a correlação entre a precipitação e as fenofases reprodutivas, entre os diferentes hábitos estudados. A queda de folhas apresentou padrão sazonal nos dois anos de estudo, enquanto para a fenofase brotamento foram observados dois picos, um na estação chuvosa e outro, no período seco. Os padrões de floração e frutificação variaram entre os hábitos, indicando resposta diferenciada a fatores ambientais. A floração apresentou padrão geral sazonal e a produção de frutos ocorreu ao longo de todo o ano com um aumento na estação úmida. Na frutificação as estratégias diferiram entre os grupos: árvores e arbustos apresentaram dois picos, semelhantes ao padrão da comunidade em geral, enquanto a produção de frutos pelas herbáceas ocorreu apenas no período úmido, e nas trepadeiras de maneira irregular, concomitantemente a floração. Em paralelo, a fenologia reprodutiva (floração e frutificação) de cinco espécies simpátricas de Cactaceae (Cereus jamacaru DC., Melocactus zehntneri (Britton & Rose) Luetzelburg, Pilosocereus chrysostele (Vaupel) Byl. & Rowl, P. gounellei (Weber) Byl.& Rowl e Tacinga inamoena K. Schum), foi analisada. Os padrões de floração e frutificação diferiram entre as espécies, variando de anuais a contínuos. Produção de frutos ao longo do ano foi observada, resultando em disponibilidade constante de alimento para frugívoros. Respostas distintas a fatores abióticos, como precipitação, devem ocorrer nestas cinco espécies de Cactaceae, o que justificaria as diferenças de padrões reprodutivos observados. Por fim, as síndromes de polinização das 46 espécies citadas acima foram estudadas. Diferenças entre os hábitos foram encontradas relacionando aos distintos atributos florais, tipo de recurso e síndromes florais. A floração apresentada pelas espécies diferencia entre os grupos de síndromes. A maioria das espécies melitófilas floresce na estação úmida, as quiropterófilas florescem ao longo do ano e as esfingófilas na estação úmida. A disponibilidade de recursos florais apresentou diferenças entre as estações seca e chuvosa, diferindo também entre os hábitos. A relação entre a distribuição temporal das fenofases na comunidade, assim como a diversidade das síndromes de polinização e dispersão, e a riqueza dos recursos florais, envolvendo os diferentes hábitos (árvores, arbustos, ervas e trepadeiras), ajudam no entendimento da dinâmica, auxiliando em estudos para planos de manejo e conservação, neste ecossistema

Page generated in 0.0447 seconds